1

Ministério de Intercessão

2

Catecismo da Igreja Católica
QUARTA PARTE - A ORAÇÃO CRISTÃ PRIMEIRA SEÇÃO A ORAÇÃO NA VIDA CRISTÃ

III – A oração de intercessão §2634 A intercessão é uma oração de pedido que nos conforma de perto com a oração de Jesus. Ele é o único Intercessor junto do Pai em favor de todos os homens, dos pecadores, sobretudo. Ele é “capaz de salvar de modo definitivo aqueles que por meio dele se aproximam de Deus, visto que Ele vive para sempre para interceder por eles” (Hb 7, 25). O próprio Espírito Santo “intercede por nós ... pois é segundo Deus que ele intercede pelos santos” (Rm 8,26-27). §2635 Interceder, pedir em favor de outro, desde Abraão, é próprio de um coração que está em consonância com a misericórdia de Deus. No tempo da Igreja, a intercessão cristã participa da de Cristo; é a expressão da comunhão dos santos. Na intercessão, aquele que ora “não procura seus próprios interesses, mas pensa sobretudo nos dos outros” (Fl 2, 4) e reza por aqueles que lhe fazem mal. §2636 As primeiras comunidades cristãs viveram intensamente forma de partilha. O Apóstolo Paulo as faz

3

participar assim de seu ministério do Evangelho, mas intercede também por elas. A intercessão dos cristãos não conhece fronteiras: “Por todos os homens, pelos que detêm a autoridade” (1Tm 2, 1), pelos que perseguem pela salvação daqueles que recusam o Evangelho.

Intercessão[a] A palavra Intercessão, em si, quer dizer: a ação de “por-se entre”. O intercessor é aquele que se engaja numa batalha espiritual em favor das necessidades de alguém, de algum grupo, família, país, paróquia, etc.
[a] Vicente Gomes de Souza Neto – Coordenador Nacional do Ministério de Intercessão na RCC

4

Pelo Batismo Sacramental nos tornamos filhos adotivos de Deus e participamos do mesmo munus Sacerdotal, Profético e Real de Nosso Senhor Jesus Cristo, conquistados por meio de sua Paixão, Morte e Ressurreição (cf. 1Pd 2,1-9)[b]. Portanto, antes de tornar-se um ministério, ser intercessor é viver a graça santificante recebida no batismo pelo qual somos inseridos no corpo místico de Cristo (a Igreja). Jesus possui um sacerdócio eterno! “É por isso que lhe é possível levar a termo a salvação daqueles que
[b] 1Pd 2, 1 Deponde, pois, toda malícia, toda astúcia, fingimentos, invejas e toda espécie de maledicência. 2 Como crianças recémnascidas desejai com ardor o leite espiritual que vos fará crescer para a salvação, 3 se é que tendes saboreado quão suave é o Senhor (Sl 33,9). 4 Achegai-vos a ele, pedra viva que os homens rejeitaram, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus; 5 e quais outras pedras vivas, vós também vos tornais os materiais deste edifício espiritual, um sacerdócio santo, para oferecer vítimas espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 6 Por isso lê-se na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, escolhida, preciosa: quem nela puser sua confiança não será confundido (Is 28, 16). 7 Para vós, portanto, que tendes crido, cabe a honra. Mas, para os incrédulos, a pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a pedra angular, uma pedra de tropeço, uma pedra de escândalo (Sl 117, 22; Is 8,14). 8 Nela tropeçam porque não obedecem à palavra; e realmente era tal o seu destino. 9 Vós, porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio, uma nação santa, um povo adquirido para Deus, a fim de que publiqueis as virtudes daquele que das trevas vos chamou à sua luz maravilhosa.

5

por ele vão a Deus, porque vive sempre para interceder em seu favor” (Hb 7,25). Jesus intercedeu por nós com a vida para que nós vencêssemos a morte! (Hb 9,11-14)[c] Para cumprirmos o mandato de Jesus, Ele derrama sobre nós seu Espírito Santo, condição indispensável para a missão que nos capacita e nos une a Ele. [d]
[c] Hb 9, 11 Porém, já veio Cristo, Sumo Sacerdote dos bens vindouros. E através de um tabernáculo mais excelente e mais perfeito, não construído por mãos humanas (isto é, não deste mundo), 12 sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna. 13 Pois se o sangue de carneiros e de touros e a cinza de uma vaca, com que se aspergem os impuros, santificam e purificam pelo menos os corpos, 14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu como vítima sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência das obras mortas para o serviço do Deus vivo? [d] Jo 14, 16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. 17 É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. ... 25 Disse-vos estas coisas enquanto estou convosco. 26 Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito. … Jo 15,26 Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27 Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. Jo 17,7ss;

6

Devemos levar todos os participantes dos grupos de oração, a assumirem sua graça batismal, intercedendo em todo o momento, nas suas orações pessoais, e principalmente participando da missa, a mais perfeita intercessão. Na Renovação Carismática Católica pela vivência da Efusão do Espírito Santo, o Senhor suscita ainda o carisma da intercessão, ou seja, participantes discernidos no grupo de oração (pelo núcleo), que se identificam mais intensamente com as dificuldades, doenças e problemas das pessoas do grupo e da humanidade. Ao exercerem o ministério de intercessão, pelo exercício dos carismas, e na escuta do Senhor, eles louvam, intercedem e clamam em equipe por essas tristes realidades e “brechas”, consequências do pecado! Para tanto, o intercessor deve tomar certas atitudes diariamente para que seu ministério vá se conformando à vontade de Deus: 1) Arrepender-se (ser quebrantado): O intercessor quebrantado, é aquele que constantemente examina sua consciência (cf. 1Tim 1, 5), buscando reconhecer suas fraquezas, limitações e quedas pessoais.
Rm 8,26 Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.

7

A confissão dos pecados faz com que o intercessor possa apresentar-se diante do Senhor de mãos limpas e coração puro, como um canal desobstruído à sua graça (cf. Sl 31,5-6). 2) Ser Liberto: O intercessor precisa libertar-se de tudo que impede sua comunhão com a Santíssima Trindade. Não há como se libertar do “homem velho” sem antes ser quebrantado. A libertação operada pelo Senhor Jesus Cristo permite ao intercessor relacionarse com Deus e deixar que o Espírito Santo venha em auxílio às suas fraquezas (cf. Rm 8,26-27). O processo de libertação deve gerar arrependimento e a confissão dos pecados restaurando a mente (cf. Rm 12,2), a vontade (cf. Gl 2, 20) e as emoções (Hb 12, 25) do intercessor. 3) Ser Adorador: Todo intercessor deve ser antes um adorador (cf. Jo 4,23-24). Ter um coração adorador para estar constantemente diante do trono de Deus (cf. Ap 4,8c-11). O Adorador Intercessor toma consciência de que quem venceu inimigo é o Senhor Jesus, portanto é Diante Dele que receberá as armas da vitória! Ser um Adorador é estar mesmo que seja no seu quarto; na presença do Rei. Após dialogar com Ele, prostrar-se e apenas contemplá-lo. 4) Ser Guerreiro: Qual intercessor que não enfrenta

8

batalhas? Porém sabemos que Cristo é o vencedor da guerra. O intercessor não guerreia por si mesmo, sozinho ou na equipe de intercessão, é o General Jesus Cristo quem o(s) convoca(m) para a batalha e lhe(s) garante(m) a vitória! O intercessor guerreiro, como soldado combatente, deve revestir-se diariamente da armadura de Deus [e], não como uma “fórmula mágica”, mas tomando posse de cada peça da armadura que for revestindo.

[e] Ef 6, 10 Finalmente, irmãos, fortalecei-vos no Senhor, pelo seu soberano poder. 11 Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do demônio. 12 Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares. 13 Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever. 14 Ficai alerta, à cintura cingidos com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, 15 e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. 16 Sobretudo, embraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno. 17 Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus. 18 Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos. 19 E orai também por mim, para que me seja dado anunciar corajosamente o mistério do Evangelho, 20 do qual eu sou embaixador, prisioneiro. E que eu saiba apregoá-lo publicamente, e com desassombro, como é meu dever!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful