Você está na página 1de 3

Universidade de Brasília

IPOL - Instituto de Ciência Política


185221 – POLÍTICA BRASILEIRA II
Prof. Antônio José Escobar Brussi
abrussi@unb.br
2/2013

PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA

Objetivos: A proposta geral dos estudos de Política Brasileira estabelece que esta segunda parte seja
orientada desde o Estado Novo (1937), incluindo os processos histórico-políticos dinamizados a partir do
final dos anos 1930. A organização de suas peculiaridades, das periodizações propostas assim como das
interpretações mais relevantes desenvolvidas para instrumentar a práxis e/ou para fundamentar a
compreensão de nossa trajetória política, continuarão a demarcar o propósito do curso, tal como
desenvolvido na primeira parte da disciplina com os estudos a respeito dos períodos anteriores, a época
colonial, o império e a primeira república (PB I).

Processos: O trabalho em sala será organizado a partir de aulas expositivas e seminários apresentados
por alunos, individualmente ou em grupo, desenvolvendo temas previamente divulgados pelo professor.
Os seminários fazem parte das atividades regulares da disciplina, exigidas de todos os alunos sem
distinção.

Avaliação: Provas em sala e/ou trabalhos em grupo após duas unidades. A menção final será a média
aritmética dos conceitos recebidos. A participação nas discussões em sala de aula e a assiduidade
(máximo de uma falta no semestre) contribuirão para a menção final (máximo de 10%).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
(Pode ser levemente modificada durante o semestre)

A) A PRIMEIRA REPÚBLICA: BREVE RECAPITULAÇÃO (9/4 a 23-25/4)

Referencia bibliográfica básica (texto referencial para as aulas iniciais da unidade).

CARVALHO, José Murilo (2003). Cidadania no Brasil – O Longo Caminho, Rio de Janeiro, Ed.
Civilização Brasileira, 4ª ed., Introdução e cap. I (p. 7 a 83).

1- VIANNA, Luis W. (1996). “Caminhos e Descaminhos da Revolução Passiva à Brasileira”, in:


DADOS, vol. 39, nº. 3, Rio de Janeiro.

2- REIS, Elisa P. “Elites Agrárias, state building e autoritarismo”, Dados – Revista de Ciências
Sociais. Vol. 25, nº. 3, p.331-347.
2

3- SOUZA, Maria do Carmo Campello. “O Processo Político-partidário na Primeira República”, in:


MOTA, Carlos G. Brasil em Perspectiva, DIFEL, S.P. (várias edições).

4- FAUSTO, Boris. “A crise dos anos vinte e a revolução de 1930”. In: História geral da
civilização brasileira – O Brasil Republicano, vol. 2 (Sociedade e Instituições), Várias edições.

5- VISCARDI, Cláudia Maria R. (2001). O Teatro das Oligarquias: Uma revisão da “Política do
Café com Leite”, Belo Horizonte, Editora Arte, Introdução e cap. I (pp. 19 a 72).

B) REVOLUÇÃO E CONTRAREVOLUÇÃO - FASCISMO E DITADURA (1930-1945)


(25-30/4 a 7-9/5)

Referencia bibliográfica básica.

CARVALHO, José Murilo (2003). Cidadania no Brasil – O Longo Caminho, op. cit. capt. II (p.
85 a 153).

1- IGLÉSIAS, Francisco (2002). Trajetória Política do Brasil 1500-1964, São Paulo, Cia das
Letras, Parte IV – A Segunda República, p. 231-257.

2- TRINDADE, Hélgio (1979). Integralismo: O fascismo brasileiro na década de 1930, São Paulo,
Difel, Terceira parte, capts. 1 e 3.

3- RODRIGUES, Leôncio M. (1996). “O PCB: Os Dirigentes e a Organização”, in: Boris Fausto,


(org.) op. cit. História Geral da Civilização Brasileira – O Brasil Republicano III, p. 361-443.

4- DINIZ, Eli (1996). “O Estado Novo: Estrutura de Poder e Relações de Classe”, in: Boris Fausto
(org.), História Geral da Civilização Brasileira – O Brasil Republicano III: Sociedade e Política
(1930-1964), Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.

C- A SEGUNDA REPÚBLICA (1946)-1964: DEMOCRACIA E POPULISMO


DESENVOLVIMENTO E CRISE (9-14/5 a 28-30/5)

1- WEFFORT, Francisco (1978). O Populismo na Política Brasileira, Rio de Janeiro, Ed. Paz e
Terra, Primeira parte, cap. 3, “O Populismo na Política Brasileira”.

2- RODRIGUES, Leôncio M. (1996). “Sindicalismo e Classe Operária 1930-1964”, in: Boris


Fausto (org.), História Geral da Civilização Brasileira – O Brasil Republicano III, p. 507-555.

3- SOUZA, Maria Vitória C. (1976). Estado e Partidos Políticos no Brasil, São Paulo, Ed. Alfa-
Ômega, capts. III, IV,e V.
3

4- BENEVIDES, Maria Vitória de M. (1979). O Governo Kubitschek, Rio de Janeiro, Ed. Paz e
Terra, Introdução e capts. 1 e 2.

5- GOMES, Ângela de Castro. “O Populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória
de um conceito”. In: Jorge Ferreira (org), O Populismo e sua história: debate e crítica, Rio de
Janeiro, Ed. Civilização Brasileira, 2001, pags. 17-58.

Leitura complementar.

DREIFUSS, Armand (1981). 1964: A Conquista do Estado, Petrópolis, Ed. Vozes, cap. IV.

D – 1964/1986 e 1987-... DITADURA E EXCLUSÃO - DEMOCRATIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO


(30/5-4/6 a 18/7)

Referencia bibliográfica básica.

CARVALHO, José Murilo (2003). Cidadania no Brasil – O Longo Caminho, op. cit. cap. III; IV
e Conclusão ( p. 155).

1- SANTOS, Wanderley Guilherme (1986). Sessenta e quatro: Anatomia da Crise, São Paulo, Ed.
Vértice. Duas partes: Aula 1 – pag. 15-58 e aula 2 – 59-137.

2- CARDOSO, Fernando H. (1975). Autoritarismo e Democratização, Rio de Janeiro, Ed. Paz e


Terra, capt. V e VI.

3- O´DONNEL, G. (1988). “Transições, Continuidades e alguns Paradoxos”, in: Fábio Wanderley


Reis e Guillermo O´Donnel, A Democracia no Brasil: Dilemas e Perspectivas, São Paulo, Ed.
Vértice.

4- . “Hiatos, Instituições e Perspectivas Democráticas”, in: Fábio Wanderley


Reis e Guillermo O´Donnel, op. cit.

5- Santos, W.G. (2006). Horizonte do Desejo: instabilidade, fracasso coletivo e inércia social, Rio
de Janeiro, FGV. Duas partes: Aula 1 – capts. 1, 2, 3 e aula 2 – capts. 4 e 5.

6- RICCI, R. (2010). Lulismo: Da era dos movimentos sociais à ascensão da nova classe média
brasileira, Rio de Janeiro, Contraponto. Duas partes: Parte 1 – Apresentação e cap. 1 e parte 2 –
cap. 2.

7- SINGER, André (2012). Os Sentidos do Lulismo: Reforma Gradual e Pacto Conservador, São
Paulo, Cia. das Letras, Três partes: Aula 1 – Apresentação e cap. 1; aula 2 – pags. 84 a 124 e aula
3 – pags. 125-167.