Você está na página 1de 3

CESAR AUGUSTO VENANCIO DA SILVA (Sair)

> Bem-vindo > Consultas Processuais > Consulta de Processos de 2º Grau

Consulta de Processos de 2º Grau

Dados para Pesquisa

Unidade: Todas as unidades


Pesquisar por: Nome da parte
Nome da parte: ANTONIO MARROCOS LACERDA Pesquisar por nome completo

Este processo é digital. Clique aqui para visualizar os autos.

Dados do Processo

Processo: 0000250-87.2016.8.06.0209 Encerrado


Classe: Apelação
Área : Cível
Assunto: Interpretação / Revisão de Contrato
Origem: Comarca de Potengi / Potengi / Vara Única Vinculada de Potengi
Números de origem: 0000250-87.2016.8.06.0209
Distribuição: 2ª Câmara Direito Privado
Relator: TEODORO SILVA SANTOS
Volume / Apenso: 1/0
Última carga: Origem: Coordenadoria de Protocolo e Malote / Coordenadoria de Protocolo e Malote. Remessa: 07/12/2017
Destino: Núcleo de Digitalização do Segundo Grau / Núcleo de Digitalização do Segundo Grau. Recebimento: 07/12/2017
Observações : 23506

Não há processos apensos ou vinculados para este processo.

Números de 1ª Instância
Não há números de 1ª instância para este processo.

Partes do Processo
Apelante: Brasil Veiculos Companhia de Seguros S/A
Advogado: David Sombra Peixoto
Apelado: Antonio Marrocos Lacerda
Advogado: Jorge Walace Saraiva Cruz

Exibindo todas as movimentações. >>Listar somente as 5 últimas.


Movimentações
Data Movimento
14/08/2018 Juntada de Documento
10/08/2018 Baixa Definitiva
10/08/2018 Transitado em Julgado
10/08/2018 Certidão de Trânsito em Julgado
10/08/2018 Decorrido prazo
04/07/2018 Expedida Certidão de Publicação de Acórdão
04/07/2018 Publicado no Diário da Justiça Eletrônico
Disponibilizado em 03/07/2018 Tipo de publicação: Intimação de Acórdão Número do Diário Eletrônico: 1937
28/06/2018 Enviados Autos Digitais da Secretaria p/ Divisão. de Recursos Cíveis
28/06/2018 Expedida Certidão de Julgamento
28/06/2018 Juntada de Petição
Nº Protocolo: TJCE.18.00088815-7 Tipo da Petição: Petições Intermediárias Diversas Data: 26/06/2018 14:04
27/06/2018 Acórdão - Assinado
EMENTA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL. DIREITO CIVIL E DO CONSUMIDOR. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE
FAZER E INDENIZATÓRIA. SEGURO DE VEÍCULO. PRELIMINARES DE NULIDADE DA CITAÇÃO E ILEGITIMIDADE
AFASTADAS. RESCISÃO UNILATERAL SEM NOTIFICAÇÃO PRÉVIA. COBERTURA DEVIDA. DANO MORAL. NÃO CABIMENTO.
INDENIZAÇÃO INTEGRAL DO VEÍCULO QUE DEVE OBSERVAR A TABELA FIPE. NECESSIDADE DE QUITAÇÃO DAS PARCELAS
DO PRÊMIO. SEGURO DE VEÍCULO FINANCIADO COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA. RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE
PROVIDO. Preliminar de Nulidade da Citação: No caso em exame, ao que se vê pela documentação anexada aos autos,
especialmente após a consulta feita no sítio do Banco do Brasil S. A., percebe-se claramente que a empresa Brasil Veículos
Companhia de Seguros faz parte do grupo econômico capitaneado pelo Banco do Brasil S. A. Falta de elementos trazidos
no recurso de apelação para assegurar que o endereço para qual foi endereçada a carta de citação é efetivamente do
Banco do Brasil, pois, em nenhum momento a recorrente demonstra que a citação foi recebida por pessoa que não tem
poderes para tal fim. Dessa forma, a citação endereçada à agência bancária de um desses segmentos em substituição ao
efetivamente acarretador dos danos alegadamente acarretados ao autor da postulação, não gera a invalidade do ato
citatório, posto que aplicável, nesse contexto, a teoria da aparência. Precedentes do STJ. Preliminar de Ilegitimidade Ativa
do Apelado: É totalmente descabida a preliminar de ilegitimidade ativa, estando o contrato de seguro no nome do autor
qualquer discussão acerca das cláusulas contratuais é de seu interesse. O autor da ação figura como contratante do seguro
Data Movimento
e, por conseguinte, segurado, ostentado legitimidade para postular cobertura que, conquanto compreendida nos riscos
assumidos, fora negada pela seguradora. Mérito: No caso em tela, a contratação do seguro para o veículo está comprovada
pela apólice(comprovante nas fls. 40). Da mesma forma, é incontroversa a ocorrência do sinistro, em 20.04.2016.
Contudo, o mero atraso do pagamento de parcela do prêmio não implica automaticamente no cancelamento do contrato de
seguro, devendo ocorrer a prévia constituição em mora do segurado, mediante notificação. De outro lado, os documentos
acostados da inicial demonstram que o segurado se comportou de boa-fé ao realizar o primeiro pagamento, tendo em vista
que em nenhum momento a seguradora demonstrou a não aceitação da primeira parcela do prêmio mesmo com valor
menor. Em relação ao dano moral, o entendimento deste órgão julgador é de que a seguradora, ao negar a cobertura do
sinistro não pratica ato ilícito ensejador de reparação por dano moral ou emergente. Acrescente-se, ainda, que, no caso
concreto, não incide a presunção da ocorrência do efetivo dano moral, pela simples ocorrência do fato em si, motivo pelo
qual, prospera o apelo da seguradora quanto ao ponto. Em relação aos danos materiais, o magistrado de piso condenou a
recorrente no valor de R$ 148.479,85, em razão dos supostos percebidos pelo consumidor. Contudo, o referido valor se
trata da quantia necessária para conserto do veículo segurado, valor este que não corresponde ao da indenização
securitária contratualmente prevista, que, em verdade limita-se à indenização por perda total do veículo, consoante tabela
FIPE, em valor abaixo do requerido e condenado. Destaca-se ainda que seja descontado a quantia referente ao valor do
prêmio devido pelo contrato de seguro, caso não tenho ocorrido o pagamento, a satisfazer com razoabilidade a pretensão
autoral. Deve a seguradora promover o pagamento da indenização securitária de forma que a alienante (instituição
financeira) receba o valor que lhe é devido de modo a possibilitar a exoneração do gravame pendente sobre o bem,
viabilizando subseqüente transferência de propriedade do bem a seguradora. Eventual saldo de numerário, daí sim, deverá
ser alcançado ao consumidor. Caso o segurado apresente comprovante de quitação do bem junto ao agente financeiro,
deverá a seguradora realizar então o pagamento da indenização ao consumidor, com a consequente transferência do bem
a seguradora. Recurso apelatório conhecido e parcialmente provido. ACÓRDÃO: Vistos, relatados e discutidos estes autos,
acorda a 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, por unanimidade, em conhecer do
recurso para rejeitar as preliminares e no mérito dar-lhe parcial provimento, nos termos do voto do Relator. Fortaleza, 27
de junho de 2017. CARLOS ALBERTO MENDES FORTE Presidente do Órgão Julgador DESEMBARGADOR TEODORO SILVA
SANTOS Relator PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA
27/06/2018 Conhecido o recurso e provido em parte
27/06/2018 Julgado
Rejeitaram a preliminar, para, no mérito, dar parcial provimento ao recurso conforme acórdão lavrado. - por unanimidade.
18/06/2018 Concluso ao Relator
18/06/2018 Expedida Certidão de Publicação de Pauta
18/06/2018 Publicado no Diário da Justiça Eletrônico
Disponibilizado em 15/06/2018 Tipo de publicação: Próximos Julgados Número do Diário Eletrônico: 1926
14/06/2018 Inclusão em pauta
Para 27/06/2018
13/06/2018 Enviados Autos Digitais do Gabinete para Secretaria de Câmara
13/06/2018 Relatório - Assinado
18/04/2018 Concluso ao Relator
18/04/2018 Expedido Termo de Autuação/Distribuição/Conclusão
18/04/2018 Processo Distribuído por Sorteio
Equidade Órgão Julgador: 65 - 2ª Câmara Direito Privado Relator: 1215 - TEODORO SILVA SANTOS
10/04/2018 Enviados Autos Digitais do Núcleo de Digitalização de Originários e Recursos para Departamento de Distribuição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Expediente Realizada
10/04/2018 Juntada de Petição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Petição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Petição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Petição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Petição
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
10/04/2018 Juntada de Documento
Data Movimento
07/12/2017 Recebidos Autos pelo Núcleo de Digitalização do Segundo Grau
07/12/2017 Remetidos Autos ao Núcleo de Digitalização do Segundo Grau
07/12/2017 Processo Autuado
Coordenadoria de Protocolo e Malote

Incidentes, ações incidentais, recursos e execuções de sentenças


Não há incidentes, ações incidentais, recursos ou execuções de sentenças vinculados a este processo.

Petições diversas
Data Tipo
26/06/2018 Petições Intermediárias Diversas

Composição do Julgamento
Participação Magistrado
Relator TEODORO SILVA SANTOS
1º FRANCISCO GOMES DE MOURA
2º MARIA DE FÁTIMA DE MELO LOUREIRO

Julgamentos
Data Situação do julgamento Decisão
27/06/2018 Julgado Rejeitaram a preliminar, para, no mérito, dar parcial provimento ao recurso
conforme acórdão lavrado. - por unanimidade.

Desenvolvido pela Softplan em parceria com o Tribunal de Justiça do Ceará