Você está na página 1de 5

07/04/2018

Questão 1
ADMINISTRAÇÃO (CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) A LDO deve anteceder a
edição da LOA, independentemente da esfera federativa, em virtude do seu
FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA caráter anual.
E ORÇAMENTO PÚBLICO LDO LOA
ano 1

ano 2 LDO LOA


TCM/BA
PPA ano 3
LDO LOA
ano 4

LDO LOA

Resposta: Certa

Questão 2
Questão 3
(CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O plano plurianual é
estabelecido por lei de iniciativa do Poder Legislativo. (CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) As diretrizes,
os objetivos e as metas da administração pública federal para as despesas
Art. 165. Leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecerão: relativas aos programas de duração continuada serão fixados no plano
plurianual.
I – o plano plurianual;
II – as diretrizes orçamentárias; Art. 165, § 1º A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de forma
III – os orçamentos anuais. regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da administração pública
federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as
relativas aos programas de duração continuada.

Resposta: Errada
Resposta: Certa

Questão 5
Questão 4
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O orçamento de
investimento de determinada empresa somente deve ser incluído na lei orçamentária anual
(CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) A lei de se a União detiver a maioria do capital social com direito a voto dessa empresa.
diretrizes orçamentárias é o instrumento que regula a elaboração da lei
orçamentária anual e dispõe sobre as prioridades da administração pública. referente aos Poderes da União, seus fundos,
órgãos e entidades da administração direta e
LOA I – o orçamento fiscal indireta, inclusive fundações instituídas e
Art. 165, § 2º A lei de diretrizes orçamentárias compreenderá as metas e (art. 165, § 5º) mantidas pelo Poder Público.
prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas de
capital para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração da lei
orçamentária anual, disporá sobre as alterações na legislação tributária e III – o orçamento da seguridade social II – o orçamento de investimento das empresas
estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de
abrangendo todas as entidades e órgãos a
fomento. ela vinculados, da administração direta ou em que a União, direta ou indiretamente, detenha
indireta, bem como os fundos e fundações a maioria do capital social com direito a voto;
instituídos e mantidos pelo Poder Público.
Resposta: Certa
Resposta: Certa

1
07/04/2018

Questão 7
Questão 6
(CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O princípio da
(CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) O objetivo constitucional de construir unidade orçamentária determina que todas as despesas e todas as receitas de todos os
um programa geoeconômico e social visando à redução das desigualdades regionais deve ser poderes, órgãos e fundos estejam compreendidas no orçamento.
contemplado, prioritariamente, na LDO.
Orçamento Fiscal e
Orçamento das Empresas Estatais
A LOA deve conter todas as receitas e despesas
Princípio da
Art. 165, § 7º Os orçamentos previstos no § 5º, I e II, deste artigo, compatibilizados com o plano referentes aos Poderes da União, seus fundos, órgãos
Universalidade e entidades da administração direta e indireta.
plurianual, terão entre suas funções a de reduzir desigualdades inter-regionais, segundo critério
populacional.

O orçamento deve ser uno, isto é, deve existir apenas


Princípio da um orçamento, e não mais que um para cada ente da
Unidade Federação em cada exercício financeiro.

Resposta: Errada Resposta: Errada

Questão 8 Questão 9
(CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) A lei orçamentária anual (CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) A CF não veda a abertura de crédito
não pode conter dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, de modo suplementar ou especial, mesmo sem a indicação dos recursos correspondentes e a prévia
que é vedada a autorização para a abertura de créditos suplementares e a contratação de
autorização legislativa.
operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos disciplinados em lei.

A lei orçamentária anual não conterá dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se
incluindo na proibição a autorização para abertura de créditos suplementares e contratação de operações de
crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei (art. 165, § 8º, da CF/1988).

regra Previsão de receitas e fixação de despesas.


Princípio da Exclusividade
Autorização para:
exceções I) Abertura de créditos suplementares;
II) Contratação de operações de crédito, inclusive por ARO.

Resposta: Errada Resposta: Errada

Questão 10
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) Quanto aos créditos
orçamentários adicionais, o crédito suplementar incorpora-se ao orçamento vigente, adicionando-
se à dotação orçamentária que deva reforçar, ao passo que os créditos especiais são destinados a
despesas para as quais não haja dotação orçamentária específica.

Incorporam-se ao orçamento,
Créditos adicionando-se à dotação
Suplementares orçamentária que deva reforçar
Créditos Conservam sua especificidade,
Especiais e demonstrando-se as despesas realizadas
Extraordinários à conta destes, separadamente
assim, o
reforço Resposta: Certa
deve dar-se pela regra prevista no respectivo
crédito ou, no caso de omissão, pela abertura
de novo crédito especial ou extraordinário

2
07/04/2018

Questão 11 Questão 12
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O superávit financeiro apurado
(CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) Se o Poder Judiciário não encaminhar a
no balanço financeiro do exercício anterior constitui fonte de recursos para a abertura de créditos
proposta orçamentária no prazo previsto na LDO, o Poder Executivo deverá enviar para o Poder
especiais e suplementares.
Legislativo o projeto da LOA sem contemplar os recursos destinados a esse poder.

Limites na LDO
Os tribunais elaborarão suas propostas O Ministério Público elaborará sua
orçamentárias dentro dos limites proposta orçamentária dentro dos
estipulados conjuntamente com os limites estabelecidos na LDO.
demais Poderes na LDO.
Se cada um (Judiciário ou MP) não encaminhar a respectiva
proposta orçamentária dentro do prazo estabelecido na LDO

Resposta: Errada
o Poder Executivo considerará, para fins de consolidação da proposta orçamentária anual

os valores aprovados na LOA vigente, ajustados de Resposta: Errada


acordo com os limites estipulados na LDO

Questão 14
Questão 13 (CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) As contribuições sociais e de melhoria,
assim como as multas decorrentes do não pagamento de impostos, classificam-se como receitas
(CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) Ao presidente da tributárias.
República é vedado o envio de mensagem modificativa dos projetos relativos às
leis orçamentárias subsequente ao parecer da comissão mista de deputados e
ORIGENS DAS RECEITAS
senadores. Receitas Tributárias pela Lei 4320/1964:
RECEITAS CORRENTES RECEITAS DE CAPITAL
O Presidente da República poderá enviar mensagem ao Congresso Nacional para propor 1. Impostos, Taxas e Contribuições
modificação nos projetos a que se refere o art. 166 da CF/1988 (PPA, LDO, LOA e crédito Impostos Taxas de Melhoria
Contribuições de Melhoria
adicionais) enquanto não iniciada a votação, na comissão mista, da parte cuja alteração é 1. Operações de Crédito
2. Contribuições
proposta. 2. Alienação de Bens
3. Receita Patrimonial As demais contribuições integram outra
3. Amortização de Empréstimos origem, denominada de “Contribuições”.
4. Receita Agropecuária
4. Transferências de Capital
5. Receita Industrial
9. Outras Receitas de Capital
6. Receita de Serviços
7. Transferências Correntes Resposta: Errada
Resposta: Errada
9. Outras Receitas Correntes

Questão 15 Questão 16
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) Na classificação (CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) As operações especiais, ações que
funcional da despesa orçamentária, a função, via de regra, relaciona-se com a missão integram a estrutura programática, agrupam despesas que não contribuam para a
institucional do órgão, e a subfunção deve evidenciar cada área da atuação manutenção, a expansão ou o aperfeiçoamento das ações de governo.
governamental.
Classificação Funcional: aponta “em que área” a despesa será realizada. As ações podem ser classificadas em:

Trata-se de uma classificação de aplicação comum e obrigatória, no âmbito de todos os entes, o é um instrumento de programação utilizado para alcançar o objetivo de um programa,
que permite a consolidação nacional dos gastos do setor público. Atividade envolvendo um conjunto de operações que se realizam de modo contínuo e permanente,
das quais resulta um produto ou serviço necessário à manutenção da ação de Governo.
1º 2º 3º 4º 5º
é um instrumento de programação utilizado para alcançar o objetivo de um programa,
Função Subfunção Projeto envolvendo um conjunto de operações, limitadas no tempo, das quais resulta um produto
que concorre para a expansão ou o aperfeiçoamento da ação de Governo.
O maior nível de agregação evidencia cada área da atuação governamental, por intermédio da
das diversas áreas de agregação de determinado subconjunto de despesas e identificação despesas que não contribuem para a manutenção, expansão ou aperfeiçoamento das
atuação do setor público da natureza básica das ações que se aglutinam em torno das funções Operações
ações de governo, das quais não resulta um produto, e não gera contraprestação direta
Especiais sob a forma de bens ou serviços.
Resposta: Certa Resposta: Certa

3
07/04/2018

Questão 17 Questão 18
(CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) Os empenhos aplicáveis às despesas (CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) A liquidação consiste na
relacionadas ao consumo de energia elétrica e os aplicáveis aos compromissos decorrentes verificação do direito adquirido pelo credor, tendo por base os títulos e documentos
de aluguéis classificam-se, respectivamente, em estimativos e globais. comprobatórios do respectivo crédito, e tem por objetivo apurar a origem e o objeto do que
se deve pagar, a importância exata a pagar e a quem se deve pagar a importância para
extinguir a obrigação.
Ordinário: montante previamente conhecido e cujo pagamento deva ocorrer de uma só vez.
consiste na verificação do direito adquirido pelo
credor (ou entidade beneficiária) tendo por base os
Por estimativa: montante não se pode determinar. Liquidação títulos e os documentos comprobatórios do
respectivo crédito (ou da habilitação ao benefício)
Global: montante definido, mas permitida para atender despesas contratuais e outras sujeitas a
parcelamento.
- A origem e o objeto do que se deve pagar.
A liquidação tem por finalidade - A importância exata a pagar.
reconhecer ou apurar - A quem se deve pagar a importância para extinguir a
obrigação.

Resposta: Certa
Resposta: Certa

Questão 19 Questão 20
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) São restos a pagar apenas
as despesas regularmente empenhadas e liquidadas, do exercício atual ou anterior, mas não (CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) O prévio empenho é dispensável na
pagas ou canceladas até 31 de dezembro. medida em que a legislação admite o adiantamento de pagamento de despesas que não se
subordinam ao processo normal de aplicação.
Empenho Liquidação Pagamento
Lei 4320/64:
Art. 68. O regime de adiantamento é aplicável aos casos de despesas expressamente
definidos em lei e consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de
SIM SIM OU NÃO NÃO empenho na dotação própria para o fim de realizar despesas, que não possam
subordinar-se ao processo normal de aplicação.
O registro dos restos a pagar far-se-á por exercício e por credor, distinguindo-se:

Despesas Despesas Não


Processadas Processadas

Resposta: Errada Resposta: Errada

Questão 21
Questão 22
(CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O anexo de metas
fiscais deve ser obrigatoriamente incluído na lei de diretrizes orçamentárias, mas a (CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018) O recurso
inclusão do anexo de riscos fiscais é facultativa. legalmente vinculado à finalidade específica que não for utilizado no objeto de
sua vinculação até o final do exercício financeiro reverte ao Tesouro público e
pode ser utilizado no exercício seguinte em outras finalidades.

ANEXOS DA LDO Anexo de Anexo de


Metas Fiscais Riscos Fiscais Art. 8º (...)
Os recursos legalmente vinculados a finalidade específica serão utilizados exclusivamente
para atender ao objeto de sua vinculação, ainda que em exercício diverso daquele em que
ocorrer o ingresso.

Resposta: Errada Resposta: Errada

4
07/04/2018

Questão 24
Questão 23 (CESPE – Oficial Técnico de Inteligência – ABIN – 2018) Para efeito das normas de
responsabilidade fiscal, uma empresa estatal pode ser caracterizada como
(CESPE – Auditor de Contas Públicas - TCE/PB – 2018) A recomposição das dependente sem constituir uma empresa controlada.
dotações, objeto do ato de limitação, depende do restabelecimento integral da
sociedade cuja maioria do capital social com direito a voto
receita. pertença, direta ou indiretamente, a ente da Federação;

Empresa estatal empresa que receba do ente controlador recursos financeiros


dependente controlada
Art. 9º (...) para

No caso de restabelecimento da receita prevista, ainda que parcial, a recomposição das (art. 2º, II e III)
dotações cujos empenhos foram limitados dar-se-á de forma proporcional às reduções pagamento de ou de custeio
despesas com ou de capital
efetivadas em geral
pessoal

Excluídos aqueles
provenientes de aumento
de participação acionária
Resposta: Errada Resposta: Errada

Questão 25
(CESPE – Oficial Técnico de Inteligência – ABIN – 2018) Os atos de ampliação de
benefício tributário somente podem entrar em vigor depois que forem
implementadas medidas de compensação, que devem ser constituídas de aumento
da receita orçamentária em montante equivalente ao benefício.

estar acompanhada de estimativa do impacto orçamentário-financeiro


no exercício em que deva iniciar sua vigência e nos dois seguintes;
Art. 14. A concessão ou ampliação de incentivo
ou benefício de natureza tributária da qual atender ao disposto na LDO;
decorra renúncia de receita deverá

e atender a pelo menos uma das seguintes condições:


I - demonstração pelo proponente de que a renúncia foi considerada na estimativa
de receita da LOA, na forma do art. 12, e de que não afetará as metas de resultados
fiscais previstas no anexo de metas fiscais da LDO;
II - estar acompanhada de medidas de compensação, no período mencionado Neste caso, o benefício só entrará
no caput, por meio do aumento de receita, proveniente da elevação de alíquotas, em vigor quando implementadas
ampliação da base de cálculo, majoração ou criação de tributo ou contribuição. as tais medidas (§ 2º).

Resposta: Errada