Você está na página 1de 8

ROTEIRO PARA O RECONHECIMENTO DA CIDADANIA

ITALIANA POR DESCENDÊNCIA (IURE SANGUINIS)

O Setor de Reconhecimento de Cidadania Italiana analisa e trata os pedidos de reconhecimento de


cidadania italiana por descendeê ncia (jure sanguinis) com base no art. 1 da Lei italiana n. 91/92 “eé
italiano o filho de pai ou maã e italiana”.

Solicitamos verificarem o site antes de enviar mensagens e-mail com pedidos de informaçoã es.
As mensagens cujas respostas se encontram no site naã o seraã o respondidas.
Aconselhamos que os interessados façam uma leitura completa deste roteiro e que consultem
também as perguntas frequentes.

IMPORTANTE
Lembramos que os interessados ao reconhecimento poderaã o apresentar a proé pria documentaçaã o
somente apoé s receber a convocaçaã o deste Consulado Geral.

Esta convocaçaã o acontece exclusivamente atraveé s do site do Consulado, onde eé publicado quais
nué meros da lista de espera podem apresentar os documentos.

Lembramos tambeé m que a documentaçaã o referente a filhos menores de cidadaã os italianos poderaé ser
apresentada diretamente nos guicheê s de atendimento ao pué blico deste Consulado ou enviada por
correio aos cuidados do Setor de Registro Civil (Stato Civile), conforme instruçoã es dispostas no site.

Informa-se que a lista de espera existente para pedir o reconhecimento da cidadania italiana eé muito
longa e naã o pode ser evitada. O tempo de espera desse serviço eé muito extenso, porque essa fila eé
composta de centenas e milhares de pessoas descendentes de famíélias que em meé dia durante cerca de
quatro geraçoã es, aproximadamente um seé culo, naã o mantiveram a proé pria posiçaã o atualizada nos
registros junto a este Consulado Geral, como eé previsto pela lei.

Precisa-se enfim que aqueles que mantiveram atualizada a proé pria posiçaã o, entregando o registro de
nascimento dos filhos antes do cumprimento de 18 anos de idade naã o tem, e nunca tiveram, nenhuma
espera, pois o processo eé tratado no momento da requisiçaã o.

------------

As informaçoã es a seguir poderaã o ser alteradas, a qualquer tempo, em caso de modificaçaã o na legislaçaã o
italiana ou dos procedimentos desta Sede.

Este Consulado Geral reconhece o direito aà cidadania italiana com base exclusivamente nas leis,
regulamentos e atos administrativos vigentes na Itaé lia, no momento da entrega da documentaçaã o.

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS SOBRE O DIREITO À CIDADANIA ITALIANA POR


DESCENDÊNCIA (JURE SANGUINIS)

A cidadania italiana iure sanguinis eé transmitida a partir do(a) ascendente italiano(a) aos filhos, como
uma corrente, sem limite de geraçoã es, mas com restriçaã o naquilo que se refere aà descendeê ncia por
parte materna: teê m direito aà cidadania apenas os filhos de mulher italiana nascidos a partir de
01/01/1948, e seus descendentes. Caso haja uma mulher na linha de transmissaã o de cidadania:
1
somente teraã o direito os seus filhos nascidos a partir da data mencionada acima.
Os filhos de mulher italiana nascidos antes de 01.01.1948 podem solicitar o reconhecimento da
cidadania italiana somente através de um Tribunal na Itália, não sendo possível o
reconhecimento por via administrativa através dos Consulados.

1. APRESENTAÇÃO DO PEDIDO PARA ENTRAR NA LISTA DE ESPERA


Os interessados que desejam obter o reconhecimento da cidadania italiana iure sanguinis deveraã o
enviar seu pedido diretamente a este Consulado Geral atraveé s do preenchimento do moé dulo de
requerimento n. 6 (clique aqui). Este moé dulo deveraé ser preenchido por completo no computador, para
que seja legíével, assinado, e transmitido exclusivamente por correio com aviso de recebimento ao
endereço deste Consulado Geral (Rua Marechal Deodoro, 630 - 21º. Andar CEP: 80010-010 Curitiba –
PR).
Aos pedidos preenchidos corretamente e assinados seraé fornecido um nué mero progressivo, que seraé
inserido na lista de espera para o reconhecimento da cidadania italiana. Esta lista pode ser consultada
no site deste Consulado Geral (Serviços consulares> Departamentos> Cidadania).
Ressaltamos que os requerimentos saã o individuais, ou seja, cada maior de idade deveraé providenciar
seu proé prio pedido. Os filhos menores saã o considerados junto com o requerimento dos pais.

2. CONVOCAÇÕES
As pessoas convocadas exclusivamente atraveé s do site do Consulado deveraã o apresentar-se
pessoalmente em horaé rio de atendimento no Consulado Geral ou na rede consular honoraé ria, naã o
sendo possíével a delegaçaã o da representaçaã o. No caso de vaé rios requerentes da mesma famíélia, poderaé
apresentar-se um representante por famíélia munido de procuraçaã o simples com firma reconhecida dos
outros familiares requerentes que naã o podem comparecer.
No momento da entrega dos documentos deveraé ser apresentado o comprovante de depoé sito relativo
aà s taxas consulares.
Ao verificar que se aproxima a convocaçaã o do seu nué mero na lista de espera, sugerimos que os
interessados preparem a documentaçaã o seguindo as instruçoã es disponíéveis em nosso site. Desta forma,
os documentos estaraã o prontos quando forem convocados, evitando que os interessados percam o
prazo para apresentaé -los. Ressaltamos que a documentaçaã o naã o tem prazo de validade.
Recomendamos que todos os interessados que estão na fila de espera consultem regularmente
o site deste Consulado Geral para verificar os avisos de convocação.
Os interessados que não comparecerem no prazo estipulado pela convocação perderão a vez e
deverão inscrever-se novamente na lista de espera.

3. PAGAMENTO DAS TAXAS CONSULARES


Informamos que a Lei n. 89/2014 estabelece a obrigatoriedade do pagamento de 300,00 Euros para
cada pessoa maior de idade que apresenta o pedido de reconhecimento da cidadania italiana “jure
sanguinis”. A taxa eà paga para a anaé lise da documentaçaã o independentemente do exito da mesma.
Ressaltamos que, caso o reconhecimento da cidadania naã o seja deferido, o valor pago naã o seraé
restituido. Estaã o isentos das taxas apenas os pedidos de reconhecimento da cidadania italiana em
nome de menores de idade e das pessoas falecidas que constam no processo.
Atualmente temos duas modalidades para o pagamento: atraveé s de transfereê ncia/depoé sito bancaé rio,
que deveraé ser efetuado ao menos três dias antes da apresentaçaã o dos documentos, ou ainda atraveé s
de cartaã o de deé bito diretamente neste Consulado Geral.

A conta para o depoé sito ou transfereê ncia eé a seguinte:


Banco Santander 033, Agência 4524, c/c 13000098-2, em nome do "Consulado Geral da Itália",
CNPJ 03.857.327/0001-72.

O valor da taxa para o depoé sito/transfereê ncia eé de R$ 1.005,00 para o segundo trimestre de 2017,
2
conforme tabela que poderaé ser consultada neste mesmo site.
Os interessados que preferirem fazer o pagamento com cartaã o de deé bito teraã o a taxa acrescida em
2,1% e o valor da taxa para o vigente trimestre eé de R$ 1.026,56 para cada requerente.

Em caso de reconhecimento da cidadania italiana de vaé rias pessoas maiores de idade descendentes do
mesmo dante causa italiano, os interessados deveraã o preferencialmente efetuar um ué nico depoé sito
para toda a famíélia, multiplicando o nué mero de componentes maiores de idade pelo valor da taxa.

Ressaltamos que, caso o pagamento seja feito com cheque, eé necessaé rio que o valor conste
devidamente depositado para ser possíével receber a documentaçaã o. Este Consulado Geral naã o tem
nenhuma responsabilidade sobre a eventual devoluçaã o dos mesmos, nem receberaé a documentaçaã o
caso a soma conste bloqueada.
O comprovante da transfereê ncia ou depoé sito bancaé rio (no qual solicitamos que seja anotado o CPF de
quem fez a transfereê ncia) deveraé ser apresentado ao funcionaé rio consular que receberaé os documentos
e faraé um recibo com nué mero de protocolo e autenticaçaã o correspondente ao valor pago. Neste
comprovante constaraé o prazo em que, de acordo com a lei, o procedimento de verificaçaã o do direito ao
reconhecimento da cidadania italiana deveraé ser concluíédo.
Naã o seraé aceito pagamento em dinheiro no momento da apresentaçaã o da documentaçaã o.
O procedimento de anaé lise para o reconhecimento da cidadania italiana seraé concluíédo no prazo de
730 dias, conforme estabelecido pelo Decreto do Presidente do Consiglio dei Ministri n. 33 de
17701/2014, publicado na Gazzetta Ufficiale n. 64 de 18/03/2014. Portanto pedimos a gentileza de se
abster de pedir informaçoã es sobre documentaçaã o jaé entregue.

ATENÇÃO
ABOLIÇÃO DA LEGALIZAÇÃO CONSULAR dos atos públicos estrangeiros: entrada em vigor da
Convenção da Haia sobre a Apostila.
No dia14 de agosto de 2016 entrou em vigor para o Brasil a Convençaã o da Haia, de 05 de outubro de
1961, sobre a supressaã o da exigeê ncia da legalizaçaã o dos atos pué blicos estrangeiros.
A partir dessa data, a legalizaçaã o dos atos pué blicos brasileiros – em base aà Resoluçaã o do Conselho
Nacional de Justiça n. 228 de 22 de junho de 2016 – foi substituíéda pelo instrumento da “Apostila”
utilizada por parte dos Cartoé rios das Capitais Estaduais, indicados no site www.cnj.jus.br/haia.
A Apostila eé uma anotaçaã o com a qual os Cartoé rios habilitados autenticam e confirmam a validade do
ato pué blico estrangeiro, possibilitando aos cidadaã os brasileiros de naã o mais ter que solicitar junto aos
Consulados territorialmente competentes a prevista legalizaçaã o de tais documentos.
A Apostila seraé outrossim aplicada aà s traduçoã es dos proé prios atos pué blicos, com a condiçaã o que a
traduçaã o seja realizada por Tradutor Pué blico Juramentado incluíédo nas listagens elaboradas pelas
Juntas Comerciais de cada Estado da Federaçaã o.
O ato pué blico brasileiro seraé reconhecido e considerado vaé lido na Itaé lia graças aà Apostila colocada no
documento e em sua traduçaã o.

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA QUANDO CONVOCADO

Documentos referentes ao ascendente italiano:

1. Registro de Nascimento em original (Estratto dell’atto di nascita) do antepassado italiano que


deu origem ao direito aà cidadania, no qual conste filiaçaã o. Este documento deveraé ser solicitado ao
Comune italiano onde nasceu o ascendente (modelo n. 2 no site). Caso o Comune informe que naã o haé
possibilidade de emissaã o do Estratto dell’atto di nascita, pelo fato do ascendente ter nascido quando
ainda naã o existiam os registros de estado civil na Itaé lia, poderaé ser apresentada a Certidaã o de Batismo,
3
tambeé m em original, emitida pela paroé quia local e contendo o reconhecimento da Cué ria Episcopal
competente pela paroé quia de emissaã o.

2. Certidão Negativa de Naturalização, emitida pelo Ministeé rio da Justiça brasileiro


(http://www.justica.gov.br/acesso-a-sistemas/e-certidao) com Apostila. Naã o eé necessaé ria traduçaã o.
Esta certidaã o deveraé reportar todas as eventuais variaçoã es de grafia de nome e sobrenome do
ascendente italiano que constem nas certidoã es de registro civil brasileiras ou que eventualmente jaé
tenham sido objeto de retificaçaã o judicial. No caso de ascendente vivo, a Certidaã o Negativa de
Naturalizaçaã o poderaé ser substituíéda pela Carteira de Identidade para Estrangeiros (RNE).

2a. Caso o ascendente italiano tenha se naturalizado brasileiro, o fato naã o prejudicaraé o direito ao
reconhecimento da cidadania italiana aos proé prios descendentes, desde que seus filhos tenham
nascido antes do decreto de naturalizaçaã o. Neste caso, apresentar segunda via original do Certificado
de Naturalização. Naã o eé necessaé ria traduçaã o.

2b. Caso o ascendente italiano tenha residido em outros paíéses aleé m de Brasil e Itaé lia (ex.: antes de
imigrar para o Brasil, residiu temporariamente na Argentina), seraé necessaé rio providenciar tambeé m
uma Certidaã o Negativa/Positiva de Naturalizaçaã o junto aà s autoridades de cada paíés em que ele tenha
eventualmente residido. As instruçoã es sobre como providenciaé -la deveraã o ser obtidas com o Consulado
italiano competente pelo local de emissaã o do documento. A certidaã o deveraé ser entregue jaé
legalizada/apostilada/traduzida.

3. Certidões de Casamento e Óbito: segunda via original e em bom estado, em inteiro teor, com
Apostila.

3a. Se o casamento tiver ocorrido na Itaé lia, apresentar o Estratto dell’atto di matrimonio expedido
pelo Comune em original.
3b. Caso o ascendente italiano tenha se casado duas vezes, eé preciso apresentar o primeiro casamento,
o oé bito da primeira esposa (ou eventual divoé rcio) e entaã o o segundo casamento.

3c. Se o casamento ou o oé bito ocorreu em outro paíés que naã o Brasil e nem Itaé lia (ex.: nascido na Itaé lia,
casado na Argentina, falecido no Brasil), seraé necessaé rio providenciar a respectiva certidaã o junto aà s
autoridades do paíés em que ela foi originalmente registrada.

Documentos referentes a todos os ascendentes, do italiano aos requerentes:

1. Todas as certidões de registro civil (nascimento, casamento, divórcio, óbito), em segunda via
original e em inteiro teor, desde o italiano que transmite a cidadania ateé o ué ltimo dos requerentes.
Todas as certidoã es de registro civil acima deveraã o ser apostiladas.
Apenas as certidões dos requerentes deverão ser traduzidas para o idioma italiano. As
traduções também deverão ser apostiladas. O elenco de tradutores juramentados encontra-se no
nosso site.
Caso alguma certidaã o de registro civil seja manuscrita, esta tambeé m deveraé ser traduzida.

Documentos referentes aos requerentes:

1. Moé dulo de pedido n. 7 (link) e moé dulo de cadastro n. 8 (link) preenchidos e assinados
individualmente pelos interessados maiores de 18 anos (os menores de idade incluíédos no processo
naã o precisam preencher estes dois modelos). Solicitamos que estes modelos sejam preenchidos no
computador, sem alterar o texto original, e assinados autografamente pelo interessado.

4
2. Coé pia simples da carteira de identidade (RG), inclusive dos menores de idade incluídos no
processo. Não serão aceitos RG com data de emissão superior a dez anos nem carteiras
profissionais ou de habilitação.

3. Comprovante de residência nominal e recente dos requerentes maiores de idade. No caso de


pessoas casadas, seraã o aceitos comprovantes em nome dos coê njuges. Seraã o aceitos: contas de energia
eleé trica, aé gua, telefone, boleto de instituiçaã o de ensino no qual consta claramente o endereço, folha de
rosto da declaraçaã o de imposto de renda, contracheque recente da aposentadoria, certidaã o expedida
pelo cartoé rio eleitoral contendo o endereço do eleitor.

4. Todas as certidões de registro civil (nascimento, casamento, divórcio, óbito), em segunda via
original e em inteiro teor com relativa traduçaã o juramentada para a líéngua italiana. Tais documentos
deveraã o ser acompanhados de Apostila.

5. Árvore genealógica (Mod. 3). Esta aé rvore deveraé ser providenciada com as informaçoã es desde o
dante causa mesmo que jaé exista um processo de parentes neste Consulado Geral.

Informamos que poderão eventualmente ser solicitados documentos complementares caso


surjam dúvidas no momento da análise da documentação.

-------------

IMPORTANTE:
Para os novos pedidos de reconhecimento da cidadania italiana, os requerentes deveraã o apresentar
toda a documentaçaã o previamente descrita, inclusive a Certidaã o de Nascimento original do ascendente
italiano obtido na Itaé lia. Somente no caso daqueles cujas certidoã es de antepassados jaé se encontrem
depositadas neste Consulado Geral – apresentadas por parentes que jaé obtiveram o reconhecimento da
cidadania - naã o seraé necessaé rio reapresentaé -las. Parentes de pessoas que obtiveram o reconhecimento
da cidadania italiana em outros Consulados ou ainda diretamente na Itaé lia deveraã o apresentar a
documentaçaã o completa.
A documentaçaã o naã o tem prazo de validade: os Consulados aceitam documentaçaã o emitida em
qualquer data.
Ressaltamos que naã o eé possivel consultar processos de parentes nos registros do Consulado.

SENTENÇA
Se o processo possui certidoã es emitidas por sentença, esta deveraé ser previamente reconhecida na
Itaé lia (por conta do requerente).

-----------

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE DIVERSOS CASOS:

Caso um dos ascendentes tenha nascido no Brasil antes de 01/01/1889:


poderaé ser apresentada a relativa certidaã o de Batismo emitida pela Paroé quia, devidamente legalizada
pela Cué ria Episcopal competente pela paroé quia de emissaã o. Tambeé m seraã o aceitas certidoã es de
casamento religioso emitidas pela paroé quia nos casos de casamentos anteriores a 21/05/1890, estas
tambeé m legalizadas pela Cué ria. Estas certidoã es deveraã o ser apostiladas.
Nos casos de nascimentos e casamentos ocorridos apoé s estas datas, serão aceitas somente as
certidões emitidas pelo Registro Civil.

5
Caso de cônjuges:
a)Mulheres que contraíéram matrimoê nio com cidadaã o italiano ateé 27 de abril de 1983: têm direito ao
reconhecimento de cidadania automático quando a cidadania do marido for reconhecida. Para
tanto, poderaã o providenciar a proé pria certidaã o de nascimento em original e traduçaã o para o italiano
feita por tradutor juramentado, ambas com Apostila, aleé m do Mod. 7, comprovante de pagamento da
taxa consular prevista no ponto 3 da pag. 2, Mod. 8 acompanhado de coé pia do RG e de um
comprovante de resideê ncia. O mesmo eé vaé lido para mulheres que posteriormente tenham se
divorciado do cidadaã o italiano. Observação: naã o eé necessaé ria a entrega das certidoã es de nascimento e
de oé bito de coê njuges de ascendentes falecidos.

b) Homens ou coê njuges mulheres que tenham contraíédo matrimoê nio apoé s 27 de abril de 1983: não há
direito automático à cidadania italiana; os interessados podem pleitear a naturalizaçaã o italiana por
casamento uma vez que o coê njuge jaé for cidadaã o italiano, que a certidaã o de casamento jaé esteja
registrada em um Comune italiano e que os demais requisitos estejam cumpridos. As instruçoã es para
tanto estaã o no nosso site “Cidadania (Naturalizaçaã o) por Casamento”.

Caso de pessoas divorciadas:


Note-se que a sentença estrangeira de divoé rcio naã o eé considerada automaticamente vaé lida na Itaé lia. As
Averbaçoã es feitas nas respectivas certidoã es de casamento/nascimento naã o saã o validas para o
reconhecimento das relativas sentenças na Italia.

A documentaçaã o necessaé ria para a transcriçaã o de uma sentença de divoé rcio saã o:

1. coé pia da sentença, da qual deveraã o ser apresentadas as partes principais do processo (as fotocoé pias
devem conter, em cada paé gina, os dizeres “coé pia extraíéda do Tribunal de Justiça de...” ou o carimbo
original de autenticaçaã o do proé prio Tribunal) acompanhada de Apostila:
- Petição inicial
- Ata de Instrução e Julgamento
- Sentença
- Trânsito em julgado (trata-se geralmente de um carimbo nas últimas páginas do processo)
- Certidão de Objeto e Pé

2. A traduçaã o em líéngua italiana da documentaçaã o especificada no ponto 1 deve ser feita por um
tradutor juramentado, acompanhada de Apostila.

3. para os divoé rcios: a declaraçaã o substitutiva do ato de notoriedade assinada pelo interessado,
atestando qual o procedimento do divoé rcio – Mod. 4 para sentenças judiciais e Mod. 5 para escrituras
pué blicas de divoé rcio, com assinatura reconhecida por autenticidade em cartoé rio ou tabelionato do
Paranaé ou Santa Catarina.

Caso de erros nos nomes e sobrenomes italianos nas certidões brasileiras:


Caso as certidoã es de registro civil contenham erros, ou os dados (nome e sobrenome) dos ascendentes
falecidos ou que naã o sejam requerentes tenham sido alterados com o passar do tempo, naã o se deve
solicitar a retificaçaã o desses registros junto aà Justiça brasileira (ex. ascendente italiano nascido
Giovanni Battista Bianco e no casamento consta Joaã o Batista Bianco).

Entretanto, se nas certidoã es de registro civil dos requerentes vivos existe divergeê ncia no nome ou no
sobrenome (ex. nascimento Evelina, casamento Eveline; nascimento Rossi, casamento Rozzi), ou ainda
nas datas e local de nascimento (ex. na certidaã o de nascimento e de casamento da mesma pessoa
aparecem diferentes datas de nascimento) os registros deveraã o ser uniformizados com os dados
corretos e deveraé ser apresentada certidaã o em inteiro teor – onde constem claramente todas as
retificaçoã es feitas na certidaã o: os dados que constavam na certidaã o emitida originalmente e como
6
foram alterados (ex. “onde constou Eveline, que passe a constar Evelina”).

Se as alteraçoã es constantes na documentaçaã o suscitarem dué vidas quanto aà identidade da pessoa, o


Comune/Consulado poderaé solicitar documentaçaã o complementar.

Casos de filhos nascidos de união não-matrimonial:


Pela legislaçaã o italiana, tal condiçaã o naã o impede a transmissaã o da cidadania. Se na Certidaã o de
Nascimento constarem ambos os genitores como declarantes, basta apresentar a certidaã o em inteiro
teor, em segunda via original, acompanhada de Apostila, devidamente traduzida para a líéngua italiana
por um tradutor juramentado. A traduçaã o tambeé m deveraé estar acompanhada de Apostila.
No entanto, caso conste como declarante na certidaã o de nascimento somente um dos genitores, eé
necessaé rio que o outro genitor naã o declarante faça em Tabelionato de Notas uma escritura pué blica de
declaraçaã o de paternidade/maternidade conforme Mod 11 – Escritura reconhecimento
paternidade/maternidade menores 14 anos (se o filho for menor de 14 anos) ou o Mod 12 -
Escritura reconhecimento paternidade/maternidade maiores de 14 anos (caso o filho seja maior
de 14 anos). A escritura pué blica deveraé estar acompanhada de Apostila, devidamente traduzida para a
líéngua italiana por um tradutor juramentado. A traduçaã o tambeé m deveraé estar acompanhada de
Apostila.
Atenção: caso o filho seja reconhecido na escritura pelo genitor que lhe transmite a cidadania apoé s a
maioridade, este tem um prazo legal improrrogaé vel de um (1) ano apoé s a data do reconhecimento
acima para assinar um termo especíéfico neste Consulado para a eleiçaã o da cidadania italiana, nos
termos da Lei n. 91 de 05/02/1992; caso contrario, naã o teraé direito aà cidadania italiana.
Aconselhamos, portanto, que caso o interessado maior de idade ainda deva ser reconhecido
pelo genitor italiano que lhe transmite a cidadania italiana, que o seja somente após a análise
dos documentos por parte deste Consulado, com o intuito de evitar que o prazo previsto pela lei
expire. Ressaltamos que no momento da eleiçaã o, o interessado seraé instruíédo a fazer um pagamento
no valor de 200 euros, referente ao procedimento.

Caso de filhos reconhecidos judicialmente ou por escritura pública:


Para filhos reconhecidos judicialmente, deveraé ser apresentada coé pia do processo judicial de
reconhecimento de paternidade, desde a petiçaã o inicial ateé a sentença final, transitada em julgado.
Em todas as paé ginas do processo deveraé constar a rubrica do funcionaé rio ou diretor do cartoé rio do
Tribunal de Justiça. Juntamente com o processo deveraé ser enviada certidaã o de Objeto e Peé . Todos os
documentos devem ser acompanhado de Apostila.

Do processo completo, deveraã o ser traduzidas – exclusivamente por tradutor juramentado - apenas as
seguintes “Peças Principais”: Certidaã o de Objeto e Peé , Petiçaã o Inicial, Ata de Instruçaã o e Julgamento,
Sentença, Traê nsito em Julgado (em geral, trata-se de um carimbo em uma das ué ltimas paé ginas da
sentença).
A traduçaã o tambem deveraà ser acompanhada de Apostila.
Este processo ao ser enviado para a Itaé lia seraé submetido aà apreciaçaã o da Justiça Italiana.

Para filhos reconhecidos por escritura pué blica, o requerente deveraé apresentar uma segunda via
original da Escritura Pué blica de Reconhecimento de Filho, emitida pelo Tabelionato de Notas em que
ela foi lavrada, em original acompanhada de traduçaã o para líéngua italiana feita exclusivamente por
tradutor juramentado. Tais documentos devem ser acompnhados de Apostila.

Caso de filhos adotados:


Deveraé ser apresentada coé pia do processo judicial de adoçaã o, desde a petiçaã o inicial ateé a sentença
final, transitada em julgado. Em todas as paé ginas do processo deveraé constar a rubrica do funcionaé rio

7
ou diretor do cartoé rio do Tribunal de Justiça. Juntamente com o processo deveraé ser enviada certidaã o
de Objeto e Peé com Apostila e o Modelo 10 devidamente preenchido e assinado.

Do processo completo, deveraã o ser traduzidas apenas as seguintes “Peças Principais”: Certidaã o de
Objeto e Peé , Petiçaã o Inicial, Ata de Instruçaã o e Julgamento, Sentença, Traê nsito em Julgado (em geral,
trata-se de um carimbo em uma das ué ltimas paé ginas da sentença). Tais documentos e relativa traduçaã o
deveraã o ser acompanhados de Apostila.
Este processo ao ser enviado para a Itaé lia seraé submetido aà apreciaçaã o da Justiça Italiana.

Caso de certidões estrangeiras:


Em caso de nascimento, casamento ou oé bito ocorrido fora do territoé rio Brasileiro, deveraé ser
apresentada a certidaã o original estrangeira com reconhecimento do Consulado Italiano competente e
traduçaã o da líéngua estrangeira diretamente para a italiana, tambeé m conforme instruçoã es da
representaçaã o consular italiana do local.
As certidoã es emitidas pelos seguintes paíéses: AÁ ustria, Beé lgica, Boé snia-Herzegovina, Croaé cia, França,
Alemanha, Luxemburgo, Macedoê nia, Montenegro, Holanda, Poloê nia, Portugal, Seé rvia, Esloveê nia,
Espanha, Suíéça, Turquia deveraã o ser apresentadas no formato plurilíénguü e, conforme acordo entre
estes paíéses e a Itaé lia. EÁ imprescindíével informar o registro civil competente pela emissaã o de tais
certidoã es que elas seraã o apresentadas a uma autoridade italiana. As certidoã es no formato plurilíénguü e
naã o necessitam de legalizaçaã o e traduçaã o.