Você está na página 1de 4

Questão 01

O modelo de Dalton considera que a matéria possui partículas (átomos) que possuem
massa, o modelo ainda considera o átomo como uma partícula indivisível. Hoje sabemos
que o átomo é constituído de núcleo (formado por prótons e neutros) e elétrons que
orbitam ao redor do núcleo (Sistema Planetário - Modelo Atômico de Rutherford-Bohr.

Questão 02
a) Thompson realizou o seguinte experimento: colocou um campo elétrico externo ao
tubo de raios catódicos*. Ele observou que o feixe era desviado no sentido da placa
positiva, sendo, portanto, partículas negativas.

Ele observou também que podia repetir esse experimento com o mesmo resultado, pois
mesmo se mudasse os gases que se encontravam dentro do tubo, o valor da carga
elétrica sobre a massa seria sempre igual a 1,758805 . 1011 C. kg-1. Isso era significativo,
pois mostrava que era uma característica de toda matéria e consequentemente do
constituinte da matéria: o átomo.

Desse modo, descobriu-se a existência da primeira partícula subatômica: o elétron.

* Tubo de raios catódicos: um tubo de vidro, preenchido por gases à baixa pressão e
que possuíam eletrodos, isto é, um polo negativo (cátodo) e um positivo (ânodo), ligados
a um gerador. Quando se submetia esse esquema a uma ddp muito elevada,
observava-se um feixe de luz que saía do cátodo e ia para o ânodo; por essa razão,
denominados raios catódicos.

b) Rutherford propõe um modelo que explicaria as propriedades da matéria, onde, o


átomo é composto de um pequeno núcleo positivo (constituído por prótons e nêutrons)
correspondente a massa, praticamente, total do átomo e envolta do núcleo uma região
denominada eletrosfera onde os elétrons ficam girando.

No entanto, o modelo atômico de Rutherford possuía alguns erros. Por exemplo, o elétron
possui carga negativa, portanto, se ele girasse ao redor do núcleo, que é positivo, ele iria
perder energia na forma de radiação, com isso, suas órbitas iriam diminuir
gradativamente e os elétrons iriam adquirir um movimento espiralado, acabando por se
chocar com o núcleo. Mas isso não ocorre na prática.

Baseado no Modelo de Rutherford, Bohr estabelece o modelo atômico de sistema


planetário (Modelo Rutherford-Bohr).

Bohr chegou a esse modelo baseando-se no dilema do átomo estável. Ele acreditava na
existência de princípios físicos que descrevessem os elétrons existentes nos átomos.
Esses princípios ainda eram desconhecidos e graças a esse físico passaram a ser
usados.

Bohr iniciou seus experimentos admitindo que um gás emitia luz quando uma corrente
elétrica passava nele. Isso se explica pelo fato de que os elétrons, em seus átomos,
absorvem energia elétrica e depois a liberam na forma de luz. Sendo assim, ele deduziu
que um átomo tem um conjunto de energia disponível para seus elétrons, isto é, a
energia de um elétron em um átomo é quantizada. Esse conjunto de energias
quantizadas mais tarde foi chamado de níveis de energia.

Conceito de Bohr: Os elétrons estão distribuídos em camadas ao redor do núcleo.


Existem 7 camadas eletrônicas, representadas pelas letras maiúsculas: K, L, M, N, O, P e
Q. À medida que as camadas se afastam do núcleo, aumenta a energia dos elétrons
nelas localizados.

Questão 03:

a) H2SO4 sIgnifica a quantidade de elétrons que compõe a molécula. Nesse caso, ela é
composta de dois átomos de hidrogênio (H), um** átomo de enxofre (S) e quatro átomos
de oxigênios (O).

** Quando o índice for um, não é necessário representá-lo na fórmula. o átomo de


enxofre (S) não possui índice, logo trata-se do valor um.

b) A Lei de Conservação das Massas descoberta por Lavoisier diz: “Na natureza nada se
cria e nada se perde, tudo se transforma”.

Essa lei nos mostra que quando ocorrem reações químicas a massa se conserva porque
não ocorrem criação nem destruição dos átomos, eles apenas se rearranjam para formar
novas substâncias.

Balancear uma equação química é o mesmo que acertar os coeficientes ou igualar o


número de átomos de cada elemento, no 1º e no 2º membros da equação.

Então, o fato de balancear uma equação é útil para saber a quantidade de moléculas que
reagem e que são formadas, igualando a quantidade de material que entra e que sai na
reação química.

Questão 4:

a) o nitrogênio (N2) não participa da reação, ele é um gás inerte devido à ligação tripla
entre os nitrogênios que é altamente energética, portanto difícil de quebrar, conferindo à
molécula grande estabilidade.
A presença do nitrogênio serve somente para "diluir" a concentração de oxigênio no ar,
sendo que se não houvesse o nitrogênio no ar atmosférico, qualquer pequena faísca
provocaria incêndios de grandes proporções.

b) C(s) + O2(g)+N2(g) --> CO2(g) + N2(s)

c) O ar atua com a participação do oxigênio como comburente, o gás necessário para se


dar continuidade ao processo de queima. O ar atmosférico por si só não entra em
combustão.

Já o carvão em questão é o combustível da reação, enquanto existir o carvão, haverá


queima, provocando uma grande liberação de energia.

Consequentemente, o ar não entra em combustão sozinho, nem libera calor, logo, na


queima do carvão para churrasco, por exemplo, haverá maior liberação de energia.

Questão 05:

FeS + 2HCl → FeCl 2 + H 2 S.

a)

mFeS (g) mHCL (g) mFeCl2 (g) mH2S (g) m total dos m total dos
reag (g) prod (g)

88 73 127 34 161 161

196 146 254 68 322 322

44 36,5 63,5 17 80,5 80,5

b)

mFeCl2/mFeS mFeCl2/mHCL mH2S/mFeS mH2S/mHCl mFeCl2/mH2S

1,4432 1,7397 0,3864 0,4657 3,7353