Você está na página 1de 10

Aluzena Amuza

Fayol e a escola do processo administrativo: caso empresa Telelatina


(Curso de gestão de recursos humanos)

Instituto superior de ciências e educação a distância


Nampula
2018
1
i

Aluzena Amuza

Fayol e a escola do processo administrativo: caso empresa Telelatina


(Curso de gestão de recursos humanos)

Trabalho de investigação de caráter


avaliativo do curso de gestão de
recursos humanos, 1º ano da cadeira
de fundamentos da administração
lecionada por: tutor Titos Naene.

Instituto superior de ciências e educação a distância


Nampula
2018
2

Índice
Introdução ..................................................................................................................... 3

Número 1 ...................................................................................................................... 4

Número 2 ...................................................................................................................... 6

Numero 3 ...................................................................................................................... 7

Numero 4 ...................................................................................................................... 7

Conclusão...................................................................................................................... 8

Bibliografia ................................................................................................................... 9
3

Introdução

O presente trabalho tem como tema Fayol e a escola do processo da administração com o
caso Telelatina com este tema pretende-se ter como objectivo geral, resolução de
exercícios relativos funções administrativas. E como objectivo específico, um olhar
analítico do caso empresa Telelatina, seus problemas, soluções e correcção
descodificadora dos erros cometidos pela empresa.

O trabalho serviu-se como método de elaboração a recolha bibliográfica examinada


através do método hermenêutico para a sua elaboração.

Assim, como um qualquer trabalho científico da nossa instituição deve seguir


indispensavelmente a seguinte estrutura: introdução, desenvolvimento, conclusão e
referências bibliográficas, este também não foge desta regra.
4

Número 1
Os principais problemas deste caso são: planejamento, organização (proposição de
divisão de autoridade dentro da empresa) e comando ou direção.

Procuremos avaliar estes tropos incluindo a execução e controle da mudança feita pela
Telelatina:

1.1. Planejamento

Planeamento é um processo desenvolvido para o alcance de uma situação futura desejada


de um modo mais eficiente, eficaz e efectivo, com a melhor concentração de esforços e
recursos pela empresa (OLIVEIRA, 2007).

Estes conceito acima ilustra implicitamente os processos a serem seguidos para uma boa
função administrativa. Para o nosso a caso a empresa negligenciou os processos que
devem ser seguidos no planejamento para uma boa administração. E estes processos
podem ser: missão e objetivo.

a) Missão: na definição da missão deve se atender seguintes pressuposições:

Definição dos fins estratégicos da empresa: a definição de fins devera desenrolar-se


através dos processos posteriores.

Enunciação dos propósitos gerais da empresa e enunciação da intenção fundamental


da gestão global: Os funcionários para estes dois processos, a prior não chegaram ao
consenso quais deveriam ser os proposito gerais que podiam mudar a situação que a
empresa enfrentava e por conseguinte não chegaram também a definir a intenção
fundamental da gestão global.

Tradução da filosofia básica da actuação da empresa: Este processo subordina-se ao


anteriores, uma vez que não chegando a instaurar os processos anteriores, também não
poderia ser possível a definição de políticas a seguir para o desenraizamento da situação
lastimável que a empresa enfrentava.

E ponto de partida para a definição dos objetivos: E este último processo é também
subordinado aos processos anteriores, isto é, sem politicas administrativas não há
definição do ponto de partida.

b) Objetivo: quanto aos objetivos eles ignoraram os princípios a serem seguido para
o traçar os propósitos a serem atingidos.
5

A escolha dos objectivos deve seguir certos princípios. Segundo OLIVEIRA (2007),
princípios são:

Coerência horizontal: os objectivos dos órgãos situados no mesmo nível organizacional


devem estar em consonância e ser coerentes entre eles para evitar conflitos e
incompatibilidades. Os funcionários deste nosso caso não conseguiram chegar a este
princípio pois tiveram conflitos entre eles.

Coerência vertical: os objectivos de um nível organizacional devem ajudar à realização


dos objectivos do nível imediatamente superior. Os seus pontos de vistas não coadunavam
para uma coerência criativa.

Comunicação total: os objectivos globais da organização devem ser conhecidos e


compreendidos por todos os níveis hierárquicos da empresa. Neste ponto, entre eles,
ninguém compreendia a ninguém.

1.2.Organização

A organização constitui a segunda etapa do processo administrativo, depois do


planeamento. É função administrativa que se incumbe do agrupamento dos órgãos e das
actividades necessárias para atingir os objectivos da empresa. (CHIAVENATO, apud
GULLO 2016)

Quanto a organização o erro da empresa foi o de não seguir alguns dos princípios a saber:

Princípio de especialização: divisão do trabalho que provoca a especialização das


pessoas em determinadas actividades;

Princípio da paridade da autoridade e responsabilidade: correspondência entre o


volume de autoridade e de responsabilidade atribuída a cada pessoa ou órgão.

Princípio das funções de linha e de staff: definir claramente, não só a quantidade de


autoridade atribuída a cada pessoa ou órgão, mas também a natureza dessa autoridade.

1.3.Comando ou direção (execução)

Chiavenato apud Gullo (2016, p125) afirma que direcção constitui a terceira etapa do
processo administrativo, após o planeamento e a organização. A direcção é a função
administrativa que conduz e coordena o pessoal na execução das actividades planeadas e
organizadas. Neste problema a empresa ignorou um grau de influência intitulado
6

sugestão. Sugestão: colocar ou apresentar um plano, ideia ou proposta a uma pessoa ou


grupo, para que considere, pondere ou execute;

1.4.Controlo

O controlo é a quarta das funções administrativas, vindo depois do planeamento,


organização e da direcção. Tem a função de acompanhar e avaliar o que foi planificado,
organizado e dirigido para verificar desvios ou variações ocorridas e efectuar as
correcções necessárias (idem).

E dentre estas fases a empresa ignorou a as seguintes fases:

A definição de padrões: padrões são níveis de qualidade ou quantidade preestabelecidos


como orientações do desempenho. São como que unidades de medida em relação ao que
se espera das pessoas e dos Departamentos, de acordo com as suas funções.

Avaliação de desempenho: avaliação de desempenho é a comparação dos padrões com


as realizações, ou seja, no cálculo dos desvios, verificando se os níveis de tolerância foram
ou não ultrapassados.

Número 2
Plano para resolução do problema da Telelatina

Objetivos a serem alcançados

 Ganhar clientes;
 Baixar o preço de serviços para aderência da sociedade;
 Flexibilizar o tempo de prestação de serviços;
 Baixar a qualidade dos produtos para garantir a sustentabilidade e estabilidade
do capital econômico da empresa.

Formas de controlo

Eventos Semanas
01 02 03 04 05 06 07 08
1ª fase Preparação
Compra de matéria prima barata
2ª fase fabrico
Contratar mais trabalhadores
3ª fase marketing
7

Anuncio pela rádio e promoções

Organização da equipe
administracacao geral

acessoria e comunicacao acessoria juridica

sistemas de equipamentos e
recursos humanos trabalhadores transportes

Número 3
Caso duma empresa com problemas

A associação familiar comercial de sucesso (AFCDS), foi uma mini empresa que
prestava serviços de venda de produtos de primeira necessidade. A associação nos
seus primeiros momentos teve sucesso que supostamente foi pelo momento em
que os membros da empresa eram devidamente distribuídos em cargos
diversificados. Anos depois a empresa começou a enfrentar sérios problemas
internos entre os seus membro que até culminou com convocatória dos seus
membros para uma reunião que teve como agenda: como ultrapassar os tais
problemas que a empresa enfrentava. Depois da reunião dos acionistas, a empresa
acordou que a gerencia dela deveria ser feita por todos que fossem acionistas
assim como também toda função considerada boa para o desenvolvimento da
empresa para poder ultrapassar o problema. Portanto pela falta duma boa gestão
a empresa faliu.

Número 4
Síntese dos factores críticos na administração da empresa AFCDS

Dentre os factores críticos que levaram a empresa a ter insucesso foram:

 Má organização sobre tudo no que diz respeito ao Princípio de


especialização e o Princípio da paridade da autoridade e responsabilidade;
 Direcção;
 Controlo, na medida em que os acionistas todos eram controladores de
todos e também controlados, portanto supostamente pela ganancia, a
empresa faliu.
8

Conclusão
Depois de resolução dos exercícios e uma elaboração bibliográfica para fundamentar o
tema no sentido de justificar as nossas proposições de modo a deixarmos tudo esclarecido,
neste trabalho concluímos com seguinte discurso: o processo da administração é um
processo que nenhum empresário deve negligenciar ou dispensar na sua carreira
empresarial, principalmente nas funções administrativas e que uma boa carga de
conhecimento administrativo é solução dominante no processo de estabilização de
problemas relativos à gestão dos problemas do mercado.

E por um lado concluímos também que os problemas que a empresa Telelatina enfrentava
estavam relativos a questão das funções administrativas daí que urgia a necessidade de se
reformar a metodologia a qual seguiam na administração da empresa para que pudessem
ultrapassar os insucessos que ultimamente a empresa passava.
9

Bibliografia
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rouboça. Planejamento estratégico: conceitos metodologia
pratica. 23ª edição, editora Atlas, São Paulo, 2007.

GULLO, José. Administração quem estuda ensina e pratica. 1ª edição, editora Bom dia,
São Paulo, 2016.