Você está na página 1de 56

Gestão de Energia e

Eficiência Energética em
Sistemas de Refrigeração
ESCOLA “OSCAR RODRIGUES ALVES”
Fluidos Refrigerantes
Definição
O fluido refrigerante é um produto químico
responsável pela transferência de calor em um
ciclo de refrigeração, absorvendo o calor à baixa
temperatura e baixa pressão, rejeitando o calor a
uma temperatura e pressão mais elevada,
usualmente envolvendo mudanças de estado físico
do fluido.
Fluidos Refrigerantes
A origem dos fluidos refrigerantes

Enquanto não existe


nenhuma solução única
para o problema de
substituição dos fluidos
HCFC e HFC, o mundo
vem se perguntando
qual será a próxima
solução para este
cenário
Fluidos Refrigerantes
Tipos de fluidos refrigerantes
mais utilizados no Brasil

(Propano e Butano)
Fluidos Refrigerantes
➢ CFC – R-12 (CCl2F2) – Diclorodifluormetano

➢ HCFC – R-22 (CHF2Cl) – Clorodifluormetano

➢ HCFC – R-141b (C2H3FCL2) – Diclorofluoretano

➢ HFC – R-134a (C2H2F4) – Tetrafluoretano

➢ R-290 (C3H8) - Propano


Fluidos Refrigerantes
Identificação do Fluido Refrigerante

De acordo com a ASHRAE (American Society of


Heating, Refrigeration and Air Conditioning
Engineers) são classificados da seguinte forma:
Fluidos Refrigerantes
R = Refrigerant
1º algarismo: número de átomos de Carbono menos 1
2º algarismo: número de átomos de Hidrogênio mais 1
3º algarismo: número de átomos de Fluor

➢ Monoclorodifluormetano (CHClF2) = R-022 = R-22

➢ Tetraflouretano (C2H2F4) = R-134 a


Fluidos Refrigerantes
Para um fluido Hidrocarboneto, usa-se a mesma
regra (não omitir o zero no final)

➢ Propano (C3H8) = R-290

➢ Metano (CH4) = R-050 = R-50


Fluidos Refrigerantes
Para os compostos inorgânicos, a nomenclatura
começa com o número 7, seguido do peso
molecular:

➢ Amônia  R-717

➢ CO2  R-744

➢ Água  R-718
Fluidos Refrigerantes
Para fluidos blend (misturas):

1º algarismo: número 4 (mistura Não-azeotrópica) /


número 5 (mistura Azeotrópica)
2º e 3º algarismos: Ordem cronológica da descoberta
Letra “A”, “B”, “C” – Percentagem dos fluidos na mistura

➢ R-410A  Mistura de R-32 (50 %) e R-125 (50%)

➢ R-407C  Mistura de R-32 (23%), R-125 (25%) e R-


134a (52 %)
Fluidos Refrigerantes
➢ Fluido R-134a  Substância pura

HFC – C2H2F4 – Tetrafluoretano

➢ Fluido R-407C  Mistura de Fluidos

Mistura de R-32 (23%), R-125 (25%) e R-134a (52 %)


Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerante de Mistura
Azeotrópica
• Composição com duas ou mais substâncias,
onde o equilíbrio nas fases vapor e líquida são
iguais a uma dada pressão, possuindo um
comportamento igual ao de substâncias puras
quando submetidas à ebulição.

• Apesar da mistura ser formada por dois


elementos distintos, o valor da temperatura e da
pressão na mudança de fase é constante.
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerante de Mistura
Azeotrópica
Por exemplo:

• R-502  Mistura de R-22 (48,8%) e R-151


(51,2%).
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerante de Mistura Não-
azeotrópica
• Esse refrigerante é uma mistura de dois ou mais
substâncias que possuem pontos de ebulição
diferentes.

• Caso ocorra um vazamento de fluido, os


refrigerantes misturados se evaporam à partir
daquele que tem menor ponto de ebulição,
causando alterações na composição do
refrigerante.
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerante de Mistura Não-
azeotrópica
Por exemplo:

• R-407C  Mistura de R-32 (23%), R-125 (25%)


e R-134a (52 %)

• R-410A  Mistura de R-32 (50 %) e R-125


(50%)
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerante de Mistura Não-
azeotrópica
Exemplo: Fluido Blend R-407C, composto de:

➢ R-32 (23%) – Ponto de Ebulição @ 0 psig: -52,6°C

➢ R-125 (25%) – Ponto de Ebulição @ 0 psig : -49,0°C

➢ R-134a (52 %) – Ponto de Ebulição @ 0 psig : -26,4°C


Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
• Para fluidos não-azeotrópicos ou “Blends”, a
temperatura varia entre temperatura dew (vapor
saturado) e bubble (líquido saturado), pontos
em pressão constante.

• A variação de temperatura (temperatura de


glide) é a variação entre as temperaturas bubble
e dew.
Fluidos Refrigerantes
Pressão x Temperatura (P x T) – Curva de um
fluido Blend
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Diagrama P x h de um Fluido Blend
Fluidos Refrigerantes
Temperatura Média de Condensação

A temperatura de condensação para um fluido


blend com temperatura glide deve ser a média das
temperaturas de bubble e dew.
Fluidos Refrigerantes
Temperatura Média de Condensação

A temperatura de condensação para um fluido


blend com temperatura glide deve ser a média das
temperaturas de bubble e dew.
Fluidos Refrigerantes
Temperatura Média de Evaporação
Fluidos Refrigerantes
Temperatura Média de Evaporação
1. Uma forma prática para estimar a temperatura de
evaporação é dada pela média das temperaturas
bubble e dew:

2. Uma melhor estimativa para a temperatura de


evaporação é dada por 40% da temperatura
bubble + 60% temperatura dew:
Fluidos Refrigerantes

Média das
pressões dew
e bubble

Média das
pressões dew
e bubble
Nota: para a pressão
média de evaporação
use a regra 40% /
60%
Fluidos Refrigerantes
Classificação quanto ao Grupo de Segurança
Fluidos Refrigerantes
Classificação quanto ao Grupo de Segurança

L
Fluidos Refrigerantes
• GWP – Global Warming Potential – Potencial de
Aquecimento Global – é uma medida de como
um gás do efeito estufa contribui para o
aquecimento global.

• ODP – Ozone Depletion Potential – Potencial de


Destruição do Ozônio – é uma medida relativa
de uma quantidade de uma substância CFC /
HCFC que pode degradar a camada de ozônio.
Fluidos Refrigerantes
Classificação de Segurança dos Grupos de Refrigerantes

L
Fluidos Refrigerantes
Identificação dos cilindros
Código de Cores
Fluidos Refrigerantes
Identificação dos cilindros
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Blend
Também chamados de alternativos é uma
boa opção para a conversão de
equipamentos que estão em operação no
campo, pois exigem mínimas alterações no
sistema original.

Na maioria dos casos não é necessário a


substituição do compressor
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Blend
Alguns fluidos alternativos:

➢ Para substituir o R-12, utilizar R-401A, R-401B


R-409A e R-413A

R-409A – é uma mistura dos fluidos R-22, R-142B e


R-124, podendo ser usado com lubrificante mineral,
poliolester e aquilbenzeno.

R-413A - é uma mistura dos fluidos R-218, R-134a e


R-600a, sendo compatível com os lubrificantes
mineral, poliolester e aquilbenzeno.
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Blend
➢ Para substituir o R-22, utilizar R-407C, R-410A
R-417A

R-407C – é uma mistura dos fluidos R-134a, R-32 e


R-125, porém somente pode ser usado com
lubrificante poliolester.

R-410A - é uma mistura dos fluidos R-32, R-125,


possui melhor capacidade de refrigeração, porém
requer uma avaliação do projeto do sistema
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes

Compatibilidade de alguns fluidos com óleos lubrificantes


Fluidos Refrigerantes
A carga de fluido refrigerante do equipamento
com fluidos alternativos pode chegar à 80%
da carga original de fluido

Nota: A carga do fluido refrigerante deve ser


feita somente na forma líquida.
Fluidos Refrigerantes
Aplicação de Fluidos

Tabela_Suva.pdf

Aplicação de fluidos dupont.pdf


Fluidos Refrigerantes
Fluidos Hidrocarbonetos
Exemplos:

R-290 – Propano
R-600 – Butano
R-600a – Isobutano
Fluídos Refrigerantes

L
Fluidos Refrigerantes
Cronograma de Eliminação do Fluido R-22
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Destruição do Ozônio
Fluidos Refrigerantes
Propriedades desejáveis de um bom fluido refrigerante
➢ Condensar-se a pressões moderadas
➢ Evaporar-se a pressões acima da atmosférica
➢ Ter pequeno volume específico (menor trabalho de compressão)
➢ Ter elevado calor latente
➢ Ser quimicamente estável (não ter alterações)
➢ Não ser corrosivo
➢ Não ser inflamável
➢ Não ser tóxico
➢ Ser inodoro
➢ Deve permitir fácil localização de vazamentos
➢ Ter miscibilidade com óleo lubrificante e não deve ataca-lo ou ter
qualquer efeito indesejável a outros materiais do sistema
➢ Em caso de vazamentos, não deve atacar ou deteriorar alimentos
➢ Não deve contribuir para o aquecimento global e não deve
atacar a camada de ozônio.
Fluidos Refrigerantes
Principais ricos no manuseio de fluidos refrigerantes:

• Inalação
Uso indevido ou abuso de inalação intencional pode levar à
morte sem aviso prévio.

Os vapores são mais densos que o ar e podem causar asfixia


devido à redução do oxigênio disponível para a respiração.

• Contato com a pele


A evaporação rápida do líquido pode provocar queimaduras.

• Contato com os olhos

• Incendio/explosão
Quando fluidos da classe dos inflamáveis/explosivos
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
FISPQ – Ficha de Informação de Segurança de
Produto Químico

https://www.chemours.com/Refrigerants/pt_BR/products/ms
ds.html
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Fluidos Refrigerantes
Fabricantes
Fluidos Refrigerantes
Analisador de Fluido Refrigerante
Fluidos Refrigerantes
Analisador de Fluido Refrigerante
Fluidos Refrigerantes
Bibliografia
• Curso Boas Práticas em Refrigeração – GIZ
• www.chemours.com.br
• Ações Brasileiras para Proteção da Camada de Ozônio –
Ministério do Meio Ambiente / PNUD
• Apresentação Honeywell – Technology Issue Regarding
Refrigerant Blends