Você está na página 1de 12

ANÁLISE

DO COMPORTAMENTO
BEHAVIORISMO

Considera os princípios da seleção


EVOLUCIONISMO natural da teoria Darwiniana.

Acredita que o ambiente é o único


DETERMINISMO
determinante do comportamento.

Baseia-se na funcionalidade: “O que


PRAGMATISMO esse conhecimento nos permite fazer?”.
ANÁLISE DO COMPORTAMENTO

Busca encontra os princípios e leis


CIÊNCIA que regem o comportamento dos
organismo.

APLICAÇÃO Se utiliza dos princípios para o


desenvolvimento de técnicas.

Trata-se da análise funcional das


ANÁLISE contingências de um
comportamento.
EVOLUCIONISMO BEHAVIORISMO

Indivíduo da espécie Organismo que emite


ESPÉCIE analisada. Ex: Girafa a resposta.
INDIVÍDUO

Possuir um pescoço Comportamento de RESPOSTA


QUALIDADE mais longo. se alimentar.

SELEÇÃO Essa girafa conseguira Esse organismo ficará


se alimentar e saciado, sendo assim CONSEQUENTE
reproduzir. reforçado.

SELEÇÃO NATURAL SELEÇÃO PELAS CONTINGÊNCIAS


do ambiente. do ambiente.
EVENTO EVENTO

PÚBLICO PRIVADO
São comportamentos que São comportamentos que só
podem ser observados e podem ser relatados pelo
relatados por mais de uma indivíduo que o emitiu ou
pessoa. eliciou.

EXEMPLO
EXEMPLO
Apresentar um trabalho de
Comportamentos encobertos
faculdade para uma sala.
como o sonho, pensamento e
Seu comportamento verbal e
sensações (desde de que
gestual pode se observado
estes não sejam relatados).
por todos na sala.
PARADIGMA

RESPONDENTE
S→R
Estímulo - Resposta

CARACTERÍSTICAS

Está associado aos reflexos inatos (filogênese), na qual existe uma


COMPORTAMENTO

relação de eliciação entre o estímulo antecedente e a resposta. São


comportamentos involuntários associados a musculatura lisa, as
glândulas e ao sistema nervoso autônomo.

EXEMPLO

Luz Intensa→ Dilatação da Pupila


PARADIGMA

Sd → R → Sr
Estímulo Discriminativo - Resposta - Consequente

OPERANTE
CARACTERÍSTICAS
Está associado aos comportamentos aprendidos (ontogênese), na qual o

COMPORTAMENTO
indivíduo emite uma resposta, frente a determinado contexto, produzindo
uma consequência, esta vai aumenta ou diminuir a frequência do
resposta. São comportamentos voluntários associados a musculatura
estriada e ao sistema nervoso central.
EXEMPLO

Prato de Comida (Privação) → Comer →


Saciação
ESTÍMULOS

Eliciam respostas involuntária no


ELICIADOR organismo. Associado aos reflexos.

Sinalizador de que o comportamento


DISCRIMINATIVO possivelmente será reforçado.

Sinalizador da ausência de consequência


DELTA para uma determinada resposta.

Qualquer estímulo que aumente a


REFORÇADOR frequência de um comportamento.
REFORÇO PUNIÇÃO
Qualquer estímulo que
Qualquer estímulo que
aumente a frequência do
diminua a frequência do
comportamento.
comportamento.
CLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO
POSITIVO:
Apresentar um estímulo POSITIVO:
agradável para o organismo.
Apresentar um estímulo
aversivo para o organismo.
NEGATIVO:
Retirada de um estímulo
aversivo para o organismo. NEGATIVO:
Retirada de um estímulo
EXTINÇÃO agradável para o organismo.
Ausência do reforço (não é a
mesma coisa que punição).
GENERALIZAÇÃO
Responder com uma probabilidade similar frente a estímulos distintos.
Ex. Responder da mesma forma frente a todos os semáforos.

CLASSE DE ESTÍMULOS
Grupo de estímulos antecedentes capazes de evocar
uma mesma resposta. Normalmente tem similaridade física
ou funcional.
Ex. Frutas – Comportamento de Comer

CLASSE DE RESPOSTA
Grupo de comportamentos que tem a mesma função
frente a um determinada contexto.
Ex. Deslocamento (Ir andando; Dirigindo; Pedir um Uber ...)
TREINO
DISCRIMINATIVO
DISCRIMAÇÃO
Responder com maior frequência frente a um estímulo
específico, se comparado a outro.

PARADIGMA
ANTECEDENTE RESPOSTA CONSEQUENTE
Sd Comportamento X Reforço
SΔ Comportamento X Ausente

EXEMPLO: DISCRIMIÇÃO DA COR VERDE


ANTECEDENTE RESPOSTA CONSEQUENTE
Papel Verde Falar “Verde” Elogio
Papel Azul Falar “Verde” Nada
OPERAÇÕES ESTABELECEDORAS
Elas alteram o valor reforçador de uma consequência, desta forma
podem aumentar ou diminuir a probabilidade de ocorrência de
comportamentos relacionados a este estímulo reforçador.

PRIVAÇÃO SACIAÇÃO

Redução na disponibilidade de um Aumento na disponibilidade de um


reforçador, o que leva a um aumento reforçador, o que irá diminuir a
na probabilidade de ocorrência de probabilidade de ocorrência de
comportamentos que produzam esse comportamentos que produzam esse
estímulo. estímulo.

Eficiência do Eficiência do
Reforço Reforço