Você está na página 1de 14

RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Modelo OSI
Camada de Rede
Mapeamento de endereços

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Plano de aula

 Objetivos específicos: adquirir conhecimentos e desenvolver a


capacidade de compreensão em identificar os diferentes tipo de
protocolos e aplicabilidade da camada de rede.
 Tópicos abordados:
 Mapeamento de endereços;
 ARP;
 ICMP;
 Ping;
 Traceroute/Tracert.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Mapeamento de endereços

Em uma rede local há duas formas de identificar um host, por endereço


físico e por endereço lógico. O endereço IP identifica logicamente um
host e o endereço MAC identifica fisicamente um host. O endereço físico
é um endereço local, é denominado de endereço físico porque é
implementado no hardware. O MAC é um endereço físico utilizado em
rede Ethernet e utiliza 48 bits que é gravado diretamente na placa de
rede (NIC – Network Interface Card). Esses identificadores trabalham de
forma distinta. São necessários dois, pois um, o IP, trabalha na camada
de rede e o outro, MAC, trabalha na camada de enlace. A identificação
desses endereços podem ocorrer de forma dinâmica ou estática.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Mapeamento de endereços - Estático

O mapeamento estático envolve a criação de uma tabela que associa um


endereço lógico a um endereço físico. Esse mapeamento ocorre de
forma manual, onde é mapeado um endereço lógico, IP, ao seu
correspondente físico, MAC, e vice-versa.
Esse mapeamento deve ser criada e armazenada em todas as máquinas
da rede.
Problemas como troca de NIC, mudança constante de endereço físico,
como nas redes LocalTalk, prejudica a implementação da tabela, pois
precisa ser atualizado constantemente.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Mapeamento de endereços – Dinâmico com protocolo ARP

No mapeamento dinâmico, cada vez uma máquinas identifica um dos


dois endereços, lógico ou físico, ela poderá usar um protocolo auxiliar
para descobrir o outro endereço faltante.
Sempre que um host ou roteador envia um datagrama IP a outro host ou
roteador, o endereço lógico do receptor é conhecido, por DNS ou por
roteamento.
O host ou roteador envia um pacote ARP Request, essa solicitação é
enviada em broadcast, porém somente um responde com um pacote
ARP Reply

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Mapeamento de endereços – Dinâmico com protocolo ARP

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

ICMP

O protocolo IP, como comentado anteriormente, oferece serviço de


entrega best effort, que possibilita encaminhar um datagrama desde sua
origem até seu destino, porém o IP apresenta alguma deficiências, como:
falta de controle de erros e falta de mecanismos de notificação de erros,
além de não prover mecanismos que possam realizar consultas de
gerenciamento e de estado operacional de host.
O protocolo ICMP, foi desenvolvido para suprir essas deficiências e para
auxiliar o protocolo IP.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

ICMP – Notificações de erros

Uma das responsabilidades do ICMP é notificar erros ocorridos durante o


processo de roteamento de datagramas. O ICMP apenas notifica o
emissor da mensagem, ou seja, ele envia uma notificação para o host
originador da mensagem. Abaixo são listados cinco tipos de erros:

Descrição Tipo
Destino inalcançável 3
Contenção da fonte 4
Tempo esgotado 11
Problemas de parâmetros 12
Redirecionamento 5

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

ICMP – Notificações de erros

 Destino inalcançável: quando o roteador não puder mais encaminhar


um datagrama ou um host não puder entregar um datagrama.
 Contenção da fonte: quando um roteador descarta um pacote por
congestionamento.
 Tempo esgotado: quando ocorrer erros na tabela de roteamento ou
quando pacote fica em loop.
 Problema de parâmetros: quando há ambiguidade no cabeçalho de
um datagrama.
 Redirecionamento: quando um roteador precisa enviar um pacote
destinado a outra rede.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

ICMP – Consulta

Além das notificações de erros, o ICMP é capaz de auxiliar na resolução


de possíveis problemas em uma rede, isso ocorre por intermédio de
mensagens de consulta.

Descrição Tipos
Echo (request e reply) 8e0
Timestamp (request e reply) 13 e 14
Address-mask (request e reply) 17 e 18
Router solicitation and advertisement (request e reply) 10 e 9

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

ICMP – Consulta

 Echo request e echo reply: são utilizados para diagnosticar possíveis


problemas em rede. São usados para testar a conectividade entre
dois hosts.
 Timestamp request e timestamp reply: determina o tempo de ida e
volta decorrido para um datagrama IP trafegar entre duas máquinas.
 Address-mask request e address-mask reply: para relacionar a
máscara à um endereço IP.
 Router solicitation and advertisement (request e reply): para saber se
um, ou mais de um, roteador está ativo e funcionando.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Ferramentas de Debug

 Ping: é utilizado para saber se um host está ativo e respondendo.


Com esse utilitário é utilizado duas mensagens um echo request(tipo
8), por parte do emissor, e um echo reply (tipo 0), por parte do
receptor.

# ping www.google.com

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Ferramentas de Debug

 Traceroute: é utilizado para rastrear um pacote da origem até o


destino. Utiliza-se dois tipos de mensagens, tempo esgotado, quando
não consegue obter resposta do destino e, destino inalcançável,
quando não consegue chegar até o destino.

# traceroute www.google.com.br – software usado em SO Linux/unix

# tracert www.google.com.br – software usado em SO Windows

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE


RDCP1 | 13 – Modelo OSI (Camada de Rede – IPv4)

Referências

 ODOM, Wendell. CCENT/CCNA ICND1: Guia Oficial de Certificação


do Exame. 2. ed. Rio de Janeiro: Altabooks, 2008.
 ODOM, Wendell. CCNA ICND2: Guia Oficial de Certificação do
Exame. 2. ed. Rio de Janeiro: Altabooks, 2008.
 FOROUZAN, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de
Computadores. 4. ed. São Paulo: McGraw Hill – Artmed, 2008.
 ROSS, Keith W; KUROSE, James F. Redes de Computadores e a
Internet. 5. ed. São Paulo: Addison Wesley Bra, 2010.

ESCOLA SENAI SUIÇO-BRASILEIRA PAULO ERNESTO TOLLE

Você também pode gostar