Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CENTRO DE EDUCAÇÃO
PROGRAMA ESPECIAL DE GRADUAÇÃO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES
DISCIPLINA DE ORGANIZAÇÃO CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E
TECNOLÓGICA "A"
VALOR: 1,0 (um) ponto

Orientações Gerais: A atividade poderá ser realizada INDIVIDUALMENTE ou em GRUPO (até três
integrantes) e está organizada em duas etapas:
Primeiro: leitura e compreensão dos textos de apoio;
Segundo: reflexão e construção de respostas argumentativas sobre a temática do financiamento da
educação nacional.
Prazo de entrega: A atividade deverá ser entregue na próxima semana.

Em nossa última aula, iniciamos a Unidade III – que possui como objetivo analisar as Diretrizes
Curriculares Nacionais para a Educação Básica, e especialmente, trataremos nas aulas seguintes, das
Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio.

Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica: As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs)


são normas obrigatórias para a Educação Básica que orientam o planejamento curricular das escolas e
dos sistemas de ensino. Elas são discutidas, concebidas e fixadas pelo Conselho Nacional de Educação
(CNE).

Qual é a função das Diretrizes Curriculares? Orientar o planejamento curricular das escolas e
sistemas de ensino, fixadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). As DCNs têm origem na Lei
de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1996, que assinala ser incumbência da União "estabelecer,
em colaboração com os Estados, Distrito Federal e os Municípios, competências e diretrizes para a
educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio, que nortearão os currículos e os seus
conteúdos mínimos, de modo a assegurar a formação básica comum".

Responda aos seguintes questionamentos:

1. As Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica devem presidir as demais
diretrizes curriculares específicas para as etapas e modalidades, contemplando o conceito de
Educação Básica, princípios de organicidade, sequencialidade e articulação, relação entre as
etapas e modalidades: articulação, integração e transição. Construa um argumento relacionando
a função das diretrizes e a relação com o papel do Estado na garantia do direito à educação de
qualidade, considerando que a educação, enquanto direito inalienável de todos os cidadãos, é
condição primeira para o exercício pleno dos direitos: humanos, tanto dos direitos sociais e
econômicos quanto dos direitos civis e políticos.

A partir dos objetivos das Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação
Básica: sistematizar princípios e diretrizes com foco nos sujeitos que dão vida ao Currículo e a
Escola, estimular uma reflexão crítica e propositiva do PPP e orientar cursos de formação inicial e
continuada dos Profissionais da Educação, podemos concluir que o papel do estado é a garantia do
acesso à educação, oferecendo educação de qualidade através do estabelecimento de leis e
diretrizes, da fiscalização para o cumprimento das mesmas e avaliação constante do sistema para
que se avalie a qualidade da educação oferecida. As diretrizes visam garantir uma base de
conteúdos a serem ensinados para todos, porém considerando as particularidades das modalidades
e contextos sociais em que se encontram, nesse sentido garante autonomia para escola adaptar o
currículo a sua realidade. Considerando a educação como condição primeira para o exercício
pleno dos direitos humanos, vemos que o Estado deve dar mais importância à educação,
investindo, não só financeiramente como também estudando como resolver problemas atuais
como analfabetismo funcional, abandono, e reprovações frequentes, o que faz com que os
indivíduos não tenham total capacidade para exercer e exigir seus direitos.

2. Comente o seguinte fragmento: “A educação para todos não é viabilizada por decreto, resolução,
portaria ou similar, ou seja, não se efetiva tão somente por meio de prescrição de atividades de
ensino ou de estabelecimento de parâmetros ou diretrizes curriculares: a educação de qualidade
social é conquista e, como conquista da sociedade brasileira, é manifestada pelos movimentos
sociais, pois é direito de todos”.

A partir do fragmento acima, podemos entender que a educação de qualidade para todos
não é conquistada através de legislação apenas. Sendo a educação um direito de todos, então
todos, Estado, família e sociedade têm o dever de lutar e garantir o acesso à educação, a qualidade,
a inclusão de pessoas com deficiência, a permanência na escola, principalmente dos que possuem
maiores dificuldades, sejam financeiras ou sociais, a garantia de educação a adultos que não
tiveram acesso na idade adequada ou que por algum motivo a abandonaram. Também podemos
entender que os movimentos sociais têm grande importância no compromisso com a conquista e a
manutenção da educação de qualidade.