Você está na página 1de 1

Lista 1 ECONOMIA

1. A curva de possibilidades de produção é, por definição, a fronteira máxima que a economia


pode produzir, dados os recursos produtivos limitados e a tecnologia, ela ilustra como a
limitação de recursos leva à necessidade de a sociedade fazer opções ou escolhas entre
alternativas de produção. No caso em questão, entre o Brasil e os Estados Unidos, isto é bem
explícito pois, como dito no enunciado e tomando por base evidências atuais, as relações de
mercado existente entre os sistemas econômicos dos dois países se baseia numa recíproca
oferta e demanda. Enquanto o Brasil concentra a maior parte do seu PIB em produtos em
estado bruto e alimentos ofertados ao Estados Unidos, os Estados Unidos priorizam a
produção de bens industrializados, que são importados pelo Brasil. Isso acontece porque os
sistemas econômicos enfrentam trade-off’s, neste caso, entre o que produzir, quanto, como e
para quem, com o objetivo de maximizar o custo de oportunidade de um bem ou serviço, ou
seja, de escolher qual a melhor alternativa sacrificada ao se optar pela produção de um bem
ou serviço. No caso do Brasil o sacrifício de se produzir bens industrializados, e no caso dos
Estados Unidos, o sacrifício de se produzir bens em estado bruto, alimentos, etc.

2. A demanda de um bem nada mais é do que a “intenção” do consumidor de adquirir um


determinado bem ou serviço, a dados preços e em um dado tempo. Ela é afetada por muitas
variáveis, mas apenas algumas podem ser levadas em conta nos cálculos. A sua curva expressa
uma relação inversa entre o preço e a quantidade demandada de um bem ou serviço, ou seja,
é geralmente decrescente, pois ela é obtida a partir de dois efeitos, de substituição e renda. A
oferta é a quantidade de determinado bem ou serviço que os produtores e vendedores
desejam vender em determinado período. Geralmente a curva de oferta é crescente, porque
as variáveis mais relevantes para o cálculo são o preço do próprio bem e os custos de
produção. Sabendo-se que o preço em uma economia de mercado é determinado tanto pela
oferta como pela procura, existe uma única situação em que as curvas de oferta e de procura
de um bem ou serviço qualquer se cruzam, onde é o ponto de equilíbrio, ao qual
correspondem um preço e uma quantidade específicos. Nele, a quantidade que os
consumidores desejam comprar é exatamente igual à quantidade que os produtores desejam
vender. Não há excesso ou escassez de oferta ou de demanda. Porém, o que ocorreu devido à
greve dos caminhoneiros foi um deslocamento do preço da gasolina e as quantidades
ofertadas/demandadas. Durante a paralisação, houve um aumento do preço nos combustíveis
porque a quantidade ofertada sofreu uma queda e houve escassez de demanda. Ou seja, o
preço subiu porque a oferta e a demanda diminuíram.

3. Bem de demanda elástica: kilograma do pão francês; este bem possui uma sensibilidade
alta, pois a quantidade demandada deste bem é altamente sensível à variação de seu preço.
Esta sensibilidade alta se justifica pelo fato existir bens substitutos ao pão francês.

Bem de demanda inelástica: gás de cozinha; este bem possui demanda inelástica porque é um
bem essencial a maioria das pessoas, e ele também não apresenta substitutos adequados com
a mesma função, logo apresenta uma baixa sensibilidade à variação do seu preço.

4. O monopólio técnico ocorre quando a produção através de uma única empresa é a forma
mais barata de produção do produto. Acredito que existe um monopólio técnico no serviço de
transporte fluvial coletivo na travessia de Petrolina/Juazeiro através das barquinhas do Rio São
Francisco, porque existe uma “associação”, que é uma empresa, a qual detém os meios para
executar este tipo de serviço, tornando-o mais barato que se fossem realizados serviços de
transporte individuais.