Você está na página 1de 1

O HOMEM PRÉ-HISTÓRICO E A ARTE RUPESTRE

O ser humano sempre procurou representar, por meio de imagens, a realidade em


que vive: como pessoas, animais, objetos, elementos da natureza e outros exemplos, frutos
da sua capacidade de imaginar coisas.
Pressupõe-se que a primeira habilidade artística desenvolvida pelo homem tenha
sido o desenho (arte rupestre), criado por ele durante a pré-história, época que ficou
conhecido como “homem das cavernas”. ARTE RUPESTRE = ARTE NA ROCHA

Dentre as figuras rupestres encontradas, destacam-se as chamadas mãos em negativo, feita com um
pó extraído de pedras trituradas e que, com ajuda de uma espécie de canudo, permitiu mostrar a silhueta das
mãos marcadas nas paredes das cavernas; além disso, desenhos e pinturas de animais. Veja as figuras
abaixo:

Em suas pinturas, usavam corantes


naturais feitos de minerais, ossos
queimados, carvão, vegetais e
sangue de animais. Depois,
misturavam alguns desses
elementos com gordura animal para
fazer a tinta.

As duas imagens acima representam o primeiro período pré-histórico chamado de PALEOLÍTICO,


datadas a mais de 30 mil anos atrás. Observamos nelas que o homem da época retratava em suas pinturas o
que era captado por seus olhos. É possível que ele usasse esses registros para se comunicar ou marcar
território. Alguns estudiosos acreditam que as pinturas de animais era uma maneira de atrair a caça para o
alimento.
No último período da pré-história, NEOLÍTICO, o homem já havia desenvolvido a habilidade da
agricultura e também a domesticação de animais. Sendo assim, não era mais necessário uma vivia como
nômade e puderam se fixar em um lugar, sem se mudar constantemente em busca de alimento.

O período NEOLÍTICO foi fundamental para o inicio das


primeiras sociedades e o homem passou a registrar a figura humana
em suas atividades cotidianas.
No BRASIL dois grupos caracterizam as pinturas rupestres
estudadas: as de motivos naturalistas (figura humana e animais), e as de
motivos geométricos (com símbolos, pontilhados, linhas e outros), que pouco
se sabe sobre o significado atribuído a eles.

Arte 2018 - Professora Mariana Zacarias.