Você está na página 1de 2

MOVIMENTO RETÍLINEO UNIFORMEMENTE VARIADO II

Prof: EVERTON LIMA Frente: 03 Aula: 10

EQUAÇÃO DE TORRICELLI

Temos até agora duas funções que nos permitem saber a posição do móvel e a sua velocidade em relação ao
tempo. Torna-se útil encontrar uma equação que possibilite conhecer a velocidade de um móvel sem saber o tempo.
A equação de Torricelli relaciona a velocidade com o espaço percorrido pelo móvel.

V = velocidade final

Vo = velocidade inicial

a = aceleração

∆S = deslocamento

A equação de Torricelli aparece quando isolamos o tempo na função horária da velocidade e o substituímos na
função horária do espaço. Na verdade podemos dizer que juntando as duas equações usadas na Aula 09 de MUV
obteremos Torricelli.
Isso significa que você pode responder qualquer exercício de MUV sem Torricelli. Basta você usar uma das
equações da Aula 09 e depois substituir o valor encontrado na outra. O que a equação de Torricelli faz é encurtar o
caminho, servindo como um atalho. Basta usá-la uma vez e pronto.

VELOCIDADE MÉDIA NO MUV


No Movimento Uniformemente Variado é válido afirmarmos que a velocidade média num dado intervalo de
tempo é igual à média aritmética das velocidades instantâneas.

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

01. Um carro de corrida tem velocidade de 28 m/s. Em determinado instante, os freios produzem um retardamento de -5
2
m/s . Quantos metros o carro percorre até atingir a velocidade de 13 m/s?

Fale conosco www.portalimpacto.com.br


SOLUÇÃO

02. Um automóvel possui num certo instante velocidade de 10 m/s. A partir desse instante o motorista imprime ao
2
veículo uma aceleração de 3 m/s . Qual a velocidade que o automóvel adquire após percorrer 50 m?
SOLUÇÃO

03. Um carro de corrida inicialmente em repouso é sujeito a aceleração de 5 m/s2. Determine a distância percorrida pelo
carro até atingir a velocidade de 10 m/s.

SOLUÇÃO

TESTES

01. (UFPE 2004) Um veículo em movimento sofre uma 04. (PUC-RS 2002) Um "motoboy" muito apressado,
desaceleração uniforme em uma pista reta, até parar. deslocando-se a 30 m/s, freou para não colidir com um
Sabendo-se que, durante os últimos 9,0 m de seu automóvel a sua frente. Durante a frenagem, sua moto
deslocamento, a sua velocidade diminui 12 m/s, calcule percorreu 30 m de distância em linha reta, tendo sua
o módulo da desaceleração imposta ao veículo, em velocidade uniformemente reduzida até parar, sem bater
2 no automóvel. O módulo da aceleração média da moto,
m/s .
2
em m/s , enquanto percorria a distância de 30 m, foi de
a) 10
b) 15
c) 30
d) 45
e) 108
02. (Puccamp) Um automóvel está em uma estrada
com velocidade escalar V. São acionados os freios e 05. (PUC-SP 2001) Ao iniciar a travessia de um túnel
pára em um percurso de 50 m. Sabendo-se que o retilíneo de 200 metros de comprimento, um automóvel
módulo da aceleração, provocada pelos freios, é de dimensões desprezíveis movimenta-se com
2 velocidade de 25 m/s. Durante a travessia, desacelera
constante e igual a 4,0 m/s , pode-se concluir que o
valor de V, em m/s, é uniformemente, saindo do túnel com velocidade de 5
a) 1,25 × 10 m/s.
b) 1,4 × 10
c) 2,0 × 10
d) 2,8 × 10
2
e) 2,0 × 10
O módulo de sua aceleração escalar, nesse
03. (Puccamp 2001) Um automóvel parte do repouso no percurso, foi de
2
instante t = 0 e acelera uniformemente com 5,0 m/s , a) 0,5 m/s
2
durante 10 s. A velocidade escalar média do automóvel 2
b) 1,0 m/s
entre os instantes t = 6,0 s e t = 10 s, em m/s, foi de 2
a) 40 c) 1,5 m/s
2
b) 35 d) 2,0 m/s
c) 30 2
e) 2,5 m/s
d) 25
e) 20

GABARITO
01 – 8 m/s2; 02 – C; 03 – A; 04 – B; 05 – C.
Fale conosco www.portalimpacto.com.br