Você está na página 1de 70

&:>li

Da

CC>~BClOÃC>

P~o~~&~t:B

COLLECÇÃO

DE PROBLEMAS

OE

;J

Seguida de algumas notas relalivas aos polygonos regulares

ESCOL'fi

NORM'fiL,

COLLEGIO

PEDRO

li,

COLLEGIÔ MIL!Tf'iR,

SUPERIOR

De COMMERCIO,

POR

eTC.

Antonio Ferreira de Abreu

cOfficier de l'lnstruction Publiquei

Ferreira de Abreu cOfficier de l'lnstruction Publiquei RIO DE JANEIRO ' Livraria, Pa pelaria e

RIO DE JANEIRO

'

Livraria,

Pa pelaria

e ·Lltho-Typographia

Pimenta de Mello & C. -

R'ua Sachet, 34

1924

RIO DE JANEIRO ' Livraria, Pa pelaria e ·Lltho-Typographia Pimenta de Mello & C. - R'ua
RIO DE JANEIRO ' Livraria, Pa pelaria e ·Lltho-Typographia Pimenta de Mello & C. - R'ua
Problemas dados em prova escripta na Escola Normal .1. Dem onstrar que o quadrilatero, cujas
Problemas dados em prova escripta na Escola Normal .1. Dem onstrar que o quadrilatero, cujas

Problemas dados em prova escripta na Escola Normal

.1.

Dem onstrar que o quadrilatero, cujas dia-

paralle logrammo.

~011:1~5 cortam-se ao

meio, é um

2. Demo nstrar que a recta que

une o vertice dos lados do

d' um angul o a um p onto equidistante

an~tilo dad o, é a bissectriz do referido angu l o.

3. Quantos lad os tem o po l ygono cujas diago-

naes ·c1istinctas são em n umero de 9?

4.

O

paral l elogrammo, c ujas diago naes

ortllogonaes, é um losango,

são

5. _ Quanto vale a somma dos ang ulos i nte rn os

d' um p olygo no de 23 lados?

ortllogonaes, é um losango, são 5. _ Quanto vale a somma dos ang ulos i nte
-8- éada ~~g~lop~ly~ono fosse regular, quanto valeria nos d um Q~anto tnangulo vale equilatero a
-8- éada ~~g~lop~ly~ono fosse regular, quanto valeria nos d um Q~anto tnangulo vale equilatero a

-8-

-8- éada ~~g~lop~ly~ono fosse regular, quanto valeria nos d um Q~anto tnangulo vale equilatero a sonima

éada ~~g~lop~ly~onofosse

regular,

quanto

valeria

nos d um Q~anto tnangulo vale equilatero a sonima ? dos

angulos exter-

-

7.

Demonstrar que

é

uaes,

0

d1agonqes . são ig

para lelogrammo, cujas

1

um rectangulo:

traçar 8.

· lados?

Quantas

tod

podemos

os os vertices d'um polygono de t 7

ct·

iago~aes

por

distinctas

vale _!_ 9. d

~

a

No triangulo .

o angulo A

i

1

- isoce es

( se

n

d

o

ABC a

este

'

angulo

para

B

compre-

cal-

hendido entre os lados

cular o valor do angulogX~es).

angul9

Pede-se

t

10.

Quanto vale cad·

ª angulo central do pen-

agono regular.

1t.

Quanto vale

.

decagono regular.

--

d ca ª angulo interno do do-

.

12. Dois

angulos

interiores

d' um. triangulo

.

r e s d ' u m . t r i a n g u l
r e s d ' u m . t r i a n g u l

-9

valem respectivamente 34° e 54º;

do angulo externo que corresponde ao terceiro an-

gulo interno.

pede-se o. valor.

13. Quantas diagonaes

podem ser

traçadas

por cada

um

dos

vertices d ' um polygono de 59

lados.

14. Quanto mede o angulo formado por uma·

corda e o prolongamento d'uma outra corda, que passa por uma das extremidades da primeira, sa- bendo-se que o arco comprehendido entre as duas

cordas é

15.

de 81 ° 25' 10,"1.

O arco comprehendido

entre

os pontos

de contacto de duas tangentes a uma circumferencia . vale 210º 31' 7," 2. Pede-se para calcular o angulo

formado pelas duas tangentes.

medida do angulo. formado por

duas cordas, sabendo-se que os arcos comprehen- didos entre seus lados e seus lados prolongados são de 111º 47' 2,"1 e 64° 29' 3,"5 respectivament_e.

16.

Qual

é

a

17. Os pontos de CO!ltacto de duas tangentes

a uma circumferencia são separados por um arco de

16. Qual é a 17. Os pontos de CO!ltacto de duas tangentes a uma circumferencia são
16. Qual é a 17. Os pontos de CO!ltacto de duas tangentes a uma circumferencia são
16. Qual é a 17. Os pontos de CO!ltacto de duas tangentes a uma circumferencia são
- 10 - rmmar . tan ge ntes . 180º. Pede-se para dete o a

-

10

-

rmmar .

tan gentes.

180º.

Pede-se para dete

o a ngu lo

da·s

duas

l8.

Quanto vale

tangentes a uma c1' rc

do

o-se que um

tacto é de 72º 27' 4", 1.os entre os pontos de con-

por duas

fo · ang~1lo formado

d

en

s

arcos com pr ehe ndid um erenc1a

',

s

a

b

<

19.

Qual

é

o

valor d

u_ma tangente e uma secanteº. angulo formado por

eia, sabendo-se que os arcos a mesma circumferen-

o ponto de co ntacto da ta, comp rehendid os en tre

pontos de encon tro da seca1~g~nte e

,

um dos

valem re s pectivamente 570 2tel' com 21º a circu 17' 3," mferencia l.

cada

e

20.

Rectifica 11~ 2 °.arc o de 90º d' u 111a circu mfe-

,

5

Rectificar'

0

rai o. arco de 30 gráo

.

s,

d

·

a ctrcum- .

rencia de raio =

21.

ferencia de t'o!n de

22. Calcular o a

'. ngulo fo r mado

,

3.

·

gentes á mes ma circ

po1 duas tan-

tacto é de 124p30' ~n.~1dosentre osendo-se que um

dos arcos com reh u1~ferencia,sab

.

pontos de con- .

um dos arcos com reh u1~ferencia, sab . pontos de con- . - l 1 23.

- l 1

23. Rectificar o arco de 49º 25', d a circumfe-

rencia de raio 12"'.

arco cumferencia de 15 111 de raio.

24.

Rectificar o

de 53º 31'

14" da

cir-

25. Ped e-se para rectificar o arco comprehen-

dido entre os lados do angulo de 42º inscripto n'um

circulo de 7"' de rai o.

26. P ede-se para rectificar a circumferencia

cujo diametro é igual ao lado do quadrad·o de peri-

metro 60'r"

27 .

Quanto va le o angulo

fort!lado po r uma

tangente e uma corda que passe pelo ponto de contacto, sabendo-se que o arco comprehendido

vale 58º

37'

12 ," l.

28. Calcular o angulo formado por duas tan-

gentes, sabendo-se que um dos arcos comprehendi- dos entre os pontos de cont acto vale 27 º 43' 15,"3.

29. N'um quadri\atero inscripto n'um circulo,

a somma de dois angulos oppostos vale 2 rectos. pede-se a somma dos dois outros angulos oppostos;

regu1ª

-

12

-

- Quanto vale cada angulo d' um pe11tago110

31.

"Quanto vale a somma d

'

e

nos do icosagono regula r

d'elles.

os angu los inter- quanto vale cada um

32 ·

N'um

triangulo

t

, e sua nusa = Sm, pede-se

um catheto = 9

p

~ec ~ngulo, conhecendo

ro1ecçao sobre a

h

.

outro catheto e a alt~:;~docatl~ulara .hypoten~~~te~

nangulo.

'

33 ·

N'um triao

1

.

= 12"1, e um catheto ~~,·~onhecendo a hypotenusa

outro catheto e a altu

u 1 ar o

d' o 1, tnangul ~ede-se pará cale

o.

ra

34

rallela

·

KV=3 ma

N'

-

B C. um Sabendo-se triangulo

ABC u

, traça-se

KV,

' pede-se para calcul~r ~~~ = 9m, BC =

·

pa-

5111 e

--

35.

Seja BC um t .

parallela a

nangulo ABC

, lhan ça dos t

KV vale t0m

Sabendo-se que 'a e u~a

A

s

recta KV

e seme- '

que

e

nangulo d

' pe . e-se para calcular BC~ 9

razao d

5

BC e AKV é d

pe . e-se para calcular BC~ 9 razao d 5 BC e AKV é d 13

13

36. Qual o valor da

de raio , rectificad a ?

cirtumferencia de

2"1,5

37.

de lado

Calcular a altura do = 5 111 ,2.

triangulo equilatero

38. Càlculaí o perímetro do hexagono

regu-

lar inscripto n'um circul o de raio igual á diagonal_

do quadra:!o de 5 111 de lado.

39. Calcular o lado do triangulo equilatero

cuja altura mede 6 01

40. Calcular o lado do quadrado, cuja diago-

nal é

igual ao lado do triangulo equ il atero inscripto

n'um

circulo de raio = 2 01

41. Rectificar

a

circumferencia cujo raio

é

igual á diagonal do quadrado de 9 111 de lado.

42. Seja um triangulo ABC; prolongo os

lados BA e CA além do vertico A, e traço KV, pa- rallela a BC, tal que AV, no prolongamento de BA, além do vertice, seja igual a 2 01 Sabendo-se que AB - 7m e que BC = 4 01 , pede-se para calcular KV.

19 metrica entre duas rectas de 12 0 1 e 4 1 1 1 ,
19 metrica entre duas rectas de 12 0 1 e 4 1 1 1 ,

19

metrica entre duas rectas de 12 01 e 4 111 , mente.

1

76. Calcular a

arco

igual a 5 111

-

°

14

.

·

-

43.

rectJficada

de altura 50 111 •

Calcular

1

respectiva-

.

é

ig

'ª'º

ao lado

da ci1:cu111ferencia, qu e,

tnangulo equilat e ro

do

ua

area do sector circular cujo

corresponde ao lado do quadrado de diagonal

. perrmetro vale 30"'

Calcular

·

44.

0

apothema

do

hexagono

cuj o

·

45.

do

t

Calcular

ª

rrangulo eq -

do

~

.

a

refendo

rertangulo s b

tura

projecção

vale lrn

·

endo-se que 1 YPotenusa um

1

1

ti

ca

3111

0

b

re

d'

77. Qual a area do circulo cujo raio é igual á

de area 50"' 2 , e de altura

tnangulo

a · a 1 -

a

hypotenusa

.

1

1eto é igu

d

um

base média d'um trapezio

12111.

u1 atero de

catheto s

a e lado, e que

a

4

6.

Calcul

78

Calcular

o raio do circulo equivalente

á

somma

das areas

de dois outros circulos

de raios

respectivamente

iguaes

ao

apothema do

triangulo

equilatero de area 4 1112 e ao apothema do hexagono

de perímetro 6 111

79. Calcular a area do segmento circular cuja

corda é o lado do triangulo equilatero de altura 5m •

apothema é i

nal 6"'

·

ar 0

perimetro d

do

gual ao lado

--

0

hexagono cujo

d' rago"

quadrado de

47.

CalcuJ

tero, cuja altura ar º1 perimetro do

va e

IOm.

48

cu1a . altura · é 5 111 de lado.

.

Calcular

--

o lado

do

t

.

ao

49 ·

quadrado de 1 car d' a

"

Rect1·r·

--

·

c1rcumfe

iagona1 .

renc1a

.

1 gua1 a 7"'.

-- · c1rcumfe iagona1 . renc1a . 1 gua1 a 7"'. triangulo equila- •guaJ á diagonal

triangulo equila-

•guaJ á diagonal ~~nguJo equilatero,

urn quadrado de

base

média é igual ao diametro do circulo de 6 1112 de area

e cuja altura é igual ao arco de 16°, rectificado, de

uma circumferencia de 2 111 de diametro.

80.

Calcular

a

area do

trapezio

cuja

ci rcu mscri pta

\

rectificado, de uma circumferencia de 2 1 1 1 de diametro. 80. Calcular a area do
rectificado, de uma circumferencia de 2 1 1 1 de diametro. 80. Calcular a area do
- 20 - 21 - a altura do média é 12m , e cu ja
- 20 - 21 - a altura do média é 12m , e cu ja

-

20

-

21 -

a altura do

média é 12m , e cu ja area é 80

81.

Calcular

trapezio

1112 •

cuja

base

Conhecemos a formula que sector circular

Basta

onhecido, é

.

s =

n:rc r~

360

o

ca cu igual a 5.

1

la r

valor de

nos dá a

area do

82. Calcular a area do circulo, cujo diametr.o

do rectangulo de lad os respecti-

é vamente igual á iguaes diagonal a

6 111

e 4m .

83.

A area d'um trapezio é de

111

.

; pede-se

60 111 2, sua

al-

rz,

po1 .

·s

que .

r

é

tura

é de 5

para calcular a base

média . ·

ao lado do tn~ngulo

circumferenc1a,

ou

c

equilatero

seja 120º; logo

O arco qu e corresponded

,

e

a

t er

ça

parte

a

84. Calcular a area do quadrado inscripto na

,25.
111

circumferencia, que, rectificada, mede 3

120X 3, t 4X 25= 251112, 16.

360

S=

85. Calcular os ladós e as alturas do triangulo

em que a hypotenusa fica dividida pela altura cor-

respondente em segmentos que

mente

medem respectiva-

12 111 e 5m .

1

area triangulo do

1

88.

á

Calc11 ar

altura

do

a

circu eqmlatero ?

.

cujo diametro de area

é igual

1 O m"

86. Cal~ulara ·area do quadrado circumscri-

~~.2~.uma c1rcumferencia que, rectificada, mede

-. A areado circulo, em

funcção do diametro, é

d2

n4

dada pela formula

87

d

d ~~cular a area do sector circular o raio

correspondendo ao l~do do

s =

s ~n ° 1 e

t

nangu o equ1 atero.

•. 1 e o arco

na qual d e • . igua ·

-area

10 ~

1

á altura do tnangu 1 o equilatero de

r

equ1 atero. •. 1 e o arco na qual d e • . igua · -area
equ1 atero. •. 1 e o arco na qual d e • . igua · -area
equ1 atero. •. 1 e o arco na qual d e • . igua · -area
- 22 - / Vamos calcular o lado de s te tri a ng ul
- 22 - / Vamos calcular o lado de s te tri a ng ul

-

22

-

/

Vamos calcular o lado de s te tri a ng ul o

a 2

s =4

V T

"

a-= -

.

4

s =

1/ 3

a=4,8

4

O lado sendo 4 ' 8

'

4,8 = rVT

10

3

v3

= 23,06

.

o raio será

e a altura

4,8

r =-

v3

.

= 2,77

11 =

3

2

r :::: ~

2

A area procurada do

d2

.

- s=-;-=~ 4

= 4,155

circulo . ser .

a

:::::: J3 m2

-

'!:>

2

- 23

-

89 .

Ca lcul a r a base do

ig u al

t ri a ngu lo cuja

á

a rea

diagona l d o qua -

é

d

d e 49111~, e c u ja a l tura é

rado de area 20 111 1

Sab e mos q ue a a rea do tr ia ng ul o, em geral, é

• S ab e mos q ue a a rea do tr ia ng ul o,

d 'a hi ded uzimos

25

h

a

=

Ora,

S

é con hecido, é igual a

49.

Res ta ca lcu la r h.

A d ia go n a l ci o qu adrado va le

lado X VT

e o lado do quadrado de area 20 1112 , s endo

V2o =

4,4

h. A d ia go n a l ci o qu adrado va le lado X
· - 24 - termos que odiagonal vale ist o ~. h . Logo 4

·

-

24

-

termos que odiagonal vale

ist o ~. h .

Logo

4 AXv2 =

6,23 .

Base a -

-

2X 49

UJ ::::: 15,111 7.

·.

9 0.

Calcular

--

cnpto no circuJ

dobro do cos

a ~rea do

I m

'

0 do raio

eno de 60º.

logo

s b

ª

--

emos que cos 60 º - -

·

sen 30º ::::: ~

2

poJ

~gono reg ul ar in s- CUJO lado é igual ao

e

sen 30º e

= 2

2 sen 30º _

hexagon o.

- ' corda arco

60 º:::::

O nosso p

b

a area do hoxa~~n~en1aconsiste

l, é

.

o lado

do

O perimetro é 6 ~e~ular do ia~~ 1 ~·me111 calcular

é 6 ~e~ular do ia~~ 1 ~·me111 calcular - 25 - O apothema é 3 4
é 6 ~e~ular do ia~~ 1 ~·me111 calcular - 25 - O apothema é 3 4

-

25

-

O apothema é

3

4

do ia~~ 1 ~·me111 calcular - 25 - O apothema é 3 4 Logo , a

Logo , a area do nosso hexagono será

- O apothema é 3 4 Logo , a area do nosso hexagono será ao -
ao
ao

-

3/( 1, 73 -

-

S

- 2

2"',595

91. Calcular o raio

cujo

do circ ul o circumscript o

igua l á

altu ra d'um

a um quadrado,

tri angu lo equilatero de cathetos 5"' e 8 111 respecti-

vamente.

lado é

92.

Ca lcula r a a rea do polygono reg ular ins-

1 111

,

e

cuj o lad o

é

cripto no circulo de

dobro do seno de 60°.

igual

Sabemos que sen 60º _ corda arco 120 2 ; :--- = ! . -

Sabemos que

sen 60º _

corda arco 120

2

;

:--- = !

.

-

]_

2

2

sen

60º= 1 ; 3

era.

a

a rea

do

t

. na11 g 11l o

que

a

27

-

-

tnedia é igua l á diagonal do quadrado de 16 m2 de a rea, e cuj a altu ra é igual ao lado do hexagano de apothema 3 111

95. Calcular a area da corôa cirqilar, saben-

e

do-se

que o maior d'elles é igual

recta ngu lo de cat hetos 3 111 e 15 111 respectivamente.

differença

eh tr e

á

os

altura

rai os é d e

zm , e

do triangulo ·

é o lado do triangulo . equilat

ois, ·

equilatero de l ado

Temos

.

'

p

d

e ca lcul a r

-v-

'

3

.

Pe ri p1etro = 3 v'T.

Apothema =

1

2

96. Calcular a area

do polygono regular in s- l, sabe nd o-se que o lado

cripto no circulo de raio

é igual ao dobro do seno de. 45°.

97 .

Calcular a area

do

trapezio,

cuja

cuja

base

al-

media é igua l ao dobro do seno de 60°, e

tura é igual ao seno de 30°.

logo,

no

2-

S=~3

1

X 2

= 3v'3

4-

::::::: l 111 ,

27.

. 93.

Calcular a d'--:-

circulo do raio 3111 iago nal do quad1·ad

·

o . 111scripto .

94.

Calcular a

--

area .do

trapezio cuja base

98. Calcular a area

i g ual á tan gente 4~º·

do

ci rcu lo,

cujo raio

99. Calcular o raio

do

circulo inscripto

quadrado

cujo lado é igua l ao seno de 60°.

é

no

100. Calcular a area da

corôa circular, em

dobro do seno

que os raios são respectivamente o

de 60º e a ta ngen te de 45°.

Calcular a area da corôa circular, em dobro do seno que os raios são respectivamente o
-=-- 28 - tút. A area d' os seus lados es t ão na u;n

-=-- 28

-

tút.

A area

d'

os seus lados es t ão na u;n

para ca lcular estes lados~zao d e 2 p ara

~ectan g ulo é de 250 m 2

5;

pede-~e

--

s

=

250

notando que

a

2

-b =-

5

e que

s .::::::: .ª X b

b-~ - 2

temos, substituindo

logo

s

=a x

5a

2:::::

5a 2

2

:::::250

a2::::

~

5

a-:::::: 10

::::::: 100

e

-

29

-

De modo ana logo, ac ham os:

S

a ::::.

2b

5

=

b X

b " -

b = .25

2b

5

5X 25ü

2

2b~

5

= 625

= 250

Logo, os lados procurados são

a =

b =

10

25

Com effeito,

s = a X b = 1o X

25 = 250.

102.

mede 5"' .

Calc ula r

a

area

do

cubo

cuja

aresta

103. Calcular a dia go nal

que

e

5"' .

as

do paralle\epipedo

arestas mede m respectiva-

rectangulo em mente 3"' , 4"'

- 30 - mede I~!·. Calcular a diagonal do cubo cuja a resta · 105.

-

30

-

mede I~!·. Calcular a diagonal do cubo cuja a resta

·

105.

igual ao

altura.

Calcular a are

la do

do tria

ª

1

d

° c.ubo cuja

ele

ngu o equilatero

aresta é

5111

de

med

é

de

106.

107'.

3

e m •

--

Calcula r 0 voJu me do cubo d e ar esta 7 -

-

Calcular o volum

e do cubo cuja diagonal

108. Cal

124 rn:i

1

--

cu ar a dia go

· na

1d

0 cu bo cujo volum e

109. Cal

u

o

1

recto e111

tura é igu~Iea ª area d a bas e ~ paralle l epipedo

area 2 0 "'~.

. iangu lo equ ilatero de

apothema do tr· e e 35 m2, e cuja a i -

--

vo lum

cu ar

o

a

b

110

·.

Calcular

--

.

c

. as e e

um tria

o Volume

do

. UJa altu ra é igual ngulo equi lat Pnsma

rccto em qu e

IH.

ao lado da b ero ase

de

a rea

C

--

alcular a area lateral do prisma

.

3

m 2

'

e

recto

a l a t e r a l do prisma . 3 m 2 ' e

-

31

-

quadrangular em q ue a area de cad a face latera l é

equiv alent e á areado

circulo de 2 111

de diametro.

112. Calcular o

volume do prisma recto em

q ue a bas e é o hexagano reg ul ar de ap o them a 1m,

e c uj a

area 50 111

altura é ig ua l ao dia metro do circulo de

113. Ca l c ul a r a a r eada base do prisma r e cto ·

de volume 60 m:•. sabe ndo-se que a altu ra é igua l á

di ago nal do recta ngul o de lados ig u;. es a 3 111

respect iv a mente.

e

4 01

114.

Ca lcu la r

o volume

d o

paralle lep ipedo

cuja area da base é equiva lente ao circ ulo

altura é o

tri angu lo equilatero de lado 2 111

de

3 111

,

e cuja

raio

do circulo

insc ripto

raio .

no

 

115.

Cal c ul ar

o

volume da pyra mide

re g ular

cuj a

area da

base

é

de

40 111 ~, e cuja

altura é igual

á diagonal do

quadrado de area 36 111

prisma recto

da base é

igual á diagonal do quadrado de area 6 m\ e cuja

qu adra ngu lar

116.

Calcul ar a area lateral

regula r,

em

que

do

o lado

-

32

-

- 32 - ª!tura é a altura do t . circulo do raio. 5m. nangulo equilatero

ª!tura é a altura do t . circulo do raio. 5m. nangulo equilatero in s cripto no

-

33

-

tri ang ula r , sabendo- se

2 111

e

qu e o

q ue o apothema da base vale

apothe ma da py r am ide va l e 5 111

ll7.

Calcular·

123.

Cal cu l a r

a

ar ea l a t eral

o

el e e va le

el a

p yra mi

dc i g ual que

re -

é.Í

o

d e base 24 111~

ll8.

-- e de altura volume da

0

7 111

--

a altura

1 d

da

da

pyra mid e r~gular

g ul a r tr i a ngu l ar

di ago nal d o

apoth em a d a py ra111id

em

q ue

l ado l ad os

d a base

6 111

e

9 111 ,

é

e

r ecta n gu l o

18 111

d o

para l l el epip c d o r

::c

v al em

r u> µccl i\·a-

p

ri s m a r c ct o

t r i a1 1-

é

á

diago 11al

ig ual

1112

ao

Calcula

.r

CUJ O

quadranrrular

·

::.

pyra11 'd

base

e

va fe

11

1 r

regu a

4 111

,

e

CUJO apothe111a e· d e 10 ªmº

119.

Calcula

triangu l ar c

raio

5 m

.

UJa

o

r

base

124. Ca l cula r o v

n o qual

o lume

ta n gu l o, mente 4 111

125.

g ular,

em

cu bo

e

du as

ar es tas

12 111

5 11 1,

e a

d ia go n a l

vo lume d

está

--

i

ª. pyramide regu lar

circ ul o de pyramide é

de l ado

Cal c ul ar o

q ue o

el e 53 111 3

v olum e d o

da base

i gua l á ~l~~~c nddo-s~ que a n:

·

·

um

12

º·

1

no

l ad o

ig ual a alt ura

é

~npta

ª o tnangulo equil~~a da

_

ero

r o vo lume - da

e

~o que

.

a

do

apothe111 a do tri angulo equ i latero de area 32

de vo l u 111e e

10

111

triangulo Calcula

e

vale 5 m e

hyp otenusaª f ~ºJecção d'um

_rectangulo

pyramrde cuja base

h ypo t e nu sa

126.

C al cul ar

a

superfíc i e l at eral

ar ca 56 111 '.?,

d o

pri s111a

reéto hex ago nal regular cuj o apothe ma da basl' 0

i gua l tura é·

al-

ao apo th ema . metro.

121

64 ma e d.

d~ e que a a ltur a ~ ca th etos

hexagono reg

1

li ar dn

30

e

,

alcufar a b

e altura 7 m.

--

~

ase da p yra111ide de

sobre a

ao l ado d o q uadr ado de

igu al ao

cath

e cuja

ª pyramide é igual

m de peri'

eto d o tri an g11lo re.c1a ngu l o em

111 que a h y p oten us a va le 15 111 e o
111
que
a h y p oten us a va le
15 111
e o o utro
ca lh et o
7
1
e
127. Calcul ar
da
pyram ide
triangul a r , o
lad o
o vol ume
el a b ase
de
se nd o de
3m, e. a
regu lar
alt u ra
1
1
da pyramid e se nd o
3
0.
~

vo um

122. Calcular o v;-

u111e

da pyra

íl11de . regular,

-

34

-

Calcul~r 0

vol um e do prisma recto

cuj a

~~e e um .trapez10. de base média

cact ada.ltu~: d? pnsn~a sendo igua l ao arco

12

m

e

de al t ura

rectifi-

 

0

e

4o' d um a c1rcumferencia de ra i o 2 m

t

1,2 9 ·

~a lcu.lar o vo lume do parallel ep ip edo r ec -

angu o

Cuja

dia gonal

va le

12 m,

a

diagona l

da

-

35

-

134. Calcular o volum e

do

qcté1edro

regu lar

inscripto n'uma esphera de rai o 5 111

n a l

135.

é igual

243 m::_

Calcul a r u

vol um e ci o cubo

c uj a

éÍ élrcsta do t etrae dr o r egu l a r de

dia go- vol u llle

b

ase

send o

d e 5 "1,

e

uma das arestas

da base se n-

do. de 2 111

 

136.

Cal cul ar ri

aresta

do

cu bo

equ i vale nt e

 

ao tet raedro de aresta 2 111

 

.

e

.

130.

Calcular

o

vo lum e d o cubo

i g ual ao dobro do seno

de 60º.

cuja dia gon al

137. Cal cular o vol ullle

do prisma recto

q ua-

 

d ra ngu lar, o quadrado

da

base

tendo

a

diagona l

igual

á tan ge nte de 45°, e a altura d o prisma sendo

 

131.

C alcular a superfici e lateral do prisma

igual

ao apot11e ma do triangulo equilatero do

lado

rec t o regul ar h exago n a l , sa bendo-se q ue a area da

base

a

p r i sma é igual

val e

124 111 1,

e qu e a

altur a

do

.-

5· vezes a t a n ge nt e de 4 5°.

132.

Calcular . . a ar ea total . da py :a

ase

e

· i g ual

um

e

tn ang tilo

.

111

ao cose n o de 30 0

.d

1111

1

e

scripto .

1

ar

·

reg u-

n'u

m

de 6~ o~ uja a ltur a

em q d ue a

1

b

e r ai · o

c 1rcu o

é i gua l

a 7

vezes o

do b ro do seno

133.

Cal cular

o vol

sabe ndo-se que a aresta 11

~~~ ~?.,_te traed ro r eg ul a r ,

que a aresta 1 1 ~~~ ~?.,_te traed ro r eg ul a r , 6
que a aresta 1 1 ~~~ ~?.,_te traed ro r eg ul a r , 6

6 "'.

regular

q uad rangulél r cujo v olume é equivalente ao d o c ubo

de aresta

vezes o se n o ele 30°.

12

138.

Calc u lar a

6

111 ,

e cuja

altura

da

pyra mi de

diagonal da base

é igu al

a

139. Calcular o volu me do prism a recto regu-

lar !Jexagona l, sabe ndo-se qu e o apothema da base

i g ual tu ra

é

a al-

ao lado do cubo

de diagona l 4 111 ,

e que

é

igual a 9 vezes o coseno de 30º .

- 36 - 140. Calcular a area total do tet raedro regul ar de ar

-

36

-

- 36 - 140. Calcular a area total do tet raedro regul ar de ar es

140. Calcular a area total do tet raedro regul ar

de ar es ta igua l â h ypo t enusa do tri an gulo rec~an­

gulo mente. em que os cathetos são

6

111

e

11

111

r espec t1 va -

141.

Calcu l ar a area l ateral

gu.lar triangu lar cujo lado da base tura da pyra mid e 12 111 •

da

pyramicie re -

al -

va le 3 111 ,

e a

142. Calc.Lllar o v olum e do tronco

de

prisma

tri.ang ul ar, as a r estas

e

d e are a.

se nd o r espec tiv. am e nte 6 li

1

,

o

o

Ili

.

da

base

tendo 64 111

111

11

,

e o triangulo reg ular

143. Ca lcular o volume do

al tura

de

tronco de pyra111i-

sendo

as

~e

de de bases para llelas,

i gual â diagonal

bases

do

a

do

3

111

tro nco

cubo

de ares ta,

e

de

245 111

112 "''.

do t roneo sendo respectivamente

.

111

14(

,

18

Ca l cul ar o

111

e

21 111•

vol u me do

tendo

prisma

144 111~de area. e as

i guaes a

tronc o

de

ob

arestas do

liqu o, a secção

tronco

recta

se nd o r es p ecti vamente

12

145. Calcu l ar o volume do prisma ob li q u o, sa-

e

bendo- se que

que a resta l atera l mede 20m.

a area da

secção r ect a va l e 1521112,

l mede 20m. a area da secção r ect a va l e 1521112,   -
l mede 20m. a area da secção r ect a va l e 1521112,   -
 

-

37

-

 

146. Ca lcular

o

vol ume da

esphera de

raio

2111.

 

147. Calc ular o

diametro

da

esphera de

vo-

lum e 1gua

.

1

a •

300

1113

·

148.

diagonal

(j111,

9 111

e

pl1 era.

O

do

d .

para iam l lelep i pedu

etro d'uma

15 111, pede-se

p ara

1

es p ie1 a r ec a n g.u

t

.

ca l cula r

a

sendo io ual á

lo

;:,

ª

de

arestas

es -

d

area

csphe ra,

apotl1ema

de-se para calcu lar o seu vo ume.

O

r aio

d'um a

149.

do hexagano reg

ular

1

de

sendo igua l

3111 de

lado,

ao

pe-

150. Calcular o vo1ume da esphera

n'um cubo de ares

ta

4

111

.

inscripta

c

151.

scripta a 11 111

lc ul:ir

a

o

c u bo de

vol um e ela

1

e 541113

vo u m

.

esp

hera

<

circum-

152.

de a l tura

e

Ca lculai

ra i o

de

.

.

a

7m

ar

·

ea da zôna

'

espl1erica de 2 111

d ª

153

Cal c ul ar

a

a r ea

1111 de

altura, o ra to sen

<

do 3111

.

calo ta

esph er i ca

de

r

r 38 _: area Calcular· a ,altura da zôna de som2 de   , ra10 sendo

38

_:

area

Calcular·

a ,altura

da

zôna

de

som2 de

 

,

ra10 sendo 6111.

 
 

'

\{

 

--

 

.

155.

zôna ·de

Calcula

1m de

ltr

0

raio ·

da esphera ·• em

, a

ura, tem 24m2 de area.

que

a

·

156.

0

Calcular a

circular

triz de Íom. iame ro da base sendo de

a

1 ª t era

1

t

rea

do cylindro

2m, e

a

·

recto

gera-

157.

em Calcular que a

de

circular

guio

gm.

.

equilatero

base a area é

circ total d

recto

2m de lad umscnpta a um trian- o, e a geratriz mede

0 cyhndro .

158. Calcular

0

1m, e

que

o raio

é

l59.

Calcular ·

v 1

de

601

sabendo-se que a altur~~~e

de

do

zona

sector espherico, correspondente é

~~atiz9!", sabendo~s:~~:e do cylindro n~ctode

.

riangulo ·equilatero de 2 ~ªdbase e lado.

está inscripto

·

.

I60.

Calcular

-~

trtz 7m, sabendo-se ªq:rea l~teral·do cône de

e

o raio

.

da .

b

ase mede 2m. gera-

l~teral ·do cône de e o raio . da . b ase mede 2m. gera-  
l~teral ·do cône de e o raio . da . b ase mede 2m. gera-  
 

39 -

.6 .

Calcular a area

lateral

do cône de altura

8 111, sabendo-se que o raio da base é de

1m.

162.

Cakular a area da esphera, sabendo-se

que o diametro é igual á diagonal do parallelepi- pedo rectangulo de arestas 3m, 4m e 5m, respecti-

l

vamente.

· 163

Calcular

a

area da esphera cujo

raio

é

i

igual á aresta do tetraedro regular de volume 225 111 3.

164. Calcular o raio da esphera cujo volume

é equivalente ao de um prisma de base 20 012 e de altura 5m.

l65.

Calcular

o . àiametro é a mesma

da

bendo-se que

sua area

esphera,

que a

sa-

area do

tetraedro

regular de aresta 1 ~-

r

166.

Calcular o

volume da

esphera

de

raio

igual ao seno de 3om.

167. Calct1lar a area da ·esphera inscripta no

cylindro recto de altura 5m, sabendo-se. que o dia-

metro da base vale 5m.

168.

Calcular o

volume

do

inscripto na esphera de raio 3 111

octaedro

regular

40 - l69. Calcular 0 v sabendo 0 ~ a -se gu iar regular e

40 -

l69.

Calcular 0 v

sabendo 0

~

a

-se

gu iar

regular

e qi;e

1 ume da pyramide quadran-

base

n~ede 5'",

que a diagonal da

pothema da

pyramidc mede 7'".

d =

5

Calc ul o da base :

ap. p. =

7

mede 7'". d = 5 Calc ul o da base : ap. p. = 7 5v2

5v2

a =-

2

= 3.53

S

=

ª~=

Ca lcu lo da al t

e

ura:

3 53 ·! -

'

-

. ?

L,46

1

i - =

ap .

T

-

base =

~

3

175- ·

'

::i- =

h

=

_ 3,53

-

-

2

49

6

-

,77

3

=

1 , 765

, 11 5 = 45 ssc

,

~

V -= !3_,46 + 6,77 -

3

= 281113, 11 8

- -

l70.

· 'b

a

Calcu lar

.

trian gu lar sab

. regular equ i va le nt e•gua f ao apothe111ac1~culoc 1rc u111-

qu e o apothe111a da

quadrado de 5•11ºc1hexagono

scripto

0 vo lume

da

ase endo-se que

·

é

·

ao

0

py ram1cle

·.

.

e

regul a r

raio do

PYrainide mede 6111

lado, e

r raio do PYrainide m e d e 6 1 1 1 • lado, e -

-

41

i7 I.

Calcu lar a area lat e ra l do cône , sabe n-

do

igua l á do quadrado

do

lado, e cuja geratriz é

do-se que o

hexag'ono

de

raio da

base é igual ao

area é

igual

ap othema

ao lado

regular cuja

5 111

de

quadrado

circ:imscripto <lO ci rculo no qual

a a read o

quadrado in script? vale 16'"~·

 

-

172.

Calc ul ar

o volume

do

tronco

de

pyra-

mi<le trian gu lar, sabe nd o-se que as bases do tronco são respectivameute 121 1112 e 46 1112 , e que a altura do tronco 111ede 23 111

saben-

do trian-

da

secção meridiana é igual ao lado do quad~·ado in-

gu lo equi latero

do-se que o rato da

173. Cal~ular o volume .do

de area

cylindro ,

base é igu<ll á altura

(i4 012 , e

q ue

a

diacronal

sc ri pt o no circulo de

raio

25 111

174. Calc ul ar a

area lateral do tronco de cône.

abendo-se que a projecção da recta geradora va le 2111, e que a perpendicular lr<lçada pelo meio da recta

geradora até seu encontro com o eixo vale 5 111

• Problemas dados em prova escripta no Collegio Pedro li
• Problemas dados em prova escripta no Collegio Pedro li

Problemas dados em prova escripta

no Collegio Pedro li

• Problemas dados em prova escripta no Collegio Pedro li
Problemas dados em prova escripta no Coilegio Pedro II tan o- u~ 7 5 ·

Problemas dados em prova escripta no Coilegio Pedro II

tan o- u~ 75 ·

C: alcu l a r a

ll y

catl1 e t os

p o t e nu sa d ' urn tr i a n g ul o r ec -

s ã? ig ua es respectiv~.mente

no

2

111 -,

e

<1rea

r aio do circulo

ao

ao lact o· ú

inscrip º t h ~xago 11

"'ia~~CUJOS

do

t 11 a n g ulo equilatero de

qu a l o

0 regular

o

e

de

3111 .

176

raio d'

·

A

a ltura d'um

tronco

de

cône

é

0 111 ,1; o

C . 5 Ili~.

uma bas

e

C

.

0

11

o

) pede

-

s

e o volume. '

)

e a areada o utra

e

base

177

raio do circul . Acha

-

-

r .a arca do dodecago no regular cuJO ·

0 c1rcumscripto é igu a l a O"', 2.

ig u a l

cujo raio

e

178 . Calcula .

á

d"

.

e 1

é