Você está na página 1de 3

Os impactos da greve dos caminhoneiros na construção

civil
mapadaobra.com.br/negocios/impactos-greve-caminhoneiros-construcao

Publicado em 06/08/2018

Resultados negativos foram impulsionados pela greve dos


caminhoneirosCréditos: Shutterstock

Sondagem Indústria da Construção da CNI com a CBIC


aponta resultados preocupantes para o setor

Os resultados da construção civil para o primeiro semestre de 2018


não foram tão positivos quanto o setor esperava no início do ano. É o
que aponta um dos principais termômetros da área, a Sondagem
Indústria da Construção, realizada mensalmente pela Câmara
Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em parceira com a
Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com os dados apresentados na sondagem, a paralisação


do transporte de cargas causou um expressivo impacto sobre o nível
de atividade da indústria da construção, que recuou 2,5 pontos: de

1/3
46,9, em abril, para 44,4, em maio. A pesquisa aponta ainda que essa
foi a maior retração registrada desde dezembro de 2014, quando o
indicador apresentou queda de 3,6 pontos. Vale ressaltar que a linha de
50 pontos é o que indica a melhora no setor e essa queda afasta ainda
mais os valores, indicando a piora da situação atual.

Também houve queda no número de empregados, porém, ela foi


menor (0,3 pontos). Esse indicador ficou em 44,3 pontos e destaca
piora na situação atual do emprego. Outro indicador da pesquisa
ressalta a expectativa do setor com relação ao número de empregados
e o que foi apontado é que nos próximos meses essa piora ainda deve
ser sentida, já que esse índice recuou 3,8 pontos de maio para junho.

De acordo com Eduardo Zaidan, vice-presidente de economia do


Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo (SindusCon-
SP), esse ano não está apresentando o crescimento que o setor
esperava e o número de desempregados na indústria da construção é
um indicador bastante negativo. Além disso, a maioria das obras de
infraestrutura que impulsionaria a construção civil brasileira está
parada.

Confiança dos empresários para os próximos meses


Sendo um dos aspectos mais importantes para garantir o crescimento
dos investimentos no setor da indústria da construção civil, a
Sondagem Indústria da Construção aponta também como está a
confiança dos empresários do setor. De maio para junho, a
confiança caiu pelo terceiro mês consecutivo. A queda foi significativa,
de 5,6 pontos e atingiu 48,2 pontos – ou seja, ficou abaixo da linha
divisória dos 50 pontos, indicando um cenário ruim para os
empresários.

Há também outro indicador que aponta a intenção de investimento na


área. Ele também sofreu uma queda, de 2,7 pontos, entre maio e junho
– chegando ao número de 30,6 pontos.

Sobre a pesquisa da CNIC e da


CBIC

2/3
A Sondagem Indústria da Construção teve como perfil de sua amostra
575 empresas, sendo 195 pequenas, 259 médias e 121 grandes. O
período da coleta foi de 4 a 14 de junho de 2018. Os indicadores variam
de 0 a 100 e valores acima de 50 indicam aumento; atividade acima do
usual; expectativa positiva; e confiança do empresário, a depender do
indicador ao qual o valor está atrelado.

Agora, descubra como estavam os dados da Sondagem Indústria da


Construção realizada em março e faça um comparativo:
http://www.mapadaobra.com.br/negocios/demanda-insuficiente-setor-
da-construcao/

3/3

Interesses relacionados