Você está na página 1de 20

5.

1
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

5- Tensão Admissível à Fadiga

Peça terá vida infinita (isto é N > Ncrit) se :

S max ≤ S Fadm

b 1 .b 2 .b 3
S = S
β .η 1 .η 2 .η 3 .η .η
Fadm F
k 4 5

Sfadm = tensão de fadiga admissível


SF - limite de resistência à fadiga para o corpo de prova e sob mesma solicitação k da peça
b1, b2, b3 Æ fatores de influência
ηi = coeficientes de segurança
Bk = coeficiente de entalhe

* Se k = ∞ usar Fig.1 da apostila de ábacos de fadiga (caso de flexão) ou Fig.2 (caso de tensão uniaxial:
tração/compressão) ou Fig.3 (torção) para obter :

S F = S Fa
* Se k ≠∞ , com SFa obtido acima e mais Se e montar Goodman simplificado e obter

S F = S Fk

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 2
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Figura 1- Curvas do limite de


Figura 2- Curvas do limite de
resistência à fadiga alternada de
resistência à fadiga alternada
FLEXÃO para aços em função
AXIAL para aços em função da
da tensão de ruptura a Tração.
tensão de ruptura a Tração.

Figura 3- Curva do limite de


resistência à fadiga alternada
de TORÇÃO para aços em
função da tensão de ruptura a
Tração.

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 3
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Obtenção de SF para k≠∞ Sofrem influência do coeficiente de variação da solicitação

Obs:
b1.b2 b3
S Fadm = S Fa ⋅
-ηi= > 1
-b1, b2, b3 < 1
β k η1.η 2 .η3 .η4 .η5 - Para corpos de prova ηi=1

S 
a) Obtém-se ′ =  Fa  ⋅ b1 ⋅ b2
S Fa
 β k  k =∞

b) Constrói-se Goodman simplificado com S’Fa

k
S Fa S e ou S rt
S Fk
S ' Fa

b3
c) S Fadm = S Fk
η1.η 2 .η3 .η 4 .η5
Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 4
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Expressão Analítica de SFk k≠∞

k S 
S e ou S Rt D E S ' Fa =  Fa  .b1.b2
 β k  k =∞
y C
B
S ' Fa A

x Se
k≠∞ y = k .x
Reta representativa de
y − S ' Fa S − S ' Fa
Semelhança de triângulos : ∆ ABC ~ ∆ AED = e
x S e
 S ' Fa  y
y = 1 −  x + S ' Fa mas , x =
 Se  k
 S'  y
y = 1 − Fa  + S 'Fa
 Se  k

S ´ Fa S ´ Fa
y = S Fk ≠∞ = ou y = S Fk ≠∞ =
1  S ´ Fa  1  S ´ Fa 
1 − 1 −  1 − 1 − 
k S e  k S rt 

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 5
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

b1, b2 e b3 - Fatores de influência

• b1 Coeficiente de acabamento superficial

• Fadiga depende do acabamento


• Ra do corpo de prova # do Ra da peça b1

b1 = f(σrt)
Ra Fadiga b1 SFadm
• A operação de shot peening (bombardeamento com granalha de aço) é usada para aliviar tensões superficiais e
melhorar o comportamento à fadiga.

Coeficiente de acabamento superficial

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 6
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

• b2 Coeficiente dimensional

Fadiga depende da dimensão da peça. D SF

• Kugel : Diâmetro maior (maior volume de material) implica em maior probabilidade de falha por fadiga.

• Von Philip : Material perto da LN (σ ≅ 0) "descarrega" trabalho das fibras externas ⇒ σmax real é menor que
teórico. Para diâmetros grandes este efeito é pequeno.

σ teorico σ real

d ≅ 2 S ⇒ S F

S = 3 mm

Obs:
• d em mm;
• p/ d≤10mm Æ b2=1Æ dimensão da peça ≈ corpo de
prova;
• S ≈ 3,1mm para aço; S ≈ 1,0 mm para o alumínio;
• para solicitação axial pura b2=1, ou seja, não existe
variação do limite com o aumento do diâmetro.

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 7
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

• b3 Coeficiente de forma da secção

A distribuição de tensão depende da forma da secção (há formas de secção mais críticas que outras)

k =2

S F = 100% S F = 63 %

Assume-se b3 = 1 para secção circular. S F forma geométrica = S Fcírculo .b3

Se necessário ensaia-se a peça de forma genérica ⇒ Wohler ⇒ Goodman

Obtém-se S F forma geométrica e faz-se S ´ F = S F forma geométrica .b3 (b 3 = 1)

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 8
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

• βk Coeficiente de entalhe para solicitação dinâmica

βk depende de :

• Material : ↑ σrt , ↓ ductilidade, ↑ βk (e portanto ↓ SFadm)

• Tipo de entalhe: ↑ concentração de tensão, ↑ βk

• Dimensão relativa entalhe/peça : ↑ região de concentração de tensões , ↑ βk

β k1 < β k 2

β k1 βk2
• Tipo de solicitação (flexão, torção, ...)
• Variação da solicitação : ↑ k , ↑ βk

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 9
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Como obter βk

a) obter βk por ensaios diretos

P
a1 ) d1 S Fafa1 ⇒ Goodman ⇒ S Fka1

P
a2)
d2 S Fafa2 ⇒ Goodman ⇒ S Fka2
d1

σ 2 σ1

S Fka1
βk =
S Fka2

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 10
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

b) obter βk por gráficos e ábacos disponíveis


Alguns casos, obtenção direta de βk em função de σrt

OBS.: 1) Efetuar interpolações necessárias


2) βk diferentes para Mf, Mt e solicitação uniaxial
3) Efetuar correções de configuração de entalhe
d2 r φ
, , etc.
d1 d d

4) βk dos ábacos são válidos para k =∞

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 11
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

d2  
Para ≠ 2 ⇒ β k = 1 + c  β k − 1

d1 
d2
d1
=2

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 12
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

c) obter βk através de αk
αk : Coeficiente de entalhe para solicitações estáticas.

P
P
σm =
σ max (b − d )h
P
σn =
b.h

σ max
α =
σ m
k

P αk > βk > 1
αk : Medida da concentração de tensões

É mais fácil de ser obtido que βk


• Gráficos e ábacos
• Casos simples : teoria da elasticidade
Elementos finitos
• Maioria dos casos : Fotoelasticidade
Determinação experimental

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 13
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Tendo-se αk β k = 1 + η k (α k − 1)
ηk : coeficiente de sensibilidade ao entalhe

Para o mesmo σRt, escolher • Fragilidade do aço ↑ Æ ↑ ηk


ηk de acordo com :
• Tensão de ruptura ↑ Æ ↑ ηk
• Severidade do entalhe (D/d por ex.) ↑ Æ ↑ ηk
• Valor de αk ↑ Æ ↑ ηk

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 14
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Fator de intensidade concentração

Fator de intensidade concentração


Figura 4- Fator de concentração de tensão para uma barra Figura 5- Fator de concentração de tensão para uma barra
retangular sujeito à tração ou compressão com um retangular sujeito à flexão com um furo transversal
furo transversal

Fator de concentração de tensão


Fator de concentração de tensão

Figura 6- Fator de concentração de tensão para uma barra Figura 7- Fator de concentração de tensão para uma barra
com entalhes, sujeita a tração e compressão retangular sujeito à flexão

Fonte: Shigley, J. E. et al. Mechanical Engineering Design. 7th ed. 2004

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 15
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Fator de concentração de tensão

de
concentração
Fator de
tensão
Figura 8- Fator de concentração de tensão para uma barra com
Figura 9- Fator de concentração de tensão para uma barra com
variação de secção sujeita a tração e compressão.
variação de secção sujeita a flexão.

Fonte: Shigley, J. E. et al. Mechanical Engineering Design. 7th ed. 2004

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 16
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Figura 10- Fator de concentração de tensão para eixo de secção Figura 11- Fator de concentração de tensão para eixo de secção
circular sujeito a tração circular sujeito a torção

Figura 12- Fator de concentração de tensão para eixo de secção


circular sujeito à flexão
Fonte: Shigley, J. E. et al. Mechanical Engineering Design. 7th ed. 2004

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 17
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Figura 13- Fator de concentração de tensão para eixo de secção


circular, com um furo, sujeito à flexão
Figura 14- Fator de concentração de tensão para eixo de seção
circular, com um furo, sujeito à torção

Figura 15- Fator de concentração uma barra sujeita a tração através


de um pino.

Fonte: Shigley, J. E. et al. Mechanical Engineering Design. 7th ed. 2004

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 18
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Figura 16- Fator de concentração de tensão para eixo de secção


Figura 17- Fator de concentração de tensão para eixo de seção
circular, com um rasgo arredondado, sujeito à tração.
circular, com rasgo arredondado, sujeito à flexão.

Figura 18- Fator de concentração de tensão para eixo de seção


circular, com rasgo arredondado, sujeito à torção.

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 19
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

Figura 19- Fator de concentração de tensão para tubo de seção


circular, com furos redondo transverso sujeito a flexão.

A tensão nominal σ0-M/Znet é um é um valor reduzido no

Valores de A são listados na tabela. Use d=0 para um eixo sólido.

Figura 20- Fator de concentração de tensão para tubo de seção


circular, com furos redondo transverso sujeito a
torção.

A máxima tensão ocorre no interior do furo logo abaixo


da superfície. A tensão nominal de cisalhamento é
τ0=TD/2Jnet onde Jnet é um valor reduzido do
segundo momento polar da área e é definido por

Valores de A são listados na tabela. Use d=0 para um


eixo sólido.
Fonte: Shigley, J. E. et al. Mechanical Engineering Design. 7th ed. 2004

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)
5. 20
Notas de aula – Aula 05 – Tensão Admissível à Fadiga

η1, η2, η3, η4, η5 : Coeficientes de Segurança

• η1 : Leva em conta as incertezas de dados metalúrgicos e tratamentos 1,0 ≤ η1 ≤ 1,2


térmicos

1,25 ≤ η 2 ≤ 1,5 Incertezas quanto ao βk


• η2 : Hipóteses simplificadoras Incertezas de solicitação,
1,1 ≤ η 2 ≤ 1,25 modelo, carga e vínculos.

• η3 : Importância da falha da peça 1,0 ≤ η 3 ≤ 1 , 25

• η4 : Incerteza da determinação do valor das cargas 1,0 ≤ η 4 ≤ 1,2

• η5 : Leva em conta choques e sobrecargas

Grupo Tipo de Choque η5


I Leves 1,0 a 1,1

II Médios 1,2 a 1,5

III Fortes 1,5 a 2,0

IV Muito Fortes 2,0 a 3,0

Conhecido o valor da tensão admissível de fadiga SFadm , está terminado o estudo de fadiga

Elementos de Máquina (SEM 0241) – MASSAROPPI, E; CARVALHO, J. FORTULAN, C.A.; LIRANI, J. (2007)