Você está na página 1de 21

MANUAL DE

INSTRUÇÕES

CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM


DE CIRCUITO FECHADO

NW200HPSF

MB-376

Rev. 00 Mar/08

IMPORTANTE
Siga as recomendações dadas no manual de
segurança M-324
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 1/2

ÍNDICE pág.

1. INTRODUÇÃO................................................................................................. 1

2. DETALHES CONSTRUTIVOS ........................................................................ 1

3. FLUXOGRAMA DA PLANTA .......................................................................... 3

4. DADOS TÉCNICOS......................................................................................... 4

4.1 Dimensões / Peso (em funcionamento) .................................................................. 4

4.2 Potências:................................................................................................................. 4

4.3 Observações com relação à operação ................................................................... 4

5. INSTALAÇÃO.................................................................................................. 5

5.1 Local da instalação .................................................................................................. 5

5.2 Conexões entre o britador e a unidade hidráulica ................................................ 5

5.3 Cabine de Controle .................................................................................................. 8

5.4 Conexões entre o TC Centrífugo e a unidade hidráulica ...................................... 8

6. MONTAGEM DA PLANTA NO CAMPO.......................................................... 9

6.1 Montagem da plataforma da peneira ...................................................................... 9

6.2 Montagem do silo do alimentador TK 10-15......................................................... 10

6.3 Montagem do TC Centrífugo ................................................................................. 10

6.4 Montagem do acionamento da Peneira Vibratória .............................................. 10

7. PARTIDA INICIAL DAS MÁQUINAS ............................................................. 11

7.1 Pontos a serem observados antes de partir as máquinas.................................. 11

7.2 Seqüência de partida ............................................................................................. 13

7.3 Seqüência de parada ............................................................................................. 13

8. MANUTENÇÃO ............................................................................................. 13

8.1 Controle do funcionamento do conjunto ............................................................. 13


8.1.1 Controle quinzenal................................................................................................................. 15
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 2/2

8.1.2 Controle mensal..................................................................................................................... 15


8.1.3 Controle anual........................................................................................................................ 16

8.2 O sistema de lubrificação...................................................................................... 16

8.3 Instruções de operação e manutenção dos TC de produto................................ 16


8.3.1 Redutores ............................................................................................................................... 16
8.3.2 Esticamento da correia ......................................................................................................... 16
8.3.3 Tensão no esticador por parafuso........................................................................................ 17
8.3.4 Mancais .................................................................................................................................. 17
8.3.5 Roletes inclinados e paralelos.............................................................................................. 18
8.3.6 Bica de alimentação e tiras de borracha ............................................................................. 18
8.3.7 Proteções ............................................................................................................................... 18

9. INSTALAÇÃO ELÉTRICA............................................................................. 18
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 1 / 18

1. INTRODUÇÃO
Os Conjuntos Móveis de Britagem de Circuito Fechado – Linha NW – são conjuntos de
britagem completos montados sobre chassi. Destinam-se principalmente a serem
utilizados por empreiteiros de serviços públicos e pedreiras, em obras que exijam
deslocamentos constantes e prazos mínimos para montagem e instalação. Eliminam por
completo as inconveniências provocadas por montagens / desmontagens demoradas nas
transferências usuais que ocorrem em conjuntos semi-móveis.

Os equipamentos escolhidos, bem como a rebritagem em circuito fechado, garantem uma


operação flexível e permitem obter pedras classificadas que obedecem a faixas
granulométricas pré-estabelecidas.

Além disso oferecem recursos únicos: permitem retornar o material retido no 2º deck da
peneira para o cone e pode produzir até 04 produtos de material.

2. DETALHES CONSTRUTIVOS

EQUIPAMENTOS DO CONJUNTO NW200HPSF


Alimentador Vibratório TK 10-15
Rebritador Cônico HP200
Calha Vibratória VT 1707
Transportador de Correia Centrífuga TC 42" x 13000
Peneira Vibratória ES 6x14 TD

Tabela 1: Equipamentos principais do conjunto móvel.

1 4
2

3 5
Figura 1: Detalhes construtivos.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 2 / 18

As principais características dos Conjuntos Móveis de Circuito Fechado são:

1. Projeto compacto:
Dimensões reduzidas propiciam facilidade de transporte.
DIMENSÕES EM TRANSPORTE
Comprimento (mm) Altura (mm) Largura(mm)
15668 4107 2600

Tabela 2: Dimensões de cada conjunto móvel em posição de transporte.

2. Peneira Elíptica de três decks:


Trata-se de uma peneira horizontal de movimento elíptico, uma tendência mundial
em peneiras vibratórias pois este tipo de movimento ajuda a evitar o entupimento
das telas.
Permite classificar até quatro produtos em três decks, cujas áreas de
peneiramento são mostradas na tabela abaixo.
ÁREA DE PENEIRAMENTO
Largura (m / pé) Comprimento (m / pé) Área (m² / pé²)
1,5 / 5 4,9 / 16 7,4 / 80

Tabela 3: Área de peneiramento.

O último deck pode ser dividido para classificar duas faixas granulométricas
distintas (finos na 1ª metade e fração intermediária à frente).

3. Chassi e Rodeiro:
O chassi é dotado de rodeiro dois eixos, o qual possui suspensão de feixe de
molas semi-elípticas. Cada eixo é equipado com dois pares de pneus 11R22,5 –
16 lonas como padrão, podendo ser fornecido com outro tipo de pneu a pedido do
cliente. A distribuição de carga nos eixos atende à maioria das leis de transporte
rodoviário internacionais. Vem equipado com freios a ar conforme Contran 777/93,
lanternas traseiras, luzes de freio e lanternas laterais.

4. Circuito fechado:
A unidade utiliza um transportador tipo centrífugo para fechar o circuito de
rebritagem com o material retido no 1º e 2º deck da peneira.

5. Calha vibratória VT 1707:


A calha é localizada abaixo da peneira, e possui
um damper o qual possibilita o manuseio de uma
ou duas faixas granulométricas de material retido
no 3º deck. Com o damper posicionado no centro
da calha (como mostrado na “figura 2”), pode-se
manusear duas faixas distintas de material*. Já
com o damper posicionado para um dos lados, é

Figura 2: Vista da calha vibratória,


com o damper na posição central.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 3 / 18

possivel o manuseio de apenas um faixa granulométrica,e a consequente


utilização de apenas um TC de pilha.

Obs.: A mudança da posição do damper é feita abrindo-se a tampa da calha e


reposicionando-se o damper.

• Nesse caso, o terceiro deck da peneira deve utilizar telas de aberturas


diferentes e deve existir dois TC’
s de pilha para armazenamento do material.

3. FLUXOGRAMA DA PLANTA

Figura 3: Fluxograma da planta.

TK 10-15 - Alimentador vibratório TK 10-15


HP200 - Rebritador de cone HP200
S12 - Peneira vibratória ES 6x14 TD
VT10 - Calha vibratória VT 1707
BC11 - Transportador de correia centrífugo 42”x 13m
BC6 - Transportador de correia para empilhamento do produto 20”x 16m *
BC7 - Transportador de correia para empilhamento do produto 24”x 16m *
BC8 - Transportador de correia para empilhamento do produto 20”x 16m *
BC8.2 - Transportador de correia para empilhamento do produto 20”x 16m *
* Estes equipamentos são opcionais. Não fazem parte do fornecimento padrão dos
conjuntos móveis de circuito fechado.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 4 / 18

4. DADOS TÉCNICOS

4.1 Dimensões / Peso (em funcionamento)

DIMENSÕES EM OPERAÇÃO PESO


Comprimento (mm) Altura (mm) Largura(mm) ton.
15668 4860 4200 42

Tabela 4: Dimensões da planta em operação.

4.2 Potências:
POTÊNCIA NOMINAL
MÁQUINA
cv kW
TK 10-15 5 3,7
HP 200 200 150
Unidade Hidráulica 17,5 13
VT 1707 5 3,7
TC 42"x13000 20 15
ES 6x14 TD 45 33
Total: 292,5 218,4
Tabela 5: Potência das máquinas do conjunto móvel.

*Potência dos transportadores de saída (opcionais) não estão inclusas nessa tabela.

4.3 Observações com relação à operação


1. Para produzir uma única faixa de produto, por exemplo de 0-50mm, deve-se remover
este produto pela bica frontal de material retido no 2º deck. Para isto, instale uma tela
“cega”(sem aberturas) de borracha tipo tensionável no 2º deck. O transportador de
pilha de coleta para este material é fornecido com uma largura maior (24”), já
preparado para a finalidade de trabalhar com um volume maior de material.

Esta forma de operação é devido à construção compacta da peneira e projeto da


calha vibratória:

a. O espaço entre as vigas transversais do 3º deck e o fundo da peneira é


restrito. Isto inviabiliza o fluxo de material graúdo nestas áreas, pois pode
haver engaiolamento;
b. A calha vibratória sob a peneira e suas bicas foram projetadas para
trabalhar com material fino.

2. Para classificação no 1º deck acima de 40mm recomenda-se a utilização de telas


tensionáveis de borracha. O conjunto está apto para classificar materiais abaixo de
50mm. Para aberturas maiores deve-se consultar o departamento técnico da Metso
Minerals.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 5 / 18

5. INSTALAÇÃO

IMPORTANTE
Para detalhes completos da instalação dos conjuntos moveis de circuito fechado,
consulte o desenho de instalação anexo ao manual específico do cliente.

5.1 Local da instalação

Deve ser limpo e com a superfície nivelada na extensão requerida para a instalação da
unidade e dos TC’s de pilha. O solo deve ter resistência adequada para suportar o peso
da unidade, sendo que os pés de apoio podem ser escorados sobre dormentes de
madeira com resistência adequada. Não use madeiras moles como o pinho. Recomenda-
se dormentes de peroba.

IMPORTANTE
O chassi deve ser nivelado e todos os pés de apoio devem estar firmemente apoiados.
Se isto não ocorrer, a planta pode vibrar, podendo levar à quebra de componentes,
estruturas ou problemas elétricos.

Para instalações de maior permanência recomenda-se executar uma base em concreto


para apoiar o conjunto conforme as dimensões e cargas indicadas no desenho de
instalação.

5.2 Conexões entre o britador e a unidade hidráulica

1. Posicione a unidade hidráulica conforme indicado no desenho de assentamento da


planta. Certifique-se de que há espaço suficiente para drenar ou encher o tanque.

2. O retorno do óleo lubrificante do rebritador cônico para a unidade hidráulica é por


gravidade, portanto a inclinação da mangueira de retorno deve ser superior a 10% e
essa não deve apresentar sifões.
Com as mangueiras standard, fornecidas com o conjunto móvel, basta atentar-se ao
fato de a unidade hidráulica estar no mesmo nível do conjunto móvel e a mangueira
não formar sifão. Não use mangueiras mais compridas que as fornecidas com o
conjunto móvel.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 6 / 18

Figura 4: Conexão entre o britador cônico e a unidade hidráulica (mangueiras de lubrificação).

3. A planta é fornecida com mangueiras com


comprimentos já determinados. As conexões
entre a máquina e a unidade hidráulica são feitas
com engates rápidos já montados nas
mangueiras, na máquina e no tanque. Para
detalhes dessa conexão vide desenho anexo:

Detalhamento Desenho nº
das conexões 53-177640-500
Tabela 6: Detalhamento das conexões.

Figura 5: Conexões de lubrificação do


rebritador cônico.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 7 / 18

4. São fornecidas todas as mangueiras necessárias para a conexão entre a unidade


hidráulica e o rebritador cônico. Essa conexão deve ser feita conforme a “Figura 6”.

Figura 6: Indicação das conexões entre o britador e a unidade hidráulica.

IMPORTANTE
Não regule a abertura do rebritador cônico sem antes soltar as 3 travas da bica do cone.
Veja localização nas figuras abaixo.
O ajuste da abertura do britador sem a liberação dessas travas pode ocasionar danos ao
equipamento.

Figura 7: Uma das três travas da bica


MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 8 / 18

5.3 Cabine de Controle


O painel de operação tem construção própria para ficar exposto à chuva e poeira, e deve
ser instalado na frente da unidade, conforme indicado no desenho de assentamento. Os
cabos de controle devem ser conectados nas tomadas de engate rápido. Ver diagramas
de interligação na Seção do manual elétrico.

Se uma sala elétrica ou cabine for providenciada pelo cliente, ela deve ser instalada em
uma posição tal que se possa ver todas as máquinas quando estiverem funcionando.

IMPORTANTE
O chassi deve ser aterrado no ponto
indicado na carreta, próximo à entrada de
força do painel.

Figura 8: Ponto de aterramento na traseira


do conjunto.

5.4 Conexões entre o TC Centrífugo e a unidade hidráulica


Deve se conectar a unidade hidráulica ao TC Centrífugo através das mangueiras
fornecidas com o conjunto. As conexões do TC Centrífugo encontram-se abaixo do
rebritador cônico, no lado esquerdo do Chassi (Vide “Figura 9a”), e as conexões da
unidade hidráulica são mostradas na “Figura 9b”.

Figura 9a: Detalhe da conexão do TC


centrífugo, abaixo do britador cônico. Figura 9b: Detalhe da conexão para o
TC Centrífugo na unidade hidráulica.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 9 / 18

6. MONTAGEM DA PLANTA NO CAMPO

Para atender as normas de transporte rodoviário, os conjuntos móveis são transportados


com alguns equipamentos desmontados e levados separadamente.

OBSERVAÇÃO
Recomenda-se que se verifique a lista de despacho (Packing List), onde poderão ser
obtidas todas as informações a respeito de seu pedido de compra, inclusive uma lista de
todas as partes desmontadas do conjunto. Para fácil identificação, as peças são
marcadas com seu número de desenho.

6.1 Montagem da plataforma da peneira

Para montar a plataforma da peneira, siga as etapas descritas e a figura a seguir:

ü 1º passo: Desmonte o parafuso da posição 1.


ü 2º passo: Monte este mesmo parafuso na posição 2 e desmonte o parafuso da
posição 3.
ü 3º passo: Monte esse mesmo parafuso na posição 4.
ü 4º passo: Posicione e monte o guarda corpo na posição 5.

Guarda-
corpo

3 5
4
1
2
1º passo 2º passo 3º passo 4º passo

Figura 10: Esquema de montagem da plataforma da peneira.


MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 10 / 18

6.2 Montagem do silo do alimentador TK 10-15

2. Articule as guardas laterais, dianteira e


1. Retire os contra-pinos e os pinos das traseira, do silo com o auxílio de um
laterais do silo. guincho ou pá carregadeira e recoloque
os pinos e contra-pinos.

3. Articule as outras guardas laterais do 4. Instale as cunhas batendo com uma


silo com o auxílio de um guincho ou pá marreta.
carregadeira e recoloque os pinos e
contra-pinos.

6.3 Montagem do TC Centrífugo


Vide manual específico do TC Centrífugo, o MT-012, anexo.

6.4 Montagem do acionamento da Peneira Vibratória


Vide manual específico da Peneira Vibratória, o MB-355, anexo.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 11 / 18

7. PARTIDA INICIAL DAS MÁQUINAS

7.1 Pontos a serem observados antes de partir as máquinas


É importantíssimo observar os seguintes pontos antes de partir as máquinas:

ü Se nenhum parafuso se soltou no transporte, especialmente os que fixam as


máquinas. Reaperte-os;
ü Libere as travas de transporte do Alimentador, da Peneira, do Rebritador cônico e
da Calha Vibratória (essas travas são usadas somente para viagem e são
pintadas em vermelho);
ü Instale os transportadores de produto na posição junto à carreta;
ü Conecte os cabos elétricos dos motores dos transportadores de correia externos;
ü Instalar o painel de operação em frente à unidade conforme indicado no desenho
de assentamento e executar a conexão de todos os cabos, inclusive do
aterramento;
ü Instalar o painel de comando sobre o suporte, na traseira do conjunto móvel,
conforme a figura abaixo:

Figura 11: Local da instalação do painel de comando.

ü Instalar a unidade hidráulica em frente à planta e conectar todas as mangueiras


(conforme item 5.3 Conexões entre o britador e a unidade hidráulica, e item 5.6
Conexões entre o Transportador de Correia Centrífugo e a unidade hidráulica) e
cabos elétricos;
ü Levantar o TC Centrífugo e colocá-lo em posição de operação (vide manual MT-
012, anexo, para maiores detalhes);
ü Instalar o acionamento da peneira na posição de operação e instalar os eixos
cardan e suas proteções (vide manual MB-355, anexo, para maiores detalhes);
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 12 / 18

ü Instalar os roletes de retorno e os conjuntos dos rolos guia (próximos ao tambor de


retorno) do TC Centrífugo;
ü Instalar a bica da calha vibratória;
ü Instalar as escadas de acesso;
ü Articular as plataformas da peneira para a posição de operação, conforme item 6.1
Montagem da plataforma da peneira;
ü Instalar a Plataforma do TC;
ü Articular as guardas laterais do silo de alimentação para a posição de trabalho
conforme item 6.2 Montagem do Silo do alimentador TK 10-15;
ü Abaixe as pernas de suporte do chassi e erga a planta utilizando os macacos
hidráulicos fornecidos. Trave as pernas com os pinos e use a rosca da base da
perna para ajuste mais fino. Trave a base usando os três parafusos. Confira se a
planta está nivelada;
IMPORTANTE
O chassi deve ser nivelado e todas as pernas de suporte devem estar firmemente
apoiadas. Se isto não ocorrer, a planta pode vibrar, podendo levar à quebra de
componentes ou estruturas.

ü Verifique a tensão das correias V;


ü Conecte os cabos elétricos à linha de suprimento de energia;
ü Verifique se é necessário o realinhamento das correias dos transportadores de
correia;
ü Verifique a regulagem de abertura do britador, conforme a aplicação e o material
desejado;

IMPORTANTE
Não regule a abertura do rebritador cônico sem antes soltar as 3 travas da bica do cone.
Veja localização na figura abaixo.
O ajuste da abertura do britador sem a liberação dessas travas pode ocasionar danos ao
equipamento.

Figura 12: Uma das três travas da bica


MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 13 / 18

7.2 Seqüência de partida


Depois de atendidas todas as exigências do item anterior, parta as máquinas na seguinte
ordem:
1. A resistência elétrica de aquecimento do óleo do tanque de lubrificação do rebritador
cônico;
2. A bomba de lubrificação do rebritador cônico. O radiador é comandado por
termostatos;
3. O rebritador cônico;
4. Os transportadores de correia de saída dos produtos;
5. A calha vibratória VT 1707;
6. O transportador de correia centrífugo;
7. A peneira vibratória;
8. O alimentador vibratório TK 10-15.

ATENÇÃO !!!
Durante a operação é imperativo usar protetores auriculares próprios para as condições
de nível de ruído da planta, e máscara ou aparelho de respiração para evitar o risco de
silicose se houver pó de silício no ar.

7.3 Seqüência de parada


Para interromper o funcionamento das máquinas, siga a seguinte seqüência:
1. Pare o alimentador e espere até que já não reste quase nenhum material no sistema,
para só depois parar:
2. A peneira vibratória;
3. O rebritador cônico;
4. A calha vibratória VT 1707;
5. O transportador de correia centrífugo;
6. Os transportadores de saída do produto;
7. A bomba de lubrificação do rebritador cônico.

8. MANUTENÇÃO

8.1 Controle do funcionamento do conjunto


O tipo de manutenção realizado numa instalação de britagem determina, em grande
parte, a eficiência e desempenho obtidos.

Levando isso em conta, apresentamos nas páginas seguintes orientações necessárias


para uma manutenção que deveria, sempre que possível, ser de natureza preventiva.
Observe que é de extrema importância a leitura dos manuais específicos de cada uma
das máquinas para o perfeito entendimento de todos os pontos de manutenção e de
como executar essa manutenção.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 14 / 18

Controle diário
Máquina Inspeção diária
Verifique o nível do tanque de óleo.
Verifique as temperaturas de entrada do óleo e linha de dreno.
Verifique a pressão de óleo na carcaça do contraeixo.
Verifique a pressão diferencial do filtro de óleo.
Verifique a pressão da força e o nível da cavidade.
Verifique o ajuste do lado fechado.
Verifique a pressão de alívio da cavidade.
Verifique a pressão de trava.
Verifique a distribuição de alimentação.
Rebritador Verifique se a área de descarga do Britador está livre. Remova
cônico quaisquer sujeiras nos braços.
Verifique o revestimento e a cobertura do contrapeso contra desgaste.
Verifique o tempo de encosto inferior.
Verifique a rotação da cabeça.
Verifique a perda de fixação e conexões.
Verifique se há barulhos estranhos, indicações de desgaste ou forças
indevidas das partes do Britador
Quando o revestimento do Britador (Manta e revestimento do Bojo)
aproximam de seus desgastes limites, verifique a folga, quebra ou
desgastes completo dos revestimentos
Verifique o movimento do anel de ajuste.
Verifique o fluxo de óleo e a cesta do filtro
Alimentador Verifique a existência de ruídos estranhos quando em operação
TK 10-15 Verifique a temperatura dos mancais dos motovibradores.
Peneira: Verifique a existência de ruídos estranhos quando em operação
vibradores Verifique a temperatura dos mancais
Calha Verifique a existência de ruídos estranhos quando em operação
vibratória VT Verifique a temperatura dos mancais dos motovibradores.
1707

Controle semanal
Máquina Inspeção semanal
Limpe a carcaça do contraeixo e os respiros do tanque de óleo.
Verifique se há vazamentos de óleo na tubulação.
Verifique a manta e a placa de alimentação do revestimento do bojo
para rigidez e desgastes.
Engraxe as roscas do anel de ajuste com o bojo destravado para então
posteriormente engraxar o bojo travado.
Rebritador Inspecione se há cavacos de metais no filtro de óleo dentro do tanque.
cônico Verifique o movimento do anel de ajuste.
Verifique as tensões e alinhamentos das correias – “V”.
Verifique os vazamentos de óleos.
Verifique se há quebras das polias e a rigidez do eixo.
Verifique se os parafusos da placa de alimentação estão apertados.
Verifique a operação das luzes piloto na estação de controle remoto.
Verifique o desgaste da carcaça do contraeixo, proteção dos braços,
contrapeso, cabeça e carcaça principal.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 15 / 18

Alimentador Verifique se o alimentador pode mover-se livremente


TK 10-15
Verifique a fixação das telas
Peneira
Verifique se a peneira pode mover-se livremente
Vibratória
Verifique o nível de óleo dos vibradores
Examinar a temperatura e a corrente consumida no motor
Limpar a carcaça do motor (recomendável utilizar jato de ar)
Verificar o nível de óleo do redutor
Transportadores
Verificar a temperatura do redutor (o normal é de 30ºC à 40ºC acima da
de correia
temperatura ambiente)
Verificar o alinhamento e o nivelamento das estruturas
Limpar eventuais acúmulos de material nas regiões próximas

8.1.1 Controle quinzenal


Máquina Inspeção quinzenal
Verificar o estado geral dos revestimentos dos tambores
Verificar o desgaste das borrachas dos raspadores e limpadores
Verificar o funcionamento dos roletes (travados ou com ruídos)
Transportadores
Retocar a pintura nos pontos de início de corrosão
de correia
Verificar para as Bicas, Tremonhas e Guias Laterais:
O estado das borrachas de vedação
O estado das placas de desgaste

8.1.2 Controle mensal


Máquina Inspeção mensal
Verifique a pressão de pré-carga do acumulador e adicione nitrogênio,
se necessário.
Verifique o pinhão no mecanismo de ajuste e o anel de acionamento na
tampa de ajuste no HP.
Teste todos os alarmes, luzes de alarmes e engrenamentos em ambos
os sistemas de lubrificação e hidráulico (pressostato, termostato e
Rebritador medidor de fluxo).
cônico Verifique o motor elétrico e lubrificante por recomendações da
manufatura.
Libere o conjunto do bojo da posição de britagem e rotacione-o, de
costas para frente.
Verifique se há sujeira e impurezas no óleo lubrificante. Troque-o se
necessário.
Analise o óleo para níveis de contaminação.
Verifique a Folga Axial.
Alimentador
Verifique o aperto dos parafusos dos vibradores, proteções e outros
TK 10-15
Peneira
Verifique o aperto dos parafusos dos vibradores, proteções e outros
Vibratória
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 16 / 18

8.1.3 Controle anual


Máquina Inspeção anual
Desmonte completamente o Britador para verificar os desgastes de
todas as superfícies de encosto (bucha da cabeça, do excêntrico e
revestimento do soquete) e as superfícies da coroa e do pinhão.
Inspecione a carcaça principal, cabeça e bojo a procura de sinais de
Rebritador quebra por fadiga (especialmente no flange montado na carcaça e a
cônico base de suporte).
Verifique a rigidez de todos os prendedores e conexões das
tubulações.
Inspecione o desgaste do esférico da cabeça.
Inspecione o desgaste dos dentes da coroa e do pinhão.
Verifique o protetor de pó.

8.2 O sistema de lubrificação


Para os tipos de lubrificantes recomendados e plano de lubrificação consulte o manual
específico do rebritador cônico.

8.3 Instruções de operação e manutenção dos TC de produto

8.3.1 Redutores
Antes de adicionar óleo nos redutores, limpe o orifício de entrada e o bujão de nível e
áreas adjacentes para evitar que qualquer corpo estranho possa entrar no redutor, o que
poderá provocar desgaste nas engrenagens e eventual quebra das mesmas. Para
colocar o óleo lubrificante, remova os bujões da entrada e do nível e encha o redutor até
que saia óleo pelo orifício do nível, então recoloque os bujões e aperte-os firmemente.

Deve-se sempre remover o bujão do nível de óleo antes de colocar ou completar o óleo
lubrificante, já que o excesso pode resultar em vazamentos ou superaquecimento.

Verifique semanalmente o nível do óleo e complete quando necessário, já que óleo


insuficiente proverá lubrificação inadequada, resultando em avaria prematura do redutor.

Deve-se trocar o óleo conforme as recomendações do fornecedor (ver manual do


fornecedor).

8.3.2 Esticamento da correia


Antes de partir o transportador é necessário verificar se:
1. A estrutura do transportador está alinhada e corretamente nivelada
2. Os tambores de acionamento e retorno estão corretamente fixos, nivelados e que
seus eixos estão em esquadro com a linha de centro do transportador
3. Todos os roletes de carga e de retorno estão corretamente encaixados, com seus
eixos em esquadro com a linha de centro do transportador, o rolo guia lateral está
no sentido correto, e todos os rolos estão girando livremente
4. No caso de esticadores de parafuso, se estes foram ajustados inicialmente para
retirar a folga da correia e se aplicou igual tensão em cada lado de modo que o
tambor esteja em esquadro com a linha de centro do transportador
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 17 / 18

5. Onde foram colocadas as guias laterais, estas não estão encostando forte demais
na correia
6. Não há nenhuma obstrução no transportador que possa provocar acidente ou
dano quando o transportador partir

Normalmente se executa o esticamento com a correia vazia. No caso de correias muito


rígidas, que não assumem bem o perfil côncavo nem fazem contato adequado com os
rolos centrais quando vazias, só será possível centralizar a parte do retorno quando
estiver vazia e o lado côncavo quando houver carga.

Se a correia tende a correr para um lado, a causa mais provável do problema está em
geral um pouco antes do ponto onde o desvio aparece, e no caso dos roletes inclinados,
no segundo ou terceiro rolete que precede o ponto em que a correia está fugindo de sua
trajetória ideal. Esta falha é melhor corrigida com a correia rodando e por avançar a
ponta do suporte dos roletes do lado onde ocorre o desvio. (veja instruções no manual
MT-002 / item 7)

Se a correia estiver com carga, verifique se o ponto de transferência de material está


centralizado com o centro do transportador. Corrija, se necessário.

Os roletes de retorno, por serem planos, não proporcionam as mesmas influências


alinhantes que os roletes inclinados, mas, por move-los do mesmo modo que os roletes
inclinados, eles proporcionarão um constante efeito corretivo em determinada direção.

8.3.3 Tensão no esticador por parafuso


Antes de ajustar os parafusos tensionadores, certifique-se que o tambor tensionador
esteja com seu eixo em esquadro com a linha de centro do transportador. Mova então
cada um dos mancais uma pequena distância de cada vez para evitar aplicar tensão
excessiva à correia e aos rolamentos do eixo do tambor, até que se consiga a tensão
adequada, quando o tambor dá partida à correia e continua a move-la com carga sem
ocorrer qualquer deslizamento.

Não tensione a correia em excesso pois poderá causar travamento prematuro dos
rolamentos e alongamento da correia.

Quando o esticador por parafuso chegar ao fim de seu curso e ocorrer escorregamento,
será necessário encurtar ou trocar a correia.

8.3.4 Mancais
Não se deve engraxar demais os rolamentos dos mancais pois isto pode causar elevação
de temperatura resultando em desgaste excessivo.

Deve-se limpar adequadamente a ponta do revólver de graxa e as graxeiras antes de


reengraxar, visto que a entrada de algum contaminante como um grão de areia poderá
arruinar o rolamento.
MB-376
CONJUNTO MÓVEL DE BRITAGEM
DE CIRCUITO FECHADO NW200HPSF
Mar/08 18 / 18

8.3.5 Roletes inclinados e paralelos


São dotados de rolamentos de esfera blindados e com graxa permanente, próprios para
operar numa faixa de temperatura de –20ºC à 120ºC e não exigem a reposição de graxa
ou de óleo durante sua vida útil.

É necessário inspeção regular para garantir que os rolamentos girem livremente. Deve-se
remover qualquer obstrução e examinar os rolos próximos à procura de desgaste
excessivo.

8.3.6 Bica de alimentação e tiras de borracha


Devem ser examinadas regularmente para garantir que a alimentação esteja centralizada
na correia e as tiras de borracha de vedação estejam ajustadas para apenas tocar
levemente a correia, e não pressionar fortemente a mesma.

Se as tiras de borracha de vedação pressionarem muito a correia poderão causar


sulcamento ou cortes na capa superior da correia e descentralizar a correia, além de
provocar desgaste prematuro.

8.3.7 Proteções
Todas as proteções devem ser mantidas no lugar e receber manutenção. Qualquer dano
deve ser prontamente reparado.

9. INSTALAÇÃO ELÉTRICA
Consulte o Lay-out, o Circuito e o Diagrama Funcional, bem como o Diagrama de
Conexão (incluído no manual específico do cliente).

IMPORTANTE
O chassi deve ser aterrado no ponto
indicado na carreta, próximo à entrada
de força do painel.

Figura 13: Ponto de aterramento na


traseira do conjunto.

Você também pode gostar