Você está na página 1de 2

PRÊMIO TOK&STOK DE

DESIGN UNIVERSITÁRIO/2014

TEXTO 01: MAPAS MENTAIS

Depois desta semana de carnaval, voltamos ao nosso dia a dia: projetar, inovar e criar,
tendo como principal motivador viver em prol do design.

Sendo assim, vamos dar prosseguimento ao nosso step by step do tema Banco,
Banquinho, Banqueta. Pelo que podemos observar, tanto no Brasil quanto no exterior,
as possibilidades formais e construtivas são enormes, sempre aliadas a uma gama
variada de materiais e conceitos. Ufa!

A princípio, acreditamos que “tudo já foi criado”. Neste contexto, sem dúvida
precisamos ter muita humildade em reconhecer que inovar e trazer algo efetivamente
novo não é para qualquer um. No entanto, quem sabe, cabe a você fazer o “novo”.

Deixando de lado a conversa (sem esquecer que projetar também é estabelecer um


diálogo), vamos sugerir dois caminhos que poderão contribuir para o processo criativo.
Não acreditamos que neste momento seja necessário desenhar, no sentido de dibujar,
mas sim, no sentido de diseñar, ou seja, de designar.

Mapa mental

Também conhecido como “pensamento radiante”, é uma forma de pesquisa mental


que permite aos designers explorarem rapidamente o escopo de um dado problema,
tópico ou assunto. Partindo de um termo ou ideia central (em nosso caso o banco,
banquinho, banqueta), o designer rapidamente mapeia as imagens e as propostas
associadas.

 Como fazer um mapa mental.

I. Foque

Escreva a palavra Banco, ou mesmo Sentar (mas cuidado, pois esta possui
um grau bastante abrangente), no centro da página. Você pode utilizar uma
folha de papel sulfite ou papel Kraft no formato A2 e marcadores.
II. Ramifique

Crie uma rede de associações em torno da expressão ou imagem central. Se


quiser, use imagens simples e palavras.

III. Organize

As ramificações principais do seu mapa podem representar categorias como


sinônimos, antônimos, homônimos, clichês, frases feitas, entre outros.
Experimente usar uma cor diferente para cada nova ramificação desenvolvida.

IV. Use subdivisões

Cada ramificação principal pode alimentar subcategorias menores. Trabalhe


rapidamente, usando o processo para libertar sua mente. Por exemplo, a ideia
de descoberta pode levar a nomes de inventores, invenções, sentidos físicos,
etc...

Observação:

Esta técnica poderá ser utilizada, também, na criação do naming do produto.


Procure por um nome forte e com apelo emocional, que atinja nosso público
consumidor. Não esqueça que o nome, a embalagem e o produto em si
formam um conjunto de fatores que contribuem para o sucesso de um projeto.

Na próxima semana vamos tratar do Check List do Projeto.

Bom trabalho a todos!

Atenciosamente,

Professor Eddy

Comissão Organizadora do Prêmio Tok&Stok de Design Universitário

Referência bibliográfica para o desenvolvimento do texto acima:

Intuição, Ação e Criação


Ellen Lupton (org)
Gustavo Gili
2012