Você está na página 1de 26

Colégio Verum 2018 1

JOSIELREZENDE

1. [EEAR – 2000] Temos as seguintes classificações das substâncias, quanto ao magnetismo:


Ferro → ferromagnética.
Ouro → diamagnética.
Platina → paramagnética.
Uma barra metálica colocada entre os pólos de um imã, tem seus imãs elementares facilmente orientados no
sentido do campo magnético do imã,
a) somente se for de ferro. b) se for de ferro ou de ouro.
c) se for de ferro ou de platina. d) se for de ouro ou de platina.

2. [EEAR – 2001] As substâncias magnéticas podem ser classificadas quanto à sua facilidade de imantação; assim as
substâncias cujos imãs elementares se orientam facilmente quando submetidos à ação de um campo magnético,
tais como ferro, níquel e cobalto, são ditas.
a) ferromagnéticas. b) paramagnéticas. c) diamagnéticas. d) adiabáticas.

3. [EEAR – 2002] São exemplos de objetos que se utilizam do princípio do eletroímã:


a) telefone e campainha. b) cafeteira elétrica e campainha.
c) lâmpada incandescente e telefone. d) retificador de corrente e ponte de Wheatstone.

4. [EEAR – 2002] Observe:


I - Para o estudo do campo magnético, convencionou-se que as linhas de campo magnético são orientadas do pólo
sul para o pólo norte.
II - As substâncias diamagnéticas, tais como cobalto e níquel, não possuem propriedades magnéticas, não

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


podendo, portanto, ser imantadas.
III - Quando um ímã é dividido em várias partes, cada uma das partes comporta-se como um novo ímã.
IV - Em torno de um fio condutor retilíneo longo, percorrido por corrente elétrica, surge um campo magnético.
São corretas as afirmações
a) I, II, III e IV. b) II, III e IV. c) I, II e III. d) III e IV.

5. [EEAR – 2002] Duas partículas A e B possuem cargas elétricas nula e –2e respectivamente, em que e é a carga do
elétron em módulo. Tais partículas atravessam, separadamente, um campo magnético constante perpendicular ao
plano de movimento destas, como mostra a figura. A trajetória das partículas pode ser expressa por:

X X
B
X X
A
X X

a) b) c) d)
A A B B

B B A A

6. [EEAR – 2003] Seja uma carga elétrica lançada num campo magnético uniforme, perpendicularmente às linhas de
campo. Nessas condições, a sua trajetória será:
a) elíptica. b) circular c) retilínea. d) parabólica.

7. [EEAR – 2003] A força magnética que age entre duas partículas, que são atraídas uma pela outra, constitui um(a)
a) par ação-reação. b) força de contato simples.
c) método kepleriano de cálculo virtual. d) força de ação somente a pequenas distâncias.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
1
Colégio Verum 2018 2
JOSIELREZENDE

8. [EEAR – 2003] Uma carga positiva q = 10–6 C, de massa 2 x 10–14 kg, penetra perpendicularmente em uma região
do espaço onde existe um campo magnético uniforme, de 20 tesla, conforme a figura. Qual deve ser a velocidade,
em m/s, desta carga para que a trajetória descrita seja uma semicircunferência de diâmetro 0,2 cm?
a) 1010 b) 106 c) 2 x 106 d) 200 x 106

9. [EEAR – 2003] Lançam-se, separadamente e em um campo magnético constante, duas partículas P e Q de mesma
carga elétrica e velocidades perpendiculares a tal campo. Sabe-se que as quantidades de movimento de ambas
são iguais e permanecem constantes no tempo. Admitindo que a massa de P é 10 vezes a massa de Q, pode-se
afirmar que a partícula de:
a) maior período tem maior velocidade. b) maior frequência tem maior massa.
c) menor massa tem maior frequência. d) maior velocidade tem maior massa.

10. [EEAR – 2003] Em uma região onde existe um campo magnético uniforme, são lançadas, perpendicularmente às
linhas de campo três partículas A, B e C, com velocidades iguais, tal como a figura. De acordo com as trajetórias
descritas pelas partículas, pode-se afirmar que A, B e C tem, respectivamente, cargas elétricas.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) positiva, neutra e negativa. b) positiva, negativa e neutra.
c) negativa, neutra e positiva. d) negativa, positiva e neutra.

11. [EEAR – 2004] Em uma aula de laboratório de Física, um aluno montou um experimento para verificar o raio
descrito por uma partícula quando colocado sob a ação de um campo magnético uniforme. No experimento, duas
partículas de massas m1 e m2, com cargas positiva e negativa, respectivamente, sendo m1 > m2, foram lançadas,
através do campo magnético com velocidades constantes, formando um ângulo de 180° com as linhas de campo.
Pode–se afirmar que:
a) o raio da trajetória, para as duas cargas, terá valor nulo.
b) a carga de maior massa descreve uma trajetória circular de maior raio.
c) a carga de menor massa descreve uma trajetória circular de maior raio.
d) como m1 e m2 têm mesma carga, somente de sinais contrários, os raios descritos, não nulos, serão idênticos.

12. [EEAR – 2005] Na fabricação de um ímã permanente, utilizou-se como material o níquel, que é exemplo de uma
substância
a) diamagnética. b) paramagnética. c) ferromagnética. d) estatomagnética.

13. [EEAR – 2006] Na construção de uma bobina para utilização em um eletroímã, deve-se levar em conta que o fio
desta bobina.
a) deva ser de material ferromagnético.
b) possa ser de qualquer material condutor de eletricidade.
c) deva ser de material ferromagnético e condutor de eletricidade.
d) deva ser de material condutor de eletricidade e não ferromagnético.

14. [EEAR – 2008] Assinale a alternativa que completa corretamente a frase abaixo:
Substâncias diamagnéticas são aquelas cujos ímãs elementares
a) orientam-se facilmente quando submetidas à ação de um campo magnético.
b) não se orientam facilmente sob a ação de um campo magnético.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
2
Colégio Verum 2018 3
JOSIELREZENDE

c) orientam-se em sentido contrário ao vetor indução magnética.


d) só se orientam acima da temperatura de Curie.

15. [EEAR – 2008] Um elétron é arremessado com uma velocidade de 109 m/s paralelamente às linhas de campo de
um campo magnético uniforme de intensidade B = 1,6 T. Nesse caso, a força magnética sobre o elétron é de ____
N.
Dado: carga elementar do elétron = -1,6 x 10-19 C
a) 0 b) 1,6 x 10-19 c) 3,2 x 10-19 d) 2,56 x 10-19

16. [EEAR – 2009] Um próton é lançado perpendicularmente a um campo magnético uniforme de intensidade 2,0 .
109 T com uma velocidade de 1,0 . 106 m/s. Nesse caso, a intensidade da força magnética que atua sobre a
partícula é de _____ N.
Dado: carga elementar: 1,6 . 10-19 C
a) 1,6 . 10-3 b) 1,6 . 10-4 c) 3,2 . 10-3 d) 3,2 . 10-4

17. [EEAR – 2009] Três condutores retilíneos e longos, são dispostos paralelamente um ao outro, com uma separação
de um metro entre cada condutor. Quando estão energizados, todos são percorridos por correntes elétricas de
intensidade igual a um ampère cada, nos sentidos indicados pela figura. Nesse caso, o condutor C tende a:

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) aproximar-se do condutor A. b) permanecer no centro, e A e B mantêm-se fixos.
c) aproximar-se do condutor B. d) permanecer no centro, e A e B tendem a aproximar-se.

18. [EEAR – 2010] Dentro de um sistema de confinamento magnético um próton realiza movimento circular uniforme
com um período de 5,0 π.10-7 s. Determine a intensidade desse campo magnético, em tesla, sabendo que a
relação carga elétrica/massa q/m de um próton é dado por 108 C.kg-1
a) 4,0 b) 2,5 . 102 c) 4,0 .10-2 d) 4,0.10-16

19. [EEAR – 2010] A definição oficial de ampère, unidade de intensidade de corrente elétrica no Sistema Internacional
é:
“O ampère é a intensidade de uma corrente elétrica que, mantida em dois condutores paralelos, retilíneos, de
comprimento infinito, de secção circular desprezível e situados à distância de um metro entre si, no vácuo, produz
entre esses condutores uma força igual a 2.10-7 newtons por metro de comprimento.”
Para que a força magnética que atua nos condutores seja de atração,
a) os condutores devem ser percorridos por correntes contínuas de mesmo sentido.
b) os condutores devem ser percorridos por correntes contínuas de sentidos opostos.
c) um dos condutores deve ser ligado em corrente contínua e o outro deve ser aterrado nas duas extremidades.
d) os dois condutores devem ser aterrados nas duas extremidades.

20. [EEAR – 2011] Das afirmações a seguir sobre o magnetismo:

I. Pólos magnéticos de mesmo nome se atraem e de nomes contrários se repelem.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
3
Colégio Verum 2018 4
JOSIELREZENDE

II. Imãs são corpos de materiais diamagnéticos com propriedades de apenas atrair outros materiais
paramagnéticos.
III. Como não existem pólos magnéticos isolados, quando um imã, por exemplo, quebra em duas partes, tem-se
numa das partes dois pólos norte e na outra parte dois pólos sul.

É correto afirmar que:


a) todas estão corretas. b) todas estão incorretas.
c) apenas a afirmação II está correta. d) estão corretas, apenas, as afirmações I e III.

21. [EEAR – 2011] Determine a intensidade da força magnética que atua sobre uma partícula com carga igual a + 4µC
e velocidade de 106 cm/s, quando esta penetra ortogonalmente em um campo magnético uniforme de
intensidade igual a 6.102 T.
a) 15 N b) 24 N c) 1500 N d) 2400 N

22. [EEAR – 2012] Um condutor (AB) associado a uma resistência elétrica (R) e submetido a uma tensão (V), é
percorrido por uma corrente elétrica e está imerso em um campo magnético uniforme produzido por imãs, cujos
pólos norte (N) e sul (S) estão indicados na figura. Dentre as opções apresentadas na figura (F a, Fb, Fc e Fd), assinale
a alternativa que indica a direção e o sentido correto da força magnética sobre o condutor.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) Fa b) Fb c) Fc d) Fd

23. [EEAR – 2013] Aproxima-se um prego de aço, não imantado, de um ímã permanente. Nessas condições, pode-se
afirmar corretamente que o prego será:
OBS: aço é um material ferromagnético.
a) repelido por qualquer um dos pólos do ímã. b) atraído por qualquer um dos pólos do ímã.
c) atraído somente pelo pólo norte do ímã. d) atraído somente pelo pólo sul do ímã.

24. [EsPCEx – 2012] Sob a ação exclusiva de um campo magnético uniforme de intensidade 0,4 T, um próton
descreve um movimento circular uniforme de raio 10 mm em um plano perpendicular à direção deste
campo. A razão entre a sua massa e a sua carga é de 10-8 kg/C. A velocidade com que o próton descreve este
movimento é de:
a) 4·105 m/s b) 2·105 m/s c) 8·104 m/s d) 6·104 m/s e) 5·103 m/s

25. [EsPCEx – 2013] Partículas com grande velocidade, provenientes do espaço, atingem todos os dias o nosso planeta
e algumas delas interagem com o campo magnético terrestre. Considere que duas partículas A e B, com cargas
elétricas QA > 0 e QB < 0, atingem a Terra em um mesmo ponto com velocidades, VA = VB perpendiculares ao vetor
campo magnético local.
Na situação exposta, podemos afirmar que:

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
4
Colégio Verum 2018 5
JOSIELREZENDE

a) a direção da velocidade das partículas A e B não irá se alterar.


b) a força magnética sobre A terá sentido contrário à força magnética sobre B.
c) a força magnética que atuará em cada partícula terá sentido contrário ao do seu respectivo vetor velocidade.
d) a força magnética que atuará em cada partícula terá o mesmo sentido de vetor campo magnético local.
e) a direção da velocidade das partículas A e B é a mesma do seu respectivo vetor força magnética.

26. [EsPCEx – 2015] Em uma espira condutora triangular equilátera, rígida e homogênea, com lado medido 18 cm e
massa igual a 4,0 g, circular uma corrente elétrica i de 6,0 a, no sentido anti-horário. A espira está presa ao teto
por duas cordas isolantes, ideais e de comprimentos iguais, de modo que todo conjunto fique em equilíbrio, num
plano vertical. Na mesma região, existe um campo magnético uniforme de intensidade B = 0,05 T que atravessa
perpendicularmente o plano da espira, conforme indicado no desenho abaixo.
Considerando a intensidade da aceleração da gravidade g = 10 m/s2, a intensidade da força de tração em cada
corda é de:
Dados: cos 60º = 0,50 e sen 60º = 0,87

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) 0,01 N b) 0,02 N c) 0,03 N d) 0,04 N e) 0,05 N

27. [EsPCEx – 2016] A figura abaixo representa um fio condutor homogêneo rígido, de comprimento L e massa M, que
está em um local onde a aceleração da gravidade tem intensidade g. O fio é sustentado por duas molas ideais,
iguais, isolantes e, cada uma, de constante elástica k. O fio condutor está imerso em um campo magnético
uniforme de intensidade B, perpendicular ao plano da página e saindo dela, que age sobre o condutor mas não
sobre as molas.
Uma corrente elétrica i passa pelo condutor e, após o equilíbrio do sistema, cada mola apresentará uma
deformação de:

Mg + 2k BiL k Mg + BiL BiL + 2k


a) b) c) d) e)
BiL Mg + 2k 2 (Mg + BiL ) 2k Mg

28. [EFOMM – 2000] Seja uma partícula carregada q = -2 x 10–3 Coulombs, de massa m = 3 x 10-6 kg, movendo-se com
velocidade v = 800 m/s, perpendicularmente a um campo magnético B = 12 Teslas. Calcule o raio do círculo de sua
trajetória.
a) 0,1 m b) 0,6 m c) 0,8 m d) 0,4 m e) 2,4 m

29. [EFOMM – 2005] Suponha que uma partícula de vidro, de massa 4,5 X 10-7 kg, viajando a 18 Km/h, tenha
adquirido, por atrito, carga de 3,4 X 10-7 C. Se ela penetrar ortogonalmente em um campo magnético de 4,4
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
5
Colégio Verum 2018 6
JOSIELREZENDE

weber/m2, o módulo da força resultante, em newtons, que nela atua será de, aproximadamente
Considere: a força magnética ortogonal ao peso
a) 2,7 x 10-3 b) 3,8 x 10-3 c) 4,9 x 10-3 d) 6,3 x 10-3 e) 7,1 x 10-3

30. [EFOMM – 2006] Uma carga elétrica de 5 x 10-5 C, de massa 2 x 10-3 kg , penetra um campo magnético de 74,6 T
com velocidade de 200 m/s, em ângulo de 60o (dado: sen 60o = 0,866); desprezando os efeitos gravitacionais, a
aceleração imposta à partícula carregada é, em m/s2.
a) 122 b) 199 c) 253 d) 323 e) 401

31. [EFOMM – 2009] Seja uma partícula de massa 20 gramas, carregada com 18 microcoulombs, viajando a 500 km/h,
deslocando-se horizontalmente da esquerda para a direita sobre a folha da prova. Suponha que, nessa região do
espaço, exista um campo magnético uniforme de intensidade 120 T, perpendicular à folha de prova, apontando
para dentro. O módulo da força resultante (em newtons) que sobre ela atua é, aproximadamente, de:
a) 0,26 b) 0,36 c) 0,46 d) 0,56 e) 0,66

32. [EFOMM – 2010] Observe a figura a seguir.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


Uma partícula de carga negativa q e massa m penetra com velocidade v pelo orifício X em uma região de campo
magnético uniforme, e desta região sai pelo orifício Y, conforme indica a figura acima. Observe que a velocidade
da partícula é perpendicular às linhas de campo magnético.
Desprezando os efeitos gravitacionais e considerando (q/m) = 1,2.1011 C/kg, B = 1,0.10-2 T e v = 6,0.106 m/s, a
distância D entre os orifícios X e Y é igual a quantos milímetros?
a) 3,0 b) 4,0 c) 5,0 d) 6,0 e) 7,0

33. [EFOMM – 2013] Uma carga positiva q penetra em uma região onde existem os campos elétrico E e magnético B
dados por:
 E = EX i + Ey j + Ezk



 ( )
B = By j = 8,0  10−3 j T

(
com vetor velocidade v = vzk = 2,0  103 k m/s.)
Desprezando a força gravitacional, para que o movimento da carga sob a ação dos campos seja retilíneo e
uniforme, as componentes do campo elétrico EX , Ey e Ez , em N/C, devem valer, respectivamente:
a) + 16, zero e zero. b) - 16, zero e zero. c) zero, zero e -4 d) - 4, zero e zero. e) zero, zero e +4

34. [AFA – 1995] Uma partícula com carga elétrica 10 -4 C é lançada horizontalmente, com velocidade 1100 m/s, numa
região onde o campo magnético terrestre é vertical e vale 4 x 10-5 T . A força, em newtons, que atua na partícula,
devido ao campo magnético, é:
a) 0 b) 1,6 x 10-6 c) 4,4 x 10-6 d) 6 x 10-6

35. [AFA – 1996] Uma partícula de carga elétrica 10-4 C desloca-se paralelamente a um fio condutor reto com
velocidade (2 x 106 m/s). A corrente elétrica nesse condutor é igual a 4 A, e sua distância até a partícula é 4 mm.
Nessa situação a força magnética sobre a partícula, medida em N, é igual a:
a) 0 b) 4 x 10-2 c) 6 x 10-2 d) 16 x 10-2
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
6
Colégio Verum 2018 7
JOSIELREZENDE

36. [AFA – 1996] Uma partícula de massa 2 x 10-3 g, carga elétrica 4 x 10-4 C e velocidade 6 x 103 m/s, penetra numa
região onde existe um campo magnético uniforme de intensidade 1 T. A trajetória dessa partícula terá raio
mínimo, medido em metros, igual a:
a) 2 b) 6 c) 12 d) 30

37. [AFA – 1998] Uma partícula de massa m, carga elétrica q e velocidade v descreve uma trajetória circular de raio r1
numa região dotada de campo de indução magnética B. Após um certo tempo, nota-se que o raio da trajetória
passa a ser r2 = 2r1. Pode-se afirmar que:
a) essa partícula perdeu massa.
b) a velocidade da partícula aumentou.
c) a carga elétrica da partícula aumentou.
d) o campo de indução magnética dobrou de intensidade.

38. [AFA – 2000] Assinale a alternativa incorreta.


a) A agulha magnética de uma bússola é um ímã que se orienta na direção do campo magnético terrestre.
b) O pólo sul geográfico atrai o pólo sul de uma agulha magnetizada.
c) Uma carga elétrica submetida à ação de um campo magnético sempre sofrerá a ação de uma força magnética.
d) Se um fio for percorrido por uma corrente elétrica, será produzido um campo magnético, que poderá atuar
sobre cargas em movimento, exercendo sobre elas uma força magnética.

39. [AFA – 2000] Sabe-se que um condutor percorrido por uma corrente elétrica pode sofrer o efeito de uma força

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


magnética devido ao campo magnético uniforme em que o condutor estiver inserido. Nessas condições, pode-se
afirmar que a força magnética:
a) atuará sempre de modo a atrair o condutor para a fonte do campo magnético.
b) atuará sempre de modo a afastar o condutor da fonte do campo magnético.
c) será máxima quando o ângulo entre a direção do condutor e o vetor for 90º.
d) será sempre paralela à direção do condutor e o seu sentido será o da movimentação das cargas negativas

40. [AFA – 2002] Uma partícula de carga positiva, com velocidade dirigida ao longo do eixo x, penetra, através de um
orifício em O, de coordenadas (0,0), numa caixa onde há um campo magnético uniforme de módulo B,
perpendicular ao plano do papel e dirigido "para dentro" da folha. Sua trajetória é alterada pelo campo, e a
partícula sai da caixa passando por outro orifício, P, de coordenadas (a, a), com velocidade paralela ao eixo y.
Percorre, depois de sair da caixa, o trecho PQ, paralelo ao eixo y, livre de qualquer força. Em Q sofre uma colisão
perfeitamente elástica, na qual sua velocidade é simplesmente invertida, e volta pelo mesmo caminho, entrando
de novo na caixa, pelo orifício P. A ação da gravidade nesse problema é desprezível.

As coordenadas do ponto, em que a partícula deixa a região que delimita o campo magnético, são

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
7
Colégio Verum 2018 8
JOSIELREZENDE

a) (0, 0). b) (a, -a). c) (2a, 0). d) (2a, -a).

41. [AFA – 2003] A figura abaixo mostra uma região onde existe um campo elétrico de módulo E, vertical e apontando
para baixo. Uma partícula de massa m e carga q, positiva, penetra no interior dessa região através do orifício O,
com velocidade horizontal, de módulo v. Despreze os efeitos da gravidade.

Introduz-se na região considerada um campo magnético de módulo B com direção perpendicular à folha
de papel. Para que a partícula se mova, com velocidade v e em linha reta nessa região, o valor de B será.
Ev mv E mq
a) b) c) d)
q Eq v Ev

42. [AFA – 2003] Uma carga elétrica q de massa m penetra num campo de indução magnética B, conforme a
figura abaixo:

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


Sabendo-se que, ao penetrar no campo com velocidade v, descreve uma trajetória circular, é INCORRETO afirmar
que o tempo gasto para atingir o anteparo é :
a) proporcional a B. b) independente de v.
c) proporcional a m. d) inversamente proporcional a q.

43. [AFA – 2003] Um feixe de elétrons com velocidade v penetra num capacitor plano a vácuo. A separação
entre as armaduras é d. No interior do capacitor existe um campo de indução magnética B, perpendicular
ao plano da figura.

A tensão em que se deve eletrizar o capacitor, para que o feixe não sofra deflexão pode ser calculada por:
vd B vB
a) b) c) Bvd d)
B vd d

44. [AFA – 2006] O esquema a seguir é de um aparelho utilizado para medir a massa dos íons.

O íon de carga +q é produzido, praticamente em repouso, por meio da descarga d é, então, acelerado por uma

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
8
Colégio Verum 2018 9
JOSIELREZENDE

d.d.p. U, penetrando, depois, num campo magnético e um gás, realizada na fonte F.O íon B. No interior do
campo, o íon descreve uma órbita semicircular de raio r, terminando por atingir uma placa fotográfica, na qual
deixa uma imagem. A massa do íon pode ser calculada por:
B2r2 q 2B2r2 2B2r2 2B2r2 q
a) b) c) d)
2U Uq 2U q U

45. [AFA – 2007] A figura abaixo representa uma espira retangular em repouso num campo magnético de um imã. Ao
ser percorrida por uma corrente no sentido indicado na figura, a espira passará a

a) girar no sentido horário. b) girar no sentido anti-horário.


c) oscilar em torno do eixo y. d) oscilar em torno do eixo x.

46. [AFA – 2010] Uma partícula de massa m carregada eletricamente com carga q, é solta em queda livre de uma
altura h acima do plano horizontal xy, conforme ilustra a figura abaixo.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


Se nesta região, além do campo gravitacional g, atua também um campo magnético uniforme B na direção Oy, a
energia cinética da
partícula ao passar pelo plano xy valerá
a) mgh b) mg g2 + B2 c) mgh(g + B) d) (
mgh g2 − B2 )
47. [AFA – 2012] Uma partícula de massa m e carga elétrica negativa de módulo igual a q é lançada com
velocidade v0, na direção y, numa região onde atuam, na direção z, um campo elétrico E e o campo gravitacional
g e, na direção x, um campo magnético B, todos uniformes e constantes, conforme esquematizado na figura
abaixo..

Sendo retilínea a trajetória dessa partícula, nessa região, e os eixos x, y e z perpendiculares entre si, pode-se
afirmar que o gráfico que melhor representa a sua velocidade v em função do tempo t é:

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
9
Colégio Verum 2018 10
JOSIELREZENDE

a)... b) c)... d)....

48. [AFA – 2013] Na região próxima a uma bobina percorrida por uma corrente elétrica contínua, existe um campo de
indução magnética B, simétrica a seu eixo (eixo x), cuja magnitude diminui com o aumento do módulo da abscissa
x, como mostrado na figura abaixo.

Uma partícula de carga negativa é lançada em x 0 = x com uma velocidade v0, formando um ângulo θ com o
sentido positivo do eixo x.
O módulo da velocidade v descrita por essa partícula, devido somente à ação desse campo magnético, em função
da posição x, é melhor representado pelo gráfico.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) b) c) d)

49. [AFA – 2014] Na figura abaixo, estão representados os dois longos fios paralelos, dispostos a uma distância
l um de outro, que conduzem a mesma corrente elétrica i em sentidos opostos.

Num ponto P do plano xy, situado a uma distância d de cada um dos fios, lança-se uma partícula, com
carga elétrica positiva q na direção do eixo y, cuja velocidade tem módulo igual a v.
Sendo μ a permeabilidade absoluta do meio e considerando desprezível a força de interação entre as
correntes elétricas nos fios, a força magnética que atua sobre essa
partícula, imediatamente após o lançamento, tem módulo igual a
μlqv μlrqv μlrqv
a) zero b) c) d)
2 2 2πd
2πd 2πd

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
10
Colégio Verum 2018 11
JOSIELREZENDE

50. [AFA – 2015] Desejando-se determinar a intensidade do campo magnético no interior de um solenóide longo
percorrido pro uma corrente elétrica constante, um professor de física construiu um aparato experimental
que consistia, além do solenóide, uma balança de braços isolantes e iguais a d 1 e d2 , sendo que o prato em uma
das extremidades foi substituído por uma espira quadrada de lado l, conforme indicado na figura abaixo.

Quando não circula corrente na espira, a balança se encontra em equilíbrio e o plano da espira está na
horizontal. Ao fazer passar pela espira uma corrente elétrica constante i, o equilíbrio da balança é restabelecido
ao colocar no prato uma massa m. Sendo go módulo do campo gravitacional local, o campo magnético no interior
do solenóide é dado pela expressão:
mgd + i(l + d2 ) mgd1i mg ( d1 + d2 ) mgd1
a) b) c) d)
l + d2 l ( l + d2 ) 2
il d 2
il2

51. [AFA – 2016] O lado EF de uma espira condutora quadrada indeformável, de massa m, é preso a uma mola ideal e
não condutora, de constante elástica K. Na posição de equilíbrio, o plano da espira fica paralelo ao campo
magnético B gerado por um ímã em forma de U, conforme ilustra a figura abaixo.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


O lado CD é pivotado e pode girar livremente em torno do suporte S, que é posicionado paralelamente às linhas
de indução do campo magnético.
Considere que a espira é percorrida por uma corrente elétrica i, cuja intensidade varia senoidalmente, em função
do tempo t, conforme indicado no gráfico abaixo.

Nessas condições, pode-se afirmar que a:


1
a) Espira oscilará em MHS, com frequência igual a .
t2
b) Espira permanecerá na sua posição original de equilíbrio.
Bi
c) Mola apresentará uma deformação máxima dada por .
mgk
Bi + mg
d) Mola apresentará uma deformação máxima dada por .
k
52. [ESCOLA NAVAL – 2009] Uma partícula de massa m e carga elétrica positiva q é lançada, no instante t 0 = 0,
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
11
Colégio Verum 2018 12
JOSIELREZENDE

perpendicularmente no interior de um campo magnético uniforme B, percorrendo uma trajetória curvilínea


de raio R. O módulo da componente em Y do vetor velocidade da partícula, no instante t igual a três
oitavos do período, vale:

qBR 2 qBR qmB 3 BRm 2qBR


a) b) c) d) e)
2m m 2R 2q 3m

53. [ESCOLA NAVAL – 2009] Uma partícula eletrizada de massa m e carga elétrica + q é lançada, com velocidade v = (v
cosθ).i + (v senθ).j, no interior de um campo magnético uniforme B = B0.Î [B0 = constante]. Despreze a ação da
gravidade. O trabalho realizado pela força magnética, que atua sobre a partícula, em um intervalo de tempo ∆t, é:
a) qv2B0 (senθ)(cosθ).∆t b) qv2B0(cosθ).∆t c) qvB0.∆t
2
d) zero e) qvB0 (cosθ). ∆t

54. [ESCOLA NAVAL – 2010] Uma partícula de carga q e massa m foi acelerada a partir do repouso por uma diferença
de potencial V. Em seguida, ela penetrou pelo orifício X numa região de campo magnético constante de módulo B
e saiu através do orifício Y, logo após ter percorrido a trajetória circular de raio R indicada na figura. Considere
desprezíveis os efeitos gravitacionais. Agora suponha que uma segunda partícula de carga q e massa 3m seja

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


acelerada a partir do repouso pela mesma diferença de potencial V e, em seguida, penetre na região de campo
magnético constante pelo mesmo orifício X. Para que a segunda partícula saia da região de campo magnético pelo
orifício Y, após ter percorrido a mesma trajetória da primeira partícula, o módulo do campo magnético deve ser
alterado para:

B 3
a) zero b) c) B d) 3 e) 3 3B
3 3
55. [ESCOLA NAVAL – 2010] Numa dada região do espaço, temos um campo elétrico constante (vertical para
cima) de módulo E= 4,0 N/ C e, perpendicular a este, um campo magnético também constante de módulo B
= 8,0 T. Num determinado instante, uma partícula de carga positiva q é lançada com velocidade v nesta
região, na direção perpendicular, tanto ao campo elétrico quanto ao campo magnético, conforme indica a
figura. Com relação à trajetória da partícula, indique a opção correta.

a) Se v= 2,0m/ s, a trajetória será a 2. b) Se v= 1, 5m/ s, a trajetória será a 3.


n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
12
Colégio Verum 2018 13
JOSIELREZENDE

c) Se V= 1,0m/ s, a trajetória será a 2. d) Se v= 0, 5m/ s, a trajetória será a 1.


e) Se V= 0,1m/ s, a trajetória será a 3

56. [ESCOLA NAVAL – 2011] A figura abaixo mostra uma superfície horizontal lisa (plano XV) onde existe um campo e
elétrico uniforme E = 30.I ( N/C) seguido de outro campo magnético uniforme B = 1,5.k (teslas) . Uma partícula (1),
de massa m1 = m e carga elétrica q1 = + 4,0 μC, é lançada com velocidade V = 3,0.i (m/s), da posição X = 0 e Y = 1,5
m, na direção de outra partícula (2), de massa m2 = m e eletricamente neutra, inicialmente em repouso na posição
indicada, num choque frontal. Sabe-se que: 0 coeficiente de restituição do choque e 0,80 e a massa m = 3,0 mg
(miligramas). Despreze a Indução eletrostática e qualquer perda de carga da partícula (1). 0 m6dulo da aceleração,
em m/s2, da partícula (1) no interior do campo magnético uniforme é:

a) 2,3 b) 2,6 c) 2,9 d) 3,1 e) 3,4

57. [ESCOLA NAVAL – 2012] Duas hastes condutoras rígidas, longas e paralelas, apoiadas em um plano liso horizontal,

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


estão separadas, inicialmente, por uma mola de material isolante que esta no seu comprimento não deformado
do=5,Ocm. A constante elástica da mola e k = 25.10-2 N/m. A corrente elétrica = 10 A é, então, estabelecida nas
hastes, em sentidos opostos. Em um comprimento L = 50 em das hastes, também passa a atuar um campo
magnético externo uniforme B, vertical, para fora da pagina (conforme a figura abaixo).
No equilíbrio estático, verifica-se que a separação entre as hastes passa a ser d = 2,0 cm. Despreze o campo
magnético da Terra e a magnetiza o ao da mola. Nestas condições, o módulo do campo magnético externo B (em
militeslas) é:

a) 1,2 b) 1,4 c) 1,6 d) 1,9 e) 2,3

58. [ESCOLA NAVAL – 2012] Uma pequena esfera carregada, de massa m= 0,400 kg e carga elétrica q = 7,50.10 -1 C,
está presa a mola ideal de constante elástica K= 40, 0 N/m. O sistema esfera-mola oscila em M.H.S, com amplitude
A=10,0 cm, sobre uma rampa formando uma angulo de 30° com a horizontal. A esfera move-se numa região onde
existe um campo magnético uniforme de modulo igual a 2,00 teslas, perpendicular ao plano do movimento
(conforme a figura abaixo). Despreze os atritos e a magnetização da mola . No instante em que a mola estiver
esticada 10,0 cm em relação ao seu tamanho natural, se afastando da posição de equilíbrio do sistema esfera-
mola, 0 modulo da f orca normal (em newtons) exercida pelo plano inclinado (rampa) sobre a esfera é:

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
13
Colégio Verum 2018 14
JOSIELREZENDE

a) 1,50 3 b) 2,20 3 c) 2,75 3 d) 3,15 3 e) 3,50 3

59. [ESCOLA NAVAL – 2014] Dois fios condutores (1) e (2), longos e paralelos, são percorridos por correntes elétricas
constantes I1 e I2 = 3i1, de sentidos contrários. A relação entre os módulos das forças magnéticas |F m(1)| sobre o
fio (1) e |Fm(2)| sobre o fio (2) é:
a) |Fm(2)| = 3 |Fm(1)| b) |Fm(1)| = 3 |Fm(2)| c) |Fm(1)| = |Fm(2)| d) |Fm(2)| = 6 |Fm(1)| e) |Fm(1)| = 6 |Fm(2)|

60. [ESCOLA NAVAL – 2015] Paralelo ao eixo horizontal x, ha dois fios muito longos e finos. Conforme indica a figura
acima, o fio1 está a 0,2 m de distancia do eixo x, enquanto o fio2 esta a 0,1 m. Pelo fio1, passa uma corrente i1 =7,0
mA e, pelo fio2, i2 =6,0 mA, ambas no sentido positivo de x. Um elétron (carga = e, massa=m e) se desloca sobre o
eixo x com velocidade constante. Sabendo que os dois fios e a trajetória do elétron estão no mesmo plano, qual o
modulo, em mm/s, e o sentido do vetor velocidade do elétron em relação ao sentido das correntes i1 e i2?
Dados: g = 10 m / s2

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


μ 0 = 4π.107 T.m / A
e
= 2.1011 C / kg
me

a) 10 e contrario b) 20 e igual c) 30 e contrario d) 40 e igual e) 50 e contrario

61. [IME – 1991] A barra condutora AB com 50 cm de comprimento, 5 N de peso e resistência elétrica desprezível cai
verticalmente com velocidade constante, fazendo contato com dois trilhos verticais, paralelos e sem atrito com
resistências também desprezíveis, conforme mostra a figura abaixo. Perpendicularmente ao plano dos trilhos
existe um campo de indução magnética uniforme B com intensidade de 0,5 T.
Determine:
a) a corrente na resistência E;
b) a velocidade da barra AB.
CONVENÇÃO: direção perpendicular ao plano da folha e saindo da mesma
R=2 E = 15 V

+
B

50 cm

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
14
Colégio Verum 2018 15
JOSIELREZENDE

62. [IME – 1992] Uma barra condutora MN, de massa m [kg] de resistividade [ m], submetida a uma tensão V [V]
entre suas extremidades, apoia-se em dois trilhos condutores e paralelos, que formam com a horizontal um
ângulo [ º ]. Não há atrito entre a barra e esses condutores e o conjunto está imerso em um campo magnético
uniforme vertical, de intensidade B [T]. A barra permanece em repouso na posição indicada.
Determine:
a) o sentido da corrente na barra;
b) a seção reta da barra.

B
M N
 

a) b) c) d) e)

63. [IME – 1995] A figura abaixo mostra um canhão magnético sem atrito, que tem dimensões d = 10m, L = 0,1m e
campo magnético B = 100 T. Determine a corrente na armadura necessária para acelerar 100 g (incluindo a
armadura) de zero a 11,3 km/s no final do canhão.
d
i

x xxxxxx
x

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


xxxxxx L
x xxxxxx
x xxxxxx

Barra condutora móvel Corpo a ser


(armadura) arremessado

64. [IME – 1997] Considere uma barra condutora reta (CD) com um corpo de massa M a ela ligada, imersa em uma
região com um campo magnético uniforme B, podendo se mover apoiada em dois trilhos condutores verticais e
fixos. O comprimento da barra é igual a 500mm e o valor do campo é igual a 2 T. Determine a massa (conjunto
corpo + barra) que permitirá o equilíbrio do sistema quando uma corrente igual a 60A circular na barra. Dados:
Aceleração da gravidade g = 10m/s2 Despreze o atrito entre a barra e os trilhos.

C D
B

65. [IME – 2000] Um condutor em forma de U encontra-se no plano da página. Um segundo condutor retilíneo,
apoiado sobre o primeiro, movesse horizontalmente para a direita com velocidade constante v = 5 m/s, conforme
mostra a figura 1. Estes condutores estão "mergulhados" em um campo magnético uniforme, cujo vetor indução
magnética tem intensidade 0,5 T, orientado perpendicularmente ao plano da página, de acordo com a figura 2.
Sabendo-se que, em um dado instante, as resistências elétricas dos condutores possuem os valores indicados na
figura 2, determine:
a. A força eletromotriz induzida no circuito fechado;
b. A força magnética que tenta impedir o movimento do segundo condutor no momento em que os condutores
apresentam os valores indicados na figura 2;
c. O sentido da corrente elétrica induzida, a polaridade da força eletromotriz induzida e o sentido da força
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
15
Colégio Verum 2018 16
JOSIELREZENDE

magnética calculada no item b.


R1 = 10



R2 = 7           r 
= 5 2m



R3 = 3
66. [IME – 2007] Uma partícula com carga elétrica penetra, ortogonalmente, num campo magnético uniforme com
velocidade v no ponto cujas coordenadas ( x, y) são (0, 0) e sai do campo no ponto (0, 2R). Durante a
permanência no campo magnético, a componente x da velocidade da partícula no instante t é dada por:
 πvt   πvt   vt   2vt   vt 
a) v sen   b) v cos   c) v cos   d) v cos   e) v cos  
 R   R  R  R   2R 

67. [IME – 2010] Uma partícula eletrizada penetra perpendicularmente em um local imerso em um campo magnético
de intensidade B. Este campo é dividido em duas regiões, onde os seus sentidos são opostos, conforme é
apresentado na figura. Para que a partícula deixe o local com um ângulo de 30°, é correto afirmar que a
eletrização da partícula e a intensidade do campo magnético que possui o sentido saindo do plano do papel
devem ser, respectivamente:

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


Dados:
• R: raio da trajetória da partícula na região onde existe um campo magnético.
• L/R= 3

a) positiva e de valor B/3. b) positiva e de valor B/6. c) negativa e de valor B/6.


d) positiva e de valor 2B/3. e) negativa e de valor 2B/3.

68. [IME – 2009] Um feixe de elétrons passa por um equipamento composto por duas placas paralelas, com uma
abertura na direção do feixe, e penetra em uma região onde existe um campo magnético constante. Entre as
placas existe uma d.d.p. igual a V e o campo magnético é perpendicular ao plano da figura.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
16
Colégio Verum 2018 17
JOSIELREZENDE

Considere as seguintes afirmativas:


I. O vetor quantidade de movimento varia em toda a trajetória.
II. Tanto o trabalho da força elétrica quanto o da força magnética fazem a energia cinética variar.
III. A energia potencial diminui quando os elétrons passam na região entre as placas.
IV. O vetor força elétrica na região entre as placas e o vetor força magnética na região onde existe o campo
magnético são constantes.
As afirmativas corretas são apenas:
a) I e II b) I e III c) II e III d) I, II e IV e) II, III e IV

69. [IME – 2012] Na Figura 1 é apresentado um corpo de massa m e carga +q imerso em um campo magnético B. O
corpo possui uma velocidade v perpendicular ao campo magnético. Nele incide um feixe de luz paralela que o
ilumina, projetando a sua sombra em uma tela onde executa um movimento equivalente ao de um corpo com
massa m preso a uma mola, conforme apresentado na Figura 2.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


Determine:
a) o valor da constante elástica da mola;
b) a energia potencial elástica máxima;
c) a velocidade máxima do corpo;
d) a frequência do movimento.
Observação: Despreze a ação da gravidade.

70. [IME – 2012] Um objeto de massa me carga +q faz um movimento circular uniforme, com velocidade escalar
tangencial ν, preso a um trilho sem atrito de raio r. Sabendo que o objeto está sujeito a um campo magnético de
módulo B, paralelo ao plano do trilho conforme mostra a figura, o módulo da força normal contra o trilho, em
função de θ, é:

a) qvB sen θ + m.v2 / r b) qvB sen θ − m.v2 / r c) qvB cosθ − m.v2 / r

d) V (q .B .sen θ + m .v
2 2 2 2 2
/ r2 ) e) V (q .B .cos θ + m .v
2 2 2 2 2
/ r2 )
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
17
Colégio Verum 2018 18
JOSIELREZENDE

71. [IME – 2012] A figura abaixo apresenta um fio condutor rígido sustentado por dois segmentos, imersos em uma
região com campo magnético uniforme de módulo B, que aponta para dentro da página. O primeiro segmento é
composto de uma mola (M1) e o segundo de uma associação de duas molas (M2 e M3). Ao passar uma corrente
elétrica por esse condutor, cada segmento apresenta uma tração T. Sabe-se que o campo magnético não atua
sobre as molas e que a deformação da mola M1 é x. A relação entre a diferença de potencial a que o fio é
submetido e o produto das deformações dos segmentos é igual a

Dados:
• Comprimento do fio: L
• Resistência do fio: R
• Massa do fio: M
• Constante elástica da mola M1: k
• Constante elástica das molas M2 e M3: 2k

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


• Módulo do campo magnético: B
• Aceleração da gravidade: g
a) R(Mg – T)/L.B.x b) R(Mg – 2T)/L.B.x2 c) R(Mg – 2T)/4.L.B.x2
d) (Mg – 2T)/2.R.L.B.x e) (Mg – 2T)/2.R.L.B.x

72. [IME – 2013] A figura abaixo apresenta uma partícula com velocidade v, carga q e massa m penetrando
perpendicularmente em um ambiente submetido a um campo magnético B. Um anteparo está a uma distância d
do centro do arco de raio r correspondente à trajetória da partícula. O tempo, em segundos, necessário para que
a partícula venha a se chocar com o anteparo é:

Dados:
• v= 10 m/s
• B= 0,5 T
• q= 10 µC
• m= 10 x10– 20 kg
2
•d= r
2
a) 40π  10 −15 b) 20π  10−15 c) 10π  10−15 d) 5π  10 −15 e) 2,5π  10−15

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
18
Colégio Verum 2018 19
JOSIELREZENDE

73. [IME – 2014] A figura acima mostra um bloco de massa me carga q, preso a uma mola OP ideal, paralela ao eixo x
e de constante elástica K. O bloco encontra-se em equilíbrio estático, sob a ação de um campo elétrico uniforme
E, um campo magnético uniforme; Be um campo gravitacional uniforme g, todos no plano xy, conforme indicados
na figura.

Se o bloco for desconectado da mola no ponto P, um observador posicionado no ponto O verá o bloco descrever
um movimento curvilíneo.
a) paralelo ao plano xz, afastando-se. b) no plano xy, mantendo fixo o centro de curvatura.
c) no plano xy, afastando-se d) no plano xy, aproximando-se.
e) paralelo ao plano xz, aproximando-se.

74. [IME – 2015] Uma partícula eletricamente carregada está presa a um carrinho que se move com velocidade de
módulo constante por uma trajetória no plano XY definida pela parábola

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


y= x2 – 9x+ 3
Sabe-se que, em XY, um campo magnético uniforme paralelo ao vetor (3B, B) provoca força sobre a partícula. O
ponto onde a partícula é submetida ao maior módulo de força magnética é:
a) (–6, 93) b) (–3, 39) c) ( 1, –5) d) ( 2, –2) e) ( 3, –15)

75. [ITA – 1987] Cargas elétricas penetram com velocidade v numa região onde reina um campo de indução
magnética uniforme B. Para que as cargas descrevam trajetórias circulares é necessário e suficiente que:
a) v seja ortogonal a B.
b) v seja paralelo a B.
c) v forme com B um ângulo de 45º.
d) Todas as partículas carregadas tenham a mesma massa.
e) Todas as partículas carregadas tenham a mesma relação carga/massa.

76. [ITA – 1988] Um fio retilíneo, muito longo, é percorrido por uma corrente contínua I. Próximo do fio, um elétron é
lançado com velocidade inicial v0 , paralela ao fio, como mostra a figura. Supondo que a única força atuante sobre
o elétron seja a força magnética devida à corrente I, o elétron descreverá uma:

a) trajetória retilínea b) circunferência c) curva plana não circular


d) curva reversa e) espiral

77. [ITA – 1992] Consideremos uma carga elétrica q entrando com velocidade v num campo magnético B. Para que a
trajetória seja uma circunferência é necessário e suficiente que:

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
19
Colégio Verum 2018 20
JOSIELREZENDE

a) v seja perpendicular a B e que seja uniforme e constante.


b) v seja paralela a B.
c) v seja perpendicular a B.
d) v seja perpendicular a B e que tenha simetria circular.
e) Nada se pode afirmar pois não é dado o sinal de q.

78. [ITA – 1994] Um elétron (massa m e carga -e) com uma velocidade V penetra na região de um campo magnético
homogêneo de indução magnética B perpendicularmente à direção do campo, como mostra a figura. A
profundidade máxima h de penetração do elétron na região do campo é :

a) h = Vm (1 - cos α) / (eB) b) h = Vm (1 - sen α) / (eB) c) h = Vm (1 + sen α) / (eB)


d) h = Vm (cos2α) / (eB) e) h = Vm [1 - (cos2α/2)] / (eB)

79. [ITA – 1995] Uma partícula de carga q e massa M move-se ao longo de uma reta com velocidade v constante
numa região onde estão presentes um campo elétrico de 500 V/m e um campo de indução magnética de 0,10 T.
Sabe-se que ambos os campos e a direção de movimento da partícula são mutuamente perpendiculares. A
velocidade da partícula é:

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) 500 m/s.
b) constante para quaisquer valores de campos elétrico e magnético.
c) (M/q)5,0.10³ m/s.
d) 5,0.10³ m/s.
e) faltam dados para o cálculo

80. [ITA – 1996] .Na figura abaixo, numa experiência hipotética, o eixo x delimita a separação entre duas regiões com
valores diferentes de campo de indução magnética, B1 para y < 0 e B2 para y > 0, cujos sentidos são iguais (saindo
da página). Uma partícula de carga positiva, +q, é lançada de um ponto do eixo x com velocidade v no sentido
positivo do eixo y. Nessas condições pode-se afirmar que:

a) A partícula será arrastada com o passar do tempo para a esquerda (valores de x decrescentes) se B 1 < B2.
b) A partícula será arrastada com o passar do tempo, para a esquerda (valores de x decrescentes) se B 1 > B2.
c) A partícula seguirá trajetória retilínea.
d) A partícula descreverá uma trajetória circular.
e) Nenhuma das afirmativas acima é correta

81. [ITA – 1996] A agulha de uma bússola está apontando corretamente na direção norte-sul. Um elétron se aproxima
a partir do norte com velocidade v, segunda a linha definida pela agulha. Neste caso:
a) a velocidade do elétron deve estar necessariamente aumentando em módulo.
b) a velocidade do elétron estará certamente diminuindo em módulo.
c) o elétron está se desviando para leste.
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
20
Colégio Verum 2018 21
JOSIELREZENDE

d) o elétron se desviará para oeste.


e) nada do que foi dito acima é verdadeiro.

82. [ITA – 1997] Na região do espaço entre os planos a e b, perpendiculares ao plano do papel, existe um campo de
indução magnética, simétrico ao eixo x, cuja magnitude diminui com o aumento de x, como mostrado na figura
abaixo. Uma partícula de carga q é lançada a partir do ponto p no eixo x, com uma velocidade formando um
ângulo com o sentido positivo desse eixo. Desprezando o efeito da gravidade, pode-se afirmar que, inicialmente:

a) A partícula seguirá uma trajetória retilínea, pois o eixo x coincide com uma linha de indução magnética.
b) A partícula seguirá uma trajetória aproximadamente em espiral com raio constante.
c) Se < 90º, a partícula seguirá uma trajetória aproximadamente em espiral com raio crescente.
d) A energia cinética da partícula aumentará ao longo da trajetória.
e) Nenhuma das alternativas acima é correta.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


83. [ITA – 1999] Uma partícula de carga q e massa m é lançada numa região com campo elétrico E e campo
magnético B, uniformes e paralelos entre si. Observa-se, para um determinado instante, que a partícula está com
a velocidade V 0 formando um ângulo α com o campo magnético B. Sobre o movimento dessa partícula, pode-se
concluir que a partir deste instante:
a) a partícula descreverá um movimento giratório de raio mV³/q.B.
b) o ângulo entre a velocidade e o campo B variará com o passar do tempo até atingir o valor de 90°,
mantendo-se constante daí em diante.
c) a energia cinética da partícula será uma função sempre crescente com o tempo e independente do valor
de B.
d) a velocidade V da partícula tenderá a ficar paralela ao campo E, se a carga for positiva, e antiparalela a E, se a
carga for negativa.
e) a partícula tenderá a atingir um movimento puramente circular com raio crescente com o tempo.

84. [ITA – 2000] Uma barra metálica de comprimento L = 50,0 cm faz contato com um circuito, fechando-o. A área do
circuito é perpendicular ao campo de indução magnética uniforme B. A resistência do circuito é R = 3,00, sendo de
3,75 10–3 N a intensidade da força constante aplicada à barra, para mantê-la em movimento uniforme com
velocidade v = 2,00 m/s. Nessas condições, o módulo de B é:

a) 0,300 T b) 0,25 T c) 0,200 T d) 0,130 T e) 0,100 T

85. [ITA – 2001] A figura mostra duas regiões nas quais atuam campos magnéticos orientados em sentidos
opostos e de magnitudes B1 e B2 , respectivamente. Um próton de carga q e massa m é lançado do ponto A
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
21
Colégio Verum 2018 22
JOSIELREZENDE

com uma velocidade V perpendicular às linhas de campo magnético. Após um certo tempo t, o próton passa
por um ponto B com a mesma velocidade inicial V (em módulo, direção e sentido). Qual é o menor valor desse
tempo?

mπ  B1 + B2  b)
2mπ
c)
2mπ
d)
4mπ
e)

a)   qB1 qB2 q (B1 + B2 ) qB1
q  B1B2 

86. [ITA – 2003] Na figura, uma barra condutora MN(de comprimento l, resistência desprezível e peso P B puxada por
um peso PC , desloca-se com velocidade constante v, apoiada em dois trilhos condutores retos, paralelos e de
resistência desprezível, que formam um ângulo θ com o plano horizontal. Nas extremidades dos trilhos está ligado
um gerador de força eletromotriz E com resistência r. Desprezando possíveis atritos, e considerando que o
sistema está imerso em um campo de indução magnética constante, vertical e uniforme , B pode-se afirmar que:

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) o módulo da força eletromotriz induzida é ε= Blv sen θ.
b) a intensidade ida corrente no circuito é dada por Pc sen θ/(Bl).
c) nas condições dadas, o condutor descola dos trilhos quando i ≥P b/(Bltg θ).
d) a força eletromotriz do gerador é dada por E = rPc sen θ/(Bl) – Blv cos θ.
e) o sentido da corrente na barra é de M para N.

87. [ITA – 2003] Situado num plano horizontal, um disco gira com velocidade angular ω constante, em torno de um
eixo que passa pelo seu centro O. O disco encontra-se imerso numa região do espaço onde existe um campo
magnético constante B, orientado para cima, paralelamente ao eixo vertical de rotação. A figura mostra um
capacitor preso ao disco (com placas metálicas planas, paralelas, separadas entre si de uma distância L) onde, na
posição indicada, se encontra uma partícula de massa m e carga q > 0, em repouso em relação ao disco, a uma
distância R do centro. Determine a diferença de potencial elétrico entre as placas do capacitor, em função dos
parâmetros intervenientes.

88. [ITA – 2004] Em 1879, Edwin Hall mostrou que, numa lâmina metálica, os elétrons de condução podem ser
desviados por um campo magnético, tal que no regime estacionário, há um acúmulo de elétrons numa das faces
da lâmina, ocasionando uma diferença de potencial VH entre os pontos P e Q, mostrados na figura. Considere,
agora, uma lâmina de cobre de espessura Le largura d, que transporta uma corrente elétrica de intensidade i,
imersa no campo magnético uniforme B que penetra perpendicularmente a face ABCD, no mesmo sentido de C
para E. Assinale a alternativa correta:

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
22
Colégio Verum 2018 23
JOSIELREZENDE

a) O módulo da velocidade dos elétrons é Ve = VH/(BL) .


b) O ponto Q está num potencial mais alto que o ponto P.
c) Elétrons se acumulam na face AGHD.
d) Ao se imprimir à lâmina uma velocidade V = VH/(Bd) no sentido indicado pela corrente, o potencial em P torna-
se igual ao potencial em Q.
e) n.d.a.

89. [ITA – 2005] Quando uma barra metálica se desloca num campo magnético, sabe-se que seus elétrons se movem
para uma das extremidades, provocando entre elas uma polarização elétrica. Desse modo, é criado um campo
elétrico constante no interior do metal, gerando uma diferença de potencial entre as extremidades da barra.
Considere uma barra metálica descarregada, de 2,0 m de comprimento, que se desloca com velocidade constante
de medulo v= 216 km/h num plano horizontal (veja figura), próximo à superfície da Terra. Sendo criada uma
diferença de potencial (ddp) de 3,0·10–3 V entre as extremidades da barra, o valor do componente vertical do

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


campo de indução magnética terrestre nesse local é de:

a) 6,9·10–6 T b) 1,4·10–5 T c) 2,5·10–5 T d) 4,2·10–5 T e) 5,0·10–5 T

90. [ITA – 2005] Uma bicicleta, com rodas de 60 cm de diâmetro externo, tem seu velocímetro composto de um ímã
preso em raios, a 15 cm do eixo da roda, e de uma bobina quadrada de 25 mm² de área, com 20 espiras de fio
metálico, presa no garfo da bicicleta. O ímã é capaz de produzir um campo de indução magnética de 0,2 T em toda
a área da bobina (veja a figura). Com a bicicleta a 36 km/h, a força eletromotriz máxima gerada pela bobina é de:

a) 2·10–5 V b) 5·10–3 V c) 1·10–2 V d) 1·10–1 V e) 2·10–1 V

91. [ITA – 2006] Uma haste metálica de comprimento 20,0 cm está situada num plano xy, formando um ângulo de 30°
com relação ao eixo Ox. A haste movimenta-se com velocidade de 5,0 m/s na direção do eixo Ox e encontra-se
imersa num campo magnético uniforme B, cujas componentes, em relação a Ox e Oz (em que z é perpendicular a
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
23
Colégio Verum 2018 24
JOSIELREZENDE

xy) são, respectivamente, Bx =2,2 T e z Bz =− 0,50 T. Assinale o módulo da força eletromotriz induzida na haste.
a) 0,25 V b) 0,43 V c) 0,50 V d) 1,10 V e) 1,15 V

92. [ITA – 2006] Uma espira retangular é colocada em um campo magnético com o plano da espira perpendicular à
direção do campo, conforme mostra a figura. Se a corrente elétrica flui no sentido mostrado, pode-se afirmar em
relação à resultante das forças, e ao torque total em relação ao centro da espira, que:

a) A resultante das forças não é zero, mas o torque total é zero.


b) A resultante das forças e o torque total são nulos.
c) O torque total não é zero, mas a resultante das forças é zero.
d) A resultante das forças e o torque total são nulos.
e) O enunciado não permite estabelecer correlações entre as grandezas consideradas

93. [ITA – 2006] Uma partícula de massa m carregada com carga q > 0 encontra-se inicialmente em repouso imersa
num campo gravitacional e num campo magnético B0 com sentido negativo em relação ao eixo Oz, conforme

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


indicado na figura. Sabemos que a velocidade e a aceleração da partícula na direção Oy são funções harmônicas
simples.
Disso resulta uma trajetória cicloidal num plano perpendicular à B 0. Determine o deslocamento máximo (L) da
partícula.

94. [ITA – 2007] A figura mostra uma partícula de massa m e carga q > 0, numa região com campo magnético B
constante e uniforme, orientado positivamente no eixo x. A partícula é então lançada com velocidade inicial v no
plano xy, formando o ângulo θ indicado, e passa pelo ponto P, no eixo x, a uma distância d do ponto de
lançamento. Assinale a alternativa correta.

a) O produto dqB deve ser múltiplo de 2πmv cos θ.


b) A energia cinética da partícula é aumentada ao atingir o ponto P.
c) Para θ = 0, a partícula desloca-se com movimento uniformemente acelerado.
d) A partícula passa pelo eixo x a cada intervalo de tempo igual a m/qB.
e) O campo magnético não produz aceleração na partícula.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
24
Colégio Verum 2018 25
JOSIELREZENDE

95. [ITA – 2007] A figura mostra uma região de superfície quadrada de lado L na qual atuam campos magnéticos B1 e
B2 orientados em sentidos opostos e de mesma magnitude B. Uma partícula de massa m e carga q > 0 é lançada
do ponto R com velocidade perpendicular às linhas dos campos magnéticos. Após um certo tempo de lançamento,
a partícula atinge o ponto S e a ela é acrescentada uma outra partícula em repouso, de massa m e carga –q
(choque perfeitamente inelástico). Determine o tempo total em que a partícula de carga q > 0 abandona a
superfície quadrada.

96. [ITA – 2008] A figura mostra um circuito formado por uma barra fixa FGHJ e uma barra móvel MN, imerso num
campo magnético perpendicular ao plano desse circuito. Considerando desprezível o atrito entre as barras e
também que o circuito seja alimentado por um gerador de corrente constante I, o que deve acontecer com a
barra móvel MN?

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


a) Permanece no mesmo lugar.
b) Move-se para a direita com velocidade constante.
c) Move-se para a esquerda com velocidade constante.
d) Move-se para a direita com aceleração constante.
e) Move-se para a esquerda com aceleração constante

97. [ITA – 2008] Considere uma espira retangular de lados a e b percorrida por uma corrente I, cujo plano da espira é
paralelo a um campo magnético B. Sabe-se que o módulo do torque sobre essa espira é dado por τ= I B a b.
Supondo que a mesma espira possa assumir qualquer outra forma geométrica, indique o valor máximo possível
que se consegue para o torque.

a)
(
IB a2 + b2 ) b) IBab c) 2IBab d)
IBab
e)
IBab
2π π
π

98. [ITA – 2009] A figura representa o campo magnético de dois fios paralelos que conduzem correntes elétricas. A
respeito da força magnética resultante no fio da esquerda, podemos afirmar que ela:

a) atua para a direita e tem magnitude maior que a da força no fio da direita.
n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
25
Colégio Verum 2018 26
JOSIELREZENDE

b) atua para a direita e tem magnitude igual à da força no fio da direita.


c) atua para a esquerda e tem magnitude maior que a da força no fio da direita.
d) atua para a esquerda e tem magnitude igual à da força no fio da direita.
e) atua para a esquerda e tem magnitude menor que a da força no fio da direita.

99. [ITA – 2010] Um elétron é acelerado do repouso através de uma diferença de potencial V e entra numa região na
qual atua um campo magnético, onde ele inicia um movimento ciclotrônico, movendo-se num círculo de raio RE
com período TE. Se um próton fosse acelerado do repouso através de uma diferença de potencial de mesma
magnitude e entrasse na mesma região em que atua o campo magnético, poderíamos afirmar sobre seu raio RP e
período TP que:
a) RP = RE e TP = TE. b) RP > RE e TP > TE. c) RP > RE e TP = TE.
d) RP < RE e TP = TE. e) RP = RE e TP < TE.

100. [ITA – 2010] Considere uma espira retangular de lados 3a e a, respectivamente, em que circula uma corrente I,
de acordo com a figura. A espira pode girar livremente em torno do eixo z. Nas proximidades da espira há um fio
infinito, paralelo ao eixo z, que corta o plano xy no ponto x = a/2 e y = 0. Se pelo fio passa uma corrente de mesma
magnitude I, calcule o momento resultante da força magnética sobre a espira em relação ao eixo z, quando esta
encontra-se no plano yz.

JOSIELREZENDE@icloud.com - "Docendo discimus." (Sêneca)


101. [ITA – 2011] Prótons (carga e e massa mp), deuterons (carga e e massa 2md = mp) e partículas alfas (carga 2e e
massa ma = 4mp) entram em um campo magnético uniforme B perpendicular a suas velocidades, onde se
movimentam em órbitas circulares de períodos T p, Td e Ta, respectivamente. Pode-se afirmar que as razões dos
períodos Td/ Tp e Ta/ Tp são, respectivamente:
a) 1 e 1 b) 1 e 2 . c) 2 e 2. d) 2 e 2 . e) 2 e 2.

102. [ITA – 2012] Considere dois fios paralelos, muito longos e finos, dispostos horizontalmente conforme mostra a
figura. O fio de cima pesa 0,080 N/m, é percorrido por uma corrente I 1 = 20 A e se encontra dependurado por dois
cabos. O fio de baixo encontra-se preso e é percorrido por uma corrente I 2 = 40 A, em sentido oposto. Para qual
distância r indicada na figura, a tensão T nos cabos será nula?

103. [ITA – 2015] Considere as seguintes proposições sobre campos magnéticos:


I. Em um ponto P no espaço, a intensidade do campo magnético produzido por uma carga puntiforme q que se
movimenta com velocidade constante ao longo de uma reta só depende da distância entre P e a reta.
II. Ao se aproximar um ímã de uma porção de limalha de ferro, esta se movimenta porque o campo magnético do
ímã realiza trabalho sobre ela.
III. Dois fios paralelos por onde passam correntes uniformes num mesmo sentido se atraem.
Então,
a) apenas I é correta. b) apenas II é correta. c) apenas III é correta.
d) todas são corretas. e) todas são erradas.

n

B  1 xi - Be Greater Than Average!
n i=1
26