Você está na página 1de 24

O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

1) Estrutura e Funcionamento

O mercado de capitais é o conjunto de mercados, instituições e ativos ativos Bens e direitos possuídos por uma empresa ou fundo de investimento. Para fundos de investimento, representa todos os títulos (títulos públicos, títulos privados, ações, commodities, cotas de fundo de investimento, etc.) que compõe a carteira carteira É uma cesta de ativos quaisquer dentro de uma mesma estrutura. Esta estrutura pode ser um fundo, o seu patrimônio pessoal ou mesmo a tesouraria de um banco. do fundo ativos Bens e direitos possuídos por uma empresa ou fundo de investimento. Para fundos de investimento, representa todos os títulos (títulos públicos, títulos privados, ações, commodities, cotas de fundo de investimento, etc.) que compõe a carteira do fundoque viabiliza a transferência de recursos financeiros entre tomadores (companhias abertas) e aplicadores (investidores) destes recursos. Essa transferência ocorre por meio de operações financeiras que podem se dar diretamente entre companhias e investidores ou através de intermediários financeiros. As operações que ocorrem no mercado de capitais, bem como seus participantes são regulados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As companhias abertas necessitam de recursos financeiros para realizar investimentos produtivos, tais como: construção de novas plantas industriais, inovação tecnológica, expansão da capacidade, aquisição de outras empresas ou mesmo o alongamento do prazo de suas dívidas. Os investidores, por outro lado, possuem recursos financeiros excedentes, que precisam ser aplicados de maneira rentável e valorizar-se ao longo do tempo, contribuindo para o aumento de capital do investidor.

Existem companhias de diferentes portes, com necessidades financeiras variadas. Ao mesmo tempo, investidores podem aplicar com o objetivo de obterem retorno financeiro no curto, médio ou longo prazo, e com diferentes níveis de risco.

Para compatibilizar os diversos interesses entre companhias e investidores, estes recorrem aos intermediários financeiros, que cumprem a função de reunir investidores e companhias, propiciando a alocação eficiente dos recursos financeiros na economia. O papel dos intermediários financeiros é harmonizar as necessidades dos investidores com as das companhias abertas. Por exemplo, uma companhia que necessita captar recursos para investimentos, se desejar fazê-lo através do mercado de capitais, deve

procurar os intermediários financeiros, que irão distribuir seus títulos para serem oferecidos a diversos investidores, possibilitando mobilizar o montante de recursos requerido pela companhia.

E como isso acontece? Primeiro, um intermediário financeiro irá orientar a companhia sobre a melhor alternativa de financiamento, isto é, alternativas para que a companhia possa se financiar mediante recursos financeiros de terceiros. Caso a companhia decida pelo mercado de capitais, vários procedimentos jurídicos e administrativos para a abertura do capital serão necessários. O primeiro passo para isso é o registro de companhia aberta junto à CVM. O intermediário financeiro irá pedir o registro em nome da companhia apresentando uma série de documentos que são especificados pela CVM, entre eles os principais atos societários, as últimas demonstrações financeiras, parecer de auditor independente, entre outros.

Uma vez obtido o registro de companhia aberta junto à CVM, a empresa pode, por exemplo, emitir títulos representativos de seu capital, as ações, ou representativos de empréstimos tomados via mercado de capitais, como debêntures e notas comerciais ("commercial papers").

Outros intermediários financeiros, por sua vez, irão oferecer aos investidores, os valores mobiliários emitidos pela companhia aberta. Em geral, os intermediários financeiros se associam, em consórcios, num esforço para vender todos os títulos ou valores mobiliários emitidos pela companhia. A colocação inicial desses títulos ou valores mobiliários se dá no chamado mercado primário, onde as ações e/ou debêntures, por exemplo, são vendidas pela primeira vez e os recursos financeiros obtidos são direcionados para a respectiva companhia.

Finalizada essa primeira etapa, os investidores que adquiriram esses títulos e valores mobiliários podem revendê-los no chamado mercado secundário, onde ocorre a sua negociação entre os investidores.

Os investidores podem negociar diretamente entre si para comprar e vender ações e outros títulos e valores mobiliários. Contudo, na maioria dos casos, essa não é a forma mais eficiente porque implica em altos custos de transação: como encontrar outro investidor interessado numa determinada ação? Como saber qual é o preço justo da ação num determinado momento? Como garantir que outro investidor irá pagar pelas ações ou entregar aquelas que foram negociadas?

Para facilitar a negociação desses títulos no mercado secundário, foram criadas instituições que têm por objetivo administrar sistemas centralizados, regulados e seguros para a negociação desses títulos. A

função básica dessas instituições é proporcionar liquidez liquidez Maior ou menor facilidade de se negociar um título, convertendo-o em dinheiro.aos valores de emissão de companhias abertas, ou seja, possibilitar ao investidor que adquiriu esses títulos vendê-los de forma eficiente e segura. São exemplos destas instituições as bolsas de valores e as entidades administradoras do mercado de balcão organizado. mercado de balcão organizado Ambiente de negociação administrado por instituições auto- reguladoras, autorizadas e supervisionadas pela CVM, que mantêm sistema de negociação (eletrônicos ou não) e regras adequadas à realização de operações de compra e venda de títulos e valores mobiliários, bem como à divulgação das mesmas.

A atuação nas bolsas de valores e nos mercados de balcão, organizado e não organizado, é restrita aos integrantes do sistema de distribuição de valores mobiliários, dentre estes as instituições financeiras e sociedades corretoras e distribuidoras devidamente autorizadas a funcionar pela CVM e pelo Banco Central do Brasil, que atuam em nome de seus clientes, os investidores, comprando e vendendo ações, debêntures e outros títulos e valores mobiliários emitidos pelas companhias abertas.

As bolsas de valores e as entidades do mercado de balcão organizado têm o status de auto-reguladores, pois são responsáveis por estabelecer diversas regras relativas ao funcionamento dos mercados por elas administrados e à atuação dos intermediários que neles atuam. Ao mesmo tempo, as bolsas de valores e os mercados de balcão organizado são supervisionados pela CVM.

Compreenda as terminologias usadas no Sistema Financeiro

O Sistema Financeiro Brasileiro pode ser entendido como o conjunto de instrumentos, mecanismos e instituições que asseguram a canalização da poupança para o investimento, ou seja, dos setores que possuem recursos financeiros superavitários para os desejam ou necessitam de recursos (deficitários). O Sistema Financeiro Brasileiro é segmentado em quatro grandes "mercados", que são:

função básica dessas instituições é proporcionar liquidez liquidez Maior ou menor facilidade de se negociar um

Mercado monetário: é o mercado onde se concentram as operações

para controle da oferta de moeda e das taxas de juros de curto prazo com vistas a garantir a liquidez da economia. O Banco Central do Brasil atua neste mercado praticando a chamada Política Monetária. Mercado de crédito: atuam neste mercado diversas instituições

financeiras e não financeiras prestando serviços de intermediação de recursos de curto e médio prazo para agentes deficitários que necessitam de recursos para consumo ou capital de giro. O Banco Central do Brasil é o principal órgão responsável pelo controle, normatização e fiscalização deste mercado. Mercado de capitais: tem como objetivo canalizar recursos de

médio e longo prazo para agentes deficitários, através das operações de compra e de venda de títulos e valores mobiliários, efetuadas entre empresas, investidores e intermediários. A Comissão de Valores Mobiliários é o principal órgão responsável pelo controle, normatização e fiscalização deste mercado. Mercado de câmbio: mercado onde são negociadas as trocas de moedas estrangeiras por reais. O Banco Central do Brasil é o responsável pela administração, fiscalização e controle das operações de câmbio e da taxa de câmbio atuando através de sua Política Cambial.

• Mercado monetário : é o mercado onde se concentram as operações • para controle da

Curto Prazo: Mercado Monetário, Mercado Monetário Onde são

realizadas as operações de curto e curtíssimo prazos a fim de que os agentes econômicos e os próprios intermediários financeiros suprem suas necessidades momentâneas de caixa. A liquidez desse mercado é regulada por operações abertas, realizadas pelo Banco Central, via colocação, recompra e resgate de títulos da dívida pública. Compõe o conjunto de instrumentos utilizados na execução da Política Monetária. Crédito e Câmbio Médio e Longo Prazo: Mercado de Capitais

• Mercado primário : As empresas ou o governo emitem títulos e • valores mobiliários para

Mercado primário: As empresas ou o governo emitem títulos e

valores mobiliários para captar novos recursos diretamente de investidores. Mercado secundário: é composto por títulos e valores mobiliários previamente adquiridos no mercado primário, ocorrendo apenas a troca de titularidade, isto é, a compra e venda. Não envolve mais o emissor e nem a entrada de novos recursos de capital para quem o emitiu. Seu objetivo é gerar negócios, isto é, dar liquidez aos títulos.

• Mercado primário : As empresas ou o governo emitem títulos e • valores mobiliários para

Distribuição primária: corresponde à distribuição de novas ações,

sendo os recursos captados destinados a aumento de capital da companhia emissora. Distribuição secundária: corresponde à distribuição de ações já emitidas e os recursos captados se destinam aos acionistas vendedores, que podem ser investidores estratégicos tais como os Fundos de "Private Equity" (Fundo de Investimento em Participações).

• Mercado primário : As empresas ou o governo emitem títulos e • valores mobiliários para

Mercado de bolsa: as negociações são abertas e realizadas por sistema de leilão, ou seja, a venda acontece para quem oferece melhor lance. A arrematação e/ou a negociação é feita por pregão pregão Modalidade de leilão, em que se negociam, verbalmente ou

por meios eletrônicos, preços e quantidades dos ativos negociados.de viva-voz ou com auxílio de sistema informatizado. Mercado de balcão: a negociação ocorre diretamente entre a instituição financeira e outra instituição financeira ou não financeiras. Os valores são negociados apenas entre as partes envolvidas.

2) Entidades Supervisoras

Banco Central do Brasil

• por meios eletrônicos, preços e quantidades dos ativos negociados.de viva-voz ou com auxílio de sistema

O Banco Central do Brasil foi criado em 1964 com a promulgação da Lei da Reforma Bancária (Lei nº 4.595 de 31.12.64).

Antes da sua criação, as suas funções eram realizadas pela Superintendência da Moeda e do Crédito - SUMOC, pelo Banco do Brasil - BB e pelo Tesouro Nacional.

Sua sede é em Brasília e possui representações regionais em Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

• por meios eletrônicos, preços e quantidades dos ativos negociados.de viva-voz ou com auxílio de sistema

É uma autarquia federal que tem como principal missão institucional assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda nacional e da solidez do SFN.

É o "banco dos bancos".

A partir da Constituição de 1988, o BC passou a ter o exercício exclusivo para emissão de moeda. O presidente do BC e os seus diretores são nomeados pelo Presidente da República após a aprovação prévia do Senado Federal, que é feita por uma argüição pública e posterior votação secreta.

É uma autarquia federal que tem como principal missão institucional assegurar a estabilidade do poder de

É da competência do BC:

Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda nacional e da

solidez do Sistema Financeiro Nacional; Formular a política monetária mediante utilização de títulos do

Tesouro Nacional; Fixar a taxa de referência para as operações compromissadas

operações compromissadas São operações em que um título é vendido e após período pré-determinado há compromisso do vendedor em recomprá-lo por valor acordado na ocasião da venda de um dia, conhecida como taxa SELIC; Controlar as operações de crédito das instituições que compõe o

Sistema Financeiro Nacional; Formular, executar e acompanhar a política cambial e de relações

financeiras com o exterior; Fiscalizar os bancos comerciais;

Emitir papel-moeda;

Executar os serviços do meio circulante para atender a demanda de

dinheiro necessário às atividades econômicas; Adequar o volume dos meios de pagamento à real capacidade da

economia; Manter o nível de preços (inflação) sobre controle;

Manter sobre controle a expansão da moeda e do crédito e a taxa de juros;

Operar no mercado aberto, de recolhimento compulsório e de

redesconto; Executar o sistema de metas para a inflação;

Divulgar as decisões do Conselho Monetário Nacional;

Manter ativos ativos Bens e direitos possuídos por uma empresa ou

fundo de investimento. Para fundos de investimento, representa todos os títulos (títulos públicos, títulos privados, ações, commodities, cotas de fundo de investimento, etc.) que compõe a carteira carteira É uma cesta de ativos quaisquer dentro de uma mesma estrutura. Esta estrutura pode ser um fundo, o seu patrimônio pessoal ou mesmo a tesouraria de um banco. do fundo ativos Bens e direitos possuídos por uma empresa ou fundo de investimento. Para fundos de investimento, representa todos os títulos (títulos públicos, títulos privados, ações, commodities, cotas de fundo de investimento, etc.) que compõe a carteira do fundode ouro e de moedas estrangeiras para atuação nos mercados de câmbio, objetivando a manutenção da paridade da moeda nacional; Regular o mercado de câmbio;

Administrar as reservas internacionais brasileiras;

Zelar pela liquidez liquidez Maior ou menor facilidade de se

negociar um título, convertendo-o em dinheiro.e solvência das instituições financeiras nacionais; ]Conceder autorização para o funcionamento das instituições

financeiras; Manter e movimentar a chamada Conta Única do Tesouro Nacional,

onde são contabilizadas as disponibilidades de caixa da União; Regular, autorizar e fiscalizar as atividades das administradoras de

consórcios para aquisições de bens; Normatizar, autorizar e fiscalizar as sociedades de crédito imobiliário

e as associações de poupança e empréstimos; Regular a execução dos serviços de compensação de cheques e outros papéis.

Para mais informações veja no site do Banco Central.

CVM - Comissão de Valores Mobiliários

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi criada em 07 de dezembro de 1976 pela Lei

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi criada em 07 de dezembro de 1976 pela Lei nº 6.385 para fiscalizar e desenvolver o mercado de valores mobiliários no Brasil.

Até o ano de 1976 não havia uma entidade que absorvesse a regulação e a fiscalização do mercado de capitais, principalmente nos temas relativos às sociedades de capital aberto. Por isso, a Lei nº 6.385 ficou sendo conhecida como a Lei da CVM.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi criada em 07 de dezembro de 1976 pela Lei

A Comissão de Valores Mobiliários é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, porém sem subordinação hierárquica.

Com o objetivo de reforçar sua autonomia e seu poder fiscalizador, o governo federal editou, em 31.10.01, a Medida Provisória nº 8 (convertida na Lei nº 10.411 de 26.02.02) pela qual a CVM passa a ser uma "entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade administrativa independente, ausência de subordinação hierárquica, mandato fixo e estabilidade de seus dirigentes, e autonomia financeira e orçamentária" (art. 5º).

É administrada por um Presidente e quatro Diretores, nomeados pelo Presidente da República e aprovados pelo Senado Federal. Eles formam o chamado "colegiado" da CVM. Seus integrantes têm mandato de 5 anos e

só perdem seus mandatos "em virtude de renúncia, de condenação judicial transitada em julgado ou de processo administrativo disciplinar" (art. 6º §

2º).

O Colegiado define as políticas e estabelece as práticas a serem implantadas e desenvolvidas pelas Superintendências, as instâncias executivas da CVM.

Sua sede é localizada na cidade do Rio de Janeiro, com Superintendências Regionais nas cidades de São Paulo e Brasília.

só perdem seus mandatos "em virtude de renúncia, de condenação judicial transitada em julgado ou de

A CVM tem as seguintes atribuições:

Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores

mobiliários; Promover a expansão e o funcionamento correto, eficiente e regular

do mercado de ações, além de estimular as aplicações permanentes em ações do capital social de companhias abertas; Assegurar e fiscalizar o funcionamento eficiente das bolsas de

valores, do mercado de balcão e das bolsas de Mercadorias e Futuros; Proteger os titulares de valores mobiliários e os investidores do

mercado contra emissões irregulares de valores mobiliários e contra atos ilegais de administradores e de companhias abertas ou de carteira de valores mobiliários; Evitar ou coibir modalidades de fraude ou de manipulação

manipulação Que é a compra ou venda de ativos em mercado com a finalidade de criar falsa aparência de negociação ativa e, assim, influenciar a ação dos demais investidores.que criem condições artificiais de demanda, oferta ou preço dos valores mobiliários negociados no mercado; Assegurar o acesso do público a informações sobre os valores mobiliários negociados e sobre as companhias que os tenham emitido;

Assegurar o cumprimento de práticas comerciais eqüitativas no

mercado de valores mobiliários; Responsável por fazer cumprir a Lei nº 6.404 de 15 de dezembro de

1976 (Lei da Sociedade por Ações), em relação aos participantes do mercado de valores mobiliários; Realizar atividades de credenciamento e fiscalização de auditores

independentes, administradores de carteiras de valores mobiliário, agentes autônomos, entre outros; Fiscaliza e inspeciona as companhias abertas e os fundos de

investimento; Apura, mediante inquérito administrativo, atos legais e práticas não-

eqüitativas de administradores de companhias abertas e de quaisquer participantes do mercado de valores mobiliários, aplicando as penalidades previstas em lei; Fiscaliza e disciplina as atividades dos auditores independentes; consultores e analistas de valores mobiliários.

No site da CVM pode-se obter mais informações.

SUSEP - Superintendência de Seguros Privados

• Assegurar o cumprimento de práticas comerciais eqüitativas no • mercado de valores mobiliários; Responsável por

Criada em 1996 no Decreto-Lei nº 73/66 que também institui o Sistema Nacional de Seguros Privados e que fazem parte o CNSP [1.6.9] e o IRB

[1.6.10].

É uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda administrada por um Conselho Diretor, composto pelo Superintendente

É uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda administrada por um Conselho Diretor, composto pelo Superintendente e por quatro Diretores. Também integram o Colegiado, sem direito a voto, o Secretário-Geral e Procurador-Geral.

É uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda administrada por um Conselho Diretor, composto pelo Superintendente

As atribuições da SUSEP são:

Fiscalizar a constituição, organização, funcionamento e operação das

Sociedades Seguradoras, de Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, na qualidade de executora da política traçada pelo CNSP; Atuar no sentido de proteger a captação de poupança popular que se

efetua através das operações de seguro, previdência privada aberta, de capitalização e resseguro; Zelar pela defesa dos interesses dos consumidores dos mercados

supervisionados; Promover o aperfeiçoamento das instituições e dos instrumentos

operacionais a eles vinculados, com vistas à maior eficiência do Sistema Nacional de Seguros Privados e do Sistema Nacional de Capitalização; Promover a estabilidade dos mercados sob sua jurisdição,

assegurando sua expansão e o funcionamento das entidades que neles operem; Zelar pela liquidez e solvência das sociedades que integram o mercado;

Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entidades, em

especial os efetuados em bens garantidores de provisões técnicas; Cumprir e fazer cumprir as deliberações do CNSP e exercer as

atividades que por este forem delegadas; Prover os serviços de Secretaria Executiva do CNSP.

• Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entidades, em • especial os efetuados em bens garantidores

Para mais informações no site da SUSEP: http://www.susep.gov.br/

IRB-Brasil RE

• Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entidades, em • especial os efetuados em bens garantidores

Criado em 1939 para fortalecer o desenvolvimento do mercado segurador nacional. Uma das novidades foi a criação do mercado de resseguros brasileiros que possibilitou o aumento da capacidade seguradora das sociedades nacionais, pela retenção de maior volume de negócios. Hoje é chamado IRB- Brasil Re.

É uma sociedade de economia mista com controle acionário da União, vinculada ao Ministério da Fazenda.

É uma sociedade de economia mista com controle acionário da União, vinculada ao Ministério da Fazenda.

Sua sede é localizada na cidade do Rio de Janeiro, com filiais em Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Nova York e Londres.

O Conselho de Administração é composto de 06 (seis) membros, eleitos pela Assembléia Geral e por ela destituíveis a qualquer tempo, sendo:

I - três membros indicados pelo Ministro de Estado da Fazenda, dentre eles:

  • a) o Presidente do Conselho;

  • b) o Presidente da Sociedade, que será o Vice-Presidente do Conselho;

II - um membro indicado pelo Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão; III - um membro indicado pelos acionistas detentores de ações preferenciais; IV - um membro indicado pelos acionistas minoritários, detentores de ações ordinárias.

É uma sociedade de economia mista com controle acionário da União, vinculada ao Ministério da Fazenda.

Resseguro é, em resumo, o seguro do seguro. O resseguro é um tipo de pulverização em que o segurador transfere a outrem, total ou parcialmente, o risco assumido. Quando uma companhia assume um contrato de seguro superior à sua capacidade financeira, ela repassa esse risco, ou parte dele, a uma resseguradora.

No site do IRB-Brasil RE tem mais informações sobre o assunto.

3) Órgãos Normativos

Conselho Monetário Nacional - CMN

No site do IRB-Brasil RE tem mais informações sobre o assunto. 3) Órgãos Normativos Conselho Monetário

Foi criado pela Lei da Reforma do Sistema Financeiro Nacional (Lei nº 4.595/64) junto com o Banco Central do Brasil (BACEN). Até 1964 a fixação das diretrizes das políticas monetária e fiscal eram atribuições da Superintendência da Moeda e do Crédito (SUMOC), do Banco Brasil, e o Tesouro Nacional.

No site do IRB-Brasil RE tem mais informações sobre o assunto. 3) Órgãos Normativos Conselho Monetário

È o órgão de cúpula do Sistema Financeiro Nacional O CMN não desempenha função executiva, apenas tem funções normativas. Hoje em dia o CMN é composta por três membros:

Ministro da Fazenda (Presidente);

Ministro do Planejamento Orçamento e Gestão; e

Presidente do Banco Central.

Trabalhando em conjunto com CMN funciona a Comissão Técnica da Moeda e do Crédito (Comoc) que tem como atribuições o assessoramento técnico na formulação da política da moeda e do crédito do País.

As matérias aprovadas são regulamentadas por meio de Resoluções, normativo de caráter público, sempre divulgado no Diário Oficial da União e na página de normativos do Banco Central do Brasil.

Trabalhando em conjunto com CMN funciona a Comissão Técnica da Moeda e do Crédito (Comoc) que

É da sua competência:

Responsável por formular a política da moeda e do crédito,

objetivando a estabilidade da moeda e o desenvolvimento econômico e social do País; Responsável por zelar pela liquidez liquidez Maior ou menor

facilidade de se negociar um título, convertendo-o em dinheiro.e pela solvência de todas as instituições financeiras brasileiras Responsável por estabelece a meta para a inflação;

Responsável pela aprovação dos orçamentos monetários preparados

pelo Banco Central do Brasil; Responsável pela autorização de emissões de papel-moeda;

Todas competências do CMN de acordo a Lei nº 4.595/64 e suas devidas atualizações.

Mais sobre o CMN na página do Banco Central.

E também http://www.fazenda.gov.br/ - CMN

Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP

Foi criado em 1966 pelo Decreto-Lei nº 73 [1.6.42] que também instituiu o Sistema Nacional de

Foi criado em 1966 pelo Decreto-Lei nº 73 [1.6.42] que também instituiu o Sistema Nacional de Seguros Privado em substituição ao Departamento Nacional de Seguros Privados e Capitalização que havia sido criado em

1934.

Foi criado em 1966 pelo Decreto-Lei nº 73 [1.6.42] que também instituiu o Sistema Nacional de

É composto por:

Ministro da Fazenda (Presidente)

Representante do Ministério da Justiça

Representante do Ministério da Previdência Social

Superintendente da Superintendência de Seguros Privados

Representante do Banco Central do Brasil

Representante da Comissão de Valores Mobiliários

Foi criado em 1966 pelo Decreto-Lei nº 73 [1.6.42] que também instituiu o Sistema Nacional de

O CNSP desempenha as seguintes funções:

Regular a constituição, organização, funcionamento e fiscalização

dos que exercem atividades subordinadas ao Conselho, bem como a aplicação das penalidades previstas. Fixar as características gerais dos contratos de seguro, previdência

privada aberta, capitalização e resseguro. Estabelecer as diretrizes gerais das operações de resseguro.

Prescrever os critérios de constituição das Sociedades Seguradoras, de Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, com fixação dos limites legais e técnicos das respectivas operações e disciplinar a corretagem de seguros e a profissão de corretor.

4) Bancos Públicos Operadores de Políticas Governamentais

Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES

Criado no ano de 1952 como autarquia federal, hoje é uma empresa pública vinculada ao Ministério de Planejamento com personalidade jurídica de direito privado e patrimônio próprio. É responsável pela política de investimento política de investimento Relação de ativos que podem ser negociados e operações que podem ser realizadas pelo gestor do fundo. Indica também se o gestor do fundo visa ultrapassar ou reproduzir um determinado índicea longo prazo do Governo Federal, necessários ao fortalecimento da empresa privada nacional.

Com o objetivo de fortalecer a estrutura de capital das empresas privadas e desenvolvimento do mercado de capitais, o BNDES conta com linhas de apoio para financiamentos de longo prazo a custos competitivos, para o desenvolvimento de projetos de investimentos e para a comercialização de máquinas e equipamentos novos, fabricados no país, bem como para o incremento das exportações brasileiras.

Os financiamentos são feitos com recursos próprios, empréstimos e doações de entidades nacionais e estrangeiras e de organismos internacionais, como o BID. Também recebe do PIS e PASEP.

Conta com duas subsidiárias integrais, a FINAME (Agência Especial de Financiamento Industrial) e a BNDESPAR (BNDES Participações), criadas com o objetivo, respectivamente, de financiar a comercialização de máquinas e equipamentos; e de possibilitar a subscrição de valores mobiliários no mercado de capitais brasileiro. As três empresas, juntas, compreendem o chamado "Sistema BNDES".

Para saber mais sobre o BNDES, entre em seu site . Caixa Economica Federal Criada em

Para saber mais sobre o BNDES, entre em seu site.

Caixa Economica Federal

Criada em 12 de janeiro de 1861, por Dom Pedro II, com o propósito de incentivar a poupança e de conceder empréstimos sob penhor, é a instituição financeira responsável pela operacionalização das políticas do Governo Federal para habitação popular e saneamento básico.

A caixa é uma empresa 100% pública e não possui ações em bolsas.

Além das atividades comuns de um banco comercial, a CEF também atende aos trabalhadores formais - por meio do pagamento do FGTS, PIS e seguro-desemprego -, e aos beneficiários de programas sociais e apostadores das Loterias.

As ações da Caixa priorizam setores como habitação, saneamento básico, infra-estrutura e prestação de serviços.

5) Instituições Financeiras

Bancos

Os bancos, principalmente os comerciais, representam a base do sistema monetário brasileiro. Eles estão sob a supervisão, regulamentação e fiscalização do Banco Central do Brasil e são classificados de acordo com a atividade que exercem:

Comerciais: têm como atividade típica o recebimento de depósitos à vista em contas de movimento. Efetuam empréstimos, a curto e médio prazo, ao comércio, à indústria, às empresas prestadoras de serviços e às pessoas físicas. Prestam serviços de cobrança bancária mediante o pagamento de comissões e taxas e transferências de fundos de uma para outra praça. São constituídas como sociedade anônima e consta na denominação social o termo "banco".

Desenvolvimento: têm como atividade básica o apoio financeiro às

iniciativas econômicas regionais, por meio empréstimos e financiamentos, a médio e longo prazo. Também podem conceder garantias, subscrever ações e debêntures, praticar operações de arrendamento mercantil, captar recursos com a colocação de depósitos a prazo e cédulas hipotecárias. São instituições regionais, estaduais ou federais - como, por exemplo, o BNDES - sob a forma de sociedade anônima e têm em sua denominação a expressão "banco de desenvolvimento". (Para saber mais: Resolução n. 394/1976 do Conselho Monetário Nacional). Investimento: têm como objetivo oferecer apoio financeiro às

empresas por meio de financiamento para o suprimento de capital fixo e de giro utilizando a administração de recursos de terceiros. E podem operar como agentes financeiros do BNDES. Além disso, podem oferecer leasing financeiro, administrar fundos de investimentos de renda fixa e de ações e clubes de investimento. (Para saber mais: Resolução n. 2.624/99 do Conselho Monetário Nacional) Múltiplos: operam, simultaneamente, carteiras de banco comercial,

de investimento, de crédito imobiliário, de crédito, financiamento e investimento, de arrendamento mercantil e de desenvolvimento. São denominados "múltiplos" quando são sociedades anônimas que possuam, pelo menos, duas das carteiras mencionadas, sendo obrigatória oferecer uma delas: comercial ou de investimento. (Para saber mais, veja: Resolução nº 1.524 do BACEN). Cooperativo: podem ser constituídos como banco comercial ou

múltiplo com carteira comercial. São sociedades anônimas de capital fechado, controladas por cooperativas centrais de crédito. (Para saber mais: Resolução nº 2.788/2000 do Conselho Monetário Nacional). Caixas econômicas: são bancos comerciais de origem federal - como a Caixa Econômica Federal - ou estadual. Além de receber depósitos à vista do público e em cadernetas de poupança, atuam basicamente no financiamento habitacional.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil é o mais antigo banco comercial do Brasil, foi criado em 12 de outubro de 1808 pelo príncipe regente D. João, e é uma sociedade de economia mista de capitais públicos e privados. É uma companhia aberta que possui ações cotadas na Bolsa de Valores de São Paulo.

Hoje tem como missão oferecer serviços de intermediação financeira;

atender às expectativas de clientes e acionistas; fortalecer o compromisso entre os funcionários e a Empresa, contribuindo desta forma para o desenvolvimento do País.

O Banco do Brasil opera como agente financeiro do Governo Federal e é o principal executor das políticas de crédito rural e industrial e de banco comercial do governo. E a cada dia tem se ajustado a um perfil de banco múltiplo [1.6.13] tradicional.

Ainda inclui em suas atividades:

  • - Prestação de serviços de compensação de cheques e outros papéis;

  • - Recebimento de pagamentos em nome do BACEN;

  • - Realização de operações cambiais por conta própria e por conta o BACEN;

  • - Executar a política de comércio exterior, adquirindo e financiando estoques de produtos exportáveis.

atender às expectativas de clientes e acionistas; fortalecer o compromisso entre os funcionários e a Empresa,

Para mais informações, entre no site do Banco do Brasil.

Cooperativas de Crédito

São sociedades de pessoas, com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, não sujeita a falência, constituída para prestar serviços aos associados. Sem finalidade lucrativa, prestam serviços financeiros e de crédito aos seus associados.

Sobre as exigências e procedimentos de funcionamento das cooperativas, veja as Resoluções nº 3.106, de 25/06/2003

Sobre as exigências e procedimentos de funcionamento das cooperativas, veja as Resoluções nº 3.106, de 25/06/2003; 3.140, de 27/11/2003; Lei nº 5.764, de 16/12/1971 e Lei nº 4.595, de 31/12/1964.

Sociedades de Crédito, Financiamento e Investimento - Financeiras

São instituições privadas, constituídas em forma de sociedade anônima, com o objetivo de realizar financiamentos para a aquisição de bens e serviços, e para capital de giro. São as populares empresas de "crediários" que oferecem recursos para a compra de bens de consumo durável ou para crédito direto ao consumidor.

As financeiras obtêm os recursos por meio da emissão de letras de câmbio no nome da pessoa física ou jurídica que adquire o crediário. É preciso o aceite da financeira na letra emitida para o repasse ao contratante.

Para estreitar a relação e facilitar o acesso ao crediário pelo consumidor final, o lojista e as financeiras podem criar as promotoras de venda em seus estabelecimentos. São sociedades civis com poderes especiais, com a possibilidade de sacar letras de câmbio na qualidade de procuradores dos financiamentos e como garantia dos contratos intermediados.

Sobre as exigências e procedimentos de funcionamento das cooperativas, veja as Resoluções nº 3.106, de 25/06/2003

Resolução nº 1.092/1986 do Conselho Monetário Nacional

Companhias Hipotecárias

São companhias de sociedade anônima que exercem as seguintes funções:

Conceder financiamentos destinados à produção, à reforma ou à

comercialização de imóveis residenciais ou comerciais e lotes urbanos; Comprar, vender e refinanciar créditos hipotecários próprios ou de

terceiros; Administrar créditos hipotecários próprios ou de terceiros;

Administrar fundos de investimento imobiliários, desde que

autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM; Repassar recursos destinados ao financiamento da produção ou da

aquisição de imóveis residências; e Realizar outras operações que venham a ser expressamente autorizadas pelo BC.

Companhias Hipotecárias São companhias de sociedade anônima que exercem as seguintes funções: • Conceder financiamentos destinados

Resolução nº 2.122/94 do Conselho Monetário Nacional

Sociedades de Crédito Imobiliário

São sociedades anônimas especializadas em operações de financiamento imobiliário. Os recursos são obtidos por meio de:

Depósitos de poupança.

Letras hipotecárias

Letras imobiliárias

Repasses e financiamentos contraídos no país, inclusive os

provenientes de fundos nacionais. Empréstimos e financiamentos contraídos no exterior, inclusive os

provenientes de repasses e refinanciamentos de recursos externos. Depósitos interfinanceiros (DI), nos termos da regulamentação em vigor.

Resolução nº 2.735/2000 do Conselho Monetário Nacional Associações de Poupança e Empréstimo São sociedades civis que

Resolução nº 2.735/2000 do Conselho Monetário Nacional

Associações de Poupança e Empréstimo

São sociedades civis que atuam no setor habitacional por meio de financiamentos ao mercado imobiliário. Têm como função propiciar ou facilitar a aquisição de casa própria ao associados; captar, incentivar e disseminar a poupança. É regulamentado pelo Decreto-lei nº 70, de

21/11/1966.