Você está na página 1de 45

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL

TATIANE DE MATOS S. SILVA

CAUSAS E TRATAMENTOS DA INFERTILIDADE FEMININA


SEGUNDO A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

2011
CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL

TATIANE DE MATOS S. SILVA

CAUSAS E TRATAMENTOS DA INFERTILIDADE FEMININA


SEGUNDO A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Monografia apresentada à Faculdade de


Educação, Ciência e Tecnologia –
UNISAUDE/ CENTRO DE ESTUDOS
FIRVAL – como requisito para conclusão de
curso de Formação de Especialização em
Acupuntura. Orientadora: Profª. Especialista
Romana de Souza Franco.

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

2011
Matos Silveira Silva, Tatiane

Causas e Tratamentos da Infertilidade Feminina Segundo a Medicina Tradicional


Chinesa

São José dos Campos 2011

45p.

Registro n

Orientador (a) Romana de Souza Franco

Monografia pós-graduação – Faculdade de Educação, Ciência e Tecnologia –


UNISAUDE/CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL – São José dos Campos – Curso de
especialização em Acupuntura.

Ginecologia; Acupuntura; Infertilidade feminina; Tratamentos


FOLHA DE APROVAÇÃO

A monografia intitulada Causas e Tratamentos da Infertilidade Feminina Segundo a

Medicina Tradicional Chinesa,

Elaborada por Tatiane de Matos Silveira e Silva foi,

( ) aprovada ( ) reprovada

Pelos membros da Banca Examinadora da faculdade de Educação, Ciências e

Tecnologia – Unisaude / CEFirval, com conceito ___________________.

São José dos Campos _____ de _______________2011.

Nome:.....................................................................................................................

Titulação:................................................................................................................

Assinatura:..............................................................................................................

Nome:.....................................................................................................................

Titulação:................................................................................................................

Assinatura:..............................................................................................................
Agradeço de todo coração a minha mãe – Célia Ap. de Matos Garcia – que no

momento mais difícil da minha vida me deu a mão e me emprestou um

pouquinho da sua força. Essa força foi não só para eu começar o curso, mas

também para continuar minha vida. Durante todo o curso me ajudou de todas

as formas possíveis, e agora na minha monografia não podia ser diferente, me

ajudou na correção, ficou comigo até de madrugada lendo e reescrevendo

tudo. Mãe agradeço por tudo e sei que nada paga o que você faz por mim.

Obrigada por ser a mãe maravilhosa que você é. Te amo.


RESUMO

A partir de uma revisão bibliográfica sobre a utilização da acupuntura

como forma de tratamento para as diferentes causas da infertilidade feminina foram

apresentadas neste trabalho: a fisiologia feminina, as possíveis causas da

infertilidade, os fatores patológicos adquiridos segundo a Medicina Tradicional

Chinesa, e as deficiências congênitas que são inacessíveis a acupuntura.

O enfoque do trabalho hora apresentado é o de descrever os diferentes

tratamentos oferecidos pela Medicina Tradicional Chinesa para a infertilidade

feminina.

A descrição dos tratamentos incluem a identificação dos sinais e sintomas

presentes em cada padrão patológico, bem como os acupuntos utilizados nos

tratamentos. Como complemento estão descritos neste trabalho exemplos de outros

tratamentos possíveis como acupuntura auricular e moxaterapia.

A partir da pesquisa realizada foi possível concluir que a Medicina

Tradicional Chinesa, tanto acupuntura quanto seus complementos, são de grande

importância no tratamento da infertilidade feminina. Tais tratamentos podem ser

utilizados como tratamento principal ou como tratamento coadjuvante.

Mesmo sendo uma especialidade abrangente dentro da Medicina

Tradicional Chinesa ainda há uma grande dificuldade em encontrar textos

específicos sobre o trabalho do acupunturista nesta área que merece mais atenção

e estudos mais específicos.

Palavras – chave : Ginecologia, Acupuntura, Infertilidade feminina e Tratamentos


ABSTRACT

From a literature review on the use of acupuncture as a treatment for

different causes of female infertility were presented in this work: the female

physiology, the possible causes of infertility, acquired pathological factors according

to Traditional Chinese Medicine, and the shortcomings congenital abnormalities that

are inaccessible to acupuncture.

The focus of work hours is presented to describe the various treatments

offered by traditional Chinese medicine for female infertility.

The description of the treatments include the identification of signs and

symptoms present in each pathological pattern and the acupoints used in

treatments. To complement this work are described examples of other possible

treatments such as acupuncture and moxaterapia.

From the survey it was concluded that traditional Chinese medicine, both

acupuncture and their complements, are of great importance in the treatment of

female infertility. Such treatments can be used as primary treatment or as adjuvant

treatment.

Even though a comprehensive specialty within Traditional Chinese

Medicine there is still a great difficulty in finding specific texts on the work of the

practitioner in this area that deserves more attention and more specific studies.

Keywords: Gynecology, Acupuncture, Female infertility and Treatments


SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO..........................................................................................................8

2.OBJETIVO...............................................................................................................10

3.METODOLOGIA......................................................................................................11

4.Revisão da Literatura

4.1.Acupuntura e Ginecologia....................................................................................12

4.2.Fisiologia Feminina Segundo a Medicina Tradicional Chinesa............................13

4.3.Infertilidade para a Medicina Tradicional Chinesa...............................................14

5.Deficiência Congênitas............................................................................................15

5.1.Fatores Patológicos Adquiridos............................................................................16

5.2.Tipo Vazio.............................................................................................................16

5.3.Tipo Plenitude.......................................................................................................20

6.Acupuntura e os Tratamentos para Infertilidade.....................................................23

6.1.Tipo Vazio.............................................................................................................23

6.2.Tipo Plenitude.......................................................................................................26

7.Outros Tratamentos.................................................................................................31

7.1.Acupuntura Auricular............................................................................................31

7.2.Moxaterapia..........................................................................................................32

8.DISCUSSÃO...........................................................................................................34

9.CONCLUSÃO..........................................................................................................35

Referências Bibliográficas..........................................................................................36

Anexo A......................................................................................................................38

Anexo B......................................................................................................................43
1.INTRODUÇÃO

A infertilidade é uma condição que impede a concepção e normalmente

pode ser revertida. Essa condição é determinada após um ano de relações sexuais

não protegidas, sem resultados, e esse prazo cai para seis meses para mulheres

acima de 35 anos. O termo infertilidade também é utilizado em mulheres que não

conseguem levar uma gravidez até o final.

Enquanto a infertilidade é um quadro que pode ser revertido, a

esterilidade é determinada como a incapacidade total de conceber filhos.

A definição de infertilidade leva em conta estudos sobre a taxa de

fertilidade ao longo do tempo, um desses estudos tem como base o índice de

fecundidade dos Hutterites, uma comunidade da Europa Central, onde é proibido

evitar a gravidez, nesta comunidade as mulheres têm de 10 a 12 filhos em um

espaço consideravelmente curto de tempo, com base nesses estudos o termo

infertilidade pode ser aplicado a casais que tem pelo menos, 3 relações sexuais

durante o mês, sendo uma delas no período fértil sem qualquer tido de método

contraceptivo e não concebem em um ano de convivência (www.wikipedia.org).

A palavra acupuntura tem origem no latim acus – agulha e punctura

– picada (WIKIPEDIA - online). Portanto a Acupuntura é uma especialidade da

Medicina Tradicional Chinesa com aproximadamente 5.000 anos, que consiste na

inserção de agulhas através da pele, nos tecidos subjacente em diferentes

profundidades, em pontos específicos do corpo a fim de produzir efeito terapêutico.


Os pontos de acupuntura podem ser, não só, puncionados por agulhas, mas

também aquecidos pela queima da erva Artemísia vulgaris (moxabustão) e ainda

podem ser estimulados por pressão, eletro estimulação, ventosa e atualmente

estímulo através de lasers (ZHENJIU – online).

Segundo Yamamura (2004) o mecanismo de ação da acupuntura está

intimamente ligada ao nosso corpo energético e a nossa forma física através dos

meridianos. Ainda durante o período fetal o Qi (energia) dos órgãos e vísceras se

exterioriza dando origem aos meridianos que vão se incorporar de matéria dando

origem ao corpo físico. Os meridianos são o meio de ligação entre o interior e o

exterior.

Na Medicina Tradicional Chinesa o conceito de saúde e doença

vem do princípio de equilíbrio entre Yin e Yang, a aplicação da acupuntura estimula

a energia contida nos meridianos do paciente, esse estímulo é capaz de re-equilibrar

o fluxo de Qi. Ao restabelecer o equilíbrio entre o Yin e o Yang e promover a livre

circulação do Qi os fatores patológicos somem.


2.OBJETIVO

O intuito da nossa pesquisa é o de adquirir conhecimento sobre a

patologia e mostrar que a Medicina Tradicional Chinesa oferece recursos para o

tratamento das diversas causas da infertilidade feminina.

Em nosso trabalho pretendemos descrever o ponto de vista da Medicina

Tradicional Chinesa sobre a patologia, para isso utilizamos como base principal de

nossas pesquisas duas das principais literaturas focadas na utilização da acupuntura

no tratamento das patologias ginecológicas entre elas a infertilidade.

Nosso trabalho também pretende apresentar os tratamentos descritos

para cada padrão energético causador da infertilidade feminina indicados pelos

autores pesquisados.
3.METODOLOGIA

Para Minayo, Gomes (2000), a pesquisa vincula pensamento e ação;

assim nada pode ser intelectualmente um problema se não tiver sido, em primeiro

lugar, um problema da vida prática. Para realização deste trabalho foi feita pesquisa

bibliográfica para o aprofundamento do tema escolhido e levantamento de

informações sobre o problema abordado. Foi feita uma explanação de teorias

levantadas em diversas fontes: livros, artigos, web e a organização de informações

específicas sobre a acupuntura aplicada a ginecologia e aos tratamentos dos

problemas de infertilidade feminina – objeto do trabalho. Posteriormente foi realizado

o trabalho escrito, com base nos dados levantados e discussão sobre as possíveis

conclusões.
4. Revisão da Literatura

4.1. Acupuntura e Ginecologia

Segundo Maciocia (2.000) o ramo da ginecologia, assim como os outros

ramos da medicina chinesa tem uma longa história e seus primeiros registros datam

da dinastia Shang (1.500 a 1.000 a.C.). Desta época tem sido encontrados ossos e

cascos de tartaruga com inscrições de tratamentos para problemas de parto, e nos

textos do período de Estados em Guerra (476 – 221 a.C.) existem descrições sobre

plantas medicinais para o tratamento da infertilidade.

No período de Estados em Guerra já existiam especialistas em

ginecologia, neste período o então famoso médico Bian Que registrado no

“HISTORICAL ANNALS (Shi Ji)” como o que “trata de doenças abaixo da cintura”,

ou seja, um ginecologista. Já durante a dinastia Han (206 a.C. – 220 d.C.) os

ginecologistas eram denominados “médico de mama” (Rui Yi) ou “médico das

mulheres” (Nu Yi). O livro “SERIES OF HERBS FOR OBSTETRICS” prova que

mesmo antes da dinastia Han já haviam livros que tratavam exclusivamente de

ginecologia.
4.2. Fisiologia feminina segundo a Medicina Tradicional Chinesa

Para o bom funcionamento das particularidades fisiológicas da mulher

(menstruação, leucorréia, gravidez, parto e lactação) deve haver abundância de Qi

(energia) Xue (sangue), uma boa circulação nos vasos sanguíneos e um bom

funcionamento dos órgãos (AUTEROCHE et.al 1987).

Fisiologicamente a mulher é dominada pelo Sangue (Xue), já que o

Aquecedor Inferior abriga o útero que supre o Sangue. Para entender a fisiologia

feminina é necessária a comparação com a fisiologia masculina. As mulheres

pertencem ao Yin, mas apresentam alguns aspectos fisiológicos Yang, e os homens

pertencem ao Yang, mas apresenta alguns aspectos fisiológicos Yin. Além do

Sangue outras estruturas são parte fundamental na fisiologia feminina, são elas:

Rins, Fígado, Baço, Coração, Pulmões e Estômago, além dos órgãos fazem parte

dessa estrutura os canais Chong Mai, Ren Mai, Du Mai e Dai Mai (MACIOCIA,

2000).

Segundo Secret Records of Master Feng’s Brocade Bag apud Maciocia

(2.000, p.07) “[...] a mulher pertence ao Yin, mas há Yang dentro do Yin. O número

Yang é 7, assim, a essência da mulher surge aos 7 anos de idade e torna-se

abundante aos 14”.

Sendo assim aos 7 anos o Qi (energia) do Rim (Shen Qi) é abundante e

faz a dentição mudar, por volta dos 14 anos a menarca aparece, nesta fase a

substância Tain Gui é a responsável por promover o crescimento, desenvolvimento

e a função reprodutora feminina, por volta dos 28 anos o corpo esta em pleno vigor,

por volta dos 35 anos o rosto começa a murchar e os cabelos a cair, por volta dos 42
anos os cabelos embranquecem e por volta dos 49 anos surgir a menopausa e a

infecundidade (AUTEROCHE et al,1987).

4.3. Infertilidade para a Medicina Tradicional Chinesa

De acordo com a pesquisa realizada foi possível concluir que a

investigação das causas da infertilidade envolve fatores hormonais, causas físicas,

má formação, entre outras.

Segundo Auteroche et al. (1987) na Medicina Tradicional Chinesa há

duas concepções clássicas de infertilidade feminina: deficiências congênitas e

patologias adquiridas.

De acordo com Yamamura; et al.(1999) a infertilidade causada por fatores

patogênicos adquiridos pode ser definida em basicamente três tipos: Plenitudes,

Vazios e Vazio de Qi (energia) e de Xue (sangue).

O tipo plenitude é quando pode ocorrer a obstrução do útero e dos canais

energéticos Ren Mai e Chong Mai por fatores patogênicos. O tipo vazio é quando há

falta de Qi (energia) ou Xue (sangue) e é necessário tonificá- las. E há ainda as

deficiências congênitas que são as alterações anatômicas do órgão sexual feminino.


5. Deficiências Congênitas

Segundo Auteroche et al.(1987) as deficiências congênitas são descritas

classicamente em número de cinco, e são denominadas “não fertilidades”, são elas:

1- Luó “Espiral”: dobras em espiral no orifício vaginal. Em nossa pesquisa

não encontramos textos que descrevam mais detalhadamente tal deficiência.

2- Wén “Franzido”: vagina estreita conhecida pela medicina ocidental

como infantilismo que consiste em uma insuficiência da vagina, ou seja, a vagina

mantêm as dimensões pré-pubertárias (NETSABER – online).

3-Gu “Tensão”: constrição do orifício da vagina tal patologia está descrita

pela medicina ocidental como vaginismo que é uma síndrome psicofisiológica que

consiste na contração involuntária dos músculos do períneo adjacentes ao terço

inferior da vagina, essa contração pode ser recorrente ou persistente

(MARCELOMARCIA – online).

4-Jiao “Chifre”: clitóris longo demais na medicina ocidental está descrita

como pseudo-hermafroditismo isso se da devido a produção inadequada de

androgênios pela supra-renal fazendo com que a genitália se encontra

masculinizada (BIBLIOMED – online).

5- Mai “Fluxo”: amenorréia primária é definida como a ausência de

menarca, ou seja, a falta de fluxo menstrual até os 16 anos, a amenorréia primaria

pode ter vários fatores causais tais como anorexia, obesidade mórbida entre outros

(WIKIPÉDIA-online).
As “não fertilidades” são consideradas inacessíveis à acupuntura, e

segundo os médicos chineses o tratamento dependeria de técnicas cirúrgicas

“ocidentais”.

5.1. Fatores Patológicos Adquiridos

Os fatores patológicos adquiridos são quando o equilíbrio Yin/ Yang está

em desarmonia devido a fatores externos adquiridos com o tempo (MACIOCIA,

2000).

Para a Medicina Tradicional Chinesa a saúde de um indivíduo depende

basicamente do sutil equilíbrio entre Yin e Yang. Quando esse equilíbrio esta

abalado começam surgir os padrões patológicos (doenças).

Ao restabelecer o equilíbrio entre Yin e Yang é possível eliminar os

fatores patológicos e restabelecer a saúde do individuo.

5.2. Tipo Vazio

As patologias por vazio têm por característica a necessidade de tonificar e

nutrir o Qi (energia) do corpo e de algumas da suas estruturas. Neste caso a

infertilidade é causada por falta das substâncias vitais Sangue e/ou Essência, que

são essenciais para a concepção (MACIOCIA, 2.000).


a) Rim em Estado de Vazio

“A esterilidade das mulheres é devida a deficiência de Ren Mai e de

Chong Mai. O Qi dos Rins está então Vazio e Frio.” (SHENG JI ZONG LU apud

AUTEROCHE et. al 1987).

Ren Mai e Chong Mai são respectivamente o Vaso Concepção e Vaso

Governador que estão diretamente ligados a nutrição do Sangue e do Yin e ao

Útero. Por terem tal relação com elementos fundamentais para a fertilidade faz se

necessário que sua energia esteja plena e flua livremente pelo meridiano. A

deficiência de tais canais tem inicio no Rim.

“Chong Mai é o Mar de Sangue, surge no Útero e pertence ao meridiano

do Rim”, a deficiência do Yang do Rim afeta o Vaso Chong Mai que por

conseqüência ira atingir o Sangue que por ser parte Yin faz surgir a deficiência de

Yin do Rim atingindo assim o Útero (MACIOCIA, 2000).

b) Fraqueza Constitucional

Devido ao fato da Essência do Rim ser a base para a formação do Gui

Celestial se a mulher tem uma fraqueza na Essência do Rim não pode conceber

seus filhos. Essa fraqueza pode se dar de várias formas, tais como: sua mãe pode tê

- la concebido muito velha, a saúde e constituição dos pais não ser boa no momento

da concepção, etc (MACIOCIA, 2.000).

A energia (Qi) dos Rins é a única que não pode ser reposta, quando

somos concebidos herdamos de nossos pais a junção de suas energias, de suas


essências. Essa energia alimentara nosso corpo durante toda nossa vida, quando

essa energia se extingue, extingue-se também a vida.

Por tanto é de grande importância que no momento da concepção

os pais estejam em pleno equilíbrio energético.

c) Atividade Sexual Excessiva em Idade Precoce

Segundo Maciocia (2.000) antes e durante a puberdade até cerca dos 18

anos, o excesso de atividade sexual é um fator importante no aumento de doenças e

enfraquece severamente os Rins e lesa os canais Ren Mai e Chong Mai, o que pode

causar infertilidade mais tardiamente.

Durante o ato sexual o homem desgasta o Qi (energia) dos Rins no

momento da ejaculação, por tanto a atividade sexual excessiva prejudica sua

essência. No caso das mulheres existem duas vertentes, uma prega que a mulher

só desgasta o Qi (energia) dos seus Rins se durante o ato sexual atingir o orgasmo,

outra diz que não é necessário atingir o orgasmo pra tal desgaste, por tanto,

novamente, o excesso de atividade sexual lesa sua essência.

Se os Rins estão fracos não podem alimentar os canais Ren Mai e Chong

Mai, que são essências para a fertilidade, já que Chong Mai tem origem no útero e

Ren Mai comanda o útero, entre outras estruturas importantes para a fertilidade.

d) Excesso de Trabalho

O Yin dos Rins é a base para o sangue menstrual e também para a

função do útero. A combinação de horas de trabalho sem descanso adequado e


alimentação ruim por muitos anos pode causar a deficiência de Yin dos Rins e isso

pode causar infertilidade (MACIOCIA, 2.000).

e) Sangue em Estado de Vazio

Nesse padrão o que encontramos são duas possibilidades, em uma delas

o vazio de sangue se da por uma perda excessiva do mesmo durante os períodos

menstruais levando com sigo a essência, e a outra possibilidade é: o corpo na

tentativa de reter essência faz com que o fluxo menstrual seja menor bem como a

quantidade de dias em que há perda de sangue, os ciclos ficam mais espaçados

podendo se tornar inexistentes (amenorréia), com a ausência de ciclos menstruais

não há a possibilidade de gestação, a mulher está por tanto infértil.

“A esterilidade de uma mulher é geralmente devida a uma falta de

Sangue, o qual é insuficiente para reter a essência.” (ZHU DANXI apud

AUTEROCHE et.al, 1987).

f) Baço em Estado de Vazio

“Acontece que Baço e Estômago estão em Vazio e não podem alimentar

os meridianos Chong e Ren.” (XUE LIZHAI apud AUTEROCHE et.al, 1987).

A deficiência do Baço não é uma causa direta das patologias

ginecológicas, mas ainda assim tem relação com elas, pois o Qi (energia) do Baço

tem origem no Qi (energia) do Sangue. O Sangue estando deficiente causa a

deficiência no Baço.
Se o Estômago estivar vazio, ou seja, deficiente de Qi (energia) não

poderá nutrir os canais Chong Mai e Ren Mai, isso acontece por estar diretamente

ligado ao Útero (através do ponto E30) e por ser o Útero a origem do canal Chong

Mai, sendo assim, por conseqüência afeta também o canal Ren Mai que comanda,

entre outras coisas o Útero e o Sangue.

g) Excesso de Trabalho Físico

O excesso de atividade física, tais como ginástica e balé, quando o útero

da menina ainda é vulnerável pode enfraquecer o Yang do Baço e do Rim

(MACIOCIA, 2.000).

5.3 Tipo Plenitude

Neste caso a fertilização não ocorre devido aos fatores patogênicos que

obstruem tanto o Útero quanto os canais Ren Mai e Chong Mai. Esses fatores são:

Frio do Sangue, Umidade, estagnação de Qi e estase de Sangue (MACIOCIA,

2000).

a) Mucosidade Umidade

“As mulheres obesas, de gosto imoderado pela comida e pela bebida, tem

menstruação irregulares e não podem conceber porque o corpo delas transborda de

gordura e as Mucosidades-Umidade obstruem a matriz” (ZHU DANXI apud

AUTEROCHE et.al, 1987).


A Mucosidade-Umidade é pesada e por isso se acumula em baixo, ou

seja, pode de acumular no útero e conseqüentemente obstruí-lo, tornando assim a

mulher infértil.

b) Dieta

O excesso de bebidas e alimentos gelados também leva ao Frio no útero,

assim como alimentos gordurosos e laticínios levam a formação de Umidade no

Aquecedor Superior o que pode causar o bloqueio das trompas de falópio, o que

também é causa de infertilidade (MACIOCIA, 2.000).

c) Calor do Sangue

“Nas mulheres magras e fracas que são estéreis, o Calor interno se

transforma em Fogo, o Sangue da matriz é ressecado, não pode haver nela

condensação da essência.” (XIAO XUN apud AUTEROCHE et.al, 1987).

Para que haja um bom nível de fecundidade a mulher deve estar com os

líquidos corpóreos plenos e fluindo livremente, se há calor no sangue isso não

acontece, pois o calor se transforma em fogo e o fogo resseca os líquidos corpóreos.

Se não há liquido corpóreo não há aonde a essência se fixar para ser

transporta e nutrir os órgãos.


d) Congestão do Fígado

“Há igualmente casos onde as emoções não podem se expandir. O

Fígado esta congestionado, o Qi se agrega, a atividade de descongestão não mais

se faz; as menstruações são desregradas, o que acarreta a esterilidade.”

(AUTEROCHE et.al, 1987).

Sendo o fígado responsável pela circulação normal do Qi (energia) e por

comandar as emoções do corpo uma desarmonia nele pode afetar qualquer órgão,

por isso ele é a base de muitas patologias. Por ser um órgão que sofre com o

estresse e alimentação desregrada, que são os males da vida moderna, é um

responsável comum pelas desordens menstruais, por tanto são também

responsáveis por alguns casos de infertilidade.

e) Invasão pelo Frio

Essa é uma das causas mais comuns de infertilidade feminina. Se uma

mulher jovem fica exposta ao Frio e Umidade enquanto se exercita o Frio pode

invadir o útero, principalmente durante o período menstrual. Este frio se transforma

em frio interno e obstrui o útero e os canais Ren Mai e Chong Mai (MACIOCIA,

2.000).

Os canais Ren Mai e Chong Mai estão diretamente ligados ao Útero,

Sangue, Rim, fertilidade entre outras coisas (MACIOCIA, 2.000).


6. Acupuntura e os tratamentos para infertilidade

Este capítulo traz os tratamentos para os diferentes padrões de

infertilidade, propostos por Auteroche et.al, (1987) e Maciocia (2000). Os

tratamentos foram realizados com a técnica de puntura dos pontos sistêmicos

usados pela Medicina Tradicional Chinesa.

6.1.Tipo Vazio

a) Rim em Estado de Vazio

Manifestações clínicas: menstruações atrasadas, fluxo de sangue fraco

e pálido, leucorréias fluidas e brancas, diurese freqüente à noite. Língua: pálida,

revestimento lingual branco, brilhante. Pulso: profundo, fino, fraco (AUTEROCHE

et.al,1987).

Princípio de tratamento: Aquecer os Rins e aquecer o Sangue para

regularizar Chong Mai e Ren Mai (AUTEROCHE et.al,1987).

Tratamentos: ACUPUNTURA: todos em método de harmonização.

B23 (Shenshu); VC24 (Guanyuan); BP8 (Diji) ou BP6 (Sanyinjiao); B43

(Gaohuang); R3 (Taixi); B33 (Zongliao) ou F29 (Guilai) (AUTEROCHE et.al,1987).


b) Deficiência do Yin do Rim

Manifestações clínicas: ciclo menstrual prolongado, período menstrual

escasso ou abundante, dor nas costas, tontura, sensação de frio, depressão, diurese

freqüente. Língua: pálida, inchada, molhada. Pulso: profundo, fraco (AUTEROCHE

et.al,1987).

Princípio de tratamento: Tonificar e aquecer o Yang do Rim, ativar o

Fogo da Porta da Vida, fortalecer o Útero (AUTEROCHE et.al,1987).

Tratamentos: ACUPUNTURA: todos com o método de tonificação,

também pode usar moxa.

R13 (Qixue); R3 (Taixi); B23 (Shenshu); B52 (Zhishi); VC4 (Guanyuan);

VG4 (Mingmen); P7 (Lieque) (do lado direito); VC8 (Shenque-Baomen)

(AUTEROCHE et.al,1987).

c) Deficiência de Yin do Rim

Manifestações clínicas: infertilidade de longa data, períodos menstruais

adiantados, escassos, com sangue levemente colorido, calor, febre em toda a

palma, sudorese noturna, tontura. Língua: vermelha sem revestimento. Pulso:

flutuante – vazio ou rápido – fino (MACIOCIA, 2000).

Princípios de tratamento: Nutrir o Yin do Rim e a essência do Rim

(MACIOCIA, 2000).
Tratamentos: ACUPUNTURA: todos os pontos em tonificação, não se

deve usar moxa, a menos que a língua estiver levemente vermelha ou o pulso fino,

pode usar moxa em R3.

VC4 (Guanyuan); VC7 (Yinjiao); R3 (Taixi); BP6 (Saniynjiao); P7

(Lieque) (no lado direito); R6 (Zaohai) (no lado esquerdo); B52 (Zhishi) (MACIOCIA,

2000).

d) Sangue em Estado de Vazio

Manifestações clínicas: esterilidade, ciclo menstrual longo, sangue

pálido, cansaço, depressão, tez pálida, tontura, visão borrada. Língua: pálida, fina,

com revestimento delgado. Pulso: fraco, rugoso ou fino (AUTEROCHE et.al,1987).

Princípios de tratamento: Nutrir o Sangue e a essência, fortalecer o

Fígado e os Rins (AUTEROCHE et.al,1987).

Tratamentos: ACUPUNTURA: todos em modo tonificação, pode usar

moxa

VC4 (Guanyuan); E36 (Zusanli); BP6 (Saniynjiao); R13 (Qixue); B20

(Pishu); B23 (Shenshu); B17 (Geshu); Zi Gong abdominal (3 cun lateral ao VC3)

(AUTEROCHE et.al,1987).
6.2.Tipo Plenitude

a) Congestão de Fígado

Manifestações clínicas: esterilidade, ciclos longos, alternância de

menstruações fortes e fracas, opressão torácica, hipocôndrios inchados, melancolia,

depressão, suspiros freqüentes. Língua: corpo normal, revestimento delgado e

branco, Pulso: em corda (AUTEROCHE et.al,1987).

Princípio de tratamento: Drenar o fígado, alimentar o Sangue, sustentar

o Baço (AUTEROCHE et.al,1987).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em tonificação.

VC4 (Guanyuan); F6 (Zongdu) ou F2 (Xingjian); F8 (Ququan); F11

(Yinlian); BP6 (Sanyinjiao); B32 (Ciliao); R21 (Youmen) ou R19 (Yindu); BP8 (Diji)

(AUTEROCHE et.al,1987).

b) Mucosidade Umidade

Manifestações clínicas: esterilidade, ciclos irregulares, sangue de cor

pálida e abundante, leucorréias importantes, obesidade, vertigens, palpitações.

Língua: revestimento branco, espesso e gorduroso.

Pulso: escorregadio (AUTEROCHE et.al,1987).


Princípio de tratamento: Dissolver as mucosidades, ressecar a umidade

(AUTEROCHE et.al,1987).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em tonificação.

B21 (Weishu); TA12 (Zhongwan); BP5 (Shangqiu) ou BP6 (Sanyinjiao);

E29 (Guilai) ou E25 (Tianshu); E36 (Zusanli); E40 (Fenglong) (AUTEROCHE

et.al,1987).

c) Frio no Útero

Manifestações clínicas: infertilidade primária, ciclo menstrual atrasado,

período menstrual escasso, pequenos coágulos, período menstrual doloroso, gosto

amargo com calor, sensação de mais frio durante o período menstrual, face pálida,

dor nas costas. Língua: pálida, revestimento espesso, branco. Pulso: fraco, apertado

(MACIOCIA, 2000).

Princípio de tratamento: Esquentar e tonificar o Yang do Rim, esquentar

o útero, dispersar o frio (MACIOCIA, 2000).

Tratamentos: ACUPUNTURA: todos em tonificação, pode usar moxa.

VC2 (Qugu); VC4 (Guanyuan); VG4 (Mingmen); R7 (Fuliu); B23

(Shenshu); VC7 (Yinjiao) (MACIOCIA, 2000).


d) Umidade no Aquecedor Inferior

Manifestações clínicas: ciclos irregulares, ciclos demorados, dor no

meio do ciclo, descarga vaginal, infertilidade de longo tempo, obesidade, sensação

de peso. Língua: revestimento grudento. Pulso: escorregadio (MACIOCIA, 2000).

Princípio de tratamento: Resolver a umidade, remover as obstruções

dos canais Ren Mai e Chong Mai (MACIOCIA, 2000).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em harmonização.

VC3 (Zongji); E28 (Shuidao); BP9 (Yinlingquan); BP6 (Saniynjiao); VC9

(Shuifen); P7 (Lieque) (no lado direito); R6 (Zhaohai) (no lado esquerdo); E30

(Qichong); R14 (Siman); B32 (Ciliao) – para umidade – calor no TA inferior

(MACIOCIA, 2000).

VB41 (Zulinqi) (no lado direito); TA5 (Waiguan) (no lado esquerdo) e

VB26 (Daimai); B32 (Ciliao); VC4 (Guanyuan) – para outros sintomas do canal Daí

Mai, com eletro estimulação (MACIOCIA, 2000).

e) Calor no Sangue

Manifestações clínicas: ciclos curtos (mais de duas vezes ao mês), fluxo

abundante, sensação de calor durante o período, inquietude mental. Língua:

vermelha. Pulso: rápido, transbordante (MACIOCIA, 2000).


Princípio de tratamento: Refrescar o Sangue, regular os períodos

menstruais (MACIOCIA, 2000).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em sedação ou harmonização, sem

moxa.

IG11 (Guchi); BP10 (Xuehai); R2 (Rangu); F3 (Taichong); BP6

(Saniynjiao); MC3 (Quze); B17 (Geshu); VC4 (Guanyuan); P7 (Lieque) (do lado

direito); R6 (Zhaohai) (no lado esquerdo) (MACIOCIA, 2000).

f) Estagnação de Qi

Manifestações clínicas: períodos irregulares, TPM, períodos dolorosos,

distensão das mamas, irritabilidade. Língua: cor normal ou levemente avermelhada

nos lados (se houver estase de Qi surge da deficiência do Sangue os lados estarão

pálidos). Pulso: em corda (se houver estagnação de Qi surge a deficiência de

sangue, por tanto ele pode ser rugoso) (MACIOCIA,2000).

Princípio de tratamento: Mover o Qi, eliminar a estagnação, acalmar o

fígado, regular a menstruação (MACIOCIA, 2000).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em sedação ou harmonização.

F3 ( Taichong); VB34 (Yanglingquan); TA6 (Zhigou); MC6 (Neiguan);

VC6 (Qihai); VC4 (Guanyuan); R14 (Siman), BP4 (Gongsun) (MACIOCIA, 2000).
g) Estase de Sangue

Manifestações clínicas: períodos irregulares, períodos dolorosos,

sangue escuro, coágulos, irritabilidade, comportamento maníaco, dor abdominal.

Língua: púrpura. Pulso: em corda ou rugoso (MACIOCIA, 2000).

Princípio de tratamento: Revigorar o Sangue, eliminar a estagnação,

acalmar o fígado e canal Chong Mai, regular a menstruação (MACIOCIA, 2000).

Tratamento: ACUPUNTURA: todos em sedação ou harmonização.

F3 (Taichong ); VB34 (Yangglingquan ); B17 (Geshu); BP10 (Xuehai);

BP6 (Saniynjiao); TA6 (Zhigou); VC6 (Qihai); VC4 (Guantuan); BP4 (Gongsun) (no

lado direito); MC6 (Neiguan) (no lado esquerdo); R14 (Siman); E29 (Guilai); R6

(Zhaohai) (no lado direito); P7 (Lieque) (no lado esquerdo) (MACIOCIA, 2000).
7. Outros Tratamentos

Além do tratamento com acupuntura dos pontos sistêmicos existem

outras técnicas da Medicina Tradicional Chinesa que podem ser utilizadas no

tratamento da infertilidade feminina.

7.1 Acupuntura Auricular

Esta técnica visa harmonizar as funções dos Zang/Fu (órgãos/vísceras),

por meio da estimulação dos pontos que ficam situados no pavilhão auricular. Essa

técnica que é amplamente utilizada no ocidente. Chegou, por vários anos, a não ser

considerada como parte da Medicina Tradicional Chinesa, apesar de utilizar agulhas

na estimulação dos pontos, não existem textos clássicos antigos que se dediquem a

sua descrição. Mas, alguns relatos históricos confirmam a sua prática na China

antiga (YAMAMURA, 2004).

O trabalho científico realizado por Gerhard e Postneek (1992), demonstra

que a acupuntura auricular pode oferecer uma alternativa terapêutica importante nos

tratamentos da infertilidade feminina causada por distúrbios hormonais. A pesquisa

foi realizada com dois grupos de mulheres com características semelhantes, um dos

grupos recebeu tratamento hormonal e o outro foi tratado com acupuntura auricular.

Ambos os grupos apresentaram uma taxa de gravidez semelhante.

Apesar da acupuntura ser baseada em uma teoria médica antiga, estudos

(que ainda devem ser aperfeiçoados), tem mostrado sua ação no sistema nervoso
central, no eixo hipotálamo – hipófise - ovário e perifericamente sobre o útero

(WHITE, 2003).

Assim como os pontos sistêmicos de acupuntura cada ponto auricular tem

uma ação direta nos órgãos e uma função energética, após identificar o padrão

energético patológico causador da infertilidade da paciente podemos traçar uma

protocolo individual de atendimento.

De acordo com a função dos pontos auriculares descritas por vários

autores, entre eles, Souza (2007) podemos traçar um tratamento de acordo com as

necessidades da paciente. Por exemplo, uma paciente que sofre de disfunção

hormonal, que entre outras conseqüências, pode causar um quadro de infertilidade,

poderemos utilizar em seu tratamentos os pontos: ovários, útero, hipófise,

hipotálamo..., entre outros. Estes pontos também são utilizados em muitos outros

tratamentos de diferentes patologias, mas neste caso estão sendo utilizados para o

tratamento de infertilidade.

Verificar tabela de pontos auriculares e suas indicações no anexo B.

7.2 Moxaterapia

Esta é uma técnica que consiste em aquecer os pontos de acupuntura

através da queima de ervas medicinais, a mais utilizada é a Artemísia vulgaris, no

entanto outras ervas podem ser utilizadas de acordo com a sua indicação

terapêutica. A aplicação de moxabustão tem como objetivo aquecer o Qi e o Xue

(sangue) dos canais de energia principais e secundários, promovendo assim, o

aumento da circulação energética potencializando a nutrição e a atividade dos Zang

Fu (órgãos/vísceras) (YAMAMURA, 2004).


No estudo realizado por Song et.al, (2008) sobre os efeitos terapêuticos

da aplicação de acupuntura e moxabustão no tratamento da infertilidade causada

por distúrbios ovulatório, pode – se observar que entre os dois grupos estudados

(um grupo recebeu tratamento medicamentoso e outro a aplicação de acupuntura e

moxabustão), no grupo que recebeu o tratamento com acupuntura e moxabustão,

após 3 ciclos menstruais a taxa de gravidez foi maior e a de aborto foi menor do que

no grupo que recebeu medicamentos.

Os pontos utilizados no estudo foram: VC3 (Zhongji); VC4

(Guanyuan); EX – CA1 (Zigong); E36 (Zusanli); BP6 (Sanyinjiao) estes foram

punturados por agulha, e VC8 (Shenque) e BP6 (Sanyinjiao) foram aquecidos

por moxabustão.
8.DISCUSSÃO

Considerando a importância do tema, infertilidade feminina, e que a

Medicina Tradicional Chinesa oferece muitos recursos comprovadamente eficazes

no tratamento de tal patologia acreditamos que é de extrema importância que os

profissionais da área da acupuntura tenham maiores informações sobre as

possibilidades de tratamento das varias formas de infertilidade feminina, uma vez

que o tratamento destas pacientes é muitas vezes somente considerado nas áreas

da alopatia, transferência embrionária e fertilização em vitro (FIV).

A relevância destes achados está no fato de a Medicina Tradicional

Chinesa poder ser utilizada como alternativa eficaz de tratamento de diferentes

causas de infertilidade feminina, e mesmo diante deste fato ainda são poucos os

textos demonstrando tais resultados.

Além disso, após os estudos realizados, foi possível concluir que ainda há

uma grande lacuna a ser preenchida pelos profissionais que utilizam a arte milenar

da Medicina Tradicional Chinesa, a acupuntura, como tratamento de suas pacientes

inférteis, tais profissionais têm a importante missão de divulgar os benefícios dos

tratamentos alternativos, afim de que cada vez mais, mais pessoas optem por

tratamentos naturais e preventivos.


9.CONCLUSÃO

A maternidade é por vezes o objetivo de vida de muitas mulheres; em

contrapartida os problemas de infertilidade muitas vezes impedem que este objetivo seja

atingido.

Com base na pesquisa realizada, podemos concluir que a Medicina

Tradicional Chinesa, mais especificamente a acupuntura e seus complementos

podem ser utilizados tanto como tratamento principal como coadjuvante nos casos

de infertilidade feminina. Entretanto após nossas buscas entendemos as dificuldades

vividas no quesito encontrar textos específicos sobre o trabalho do acupunturista

nesta área, que o mesmo é pouco valorizado e quando se fala no assunto a

acupuntura é referida como tratamento unicamente coadjuvante.

A pesquisa também mostrou que esta especialidade da Medicina Tradicional

Chinesa é um campo muito abrangente que merece mais atenção, e necessita de

estudos mais específicos.


Referências Bibliográficas

Auteroche B.; Navailh P.; Maronnaud P.; Mullens E. – Acupuntura em Ginecologia


e Obstetrícia. São Paulo: Andrei, 1987.

Acupuntura. http://pt.wikipedia.org/wiki/Acupuntura Acessado em 27 de out 2010.

Amenorréia. http://pt.wikipedia.org/wiki/amenorreia Acessado em 29 de mar 2010.

Chang R; Chung PH; Rosenwaks Z. Role of acupunture in the treatment of


female infertility. Fertil Steril; v.78, n. 6, p.11, 49-53, 2002.

Domar AD. Acupuncture and infertility: we need to stick to good science. Fertile
Steril; v.85, n. 5, p. 13,59-61; discussin p.13, 68-70, 2006.

Genitais femininos.
www.colegiomontessori.com.br/corpo/apreprodutor/gfeminino.php Acessado em 29
de mar 2010.

Gerhard, I; Postneek, F. Auricular acupuncture in the treatmente of female


infertility. Gynecol Endocrinol; v.6, n. 3, p. 171-81, 1992.

Gerhard, I; Postneek, F. Possibilities of therapy by ear acupuncture in female


sterility. Geburtshilfe Frauenheilkd; v.48, n. 3, p. 165-71, 1988.

Huang ST; Chen AP. Traditional Chinese medicine and infertility. Curr Opin
Obstet Gynecol; v.20, n. 3, p. 211-5, 2008.

Impotência. www.netsaber.com.br/resumos/ver_resumo_c_47424.html Acessado


em 12 de abr. 2010.

Infertilidade. HTTP_wikipedia.org_w_index.pdf Acessado em 06 de out. 2009


Intersexo.
www.bibliomed.uol.com.br/bibliomed/bmbooks/ginecolo/livro8/cap/cap51.htm
Acessado em 12 de abr. 2010.

Introdução à acupuntura. www.zhenjiu.com.br Acessado em 05 de ago. 2009.


Maciocia, G. Obstetrícia e Ginecologia em Medicina Chinesa. São Paulo: Roca,
2000.
-----------------------. Os Fundamentos da Medicina Chinesa: um texto
abrangente para acupunturistas e fitoterapeutas. São Paulo: Roca, 2007.

MINAYO, M. C. de S. e GOMES, S.F.D.R. Pesquisa social: teoria, método e


criatividade. 17. ed. Petrópolis: Vozes, p. 16, 2000.

Song FJ; Zheng SL; Ma DZ. Clinical observation on acupunture for treatment of
infertility of ovulatory disturbance. Zhongguo Zhen Jiu; v.28, n. 1, p. 21-3, 2008.

Souza, Marcelo Pereira de. Tratado de Auriculoterapia. Brasília: Editora Med.


Center, 2007.

Vaginismo. www.marcelomarcia.na-web.net/vaginismo.html Acessado em 29 de


mar 2010.

White, AR. A rewiew of controlled trials of acupunture for women’s


reproductive care. J Fam Plann Reprod Health Care; v.29, n.4, p. 233-6, 2003.

Yamamura, Y; Tabosa, A.M.F.; Yabuta, M.M. Enfoque de Medicina Tradicional


Chinesa sobre a infertilidade feminina sem causa aparente. Rev. paul. Acupunt;
v.5, p.1, p. 51-8, 1999.

Yamamura, Ysao. Acupuntura Tadicional – a arte de inserir. São Paulo: Roca,


2004.

Yu – Li Lian; Chun – Yan Chen; Michael Hammes; Bernard C. Kolster. Atlas Gráfico
de Acupuntura – um manual ilustrado dos pontos de acupuntura. --------: H.F.
ullmann, 2005/2007.
Anexos A - Tabela de pontos utilizados na área ginecológica - e nos tratamentos

para infertilidade apresentados no presente trabalho.


PONTOS FUNÇÃO ENERGETICA INDICAÇÃO
CLASSICA
IG11 Dispersa o vento, suaviza as Sem função ginecológica
náuseas, liberta o calor, especifica.
diminuia tumefação nos
edemas e alivia a dor.
IG16 Ativa o Meridiano, alivia a Doenças da glândula Tiróide
dor, promove a limpeza dos
canais de energia, dispersa o
Xue estagnado pelo frio
perverso
P7 Dissemina o Qi do pulmão e Sem função ginecológica
dissipa as influências especifica.
nocivas, descongestiona e
ativa o meridiano principal,
regula o Ren Mai
E25 Regula a subida e descida de Anomalias na regularidade
Qi, regula o intestino grosso, menstrual, dismenorréia,
regulariza o Qi e o Xue, menstruação irregular,
dispersa a umidade e a infertilidade, endometriose
umidade-calor
E26 Regula o Qi e alivia a dor Dismenorréia
E28 Beneficia a bexiga, regula a Dismenorréia, disfunções da
menstruação, alivia a dor, fertilidade feminina
transforma a umidade-calor
E29 Ativa o Qi, alivia a dor, regula Amenorréia, leucorréia,
a menstruação e diminui o prolapso uterino,
fluxo menstruação irregular
E30 Regula e tonifica o Chong Menstruação irregular,
Mai, regula a menstruação e disfunções da fertilidade,
promove a fertilização vulvite e certas disfunções
obstétricas
E36 Fortalece o corpo e baço, Fortalecimento do corpo com
harmoniza o estomago, efeitos profiláticos e
restaura o equilíbrio do Qi, imunológicos. Em todas as
descongestiona e ativa o disfunções que possam ser
meridiano e seus vasos. atribuídas ao estado de vazio
de acordo com a Medicina
Tradicional Chinesa.
E40 Fluidifica as mucosidades, Sem função ginecológica
alivia a insuficiência especifica.
respiratória, proporciona um
relaxamento geral e pacifica
e energia espiritual
BP4 Fortalece o baço, transforma Sem função ginecológica
a umidade, harmoniza o especifica.
estomago e regulariza o Jiao
(aquecedor) médio
BP5 Fortalece o baço e acalma a Sem função ginecológica
diarréia especifica.
BP6 Fortalece o baço, decompõe Muitas disfunções
e elimina a umidade, regula o ginecológicas e obstétricas,
equilíbrio do Yin e do sangue, disfunções da função sexual
fígado e rins, harmoniza o Qi masculina
do útero

P8 Fortalece o baço e elimina a Menstruação irregular,


umidade, regula a dismenorréia, mioma do
menstruação e revigora o útero, quistos no ovário
sangue e promove sua
circulação
BP10 Regula a menstruação e Menstruação irregular,
revigora o sangue e elimina a dismenorréia, amenorréia,
umidade e alivia as náuseas, hemorragias uterinas
refresca o calor no Xue disfuncionais anovulatórias
C8 Liberta o coração e pacifica o Disfunções na região do útero
espírito, dissolve a umidade e e da vulva, colpite e prolapso
transforma a umidade-calor uterino
B17 Repõe e acalma o sangue. Sem função ginecológica
Liberta o tórax e alivia a dor, especifica.
diminui o Qi invertido
B20 Fortalece o baço, promove a Sem função ginecológica
micção, aumenta a clareza e especifica.
acalma a diarréia
B21 Harmoniza o estômago e Sem função ginecológica
alivia a dor, regula o centro e especifica.
diminui o Qi invertido
B23 Protege o rim e enriquece o Menstruação irregular,
Yin, regula a menstruação e leucorréia
promove a micção
B24 Reabastece o rim e aumenta Dismenorréia, menstruação
o Qi, regula a menstruação e irregular, hemorragia uterina
alivia a dor disfuncional
B30 Protege os rins e promove a Menstruação irregular,
menstruação leucorréia
B31 Promove a menstruação e Menstruação irregular,
repõe o Qi, ajuda o Yang e prolapso uterino, leucorréia
aumenta a essência
B32 Liberta e facilita a micção e Inflamação na pequena
liberta o calor, regula o Qi e bacia, menstruação irregular,
promove a menstruação dismenorréia
B33 Promove a menstruação e Menstruação irregular, endo-
regula o fluxo /miometrite, anexite
B43 Alivia a tosse e a dispnéia Sem função ginecológica
relaxa os tendões e ativa os especifica.
vasos
B52 Protege os rins e firma a Sem função ginecológica
essência, liberta e dispersa a especifica.
umidade e o calor
B55 Estimula o Qi e alivia a dor, Hemorragia uterina
regula a menstruação e disfuncional anovulatória
acalma a hemorragia uterina
R2 Protege o rim e fortalece a Menstruação irregular,
essência, regula a prolapso uterino e colpite
menstruação e ativa os vasos
R3 Enriquece o Yin e reconstitui Sem função ginecológica
o rim, acalma o fígado e especifica.
diminui o Yang,
descongestiona e ativa o
meridiano e os seus vasos
R5 Ativa o sangue e estimula a Menstruação irregular,
menstruação amenorréia, prolapso uterino
R6 Enriquece o Yin e pacifica o Menstruação irregular,
espírito, regula e alivia o fluxo dismenorréia, leucorréia,
menstrual inflamação aguda da
pequena bacia, prolapso
uterino
R7 Reconstitui o rim, promove a Sem função ginecológica
micção, restaura o equilíbrio especifica.
da sudação e fluidos
corporais
R8 Protege o rim e regula a Hemorragia uterina
menstruação disfuncional anovulatória,
prolapso uterino
R10 Protege o rim e ajuda o Yang Hemorragia uterina
disfuncional anovulatória
R12 Reconstitui o rim e fortalece a Mioma uterino, inflamação da
essência, regula e alivia o pequena bacia
fluxo menstrual
R13 Regula e reconstitui o Chong Menstruação irregular,
Mai leucorréia
R14 Regula o Qi e a menstruação Menstruação irregular,
hemorragia uterina
disfuncional anovulatória,
infecções pós-parto,
distúrbios da fertilidade
R15 Regula a menstruação e ativa Menstruação irregular
a defecação
R19 Regula o Qi e alivia a dor, Sem função ginecológica
fortalece o baço e promove a especifica.
digestão
R21 Fortalece o baço e harmoniza Sem função ginecológica
o estômago, diminui o Qi especifica.
invertido e alivia náuseas
VB26 Regula a menstruação e Menstruação irregular,
acalma o fluxo leucorréia, inflamação crônica
da genitália interna feminina
VB27 Regula a menstruação e Prolapso uterino,
alivia o fluxo, regula o Qi e menstruação irregular,
alivia a dor leucorréia
VB28 Regula a menstruação e Prolapso uterino,
alivia o fluxo, regula o Qi e menstruação irregular,
alivia a dor leucorréia
VB34 Descongestiona o fígado e Sem função ginecológica
estimula a vesícula biliar, especifica.
torna os tendões flexíveis e
alivia a dor
F1 Descongestiona o fígado e Hemorragia uterina
regula o Qi, regula a disfuncional anovulatória
menstruação e promove a
micção
F2 Acalma o fígado e dispersa o Hemorragia uterina
vento, regula a menstruação disfuncional anovulatória,
e promove a micção dismenorréia, amenorréia
F3 Acalma o fígado e dispersa o Menstruação irregular
vento, descongestiona o
fígado e regula o Qi, fortalece
o baço e transforma a
umidade
F6 Nutre e acalma o sangue, Sem função ginecológica
mobiliza o Qi e alivia a dor especifica.
F8 Regula o fígado e nutre o Prurido vulvar
sangue, protege os rins e
expande a essência
F9 Regula o Qi, promove a Menstruação irregular
micção
F11 Regula a menstruação e Menstruação irregular,
promove a fertilidade distúrbios de fertilidade

TA6 Aumenta a audição e ativa os Sem função ginecológica


orifícios da parte superior do especifica.
corpo, ativa o meridiano e
alivia a dor
TA12 Ativa o meridiano e alivia a Sem função ginecológica
dor especifica.
VG4 Aquece e reabastece o Yang Endometrite, leucorréia
do rim, relaxa os tendões e
suprime os espasmos
VC2 Promove a micção e ativa o Menstruação irregular,
trato urinário, regula a leucorréia, dismenorréia
menstruação e alivia a dor
VC3 Ajuda o Yang e regula a Menstruação irregular,
água, a menstruação e alivia infertilidade feminina
a dor
VC4 Expande e reabastece o Qi Infertilidade, menstruação
fonte, regula a menstruação e dolorosa e irregular,
promove a micção leucorréia sanguinolenta,
prolapso uterino
VC5 Regula o Qi e alivia a dor, Hemorragia uterina
ativa a micção disfuncional anovulatória,
amenorréia, hemorragia pós
– parto
VC6 Aumenta e regula o Qi, Menstruação irregular,
regula a menstruação e amenorréias, hemorragia
fortalece a essência uterina, dismenorréia,
leucorréia
VC7 Regula a menstruação e Menstruação irregular
alivia o fluxo, mobiliza o Qi e
alivia a essência
VC8 Aquece o Yang, promove a Sem função ginecológica
micção, acalma a diarréia e especifica.
firma os prolapsos
VC9 Harmoniza o sistema urinário, Sem função ginecológica
regula o Qi e alivia a dor especifica.
VC24 Descongestiona e ativa o Sem função ginecológica
meridiano e os seus vasos, especifica.
reduz o edema e alivia a dor
Fonte: ATLAS GRÁFICO DE ACUPUNTURA – Um manual ilustrado dos pontos de acupuntura (YU-
LIN LIAN; et al.2005/2007).
ANEXO B – Tabela de pontos auriculares com indicação ginecológica descrita por

Souza (2007).
PONTO INDICAÇÃO SEDAR/TONIFICAR
Supra – renal Ovário policístico Sedar
Amenorréia Sedar
Hemorragia uterina funcional Sedar
Endometrite Sedar
Glândulas endócrinas Hiperfunção da tireóide Sedar
Hipofunção da tireóide Tonificar
Ovários Infertilidade Tonificar
Quisto ovariano Tonificar
Ovários policísticos Tonificar
Cólicas e distúrbios menstruais Sedar
Amenorréia Tonificar
Dismenorréia Sedar
Anovulação Tonificar
Subcortex Distúrbio de secreção glandular Tonificar
Pingchuan Inferior Insuficiência imunológica Tonificar
Disfunções glandulares Tonificar
Hipófise (pituitária) Excesso de prolactina Tonificar
Disfunção ovariana Tonificar
Mioma uterino Tonificar
Esterilidade Tonificar
Disfunção glandular Tonificar
Timo Deficiência imunológica Tonificar
Disfunção hormonal Tonificar
Tireóide Hipertireoidismo Sedar
Hipotireoidismo Tonificar
Glândulas mamarias Excesso de prolactina Sedar
Útero Dismenorréia Sedar
Amenorréia Tonificar
Endometrite Sedar
Hemorragias Sedar
Cisto ovariano Sedar
Ovário superior Anovulação Tonificar
Transtornos menstruais Sedar
Obstrução das trompas Tonificar
Amenorréia Tonificar
Dismenorréia Sedar
Ovário policístico Sedar
Esterilidade Tonificar
Ovário inferior Mesmas funções do Ovário Superior
Colo do útero Distúrbios hormonais Sedar
Metabolismo Deficiência de imunológica Tonificar
Disfunção hormonal Disfunção das glândulas Tonificar
endócrinas
Desequilíbrio da hipófise Tonificar
Fonte: Tratado de Auriculoterapia (SOUZA, 2007).