Você está na página 1de 43

• Deficiência no processo de escolha da argamassa

• Ausência de normalização completa


• Ausência do projeto do revestimento
• Carência de planejamento da execução
• Deficiência no treinamento da equipe de produção
• Deficiência no controle efetivo no recebimento de
materiais e na execução de serviços

Incidência de patologias
Incidência de desperdícios
Redução da produtividade
Aumento dos custos de produção
Revestimento de
camada única
proteger os elementos de vedação dos edifícios

auxiliar as vedações no cumprimento de suas funções, tais


como o isolamento termo-acústico e a estanqueidade à água

regularizar a superfície dos elementos de vedação

constituir o acabamento final


não é função do
revestimento dissimular
imperfeições grosseiras
da base

(esconder na massa)
FUNÇÕES

PROPRIEDADES

argamassa

revestimento
argamassa revestimento
massa específica
aderência
teor de ar incorporado
capacidade de absorver
consistência deformações

trabalhabilidade
resistência mecânica e
retenção de água ao desgaste superficial

aderência inicial estanqueidade


durabilidade
retração na secagem
Aderência:
• representa a capacidade do revestimento já
endurecido resistir às tensões normais e
tangenciais que surgem na interface base-
revestimento, mantendo-se fixo ao substrato.
• avaliada através do ensaio de aderência
realizado conforme a norma NBR 13528.
• é necessário a execução de painéis de
argamassa para a realização do ensaio aos
28 dias.
Mecanismo de aderência:
• Fenômeno essencialmente mecânico da
ancoragem da argamassa à base, através
da entrada da pasta nos poros,
reentrâncias e saliências, seguido do
endurecimento progressivo da pasta.
Capacidade de absorver deformações:
• é a propriedade do revestimento sofrer
deformação sem apresentar fissuras
prejudiciais e sem perder a aderência, quando
está sob tensão .
• está em processo de normalização o ensaio de
módulo de deformação pelo método do ultra-
som.
!"!#$%
& !'$()

&' % ( ") #* ##

* #* ##
& +%

! " # ##

"" # ##
$ %
!"!#$%
& !'$()

#
& ,

*# # ##
%

*
!

"/ )
- ,

-. % " ##
#* *
'
! " #

Local Acabamento Ra
Pintura ou base para reboco ≥ 0,20
Interna
Cerâmica ou laminado ≥ 0,30
Parede
Pintura ou base para reboco ≥ 0,30
Externa
Cerâmica ≥ 0,30
Teto ≥ 0,20
04 ' 3
"/ 0 12 )3
Presença de pó, barro, fuligem, fungos e
eflorescências, manchas de argamassa, graxas e
óleos desmoldantes na estrutura.

Presença de rebarbas de concretagem, excessos


de argamassa, incrustações metálicas .

Porosidade inadequada do concreto.


• Fazer a limpeza da estrutura e alvenaria através
da escovação e lavagem.
• Tirar o excesso de argamassa e incrustações.
• Tirar as incrustações metálicas e aplicar tinta
anti-óxido.
• Encher furos e rasgos com argamassa
adequada.
• Apicoar a superfície do concreto, para fck
maior ou igual a 40 MPa.
Ausência de aderência com a base.

Desagregação do material.

Falta de uniformidade na aplicação.

Excesso de aditivo
(“impermeabilização” da superfície do chapisco).
• Analisar criteriosamente o tipo de chapisco mais
adequado (compatibilidade com a base e com a
argamassa).
• Considerar que a fachada deve ser chapiscada.
• Definir a forma de aplicação do chapisco.
!
!

" #
"
$% !
&

$
&
!

'
• Analisar criteriosamente o tipo de argamassa mais
adequada (compatibilidade com o chapisco, com as
condições de exposição e desempenho).
• Definir a forma mais adequada de aplicação.
• Fazer ensaios de aderência do revestimento.
• Definir os detalhes construtivos
• Definir a espessura adequada do revestimento
+

*
Envolvendo todos os agentes

DECISÕES TECNICAMENTE CORRETAS


Projeto, Planejamento, Execução e Controle

Eliminar o desperdício
Garantir o desempenho e a qualidade
Aumentar a produtividade
Reduzir custos
, *

5 ,
5 , %
5 , 6 %
/5 , 7
5 , 8 . %
1 *

9 $ %& '
9 $ (
9 )* +
9 % + ) ! (

9 % ( ,
& )*
9 )* - & ) ) & %
9 ) &) % (
2 *

REVESTIMENTO ESPESSURA

Parede Interna 5 ≤ e ≤ 20 mm

Parede Externa 20 ≤ e ≤ 30 mm

Tetos e ≤ 20 mm

. /0123
#-!##. / %
'0! %
(

;: . 9 9: 99 ; " #

& & ) )* /5

) ) )* /7
8 ( ) ( ' 6 /7
) ( ' 6 45

#-!##. / #.-! %
(
)
)
3 *

9<& )
9:
9 % )
,

= $> 9

ca r > *

co lo "

n d e )
O & & #
8 ?
+
& 42 4
,
)

: %)

=
$ ) ! ) !
% " & & ) @
% ) % #
) , A) ( ) * %
4 *

/ /0!/1( !#!& -!'/1( /& . 2/1(


*
5
3 *
Preparação da base
$ % ) * B
$ & ! B
C & ) B

Aplicação da argamassa
$ ) & D B
C & E& B
C & ) E& 6 & ! B
C & & )* B
*

Convencional X Projetada

• caso seja convencional, é necessário pressionar a argamassa


após aplicação
• caso seja projetada, é necessário escolher o equipamento de
projeção
• é importante conciliar a forma de aplicação da argamassa com o
equipamento de suporte provisório (balancim, andaime
fachadeiro)
*

'

:
: 8 % % 1
7 <6 = ' 6 2
; . 4 $ -. %
$ 6
. % %

= , ( 6 7 >
*

Procedimento
LOGO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO 001
Versão: 01
Procedimento de execução de Data: Jul 2002
revestimento de fachadas
Página 1 de 5

/F .< ;8
4F $ 9 $ 99G ; 9 : : 9 : $ ;
0F ; ;9 @ = 9 C ;: 9
2F $ ;HI 9 : ; $; 9 9 8 ;H 9
7F 9 C J $; K $ HL " ) 6 & ! #
?F $ K $ HL
)5 < ? 1 ?: - - :@ - AB ? ' @ C< @?
)5 < ? 1 ?: - ? ' ?< - D D ? - < - @1 AB ? ? D - E @A? 0 , , 6 3
*

9 *
9 $ ) !
9 M % ! &
9 )
9 6 & !
9 ) ! (
9 9 %
9 -$ &
9 6 & ! ) &
/-!/& !'$(
Balancim 4 5
Pavimento Arame A B C D A B C D
E
21
A
E 4 4 4 4 4 4 4 4
20
A 4 4 4 4 4 4 4 4
E 4 3 4 4 3,5 3,5 4 4
19
A 4 4 4,5 3,5 3,5 4,5 4 3,5
E 3,5 4 3,5 4 4,5 4,5 3,5 3,5
18
A 3,5 4 4,5 3,5 3 3 3 3
E 3,5 3,5 4 4 4 3 4 4
17
A 3,5 4,5 4 3,5 4 4 4,5 3,5
E 4,5 4,5 3,5 3,5 3 3,5 3,5 2,5
16
A 3 3 3 3 3 4 4 3,5
E 3,5 3,5 4 4 4 3 4 4
15
A 3,5 4,5 4 3,5 4 4 4,5 3,5
E 4 4,5 4 4,5 4 4 3 4
14
A 3 4,5 5 3 3,5 4 2,5 4
E 3 4,5 3,5 3,5 3 4 3,5 3,5
13
A 4 3,5 3,5 4 3 3,5 2 3,5
E 3,5 4 1 5,5 2 3,5 4 3
12
A 3 3 1 5 3,5 3 3 3,5
E 3 2 3 3 3,5 3,5 3,5 4
11
A 4 3,5 2,5 3,5 3 3 3 3,5
E 3,5 2,5 3,5 3,5 3 3,5 3 3
10
A 3,5 3 3 3 4 3,5 2,5 3
E 3,5 4,5 3,5 4,5 3 1 3,5 3,5
9
A 3 3 4 3 3,5 4 2 4
E 4 3,5 4 3,5 3,5 2,5 4 3,5
8
A 3 3,5 4 3,5 3 2 3 3,5
E 4 4 4 3 3 3 3,5 3
7
A 4 3 3,5 3 3,5 2,5 3 3
E 4 3 4 3,5 3 4 3,5 3
6
A 4 4 3,5 4 3,5 4,5 4,5 3,5
E 3,5 2,5 4 4 3,5 4 3 3,5
5
A 3 4 3 3 4 3,5 4,5 3,5
E 3 3 3,5 3,5 3 3,5 4 3
4
A 2 3,5 4 4 4 4 3,5 4
E 3 4,5 5 4,5 4 3,5 5 4
3
A 3,5 3,5 4,5 2 4 3 4,5 4
E 3,5 3,5 3,5 4,5 4,5 3,5 3,5 3
2

1
A
E
3 3,5 4,5 2,5 3 3 4,5 3,5
%
A
Térreo
E
A
N
*

• Controle de liberação para início dos serviços


• Controle do recebimento de materiais
• Controle da produção da argamassa
• Controle da execução

Devem ser definidos os itens de controle, o


método de verificação e as tolerâncias
$ ) ) ! N

<% 8 . % % % 2
,.
< 6% 7
% , 6
4 8
< %

$ ) 6 & !
< F 8 7
7% %
'
+% G
6 % +%
7 8
* 0%
45/ 6'%
4/ !7!& -8
(
Obra: Serviço:
LOGO FVS - Ficha de Verificação de Serviço Revestimento em Argamassa
Unidade →
Tolerânci
Item de inspeção Método de verificação
a
Verificar visualmente se foram
Preparação da base removidas as sujeiras, incrustações, -
pregos, etc. e se o chapisco foi
executado
Após a execução das taliscas,
Planicidade e
verificar por meio de uma régua de ± 3mm
prumo das taliscas
alumínio ou linha de náilon, esquadro
Após o término do serviço, verificar o
Aspecto final aspecto final do revestimento e -
execução das juntas.
Ainda Não Inspecionado Aprovado Reprovado Aprovado após reinspeção
Legenda
Em branco
Ocorrência de não conformidade e tratamento
Nº Descrição do problema Solução proposta (Disposição) Reinspeção

Local da inspeção: Inspecionado por: Data de abertura da FVS: Data de fechamento da


FVS:

_______ / _______ / _______ / _______ / _______


_______
; ;O P 99 C

=; ; 9 > 9 $ 9 ;8 9

= O : < K $ HL
9 9 8 ;H 9

: 8; $; 9 = 9
C ;: 9 $ 99G ; 9

$ $ .; ; ;9

; C ;: : HL
. 9
9
9H 6 2+% $

K 9L J $;
9< I
9 +%

L : . : $ 99
$ > : 9
9 , I
9 . $ %

8 ;= ;$ 9 9 8 ;H 9
.4%
/'/ /4%
!8