Você está na página 1de 2

PRÁTICA FORENSE EM DEFENSORIA PÚBLICA

Direito Penal - Aula 15


Geovane Moraes

CONTINUAÇÃO DA AULA ANTERIOR ... causa - considerou abjeto o motivo do crime, até
porque os jurados julgam por convicções íntimas.
PARTE ESPECIAL 2. (STF, RHC 112236, Relator(a): Min. TEORI ZA-
VASCKI, Segunda Turma, julgado em 08/10/2013)
CRIMES CONTRA A VIDA
QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO
HOMICÍDIO
II - por motivo fútil;
QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO
TEMAS CABULOSOS
I - mediante paga ou promessa de recompensa, ou
por outro motivo torpe; - Ausência de motivo e motivo fútil são equivalen-
tes?
TEMAS CABULOSOS - Qual o critério de arguição desta futilidade?

- A qualificadora do homicídio mercenário comu- QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO


nica-se ao mandante do crime? III – com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfi-
- A paga ou promessa de recompensa no homicí- xia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de
dio mercenário necessariamente deve ser natu- que possa resultar perigo comum;
reza material?
- O ciúme é motivo torpe? TEMAS CABULOSOS
- A vingança é motivo torpe?
- O que devemos entender por veneno?
“[...] O ciúme, por si só, sem outras circunstâncias, - O venefício presume o desconhecimento da
não caracteriza o motivo torpe. [...]” (STJ, AgRg no vítima quanto a ingestão da substância?
AREsp 569047 PR, Sexta Turma, j. 28/04/2016, DJe - Como diferenciar o crime de homicídio qualifi-
06/05/2015) cado pela tortura do crime de tortura qualificada
pelo resultado morte?
1. A análise do recurso que objetiva a manutenção,
em sede de pronúncia, de uma qualificadora do QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO
delito de homicídio indicada na denúncia, qual seja,
o motivo fútil consistente em ciúme, constitui-se IV - à traição, de emboscada, ou mediante dissimu-
como questão eminentemente de direito, não de- lação ou outro recurso que dificulte ou torne impos-
mandando qualquer incursão no contexto fático- sível a defesa do ofendido;
probatório para a sua resolução.
2. Agravo regimental desprovido. QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO
(STJ, AgRg no REsp 1557338/MG, Rel. Ministro
JORGE MUSSI, QUINTA TURMA, julgado em V - para assegurar a execução, a ocultação, a im-
19/11/2015, DJe 25/11/2015) punidade ou vantagem de outro crime;
[...] 3. Paciente condenado à pena de 12 anos de
reclusão, em regime inicial fechado, como incurso QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO
no art. 121, § 1.º , inciso I, in fine, do Código Penal.
Ao proferir o veredicto, os Jurados, com base nos VI - contra a mulher por razões da condição de sexo
elementos probatórios constantes dos autos, reco- feminino;
nheceram a prática do crime contra a vida, na forma § 2o-A Considera-se que há razões de condição de
qualificada pelo motivo torpe, já que o agente as- sexo feminino quando o crime envolve:
sassinou a ex-companheira por vingança. [...] (STJ, I - violência doméstica e familiar;
HC 265444 SP, Rel. Min. Laurita Vaz, 5ª Turma, j. II - menosprezo ou discriminação à condição de
03/06/2014, DJe 11/06/2014) mulher.

1. Os jurados enfrentaram a quesitação apresenta- LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006


da e reconheceram, com base nas provas dos au-
tos, que a motivação para o crime era mesmo a Art. 5o Para os efeitos desta Lei, configura violência
vingança e que ela tinha o condão de qualificá-lo doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação
pela torpeza. Desse modo, escapa dos limites da ou omissão baseada no gênero que lhe cause mor-
via estreita do habeas corpus, por demandar o re- te, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e
volvimento de fatos e provas, refutar os fundamen- dano moral ou patrimonial:
tos pelos quais o Tribunal do Júri – juiz natural da

www.cers.com.br 1
PRÁTICA FORENSE EM DEFENSORIA PÚBLICA
Direito Penal - Aula 15
Geovane Moraes

I - no âmbito da unidade doméstica, compreendida sob o pretexto de prestação de serviço de seguran-


como o espaço de convívio permanente de pesso- ça, ou por grupo de extermínio.
as, com ou sem vínculo familiar, inclusive as espo-
radicamente agregadas;
II - no âmbito da família, compreendida como a co-
munidade formada por indivíduos que são ou se
consideram aparentados, unidos por laços naturais,
por afinidade ou por vontade expressa;
III - em qualquer relação íntima de afeto, na qual o
agressor conviva ou tenha convivido com a ofendi-
da, independentemente de coabitação.

OLHA O BIZÚ

§ 7o A pena do feminicídio é aumentada de 1/3


(um terço) até a metade se o crime for praticado:
I - durante a gestação ou nos 3 (três) meses poste-
riores ao parto;
II - contra pessoa menor de 14 (catorze) anos, maior
de 60 (sessenta) anos ou com deficiência;
III - na presença de descendente ou de ascendente
da vítima.

QUALIFICADORAS DO HOMICÍDIO

VII - contra autoridade ou agente descrito nos arts.


142 e 144 da Constituição Federal, integrantes do
sistema prisional e da Força Nacional de Segurança
Pública, no exercício da função ou em decorrência
dela, ou contra seu cônjuge, companheiro ou paren-
te consanguíneo até terceiro grau, em razão dessa
condição:

TEMA CABULOSO

- A qualificadora do inciso VII aplica-se aos guardas


municipais e aos agentes de trânsito?

OLHA O BIZÚ

- É possível o reconhecimento do homicídio privi-


legiado e qualificado ao mesmo tempo;
- Esta hipótese não se caracteriza como crime
hediondo;

§ 4o No homicídio culposo, a pena é aumentada de


1/3 (um terço), se o crime resulta de inobservância
de regra técnica de profissão, arte ou ofício, ou se o
agente deixa de prestar imediato socorro à vítima,
não procura diminuir as consequências do seu ato,
ou foge para evitar prisão em flagrante. Sendo dolo-
so o homicídio, a pena é aumentada de 1/3 (um
terço) se o crime é praticado contra pessoa menor
de 14 (quatorze) ou maior de 60 (sessenta) anos.

§ 6o A pena é aumentada de 1/3 (um terço) até a


metade se o crime for praticado por milícia privada,

www.cers.com.br 2