Você está na página 1de 5

CABEÇALHO DA ESCOLA – Ficha de Avaliação – 9.

º ano

Objetivos gerais das metas curriculares:


14. Compreender o funcionamento do sistema reprodutor humano.
15. Compreender a importância do conhecimento genético.

Grupo I
Analisa os documentos 1, 2 e 3.
Documento 1
A técnica de fertilização in vitro evoluiu muito desde que, em 1978, nasceu a primeira “bebé-proveta”: Louise
Brown. Nesta técnica são realizados tratamentos hormonais, apenas possíveis com o desenvolvimento dos
conhecimentos sobre o ciclo sexual feminino. A fertilização in vitro, seguida da transferência de embriões,
ocorre segundo estas etapas:
1.ª – No primeiro dia do ciclo, é administrada uma hormona semelhante à hormona libertadora de
gonadotropina (GnRH) que a impede de atuar sobre a hipófise.
2.ª – Após alguns dias de tratamento, é administrada uma substância artificial que desenvolve vários folículos
simultaneamente. Todo o processo de desenvolvimento folicular é acompanhado por ecografia.
3.ª – Para provocar a ovulação, injeta-se gonadotropina coriónica humana (HCG). A remoção dos oócitos é
realizada cerca de 36 horas após essa injeção.
4.ª – Durante os 8 dias seguintes, a mulher recebe tratamento hormonal, pela vagina, de forma a preparar o
útero para a nidação.

Documento 2

Fig. 1. Esquema de um túbulo seminífero onde se visualiza a espermatogénese e as alterações


cromossómicas que ocorrem ao longo do processo (representam-se apenas dois pares de cromossomas).

Documento 3
A Cláudia resolveu registar informações relativas ao seu ciclo menstrual. Observa a tabela.
5 a 11 12 a 17 18 19 de janeiro
Calendário de 2017
de janeiro de janeiro de janeiro a 1 de fevereiro
Dias do ciclo
1.º ao 7.º 8.º ao 13.º 14.º 15.º ao 28.º
menstrual
Etapa do ciclo ovárico A Ovulação Fase luteínica
Etapa do ciclo uterino Fase menstrual Fase proliferativa B
Nas questões de 1 a 11, transcreve a letra da opção correta.

Viva a Terra! Ficha de avaliação – 9.o ano Página 1 de 5


1. A substância artificial utilizada na 2.ª etapa do tratamento tem uma ação semelhante à __________,
enquanto a utilização de HCG, na 3.ª etapa, pretende simular o pico de __________.
(A) testosterona ... LH
(B) testosterona ... progesterona
(C) FSH ... progesterona
(D) FSH ... LH

2. O tratamento hormonal da 4.ª etapa, ao atuar diretamente sobre o útero, terá uma ação semelhante à da
(A) progesterona.
(B) FSH.
(C) LH.
(D) GnRH.

3. A fertilização in vitro é
(A) um exemplo de como a ciência e a tecnologia podem minimizar os problemas associados ao sistema
reprodutor.
(B) uma das técnicas medicamente assistidas que implica a colheita de oócitos e a sua colocação numa
caixa de Petri, sem, assim, ser necessária a intervenção de espermatozoides.
(C) uma técnica em que intervém apenas um dos progenitores.
(D) apenas utilizada em casos de infertilidade masculina.

4. Para o nascimento de Louise Brown teve de ocorrer


(A) a união de um gâmeta masculino e de um gâmeta feminino – fecundação – e a implantação do
embrião na parede do útero – nidação.
(B) a união de um gâmeta masculino e de um gâmeta feminino – nidação – e a implantação do embrião
na parede do útero – fecundação.
(C) apenas nidação na trompa de Falópio.
(D) apenas fecundação na parede do útero.

5. No documento 2, a célula assinalada com o número I é __________, enquanto a célula com o número III
corresponde a __________.
(A) uma espermatogónia secundária ... um espermatócito secundário
(B) uma espermatogónia secundária ... uma espermatogónia
(C) um espermatócito primário ... uma espermatogónia
(D) um espermatócito primário ... um espermatídeo

6. A espermatogónia do documento 2
(A) tem 100% de probabilidade de ter um cromossoma Y e a célula assinalada com o número I, 100% de
probabilidade de ter um cromossoma X.
(B) tem 100% de probabilidade de ter um cromossoma Y e a célula assinalada com o número I, 50% de
probabilidade de ter um cromossoma X.
(C) tem 100 % de probabilidade de ter dois cromossomas Y e a célula assinalada com o número I, 100 %
de probabilidade de ter dois cromossomas X.
(D) tem 100 % de probabilidade de ter dois cromossomas Y e a célula assinalada com o número I, 50 %
de probabilidade de ter um cromossoma X.

7. Comparando a espermatogénese com a oogénese poderemos afirmar que


(A) uma espermatogónia origina 4 espermatozoides e uma oogónia, 4 oócitos.
(B) ambos os processos são contínuos, acontecendo ao longo de toda a vida.
(C) ambos os processos ocorrem nas gónadas.
(D) na espermatogénese, originam-se gâmetas com metade do número de cromossomas e, na
oogénese, os gâmetas originados têm o dobro do número de cromossomas.

8. No documento 3, a letra A corresponderá à __________ e a letra B, à __________.

Viva a Terra! Ficha de avaliação – 9.o ano Página 2 de 5


(A) fase secretora ... fase folicular
(B) fase secretora ... fase do corpo amarelo
(C) fase folicular ... fase do corpo amarelo
(D) fase folicular ... fase secretora

9. Pelos dados do documento 3, o período fértil da Cláudia é, neste ciclo, de


(A) 5 a 11 de janeiro.
(B) 12 a 17 de janeiro.
(C) 13 a 19 de janeiro.
(D) 19 de janeiro a 1 de fevereiro.

10. O leite materno, por comparação com o dos outros mamíferos, é o mais adequado por
(A) ser o alimento nutricionalmente mais equilibrado para o recém-nascido.
(B) conter imunoglobulinas que tornam o bebé mais vulnerável a infeções.
(C) apresentar excessiva quantidade de proteínas e de difícil digestão.
(D) apresentar uma quantidade insuficiente de vitaminas A e C.

11. As doenças do sistema reprodutor incluem


(A) o cancro da próstata, caracterizado por uma neoplasia das células dos testículos.
(B) o ovário poliquístico – aumento dos ovários devido à formação de bolsas cheias de líquido.
(C) as DST, como o cancro da próstata e o ovário poliquístico.
(D) a sífilis, em que se desenvolvem úlceras no estômago, acompanhadas de febre.

12. Ordena sequencialmente as etapas identificadas pelas letras A a E que ocorrem desde a fecundação
até ao nascimento. Inicia com a letra A.
A – Fecundação
B – Organogénese
C – Segmentação
D – Gastrulação
E – Nascimento

13. Indica três medidas que visem contribuir para o bom funcionamento do sistema reprodutor.

14. Faz a correspondência entre as estruturas da coluna I e algumas das suas funções da coluna II.

Coluna I Coluna II
(a) Testículos (1) Produzem oócitos e hormonas sexuais.
(b) Epidídimos (2) Conduzem os espermatozoides dos epidídimos à uretra.
(c) Canais deferentes (3) Recolhem o oócito à saída do ovário, conduzindo-o até ao útero.
(d) Vesículas seminais (4) Recebe o pénis durante o coito.
(e) Próstata (5) Produzem a maior parte do fluido que constitui o esperma.
(f) Uretra (6) Armazenam e fazem a maturação final dos espermatozoides.
(g) Ovários (7) Produz um fluido que neutraliza a acidez da vagina.
(h) Trompas de Falópio (8) Local onde se desenvolve o embrião, em caso de gravidez.
(i) Útero (9) Transporta esperma ou urina.
(j) Vagina (10) Produzem espermatozoides e hormonas sexuais.
(k) Vulva (11) Protege as estruturas internas do sistema reprodutor feminino.
(l) Mamas (12) Segregam muco que lubrifica a vagina, facilitando a entrada do
pénis.
(13) Produzem e emitem o leite.

Viva a Terra! Ficha de avaliação – 9.o ano Página 3 de 5


Grupo II
A herança genética
Analisa os documentos 1 e 2.

Documento 1
A doença que vulgarmente é conhecida por doença dos pezinhos (ou paramiloidose) – polineuropatia
amiloidótica familiar – foi identificada e caracterizada pela primeira vez pelo professor Corino de Andrade, em
1952, na região da Póvoa de Varzim. É uma doença hereditária. Nesta doença há deposição nos tecidos, em
particular nos nervosos, de uma substância chamada de amiloide. Em indivíduos que não manifestam a
doença, a proteína transtirretina (TTR), codificada por um gene do cromossoma 18, não se deposita nos
tecidos. A mudança de um único aminoácido leva à produção da amiloide. A doença surge, com maior
frequência, entre os 20 e os 40 anos. Começa por afetar os membros inferiores, alterando a sensibilidade aos
estímulos, e progride, depois, para a parte superior do corpo. A transmissão da doença pode ser estudada
pela genética.

Documento 2
Na árvore genealógica da figura 2 representa-se a transmissão de um carácter hereditário. Apresentar a
característica significa que o indivíduo é “afetado”.

Fig. 2. Na árvore genealógica, os números romanos identificam as gerações e os números árabes identificam os
indivíduos.

Nas questões de 1 a 7, transcreve a letra da opção correta.

1. A doença dos pezinhos é hereditária. Tal significa que


(A) pode ser transmitida de geração em geração.
(B) é transmitida apenas pelo pai.
(C) é transmitida apenas pela mãe.
(D) a informação para a transmissão está contida, por exemplo, na cor do cabelo.

2. Corino de Andrade foi o primeiro médico a descrever a __________. Já as primeiras leis da


hereditariedade foram definidas por ___________.
(A) Póvoa do Varzim ... Gregor Mendel
(B) Póvoa do Varzim ... Charles Darwin
(C) polineuropatia amiloidótica familiar... Charles Darwin
(D) polineuropatia amiloidótica familiar... Gregor Mendel

3. A doença dos pezinhos tem uma transmissão


(A) heterossómica, pois está ligada ao cromossoma 18.
(B) heterossómica, pois corresponde a uma hereditariedade ligada ao sexo.
(C) autossómica, pois está ligada ao cromossoma 18.
(D) autossómica, pois corresponde a uma hereditariedade ligada ao sexo.

Viva a Terra! Ficha de avaliação – 9.o ano Página 4 de 5


4. A __________ é a ciência que estuda o modo como se processa a transmissão de caracteres
hereditários, enquanto a hereditariedade é o conjunto de processos __________ que resultam na
transmissão desses caracteres.
(A) genética ... químicos
(B) genética ... biológicos
(C) engenharia genética ... biológicos
(D) engenharia genética ... químicos

5. É uma etapa da evolução da genética, o contributo de


(A) Francis Crick, James Watson, Maurice Wilkins e Rosalind Franklin para o desenvolvimento do teste do
pezinho.
(B) Gregor Mendel para as descobertas relativas à estrutura em dupla hélice do DNA.
(C) Thomas Morgan para as descobertas relativas ao papel desempenhado pelos cromossomas na
hereditariedade.
(D) Corino de Andrade para as descobertas relativas à seleção natural.

6. A(s) estrutura(s) celular(es) onde se localiza o DNA


(A) são o núcleo e as mitocôndrias, nas células procarióticas.
(B) é o nucleoide, nas células eucarióticas.
(C) são o núcleo, as mitocôndrias e os cloroplastos, nas células animais.
(D) são o núcleo e as mitocôndrias, nas células animais.

7. Poderemos explicar a relação entre fatores hereditários e informação genética considerando que os
fatores hereditários ou _________ determinam a informação genética do indivíduo que se manifesta
exteriormente no __________ para cada uma das características.
(A) genótipos ... fenótipo
(B) genótipos ... fenótipo e genótipo
(C) genes ... fenótipo e genótipo
(D) genes ... fenótipo

8. Classifica em verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações, relativas à interpretação da
árvore genealógica do documento 2.
A – Na árvore genealógica estão representadas três gerações.
B – Na segunda geração estão representados três homens.
C – O indivíduo II-2 é tio do indivíduo III-3.
D – O fator que determina a característica é dominante.
E – O casal II-4 e II-5 pode transmitir a característica à descendência.
F – O indivíduo III-2 herdou a característica de ambos os progenitores.
G – O indivíduo I-1 é heterozigótico para este carácter.
H – A probabilidade de o casal II-1 e II-2 ter descendentes afetados é de 25%.
I – Se o indivíduo III-2 se cruzar com uma mulher afetada, 100% dos descendentes podem ser afetados.

9. Indica:
9.1. três aplicações da genética na sociedade.
9.2. três problemas bioéticos relacionados com as novas aplicações da genética na sociedade.

10. Explica o modo como a reprodução sexuada afeta a diversidade intraespecífica.

Viva a Terra! Ficha de avaliação – 9.o ano Página 5 de 5

Você também pode gostar