Você está na página 1de 84

1.

Introdução a Mecânica dos Sólidos

2. Produto Vetorial de Dois Vetores

3. Produto Escalar de Dois Vetores

4. Produto Misto de Três Vetores

5. Equilíbrio dos Corpos Rígidos

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção


1. Introdução a Mecânica dos Sólidos
FATPRES DE MULTIPLICAÇÃO DO SISTEMA MÉTRICO
Fator de Multiplicação Nome Símbolo
1 000 000 000 000 000 000 = 1018 exa E
1 000 000 000 000 000 = 1015 peta P
1 000 000 000 000 = 1012 tera T
1 000 000 000 = 109 giga G
1 000 000 = 106 mega M
1 000 = 103 quilo k
100 = 102 hecto** h
10 = 101 deca** da
0,1 = 10-1 deci** d
0.01 = 10-2 centi** c
0.001 = 10-3 mili m
0,000 001 = 10-6 micro 
0.000 000 001 = 10-9 nano n
0.000 000 000 001 = 10-12 pico p
0,000 000 000 000 001 = 10-15 femto f
0,000 000 000 000 000 001 = 10-18 atto a

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 01


UNIDADES DO SISTEMA INTERNACIONAL - SI
GRANDEZA UNIDADE SÍMBOLO FÓRMULA
Aceleração Metro por segundo quadrado .... m/s²
Ângulo Radiano rad **
Aceleração Angular Radiano por segundo quadrado .... rad/s²
Área Metro quadrado .... m²
Comprimento Metro m **
Energia Joule J N.m
Força Newton N kg.m/s²
Frequência Hertz Hz s-1
Impulso Newton-segundo .... N.s
Massa Quilograma kg **
Massa Específica Quilograma por metro cúbico .... Kg/m³
Momento de uma Força, Toque Newton-metro .... N.m

Potência Watt W J/s


Pressão Pascal Pa N/m²
Tensão Pascal Pa N/m²
Tempo Segundo s **
Trabalho Joule J N/m²
Velocidade Metro por segundo .... m/s
Velocidade Angular Radiano por segundo .... rad/s
Volume, Sólidos Metro cúbido .... m³
Volume, Líquidos Litro l ou L 10-3m³

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 02


Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 03
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 04
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 05
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 06
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 07
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 08
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 09
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 10
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 11
1.1. Definições e conceitos fundamentais

Def. MECÂNICA, pode ser definida como a ciência que


descreve e prediz as condições de repouso ou movimento
de corpos sob a ação de forças

A Mecânica pode ser dividida em:

 Mecânica dos corpos rígidos (Estática, Cinemática e


Dinâmica);
 Mecânica dos corpos deformáveis (Estudo da
Resistência dos Materiais dos corpos);
 Mecânica dos Fluidos (Fluidos incompressíveis e
fluidos compressíveis).
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 12
 Grandezas Vetoriais: Definem a intensidade, direção
e sentido de um determinado vetor.

 Grandezas Escalares: Definem apenas a intensidade

 Forças Externas: Representam a ação de outros


corpos sobre o corpo rígido considerado, sendo
inteiramente responsáveis pelo comportamento
externo do corpo rígido.

 Forças Internas: São as que mantêm unidos os pontos


materiais que formam o corpo rígido. Se o corpo rígido
é estruturalmente composto de diversas partes.

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 13


1.2. Introdução ao estudo de vetores no plano

𝐹𝑥 = 𝐹 ∙ cos 𝛼
𝐹𝑦 = 𝐹 ∙ sin ∝

𝐹= (𝐹𝑥 )2 +(𝐹𝑦 )2

(sin 𝛼)2 + (cos 𝛼)2 = 1

𝐹 = 𝐹𝑥 i +𝐹𝑦 j

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 14


Exemplo 1: Dois Cabos Sujeitos a trações conhecidas estão
presos ao ponto A. Um terceiro cabo, AC, é usado para
sustentação. Determine a tração em AC sabendo que a
resultante das três forças aplicadas em A deve ser vertical

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 15


Solução:
𝐹𝑥 = 𝐹 ∙ cos 𝛼
𝐹𝑥1 = 12 ∙ cos 10𝑜 = 11,82 𝑘𝑁
𝐹𝑥2 = 30 ∙ cos 25𝑜 = 27,19 𝑘𝑁
𝑇𝐴𝐶 𝐹𝑦 = 𝐹 ∙ sin 𝛼
25 m
𝐹𝑦1 = 12 ∙ sin 10𝑜 = 2,08 kN
𝐹𝑦2 = 30 ∙ sin 25𝑜 = 12,68 kN
15
𝑇𝐴𝐶𝑥 = 𝑇𝐴𝐶 ∙ = 0,6𝑇𝐴𝐶
25
20
𝑇𝐴𝐶𝑦 = 𝑇𝐴𝐶 ∙ = 0,8𝑇𝐴𝐶
25
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 16
Solução: Diagrama de Corpo Livre

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 17


Solução: Diagrama de Corpo Livre

𝐹𝑥 = 0 ∴ 0,6𝑇𝐴𝐶 − 15,37 = 0

𝑻𝑨𝑪 = 𝟐𝟓, 𝟔𝟐 kN

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 18


Exemplo 2: A força P é aplicada a uma pequena roda que se
desloca sobre um cabo ACB. Sabendo que a tração nas duas
partes do cabo é de 750 N, determine o módulo e a direção
de P

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 19


Solução:

Primeiro Passo: Diagrama de corpo Livre.

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 20


Solução:
Segundo Passo: Condições de Equilíbrio.
119,19
𝐹𝐻 = 𝑜 ∴ 𝑃 sin 𝛼 + 530,33 = 649,52 ∴ 𝑃 sin 𝛼 = 119,19 ∴ sin 𝛼 =
𝑃
905,33
𝐹𝑉 = 𝑜 ∴ 530,33 + 375 = 𝑃 cos 𝛼 ∴ 𝑃 cos 𝛼 = 905,33 ∴ cos 𝛼 =
𝑃

Sabe-se.

119,19 2 905,33 2
sin 𝛼 2 + cos 𝛼 2 =1∴( ) +( ) = 1 ∴ 𝑃 = 913,14 𝑁
𝑃 𝑃
Finalmente.

119,19
sin 𝛼 = = 0,13 ∴ 𝛼 = 7,5𝑜 ∴ 𝑹: 𝑷 = 𝟗𝟏𝟑, 𝟏𝟒𝑵, 𝑳 𝟕, 𝟓𝒐 𝑆
913,14

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 21


1.3. Estudo de Vetores no Espaço
𝐹ℎ = 𝐹 ∙ sin 𝛼
𝐹𝑥 = 𝐹ℎ ∙ cos 𝜃
𝐹𝑦 = 𝐹 ∙ cos 𝛼
𝐹𝑧 = 𝐹ℎ ∙ sin 𝜃

F= 𝐹𝑥2 + 𝐹𝑦2 + 𝐹𝑧2

𝐹𝑥 𝐹𝑧
cos 𝜃𝑥 = , cos 𝜃𝑧 =
𝐹 𝐹
𝐹𝑦
cos 𝜃𝑦 =
𝐹

𝐹 = 𝐹𝑥 i +𝐹𝑦 j + 𝐹𝑧 k
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 22
1.4. Coordenadas cartesianas de uma força no espaço

Exemplos:

𝐴=𝑗

𝐸 =𝑖+𝑗+𝑘

𝐹 =𝑗+𝑘

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 23


1.5. Componentes cartesianas de uma força no espaço,
condições de Equilíbrio

𝐹𝑥 = 0 𝐹𝑦 = 0 𝐹𝑧 = 0

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 24


Solução:

Primeiro Passo:

A – (0, -1,125, 0)
B – ( 0,70, 0, 0)
C – (0, 0, -0,60)
D – (-0,65, 0, 0,45)

Segundo Passo:

0,7𝑖+1,125𝑗
𝑇𝐴𝐵 = 6890 ∙ = 3651,7i + 5856,5j
1,325
1,125𝑗−0,6𝑘
𝑇𝐴𝐶 = 𝑇𝐴𝐶 ∙ = 0,88𝑇𝐴𝐶 j – 0,47𝑇𝐴𝐶 k
1,275
−0,65𝑖+1,125𝑗+0,45𝑘
𝑇𝐴𝐷 = 𝑇𝐴𝐷 ∙ = −0,47𝑇𝐴𝐷 i + 0,82𝑇𝐴𝐷 j + 0,33𝑇𝐴𝐷 k
1,375

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 25


Solução:

Terceiro Passo:

𝐹𝑥 = 0 ∴ 3651,7 - 0,47𝑇𝐴𝐷 = 0 ∴ 𝑻𝑨𝑫 = 𝟕𝟕𝟔𝟗, 𝟔 𝑵

𝐹𝑦 = 0 ∴ 5856,5 + 0,88𝑇𝐴𝐶 + 0,82𝑇𝐴𝐷 = P

𝐹𝑧 = 0 ∴ – 0,47𝑇𝐴𝐶 + 0,33∙ 7769,6 = 0 ∴ 𝑻𝑨𝑪 = 𝟓𝟒𝟓𝟓, 𝟐𝟓 𝑵

Enfim,

𝐹𝑦 = 0 ∴ 5865,5 + 0,88𝑇𝐴𝐶 + 0,82𝑇𝐴𝐷 = P

𝐹𝑦 = 0 ∴ 5865,5 + 0,88 ∙ 5455,25 + 0,82 ∙ 7769,6 = P

𝑭𝒚 = 𝟎 ∴ P = 17037,19 N

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 26


2. Produto Vetorial de dois Vetores

𝑉 = 𝐴 𝑥 𝐵 ∙ sin 𝜃, 𝑂𝑛𝑑𝑒,
𝐴 = 𝐴𝑥 𝑖 + 𝐴𝑦 j +𝐴𝑧 k
𝐵 = 𝐵𝑥 𝑖 + 𝐵𝑦 j +𝐵𝑧 k
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 27
2.1. Produto vetorial Expresso em termos das
Componentes Cartesianas

Logo,
  
i j k

V  Ax Ay Ak
Bx By Bk
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 28
2.2. Momento de uma Força em Relação a um Ponto.

M= 𝐹 ∙ 𝑟 ∙ sin 𝜃 = 𝐹 ∙ 𝑑

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 29


2.3. Momento de uma Força em Relação a um Ponto.

  
i j k

Mo  x y z
  
Fx Fy Fz

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 30


2.3. Momento de uma Força em Relação a um Ponto.

  
i j k

M A  x A  xB y A  yB z A  zB
  
Fx Fy Fz

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 31


Exemplo 1: As mangas A e B estão ligadas por um cabo de 250
mm de comprimento e podem deslizar sem atrito sobre os
respectivos eixos. Determine as distâncias x e z para as quais o
sistema fica em equilíbrio com P = 200 N e Q = 100 N

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 32


Solução:

Primeiro Passo:

A – (x, 200, 0)
B – ( 0, 0, z)

𝐴𝐵 = −𝑥𝑖 − 200𝑗 + 𝑧𝑘 ∴ 𝐴𝐵 = 250

Segundo Passo:

𝐹 = 𝐹 ∙⋌
−𝑥𝑖 − 200𝑗 + 𝑧𝑘
𝑇𝐴𝐵 = 𝑇𝐴𝐵 ∙
250
𝑥 2 + (−200)2 +𝑧 2 = 2502 ∴ 𝑥 2 + 𝑧 2 = 22500
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 33
Solução:

Enfim,
−𝑥𝑖 − 200𝑗 + 𝑧𝑘
𝑇𝐴𝐵 = 𝑇𝐴𝐵 ∙
250
𝑥 50000 50000
∙ 𝑇𝐴𝐵 = 200 ∴ 𝑥 = ∴𝒙= = 𝟏𝟑𝟒, 𝟏𝟔 mm
250 𝑇𝐴𝐵 372,68

𝑧 −25000 −25000
∙ 𝑇 = −100 ∴ 𝑧 = ∴𝒛= = −𝟔𝟕, 𝟎𝟖 𝒎𝒎
250 𝐴𝐵 𝑇𝐴𝐵 372,68
Sabe-se,

50000 2 −25000 2
𝑥 2 + 𝑧 2 = 22500 ∴ ( ) +( ) = 22500 ∴ 𝑇𝐴𝐵 =372,68 N
𝑇𝐴𝐵 𝑇𝐴𝐵

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 34


Exemplo 2: Uma placa de concreto pré-moldada é
temporariamente sustentada pelos cabos da figura. Conhecendo
as trações de 4200 N, no cabo AB, e 6000 N, no cabo AC,
determine o módulo e a direção da resultante das forças
aplicadas pelos cabos AB e AC na estaca em A

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 35


Solução:
Primeiro Passo: (Coordenadas dos pontos)

A – (4,8, 0, 4,8)

B – (0, 2,4, 8,1)

C – (0, 2,4, 0)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 36


Solução:
Segundo Passo: (Cálculo da tração vetorial)

−4,8𝑖 + 2,4𝑗 + 3,3𝑘


𝑇𝐴𝐵 = 4200 ∙ (
6,3
𝑇𝐴𝐵 = −3200𝑖 + 1600𝑗 + 2200𝑘
−4,8𝑖 + 2,4𝑗 − 4,8𝑘
𝑇𝐴𝐶 = 6000 ∙ (
7,2
𝑇𝐴𝐶 = −4000𝑖 + 2000𝑗 − 4000𝑘
Terceiro Passo: (Cálculo da tração vetorial resultante)

𝑇 = 𝑇𝐴𝐵 + 𝑇𝐴𝐶
𝑇 = −7200𝑖 + 3600𝑗 − 1800𝑘
𝑇= −7200 2 + 3600 2 + −1800 2 = 8250 𝑵

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 37


Solução:

Quarto Passo: (Cálculo da direção e sentido)

−7200
cos 𝜃𝑥 = = −0,8727 ∴ 𝑎𝑟𝑐 cos 𝜃𝑥 = 150,8𝒐
8250
3600
cos 𝜃𝑦 = = 0,436 ∴ 𝑎𝑟𝑐 cos 𝜃𝑦 = 64,1𝒐
8250
−1800
cos 𝜃𝑧 = = −0,218 ∴ 𝑎𝑟𝑐 cos 𝜃𝑧 = 102,6𝒐
8250

Sabe-se:
cos 𝜃𝑥 2 + cos 𝜃𝑦 2 + cos 𝜃𝑧 2 = 1
𝐜𝐨𝐬 150,8 2 + 𝐜𝐨𝐬 64,1 2 + 𝐜𝐨𝐬 102,6 2 = 1 − 𝑪𝒐𝒏𝒇𝒆𝒓𝒆
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 38
3. Produto Escalar de Dois Vetores

𝑃 = 𝑃𝑥 𝑖 + 𝑃𝑦 𝑗 + 𝑃𝑧 𝑘

𝑄 = 𝑄𝑥 𝑖 + 𝑄𝑦 𝑗 + 𝑄𝑧 𝑘

𝑷 ∙ 𝑸 = 𝑷 ∙ 𝑸 ∙ 𝐜𝐨𝐬 𝜽

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 39


3.1. Produto Escalar de Dois Vetores
A.B  Ax Bx  Ay B y  Az Bz
Como,
 
A  B  A  B  cos
Então,
A  B  cos  Ax Bx  Ay B y  Az Bz
Enfim,
Ax Bx  Ay B y  Az Bz
Cos 
AB

−𝟏
𝑨𝒙 𝑩𝒙 + 𝑨𝒚 𝑩𝒚 + 𝑨𝒛 𝑩𝒛
𝜽 = 𝐜𝐨𝐬
𝑨𝑩

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 40


Exemplo 1: Três cabos são utilizados para sustentar um
recipiente, como ilustrado. Determine o ângulo formado
pelos cabos AB e AD

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 41


Solução:

A: (0, -600, 0)
B: (450, 0, 0)
D: (-500, 0, 360)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 42


Solução:

𝐴𝐵 = 450𝑖 + 600𝑗 ∴ 𝐴𝐵 = 750

𝐴𝐷 = −500𝑖 + 600𝑗 + 360𝑘 ∴ 𝐴𝐷 = 860

Sabe-se:

ABx ADx  AB y AD y  ABz ADz


Cos 
AB AD

(500  450)  (600  600)  (360  0)


Cos   0,2093
750  860
  arc Cos (0,2093)  77,9o
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 43
4. Produto Misto de Três Vetores

A = 𝐴𝑥 𝑖 + 𝐴𝑦 𝑗 + 𝐴𝑧 𝑘

B = 𝐵𝑥 𝑖 + 𝐵𝑦 𝑗 + 𝐵𝑧 𝑘

C = 𝐶𝑥 𝑖 + 𝐶𝑦 𝑗 + 𝐶𝑧 𝑘

𝑽 = 𝑨 ∙ 𝑩𝒙𝑪 Ax Ay Az
 
A  ( BxC )  Bx By Bz
Cx Cy Cz
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 44
4.1. Momento de uma força F em relação a um eixo

𝐹 = 𝐹𝑥 𝑖 + 𝐹𝑦 𝑗 + 𝐹𝑧 𝑘
𝐴 = 𝐴𝑥 𝑖 + 𝐴 𝑦 𝑗 + 𝐴𝑧 𝑘
𝐵 = 𝐵𝑥 𝑖 + 𝐵𝑦 𝑗 + 𝐵𝑧 𝑘
𝐶 = 𝐶𝑥 𝑖 + 𝐶𝑦 𝑗 + 𝐶𝑧 𝑘

𝑟 = 𝐴𝐵 = 𝐴𝑥 − 𝐵𝑥 𝑖 + 𝐴𝑦 − 𝐵𝑦 𝑗+ 𝐴𝑧 − 𝐵𝑧 𝑘

𝐵𝐶 𝐶𝑥 − 𝐵𝑥 𝑖 + 𝐶𝑦 − 𝐵𝑦 𝑗+ 𝐶𝑧 − 𝐵𝑧 𝑘
⋌= =
𝐵𝐶 𝐵𝐶
𝐶𝑥 − 𝐵𝑥 𝐶𝑦 − 𝐵𝑦 𝐶𝑧 − 𝐵𝑧
⋌𝑥 = ,⋌𝑦 = 𝑒 ⋌𝑧 =
𝐵𝐶 𝐵𝐶 𝐵𝐶
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 45
4.1. Momento de uma força F em relação a um eixo

⋌𝑥 ⋌𝑦 ⋌𝑧
𝑀𝐹𝐵𝐶 = 𝐴𝑥 − 𝐵𝑥 𝐴𝑦 − 𝐵𝑦 𝐴𝑧 − 𝐵𝑧
𝐹𝑥 𝐹𝑦 𝐹𝑧

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 46


Exemplo 1. Um cubo de aresta a é submetido a uma força P,
como ilustrado. Determinar o momento de P: (a) em relação a A,
(b) em relação à aresta AB e (c) em relação à diagonal AG do
cubo, (d) Utilizando o resultado da parte (c), determine a
distância de AG a FC.

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 47


Solução:

A – (0, a, a)
B – (a, a, a)
C – (a, a, 0)
F – (a, 0, a)
G – (a, 0, 0)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 48


Primeiro Passo: Momento em relação a A

FC  aj  ak  FC  a 2
aj  ak p p
P  p P  j k
a 2 2 2
onde,
rAF  ai  aj

i j k
Logo, ap ap ap ap
MA  a a 0  i j k (i  j  k )
2 2 2 2
p p
0 
2 2

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 49


Segundo Passo: Momento em relação a AB

AB  ai  AB  a
 i
rAF  ai  aj
p p
P j k
2 2
1 0 0
Logo,
ap
M AB  a  a 0 
2
p p
0 
2 2
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 50
Terceiro Passo: Momento em relação a diagonal AG

AG  ai  aj  ak  AG  a 3
1 1 1
 i j k
3 3 3
rAF  ai  aj
p p
P j k
2 2

1 1 1
 
3 3 3
Logo, M AG  a a 0 
ap ap ap
  
ap
6 6 6 6
p p
0 
2 2

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 51


Quarto Passo: Distância de AG a FC

M AG  P  d
ap
  P  d
6
Logo,
a
d
6
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 52
Exemplo 2: A placa retangular ABCD está suportada por
dobradiças na aresta AD e pelo cabo CE. Sabendo que a tração
no cabo é de 546 N. Determine a distância da linha de ação da
força exercida pelo cabo em relação à aresta AD

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 53


Solução:
Primeiro Passo: Coordenadas
dos pontos

A – (0, 0, 0)
B – (0, 450, 0)
C – (300, 450, -125)
D – (300, 0, -125)
E – (150, 0, 225)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 54


Solução:

Segundo Passo: Cálculo da Tração Vetorial

−150i − 450j + 350k


TCE = 546 ∙ = −138,9i − 416,7j + 324,1k
589,49

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 55


Solução:

Terceiro Passo: Cálculo dos Cossenos Diretores

300i + 0 − 125k
λAD = = 0,92i − 0,38k
325

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 56


Solução:

Quarto Passo: Cálculo da Distância CA

CA = 300i + 450j – 125k

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 57


Solução:

Quinto Passo: Cálculo do Momento AD


0,92 0 − 0,38
MAD = 300 450 − 125
−138,9 − 416,7 324,1
= 134177,4 + 47503,8 − 23751,9 − 47920,5 = 110008,8 mm. N
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 58
Solução:

Enfim,

110008,8
MAD =F∙D ∴D= = 201,48 mm
546

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 59


Exemplo 3: Uma laje hexagonal de concreto tem 3,66 m de
lado e suporta as cargas de quatro colunas, como ilustrado.
Determine o módulo e o ponto de aplicação da resultante das
quatro cargas

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 60


Solução:

Primeiro Passo: Coordenadas


dos Pontos

A – (-3,66, 0, 0)
C – (1,83, 0, 3,17)
D – (3,66, 0, 0)
E – (1,83, 0, -3,17)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 61


Solução:
Segundo Passo: Cálculo da Força e do Momento Resultante

R F Mo

-3,66 i -66,7 j + 244,12 k

1,83 i +3,17 k -44,5 j 141,07 i - 81,44 k

3,66 i -133,0 j - 486,78 k

1,83 i – 3,17 k -89,0 j - 282,13 i - 162,87 k

FR = 333,2 kN  Mo = - 141,06 i – 486,97 k

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 62


Solução:
Terceiro Passo: Cálculo das Distâncias

R x FR = Mo

Xi+Zk x (-333,2 j) = - 141,06 i – 486,97 k

Logo,

333,2 Z i – 333,2 X k = - 141,06 i – 486,97 k

333,2 Z = - 141,06  Z = - 0,42 mm

- 333,2 X = - 486,97  X = 1,46 mm

R: 333,2 KN , X = 1,46 m e Z = - 0,42 m

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 63


5. Equilíbrio dos Corpos Rígidos
5.1. Apoios:

 Para o estudo do equilíbrio dos corpos rígidos não basta


conhecer somente as forças externas que agem sobre
ele, mas também é necessário conhecer como este corpo
rígido está apoiado.

 Apoios ou vínculos são elementos que restringem


os movimentos das estruturas e recebem a
seguinte classificação:

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 64


5.1. Apoios

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 65


Exemplo 1. O suporte ABC tem juntas esféricas em A e D e é
suportado por um cabo que passa por um anel em B e tem as
extremidades atadas nos ganchos G e H. No suporte está aplicada uma
carga P = 268 N no ponto C. Determine a tensão no cabo supondo que o
cabo GBH foi substituído por um cabo GB atado em G e em B

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 66


Solução:

Primeiro Passo: Identificação das Coordenadas dos pontos.

A – (0, 0, 0,750)
B – (0,500, 0, 0,750)
C – (1,00, 0, 0,750)
D – (1,00, 0, 0)
G – (0, 0,925, 0,350)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 67


Solução:

Segundo Passo: Cálculo da Tração no cabo (TGB)

0,5i − 0,925j + 0,4k


TGB = TGB ∙ ∴ TGB = 0,444TGB i − 0,822TGB j + 0,355TGB k
1,125

Terceiro Passo: Cálculo do somatório dos momentos em um


dos pontos que tem maior número de forças aplicadas.

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 68


Solução:

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 69


Solução:

MA = 0 ↺ + → Condição de Equilíbrio

i j k i j k i j k
1 0 0 + 0 0,925 −0,400 + 1 0 −0,750 = 0
0 −268 0 0,444TGB −0,822TGB 0,355TGB Dx Dy Dz

Logo,
−268k + 0,328TGB i − 0,178TGB j − 0,411TGB k − 0,329TGB i + Dy k − 0,750Dx j
+ 0,750Dy i − Dz j = 0
Enfim,
i: 0,328TGB − 0,329TGB + 0,750Dy = 0
j: −0,178TGB − 0,750Dx − Dz = 0
k: −268 − 0,411TGB + Dy = 0 ∴ 𝐓𝐆𝐁 = 𝟔𝟓𝟐 𝐍 ↘
Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 70
Exemplo 2: Um sarilho é utilizado para erguer uma carga de
750 N. Determine: (a) o módulo da força horizontal P que deve
ser aplicada a C para manter o equilíbrio e (b) as reações em A
e B, supondo que o mancal em B não exerça empuxo axial

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 71


Solução:
Primeiro Passo: Coordenadas dos
Pontos
A – (0, 0, 0)
B – (200, 0, 0)
C – (300, 250, 0)
D – (-150, 0, 100)

Segundo Passo: Condições de Equilíbrio

MA = 0 ↺ +

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 72


Solução:

Segundo Passo: Condições de Equilíbrio

𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘
200 0 0 + 300 250 0 + −150 0 100 = 0
0 𝐵𝑦 𝐵𝑧 0 0 −𝑃 0 − 750 0

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 73


Solução:
Segundo Passo: Condições de Equilíbrio

Logo,

200 By k - 200 Bz j – 250 P i + 300 p j + 112500 k


+ 75000 i = 0
i: – 250 P + 75000 = 0  P = 300 N
j: - 200 Bz + 300 p = 0  Bz = 300 . 300/200 =
450
k: 200 By + 112500 = 0  By = 562,5 N 

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 74


Solução:
Terceiro Passo: Condições de Equilíbrio

FX = 0 ∴ A x = 0

Fy = 0 ∴ −562,5 + Ay − 750 = 0 ∴ Ay

= 1312,5 N

Fz = 0 ∴ 450 + Az − 300 = 0 ∴ Az

= 150N

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 75


Solução:
Enfim

P = 300 N

A = 1312,5 j − 150 k

B = −562,5 j + 450 k

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 76


Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 77
A: (0, 0, 0)
B: (180, 0, 300)
B’: (180, 0, -300))
C: (300, 150, 0)
C’: (300, -150, 0)
D: (540, 0, 0)

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 78


𝑀𝐴 = 0 ↺ +

𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘
180 0 300 + 180 0 −300 + 300 150 0 +
0 −75 0 0 −75 0 0 0 −135
𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘
300 −150 0 + 540 0 0 =0
0 0 −135 0 𝐷𝑦 𝐷𝑧

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 79


𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘
180 0 300 + 180 0 −300 + 300 150 0 +
0 −75 0 0 −75 0 0 0 −135
𝑖 𝑗 𝑘 𝑖 𝑗 𝑘
300 −150 0 + 540 0 0 =0
0 0 −135 0 𝐷𝑦 𝐷𝑧
Logo,

−13500𝑘 + 22500𝑖 − 13500𝑘 − 22500𝑖 − 20250𝑖 + 40500𝑗 + 20250𝑖 +


40500𝑗 + 540𝐷𝑦 𝑘 − 540𝐷𝑧 𝑗 =0

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 80


−13500𝑘 + 22500𝑖 − 13500𝑘 − 22500𝑖 − 20250𝑖 + 40500𝑗 + 20250𝑖 +
40500𝑗 + 540𝐷𝑦 𝑘 − 540𝐷𝑧 𝑗 =0

𝐹𝑦 = 0 ∴ 40500 + 40500 − 540𝐷𝑧 = 0 ∴ 𝐷𝑧 = 150 𝑁 ↙

𝐹𝑧 = 0 ∴ −13500 − 13500 + 540𝐷𝑦 = 0 ∴ 𝐷𝑦 = 50 𝑁 ↑

𝐷 = 𝐷𝑥 + 𝐷𝑦 + 𝐷𝑧 ∴ 𝑫 = 𝟓𝟎𝐣 + 𝟏𝟓𝟎𝒌

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 81


𝐹𝑥 = 0 ∴ 𝐴𝑋 + 𝐷𝑥 = 0 ∴ 𝐴𝑋 = 0

𝐹𝑦 = 0 ∴ 𝐴𝑦 + 𝐷𝑦 − 150 = 0 ∴ 𝐷𝑦 = 50N ∴ 𝐴𝑦 = 100𝑁 ↑

𝐹𝑧 = 0 ∴ 𝐴𝑧 + 𝐷𝑧 − 270 = 0 ∴ 𝐷𝑧 = 150N ∴ 𝐴𝑧 = 120𝑁 ↙

𝐴 = 𝐴𝑋 + 𝐴𝑦 + 𝐴𝑧 ∴ 𝑨 = 𝟏𝟎𝟎𝒋 + 𝟏𝟐𝟎𝒌

Prof. Dr. Geraldo Roberto - MES - Engenharia de Produção 82