Você está na página 1de 18

REGULAMENTO INTERNO DOS CURSOS TEÓRICOS E

PRÁTICOS DE PPA E PPL

Introdução

Contamos com a atenção de todos para os itens do presente


Regulamento Interno, que aprovado pela Diretoria, deverá ser
fielmente observado e cumprido, tendo a finalidade de normalizar e
detalhar os direitos e deveres de cada um, dentro da entidade e no
trato de seus bens.

DOS CURSOS TEÓRICOS:

Art. 1º)

O Aeroclube de Bebedouro proporciona cursos teóricos e práticos


de:

a) Piloto Privado de Avião (PPA);


b) Piloto de Planador (PPL);

DOS CURSOS PARA PILOTO:

Art. 2º)

a) Os cursos de PPA e PPL terá uma duração de


aproximadamente de: 4 (quatro) meses;

b) As aulas serão ministradas de segunda à sexta-feira das


19h30min às 22h00min, com intervalo de 15 (quinze)
minutos com início a critério do instrutor;

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 1


c) Durante o curso serão aplicados no mínimo 04 (quatro)
simulados gerais (Padrão ANAC);

d) Os programas dos cursos são compostos pelas seguintes


matérias:

 Regulamentos de Tráfego Aéreo;


 Navegação;
 Aerodinâmica e Teoria de Voo;
 Conhecimentos Técnicos de Aeronaves e Motores;
 Meteorologia;

e) No decorrer dos cursos, poderão ser ministradas aulas de


outras matérias, que venham a ser julgadas necessárias,
pela coordenação dos cursos, para a formação adequada
dos alunos;

f) Ao final de cada curso, serão apresentados ao exame da


ANAC, os alunos aprovados, ou seja, os que
cumulativamente:

 Tiverem frequência mínima nas aulas de 80% (oitenta


por cento);
 Participarem com aproveitamento das atividades
teóricas e práticas e visitas de instruções propostas;
 Obtiverem média final: 7 (sete) em cada uma das
matérias teóricas;

g) Os alunos reprovados, a critério do Aeroclube de Bebedouro,


poderão ser inscritos nas turmas subseqüentes, apenas para
as matérias em que não obtiverem médias, porém, serão
submetidos a testes finais em todas elas, devendo para
aprovação, obterem média igual ou superior a: 7 (sete).

DA INSPEÇÃO DE SAÚDE:

Art. 3º)

a) Para inicio das atividades aéreas (aulas práticas) será


necessário que todos os alunos, tanto PPA como PPL, terão que

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 2


efetuar Inspeção de Saúde, no caso de ( PPA ) em Hospital da
Aeronáutica de São Paulo (HASP) ou outro Hospital da Aeronáutica
de sua predileção, e no caso de ( PPL ), também em clínicas
credenciadas pela ANAC, para obtenção do indispensável,
Certificado de Capacidade Física (CCF), isto, caso os
credenciamentos de clínicas particulares estejam sendo válidas.

b) Poderão efetuar a inspeção de saúde os alunos que tiverem:


17 (dezessete) anos ou mais;

c) Para inspeção de saúde, o(s) aluno(s) deverão comparecer ao


HASP, ou outro Hospital de sua preferência para ( PPA ) e
( PPL ), podendo também em uma clínica credenciada,
munidos dos seguintes quesitos:

- Oficio de Encaminhamento emitido pela Secretaria do


Aeroclube;
- Estar as 06:30 hrs., totalmente em Jejum de 12(doze) horas;
-Munido dos comprovantes de vacinação contra febre amarela
e tétano, além dos seguintes exames: (homens)
Eletroencefalograma, com parecer médico, Radiografia
Panorâmica Oral, com laudo; teste ergométrico para aluno(s)
maior(es) de 40 (quarenta) anos; (mulheres) Ultra-sonografia
da pelve, (virgens) ou colpo citologia as (demais), formulário
de exame ginecológico devidamente preenchido por médico
especialista;

d) Se necessário, as requisições para os exames serão


fornecidas pelo próprio Hospital e/ou Unidade Credenciada;

e) O custo da Inspeção de Saúde será de responsabilidade do(s)


aluno(s);

f) Em caso de incapacidade definitiva para a atividade aérea o


Aeroclube não restituirá o valor da Matricula ( Material
Didático + Taxa de Inscrição ), Haverá a devolução dos
cheques subseqüentes, ( caso os tenha ), mas será cobrado
do aluno(s), o período de aula efetivamente freqüentado pelo
mesmo.

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 3


DOS EXAMES TEÓRICOS DA ANAC:

Art. 4º)

a) Todos os alunos dos cursos teóricos de, ( PPA e PPL )


deverão ser submetidos aos exames teóricos finais da ANAC ao
término dos cursos;

b)Tais exames são realizados na GER4, mediante agenda


mento, e no formato “On-line” com resultados emitidos
instantaneamente, devendo o(s) aluno(s), efetuar sua
inscrição mediante o pagamento da GRU – Guia de
Recolhimento da União, e agendar-se junto ao SAC da Quarta
Gerência Regional;

c) Para a inscrição o(s) candidato(s), deverão providenciar:

- 01 (uma) foto 3x4, recente;- quantia em dinheiro para o


pagamento da taxa de inscrição cujo valor poderá ser
informado pela secretaria do Aeroclube;

- Os dados pessoais ( número de RG, CPF e endereço


completo).
Os alunos que não possuírem CPF próprio, deverão
providenciar uma cópia autenticada do CPF do pai ou
responsável.
Tais documentos deverão ser xérox autenticadas, para fins de
inscrição junto a ANAC, para a Banca de provas.

d) As cédulas de Identidade com foto antiga deverão ser


renovadas antes do exame da ANAC, sob pena do(s)
aluno(s), não ser(em) admitido(s) ao exame;
Caso não seja possível por qualquer razão, o(s) aluno(s)
deverão providenciar outros documentos legais de
identificação, que substitua a cédula de identidade
( Passaporte, Certificado de Reservista e/ou Alistamento
Militar);

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 4


e) Os exames teóricos finais, são constituídos de 20 (vinte)
questões por matéria, na configuração de múltipla escolha,
com quatro alternativas, sendo aprovado o aluno que obtiver
média 7 (sete) – ( 70% ) de acertos ( 14 questões ) ou
mais, em cada matéria;

f) Nos exames teóricos finais da ANAC, o(s) aluno(s)


poderá(ão) ficar em 2ª época, se:

- Efetuando as 5 (cinco) matérias (Piloto Privado Avião), ficar


reprovado em até 2 ( duas ) matérias, com aproveitamento
mínimo de: 30% ( Trinta ) por cento, igual a: ( 6 questões
acertadas) nestas;
- Nos exames teóricos finais de Piloto de Planador, o(s)
aluno(s), não poderá(ão) ficar de 2ª época, devendo ter um
aproveitamento mínimo de 70% ( Setenta ), por cento, por
matéria;

g) O Aeroclube poderá formar turmas para reciclagem(ns), de


aluno(s) em 2ª época;
-Não se tornando obrigatório tal atitude, onde haverá novo
pagamento para ministração das aulas.

DO SERVIÇO MILITAR:

Art. 5º)

a) O aluno(s) dos cursos de Avião e/ou Planador, com


idade para o Alistamento Militar, terão Alistamento
Preferenciado da Aeronáutica, ficando isento do Serviço
Militar;

b) O Alistamento Militar, deverá ser feito em uma Unidade do


Ministério da Aeronáutica, levando documento comprobatório,
expedido pelo Aeroclube de Bebedouro;

c) Se já estiver Alistado em outra Força Armada, o aluno(s)


deverá requerer transferência de Alistamento, para o
Ministério da Aeronáutica;
Aeroclube de Bebedouro Páá giná 5
d) Quando ao Alistado no Ministério da Aeronáutica, será
concedido adiantamento da incorporação por até 02 (dois)
anos, ao fim dos quais o interessado deverá apresentar
Licença de Piloto Privado e receber o Certificado de
Reservista;

Obs.: Caso o(s) aluno(s) se ausente dos cursos sem motivo


justificado, o Aeroclube deverá comunicar ao Ministério da
Aeronáutica, para que seja incorporado ao serviço Militar e o
cancelado da liberação do seu Certificado de Reservista.

REGRAS GERAIS:

Art. 6º)

MATERIAL DIDÁTICO E SIMULADOS:

a) Todo o material didático, necessário para o desenvolvimento do


curso, deverá ser adquirido pelo aluno, junto a secretaria do
Aeroclube;

b) Cada aluno receberá, gratuitamente no dia em que for ser


aplicado os testes, gabaritos, folhas de navegação, meteorologia,
resumos e afins, o material que for julgado necessário pela equipe
docente;

c) A constituição das turmas: Os alunos dos cursos teóricos


assistirão às aulas na turma para a qual forem designados;

d) O Aeroclube não se responsabiliza pela reposição de aulas


perdidas; O aluno que estiver ausente na sala de aula, poderá
estudar a referida matéria em casa, podendo dirimir suas dúvidas
com o instrutor em sala, no dia posterior; Caso tenha interesse em
ter a citada aula, ministrada novamente, pagará pela mesma,
combinando na secretaria do Aeroclube.

DAS SALAS DE AULA E ÁREA DE ESTUDO:

Art. 7º

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 6


a) A sala de aula se destina exclusivamente às aulas teóricas;

b) O uso da sala, fora dos horários previstos para as aulas, ou para


outras atividades, dependerá de autorização expressa da
Administração do Aeroclube ou da Coordenação dos Cursos
Teóricos.

DISPOSIÇÕES FINAIS:

Art. 8º

a) Não é permitido fumar nas salas de aula e nos hangares;

b) É proibido sentar-se nas mesas ou por os pés sobre as cadeiras;

c) Os alunos deverão portar a Carteira de Identificação de Aluno


fornecida pelo Aeroclube no início das aulas e apresentá-la sempre
que solicitada, por funcionários e diretores;

d) O aluno deverá vestir-se com decoro, não sendo permitida a


permanência vestindo: CALÇÃO; CAMISETA REGATA, SEM
CAMISA; DESCALÇO; DE CHINELOS; E CONGÊNERES.

e) O aluno que estiver portando telefone celular, deverá desligá-lo,


no início de cada aula, voltando a ligá-lo somente ao término das
mesmas.

DA UTILIZAÇÃO DAS AERONAVES:

Art. 9º

A utilização das aeronaves do Aeroclube de Bebedouro, obedecerá


às seguintes normas;

a) Aeronaves utilizadas em vôo de instrução:

- AERO BOERO AB-180 ( Qdo Trainer e/ou Reboque )


- PLANADOR NHAPECAN-IPE O2B;
- PLANADORES QUERO-QUERO;

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 7


OBS.: Todos os alunos em fase de adaptação deverão estudar o
Manual da respectiva aeronave, e passará por análise verbal pelo
instrutor.

b) Será considerado vôo de instrução em duplo comando, todo


aquele no qual o aluno ou piloto em treinamento ocupe lugar
de comando, tendo ao seu lado o piloto-instrutor habilitado
para tanto, autorizado pelo Chefe de Operações do
Aeroclube de Bebedouro, para assumir a instrução daquele
vôo;

c) Embora o aluno ou piloto em instrução ocupe lugar de


comando na, aeronave, a palavra de ordem e a
responsabilidade cabem ao instrutor de pilotagem, quando
em vôo de duplo comando;

d) Nos vôos de duplo comando, instrução elementar,


adaptação à aeronave, ou outra modalidade qualquer, fica o
aluno-piloto sujeito a acatar toda e qualquer ordem ou
instrução do instrutor de pilotagem, inclusive abandonar o
comando da aeronave nas mãos do instrutor, se este assim
decidir;

e) No caso de aeronave com conjunto moto propulsor, é


proibido realizar “check” de potência e comandos durante o
táxi da mesma, sendo obrigatório o cumprimento da listagem
de verificação (check-List de pré-decolagem) na cabeceira
da pista;

f) O taxia mento será obrigatoriamente efetuado a velocidade


reduzida, ( com o motor a 1.000 RPMs. )

g) É proibido oferecer o comando da aeronave a pessoas


leigas, como outro aluno ou piloto, mesmo que sejam sócios
do clube.

h) A contagem do tempo de vôo para efeito do calculo de


custo/hora se inicia a partir do acionamento do motor até o
corte do mesmo, sendo que o valor mínimo para este custo
será igual a 30(trinta) minutos;
Aeroclube de Bebedouro Páá giná 8
i) Já quanto aos reboques de planadores, serão cobrados por
ações e respeitando sempre o cumprimento do regulamento
específico do DVV

j) A responsabilidade pelas anotações das indicações do


horímetro e odômetro da aeronave antes e após o vôo é do
piloto em comando, bem como do total de litros abastecidos
após o retorno da aeronave à base, devendo estes dados
serem informados a Sala de Operações de Vôo para os
necessários controles e cobrança;

k) A inspeção prévia completa da aeronave a ser utilizada pelo


aluno-piloto é de responsabilidade deste, sendo que qualquer
irregularidade técnica constatada deverá ser comunicada ao
responsável, instrutor e/ou Chefe de Operações do Aeroclube,
antes do vôo e anotada em livro ali existente para tal fim,
visando sempre a Segurança Operacional, conforme determina
o nosso M.G.S.O.

l) Pilotos e alunos pertencentes a outras entidades e que


pretendam voar no Aeroclube de Bebedouro, deverão trazer
além da documentação regulamentar, Carta de Apresentação
da entidade que estejam filiados e as PIPES para avaliação da
Chefia de Operações; deverá também, para o caso de
Instrução Prática, pagar as taxas de Inscrição, respectivas a
sua associação em nossa entidade.

NORMAS DISCIPLINARES PARA O USO DE AERONAVES DO


AEROCLUBE DE BEBEDOURO PELOS ALUNOS:
Art. 10º

Todo aluno-piloto ou instrutor de vôo do Aeroclube deverá conduzir


a aeronave de acordo com os regulamentos oficiais vigentes, com o
as normas internas do Aeroclube e no cumprimento das normas de
Segurança Operacional, estabelecidas pelo Código Brasileiro do Ar
e o nosso M.G.S.O.

Art. 11º

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 9


Qualquer infração será passível das penalidades legais cabíveis e
das punições previstas neste Regulamento.

Art. 12º

Às infrações cometidas contra dispositivos deste Regulamento


serão aplicadas as penalidades previstas nos artigos do Estatuto
Social do Aeroclube;

Art. 13º

No caso de danos materiais causados às aeronaves do Aeroclube,


compete a Diretoria do Aeroclube julgar culpabilidade do piloto em
comando;

Art. 14º

A Diretoria deverá sempre nomear uma Comissão de Sindicância


para apresentar suas conclusões sobre as investigações paralelas,
onde antes de mais nada, relatara à ANAC, por meio do ( E.S.O. ),
a ocorrência, motivos, ações mitigadoras, ações corretivas e ações
pró-ativas.

Art.15º

Sobre qualquer falta cometida, caberá sempre ouvir-se


testemunhas envolvidas no caso e a defesa do aluno ou piloto
envolvido, bem como
a inclusão à comunicação dos ouvidos no ( E.S.O. ).

Art. 16º

A qualquer ato doloso do aluno-piloto que envolva quebra,


destruição ou perda de bem móvel e imóvel ou equipamento
pertencente ao Aeroclube, além das punições previstas neste
Regimento Interno, ficará o culpado sujeito as penalidades previstas
no Estatuto Social, no Código Brasileiro do Ar e na esfera Civil e/ou
Criminal;

Art. 17º

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 10


As Aeronaves de Instrução poderão ser utilizadas pelos alunos-
pilotos, de acordo com sua disponibilidade, a critério do Chefe de
Operações de nosso Aeroclube;

Art. 18º

a) O aluno deverá reportar ao Instrutor e/ou Chefe de Operações,


bem como a inserção do ocorrido, no livro de ocorrências, todas as
irregularidades observadas nas operações no Solo ou em Vôo
( Estado das aeronaves, Cheque Pré-Vôo e Uso Inadequado da
Fonia, dentre outras coisas );

b) A omissão, alem de ser considerado um ato inaceitável, passivo


de punição severa, podendo até ocasionar a demissão do omisso
do quadro sociativo da entidade, poderá comprometer os
equipamentos ou causar qualquer tipo de acidente e/ou incidente;

c) As visitas aos hangares seguirão as seguintes normas:

- Pela imperiosa necessidade de Segurança Operacional, obtida


primeiramente graças a uma adequada aplicação e manutenção do
nosso M.G.S.O., o ingresso e permanência de alunos no interior
dos hangares e da
oficina de manutenção, somente poderá ser feita mediante
autorização dos respectivos responsáveis e/ou Chefe de
Operações;

- Não é permitido ao aluno movimentar aeronave(s) sem a presença


do funcionários responsável por este serviço;

- Não é permitido fazer a inspeção Pré-Vôo nas dependências dos


hangares;

- Pátio de Aeronaves: Os alunos somente poderão ingressar no


pátio de aeronaves acompanhado de seus respectivos instrutores.

DA REQUESIÇÃO E USO DE AERONAVES PARA NAVEGAÇÃO:

Art. 19º

Antes da partida o aluno deverá:

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 11


a) Apresentar seu planejamento de navegação ao Instrutor;

b) Apresentar um estimado de tempos de vôo e dias de


permanência;

c) Citar os aeródromos nos quais deverá pousar;

d) Solicitar os documentos e livros de bordo do avião,


conferindo datas, revisões e o cumprimento dos reportes
anteriores;

e) É expressamente proibido operar com aeronaves em


Aeródromos não homologados pela ANAC, ou aqueles
vetados pelo Chefe de Operações; Nos aeródromos
privados, esta operação só é possível com a autorização
prévia dos proprietários;

f) Os vôos serão pagos pela tabela vigente no ato da


decolagem;

g) Toda e qualquer alteração efetuada pelo aluno em sua rota,


(Somente em casos de extrema necessidade), ficará sob
sua responsabilidade direta, devendo comunicar a alteração
ao Aeroclube via telefone, se possível ainda em vôo ou
imediatamente tão logo seja possível.

h) Os abastecimentos feitos em aeronaves fora da base,


deverão ser efetuados mediante contra-comprovantes que
conterão:

- Data e local do abastecimento;


- Prefixo da aeronave e tipo;
- Quantidade e tipo de combustível ou lubrificante;
- Nome e assinatura do aluno-piloto em comando.

i) Caso o aluno retorne deixando o avião em outro aeródromo,


deverá trazer ao aeroclube os documentos e a chave do
mesmo, entregando-os na secretaria, e somente mediante à
autorização antecipada por parte do nosso Chefe de
operações.

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 12


j) O avião deverá ser convenientemente estacionado, calçado,
estaqueado e com os comandos travados quando em outro
aeródromo, ficando o aluno responsável por sua guarda;

k) Fica, neste caso, sujeito às despesas de transporte de outro


piloto com retorno do avião, caso o aluno em comando não
tiver condições de trazê-lo ou ir buscá-lo tão logo as
circunstâncias técnicas e/ou meteorológicas o permitam;

l) Qualquer despesa advinda de estacionamento ou outra


referente a aeronave deixada em outro aeródromo, será
debitada para o aluno que a utilizou;

m) Os documentos pertencentes ao avião ou planadores ,


assim como os livros de bordo e de reportes , devem ser
solicitados na secretaria antes de qualquer navegação,
devendo o aluno ser cientificado de que eventuais
ocorrências anteriores tenham sido corrigidas;

n) Quando do retorno da navegação, os documentos e livros de


bordo do avião ou planadores deverão ser devolvidos na
secretaria, ocasião em que serão conferidos pelos
funcionários do setor (caixas contendo calços, estacas, litros
de óleo, garfo e capa de painel);

o) É terminantemente proibido levar a bordo:

- Pessoas que pelo seu estado físico ou psíquico ponham em


risco a segurança do vôo;
- Mercadorias que não estejam devidamente legalizadas e
acompanhadas dos documentos legais;
- Armas de fogo e munições, animais, tóxicos, combustíveis e
publicações políticas;
- É proibido transportar pessoa falecida;

p) Não é permitido fazer uso do rádio, independente da


freqüência em uso , para diálogos pessoais, palavras
imorais, idiomas que não sejam o português, o idioma do
País que esteja sendo sobrevoado;

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 13


q) É proibido jogar objetos pela janela, exceto em casos
previstos nos Regulamentos de Tráfego Aéreo, ( em
emergência );

r) É vedado o uso de aeronaves do Aeroclube com finalidades


lucrativas ou comerciais de qualquer espécie;

s) É proibido jogar em vôo panfletos, folhetos, etc., de qualquer


natureza;

t) Cheque de abandono:

u) Após estacionar a aeronave o aluno deverá fechar as


cortinas, passar os cintos, colocar as capas no pára-brisa e
no tubo de Pitot. Fica também o piloto-aluno responsável por
hangarar a aeronave, guardando-a novamente no local de
onde foi retirada, juntamente com o funcionário responsável.

DA ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL DO AEROCLUBE DE


BEBECOURO:

Art. 20º

Para iniciar o treinamento em avião, o candidato ao curso de piloto


deverá cumprir as seguintes exigências:

a) Ser portador dos documentos exigidos pela ANAC e/ou


órgãos congêneres, bem como os julgados necessários pelo
Aeroclube de Bebedouro;

b) Ter assistido aula teórica (Ground-School) sobre o


equipamento a ser utilizado e obtido no respectivo teste, grau
mínimo de 7 (sete);

c) Ter apresentado todos os documentos pessoais exigidos pela


Secretaria da entidade, para a sua inscrição;

d) Ter solicitado e obtido na Secretaria do Aeroclube, Ficha


Individual de Vôo, de Controle de treinamento e
Cadastramento;

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 14


Art. 21º

Não estando, ainda, de posse do Certificado de Aprovação em


Exame Teórico da ANAC (Certificado de Conhecimentos Técnicos -
CCT), o aluno poderá receber instrução em duplo comando até o
vôo solo, sendo este restrito à área de treinamento e sendo o ultimo
(vôo solo) autorizado apenas após aprovação e recebimento do dito
Certificado;

Art. 22º

Qualquer aluno-piloto privado que estiver em época de alistamento


militar poderá obter na secretaria do Aeroclube, declaração para
comprovar que esta cursando Escola de Aviação Civil homologada,
a fim de obter adiantamento de incorporação;

Obs.: Esta declaração somente será fornecida a alunos com o


mínimo comprovado de 5 (cinco) horas de instrução prática de vôo.

Art. 23º

A instrução prática ou treinamento em avião será efetuado em


estágios padronizados e pré-estabelecidos pelo livro de manobras
elementares e normas de nosso aeroclube, sempre com a
supervisão do Chefe de Operações da entidade.

Art. 24º

Cabe ao Instrutor avaliar os conhecimentos teóricos do aluno,


sobre as características técnicas e aerodinâmicas da aeronave de
instrução, bem como sobre o desempenho do aluno quanto às
manobras de vôo a serem executadas;

Obs.: Caso o Instrutor julgue deficiente a atuação do aluno, poderá


adiar o treinamento das manobras previstas ou fazer repetir as
anteriores só liberando-o para o estagio seguinte quando verificar
procedimento satisfatório no anterior.

Art. 25º

Normas Gerais para instrução prática de vôo:

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 15


a) O aluno deverá apresentar-se para instrução munido de sua
Caderneta de Controle de Treinamento, com sua fotografia afixada
e tendo sempre em seu poder a cédula de identidade, o Certificado
de Capacidade Física válido e o Manual da Aeronave que irá voar;

b) Recomenda-se que o aluno-piloto compareça à instrução


descansado e alimentado devidamente;

c) O aluno, logo de sua chegada, deverá apresentar-se à secretaria


e inscrever seu nome na lista de espera de instrução do dia, caso
não o tenha feito com antecedência, e aguardar a chamada de seu
nome;

d) Os alunos serão atendidos para instrução por ordem de chegada,


tendo prioridade aqueles que estejam com navegação
antecipadamente agendada ou com Exame Prático Final marcado;

e) As horas de vôo devem ser pagas à vista e logo após o término


da instrução, no balcão de Recepção de Vôo ou local que venha as
ser indicado pela secretaria;

f) Contra todo e qualquer pagamento efetuado pelo aluno, deverá


ser emitido documento de recebimento pelo Aeroclube,
devidamente chancelado pela Tesouraria e/ou Secretaria;

g) Se após um longo período de espera um aluno não puder


receber sua aula de instrução prática, em virtude do fechamento do
campo ou outra circunstancia que o impeça , ficará
automaticamente inscrito na lista do dia seguinte, com prioridade de
inicio de chamada, se assim for do interesse do aluno;

h) os alunos deverão apresentar-se para vôo de instrução


devidamente trajados e calçados, portando relógio e caneta, não
sendo permitido o uso em vôo de shorts, camiseta regata,
sandálias, chinelos, etc.;

Obs.: só serão permitidos shorts e camiseta regata, quando se


tratar de aula prática de Planador.

i) É proibido aos alunos e instrutores fumar durante vôo de


instrução, bem como nas salas de aula, hangar e locais
fechados da entidade;
Aeroclube de Bebedouro Páá giná 16
j) Somente será liberado para vôo solo o aluno-piloto em
treinamento que for julgado apto para tanto pelo instrutor
responsável e principalmente pela Chefia de Operações;

k) Após qualquer vôo solo, o aluno-piloto ou piloto em


treinamento nas aeronaves do aeroclube, deverá reportar
qualquer anomalia ocorrida durante o vôo com o avião sob
seu comando, em relação aos órgãos de controle aéreo ou
havidos em relação à outra aeronave;

l) O aluno que estiver navegando em rota deverá ater-se


estritamente ao planejamento de navegação pré-estabelecida;
Caso seja obrigado a alterar seu planejamento inicial em função
de emergência, segurança do voo ou outra qualquer
circunstancia, deverá comunicar aos órgão ATC competentes e
procurar contato direto com o Aeroclube, pelos meios mais
rápidos que disponha, (conforme já devidamente esposto), além
das providências regulamentares oficiais, porventura
necessárias;

m) Não é permitido o vôo a menor de 18 (dezoito) anos;

n) O aluno solo antes de realizar navegação em rota deverá:

- Ser liberado pelo instrutor, o qual ficará responsável pelas


condições técnicas e operacionais de navegação;
- Passar por “Briefing” onde constará: material necessário,
abastecimento, condições meteorológicas, condições
operacionais diversas, autorização de uso da aeronave, etc.;

Art. 26º

O instrutor deverá seguir rigorosamente a seqüência do


programa de instrução, ficando proibida a execução de
manobras acrobáticas ou outras que tragam apreensão ou
desconforto ao aluno.

USO DAS DEPENDENCIAS DO AEROCLUBE:

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 17


Art. 27º

Estacionamento / Bebidas:

a) A área de estacionamento é exclusiva para os associados que


estiverem em dia com suas obrigações sociais;

b) É vedado o consumo de bebidas alcoólicas por Alunos e


Pilotos, antes e durante as aulas Teóricas e Práticas, ou até
mesmo antes de qualquer atividade aérea.

DISPOSIÇÕES FINAIS:

Todos os Funcionários, Alunos Teóricos e Práticos, Pilotos,


Instrutores, Diretores e Presidência da entidade, deverão ter pleno
conhecimento e familiarização com o M.G.S.O. ( MANUAL DE
GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL ), do nosso
Aeroclube, devendo se adequar ao mesmo em sua plenitude,
visando uma perfeita condição para à Segurança Operacional.

Quanto aos comportamentos operacionais não aceitáveis, estão


claramente alinhados no não cumprimento de qualquer das normas
aqui descritas, onde qualquer desobediência caberá punições
claras, diretas e objetivas, chegando até mesmo a banir o infrator
do quadro sociativo de nosso Aeroclube.

Os atos cabíveis de punição, serão julgados pela Diretoria da


entidade, cabendo a eles a estipulação das punições.

Qualquer caso porventura omisso neste Regimento Interno será


resolvido também pela Diretoria Executiva do Aeroclube de
Bebedouro.

Bebedouro /SP.

Aeroclube de Bebedouro Páá giná 18

Você também pode gostar