Você está na página 1de 17
DESAFIOS DA EDUCAÇÃO E A POLÍTICA PÚBLICA Claudia Costin Diretora do CEIPE-FGV

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO E A POLÍTICA PÚBLICA

Claudia Costin Diretora do CEIPE-FGV

NOVOS OBJETIVOS GLOBAIS PARA 2030

NOVOS OBJETIVOS GLOBAIS PARA 2030 ODS 4 – PARA A EDUCAÇÃO Assegurar a educação inclusiva, equitativa

ODS 4 – PARA A EDUCAÇÃO

Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida

ALGUMAS METAS ESPECÍFICAS

Até 2030, assegurar que todas as meninas e meninos completem Educação Primária e Secundária de qualidade, livre e equitativa, que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e efetivos.

Primária e Secundária de qualidade, livre e equitativa, que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e

ALGUMAS METAS ESPECÍFICAS

Até 2030, assegurar que todas as meninas e meninos tenham acesso a Programas de Primeira Infância de qualidade, incluindo Educação pré-escolar, para que estejam prontos para o Ensino Primário.

de Primeira Infância de qualidade , incluindo Educação pré-escolar, para que estejam prontos para o Ensino

DESAFIOS QUE O FUTURO TRAZ PARA O BRASIL

Crescimento da desigualdade social.

Automação e robotização, extinção de postos de trabalho.

Produtividade do trabalho estagnada.

Cidadania frágil e populismos.

extinção de postos de trabalho. • Produtividade do trabalho estagnada. • Cidadania frágil e populismos.

COMO ESTAMOS HOJE NO BRASIL- PISA?

Jovens de 15 anos- PISA: Brasil em 63º lugar em Ciências, 59º em leitura e 66º em Matemática, entre 70 economias.

Escolas particulares têm desempenho melhor que as públicas, mas pior que a média dos países da OCDE em Matemática e Ciências.

Apenas 2,1% dos alunos pobres têm bom desempenho no PISA (resilientes).

Taxa de matrículas para jovens de 15 anos cresceu de 65% em 2003 para 82% em 2015.

Só 38% dos jovens de 15 anos estão na série correta para a idade (alta distorção idade-série).

COMO ESTAMOS HOJE NA EDUCAÇÃO PÚBLICA? ENSINO FUNDAMENTAL

Problema começa cedo: 54,73% dos estudantes acima dos 8 anos, estão em níveis insuficientes de leitura (níveis 1 e 2) e em Matemática, são 54,4%(ANA-2016).

51 % dos alunos de 5º ano aprenderam o adequado em Português e 39% em Matemática.

No 9º ano, 29% dos alunos aprenderam o adequado em Português e 13,4% em Matemática.

COMO ESTAMOS HOJE NA EDUCAÇÃO PÚBLICA? ENSINO MÉDIO

13 disciplinas obrigatórias para 4 horas de aula, em média.

84% dos jovens de 15 a 17 estão matriculados na escola, mas só 59% terminam o ensino médio aos 19 anos.

21,9% dos jovens de 3º ano do EM aprenderam o suficiente em Português e 3,6% em Matemática.

IDEB de Ensino Médio é de 3,7.

jovens de 3º ano do EM aprenderam o suficiente em Português e 3,6% em Matemática. •
O PAPEL DO PROFESSOR
O PAPEL DO PROFESSOR
O PAPEL DO PROFESSOR

O PAPEL DO PROFESSOR

O PAPEL DO PROFESSOR

INTERESSE DOS JOVENS PELA CARREIRA

De cada 100 jovens que ingressam nos cursos de pedagogia e licenciatura, só 51 concluem.

Entre os que chegam no final do curso, só 27 manifestam interesse em seguir a carreira.

Só 5% dos jovens brasileiros de 15 anos querem ser professor (OCDE). 21% querem ser engenheiros.

Professores no Brasil ganham cerca da metade de profissionais de igual escolaridade.

Apesar do desprestígio da profissão, há um grande número que estuda Pedagogia ou licenciaturas (cerca de 18% dos estudantes), dada a baixa competitividade no acesso aos cursos (alunos com menor rendimento acadêmico).

INTERESSE DOS JOVENS PELA CARREIRA

Excelência pedagógica de um professor não se reflete em melhores ganhos, o que explica parte do desinteresse de jovens mais talentosos pela profissão.

Condições de trabalho pouco atrativas: cargas horárias reduzidas, escolas sem infraestrutura adequada e localização de difícil acesso ou em áreas violentas.

Há mais matriculados em Pedagogia e licenciaturas no Brasil que em países com bom desempenho educacional, pois nestes, os cursos são muito seletivos (na Finlândia e em Singapura só passam 13% dos postulantes).

O FUTURO DA EDUCAÇÃO
O FUTURO DA EDUCAÇÃO
O FUTURO DA EDUCAÇÃO

O FUTURO DA EDUCAÇÃO

O FUTURO DA EDUCAÇÃO

TENDÊNCIAS EM EDUCAÇÃO NO MUNDO

Foco em resolução de problemas e em criatividade.

Personalização do ensino.

Flexibilização dos currículos e interdisciplinaridade (PBL).

Ensinar a pensar e aprendizado profundo (deep learning).

Competências cognitivas associadas a competências sócio-emocionais.

Protagonismo do aluno (formar para a autonomia e para a cidadania global).

COMPETÊNCIAS SOCIO-EMOCIONAIS E ATITUDES

Empatia, o que nos faz humanos.

Persistência e Garra (Grit), vulnerabilidade e equidade.

Resiliência e erros.

Auto-controle ou auto-eficácia.

Curiosidade, Criatividade e Imaginação (Leonardo da Vinci).

Protagonismo, Cidadania Global e empreender a própria vida.

NESTE CONTEXTO, QUAL A ESCOLA A SE CONSTRUIR?

NESTE CONTEXTO, QUAL A ESCOLA A SE CONSTRUIR?

NESTE CONTEXTO, QUAL A ESCOLA A SE CONSTRUIR?

Uma escola em que todos aprendam – excelência com equidade;

Uma escola em que tanto alunos como professores trabalhem colaborativamente;

Uma escola que trabalhe valores e atitudes (formar cidadãos globais);

Uma escola em que os saberes não estejam fragmentados;

Uma escola que ensine a pensar;

Uma escola que reserve tempo e espaço para o protagonismo do aluno;

Obrigada ! claudia.costin@fgv.br @claudiacostin @fgv.ebape.ceipe
Obrigada ! claudia.costin@fgv.br @claudiacostin @fgv.ebape.ceipe

Obrigada !

claudia.costin@fgv.br

Obrigada ! claudia.costin@fgv.br @claudiacostin @fgv.ebape.ceipe

@claudiacostin

@fgv.ebape.ceipe

Obrigada ! claudia.costin@fgv.br @claudiacostin @fgv.ebape.ceipe