Você está na página 1de 4

O projeto e a construção de vasos de pressão envolvem uma série de cuidados especiais e

exige o conhecimento de normas e materiais adequados para cada tipo de aplicação, pois suas falhas
podem acarretar consequências catastróficas até mesmo com perda de vidas, sendo considerados
equipamentos de grande periculosidade. Podem ser de paredes finas e de paredes espessas.

De acordo com XXXX [xx], vaso de pressão pode ser analisado de uma maneira simples,
contando que tenha paredes finas. O termo paredes finas refere-se a um vaso com a relação raio
interno / espessura da parede igual ou superior a 10, ou seja R/t 10.
Quando a parede do vaso é fina pode-se considerar a distribuição de tensão pela sua
espessura como uniforme e constante para materiais isotrópicos.
Como suas paredes oferecem pouca resistência à flexão, pode-se supor que os esforços
internos que atuam em determinada parte da parede sejam tangentes à superfície do vaso (Fig.XX).
As tensões resultantes em um elemento da parede estarão contidas em um plano tangente à
superfície do vaso.

Fig. XX Suposta distribuição de tensão


em um vaso de pressão de paredes
finas.

Um elemento da parede de um vaso de pressão cilíndrico pressurizado está sempre sujeito a


tensões nas direções 1, 2, 3 (circunferencial, longitudinal e radial, respectivamente).

Fig. XX Vaso cilíndrico pressurizado


Na análise de vasos pela teoria de vasos de paredes finas, a tensão radial é considerada
desprezível porque as tensões circunferencial e longitudinal são até 10 vezes maiores que a tensão
radial.

Fig. XX Diagrama de corpo livre para determinar a tensão longitudinal

Através do equilíbrio de forças na direção longitudinal, a tensão atuante é definida pela


equação abaixo:
𝑃𝑟
2=
2𝑡
Fig. XX Diagrama de corpo livre para determinar a tensão circunferencial em um vaso de pressão
cilíndrico

Através do equilíbrio de forças na direção circunferencial, a tensão atuante é definida pela equação
abaixo:
𝑃𝑟
1=
𝑡
Escopo do projeto
O vaso será dimensionado de acordo com a norma ASME section VIII, Division 1, 2010
Edition.

As dimensões principais do vaso são as seguintes:


Diâmetro interno : 1.200 mm.
Comprimento Cilíndrico : 2.250 mm.
Comprimento do costado : 2.200 mm.
Comprimento da parte reta dos tampos : 25 mm.
Tampos : Semi-Elíptico 2:1 – r/D=0,17 L/D=0,90

Pressão e Temperatura de projeto


Pressão de projeto : 1,1 MPa.
Temperatura de projeto : 150 °C.
Temperatura mínima de projeto : -29 °C.

Espessura mínima – condições operacionais


De acordo com a alínea UG-16(b)(4), a espessura mínima do costado e dos tampos dos
vasos utilizados em serviços de ar comprimido deve ser igual a 2,50 mm. Esta espessura mínima
não considera nenhuma sobre-espessura para corrosão.