Você está na página 1de 26

ESTRUTURA DO CURSO

Confira os temas que serão abordados durante o curso:


COMPRAS
GOVERNAMENTAIS
Módulo 1 – Licitação: Uma Nova Oportunidade para o seu Negócio
• Unidade 1 – Papelaria São Francisco
• Unidade 2 – Fornecer para a Administração Pública: Uma Nova Oportunidade para o seu
Negócio
• Unidade 3 – Diagnosticar a fim de Fornecer para Administração Pública

Como fornecer para a Administração Pública


Módulo 2 – A MPE na Licitação Pública – Conhecer as Leis para Controlar os Riscos
e Reduzir
• Unidade 1 – Análise de Risco osdeRiscos
para Participar uma Licitação
• Unidade 2 – Capítulo V da Lei Geral nº 123/2006
• Unidade 3 – Os avanços da Lei Complementar 147/2014 nas Compras Públicas

Módulo 3 – Aprender a Licitar Minimizando Riscos – Parte I


• Unidade 1 – Simulação de uma Licitação por Convite
• Unidade 2 – Aprender a Licitar sem Riscos – Lei
Módulo 3 nº 8.666/1993
Módulo 4 – Aprender a Licitar Minimizando Riscos – Parte II
• Unidade 1 – Licitação por Pregão Presencial
• Unidade 2 – Pregão Presencial e Registro de Preços

Módulo 5 – Encontrando Novas Oportunidades para o seu Negócio


• Unidade 1 – Aprendendo a buscar via Portal de Compras Governamentais do Governo
Federal
• Unidade 2 – Credenciamento no Portal de Compras Governamentais do Governo Federal
• Unidade 3 – Cotação Eletrônica
• Unidade 4 – Pregão Eletrônico

Compras
4 Governamentais

MÓDULO 1
MÓDULO 3
APRENDER A LICITAR MINIMIZANDO
RISCOS- PARTE I

INTRODUÇÃO

Neste Módulo, Aprender a Licitar Minimizando Riscos – Parte I, você verá os seguintes
temas:

Módulo 1 – Licitação: Uma Nova Oportunidade para o seu Negócio


• Introdução
• Unidade 1 – Simulação de uma Licitação por Convite
• Unidade 2 – Aprender a Licitar Minimizando Riscos – Lei nº 8.666/1993
• Unidade 3 – Diagnosticar a fim de Fornecer para Administração Pública
• Encerramento

Compras
2 Governamentais

MÓDULO 3
COMPETÊNCIAS

• Compreender por meio da simulação da licitação por Convite os procedimentos


operacionais que a MPE deve seguir para participar de um processo licitatório.

• Comprometer-se em seguir os procedimentos do processo licitatório por


Convite.

• Checar como deve ser o comportamento da MPE no cumprimento dos


procedimentos da licitação por Convite.

No Brasil, existem duas leis que definem o processo de licitação pública: a Lei nº
8.666/1993, que trata das modalidades de licitação e seus respectivos procedimentos,
e a Lei nº 10.520/2002, que cria a modalidade do Pregão Presencial e Eletrônico. Ambas
foram alteradas pela Lei nº 123/2006 para incorporar um tratamento diferenciado e
favorecido às MPEs.

Iniciaremos este módulo simulando a aplicação da modalidade de licitação por


Carta Convite, cuja finalidade é exemplificar e aprofundar o que estabelece a Lei nº
8.666/1993.

Compras
3 Governamentais

MÓDULO 3
Unidade 1
Simulação de uma Licitação por Convite

A documentação exigida para a modalidade de licitação Carta Convite está prevista


nos artigos da Lei nº 8.666/1993.

A melhor forma de compreender efetivamente o funcionamento de uma licitação é


participando de uma.

A modalidade de “licitação por Convite” é a que possui um dos procedimentos mais


simples.

Ela é utilizada em compras governamentais de até R$ 80.000,00 para bens e serviços


comuns, pois os valores licitatórios para obras e serviços de engenharia são diferentes.

A simulação prática da modalidade de licitação por Carta Convite é uma atividade que
servirá de referência para identificarmos os procedimentos que são comuns às demais
modalidades de licitação que sejam realizadas de acordo com a Lei nº 8.666/1993.

Ou seja, todas possuem edital e entrega de dois envelopes, um com os documentos


de habilitação e o outro com a proposta comercial.

Compras
4 Governamentais

MÓDULO 3
Todas as características de cada licitação estarão sempre descritas no edital, mas a
lógica de operação da licitação é bastante parecida.

Com isso, ao aprendermos os passos do Convite, já teremos uma ideia bem precisa
de como funcionam as modalidades chamadas Tomada de Preços e Concorrência.

O Convite é a mais simples das modalidades, tanto por seu prazo, o valor que pode
ser licitado, quanto por sua forma de divulgação.

Atenção fornecedor: participar de licitação é uma coisa séria. Após a habilitação do


licitante, ele não poderá mais desistir da proposta apresentada, salvo por motivo justo
decorrente de fato superveniente e aceito pela comissão.

Ao participar de uma licitação, sua empresa precisa estar preparada para atender o
que é solicitado no instrumento convocatório (Edital ou Carta Convite), caso contrário
poderá receber multas e penalidades.

Veja alguns detalhes sobre as fases da licitação por Convite.

Esta simulação compreende dois momentos diferentes detalhados:

Compras
5 Governamentais

MÓDULO 3
Preparatória do Convite (o momento que antecede a sessão pública); Sessão de
Licitação por Convite.

Para o exercício desta atividade, é importante que você acompanhe o que acontece
na vida do comprador público e também na vida do Sr. Francisco.

Os compradores públicos prepararão a licitação e a divulgarão para que todos possam


participar.

Os procedimentos começam com as requisições dos órgãos compradores, identificação


das necessidades, montagem de um processo administrativo e pesquisa de preço,
sendo finalizado com a publicação de um instrumento convocatório, chamado Carta
Convite. Em outras licitações o instrumento convocatório será chamado Edital.

O instrumento convocatório estipulará todas as regras da licitação, informará os


prazos para questionamentos por parte dos licitantes, pedidos de impugnação do
edital (caso o fornecedor acredite que o instrumento convocatório possui alguma
coisa irregular), data, horário da sessão pública e todas as ações que serão tomadas
em relação à licitação.

Estarão descritos os momentos em que o fornecedor poderá entrar com um recurso,


caso tenha identificado algum procedimento que não esteja de acordo no decorrer
da licitação.

Compras
6 Governamentais

MÓDULO 3
Mas fique atento! Também estarão descritas as responsabilidades dos licitantes, as
formas como deverá agir e as penalidades a que estará submetido, caso não cumpra
o que for estabelecido no contrato.

Os fornecedores também terão a sua “fase preparatória”. Ou seja, a partir do momento


em que é divulgado o convite no mural da prefeitura, publicado no diário do município
ou em local equivalente, o fornecedor precisa se preparar para a montagem de sua
proposta.

Antes da sessão pública, deverá efetuar a sua análise de risco e decidir se vale a pena
concorrer a essa oportunidade.

Após decidir participar, precisará preparar os dois envelopes.

Um contento todos os documentos descritos no instrumento convocatório e o outro


com a sua proposta comercial, especificando exatamente como irá fornecer, de acordo
com o que estava descrito no edital ou carta convite. No instrumento convocatório,
edital ou carta convite, vinculam o procedimento licitatório.

Eles passam a ser a “lei” daquela licitação, disciplinam todos os atos que ocorrerão,
sempre respaldados pelos procedimentos descritos nas leis 8.666/1993, 10.520/2002,
123/2006 e outras, decretos ou regulamentos de compras relativos ao município,
estado ou entidade compradora.

Compras
7 Governamentais

MÓDULO 3
Atenção: As leis 8.666/1993, 10.520/2006 e 123/2006 são válidas em todo o território
nacional e disciplinam normas gerais de licitação.

Cabem aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios disciplinar procedimentos


específicos sobre o tema.

Os fornecedores podem se cadastrar nos órgãos para receberem as informações


sobre editais e cartas convites.

As licitações são abertas a todos os fornecedores, no entanto, para a modalidade


convite, eles precisam estar cadastrados junto à administração pública até 24 horas
antes da abertura das propostas comerciais.

Portanto, fique atento. Cadastre-se nos órgãos que possui interesse em ser licitante.

É muito importante que os fornecedores leiam integralmente as leis de licitações antes


de participarem de qualquer processo, pois ali estarão descritos todos os detalhes de
cada um dos procedimentos licitatórios.

Participar de uma licitação sem conhecer a legislação é algo de altíssimo risco, não
faça isso!

Compras
8 Governamentais

MÓDULO 3
É importante esclarecer que os fornecedores e compradores somente se encontrarão
no momento da sessão pública.

Antes disso, os compradores terão a sua fase preparatória que é finalizada com a
publicação do edital e o transcorrer dos dias até a abertura da sessão pública, analisando
e apresentando as respostas aos pedidos de esclarecimentos dos fornecedores ou
fazendo a análise quanto aos pedidos de impugnação do edital.

Os fornecedores começam a sua “fase preparatória” quando tomam contato com


o instrumento convocatório (edital ou carta convite), fazem a sua leitura na íntegra,
realizam uma análise de risco, apresentam seus pedidos de esclarecimentos à
comissão de licitação (ou ao pregoeiro e sua equipe de apoio, caso seja um pregão),
apresentam pedidos de impugnação de edital se constatarem alguma irregularidade.

Por fim, preparam os documentos de habilitação (em um envelope) e a proposta


comercial (em outro envelope).

Isso é o que acontece com compradores e fornecedores antes da abertura da sessão


pública. Somente na sessão pública compradores e fornecedores atuam em conjunto.

Compras
9 Governamentais

MÓDULO 3
Veja, agora, o detalhamento das fases da licitação por Convite.

1ª etapa: Preparatória para a licitação.

É tudo o que acontece antes da sessão pública, tanto para os compradores quanto
para os fornecedores, ou seja, é a preparação da licitação:

Convocação dos participantes da licitação por Convite, novos cadastramentos,


período em que podem ocorrer impugnações, etc.

2ª etapa: Participação da sessão de licitação.

É tudo o que acontece durante a sessão de licitação.

Nesta Unidade, o Sr. Francisco participará da modalidade “Carta Convite” e você


poderá esclarecer dúvidas referentes aos procedimentos adotados neste tipo de
licitação.

Veja, a seguir, como se preparar para uma Sessão Pública de Licitação por Convite.

Compras
10 Governamentais

MÓDULO 3
Sessão Pública de Licitação por Convite

Veja como se preparar para uma Sessão Pública de Licitação por Convite.

O comprador recebeu as demandas de todos os requisitantes. Após analisá-las,


percebeu que a melhor alternativa era montar uma carta convite para a aquisição do
material de papelaria que seria necessário para as escolas.

O valor estimado para todo o material possuía um custo abaixo de R$ 80.000,00.

Por isso, preparou o instrumento convocatório, que, no caso, é a carta convite, a qual
foi divulgada no mural da prefeitura.

Se fosse outra modalidade de licitação, além dessa divulgação do instrumento


convocatório, também deveria ser publicada.

Você sempre deverá ler o instrumento convocatório: edital ou carta convite.

Após a divulgação dessa informação, o comprador deverá procurar um mínimo de 3


fornecedores do ramo de atividade e convidá-los.

Compras
11 Governamentais

MÓDULO 3
O convite é aberto a quaisquer fornecedores que possam atuar no ramo de atividade,
no entanto, é preciso se cadastrar.

O Sr. Francisco soube da divulgação do Convite e se dirigiu até a prefeitura para


conseguir maiores informações.

O documento exige que a empresa seja cadastrada em até 24 horas antes da abertura
da sessão.

Nesse tempo, caso algum fornecedor tivesse alguma dúvida, poderia formalizar como
um pedido de esclarecimento.

Caso não concordasse com o conteúdo do edital, poderia solicitar a impugnação do


mesmo.

Um pedido de impugnação, quando aceito, obriga que o instrumento convocatório


seja refeito e divulgado novamente (Isso obriga a divulgação de mais 5 dias da carta
convite ou, no caso de outras modalidades, a republicação do edital).

O que você acha? Será que ele deveria efetivamente participar da licitação? O que você
faria? Agora, o Sr. Francisco e o Zito devem se preparar, organizar a documentação
em dois envelopes: o da documentação e o da proposta comercial. Também deverão
identificá-los.

12 Compras
Governamentais

MÓDULO 3
Documentos de Habilitação Jurídica

Procuração/Estatuto Social
RG
Registro Comercial
Contrato Social
Declaração MPE
DAP
CEI

Documentos de Regularidade Fiscal

– CNPJ
– Comprovante de inscrição no cadastro de contribuinte estadual
– Comprovante de cadastro de contribuinte municipal
– Comprovante de regularidade com a Fazenda Federal ou Certidão com restrições
– Comprovante de regularidade com a Fazenda Estadual ou Certidão com restrições
– Comprovante de regularidade com a Fazenda Municipal ou Certidão com restrições
– Comprovante de FGTS ou certidão com restrições

Compras
13 Governamentais

MÓDULO 3
Documentos de Qualificação Técnica

– Registro ou inscrição na entidade profissional competente


– Comprovante de aptidão

Documentos de Qualificação Econômico-financeira

– Balanço Patrimonial e Demonstrações Contábeis


– Certidão Negativa de Falência e Concordata
– Garantias

Documento para o Inciso XXXIII do Artigo 7º da Constituição Federal

Declaração que não emprega menores de idade em trabalho insalubre, salvo a


condição de aprendiz.

Essa relação de documentos pode ser simplificada, principalmente para o caso


de Convite, no entanto, elencamos aqui os tipos de documentos que poderão ser
solicitados do fornecedor para participar de uma licitação.

Impostos Regularizados

Após conferirem a documentação obrigatória estabelecida pela Carta Convite,


coloquem dentro do envelope branco da documentação e colem.

14 Compras
Governamentais

MÓDULO 3
Bem, tudo isso foi o que aconteceu desde que o Sr. Francisco soube da licitação
há cinco dias. Mas agora o tempo passou, está tudo pronto e é chegada a hora de
começarmos.

Com isso, pelo menos não preciso me preocupar, pois a minha empresa está com
tudo em dia! A correria do Zito foi grande, mas deu tudo certo!

O Presidente da Comissão faz a abertura das propostas comerciais, enquanto o


membro da equipe de apoio ajuda na classificação do vencedor.

Compras
15 Governamentais

MÓDULO 3
Unidade 2
Aprender a Licitar sem Riscos
- Lei nº 8.666/1993

Nesta Unidade 2, analisaremos e identificaremos os aspectos jurídicos básicos


que estão descritos na Lei nº 8.666/1993, além dos procedimentos operacionais
necessários para a participação em uma Licitação na modalidade Convite.

O objetivo desta exposição é que você conheça mais sobre a modalidade de licitação
Convite articulando com a Lei nº 8.666/1993.

A licitação por Carta Convite é a mais simples entre as modalidades de licitação.


Os procedimentos desta modalidade são semelhantes à Tomada de Preços e
à Concorrência. Alguns documentos de habilitação, por exemplo, podem ser
dispensados no caso do Convite.

A simulação da licitação por Carta Convite foi montada com o intuito de que você
vivenciasse o rito processual e identificasse os momentos em que deve e pode intervir,
sobre quais as formas de questionar e quais são as responsabilidades aplicadas.

Compras
16 Governamentais

MÓDULO 3
Nesta unidade, vamos reforçar aspectos importantes para você aprender a participar
de uma licitação minimizando riscos.

A partir de agora, você poderá aprender detalhes importantes sobre a modalidade de


licitação Convite articulada à Lei nº 8.666/1993.

Trataremos de identificar os aspectos jurídicos básicos que estão descritos na Lei nº


8.666/1993 e os procedimentos operacionais necessários para a participação em uma
licitação na modalidade Convite.

Conhecer e aplicar:

• A obrigatoriedade da licitação (o Inciso XXI do Artigo 37 da Constituição Federal).


• Os princípios da licitação.
• Os tipos de licitação, as modalidades e os procedimentos (Leis nº 8.666/1993,
10.520/2002 e 123/2006).

Licitação Pública

A Constituição Federal estabelece que as obras, os serviços e as compras serão


contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de
condições a todos os concorrentes (Inciso XXI do Artigo 37).

Compras
17 Governamentais

MÓDULO 3
Todo edital de licitação ou carta convite deve conter estas informações.

Princípios da Licitação Pública:

• Legalidade.
• Impessoalidade.
• Moralidade.
• Igualdade.
• Publicidade.
• Probidade administrativa.
• Vinculação ao instrumento convocatório.
• Julgamento objetivo.

As empresas devem reconhecer que a Administração Pública é um comprador


diferenciado e o ambiente de licitação é de altíssima competitividade e, por isso, há
rigorosidade no cumprimento dos ritos e dos procedimentos licitatórios.

Estes princípios são diretamente aplicáveis aos procedimentos, como se observa a


seguir.

Compras
18 Governamentais

MÓDULO 3
Agora trataremos sobre os critérios de julgamento, denominados na Lei nº 8.666/1993,
como os tipos de licitação:

Menor preço

É a regra geral das licitações para contratação de obras, serviços, locações e


fornecimentos.

Melhor técnica ou técnica e preço

São utilizados exclusivamente para bens e serviços de natureza intelectual, estudos


técnicos de engenharia consultiva em geral para elaboração de projetos básicos e
executivos.

Exceção para contratação de serviços de informática especializados.

Maior lance ou oferta

Exclusivo para casos de alienação de bens ou concessão de direito real de uso.

O Estado se desfaz de um bem ou concede um direito a um particular (pessoa física


ou jurídica).

Compras
19 Governamentais

MÓDULO 3
O que determina a escolha de uma modalidade de licitação e tipificação?

Na prática, os limites financeiros, os prazos e as características dos órgãos compradores


ou a forma como esses órgãos estão organizados influenciam a escolha da modalidade
e o tipo de licitação que melhor se adéqua à sua realidade.

Até aqui foram apresentadas as modalidades, os procedimentos e os critérios de


aquisição do bem ou serviço.

Vamos agora compreender os mecanismos que determinam a escolha da modalidade


e sua tipificação.

Há uma regra geral para os limites de compra da administração direta e indireta em


todas as modalidades de licitação estudadas no curso.

Mas há exceção, inclusive garantida.

Obras e serviços de Engenharia (valores).

Bens e serviços comuns (valores).

Estes exemplos comprovam as variações que as modalidades podem sofrer, no


entanto, os ritos procedimentais apresentados na atividade inicial não mudarão.

Compras
20 Governamentais

MÓDULO 3
Enquanto os procedimentos e as modalidades de licitação podem variar, os princípios
licitatórios são invariáveis, pois são responsáveis pela lisura e transparência, que são
imprescindíveis em um edital de licitação.

Publicidade e maior acesso

O Sistema de Divulgação de Compra (SIDEC) é utilizado para publicar todas as


licitações públicas no Portal de Compras governamentais do Governo Federal: www.
comprasgovernamentais.gov.br.

Cabe à MPE se cadastrar nas diferentes linhas de fornecimento para ser informada
diariamente sobre as novas oportunidades de negócio para o ramo de atividade em
que se cadastrou.

No site www.comprasgovernamentais.gov.br:

São utilizados exclusivamente para bens e serviços de natureza intelectual, estudos


técnicos de engenharia consultiva e elaboração de projetos básicos e executivos.

Com exceção para contratação de serviços de informática especializados.

Como decidir participar?

Compras
21 Governamentais

MÓDULO 3
Analisar cautelosamente o edital ou instrumento convocatório, pois, ao decidir
participar da licitação, significa que a MPE concorda com todo o rito previamente
estabelecido.

O que fazer diante de qualquer irregularidade?

• A MPE pode entrar com impugnação da licitação em até dois dias e a


administração deve julgá-la em até três dias (sem prejuízos de sua participação).

• O cidadão comum pode entrar com impugnação da licitação em até 5 dias.

• Formalizar a denúncia por escrito ou por e-mail, conforme estabelece o edital.

Impugnação Judicial

Deverá ser a alternativa viável para garantir os direitos da MPE, esgotadas as vias
administrativas previstas na lei de licitações.

Além dos casos para os quais cada um se aplica.

Compras
22 Governamentais

MÓDULO 3
Recurso Hierárquico (Inciso I do artigo 109, I).

Prazo de cinco dias úteis a contar da intimação do ato de lavratura da ata, nos casos
de:

a) Habilitação ou inabilitação dos licitantes.


b) Julgamento das propostas. c) Anulação ou revogação da licitação.
d) Indeferimento do pedido de inscrição em registro cadastral, sua alteração ou
cancelamento.
e) Rescisão do contrato. Atenção: os itens “a” e “b” terão efeito suspensivo (artigo 109,
§ 2°) e, no caso de Carta Convite, os prazos serão de 2 dias úteis (artigo 109, § 6°).

Representação (artigo 109, II).

Outras formas judiciais de recorrer a decisões administrativas:

• Ação Popular.
• Direito de Petição.
• Mandado de Segurança.
• Habeas Data.
• Representação ao Tribunal de Contas.

Compras
23 Governamentais

MÓDULO 3
Atos ilegais que são crimes:

• Todos os atos na licitação são públicos, exceto o sigilo das propostas.


• A violação das propostas é crime com previsão de detenção de 2 a 3 anos e
multa.

Tenha consciência dos atos ilegais, a violação das propostas comerciais e a quebra do
sigilo são crimes sujeitos a multa e previsão de detenção de 2 a 3 anos.

A criminalização está prevista em lei.

O descumprimento dos princípios e dos procedimentos previstos em lei pode


caracterizar crime, sujeito às penalidades descritas nas leis da licitação, da
Administração Pública, do servidor público, etc.

Aprender a licitar é também saber encontrar novas oportunidades de negócio:

• Percorrer os diferentes órgãos da Administração Pública, perguntando onde fica


o mural das licitações.

• Levantar os tipos de bens e serviços que vêm sendo adquiridos pelo órgão.

Compras
24 Governamentais

MÓDULO 3
• Solicitar seu cadastramento no órgão para que seja convidado nas próximas
licitações por Carta Convite.

• As chances da MPE aumentam com a obrigatoriedade do rodízio que deve haver


quando um objeto semelhante ou idêntico é licitado na modalidade Carta Convite em
diferentes órgãos.

Compras
25 Governamentais

MÓDULO 3
ENCERRAMENTO MÓDULO 3

Parabéns!

Parabéns! Você concluiu o Módulo 3, Aprender a Licitar Minimizando Riscos -Parte I

Compras
26 Governamentais

MÓDULO 3

Interesses relacionados