Você está na página 1de 82

Ricardo Elias Elnour

Fundamentos
da Economia
Fundamentos
da Economia
Ricardo Elias Elnour

Fundamentos
da Economia

Natal/RN
2015
presidente
PROF. PAULO DE PAULA

diretor geral
PROF. EDUARDO BENEVIDES

diretora acadêmica
PROFA. LEIDEANA BACURAU

diretora de produção de projeto


PROFA. JUREMA DANTAS

FICHA TÉCNICA

gestão de produção de materiais didáticos


PROFA. LEIDEANA BACURAU

coordenação de design instrucional


PROFA. ANDRÉA CÉSAR PEDROSA

projeto gráfico
ADAUTO HARLEY SILVA

diagramação
MAURIFRAN GALVÃO

designer instrucional
ITSUO MACÊDO OKASHITA

revisão de língua portuguesa


SÍLVIA BARBALHO BRITO

revisão das normas da ABNT


LUÍS CAVALCANTE FONSECA JÚNIOR
SÍLVIA BARBALHO BRITO

ilustração
RAFAEL EUFRÁSIO DE OLIVEIRA
Catalogação da Publicação na Fonte (CIP).
Ficha Catalográfica elaborada por Luís Cavalcante Fonseca Júnior - CRB 15/726.

E37d Elnour, Ricardo Elias.


Fundamentos da economia / Ricardo Elias Elnour ;
edição e revisão do Instituto Tecnológico Brasileiro (ITB).
– Natal, RN : 2015.
78 p. : il. color.

ISBN 978-85-68100-54-7
Inclui referências

1. Fundamentos da economia. 2. Conceitos e definições


de economia. 3. Problemas econômicos. I. Instituto
Tecnológico Brasileiro. II.Título.

RN/ITB/LCFJ CDU 330.111


“A economia é uma ciência social e utiliza funda-
mentalmente uma análise positiva, que deve explicar
os fatos da realidade.”
(Marco Antônio S. Vasconcelos)
Índice iconográfico

Atividade Vocabulário Importante

Mídias Curiosidade Querendo mais

Você conhece? Internet Diálogos

O material didático do Sistema de Aprendizado itb propõe ao aluno uma linguagem objetiva, sim-
ples e interativa. Deseja “conversar” diretamente, dialogar e interagir, garantir o suporte para o es-
tudante percorrer os passos necessários a sua aprendizagem. Os ícones são disponibilizados como
ferramentas de apoio que direcionam o foco, identificando o tipo de atividade ou material de estudo.
Observe-os na descrição a seguir:

Curiosidade – Texto para além da aula, explorando um assunto abordado. São pitadas de conheci-
mento a mais que o professor pode proporcionar ao aluno.

Importante! – Destaque dado a uma parte do conteúdo ou a um conceito estudado, que seja con-
siderado muito relevante.

Querendo mais – Indicação de uma leitura fora do material de estudo. Vem ao final da competência,
antes do resumo.

Vocabulário – Texto explicativo, normalmente curto, sobre novos termos que são apresentados no
decorrer do estudo.

Você conhece? – Foto e biografia de uma personalidade conhecida pelas suas obras relacionadas
ao objeto de estudo.

Atividade – Resumo do conteúdo praticado na competência em forma de exercício. Pode ser apre-
sentado ao final ou ao longo do texto.

Mídias – Contém material de estudo auxiliar e sugestões de filmes, entrevistas, artigos, podcast e
outros, podendo ser de diversas mídias: vídeo, áudio, texto, nuvem.

Internet – Citação de conteúdo exibido na Internet: sites, blogs, redes sociais.

Diálogos – Convite para discussão de assunto pelo chat do ambiente virtual ou redes sociais.
Sumário
Apresentação institucional 09
Palavra do professor autor 11
Apresentação das competências 13

Competência 01
Definir o significado de economia 17
A economia 17
Objetivo do estudo da economia 19
Resumo 23
Autoavaliação 23

Competência 02
Identificar o sistema econômico 27
O sistema econômico 27
Elementos básicos do sistema econômico 28
Problemas econômicos fundamentais 29
Resumo 30
Autoavaliação 31

Competência 03
Descrever a atividade econômica 35
Aspectos fundamentais da atividade econômica 35
Tipos de atividades econômicas no Brasil 36
Setor secundário 37
Setor terciário 38
Os agentes econômicos 38
Resumo 40
Autoavaliação 40

Competência 04
Identificar a microeconomia 45
O mercado 45
Classificações de mercado 46
Fatores que influenciam a evolução do mercado 47
Exemplos de crise econômica 47
Microeconomia e mercado 49
Preço de equilíbrio 50
Resumo 52
Autoavaliação 52

Competência 05
Identificar a macroeconomia 57
Desafios da macroeconomia 57
Estruturas da macroeconomia 58
Instrumentos da macroeconomia 59
Resumo 63
Autoavaliação 63

Competência 06
Reconhecer a influência da globalização e da economia internacional 67
O surgimento da globalização 67
Vantagens e desvantagens da globalização 68
Aceleração do comércio internacional com a globalização 69
Globalização: os tigres asiáticos 70
Economia internacional 71
Resumo 73
Autoavaliação 74

Referências 76
Conheça o autor 78
Apresentação institucional

Fundamentos da Economia
O Instituto Tecnológico Brasileiro (itb) foi construído a partir do sonho de educadores e
empreendedores reconhecidos no cenário educacional pelas suas contribuições no desen-
volvimento econômico e social dos Estados em que atuaram, em prol de uma educação de
qualidade nos níveis básico e superior, nas modalidades presencial e a distância.
Esta experiência volta-se para a educação profissional, sensível ao cenário de desen-
volvimento econômico nacional, que necessita de pessoas devidamente qualificadas para 9
ocuparem vagas de trabalho e garantirem suporte ao contínuo crescimento do setor pro-
dutivo da nação.
O Sistema itb de Aprendizado Profissional privilegia o desenvolvimento do estudante a
partir de competências profissionais requeridas pelo mundo do trabalho. Está direcionado
a você, interessado na construção de uma formação técnica que lhe proporcione rapida-
mente concorrer aos crescentes postos de trabalho.
No Sistema itb de Aprendizado Profissional o estudante encontra uma linguagem clara
e objetiva, presente no livro didático, nos slides de aula, no Ambiente Virtual de Aprendiza-
gem e nas videoaulas. Neste material didático, um verdadeiro diálogo estimula a leitura, o
projeto gráfico permite um estudo com leveza e a iconografia utilizada lembra as modernas
comunicações das redes sociais, tão acessadas nos dias atuais.
O itb pretende estar com você neste novo percurso de qualificação profissional, con-
tribuindo decisivamente para a ampliação de sua empregabilidade. Por fim, navegue no
Sistema itb: um estudo prazeroso, prático, interativo e eficiente o conduzirá a um posicio-
namento profissional diferenciado, permitindo-lhe uma atuação cidadã que contribua para
o seu desenvolvimento pessoal e do seu país.
Palavra do professor autor

Fundamentos da Economia
Seja bem-vindo ao componente curricular de Fundamentos da Economia! O estudo da
economia é de grande importância para a sociedade, pois trata da forma como as pessoas
lidam com questões econômicas do dia a dia, tais como: aumento de preços, período de
crise, desemprego, comportamento das taxas de juros, diferenças salariais, setores que
crescem mais que outros, dívida externa, problemas no balanço de pagamentos, elevação
de impostos, tarifas públicas, dentre outros. 11
Este estudo é dirigido a estudantes e profissionais das mais variadas áreas. Em geral,
tem por objetivo analisar os problemas econômicos no intuito de formular soluções para
resolvê-los. Ele fará com que você tenha uma visão mais abrangente das questões econô-
micas e compreenda melhor sobre o conceito e o significado da economia, seu objeto de
estudo, os principais objetivos da economia, os problemas econômicos fundamentais, a
microeconomia e a macroeconomia, as definições e as classificações de mercado, a globa-
lização, a economia internacional e suas inter-relações.
Ao longo deste livro, você encontrará várias oportunidades de avaliar seus conhecimen-
tos por meio das atividades propostas. Terá também a chance de se deparar com o cenário
econômico e suas influências, podendo colocar em prática tudo o que aprender. Lembre-se
que sempre é necessária a sua determinação e dedicação, para que possa alcançar êxito.
Agora, vamos lá!
Apresentação das competências

Fundamentos da Economia
Nossa primeira competência será definir o que significa economia e também o contexto
ao qual está inserida, sua importância, seu objeto de estudo, objetivos e significado.
A segunda competência foi desenvolvida no intuito de identificar os problemas econômi-
cos fundamentais e o sistema econômico.
Na terceira competência, vamos descrever a atividade econômica, os agentes econômi-
cos e suas funções e o custo de oportunidade. 13
O quarto momento será dedicado a identificar a microeconomia, conhecida também
como teoria de preços, que estuda o comportamento entre consumidores e produtores.
O quinto momento será dedicado a identificar a macroeconomia, que estuda os agentes
econômicos em seu conjunto, tratando do comportamento da economia como um todo.
Entenderemos a importância dos instrumentos da macroeconomia, a saber: política mone-
tária, política fiscal, política cambial e política de rendas.
Para finalizar, no sexto momento iremos reconhecer a influência da globalização na
economia internacional e os seus impactos.
Competência
01
Definir o significado
de economia
Definir o significado
de economia

Vou iniciar nossa competência perguntando: você já pensou na existência de um país


onde as atividades financeiras, comerciais e industriais fossem inexistentes? É impossível
imaginar a vida dessa forma, não é verdade? Pensando nessa importância da economia,
trataremos a respeito de seu objeto de estudo, que é a escassez. Aqui, essa palavra não
é considerada no sentido de falta. Ela defende que o ser humano nunca está satisfeito

Fundamentos da Economia
com o que possui, deseja sempre mais, porém, os recursos produtivos são limitados, não
podendo atender a todas as suas necessidades simultaneamente.

A economia
Economia é a ciência que estuda o modo como as pessoas utilizam seus recursos finan-
ceiros, assim como a maneira de administrá-los. Preocupa-se com o nível de produção e
17
produtividade no país para melhorar o padrão de vida das pessoas.

De acordo com Vasconcellos (2009), economia é a ciência social que estuda como
o indivíduo e a sociedade decidem (escolhem) empregar seus recursos produtivos escas-
sos na produção de bens e serviços, de modo a distribuí-los entre as várias pessoas e
grupos da sociedade, a fim de satisfazer as necessidades humanas.

Podemos dizer que Economia é também a ciência social que estuda a atividade
econômica através da aplicação da teoria de preços tendo, na gestão, a sua aplicabilidade
prática. E os economistas estudam a forma como as pessoas, as empresas e os governos
alcançam seus objetivos na área econômica.

Curiosidade
A economia surgiu como ciência a partir de 1.776, com a publicação da
obra de Adam Smith, A Riqueza das Nações. Antes disso, a Economia não
passava de um pequeno ramo da Filosofia Social e do Direito. Com o
Mercantilismo e a Fisiocracia, as ideias econômicas começam a ter um
pequeno desenvolvimento.
Mercantilismo:
teoria e sistema
de economia
política, domi-
nantes na Europa
após o declínio do
A palavra economia é de origem grega. Vem de oikos (casa) e nomos (norma, costume
feudalismo. ou lei), ou também gerir, administrar: regras da casa ou administração doméstica, adminis-
trar uma casa, Estado ou país.

Ao nos reunirmos com nossos amigos nas rodas de conversas em assuntos do dia a dia,
discutimos temas voltados à rotina das pessoas que vivem em sociedade, dos quais direta
ou indiretamente estão relacionados às questões econômicas, tais como:
Fundamentos da Economia

Fisiocracia: dou-
trina econômica
e filosófica do • Distribuição de renda: é a maneira como a renda (salários, riquezas) é distribuída aos
século XVIII, que
se baseia no
habitantes de determinada região (estado) ou país;
conhecimento e no
respeito às leis na-
• Desemprego: falta temporária de emprego/trabalho que supre a necessidade materiais
turais, considera a de um indivíduo e/ou famílias na sociedade;
terra como única
18 fonte de riqueza e • Inflação: é o aumento de preços de forma generalizada causados pela queda do valor
defende o liberalis-
de compra da moeda;
mo econômico.

• Pobreza: é a classificação de situação econômica que se dá àqueles que sobrevivem


em condições de extrema dificuldade financeira;

• Impostos: são os valores pagos pelos cidadãos ao Estado, para que o governo aplique
estes recursos em benefício da população;

• Taxas de juros: são as taxas cobradas pelo empréstimo de dinheiro;

• Tarifas públicas: são valores cobrados dos cidadãos para utilização dos serviços públi-
cos não essenciais que são prestados à sociedade;

• Diferenças salariais: são as diferenças de aumento de salários a serem pagos aos tra-
balhadores;

• Comportamento do governo: é a forma como o governo atua ou se comporta quanto


agente público que representa o povo na administração do Estado/país;

• Crescimento econômico: é a medição do desenvolvimento econômico através das ri-


quezas produzidas no país;
• Consumo de produtos e serviços: é a atividade que consiste na aquisição de produtos/
serviços por meio de pagamento, troca ou doação.

É exatamente para correlacionar o estudo da economia à prática no cotidiano de todos


nós, que será feita uma explanação objetiva e detalhada dos aspectos que envolvem a
atividade econômica no país.

Curiosidade
Na Grécia Antiga, como em Roma, a maior parte da população era com-
posta por escravos, seu trabalho era um modo de subsistência. Os senho-

Fundamentos da Economia
res dos escravos se apropriavam de tudo. Nesse período, a economia era
quase exclusivamente agrícola, o meio urbano não passava de uma fortifi-
cação com algumas casas, onde residiam os nobres, ou chefes militares.

19

Objetivo do estudo da economia


O objetivo de estudo da Ciência Econômica é analisar os problemas econômicos funda-
mentais e formular soluções para resolvê-los, de forma a melhorar a qualidade de vida e
satisfazer as necessidades das pessoas.
Atividade 01
Você consegue identificar a importância das questões econômicas que con-
versamos na rodas de amigos hoje? Cite um exemplo prático de onde uma
ou algumas delas são empregadas e compartilhe no fórum virtual.

O modo como as sociedades resolvem seus problemas econômicos fundamentais


depende do tipo de organização econômica do país, ou seja, do sistema econômico de
cada nação.
Fundamentos da Economia

A economia preocupa-se com os aspectos que podem ser medidos dentro da atividade
produtiva recorrendo ao conhecimento da econometria.
Econometria:
método estatístico
É possível observar que estudar os recursos oferecidos, que são limitados, e conciliar
de análise de da- às necessidades humanas é um dos principais objetivos da economia. Muitos afirmam que
dos e problemas
econômicos.
a economia é a ciência da escassez; por trata de recursos limitados, enquanto as necessi-
dades humanas sempre se renovam.

20
O objeto de estudo da economia

Vamos entender primeiramente o que é um objeto de estudo, certo? Bem, entende-


-se que objeto de estudo corresponde ao alvo de uma pesquisa, ou seja, aquilo que será
estudado, portanto o objeto de estudo da economia é o que diz respeito à escassez, isso
Escassez: falta de significa dizer que a economia estuda como economizar recurso.
um bem ou serviço
em relação à sua A escassez não está relacionada apenas ao que existe em pouca quantidade disponível
necessidade.
e sim devido às pessoas desejarem muito mais do que pode ser satisfeito com os recursos
disponíveis. Com a questão da escassez, temos mais desejos do que bens para satisfazer
a estas necessidades. Nesse contexto, surge um conceito importante em economia cha-
mado custo de oportunidade.

E o que vem a ser custo de oportunidade? Esse é um termo usado em economia para
indicar o grau de sacrifício ou o custo de algo em termos de uma oportunidade renunciada
em virtude do tipo de escolha que foi feita. Para tanto as sociedades são obrigadas a fazer
escolhas sobre o que, e quanto, como e para quem produzir.
O que e quanto produzir – Em virtude da escassez de recursos produtivos, a sociedade
precisa decidir quais produtos serão fabricados e em que quantidade. Deve-se escolher a
necessidade de produzir mais bens de consumo ou mais bens de capital que são deman-
dados pelo próprio mercado consumidor.

Importante
Bens de consumo: são bens acabados que se destinam ao consumidor final.
Ex.: eletrodomésticos, computadores, alimentos, dentre outros.
Bens de capital: são máquinas e equipamentos que serão utilizados para a
produção de outros bens e serviços.

Fundamentos da Economia
Como produzir – Para que haja eficiência no processo de produção, a sociedade deve
escolher quais os recursos produtivos que tem o menor custo de produção possível,
considerando os avanços tecnológicos. Neste caso, o objetivo é a busca da eficiência
produtiva, para tanto, decide-se por métodos de produção de capital intensivo ou de
mão de obra intensiva. Capital intensivo: 21
forma de produção
Para quem produzir – Esta é uma questão fundamental, pois a sociedade precisa de- onde ocorre a
mecanização do
cidir a distribuição do que foi produzido, considerando os fatores de produção: terra, tra- processo produti-
balho e capital, que são os insumos básicos utilizados na produção de bens e serviços. vo. Mão de obra
intensiva: forma
As terras são aquelas cultiváveis para produção de bens, ou os recursos naturais; tra- de produção atra-
vés de trabalho
balho refere-se à capacidade física e intelectual das pessoas para intervirem no proces-
braçal
so de produção e capital compreende as fábricas, edificações, máquinas, equipamentos
e instalações utilizados no processo de produção e distribuição. Dessa maneira, decide-
-se como serão distribuídas as rendas provenientes da atividade econômica..

De uma forma mais simplificada, dizemos, então, que a sociedade deve decidir quais
setores serão beneficiados na distribuição do produto, ou seja, decidir como será distri-
buída a renda gerada pela atividade econômica.

Em qualquer sociedade, os recursos produtivos são limitados e as necessidades


humanas, ao contrário, são ilimitadas, renovando-se sempre com o crescimento da
população e do desejo contínuo das pessoas em elevar o padrão de vida. Independen-
te do nível de desenvolvimento do país, nenhum deles dispõe de todos os recursos
suficientes para satisfazer todas as necessidades da sociedade, por este motivo é que
temos um problema de escassez, ou seja, recursos limitados para atender necessida-
des humanas ilimitadas.
Fundamentos da Economia

Figura 1 – Bens de consumo


Fonte: Oliveira (2015).

Com base no que foi visto, se chegamos ao ponto em que se atinge a escassez, temos
22 um problema econômico, ou seja, pessoas e sociedade precisam escolher o que produzir,
como produzir e para quem produzir.

Querendo mais
Para uma compreensão melhor acerca da influência do consumo na eco-
nomia, sugiro que assista ao filme “A verdade de cada um”. Nesse filme,
você verá a importância das escolhas de produtos que são consumidos
na sociedade, a influência de sua distribuição aos mais variados tipos de
pessoas na sociedade. Entenderá como funciona a sociedade de consumo
brasileira, seu crescimento e a maneira como podemos enxergar o futuro
do consumismo no Brasil. Ele te trará uma contribuição singular, pois o
levará a refletir o quão importante é a economia e sua evolução no aspecto
prático do dia a dia, levando em consideração inclusive a questão ambien-
tal. Acesse o link: <http://www.youtube.com/watch?v=1aFFaMdgTN4>.
Resumo
Nesta competência, você identificou como a economia contribui para o desenvolvi-
mento econômico do país. Você estudou como os processos de produção, distribuição,
comercialização e consumo de bens e serviços influenciam na distribuição dos fatores de
produção na economia. Teve condições de perceber que o objetivo do estudo da economia
é melhorar a qualidade de vida e satisfazer as necessidades das pessoas, onde o modo
como as sociedades resolvem seus problemas econômicos fundamentais depende do tipo
de organização econômica do país, ou seja, do sistema econômico de cada nação. Você
teve a oportunidade de compreender que a escassez de recursos produtivos são bens
limitados devido à necessidade humana de elevar seu bem-estar ou o padrão de vida. Em
suma, a partir de agora, você tem condições de definir a economia como ciência, além de
poder aplicar seus conhecimentos no dia a dia, no sentido de gerir ou administrar melhor

Fundamentos da Economia
os recursos de forma a atingir seus objetivos na esfera econômica.

Autoavaliação
01. Economia é a ciência que se preocupa com o estudo das leis econômicas. Sendo as-
sim, podemos afirmar que a economia estuda:

a) A análise da produção, distribuição e consumo de bens e serviços;


23
b) A Forma como o governo investe nos recursos produtivos;

c) A análise apenas dos bens de consumo;

d) O consumo dos bens de produção.

02. Economia é uma palavra de origem grega, que significa:

a) Kasa (casa) e numos (vida, lei);

b) Raika (controle) e nomos (norma ou lei);

c) Oikos (casa) e nomos (norma, costume ou lei);

d) Resus (sentido) e quantus (numeração).

03. O principal objetivo de se estudar economia é:

a) Alterar o mecanismo do estudo econômico na esfera social;

b) Melhorar a qualidade de vida e satisfazer as necessidades das pessoas;


c) Aumentar o consumo de bens e serviços essenciais;

d) Vivenciar experiências mercantilistas da atualidade.

04. O objeto de estudo da economia é:

a) A sociedade;

b) A escassez;

c) A vida social das pessoas;

d) A política monetária.

05. Em economia, bens de consumo significa:


Fundamentos da Economia

a) Bens acabados que se destinam ao consumidor final;

b) Máquinas e equipamentos destinados para produção de bens e serviços;

c) Meios utilizados para produzir outros bens;

d) Bens imóveis de natureza jurídica.

24
Fundamentos da Economia
Competência
02 25

Identificar
o sistema econômico
Identificar
o sistema econômico

Quando uma pessoa passa numa avenida vê ruas asfaltadas, bairros urbanizados, ca-
sas construídas, prédios edificados e veículos em movimento, esse conjunto de fatores nos
levam a pensar que, de certa forma, há um sistema organizado por trás de tudo isso.

No entanto, se formos questionados o que representa esse sistema é provável que a


nossa resposta não contemple sistema econômico. Porque isso acontece? A resposta é

Fundamentos da Economia
simples, porque nós não estamos acostumados no dia a dia a enxergar o sistema econô-
mico como forma organizada de administração do Estado e/ou país. Tudo o que acontece
numa determinada região onde existe a necessidade de organização e gestão dos recursos
financeiros, precede o sistema econômico.

O sistema econômico
27
Para um entendimento mais abrangente de sistema econômico, Vasconcellos e Garcia
(2005) abordam que:

[...] um sistema econômico pode ser definido como sendo a forma política, so-
cial e econômica pela qual está organizada uma sociedade. É um particular
sistema de organização da produção, distribuição e consumo de todos os bens
e serviços que as pessoas utilizam buscando uma melhoria no padrão de vida
e bem-estar. (VASCONCELLOS; GARCIA, 2005, p. 3).

Podemos observar então que o sistema econômico representa um sistema de produ-


ção, consumo e distribuição de bens e serviços numa economia de forma organizada para
satisfazer as necessidades da sociedade.

Sistema econômico é a forma como a sociedade se organiza, visando solucionar


os seus problemas de produção, circulação e distribuição de riqueza.
Vamos citar apenas um exemplo para facilitar o nosso entendimento a respeito de sistema
econômico de uma forma prática. Imagine um trabalhador que atua numa fábrica de veículos.
Ao trabalhar em sua profissão, ele troca a força de trabalho por uma remuneração (salário), a
fim de satisfazer suas necessidades, como por exemplo: moradia, alimentação, educação, ves-
timenta, lazer, dentre outras. Ao realizar seu trabalho, este trabalhador participa da produção
de bens e/ou serviços para distribuição posterior à sociedade, cumprindo dessa maneira seu
papel no processo econômico, sendo beneficiado ainda ao suprir suas necessidades.

Elementos básicos do sistema econômico


Os elementos básicos do sistema econômico são três, atuando de forma integrada:

1. Fatores de produção: são os recursos para produção de bens e serviços dos quais
dispõe a sociedade, comunidade, região ou país;
Fundamentos da Economia

2. Empresas: são as unidades privadas ou públicas que tem a finalidade de produzir


bens e serviços, gerando emprego e renda no Estado ou país;

3. Instituições políticas, jurídicas, econômicas e sociais: estas formam a base da orga-


nização da sociedade.

Os sistemas econômicos classificam-se basicamente em dois: capitalismo e socialismo,

28 este segundo, já praticamente sendo abolido em virtude da globalização. O capitalismo é o


sistema econômico em que a produção e a distribuição de riquezas são regidas pelo mer-
cado. Os proprietários das empresas compram a força de trabalho em troca de lucro. Neste
modelo econômico, as coisas que possuímos são provenientes de nosso próprio trabalho
do dinheiro que ganhamos.

O socialismo é o sistema econômico em que a produção e a distribuição de riquezas


são centralizadas no governo. O governo detém a economia de mercado e todos recebem
a mesma quantia independente do trabalho que realizam ou atividade econômica que
exercem. Um detalhe: você sabia que em economia, capital não significa dinheiro? Isso
mesmo, em economia, capital são máquinas, equipamentos e instalações para produção
de bens e serviços.

Atividade 01
Você é capaz de dizer como a sociedade se organiza, visando solucionar os
seus problemas de produção, circulação e distribuição de riqueza? Com-
partilhe sua opinião no fórum virtual.

Problemas econômicos fundamentais


Estudamos na competência 01 que a escassez é o objeto de estudo da economia. Em
economia, escassez é quando não há recursos disponíveis pra todas as pessoas realiza-
rem seus desejos, tendo em vista que as necessidades humanas são ilimitadas e os recur-
sos produtivos são limitados.

Por esta razão, surgem alguns problemas econômicos fundamentais, a primeira ques-

Fundamentos da Economia
tão fundamental é o que produzir para estimular a economia? Neste caso, precisamos sa-
ber quais são os desejos e necessidades (produtos) para a satisfação e qual a quantidade
necessária para isso.

A segunda questão fundamental é como produzir? Aqui devemos pensar na técnica a


ser adotada para obter o máximo de produção com o mínimo de recursos possíveis. Pode-
mos produzir de duas maneiras: Através de capital intensivo ou de mão de obra intensiva.

29

Figura 2 – Capital intensivo Figura 3 – Mão-de-obra intensiva


Fonte: Shutterstock. Fonte: Shutterstock.

A terceira questão fundamental é: para quem produzir? Significa dizer que você precisa
decidir quem será beneficiado, ou seja, quais os setores da sociedade serão beneficiados
pela produção dos produtos ou serviços que serão distribuídos.

É de suma importância um bom planejamento dentro do sistema econômico para evi-


tarmos problemas como:
– Inflação;

– Desemprego;

– Desigualdade salarial;

– Alta carga tributária;

– Baixo índice de crescimento econômico;

– Aumento da dívida externa brasileira;

– Alta do dólar.

Percebemos dessa maneira que os problemas econômicos fundamentais decorrem de-


vido ao objeto de estudo da economia, ou seja, a escassez. Neste ínterim, é importante que
todas as decisões econômicas sejam pautadas em incentivar a economia, num processo de
Fundamentos da Economia

escolha para atender as necessidades da sociedade, considerando a quantidade de produ-


tos e/ou serviços a ser produzidos e colocados à disposição das pessoas ou instituições.

30 Mídias
Para uma melhor compreensão a respeito do sistema econômico, su-
giro que você assista ao vídeo informado, que retrata a organização do
sistema econômico dentro da economia de mercado e como funcionam
as decisões de natureza econômica. Acesse o link: <www.youtube.com/
watch?v=egnx7I7AwGc>.

Resumo
Nesta competência, você pode aprender o quanto o sistema econômico é importante,
em se tratando da gestão de recursos financeiros administrados dentro de um determina-
do Estado/país. Teve condições de perceber que, se não houvesse um sistema econômico,
dificilmente teríamos condições de controlar a economia do país. Você teve oportunidade
de compreender que os elementos fundamentais do sistema econômico são extremamen-
te importantes quando postos em prática para a produção e consumo de bens e serviços,
assim como para o fomento da economia. Você teve condições de verificar que os princi-
pais problemas econômicos fundamentais surgem em decorrência da escassez, ou seja,
não há recursos disponíveis pra todas as pessoas realizarem todos os seus desejos de
forma simultânea, pois as necessidades humanas são ilimitadas e os recursos produtivos
são limitados. Em síntese, a partir de agora, você tem condições de identificar o sistema
econômico de maneira mais ampla para aplicar seus conhecimentos no dia a dia, no sen-
tido de planejar melhor as suas ações relacionadas à área econômica.

Autoavaliação
01. Sistema econômico é a forma como a sociedade se organiza, visando solucionar os
seus problemas de:

a) Política, distribuição e consumo de bens e serviços;

b) Produção, circulação e distribuição de riqueza;

Fundamentos da Economia
c) Análise, produção e distribuição;

d) Circulação, produção e consumo.

02. O que são fatores de produção:

a) São os recursos para produção de bens e serviços dos quais dispõe a sociedade, comu-
31
nidade, região ou país;

b) São instrumentos que propiciam a produção de terra, trabalho e capital;

c) São os recursos advindos do mecanismo econômico, para equilibrar a economia;

d) São os mecanismos votados para produção, crescimento e desenvolvimento econômico.

03. Há basicamente dois tipos de sistemas econômicos vigentes, a saber:

a) Socialismo e presidencialismo;

b) Comunismo e socialismo;

c) Capitalismo e socialismo;

d) Vivenciar experiências mercantilistas da atualidade.

04. A importância do significado de escassez dentro do sistema econômico se deve princi-


palmente quando:
a) A sociedade não consegue viver dentro de suas posses e entra em endividamento;

b) A política pública que serve para proteger o cidadão entra em crise;

c) O padrão de economia sofre as tendências de inflação de forma descontrolada;

d) Não há recursos disponíveis pra todas as pessoas realizarem seus desejos, pois as ne-
cessidades humanas são ilimitadas e os recursos produtivos são limitados.

05. Quando temos baixo índice de crescimento econômico, inflação, desemprego, desi-
gualdade salarial, alta do dólar, dentre outros fatores, significa que:

a) Não houve um bom planejamento dentro do sistema econômico;

b) Não houve escoamento da produção dos bens fabricados;

c) Os recursos foram mal empregados e por esta razão tivemos os principais problemas
Fundamentos da Economia

econômicos fundamentais;

d) Houve incentivo da área econômica, mas os economistas tiveram dificuldades em admi-


nistrar os recursos.

32
Fundamentos da Economia
Competência
03 33

Descrever
a atividade econômica
Descrever
a atividade econômica

A atividade econômica de um país está relacionada à produção e distribuição de bens


e serviços, a fim de atender às necessidades humanas da sociedade, tais como: saúde,
educação, alimentação, segurança, lazer, dentre outras.

A atividade econômica serve também como um termômetro que mede a temperatura


em termos de produção e crescimento da economia. Ela também caminha junto com a

Fundamentos da Economia
evolução da tecnologia, a história, a geografia e a cultura da civilização. Posso dizer que
seu desenvolvimento pode dividir-se por setores, mas essa não é a única forma de classi-
ficar a atividade econômica. Em nossos estudos, classificaremos como setores primário,
secundário e terciário.

Aspectos fundamentais da atividade econômica


35
Todos nós estamos na seguinte condição: Consumindo produtos e/ou serviços, produ-
zindo algo para comercialização ou até mesmo distribuindo produtos ou realizando algum
tipo de serviço para satisfazer as necessidades das pessoas. Podemos até estar em mais
de uma atividade ao mesmo tempo. O que quero chamar a sua atenção é o fato de que
todos nós participamos direta ou indiretamente da atividade econômica do país. Esses
fatores nos remetem aos principais aspectos da atividade econômica que são:

• Consumo: trata-se da utilização dos bens na satisfação das necessidades;

• Produção: trata-se da transformação da matéria-prima em produtos acabados disponí-


veis para consumo;

• Distribuição: trata-se do transporte, deslocamento físico dos produtos do local onde foi
produzido até o local de consumo.

De que maneira a atividade econômica entra na sociedade de forma prática? Vejamos


alguns exemplos: quando você vai ao açougue, o açougueiro que corta a sua carne executa
uma atividade econômica; quando você vai ao supermercado, o atendente que passa as
suas compras no caixa executa uma atividade econômica; na padaria onde você compra
pães, o padeiro que produz o pão executa uma atividade econômica.

Importante
A atividade econômica é um instrumento que gera riqueza ao país por meio
da extração, transformação e distribuição dos recursos naturais, bens e ser-
viços, tendo como finalidade a satisfação de necessidades humanas, como
educação, segurança, alimentação, dentre outros.
Fundamentos da Economia

Tipos de atividades econômicas no Brasil


A economia de um país pode ser dividida nos seguintes setores: primário, secundário e
terciário, de acordo com os produtos produzidos, modos de produção e recursos utilizados.
Estes setores econômicos mostram o grau de desenvolvimento econômico de um país ou
região. Vamos entender cada um desses setores e sua importância?
36

Setor primário
O setor primário está relacionado à produção por meio da exploração de recursos da
natureza. As atividades desenvolvidas no setor primário são: agricultura, pecuária, pesca e
extrativismo vegetal. É por meio do setor primário que são fornecidas as matérias-primas
Extrativismo para a indústria de transformação.
vegetal: extração
de produtos da
natureza que não
tenham sido plan-
tados e cultivados
pelo homem, sem
que tenha causado
prejuízos ao meio
ambiente. Ex:
extração de seiva,
carvão, colheita de
frutos, retirada de
folhas, madeira etc.

Figura 4 – Setor primário


Fonte: http://imguol.com/c/noticias/2013/09/09/1378738246724_956x500.jpg
No setor primário, a economia fica muito vulnerável, pois depende de fatores climáticos.
Tanto a chuva em excesso, quanto a seca prolongada no campo, provocam grandes perdas
financeiras, principalmente na agricultura e pecuária.

Curiosidade
A indústria de transformação transforma matéria-prima em um produto
final ou intermediário para outra indústria de transformação, por exem-
plo, uma refinaria que usa o petróleo como matéria-prima tanto para um
produto final, como a gasolina, quanto para um produto intermediário, a
exemplo da nafta, que é utilizada pela indústria petroquímica, em diversos

Fundamentos da Economia
produtos como os plásticos. Nafta: derivado de
petróleo (líquido
incolor), utilizado
como matéria-
-prima principal-
mente da indústria

Setor secundário petroquímica

É o setor da economia que transforma as matérias-primas produzidas pelo setor pri-


37
mário em produtos industrializados. Ex: alimentos industrializados, automóveis, roupas,
máquinas, casas, produtos eletrônicos, dentre outros.

Como há conhecimentos tecnológicos agregados aos produtos do setor secundário, o


lucro obtido na comercialização é significativo. Países com bom grau de desenvolvimento
possuem uma significativa base econômica concentrada no setor secundário. A exportação
desses produtos gera riquezas para as indústrias desses países.

Figura 5 – Setor secundário


Fonte: Shutterstock.
No setor secundário, as indústrias vêm investindo em máquinas robotizadas por meio
dos avanços tecnológicos, diminuindo a mão de obra em vários setores econômicos, au-
mentando dessa forma o desemprego.

Setor terciário
O setor terciário refere-se ao setor da economia relacionada aos serviços. Os serviços
são prestados por meio de empresas ou pessoas para satisfazer as necessidades de ter-
ceiros que deles precisam. Podemos citar como atividades deste setor econômico: serviços
de alimentação, serviços de limpeza, transporte, saúde, educação, turismo, telecomunica-
ções, informática, serviços bancários, seguros, dentre outros.
Fundamentos da Economia

Curiosidade
O setor terciário representa em faturamento mais de 50% do PIB no Brasil
e é responsável pela geração de 75% dos empregos formais no país.

38
PIB: é a sigla para
Produto Interno O Brasil é responsável pelo fornecimento de 25% do mercado mundial de alimentos. O
Bruto. Representa
país tem o café, o açúcar, o álcool – a partir da cana-de-açúcar – e suco de laranja como
a soma de em
valores monetários, principais produções e exportações. O Brasil está em primeiro lugar nas vendas externas de
de todos os bens e
farelo, óleo e grãos (complexo de soja), assim como na venda de carne bovina e de frango.
serviços finais pro-
duzidos numa de-
terminada região,
durante um período
determinado.
Os agentes econômicos
Os agentes econômicos são: o governo, as pessoas (famílias) e as empresas não finan-
ceiras e financeiras. Você sabe qual a função econômica dos agentes econômicos?
AGENTE ECONÔMICO FUNÇÕES ECONÔMICAS

Criar medidas econômicas e políticas monetárias que satisfa-


Governo çam a comunidade, atendendo as necessidades de educação,
segurança, moradia, lazer, dentre outras.
Consumir bens e serviços para fomentar a economia do
Pessoas (famílias) Estado/país.
Fomentar: esti-
Atuar na geração de emprego e renda para a produção de mular, incenti-
Empresas não financeiras bens e serviços. var, apoiar. Em
Atuar como intermediador financeiro entre poupadores e economia, o ato
tomadores. Normalmente, os tomadores buscam essa fonte de fomentar está
Empresas financeiras
de recursos através de instituições financeiras, como bancos relacionado com
e financeiras, tomando empréstimos. políticas para
impulsionar o pro-
Fonte: ????????? gresso de algo.

A atividade econômica de um país é contabilizada através das relações entre todos os

Fundamentos da Economia
agentes econômicos em seu conjunto. Quando os agentes econômicos mantêm relações
comerciais e/ou econômicas dentro de um determinado território, dizemos que este país é
Poupadores: são
de economia fechada. Já os agentes econômicos que mantêm relações econômicas com
as pessoas que
outros países – através de exportações, importações e movimentos de capitais –, denomi- tem recursos
financeiros
namos de economia aberta.
disponíveis para
aplicações.

39

Atividade 01
Você é capaz de dizer em que tipo de atividade econômica o Brasil possui Tomadores: são
liderança de vendas no mercado externo? Compartilhe sua opinião no nos- as pessoas que
necessitam de re-
so fórum virtual. cursos financeiros
para suprirem suas
necessidades.

Para obter informações importantes sobre produção e investimento na atividade eco-


nômica, consulte o site <http://www.valor.com.br/valor-data/indices-macroeconomicos/
atividade-economica>. Se quiser compreender melhor a importância da atividade econô-
mica em se tratando do caráter financeiro, sugiro que assista ao vídeo indicado no link. Ele
fala a respeito das consequências de uma crise econômica, a exemplo da que ocorreu nos
Estados Unidos em 2001/2002, assim como a economia se comporta quanto à ação dos
agentes econômicos. Acesse o link <https://www.youtube.com/watch?v=k9NscFVa4sM>.
Resumo
Nesta competência, você pode identificar os aspectos fundamentais da atividade eco-
nômica: consumo, produção e distribuição. Pode verificar que a atividade econômica é um
instrumento gerador de riqueza ao país por meio da extração, transformação e distribuição
dos recursos naturais, bens e serviços, tendo como finalidade a satisfação de necessida-
des humanas. Aprendeu também sobre os agentes econômicos e sua importância nas re-
lações comerciais e econômicas, seja na economia aberta ou fechada. Você teve a oportu-
nidade de compreender que o crescimento econômico está ligado diretamente aos tipos de
atividades econômicas existentes no país, tendo o setor terciário como grande destaque da
economia brasileira por meio da produção e exportação de produtos, onde temos liderança
de vendas no mercado externo. Em síntese, você tem condições de visualizar neste mo-
mento que a atividade econômica é de fundamental importância para o progresso, cresci-
Fundamentos da Economia

mento e desenvolvimento da economia, principalmente num país capitalista como o Brasil.

Autoavaliação
01. Os aspectos fundamentais da atividade econômica são:

a) Produção, comércio e distribuição;

40 b) Consumo, distribuição e armazenamento;

c) Consumo, produção e distribuição;

d) Comércio, serviços e distribuição.

02. A economia de um país divide-se nos seguintes setores:

a) Terciário, monetário e fiscal;

b) Primário, secundário e terciário;

c) Mercantil, secundário e primário;

d) Primário, secundário e monetário.

03. Em que setor da atividade econômica a economia fica bastante vulnerável por depen-
der de fatores climáticos:

a) Primário;

b) Secundário;
c) Terciário;

d) Mercantil.

04. Na atividade econômica, os agentes econômicos são:

a) Sociedade, tomadores, poupadores e empresas;

b) Poupadores, investidores, empresas não financeiras e governo;

c) Tomadores, famílias e governo;

d) Governo, pessoas (famílias) e empresas não financeiras e financeiras.

05. A função econômica das empresas não financeiras é:

Fundamentos da Economia
a) Destinar a distribuição de produtos ao consumidor final;

b) Atuar na geração de emprego e renda na produção de bens e serviços;

c) Comercializar produtos adequados aos consumidores;

d) Produzir produtos e bens para distribuição na sociedade.

41
Fundamentos da Economia
Competência
04 43

Identificar
a microeconomia
Identificar
a microeconomia

Tratarei contigo agora acerca da microeconomia e inicio esta competência infor-


mando seu significado, para que você saiba a importância desse ramo para sua forma-
ção profissional.

A microeconomia é o ramo da economia que estuda o comportamento dos consumido-


res (compradores) e produtores (vendedores) de bens disponíveis no mercado e a forma

Fundamentos da Economia
como os mesmos interagem.

A microeconomia analisa a formação de preços no mercado e por essa razão também


é conhecida como teoria dos preços, pois explica como são fixados os preços no mercado
e seus fatores de produção. Estuda a lei da oferta (vendedores) e da demanda (comprado-
res), assim como o seu comportamento no mercado. Antes de entrarmos detalhadamente
na microeconomia, precisamos compreender o que é mercado e como o mesmo funciona.
45

O mercado
Vivemos numa sociedade moderna. A relação entre compradores e vendedores nos
últimos 15 anos mudou completamente, principalmente após o advento da globalização.
Hoje, somos muito mais exigentes como consumidores. Dessa maneira, as empresas pre-
cisam produzir mais utilizando menos recursos e não podem de forma alguma esquecer
a qualidade, que é um pré-requisito fundamental que ajuda a garantir a sobrevivência da
empresa num mercado cada vez mais competitivo. Além disso, não bastam as empresas
apenas produzirem, é necessário fazer isso sem destruir o local em que estão inseridas, ou
seja, pensar no meio ambiente. Um grande desafio, concorda?

Os maiores beneficiários somos nós consumidores que estamos inseridos no mercado.


Mas, afinal, o que é mercado? No passado, mercado era designado apenas como um local
físico onde compradores e vendedores se encontravam para trocar seus bens. Hoje, mer-
cado é local no qual os agentes econômicos procedem à troca de bens por uma unidade
monetária ou por outros bens.
Com o avanço da tecnologia, os mercados não são necessariamente lugares físi-
cos, onde compradores e vendedores interagem. O comércio eletrônico tem sido
utilizado com bastante frequência tornando o ponto de encontro entre vendedores
e compradores. Cada dia que passa aumenta mais a quantidade de pessoas que
consomem produtos e serviços através da Internet.

Classificações de mercado
Os mercados estão divididos da seguinte forma:

• Quota de mercado ou mercado real – Trata-se do volume de vendas efetivo de um de-


Fundamentos da Economia

terminado produto ou número de consumidores que compram o produto;

• Mercado potencial – Trata-se da estimativa do volume que se pretende atingir pelas


vendas de um determinado produto ou conjunto de compradores que estão em condi-
ções de adquirir esse produto (os consumidores que adquirem o tipo de produto fabri-
cado pela empresa e pela concorrência);

• Mercado total – Trata-se do mercado potencial de um determinado produto e o merca-


46 do dos que não consomem esse produto (toda a população que tenha condições para
vir a adquirir um bem ou serviço, mas sem a garantia de vir a adquiri-lo).

Figura 7 – Mercado tradicional Figura 8 – Mercado na internet


Fonte: Shutterstock. Fonte: Oliveira (2015).
Fatores que influenciam a evolução do
mercado
Há basicamente 7 fatores que influenciam diretamente na evolução do mercado, a saber:

• Conjuntura econômica, política e social: todos sabemos que as condições econômicas


afetam diretamente o consumo de produtos e serviços. Se houver uma crise econômica
ou desequilíbrio na economia, a tendência é refrearmos o consumo; Crise econômica:
significa a falta de
• Variações sazonais: o consumo de muitos produtos varia ao longo do ano em determi- dinheiro na eco-
nomia, provocada
nadas épocas. Por exemplo: a venda de sorvetes tende a aumentar no verão, mas no pela incapacidade
inverno, a tendência é diminuir. A venda de produtos fora da estação compromete os do país em comba-
ter a inflação sem
resultados; que haja prejuízo

Fundamentos da Economia
na produção de
• Tempo (consumo em massa): com o decorrer do tempo, alguns produtos evoluem e
bens e serviços.
passam a fazer parte do cotidiano coletivo das pessoas de forma natural e no hábito de
consumo das mesmas, seja por influência ou por necessidade. Ex.: máquinas de lavar
louça, microondas, TVs de plasma, de LCD e de LED;

• Substituição de produtos: o efeito de substituição de produtos é algo muito comum


seja com o desaparecimento ou não dos produtos mais antigos. O que vale ressaltar é a
rápida evolução dos mesmos no mercado de consumo. Ex.: Substituição de Notebooks 47
por Net books ou Tablets;

• Inovação tecnológica: as empresas procuram atrair o mercado consumidor através de


tecnologias de última geração Ex.: celulares (Smartphones);

• Grau de concorrência: ao surgir novos concorrentes, as empresas precisam aperfeiçoar


seus processos, melhorar a qualidade e adaptar-se à nova dinâmica de desenvolvimen-
to de mercado. Ex.: se abrir um novo supermercado no bairro onde moramos, vai forçar
a concorrência a abrir os olhos para as questões de qualidade, preços, estratégias de
marketing, dentre outros fatores;

• Mercados condicionados: são os mercados que estão ligados ou condicionados ao de-


senvolvimento de outros para se desenvolvimento e crescimento. Ex.1: TV a cabo está
condicionada ao mercado de televisores. Ex.2: Internet está condicionada ao mercado
de computadores.

Exemplos de crise econômica


Você sabia que tivemos no Brasil uma forte crise econômica em 1986, com o chamado
Plano Cruzado? Na época, o Presidente da República, José Sarney, mudou a moeda de
cruzeiro para cruzado. Assim, ele cortou três dígitos em seu valor.

Figura 9 – Moeda cruzado


Fundamentos da Economia

Por não haver um projeto que desse suporte ao crescimento econômico, o país entrou
numa forte recessão. Em 10 meses, o plano cruzado naufragou, a inflação passou a quase
80% ao mês e o governo deixou de pagar a dívida externa. Enfim, o Brasil entrou num esta-
do de choque econômico. O país levou quase 20 anos para sair da recessão.

Tivemos uma chance no chamado Plano Real, um programa com o objetivo de estabi-
48 lizar a economia, autorizado pelo Presidente Itamar Franco, em 27 de fevereiro de 1994,
que havia nomeado em 1993 o então ministro da fazenda, Fernando Henrique Cardoso,
que coordenou e reuniu a equipe econômica para tirar o Brasil dessa situação de hiperin-
flação. Em julho de 1994, tivemos a troca para a moeda Real. Com esse plano, iniciou-se
uma queda nos índices de inflação, houve a valorização da moeda e aumento da demanda
interna e externa, gerando mais empregos e renda.

Figura 10 – Moeda Real


Importante
A melhor maneira de acabar com a crise econômica é manter o controle
da inflação e aumentar o consumo de produtos produzidos dentro do
país, como exemplo: roupas, calçados, eletrodomésticos, alimentos, den-
tre outros.

Microeconomia e mercado
Partindo do princípio que a microeconomia estuda o comportamento dos consumidores

Fundamentos da Economia
e produtores no mercado, vamos entender agora como funciona essa dinâmica. Na prática
acontece assim: se as empresas estiverem ofertando muitos bens, a tendência é o preço
cair para que a produção seja vendida ao mercado consumidor. Agora, se os consumidores,
ou seja, as pessoas estiverem dispostas a comprar muito, a tendência é de que os preços
subam. É dessa maneira que o mercado usa os preços para tentar conciliar a decisão so-
bre consumo e produção.
49
Entramos então em dois princípios que regulam todo o mecanismo de preços no merca-
do que é a lei da oferta e demanda (procura).

Importante
Lei da oferta é a quantidade de mercadorias que os vendedores querem
oferecer de acordo com cada preço dado. Lei da demanda ou procura
é a quantidade de determinada mercadoria que os compradores estão
dispostos a adquirir de acordo com cada preço dado.

Há ainda alguns outros fatores que alteram a demanda, que são os seguintes:

• O preço dos bens substitutos: bens substitutos são aqueles bens que nós utilizamos
em substituição ao outro de mesma natureza. Ex.: se o preço da manteiga estiver alto,
a tendência é substituir pelo uso da margarina, que neste caso substitui a manteiga;

• O preço dos bens complementares: bens complementares são aqueles bens que se
complementam um ao outro. Ex.: pão e manteiga. Se o preço do pão aumentar, o con-
sumo dele cai, mas cai também o consumo de manteiga, pois um é complemento do
outro. Mesmo que o preço da manteiga não tenha sido alterado, isso acontece porque
um é complemento do outro;

• Renda dos consumidores: se aumenta a renda aumenta também a demanda da maio-


ria dos bens. Os consumidores passam a comprar mais a maioria das coisas, é o que
chamamos de bens normais. Mas há exceções, quando uma pessoa tem aumento na
renda, passa a consumir menos bens inferiores;

• Gosto dos consumidores: a demanda também pode ser alterada de acordo com o gosto
dos consumidores, quer sejam influenciados pela moda, pela mídia, campanhas publi-
Fundamentos da Economia

citárias ou atitudes sociais. Ex.: se uma artista famosa passar a usar determinado tipo
de brinco, de roupa, de colar, provavelmente a demanda destes produtos irá aumentar.
Isso acontece porque sendo visualizado na mídia, torna-se tendência e as pessoas aca-
bam sendo influenciadas ao consumo.

50
Atividade 01
Você é capaz de dizer por que em épocas comemorativas, como exemplo,
no Natal, os preços dos produtos ficam mais caros? Compartilhe e deba-
ta sobre sua opinião em nosso fórum virtual.

Preço de equilíbrio
O preço de equilíbrio ou preço de mercado de determinado bem representa o preço
que se forma no mercado com o chamado mecanismo de mercado, onde ocorre a com-
patibilização dos interesses entre consumidores e produtores. Esta compatibilização é
conseguida quando a quantidade procurada pelos consumidores é igual à quantidade
oferecida pelos produtores, esta situação é onde se verifica que o preço do bem é o seu
preço de equilíbrio.

Reforçando: na lei da demanda, quanto maior o preço do bem, menor será a quantidade
procurada, o inverso da lei da oferta, que quanto maior o preço do bem, maior será a quan-
tidade oferecida. Desta forma, fica claro que existe apenas um preço em que as quantida-
des procuradas e oferecidas se igualam, é o que chamamos de preço de equilíbrio.

Mas, você pode perguntar: se o preço que os produtores estiverem oferecendo for acima
do preço de equilíbrio ou do preço de mercado? Nesse caso, a quantidade que os produ-
tores oferecem é necessariamente superior à quantidade que os consumidores procuram,
sendo assim, dizemos que ocorreu um excesso de oferta, com isso os produtores são leva-
dos a baixarem os preços de forma a conseguirem vender seus produtos. Pelo contrário, se
o preço estiver abaixo do seu preço de equilíbrio, a quantidade procurada será superior à
quantidade oferecida, houve então excesso de demanda (procura). Neste caso, os produ-
tores têm incentivos para aumentar os preços de forma a satisfazerem toda a demanda.

Concluímos que o preço de mercado de um bem tende sempre para seu preço de
equilíbrio, ou seja, para o único preço em que as intenções de compra se igualam às

Fundamentos da Economia
intenções de venda.

Falo agora sobre excesso de oferta e de demanda. O excesso de oferta é quando de-
terminado bem está acima do preço de equilíbrio (preço de mercado), sendo assim, a
quantidade que os produtores oferecem é necessariamente superior à quantidade que os
consumidores procuram. Quando ocorre o excesso de oferta, os produtores (vendedores)
são levados a baixarem os preços de forma a conseguirem vender os seus produtos.
51
O excesso de demanda é quando o preço de determinado bem ou produto está abaixo
do preço de equilíbrio (preço de mercado). Neste caso, verifica-se um excesso de procura
(demanda) devido ao preço baixo. O excesso de demanda incentiva os produtores a aumen-
tarem seus preços como forma de incentivo para satisfazerem toda a demanda (procura).

Mídias
Para encontrar artigos interessantes sobre a lei da oferta e de demanda,
consulte o link: <http://www.infoescola.com/economia/lei-da-oferta-e-da-
-procura-demanda-e-oferta/>. Para uma compreensão melhor de como
funciona a lei da oferta e da demanda, sugiro que assista ao vídeo indi-
cado no link <https://www.youtube.com/watch?v=SvszMjsrXT8>. O vídeo
trata de forma bem interessante e didática o que representa a lei da oferta
e da demanda.
Resumo
Nesta competência, você pode identificar o que é mercado, sua classificação e impor-
tância. Pode observar que a microeconomia estuda o comportamento dos consumidores
e dos vendedores e a relação entre eles no mercado. Teve condições de aprender sobre a
lei da oferta e da demanda, que são os responsáveis pela regulação do mecanismo de pre-
ços no mercado. Conheceu também acerca dos principais aspectos que influenciam a na
evolução e desenvolvimento de mercado. Teve uma compreensão mais abrangente sobre
como funciona o mecanismo de preços no mercado e de que forma isso influencia nas de-
cisões de compra e venda propostas ao mercado consumidor. Enfim, você teve condições
de conhecer como se define o preço de mercado e sua importância no desenvolvimento da
economia. Agora, você tem uma visão mais apurada para tomar suas decisões de consumo
de forma mais consciente e apropriada.
Fundamentos da Economia

Autoavaliação
01. Na sociedade moderna, podemos afirmar que hoje a definição de mercado é:

a) O local onde se faz a produção e distribuição de produtos e serviços;

b) O local onde vendedores desejam comprar mercadorias para consumo;


52 c) O ponto de encontro entre consumidores que desejam vender;

d) O local no qual os agentes econômicos procedem a troca de bens por uma unidade
monetária ou por outros bens.

02. A microeconomia é o ramo da economia que estuda:

a) O comportamento entre consumidores (compradores) e produtores (vendedores) de


bens disponíveis no mercado e forma pela qual os mesmos interagem;

b) O comportamento dos consumidores sem levar em consideração os agentes econômicos;

c) Apenas o comportamento de produtores para que haja maior equilíbrio na distribuição


de mercadorias;

d) A organização do sistema econômico referente ao comportamento do produtor.

03. Em se tratando dos aspectos referentes à evolução de mercado, as empresas utilizam


a inovação tecnológica para:
a) Primar pela excelência e qualidade dos produtos fabricados;

b) Estender benefícios aos consumidores que compram em épocas de pouca demanda;

c) Buscar um equilíbrio na oferta de produtos;

d) Atrair o mercado consumidor através de tecnologias de última geração.

04. O preço de equilíbrio ou preço de mercado ocorre efetivamente quando:

a) Os compradores decidem consumir produtos no mercado;

b) As intenções de compra se igualam às intenções de venda;

c) Os agentes econômicos decidem parar de comprar para aguardar melhorias na produção;

d) A sociedade decide aumentar o consumo de produtos.

Fundamentos da Economia
05. Excesso de oferta é quando determinado bem:

a) Está acima do preço de mercado;

b) Está igual ao preço de mercado;

c) Está abaixo do preço de mercado;

d) Está abaixo do valor para produção. 53


Competência
05 55

Identificar
a macroeconomia
Identificar
a macroeconomia

Chegamos agora a uma das etapas mais importantes que integram nossos estudos
relacionados à economia em seu conjunto. Vamos entender melhor a economia vista em
sua amplitude de forma mais abrangente.

A macroeconomia é o ramo da economia que estuda os agentes econômicos como


um todo, ou seja, trata do comportamento da economia de forma geral. Tem como seu
principal objetivo determinar os fatores que interferem no nível total da renda e do Produto

Fundamentos da Economia
Interno Bruto (PIB) de uma economia.

Entraremos agora no estudo da economia onde todos os agentes econômicos intera-


gem de forma global, estamos nos referindo à macroeconomia. E, para dar continuidade
aos nossos estudos, quero que você conheça antes o significado de renda e também saiba
o que é PIB. Você já ouviu algum dia pelo menos um desses dois termos. Então, vamos a
sua definição?
57
Renda é a soma das remunerações feitas aos fatores da produção: salários (remunera-
ção do fator trabalho), aluguéis (remuneração do fator terra), juros e lucros (remuneração
do fator capital). PIB significa Produto Interno Bruto e representa a soma em valores mone-
tários de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região durante um
período determinado de tempo.

Agora que você já sabe o significado dos dois termos, vamos continuar nossos estudos?

Desafios da macroeconomia
Quando ouvimos nos noticiários que o índice de desemprego está em alta, que as ta-
xas de juros estão descontroladas, que a inflação está só aumentando, ou seja, não está
havendo mecanismos para que se controle a estabilidade de preços, que a distribuição de
renda não está sendo de forma equitativa, que o crescimento global da economia está len-
to, que os níveis de salários estão baixos ou inadequados, enfim, todos estes aspectos nos
remetem diretamente aos grandes desafios vivenciados pela macroeconomia, pois estas
questões estão ligadas à economia como um todo.
Vejamos um exemplo na prática para elucidar um dos desafios da macroeconomia ci-
tado acima, certo? Após o Plano Real (1994), tivemos certa estabilidade na inflação, pois
antes desse período, tínhamos altas taxas de juros e não havia sequer condições de con-
trolarmos. Por um lado, a estabilização da moeda trouxe alguns benefícios, um deles foi o
aumento do poder de compra dos brasileiros, mas por outro, acabamos nos endividando e
isso impede o crescimento econômico. Pagamos mais impostos, temos uma forte desvalo-
rização da moeda frente ao mercado externo e a distribuição de renda é desigual e injusta.
Hoje temos poucas pessoas com muito dinheiro e muitas pessoas sem dinheiro algum,
gerando um desequilíbrio na economia.

O que fazer então? Uma das formas seria reduzir as taxas de juros que influenciam di-
retamente na inflação, aumentar a produção e controlar a estabilidade da moeda (Real),
para incentivar o crescimento econômico e equilibrar a economia. Outro aspecto impor-
tante é melhorar a distribuição de renda no país. Compreende agora o quanto é impor-
Fundamentos da Economia

tante o estudo da macroeconomia para promover o crescimento e equilíbrio da economia


de forma geral?

O Produto Interno Bruto (PIB) é um dos indicadores mais utilizados na macroeco-


nomia, com objetivo de quantificar a atividade econômica de uma região.

58

Estruturas da macroeconomia
As estruturas macroeconômicas são de suma importância e representam o mercado e
suas principais atividades econômicas. Elas se dividem em cinco mercados, a saber:

1 - Mercado de bens e serviços: nesse mercado se determina os níveis dos processos pro-
dutivos, agregados aos níveis de preços, ou seja, nos faz relembrar a microeconomia,
em que o mecanismo de preços é determinado pela lei da oferta e da procura. É repre-
sentado pelos quatro agentes macroeconômicos: consumidores, empresas, governo e
setor externo;

2 - Mercado de trabalho: refere-se ao tipo de mão de obra existente, independente de cargo


ou função. Os aspectos mais relevantes são: a taxa salarial e o nível de desemprego;

3 - Mercado monetário: trata-se da demanda da moeda e a oferta da mesma pelo Banco


Central que após análise criteriosa, determina a taxa de juros a ser empregada, assim
como toma medidas para equilibrar a oferta e demanda desse mercado, de modos a
não prejudicar as transações comerciais nem desvalorizar a moeda;
4 - Mercado de títulos: analisa os agentes econômicos superavitários que possuem um
nível de gastos inferior a sua renda, podendo investir em aplicações financeiras, tendo
como benefícios os juros e os agentes deficitários que possuem gastos superiores ao
seu nível de renda, tendo muitas vezes que recorrer às instituições financeiras para
Agentes superavi-
contrair empréstimos para saldar seus compromissos financeiros; tários: são aqueles
que têm recursos
5 - Mercado de divisas: trata-se de um mercado que depende das exportações e de entra- financeiros so-
das de capitais financeiros determinados pelo volume de importações e saída de capital brando e utilizam
os mesmos para
financeiro do país. investimentos, ou
seja, emprestam
dinheiro para ter
como benefício
os juros.

Atividade 01

Fundamentos da Economia
Você é capaz de dizer qual o principal objetivo da macroeconomia? Compar-
tilhe sua opinião no nosso fórum virtual. Agentes deficitá-
rios: são aqueles
que buscam
recursos (dinheiro)
junto a um agente
financeiro, ou seja,
tomam emprésti-
59
Instrumentos da macroeconomia mos para saldar
seus compromis-
sos e/ou necessi-
Para haver o crescimento econômico de forma progressiva e sustentável, bem como
dades. Estes são
atingir os objetivos da macroeconomia é necessário que se coloque em prática, de forma conhecidos no
mercado financeiro
adequada, os instrumentos da macroeconomia. Esses são representados pela política mo-
como tomadores.
netária, política fiscal, politica cambial e política de rendas, que exponho em seguida.

Política monetária é a atuação de autoridades monetárias sobre a quantidade de di-


nheiro em circulação, visando controlar a liquidez global do sistema econômico e defender
o poder de compra da moeda. Nesta política, o governo atua também na regulamentação
sobre o crédito e taxas de juros a serem aplicadas na economia. As autoridades monetá-
rias no Brasil são o Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Banco Central (BACEN).
Figura 11 – Política Monetária
Fundamentos da Economia

O Conselho Monetário Nacional é responsável por determinar as diretrizes da


política monetária creditícia e cambial do país. É a entidade superior do Sistema
Financeiro, tendo o papel de órgão regulador. O Banco Central atua como órgão
executivo do sistema financeiro, tendo como responsabilidade cumprir e fazer cum-
60 prir os regulamentos do sistema financeiro e as normas expedidas pelo Conselho
Monetário Nacional.

Autoridades monetárias são os órgãos que estabelecem normas e as executam


no sentido de controlar o volume de moeda em circulação ou os meios de pa-
gamento, bem como as condições de crédito e de financiamento na economia.
Liquidez é a velocidade de se transformar um ativo (bem) em dinheiro com o
menor risco possível.

Política fiscal é o instrumento utilizado pelo governo dentro da política econômica para
atuar no sistema tributário, ou seja, na arrecadação de impostos, definindo dessa forma o
orçamento para os gastos públicos.
Figura 12 – Política Fiscal
Fonte: Oliveira (2015).

Fundamentos da Economia
Os objetivos da política fiscal são: manter a estabilidade econômica, manter a estabili-
dade de preços, manter a inflação baixa e acelerar o crescimento econômico.

A política fiscal visa: a atuação do governo em âmbito social (redistribuição de riqueza)


e em âmbito econômico (estímulo à produção), o combate à inflação e o combate à fraude
fiscal (sonegação).
61
Política cambial é o instrumento utilizado pelo governo ou pelo Estado para controle
das operações cambiais. As medidas tomadas por eles destinam-se a equilibrar o funcio-
namento da economia através das taxas de câmbio.

Figura 13 – Política cambial


O principal objetivo da política cambial é manter equalizado o poder de compra do país
em relação ao mercado externo em operações de troca de moeda, ou seja, valorizar o
poder de compra do Real perante outros países que mantemos relações comerciais admi-
nistradas pelas taxas câmbio

Política de rendas é o instrumento que o governo utiliza para adotar medidas que vi-
sam a redistribuição de renda e justiça social.
Fundamentos da Economia

Fatores de
produção: são
Figura 14 – Política de rendas
os insumos Fonte: http://www.dm.com.br/wp-content/uploads/2015/06/bolsa-familia.jpg
ou elementos
utilizados na
produção de A política de rendas atua normalmente em conjunto com a política monetária e em
determinado alguns casos com a política fiscal, com o objetivo de prevenir o aumento de preços e para
62 bem (bens).
que o governo tenha controle da remuneração dos fatores de produção, salários e lucros
das empresas.

Mídias
Para aumentar ainda mais seus conhecimentos sobre macroeconomia,
consulte este site, pois contém vários artigos interessantes: <http://www.
bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Publicacoes/
Consulta_Expressa/Setor/Macroeconomia/>. Para uma compreensão
melhor acerca da importância da macroeconomia, sugiro que assista ao
vídeo deste link: <https://www.youtube.com/watch?v=cz_8h8qAvJM&ind
ex=6&list=PL65F536A076BCCB45>. Ele trata de como o governo estipula
a meta da inflação a ser utilizada, decide como utilizar os gastos públicos,
taxas de juros da economia, dentre outras informações importantes.
Resumo
Nesta competência, você pode identificar a importância da macroeconomia e sua re-
lação com os agentes econômicos. Pode perceber que a macroeconomia tem um papel
de fundamental importância quanto ao crescimento econômico. Pode observar que as
estruturas macroeconômicas representam o mercado e suas principais atividades econô-
micas. Teve condições de aprender cada um dos instrumentos da macroeconomia e seus
principais objetivos. Teve uma compreensão sobre como funciona a economia de maneira
mais abrangente. Enfim, você teve condições de conhecer como a macroeconomia pode
influenciar positivamente no desenvolvimento econômico e social.

Autoavaliação
01. A macroeconomia é o ramo da economia que estuda:

Fundamentos da Economia
a) Os agentes econômicos como um todo;

b) Os agentes econômicos separadamente;

c) Apenas as políticas estruturais;

d) Os instrumentos da lei da oferta e da demanda.

63
02. O mercado de títulos analisa os agentes econômicos:

a) Deficitários e comunitários;

b) Superavitários e empresas;

c) Superavitários e deficitários;

d) Societários e não societários.

03. Os instrumentos da macroeconomia são:

a) Política estadual, política municipal, política equitativa e política cambial;

b) Política fiscal, política de rendas, política estadual e política empresarial;

c) Política pública, política privada, política de rendas e política industrial;

d) Política monetária, política fiscal, política cambial e política de rendas.

04. O mercado de bens e serviços, mercado de trabalho, mercado monetário, mercado de


títulos e mercado de divisas, representam respectivamente:

a) Os instrumentos da economia;

b) As estruturas macroeconômicas;

c) Os órgãos reguladores da macroeconomia;

d) As estruturas financeiras.

05. O instrumento que o governo utiliza para adotar medidas que visam a redistribuição de
renda e justiça social é:

a) Política monetária;
Fundamentos da Economia

b) Política fiscal;

c) Política de rendas;

d) Política cambial.

64
Fundamentos da Economia
Competência
06 65

Reconhecer a influência
da globalização e da economia internacional
Reconhecer a influência
da globalização e da economia internacional

Não dá para concluir os nossos estudos sobre fundamentos da economia sem levar
Neoliberal: ideia
em consideração a globalização e a economia internacional, não é verdade? Você já parou política e econômi-
ca capitalista que
pra pensar na velocidade que as informações, os negócios e as relações entre países e
defende a não par-
governos acontecem? ticipação do estado
na economia. De
Hoje, diferentemente do que acontecia no passado, temos acesso instantâneo às in- acordo com esta

Fundamentos da Economia
doutrina, deve ha-
formações, facilidade para nos comunicar com o mundo inteiro em tempo real, velocidade
ver total liberdade
na locomoção e rapidez nas transações comerciais com os países em qualquer lugar onde de comércio (livre
mercado), pois este
estejam localizados. Todos estes aspectos só foram possíveis devido à globalização.
princípio garante
o crescimento
Posso te dizer que globalização é um processo econômico e social que estabelece uma
econômico e o
integração entre os países do mundo inteiro, permitindo que pessoas, governos e empre- desenvolvimento
social de um país.
sas realizem transações comerciais e financeiras de forma rápida, diminuindo, dessa for-
ma, as distâncias e facilitando as relações econômicas e culturais. 67
Dessa forma, podemos dizer que o mundo se tornou pequeno diante da grande expan-
são nos negócios que movimentam a economia mundial, gerando maior competitividade
entre as empresas. Quem ganha com isso somos todos consumidores, na condição de
Imperialismo: é
agentes econômicos.
uma política de ex-
pansão e domínio
territorial, cultural

O surgimento da globalização e econômico de


uma nação sobre
outras.
Não sabemos ao certo quando que de fato surgiu a globalização. Alguns estudiosos
no assunto afirmam que a globalização surgiu em 1980, logo em seguida à implantação
do programa econômico Neoliberal pelos governos e essa medida abriu as portas para
o capital e as mercadorias estrangeiras. Alguns estudiosos creem que a origem da glo-
balização tenha ocorrido na segunda metade do século XIX, o chamado Imperialismo,
período em que se acredita que iniciou os investimentos no exterior. Há outro grupo de Mercantilismo:
atitude que leva
estudiosos que dizem que a globalização surgiu com as grandes viagens marítimas dos à prática do
séculos XV e XVI, no período do Mercantilismo pois integrava as colônias e metrópoles comércio com a
preocupação dos
no comércio mundial. lucros excessivos.
Vantagens e desvantagens da globalização
Com a abertura da economia por meio da globalização, ocorreram mudanças positivas
e outras desfavoráveis, como por exemplo, o desemprego. Devido à necessidade de moder-
nização e ao aumento da competitividade foi preciso que as empresas reduzissem custos
e baixassem os preços, aprendendo a produzir mais com menos gente, sendo assim, o
trabalhador perdeu espaço, pois houve a incorporação de novas tecnologias e máquinas
substituindo a mão de obra tradicional.

Por outro lado, tivemos alguns fatores positivos, como exemplo, a entrada de produ-
tos importados, que beneficiou muitos consumidores, pois puderam adquirir produtos
importados mais baratos e de melhor qualidade. Esse fator ampliou também a dispo-
nibilidade de produtos nacionais com preços menores e de maior qualidade. Também
os setores de automóveis, eletrodomésticos, roupas, cosméticos, serviços, turismo,
Fundamentos da Economia

dentre outros, podem ser tomados como exemplos. As opções hoje são muito maiores
do que antes da globalização.

Com os avanços tecnológicos, as informações são transmitidas numa velocidade in-


crível e em tempo real para milhares de pessoas em qualquer lugar do mundo. Hoje é
possível presenciar um grande aumento na comercialização de produtos e serviços através
da Internet O aprimoramento das telecomunicações e dos meios de transporte é notável
68 Internet: rede de nos últimos anos, melhorando não apenas a integração entre os países, como também
computadores dis-
persos por todo o
encurtando o tempo e a distância através da facilidade de locomoção, principalmente se
planeta que trocam comparados com tempos passados, em que, por exemplo, levavam-se meses para chegar
dados e mensa-
gens utilizando um
a outro continente viajando de navio, hoje, em poucas horas chega-se aos mais variados
protocolo comum, destinos de forma rápida.
unindo usuários
particulares, enti-
dades de pesquisa,
órgãos culturais,
institutos militares,
bibliotecas e
empresas de toda
envergadura.

Figura 15 – Internet
Fonte: Oliveira (2015).
O processo de globalização é a maneira como os mercados de diferentes países
interagem entre si e aproximam pessoas e mercadorias.

Aceleração do comércio internacional com a


globalização
Há três fatores que demonstram claramente a forte contribuição da globalização quanto
à aceleração do comércio internacional, a saber: evolução tecnológica, atividade de presta-
ção de serviços e aumento da quantidade de empresas multinacionais.

Fundamentos da Economia
1. Evolução tecnológica: como já comentado, com a evolução dos meios tecnológicos,
associados à internet (rede mundial de computadores), permitiu de maneira rápida e
imediata, a interação dos mercados nacionais com o mercado internacional. O comércio
internacional foi a mais forte evidência da globalização, permitindo a comercialização
sem fronteiras impulsionando a economia com novos produtos e serviços por meio do
comércio eletrônico;
69
2. Prestação de serviços: a atividade de serviços prestados cresceu de forma rápida e con-
sistente, influenciando dessa forma o mercado internacional. Por possuir maior flexibili-
dade, muitas empresas acabaram por aderir a esta modalidade para fugir dos encargos
trabalhistas e impostos;

3. Aumento da quantidade de empresas multinacionais: a quantidade de empresas mul-


tinacionais atuando no mercado internacional de forma agressiva cresceu justamente
pelo fato de serem oriundas de países ricos que dispunham de capital para investir em
outros mercados, com o objetivo de atingir novos mercados consumidores em regiões
onde estas empresas não tinham participação, ou seja, conquistar uma nova área ge-
ográfica onde essas empresas ainda não atuavam, como exemplo: Microsoft, Experian,
IBM, McDonald’s, Wal-Mart, Nokia, dentre outras.

Empresas multinacionais são companhias que tem a sua matriz em determinado país,
mas que possuem atuação em diversos outros, onde geralmente instalam filiais em busca
de novo mercado consumidor, mão de obra barata, isenção de impostos, dentre outros
fatores. São conhecidas no mercado também como empresas transnacionais.
Atividade 01
Você é capaz de dizer com suas próprias palavras a importância da globali-
zação? Vá ao fórum e deixe seu comentário.

Globalização: os tigres asiáticos


Ao tratarmos da globalização não podemos esquecer os chamados tigres asiáticos, um
grupo de países que souberam usufruir muito bem dos benefícios da globalização, eles inves-
Fundamentos da Economia

tiram fortemente em tecnologia e educação. Iniciaram na década de 1970, se consolidando


e se fortalecendo nas décadas de 1980 e 1990; tiveram como resultado o barateamento nos
custos de produção, agregando tecnologia aos produtos. Conseguiram produzir muito mais
com menos recursos, tiveram o máximo de produtividade com sua inteligência e expertise.

Esses países se tornaram grandes exportadores e apresentam excelentes índices de


crescimento e desenvolvimento econômico e social, destacando-se dos demais países. Os
países a que nos referimos como tigres asiáticos são: Coréia do Sul, Hong Kong (China),
70
Taiwan e Cingapura.

Figura 16 – Tigres Asiáticos


Fonte: Oliveira (2015).

Em consequência do grande desenvolvimento econômico dos tigres asiáticos, houve


uma expansão para os países vizinhos do sudeste, os países conhecidos como os novos
tigres asiáticos: Indonésia, Tailândia, Malásia, Vietnã e Filipinas, que juntamente com os
quatro tigres asiáticos passaram a fazer parte das redes de negócios de empresas dos
Estados Unidos, do Japão e de outros países desenvolvidos.

Nos países conhecidos como os novos tigres asiáticos foram instaladas indústrias tradicionais,
a exemplo das indústrias de calçados, têxteis, produtos eletrônicos, brinquedos e de alimentos.

Fundamentos da Economia
Figura 17 – Novos Tigres Asiáticos
Fonte: Oliveira (2015).

Nesses países, a mão de obra é menos qualificada do que a encontrada nos quatro
tigres asiáticos, porém muito mais barata. Milhares de pequenas empresas produzem
mercadorias sob encomenda, planejadas e criadas para atender em outros países. Na
prática, o que essas empresas fazem é produzir em outros países para baratear o pro- 71
cesso produtivo das indústrias. Vejamos um exemplo: um tênis é projetado nos Estados
Unidos, produzido na China, com matéria-prima do Brasil e vendido em diversos países
do mundo. Neste caso específico, o país fabricante optou por mão de obra, energia e
matéria-prima mais baratas, para que seu produto pudesse chegar ao mercado de con-
sumo de forma mais competitiva.

Economia internacional
Vamos finalizar essa competência tratando um pouquinho sobre a economia inter-
nacional. A economia internacional tem como função principal estudar as interações
econômicas entre as nações e os problemas que podem afetar a atividade econômica
global, ela analisa as influências que o mercado internacional tem com cada país. É
através da economia internacional que sabemos como o mercado interno reage ao
mercado externo e vice versa. A economia internacional analisa também como fun-
ciona o mercado de câmbio e todas as variáveis que influenciam as atividades da
economia mundial entre as nações. Ajuda-nos a compreender e buscar soluções para
problemas econômicos no mercado externo.
Com o objetivo de fortalecer ainda mais as relações comerciais internacionais e
aumentar a interação entre os mesmos, foram criados os blocos econômicos: Mer-
cosul, União Européia, COMECON, NAFTA, Pacto Andino e Apec. Cada país ao fazer
parte de um bloco econômico, consegue mais força nas relações comerciais internacio-
nais. Membros efetivos do Mercosul: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela
(2012). Membros associados do Mercosul: Bolívia (1996), Chile (1996), Peru (2003),
Colômbia (2004) e Equador (2004).

A União Européia é formada pela maioria dos países da Europa Continental e o Reino
Unido, são ao todo 27 países membros, a saber: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chi-
pre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hun-
gria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países baixos, Polônia, Portugal,
Reino Unido, República Tcheca, Romênia e Suécia, incluindo os territórios ultramarinos e
possessões dos países membros em outras partes do mundo, como, por exemplo: a Guina
Fundamentos da Economia

Francesa, as Ilhas Canárias, Açores e Martinica.

O COMECON (Council for Mutual Economic Assistance), Conselho para Assistência Eco-
nômica Mútua, foi fundado em 1949 e visava a integração econômica das nações do Leste
Europeu. Os países que integraram a organização internacional foram: União Soviética,
Alemanha Oriental (1950-1990), Tchecoslováquia, Polônia, Bulgária, Hungria e Romênia.
Outros países juntaram-se ao COMECON: Mongólia (1962), Cuba (1972) e Vietnã (1978).
72
O NAFTA (North America Free Trade Agreement), ou Tratado Norte-Americano de Livre
Comércio, foi criado em 1993 e teve início a partir de um acordo estabelecido entre três
países da América do Norte: Estados Unidos, México e Canadá.

O Pacto Andino, atualmente chamado de Comunidade Andina de Nações, é um bloco


econômico da América do Sul composto por quatro nações. Foi fundado em 26 de maio de
1969. A sede deste bloco econômico fica na cidade de Lima (capital do Peru). Fazem parte
deste bloco econômico: Bolívia, Peru, Equador e Colômbia. Além dos países membros, exis-
tem cinco países associados (Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai).

A APEC (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico) é um bloco econômico que foi


criado em 1993 na Conferência de Seattle (Estados Unidos da América). Fazem parte des-
se bloco econômico os seguintes países: Japão, Estados Unidos da América, China, Rússia,
Peru, Taiwan, Coréia do Sul, Cingapura, Vietnã, Malásia, Tailândia, Indonésia, Brunei, Filipi-
nas, Chile, México, Hong Kong (Região administrativa especial da China), Canadá, Papua
Nova Guiné, Nova Zelândia e Austrália.
Querendo mais
Para encontrar artigos interessantes sobre a globalização e economia inter-
nacional, consulte os site indicados: <http://fabiolatrentin.jusbrasil.com.
br/artigos/113019130/tecnologia-globalizacao-e-evolucao> e <http://
www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/o-espaco-do-
-brasil-emergente-na-economia-mundial/70130/>. E se quiser compreen-
der um pouco mais acerca da globalização, sugiro que assista ao vídeo
indicado no link: <https://www.youtube.com/watch?v=eUKH8Db2kjk>.
Ele trata de forma bem interessante e didática o que representa a globali-
zação e suas principais características.

Fundamentos da Economia
Resumo
Nesta competência, você teve a oportunidade de identificar a globalização, observar
sua importância, as vantagens e desvantagens, assim como os aspectos relacionados à
73
economia internacional, que influenciam diretamente nas relações econômicas globais.
Pode observar que a globalização é um processo econômico e social de grande relevância,
pois estabelece interligações entre países do mundo inteiro, permitindo que empresas, go-
vernos e pessoas realizem transações comerciais e financeiras de forma rápida, diminuin-
do distâncias e facilitando as relações econômicas e culturais. Teve condições de aprender
a forte contribuição da globalização quanto à aceleração do comércio internacional, além
da grande visão que os chamados tigres asiáticos (países) tiveram ao aproveitar muito bem
os benefícios da globalização, conseguindo produzir mais com menos recursos.

Teve oportunidade de conhecer os principais aspectos que trouxeram vantagens e


as desvantagens por intermédio da globalização. Conseguiu ter uma compreensão mais
abrangente sobre economia internacional suas influências e importância, principalmente
com a união dos blocos econômicos atuando em conjunto para aumentar e fortalecer as
relações internacionais quanto ao desenvolvimento econômico dos países membros. En-
fim, você teve condições de abrir os horizontes em relação à abertura do mercado mundial,
especialmente em relação aos seus progressos, velocidade das informações por meio dos
avanços tecnológicos e do fortalecimento da economia internacional a nível mundial. Des-
sa forma, ao se deparar com as questões internacionais estará mais preparado e com o
conhecimento mais apurado em relação aos aspectos que envolvem a globalização e suas
interações com o mercado externo.

Autoavaliação
01. Podemos afirmar que a melhor definição de globalização é:

a) Um processo social de desenvolvimento urbano para distribuição de produtos no mer-


cado nacional;

b) Um processo econômico que estabelece a relação dos países membros;

c) Um processo econômico e social que estabelece uma integração entre os países do


mundo inteiro;

d) Um processo econômico e social que concede aos países melhor infraestrutura de pro-
Fundamentos da Economia

dução, distribuição e renda.

02. Devido à modernização e aumento da competitividade das empresas por meio da glo-
balização, tivemos um aspecto desfavorável, que trouxe à tona um problema:

a) O mercantilismo setorial;

74 b) A queda dos preços;

c) A perda de capital;

d) O desemprego.

03. Podemos destacar como vantagens que ocorreram por meio da globalização:

a) A entrada de produtos importados, a velocidade das informações com os avanços tec-


nológicos, a facilidade de locomoção e a interação entre os países;

b) A aquisição de novas tecnologias, a entrada de produtos chineses no Brasil e a espe-


culação;

c) A saída de produtos nacionais, a pesquisa por produtos estrangeiros e o equilíbrio nas


contas públicas;

d) A entrada de produtos de última geração, a aquisição de bens e serviços e a distribuição


ao consumidor final.


04. Os países que compõem os chamados tigres asiáticos são respectivamente:

a) China, Japão, Nova Zelândia e Tchecoslováquia;

b) Polônia, Hong Kong, Brasil e Estados Unidos;

c) África, Venezuela, Coréia do Sul e Irlanda;

d) Coréia do Sul, Hong Kong, Taiwan e Cingapura.

05. Com o objetivo de fortalecer ainda mais as relações comerciais internacionais e au-
mentar a interação entre os mesmos, foram criados:

a) As organizações sem fins lucrativos;

b) Os blocos econômicos;

Fundamentos da Economia
c) Os produtos importados;

d) As organizações transcendentais das Américas.

75
Referências
AGUILAR, Nilson. Apostila de Economia 1. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://pt.scribd.
com/doc/220571170/Apostila-de-Economia-1>. Acesso em: 10 fev. 2015.

BRASILESCOLA. Macroeconomia. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.brasilescola.


com/economia/macroeconomia.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

FRANCISCO, Wagner de Cerqueira. Tigres Asiáticos. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://
www.brasilescola.com/geografia/tigres-asiaticos.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

HISTÓRIAMAIS. A Globalização. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.historiamais.com/


Fundamentos da Economia

globalizacao.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

INVESTEDUCAR. O que são Autoridades Monetárias?. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <https://
www.investeducar.com.br/o-que-sao-autoridades-monetarias/#axzz3NbJF623e>. Acesso
em: 10 fev. 2015.

KNOOW.NET. Mecanismo de mercado. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.knoow.net/


76
cienceconempr/economia/mecanismodemercado.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

OLIVEIRA, Rafael Eufrásio de. Banco de imagens e ilustrações itb. Natal: ITB, 2014.
Somente il.

PENA, Rodolfo F. Alves. Países-membros do Mercosul. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <
http://www.mundoeducacao.com/geografia/paisesmembros-mercosul.htm>. Acesso
em: 10 fev. 2015.

PORTAL Administradores. Artigos. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.administrado-


res.com.br/artigos/economia>. Acesso em: 10 fev. 2015.

SIGNIFICADOS.com.br. O que é Imperialismo. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.


significados.com.br/imperialismo/>. Acesso em: 10 fev. 2015.

______. O que é PIB. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.significados.com.br/pib/>.


Acesso em: 10 fev. 2015.
SUAPESQUISA.com. Globalização. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.suapesquisa.
com/globalizacao/>. Acesso em: 10 fev. 2015.

______. Neoliberalismo. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.suapesquisa.com/geo-


grafia/neoliberalismo.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

______. Pacto Andino (Comunidade Andina de Nações). [S.l.: s.n.]. Disponível em:
<http://www.suapesquisa.com/blocoseconomicos/pacto_andino.htm>. Acesso em: 10
fev. 2015.

______. Setores da Economia. [S.l.: s.n.]. Disponível em: <http://www.suapesquisa.com/


geografia/setores_economia.htm>. Acesso em: 10 fev. 2015.

VASCONCELLOS, Marco Antonio S.; GARCIA Manoel E. Fundamentos de Economia. 3. ed.,

Fundamentos da Economia
São Paulo: Saraiva. 2009.

77
Conheça o autor
Ricardo Elias Elnour
Fundamentos da Economia

Assistente Graduado DC Training System USA; Especialista em Administração e Plane-


jamento de Recursos Humanos; Coordenador do MBA Executivo em Mercado Financeiro
na Universidade Potiguar - UNP; Prof. de Pós-graduação na área Financeira e Comercial;
Docente no curso de Ciências Contábeis, Gestão Comercial, MKT e Administração, em que
78 ministra as disciplinas de Economia, Finanças Empresariais, Gestão Financeira, Mercado de
Capitais e Derivativos, e Análise de Investimentos. Atua como consultor na área de planeja-
mento financeiro e estratégia empresarial, palestrante e autor dos e-books: 100 Pequenos
negócios pra você escolher e começar já! e Treinamento de liderança para gestores.