Você está na página 1de 3

Em cenário sem Lula, Bolsonaro e

Alckmin empatam em SP, diz


pesquisa MDA
Gustavo Maia
Do UOL, em Brasília 08/08/2018 11h28 > Atualizada 08/08/2018 22h25

m n   H {Ouvir texto J Imprimir F Comunicar erro

Arte/UOL

Veja como está a corrida presidencial, segundo pesquisa CNT/MDA

A dois meses das eleições, pesquisa do instituto MDA divulgada nesta quarta-feira
(8) no estado de São Paulo sobre as eleições presidenciais mostra que o candidato
do PSL, Jair Bolsonaro, ficou em primeiro lugar, empatado tecnicamente com o ex-
governador Geraldo Alckmin (PSDB), dentro da margem de erro. Bolsonaro
teve 18,9% das intenções de voto, e Alckmin, 15%, no cenário sem o ex-presidente
Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Como a margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais, para mais


ou para menos, Bolsonaro pode ter entre 21,1% e 16,7%. Já Alckmin pode variar
entre 17,2% e 12,8%.

Quando o nome de Lula foi testado, ele apareceu empatado tecnicamente com
Bolsonaro em primeiro lugar. Neste cenário, o petista aparece com 21,8% (podendo
ter entre 24% e 19,6%) enquanto que o deputado tem 18,4% (entre 20,6% e
16,2%).

O levantamento foi encomendado pela CNT (Confederação Nacional do


Transporte), e entrevistou 2.002 pessoas em 75 municípios paulistas entre quinta-
feira (2) e domingo (5), últimos dias do prazo para que os partidos oficializassem
seus candidatos no pleito desse ano. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal
Superior Eleitoral) sob o número SP-04729/2018.

Leia também:

Doria e Skaf empatam em disputa para o governo de SP


(https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/08/08/pesquisa-
mda-governo-sp.htm)

Com pouco mais de 33 milhões de eleitores, o estado de São Paulo é o maior


colégio eleitoral do país e tem cerca de 22,5% do eleitorado brasileiro –estimado em
147,3 milhões, segundo o TSE.
Cenário sem Lula, com Haddad

Jair Bolsonaro (PSL) - 18,9%


Geraldo Alckmin (PSDB) - 15,0%
Marina Silva (Rede) - 8,4%
Fernando Haddad (PT) - 8,3%
Ciro Gomes (PDT) - 6,0%
Alvaro Dias (Podemos) - 1,8%
Manuela D'Ávila (PCdoB)* - 1,7%
Guilherme Boulos (PSOL) - 1,1%
Vera Lúcia (PSTU) - 1,1%
Henrique Meirelles (MDB) - 1,0%
João Amoêdo (Novo) - 0,8%
João Goulart Filho (PPL) - 0,4%
Levy Fidelix* (PRTB) - 0,3%
José Maria Eymael (DC) - 0,2%
Paulo Rabello de Castro (PSC)* - 0,2%
Branco / Nulo - 22,0%
Indeciso - 12,5%

Cenário com Lula

Lula (PT) - 21,8%


Jair Bolsonaro (PSL) - 18,4%
Geraldo Alckmin (PSDB) - 14,0%
Marina Silva (Rede) - 6,7%
Ciro Gomes (PDT) - 5,0%
Alvaro Dias (Podemos) - 1,4%
Manuela D'Ávila (PCdoB)* - 1,3%
Guilherme Boulos (PSOL) - 1,0%
João Amoêdo (Novo) - 0,8%
Vera Lúcia (PSTU) - 0,8%
Henrique Meirelles (MDB) - 0,7%
Levy Fidelix (PRTB)* 0,3%
João Goulart Filho (PPL) - 0,3%
José Maria Eymael (DC) - 0,1%
Paulo Rabello de Castro (PSC)* - 0,1%
Branco / Nulo - 17,0%
Indeciso - 9,8%

*Saíram da disputa presidencial


**Cabo Daciolo é candidato, mas não foi testado

O levantamento não fez simulações de segundo turno entre os presidenciáveis.

O resultado foi divulgado pelas redes sociais da CNT. O site da entidade ficou
indisponível na hora marcada para a veiculação (11h) por conta do número de
acessos acima do normal.

A pesquisa testou três nomes que já saíram da disputa presidencial. O ex-


presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro (PSC) se tornou vice de Alvaro Dias
(Podemos). A deputada estadual gaúcha Manuela D'Ávila (PCdoB) abdicou da
candidatura própria para compor chapa com o candidato do PT. Já o presidente e
fundador do PRTB, Levy Fidélix, desistiu de disputar novamente a Presidência para
indicar o vice de Bolsonaro, o general da reserva do Exército Hamilton Mourão.
Outra diferença em relação à lista oficial de candidatos
(https://www.uol/eleicoes/especiais/pre-candidatos-a-presidencia.htm#tematico-1) é
a ausência do deputado federal Cabo Daciolo (Patriota-RJ), lançado pelo partido no
último sábado (4).

Lula foi oficializado na convenção do partido, mas deve ser considerado inelegível
pelo TSE por ter sido condenado em segunda instância por corrupção passiva e
lavagem de dinheiro. O vice na chapa é o ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro
da Educação, Fernando Haddad (PT)
(http://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/08/06/pt-e-pc-do-b-
confirmam-alianca-pela-chapa-lula-e-haddad.htm), que deve assumir o lugar do ex-
presidente em caso de impedimento.

Veja também

Ibope: Alckmin e Bolsonaro estão tecnicamente


empatados sem Lula em SP

Nenhum candidato tem mais de 35% de eleitores


"definitivos", diz CNI/Ibope

Veja quem são os 13 candidatos à Presidência

PT oficializa Haddad como vice de Lula e fecha


aliança com PCdoB

"Vou responder o que quero", diz Bolsonaro sobre


estratégia para debates

Vice de Bolsonaro, general exalta legado da


ditadura e ataca "ativismo gay"

© 1996-2018 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Hospedagem: UOL Host