Você está na página 1de 24

TRIVIUM MEDIEVAL

EBOOK

www.casadacritica.com.br
A Guide to Modern Philosophy A.M. Miles

Table of Contents

O que é o TRIVIUM  e o que são as 03


ARTES LIBERAIS ?

Cada uma das Disciplinas do TRIVIUM 10

Educação X Instrução 16

Curso de TRIVIUM da CASA DA CRÍTICA 21


A Guide to Modern Philosophy A.M. Miles

TÓPICO I

O que são o TRIVIUM e as ARTES


LIBERAIS ?
por Vicente do Prado Tolezano

SANTO AGOSTINHO O TRIVIUM seguiu sendo


(354 - 430) deparava-se maturado nos séculos
com o problema da seguintes por vários
INÉPCIA intelectual das pensadores, filósofos e
pessoas, incapazes de ler mesmo por Santos
os Livros Santos com Cristãos que seguiram
compreensão apropriada, incrementando a proposta
o que, obviamente, originária.
conduzia a problemas AGOSTINHO, em
imensos, inclusive particular, conheceu muito
FANATISMO de várias pouco de ARISTÓTELES
ordens. (.384 a 322 a.C) e bebeu
Concebeu o notável Santo muito das fontes platônicas
um esquema articulado de de filosofias fundadas na
educação, o TRIVIUM, razão natural.
cujo nome decorre de que Com a descoberta
são 3 - TRI - as vias - paulatina no mundo Cristão
VIUM - de ascenção pelas medieval do legado de
disciplinas GRAMÁTICA, ARISTÓTELES passou ele
LÓGICA e RETÓRICA. a ser fonte intelectual
03 .
A Guide to Modern Philosophy A.M. Miles

pagã mais valorizada e O TRIVIUM era a porta de


requisitada nos esforços entrada na escada de
da ESCOLÁSTICA ascenção educacional,
CATÓLICA e a um ponto donde vem a expressão
em que ARISTÓTELES TRIVIAL, pois cuidava de
era mesmo chamado de ser o "mínimo" de formação
"príncipe" por São Tomás de que alguém devesse
de Aquino (1225 - 1274). gozar para ser considerado
Na nossa opinião, o "educado", o que,
TRIVIUM é uma paráfrase obviamente, desnuda a
de ARISTÓTELES, só que miséria da
com articulação mais contemporaneidade em que
pedagogicamente mais a maioria dos universitários
orientada. sequer tem domínio da
O TRIVIUM acabou por linguagem.
integrar um conjunto mais Ao TRIVIUM, seguia-se o
amplo de educação, a QUADRIVIUM, seguido da
chamada EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR
LIBERAL, pelas para, ao cabo, o estudante
chamadas ARTES ingressar na TEOLOGIA.
LIBERAIS, compostas O sentido de LIBERAL das
pelas 3 disciplinas do artes liberais, obviamente,
TRIVIUM mais 4, a não tem nexo próprio com o
ARITMÉTICA, a termo LIBERAL que
GEOMETRIA, a correntemente se emprega
ASTRONOMIA e a em jargão econômico.
MÚSICA, estas últimas O termo LIBERAL aqui
componentes do denota para a LIBERDADE,
QUADRIVIUM. para o SER.
04
O requisito sine qua non o que se logra contra quem
para a EDUCAÇÃO no não quer ser educado é
sentido próprio é a sua "instrução", o que, a
VONTADE do EDUCADO seu turno, pode ser afeito
em SE educar (sim, às ARTES UTILITÁRIAS ,
reflexivamente a ação), mas não às ARTES
devendo o PRECEPTOR LIBERAIS.
facilitar o processo O fio mestre e instrumental
assimilativo e reflexivo e que articula todas as
não "professar" disciplinas do TRIVIUM é a
conteúdos. LINGUAGEM.
O princípio é que o Não poderia ser outro, pois
PRECEPTOR está aberto a linguagem é a
ao DISCÍPULO que vem propriedade da ALMA
ao encontro para se HUMANA, como que um
educar e que, pois, não "fio de ligação para com o
"laça" discípulos para ser Divino".
"educados à fórceps", tal Por mais valorosa e
como se sucede desde o necessária que é a
advento da instituição COMUNICAÇÃO, os
escolar. tesouros da linguagem
O TRIVIUM se orienta à ultrapassam em muito as
EXISTÊNCIA, à dimensão zonas só comunicativas e
do SER pelo GOZO DO são passaporte aos
SER pelo domínios da cognição
desenvolvimento das plena da realidade, do
potências perceptivas, autoconhecimento, da
imaginativas, cognitivas, escuta e peneira dos
valorativas e, acima de desejos e vontades.
tudo, VOLITIVAS. Não é foco central do
Não se educa, no sentido TRIVIUM orientação à
próprio, quem não quer socialização. Suas vistas
ser educado. Ao máximo, estão no desabrochar das
potencialidades d`alma

05
independentemente do liberais, evidenciando a
meio social. valorização da linguagem
A própria disciplina da como chave compreensiva
RETÓRICA, que cuida da do REAL.
EFICÁCIA da inter-ação Importante destacar que a
humana tem ALMA, em si, é una e
aproveitamento prioritário indivisa.
não para essa inter-ação, É comum fazermos uma
mas porque desnuda o divisão de disciplinas,
esquema geral da associadas a distintas
DELIBERAÇÃO humana, potências de alma, mas
sempre permeada por com divisão centrada em
muita evasão interesse didático e não
subterfugiosa e, portanto, como reflexo absoluto da
é a semente da árvore do realidade.
auto conhecimento. As potências d`alma
Não é exagero e nem humana assumidas no
sequer imprecisão apontar TRIVIUM são as apontadas
a educação do TRIVIUM na tradição clássica, que já
como a educação da datam de PLATÃO (428 -
alma, como da 348 a.C) e que são:
EXISTÊNCIA, e a - potência desiderativa ou
educação do concupiscente;
QUADRIVIUM como - potência intelectual;
educação da matéria, - potência volitiva.
como da REALIDADE. Como deve soar de fácil
A alma/existência é um intuição, são as ditas
SUJEITO e a potências objetos centrais
matéria/realidade é um respectivamente das
PREDICADO, conforme ai disciplinas da
importante teoria da GRAMÁTICA, LÓGICA (e
predicação, que tem cepa DIALÉTICA) e RETÓRICA.
aristotélica e é fomentada Resta, obviamente, a
e incrementada nas artes questão finalista que é a de
:
06
DESENVOLVER PARA Fica evidente a
QUE ESSAS POTÊNCIAS COSMOVISÃO subjacente
DA ALMA ? ao TRIVIUM, que é a
A resposta é igualmente cosmovisão medieval, com
simples como profunda: Deus presente sob e sobre
PARA APROXIMAR O tudo.
HOMEM DOS O TRIVIUM, contudo, não
TRANSCENDENTAIS. é nem uma forma, nem um
A EDUCAÇÃO LIBERAL substituto de Catecismo ou
assume que o creme de formação religiosa
maior da nossa liberdade doutrinal (nem os
é justamente sermos pressupõe), a despeito de
livres para nos que foi germinado em
transcendermos e tal que ambiente Cristão Católico e
não nos transcender é ganhou forma por ações de
nos atrofiar e sermos Santos.
servos no mau sentido do Cuida de esforço
termo. intelectual decorrente do
Em todo e qualquer ato uso da RAZÃO NATURAL
que praticamos ou nos para prover EDUCAÇÃO
aproximamos ou nos no melhor sentido de "ex
afastamos dos ducere" e tanto que busca
transcendentais, seguindo fontes do apogeu
a ética de polaridade de intelectual grego-pagão.
vícios (fraquezas) e Repetimos nossa opinião
virtudes (forças). de que o conteúdo do
São 3 os transcendentais, TRIVIUM estava contido
a BELEZA, à qual mira a em ARISTÓTELES, o que -
GRAMÁTICA, a o aspecto sintópico - bem
VERDADE, à qual mira a confirma o rigor intelectual
LÓGICA e a BONDADE, à subjacente.
qual mira a RETÓRICA.

07
Dentro de alguns do corpo, mas à razão ou
sentidos, a proposta é tal potência intelectiva da
que mesmo o contato alma, entre as quais reina
próprio com as verdades a ciência do raciocínio. A
de fé clama formação ciência do raciocínio é de
intelectual na razão muitíssimo valor para
natural. penetrar e resolver toda
Destacamos 3 passagens espécie de dificuldades
de SANTO AGOSTINHO que se apresentam nos
sobre cada uma das Livros santos. Só se há de
disciplinas do TRIVUM: evitar o desejo de
discussões (libido rixandi) e
- sobre a GRAMÁTICA: certa ostentação pueril de
enganar o adversário" (in A
"Ora, há duas causas de Doutrina Cristã).
incompreensão do texto
da Escritura. A verdade - sobre a RETÓRICA:
encontra-se oculta por
signos desconhecidos ou "O pregador é o que
por signos de sentido interpreta e ensina as
figurado. Com efeito, os divinas Escrituras. Como
signos são ou próprios ou defensor da fé verdadeira e
figurados. Para combater adversário do erro, deve
a ignorância dos signos mediante o discurso
próprios, o grande ensinar o bem e refutar o
remédio é o conhecimento mal. Nesta tarefa, o mestre
das línguas". (in A deve tratar de conquistar o
Doutrina Cristã); hostil, motivar o indiferente
e informar o ignorante
- sobre a LÓGICA: sobre o que deve ser feito
ou esperado. Mas ao
"Resta discorrermos sobre encontrar ouvintes
os conhecimentos benévolos, atentos,
relativos não aos dispostos a aprender ou
sentidos que os tenha assim

08
conquistado, deverá deve seguir a cada
prosseguir seu discurso pequena escavação a mais
como podem as que fizer no baú desse
circunstâncias"". (in A tesouro, cuja atualidade -
Doutrina Cristã). senão indispensabilidade -
Se este for seu primeiro é inquestionável.
contato com o TRIVIUM e Conheça mais pelos
as ARTES LIBERAIS, artigos que seguem neste
prepara o grau de EBOOK da CASA DA
maravilhamento que CRÍTICA.

09
TÓPICO II

Cada uma das disciplinas do TRIVIUM


Artigo de Vicente do Prado Tolezano

Ao contrário de um senso Santo Agostinho (354-430)


comum tantas vezes e com fito de prover
muito difundido, nem tudo capacitação intelectual
o que vem depois é previamente necessária à
melhor do que o anterior adequada leitura das
que foi sucedido. No caso Escrituras Sagradas e que
da educação, e também provia o primeiro
relativamente ao Trivium passo na escada da
Medieval, também “Educação Liberal”,
conhecido por Trivium sistema esse cuja
Clássico, isso é bastante maturação seguiu na Idade
manifesto. Média em entrosamento
A quem não sabe, o com o movimento que se
Trivium foi um sistema de chamou por “escolástica”
educação propugnado por Suas disciplinas - ou “vias”
10
e donde o nome mas, quando muito,
TRIVIUM, de três vias: orientada a uma “posse de
Gramática, Retórica e conhecimentos”, sendo
Lógica. que, não raro, nem essa
Pelo seu cunho liberal dimensão se logra com
(“para a liberdade de Ser”, eficácia.
não no sentido Gramática, tal como se
“econômico” do termo), entende
não se cuidava de contemporaneamente, é o
instrução/treinamento nas estudo normativo da
ditas disciplinas, tomadas língua, ou ainda, o estudo
elas como OBJETOS- da “norma culta da língua
FINS ou conteúdos a ser para saber escrever
dominados mentalmente, direito”. Muito frequente,
mas, cuidava de propiciar, inclusive, verifica-se certo
através das desprezo por essa
DISCIPLINAS-MEIOS, dimensão vernacular-
assimilação da realidade- normativa, vista como
vivencial num esquema de “elitista” ou pedante. Afinal,
enriquecimento no reino dos pedagogos de
existencial, num certo hoje, goza de primazia a
“sentido intransitivo” do ideia de que a “língua é
SER, que busca a “ser para comunicar” e tal que
mais e mais” por “ser mais se a comunicação se
e mais”. realiza, já terá o educador
Cabe neste artigo não a alcançado seu propósito.
exposição de lineamentos Como os objetivos, desde
concretos das disciplinas, a partida, são bastante
mas seus objetivos e pobres, os resultados a
vieses propostos para que se chegam estão em
SUBLINHAR de forma patamares miseráveis, tal
vivaz a miséria do que como um contingente de
hoje se chama educação, 50% da população
não orientada ao SER, universitária ser

11
ANALFABETA
É evidente que há de haver
FUNCIONAL e que
capacidade de se
“comunica-se” em níveis
comunicar e que isto é
brutos, grosseiros,
muito valioso, mas segue
polívocos, vazios não só
“pobre” ante aos sentidos
de rigor, mas mesmo de
efetivos do ensino da
discernimento mínimo, tal
Gramática na acepção
que nem a meta medíocre
clássica, os quais dariam
- de apenas comunicar - é
conta tranquila da
cumprida. Verifica que
capacitação à
quase ninguém no nosso
comunicação “como
redor consegue alcançar
consequência” inexorável
patamares de
dos próprios efetivos.
“objetividade”.

12
Cabe informar, pois, que o de ordenação da
sentido clássico do “EXISTÊNCIA
Trivium, gramática era, CONSCIENTE”. O
primeiro, a ciência do desgramaticalizado
desenvolvimento da EXISTE MENOS como
PERCEPÇÃO/SENSIBILI SER. Pode-se dizer que a
DADE, ou seja, de tendência do
afinamento dos sentidos gramaticalizado é ser
para com os “fatos do “INTEGRADO”.
“mundo e da A gramaticalização
interioridade”. Após, e também tem umbilical
assumindo uma relação com o
capacidade perceptiva transcendental da
efetiva, a gramática se BELEZA. O cultivo do
debruça sobre o estético e a da gramática
IMAGINÁRIO humano, ou da gramática e do
vertendo oceanos de estético são inseparáveis.
possibilidades da alma. Este aspecto é muito
Na esteira, será o estoque profundo e será objeto de
imaginário que vai dar artigos futuros. Por ora,
tônus à boa formação basta constatar que a
CONCEITUAL, abrindo as pobreza de formação
portas da escada da gramatical por que
intelectualização. passamos está de mãos
A gramaticalização efetiva dadas com o incremento
de alguém é, bem de ver da FEIÚRA por que
e no sentido clássico de também passamos.
que muito se perdeu, Com respeito à disciplina
MUITO MAIS que a da lógica, atualmente se
atividade de lhe entende como a ciência
“comunicação” ou de dos raciocínios, o que tem
“expressão em eco de correção. Aliás,
conformidade normativa”; vivemos em época, num
ela está associada a uma sentido, bastante
“função existencial”, racionalista. A correção do
. 13
eco, contudo, não lhe A lógica, ao cabo, é
garante completude. disciplina dos
O sentido clássico de DISCERNIMENTOS, com
formação em lógica vai devido fomento da
além da “lógica formal de INTUIÇÃO INTELECTUAL,
raciocínios” e integrava a tal como MAIS FOCO DE
DIALÉTICA no sentido LUZ na realidade.
amplo do termo, que vai A retórica é atividade muito
além das meras “regras mal vista correntemente
de debate”, mas alcança a por que dela estamos
perspectiva dinâmica da infestados, mas da MÁ
realidade e afina a RETÓRICA, hoje, vista
INTUIÇÃO como “prática de persuadir,
INTELECTUAL. enganar, etc ...”.
Razão e inteligência não A retórica no seu sentido
são absolutamente a clássico, contudo, consiste
mesma coisa e é na EDUCAÇÃO DA
perfeitamente possível ser VONTADE, na educação
RACIONAL e da eleição do bem em
ESTÚPIDO/TOLO (para detrimento do ruim, o que
não se dizer B...). O já assume
próprio ANALFABETO percepção/objetividade
FUNCIONAL até fecundadas na
“racionaliza”, mas “não gramaticalização,
intelige”. Se não maturadas na
gramaticalizado, tal como razão/entendimento/avaliaç
nossos comentários ão no plano da lógica, pois
anteriores, sua a retórica era a arte tanto
intelectualização “não mais complexa quanto
frutifica” e pode até ser mais difícil do Trivium.
pior, pois alguém pode Óbvio que na retórica
“operar como computador antiga se estudava a
ou calculadora” que conta persuasão, mas o fito
mas não interpreta nem central não é o ato de
“capta” conceitos. persuadir em si, mas a
14
atenção à disposição disciplinas no seu sentido
emocional e volitiva clássico, evidencia-se que
humanas, como uma INTEGRAÇÃO – LUZ –
educação da VONTADE HARMONIA eram as
que, educada aos bons perspectivas VIVENCIAIS
objetos e por bons meios, da Educação Liberal. O
se volta à HARMONIA. que veio depois “nem
Lembre-se que as artes integra” ! A máxima é que
eram vistas na SER/VIVER é sempre mais
perspectiva LIBERAL e, que CONHECER. Hoje,
pois, a AUTO-RETÓRICA sequer conhecimento se
era o fito maior. outorga ...
Apresentadas as

15
TÓPICO III

Educação x Instrução
Artigo de Vicente do Prado Tolezano

Quem não terá amiúde Educação é – só e só –


ouvido que “AS ESCOLAS tema INTRAPESSOAL e
NÃO EDUCAM”, tal como escola tende – sempre – à
um desabafo ou COLETIVIZAÇÃO, mui
indignação reiterada ad particularmente, mas não
infinitum. apenas, em nações que
A rigor, a afirmação não adotaram o tal do
deveria decorrer de uma “socioconstrutivismo”, cujos
constatação da realidade, frutos bons, se alguém
mas sim das próprias conhecer, por favor avisa a
definições conceituais, tal este articulista.
que é uma TAUTOLOGIA A própria etimologia dá as
lógica, já que nenhuma pegadas frescas e fundas
escola educa mesmo, já para nossos assertos, já
que escolas não têm essa que “educar” vem da raiz
finalidade. latina exducere,
.
16
cujas semânticas Fica evidente, desta forma,
respectivas são ex (para que qualquer ação que
fora) + ducere (conduzir, tenha por meta conteúdos
levar). Ou seja, já os objetivos externos a priori,
antigos medievais sabiam niveladores de
que o processo de CONFORMIDADE social,
educação é de não pode se encaixar sob o
EXTRAÇÃO, conceito de EDUCAÇÃO.
precisamente de extração Voltemos para o exemplo
dos potenciais da alma da porta. Suponha agora
humana, muito que o dono da chave não a
VARIÁVEIS, alma a alma, abra ou ao menos não a
e com extensão ao infinito abra de bom grado e que,
... Neste ponto, vale a seu turno, aquele que
lembrar Goethe que já bate arrombe a porta ou,
advertia que “nem todos por qualquer outro meio,
os caminhos são para ingresse à fórceps. O nome
todos os caminhantes” e que se dá a este último em
que “a alma humana é qualquer idioma é
como a água: ela vem do INTRUSO, como o que
Céu e volta para o Céu”. “vem de fora para dentro”.
Se entre a alma humana e É bem fácil ver que são
o mundo há uma porta, o familiares bem
educador há de nesta consanguíneos os termos e
última bater e instigar ao conceitos de INTRUSO,
educando a abrir e tal que INSTRUTOR e
só ele pode a abrir. A INSTRUÇÃO.
partir dos conteúdos que É isso e exatamente isso
especificamente saírem, que escola faz ou deveria
que vá o educador instigar fazer: INSTRUI, de forma
mais e mais, limitado que pega conteúdos
necessariamente à externos eleitos em meta
VONTADE do dono da de nivelação social e põe-
chave, o qual tem a los na superfície alma
prerrogativa absoluta para (meio invadida) do
fechar a porta. INSTRUINDO, sem nada
17
escavar ou extrair. pessoas se INSTRUIR e se
Ou seja, educação e EDUCAR. É pretensão de
instrução têm vetores SOBERBA querer ser
opostos entre si. Uma de educado sem, dentro de
dentro para fora e com limites, ser instruído, tal
fronteira no céu e a outra como é soberbo pretender
de fora para dentro e com alcançar o céu sem passar
fronteira no “objeto pelo mundo dos homens..
estranho”. Não deveria, pois, causar
Haveria mais escândalo “as escolas que
fidedignidade vocabular não educam”, pois não é
se o correntemente seu mister mesmo.
nominado Ministério da O escândalo se inicia com
Educação voltasse ao seu a “escola fazer confundir
nome de outrora de seu papel de instrução
Ministério da Instrução, como se educação fosse”,
deixando claro os levando tantos e tantos
LIMITES da atividade instruindos incautos, mais
exercida e controlada sob seus familiares e a
sua batuta. sociedade em geral, a
É bastante evidente que a sequer “cogitar” sobre a
potência luminosa de atividade da educação no
quem SÓ SE INSTRUI sentido próprio do termo.
alcança luz de vagalume O ápice do escândalo,
em comparação à contudo, reside nas
potência luminosa de “ESCOLAS QUE SEQUER
quem “também” SE INSTRUEM”, tal como é o
EDUCA, já que pode caso das escolas
estrelar no sentido mais brasileiras que sequer têm
vivaz do termo. competência para
A conjunção aditiva do meramente INTROJETAR
“também” e debaixo de conteúdos externos
aspas é para SALIENTAR padronizados como tijolos
que é necessário, para paredes.
cumulativamente, às
18
Isso sim é escandaloso, HUMANIDADE deles está
pouco percebido só comprometida e cujos
porque é mais frequente efeitos nefastos egoísticos
entre nós a patologia que e altruísticos são
a saúde. evidentes..
Saber discernir com alto Não é porque é CRUEL
rigor, ler sua própria essa DES-HUMANIDADE
consciência, decidir que ela não é o caso, pois
vocação, fortalecer-se em o é. Quem nunca viu
virtudes, deliberar sobre advogados desprovidos de
moral, formular instrução primária é porque
estratégias de vida, etc certamente não atua entre
...é atividade de eles, só por isso. O que
EDUCAÇÃO e, pois, vale, nesse particular aos
reservada aos que vão advogados, vale a
ousar abrir a porta a partir administradores,
de dentro elevando sua arquitetos, profissionais da
HUMANIDADE. saúde, a universitários em
Contudo, ler textos geral e descendo a
básicos, escrever ao extratos mais simples.
menos um bilhete com Todas as pessoas são
dois parágrafos, ter fala inclusive juridicamente
com mínimo de cadência obrigadas a para a escola,
ordenada, captar mas só 7% delas
disposições espaciais assimilam o conteúdo
simples, dominar as 4 meramente INSTRUTIVO
operações da aritmética de matemática e 8%
mais porcentagem e regra assimilam o conteúdo
de 3 são coisas meramente INSTRUTIVO
notoriamente de de português.
INSTRUÇÃO e que hão A afirmação, pois, de que a
mesmo de ser colocadas, ESCOLA NÃO (OU
à fórceps se necessário, SEQUER) INSTRUI já é
nas almas dos um SALTO na
instruindos, sem o que a compreensão da MISÉRIA
19
em que vivemos, com vistas de mera amenização
contornos fortes de DES- da patologia endêmica.
HUMANIDADE e sem

20
TÓPICO IV

Curso de TRIVIUM DA CASA DA


CRÍTICA

A CASA DA CRÍTICA A turma 3 aberta ao público


nasceu de um curso de será lançada em
TRIVIUM cuja setembro/18 e com um
repercussão revelou uma programa revisado em
demanda represada por relação às edições
EDUCAÇÃO CLÁSSICA. anteriores, composto de 5
Isso foi há 2 anos e já aulas sobre os
ministramos o programa 2 pressupostos do TRIVIUM
vezes para grupos mais 9 aulas das
privados e 2 vezes aberto disciplinas próprias, num
ao público. total, pois, de 14 aulas
conforme o quadro:

21
Obviamente, não serão conta com base em
em 14 aulas que o indicações bibliográficas
estudante vai receber e que fornecemos mais pelas
fruir do vasto cabedal do orientações individuais
TRIVIUM. providas por 2
Nossa proposta é de atendimentos ao longo do
apresentação da estrutura curso, 1 no início e 1 ao
geral, dos conceitos cabo logo antes das aulas
centrais e do de retórica.
encadeamento da O próprio TRIVIUM
proposta EDUCACIONAL- ministrado pelos medievais
EXISTENCIAL não tinha estrutura
propugnada pelo professoral-assitencial
TRIVIUM de sorte a que o como conhecemos hoje. O
aluno que mesmo que esquema funcionava de
nada soubesse do forma que o preceptor
TRIVIUM tenha condições encontrava seu discípulo
de seguir avante por sua para prover as indicações

22
das leituras e afazeres, Todas as aulas podem ser
sempre à  luz da assistidas em REPLAY por
INDIVIDUALIDADE e até 30 dias após sua
TEMPERAMENTO do
discípulo.
realização.Materiais de
Os encontros PRECEPTOR- apoio e indicações
DISCÍPULO podiam se bibliográficas específicas
espaçar bastante. serão fornecidas a toda
Recordemos a aula, bem como os áudios
apresentação: EDUCAÇÃO das aulas que serão
é um processo de
enviados em seguida às
VONTADE, exercida "porta
para dentro" e o mesmas.
PRECEPTOR só ORIENTA o Como adiantado, há 2
processo. atendimentos pessoas com
Este curso não deve ser agendamento prévio.
feito com vistas a acúmulo Não emitimos e jamais
de conhecimento, mas
emitiremos quaisquer
com espírito de abertura à
perspectiva LIBERAL, certificados. Nosso valor é
existencial, já informada. que a EDUCAÇÃO vale por
Ainda que tenha viés si, para o ser ser mais, e
intelectual, o curso não é não para titular sob
RACIONALISTA. Suas vistas qualquer forma.
são para que o aluno SEJA Todos os alunos de
mais, conheça melhor os
qualquer edição do curso
processos de percepção,
desejo, imaginação, serão sempre chamados
cognição. vontade, para a AULA BÔNUS das
autoenganos e estrutura turmas vindouras e de
geral da realidade. forma gratuita.
As aulas são por GRATUITA também é a 1a
WEBINÁRIO com o
AULA, a qual expõe em
professor presente e
conforme o calendário. maiores detalhes os
Após a exposição de cada panoramas do TRIVIUM e
aula, o professor do curso, respondendo ao
permanece online para vivo todas as perguntas.
responder a perguntas e
comentários.

23
SOBRE O PROFESSOR

vicente do Prado Tolezano é graduado em Direito


pela PUC/SP, exerce a advocacia empresarial há 24
anos, fez Mestrado Acadêmico em Filosofia na
Faculdade de Filosofia do Mosteiro de São Bento
em São Paulo, com dissertação defendida sobre a
Metafisica de Aristóteles, tem formação
complementar em Psicanálise, Gestão, Mediação,
Biodança e Filosofia Clinica. É diretor geral da
CASA DA CRÍTICA.

24