Você está na página 1de 3

pontuação

A PONTUAÇÃ
PONTUAÇÃO
O NA CONSTRUÇÃO
CONSTR O DO TEXTO

Leia este texto, de Moacyr Scliar, atentando para sua pontuação:

AI, GRAMÁTICA, AI, VIDA.


[...]
IINFÂNCIA: A PERMANENTE EXCLAMAÇÃO
Nasceu! É um menino! Que grande! E como chora! Claro, quem não chora não mama!
Me dá! É meu!
[...]
A PUBERDADE: A TRAVESSIA (OU O TRAVESSÃO)
[...]
— O que eu acho, Jorge — não sei se tu também achas — o que eu acho — porque a
gente sempre acha muitas coisas — o que eu acho — não sei — tu és irmão dela — mas o que
eu estive pensando — pode ser bobagem — mas será que não é de a gente falar — não, de eu
falar com a Alice —
— Alice tu sabes — tu me conheces — a gente se dá — a gente conversa — tudo isto Alice — tanto tempo
— eu queria te dizer Alice — é difícil — a gente — eu não sei falar direito.
JUVENTUDE — A INTERROGAÇÃO
Mas quem é que eu sou afinal? E o que é que eu quero? E o que é que vai ser de mim?
E Deus, existe? E Deus cuida da gente? E o anjo da guarda, existe? E o diabo? E por que é que a gente
se sente tão mal?
[...]
Mas por que é que tem pobres e ricos? Por que é que uns têm tudo e outros não têm nada? Por que é que
uns têm auto e outros andam a pé? Por que é que uns vão viajar e outros ficam trabalhando?
AS PAUSAS RECEOSAS (RECEOSAS, VÍRGULA, CAUTELOSAS) DO JOVEM ADULTO
Estamos, meus colegas, todos nós, hoje, aqui, nesta festa de formatura, nesta festa, que, meus
colegas, é não só nossa, colegas, mas também, colegas, de nossos pais, de nossos irmãos, de nossas
noivas, enfim, de todos quantos, nas jornadas, penosas embora, mas confiantes sempre, nos acom-
panharam, estamos, colegas, cônscios de nosso dever, para com a família, para com a comunida-
de, para com esta Faculdade, tão jovem, tão batalhadora, mas ao mesmo tempo tão, colegas, tão.
[...]
O HOMEM MADURO. NO PONTO.
Uma cambada de ladrões. Têm de matar.
Matar. Pena de morte.
O Jorge também. Cunhado também. Tem de matar. Esquadrão da morte. E ponto final.
No meu filho mando eu. E filho meu estuda o que eu quero. Sai com quem eu quero.
Lê o que eu quero. Freqüenta os clubes que eu mando.
Tu ouviste bem, Alice. Não quero discutir mais este assunto. E ponto final.
(UM PARÊNTESE)
(Está bem, Luana, eu pago, só não faz escândalo)
O FINAL... RETICENTE...
Sim, o tempo passou... E eu estou feliz... Foi uma vida bem vivida, esta... Aprendi tanta coisa...
Mas das coisas que aprendi... A que mais me dá alegria... É que hoje eu sei tudo... Sobre pontuação...
(Minha mãe não dorme enquanto eu não chegar e cauteloso: cuidadoso, o que age com prudência.
outras crônicas. Porto Alegre: L&PM, 1995. p. 88-91.)
cônscio: consciente.

424

PL-Miolo Gramática 7ª-Aluno 424 8/8/06, 3:36 PM


1. O narrador-personagem associa as fases da vida a sete sinais de pontuação e, por meio deles, narra
a sua história. Na 1ª parte, a infância é associada ao sinal de exclamação. De quem são as falas e o
que a exclamação expressa:
De um adulto: do pai ou da mãe do
a) no 1º parágrafo? bebê que nasceu. Expressa a ale- b) no 2º parágrafo? Quem fala nesse parágrafo é a criança. O ponto de exclama-
ção, nesse caso, sugere a convicção com que fala “É meu!”.
gria pelo nascimento.

2. Na 2ª parte do texto, o narrador associa a adolescência ao travessão, fazendo um trocadilho entre


travessão e travessia. A que tipo de travessia se refere o narrador? Àadolescência.
travessia da infância para a fase adulta, ou seja, à

3. Ainda na 2ª parte do texto, o protagonista conversa com um amigo (Jorge) e sua irmã (Alice).
a) De que assunto ele quer tratar com essas pessoas? De assuntos sentimentais.
b) O que o emprego constante do travessão sugere quanto ao estado emocional do protagonista?
Que ele está inseguro, não consegue se expressar com clareza e desvia o assunto central a todo instante.

4. A 3ª parte, a da juventude, é associada ao ponto de interrogação. Qual é a relação entre esse sinal de
pontuação e essa fase da vida? Essa é a fase dos questionamentos, do desejo de mudar o mundo e a si mesmo.

5. Na 4ª parte, o protagonista é um jovem adulto, que está terminando a faculdade. O narrador associa
essa fase à vírgula.
a) Observe o emprego da palavra vírgula no título dessa parte. Indique uma palavra ou expressão
que tenha um sentido aproximado da palavra vírgula nesse contexto.isto é, nada, ou / Equivale a dizer: “receosas
nada, cautelosas”.
b) Qual a intenção do narrador ao empregar a palavra vírgula nesse contexto? Corrigir o que foi dito antes.
c) No título, o narrador faz um trocadilho, chamando as vírgulas de “pausas receosas” e depois corrigin-
do para “pausas cautelosas” do jovem adulto. Considerando a fase em que se encontra esse jovem —
de fim dos estudos e de iniciação profissional —, por que considera essa fase “cautelosa”?
Porque, nessa fase, o jovem se preocupa com o futuro, com sua imagem, e, por isso, fala com cautela.

6. Na 5ª parte, a maturidade do protagonista é associada ao ponto final.


O título sugere que todas as fases anteriores conduziam ao amadurecimento em que o protagonista agora se encontra, isto é, ele está “no ponto”.
a) Explique a ambigüidade, isto é, o duplo sentido da frase “No ponto”, do título dessa parte.
b) Observe a forma como a protagonista expressa suas opiniões e como se posiciona diante do que acha
certo ou errado. Que relação há entre ele dizer “E ponto final” e seu modo de ser na maturidade?
c) Os nomes de Alice e Jorge, já mencionados na 2ª parte da vida do protagonista, reaparecem na 5ª
parte. Qual é o provável parentesco existente entre o protagonista e essas outras personagens?
Alice é sua esposa, e Jorge, seu cunhado. 6. b) Ele agora tem opiniões firmes, acabadas e não admite contestação. Ao dizer “E ponto
final”, ele expressa a idéia de: “Já disse e FIM!”.
7. Como você sabe, uma das funções dos parênteses é indicar uma espécie de desvio do texto central
ou o acréscimo de uma informação acessória. Na 6ª parte, esse sinal de pontuação é usado em uma
conversa do protagonista com Luana. Resposta pessoal. Sugestão: Luana pode ser a sua filha e, diante de um possível escândalo dela, ele
se submete à sua vontade; outra possibilidade é Luana ser um caso extraconjugal do protagonista.
a) Levante hipóteses: Que tipo de relação você acha que existe entre eles?
b) O que o emprego dos parênteses sugere?
Resposta pessoal. Sugestões: Considerando-se a 1ª hipótese, sugere que o pai esteja falando baixo, sem querer chamar a atenção; considerando-se a 2ª hipótese,
dá a idéia de um fato escondido, que é preciso ocultar e que não participa da história principal.

8. O narrador intitula a última parte de “O final... reticente...”. Como você sabe, as reticências podem ter
diferentes papéis e sentidos. Veja alguns deles:
• indicar que o sentido vai além do que foi expresso;
• indicar suspensão do pensamento, reflexões;
• indicar dúvida, hesitação;
• permitir que o leitor, usando a imaginação, dê continuidade ao texto.
Na sua opinião, qual ou quais dos itens acima traduzem melhor a intenção do narrador ao associar
essa fase da vida a esse sinal de pontuação? Resposta pessoal. Todos esses itens são possíveis.

425

PL-Miolo Gramática 7ª-Aluno 425 8/8/06, 3:36 PM