Você está na página 1de 150

PROJETO EDITAL ESQUEMATIZADO

MAGISTRATURA ESTADUAL
(ESTUDO INTENSIVO A LONGO PRAZO, A MÉDIO PRAZO E RETA FINAL)

EDUARDO GONÇALVES

2017 – 3. Ed.

1
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
SOBRE O AUTOR

EDUARDO RODRIGUES GONÇALVES: Idealizador do projeto Editais


Esquematizados ainda no ano de 2015. Bacharel em Direito pela Universidade Estadual
do Norte do Paraná (2008/2012). Procurador da República (aprovado no concurso aos
23 anos). Ex-Advogado da União (aprovado ainda na faculdade aos 22 anos). Aprovado
também nos seguintes certames: Técnico Judiciário do TJ-PR (2009); Analista
Processual junto ao MPU (2010); Procurador do Estado do Paraná (2011); Advogado da
União (2012, 5º lugar com nota 100,00 na fase oral); Procurador da República
(MPF/PGR- 2013/2014); e Promotor de Justiça do Estado do Paraná (2015- 1º Lugar).
Nunca reprovado em primeira fase de concurso público.

2
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Sumário
ESCLARECIMENTOS INICIAIS ............................................................................... 4
ESTRUTURA COMUM DAS PROVAS DE MAGISTRATURA ESTADUAL ...... 6
FORMA DE UTILIZAÇÃO A DEPENDER DA PREPARAÇÃO DO ALUNO ..... 7
QUADRO HORÁRIO DE ESTUDOS.......................................................................... 9
INDICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA ............................................................................... 11
DIREITO CIVIL .......................................................................................................... 14
DIREITO PROCESSUAL CIVIL .............................................................................. 29
DIREITO DO CONSUMIDOR................................................................................... 53
DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE .................................................. 57
DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL ..................................... 61
DIREITO PROCESSUAL PENAL ............................................................................ 74
DIREITO CONSTITUCIONAL ................................................................................. 87
DIREITO ELEITORAL ............................................................................................ 100
DIREITO EMPRESARIAL ...................................................................................... 106
DIREITO TRIBUTÁRIO .......................................................................................... 113
DIREITO AMBIENTAL ........................................................................................... 126
DIREITO ADMINISTRATIVO ............................................................................... 132
REFA FINAL .............................................................................................................. 150

3
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
ESCLARECIMENTOS INICIAIS

1- Queridos, esse cronograma foi elaborado para ser usado como roteiro geral de
estudos para a Magistratura Estadual. Pode ser usado na fase pré-edital (dias
normais), após a publicação do edital (Reta Final) ou ainda para quem está
iniciando os estudos (vide tabela de forma de utilização).

2- Lembrem-se: por ser um material dedicado a Magistratura em Geral, é


necessário que estudem somente as matérias que são cobras no concurso visado
por vocês, bem como o adapte ao seu edital (concurso) e nível de preparação.

3- Percebam que as matérias têm uma distribuição equitativa de questões, o que


demanda que todas sejam mais ou menos estudadas. Algumas de forma mais
aprofundada (ex: Constitucional), outras de forma mais básica (ECA, CDC,
Eleitoral), mas todas devem ser estudadas.

4- Acelerem nas matérias que vocês são melhores, tentando diminuir o tempo
sugerido para elas, e façam com mais cuidado as matérias em que vocês são
piores.

5- Tentem manter a sequência sugerida dentro das matérias, pois uma é


continuação da outra, o que facilita o aprendizado.

6- O ideal é estudar várias matérias ao mesmo tempo, ou seja, não precisam seguir
a ordem dos dias, desde que fechem a meta para cada dia em um dia (desculpem
a redundância). Assim, não precisam começar pelo dia 01, mas terão de fazê-lo
antes da prova, ainda que como último dia, p. ex.

7- Para quem seguir o programa “Formando a Base” e o “Cronograma Normal”,


sugere-se a inclusão de revisões no decorrer dos dias, de forma que a cada cinco
dias de matéria nova (Ex: 5 dias de direito penal), tire o sexto para revisão dos
05 anteriores (Ex: 5 dias anteriores de direito penal), e não de tudo que já fora
estudado).

8- Tirem 6h30min para as metas e 1h:30 min para questões/informativos.


Trabalhem com 8 horas como meta diária que conseguirão cumprir o sugerido
como revisão. Para estudo, ou seja, formação da base jurídica, são necessários
mais dias (estudo regular). Para estudo regular usem a tabela abaixo no item
‘formando a base’.

9- Para quem não possui 8 horas livres, multiplique o tempo previsto no nosso
edital proporcionalmente a suas horas disponíveis. Assim, se você segue o
4
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
cronograma normal e tem 4 horas livres, cumpra a meta de um dia do nosso
edital em dois dias seus. Não ter 8h não é um problema, mas sim uma desculpa
para não estudar. Todos chegam lá, basta, de fato, querer!

10- Em qualquer matéria, ao lerem algo relacionado a Magistratura redobrem a


atenção (ex. poder judiciário em constitucional, poderes do juiz em processo
civil).

11- Cuidado com as novidades legislativas e com as novas súmulas. Dominar lei
seca é fundamental para a magistratura de qualquer Estado.

12- Mantenham-se atualizados com os informativos e incluam questões no seu


estudo diário.

13- Informativos: mantenham-se atualizados, especialmente para Banca CESPE.


Minha sugestão de estudos é o site do Dizer o Direito (sugiro utilizar a versão
completa, mas ler somente o resumo; leia a explicação apenas quando sentir
necessidade).

14- Questões: treinem pelo menos 2 vezes na semana, podendo ser da matéria
estudada (preferencialmente) ou de toda o conteúdo do edital (para quem já está
em fase mais avançada de estudos).

15- As metas estão dentro do retângulo. O detalhadamente se refere a uma doutrina


que escolhi para indicar a vocês a importância de cada tema. O tema dento do
retângulo corresponde ao edital e é o que deve ser, de fato, estudado. Lembre-
se: o presente material é uma orientação, e deve ser adaptado, por você mesmo,
às suas peculiaridades.

16- Usem os espaços embaixo (ou no verso) de cada dia para as anotações mais
importantes daquele dia de estudos (sugiro, portanto, que imprimam o
planejamento). E revisem o que de mais importante anotaram. ESSA É A
MAIOR UTILIDADE DO PRESENTE EDITAL, OU SEJA, VOCÊ O
PREPARAR PARA UMA REVISÃO FINAL DE QUALIDADE.

17- Para uma perfeita organização, tirem o primeiro dia para ler o cronograma
inteiro (e conhecer o tamanho do seu desafio). Monte seu próprio planejamento.

18- Alguns temas se relacionam com várias matérias, mas o aluno deve ter o
cuidado de o estudar apenas uma vez, embora o tema possa estar incluído em
duas matérias diferentes no edital.

19- Informo que cada material possui um traço identificador, de forma que
esperamos não termos problemas com o compartilhamento indevido.

20- Dedicação total agora. Força meus amigos que a aprovação está próxima!
5
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
ESTRUTURA COMUM DAS PROVAS DE MAGISTRATURA ESTADUAL
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO:

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SERGIPE:


BLOCO I com 40 (quarenta) questões compreendendo as disciplinas de Direito Civil;
Direito Processual Civil; Direito do Consumidor e Direito da Criança e do Adolescente;
BLOCO II com 30 (trinta) questões compreendendo as disciplinas de Direito Penal;
Direito Processual Penal; Direito Constitucional e Direito Eleitoral;
BLOCO III com 30 (trinta) questões compreendendo as disciplinas de Direito
Empresarial; Direito Tributário; Direito Administrativo e Direito Ambiental.

6
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
FORMA DE UTILIZAÇÃO A DEPENDER DA PREPARAÇÃO DO ALUNO
GRUPOS MATÉRIAS Nº DE DIAS Nº DE DIAS Nº DE DIAS NÚMERO
SUGERIDOS SUGERIDOS SUGERIDOS MÉDIO
– ESTUDOS – – ESTUDOS – DE ESTUDO – DE
8 A 9 MESES 16 A 18 RETA FINAL QUESTÕE
MESES – ATÉ 100 S
DIAS

PARA QUEM QUEM ESTÁ


JÁ TEM COMEÇAND PARA QUEM
UMA BASE O DO 0 OU JÁ ESTÁ COM
DAS ESTÁ COM TODA A
PRINCIPAIS DESEMPEN MATÉRIA
MATÉRIAS, HO ABAIXO ESTUDADA E
MAS AINDA DE 50% EM APENAS
NÃO DEU PROVAS REVISA
INÍCIO ÀS ENQUANTO TJ/SP e
REVISÕES AGUARDA O TJ/MG
FINAIS EDITAL

(QUEM
ESTÁ QUEM JÁ
ACERTAND ESTÁ
O DE 55% A ACERTANDO,
69% EM EM MÉDIA,
PROVAS) 70% EM
CONCURSO

CRONOGRA
MA FORMANDO SUPER RETA
NORMAL A BASE FINAL
GRUPO I Direito Civil 22 44 11 10/10
Direito 27 54 13 10/10
Processual
Civil
Direito do 4 8 2 5/5
Consumidor
Criança e 5 10 3 5/5
Adolescente
GRUPO Direito Penal 26 52 13 10/10
II Direito 20 40 10 10/10
Processual
Penal
Direito 20 40 10 10/10
Constituciona
l
Direito 8 16 4 5/10
Eleitoral
GRUPO Direito 12 24 6 10/10
7
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
III Empresarial
Direito 18 36 9 10/05
Tributário
Direito 22 44 10 10/10
Administrativ
o
Direito 8 16 4 5/5
Ambiental
RETA -- -- 4
FINAL
TOTAL 192 DIAS 384 DIAS 99 DIAS 100
IMPORTÂNCIA ELEVADA. IMPORTÂNCIA MENOR.
OBS- PARA O ESTUDO A LONGO PRAZO, FAÇA UM DIA DO EDITAL EM 2
DIAS SEUS (OU EM 4 DIAS SEUS, SE ESTUDA DUAS MATÉRIAS POR DIA).
PARA ESTUDO SUPER RETA FINAL, FAÇA DOIS DIAS DO EDITAL EM UM
SEU.

8
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
QUADRO HORÁRIO DE ESTUDOS

OBS- Pessoal, eu recomendo estudar duas matérias por dia (mas método cada um tem o
seu, lembrem-se disso). Em sendo assim, para quem estuda duas matérias por dia, a
meta é bater ao menos a metade da matéria do dia previsto no edital. Assim, na segunda
estude metade da meta de direito constitucional e metade da meta de direito penal
(exemplo), em duas semanas (duas segundas-feiras) terão fechado dois dias completos
(um de constitucional e um de penal).

SUGESTÃO PARA REVISÕES (QUEM JÁ ESTUDOU TODA A MATÉRIA E


ESTÁ REVISANDO O CONTEÚDO JÁ VISTO):
TURNO SEG. TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO
OU
DOMINGO
MANHA CONST. ADMINIS. P. ECA CIVIL 2H DE
(3h ou PENAL CONSUM.
4h) 2H
ELEITOR.
TARDE PENAL P. CIVIL TRIBUT. AMBIENT. EMPRESAR. 2H
(3h ou LEGISLAÇ.
4h) PENAL
2H
PROCESSO
CIVIL/
PROC.
COLETIVO
NOITE INFORM. QUESTOES INFORM. QUESTOES INFORM. QUESTÕES
(1h ou
2h)

ESCLARECIMENTO- Esse quadro é para quem está em fase de revisões, ou seja,


já estudou toda a matéria.
Caso você esteja em estudo regular, ou seja, sem ter terminado as matérias eu não
recomendo estudar todas as matérias de uma vez. Prefira dividir seus estudos em
dois ciclos. Faça um ciclo por vez (e não por semana), assim ao terminar o ciclo 01,
passe para o ciclo 2. Uma vez terminado ciclo 02, volte revisando o ciclo 01.

9
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
PARA ESTUDO REGULAR, CICLO 1:
TURNO SEG. TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO
OU
DOMINGO
MANHA CONST. ADMINIS. P. CONST. ADMINIS. P. PENAL
(3h ou PENAL
4h)
TARDE PENAL P. CIVIL TRIBUT. PENAL P. CIVIL TRIBUT.
(3h ou
4h)
NOITE INFORM. QUESTOES INFORM. QUESTOES. INFORM. QUESTOES
(1h ou
2h)

PARA ESTUDO REGULAR, CICLO 2 (APÓS TERMINAR O CICLO 1):


TURNO SEG. TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO/
DOMINGO

MANHA LEGIS. ECA CONSUMID. LEGIS. ECA ELEITORAL


(3h ou PENAL PENAL
4h)
TARDE CIVIL AMBIENT. EMPRESAR. CIVIL AMBIENT. EMPRESAR.
(3h ou
4h)

NOITE INFORM. QUESTOES INFORM. QUESTOES INFORM. INFORM.


(1h ou
2h)

10
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
INDICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA

MATÉRIAS INDICAÇÃO (em ordem de NOSSA


predileção)
Direito Civil 1- Manual de Direito Civil – Flávio Tartuce; ou
2- Carlos Roberto Gonçalves, podendo o aluno
optar pelas versões Esquematizadas ou pelas
sinopses jurídicas, ambas da Editora Saraiva;
ou
3- Aulas de Cursinho (um bom intensivo anual)
+ Código Civil Seco.
Direito Processual Civil Direito Processual Civil Geral:
1- Manual de Direito Processual Civil –
volume único – Daniel Amorim Assumpção
Neves; ou
2- Direito Processual Civil Esquematizado –
Marcus Vinícius Rios Gonçalves (volume
único);

As aulas de Direito Processual Civil do


Professor Daniel Assumpção são excelentes,
suprindo grande parte da doutrina, desde que
somada a leitura do novo CPC;

Para Fazenda Pública em Juízo:


1- Poder Público em Juízo- Guilherme Freire
de Melo Barros;
2- A Fazenda Pública em Juízo – Leonardo
Carneiro da Cunha;
Direito Processual Coletivo:
1- Interesses Difusos e Coletivos – Cleber
Masson e Adriano Andrade de Souza (leitura
apenas dos capítulos referentes a processo
coletivo);
Direito do Consumidor 1- Aulas de cursinho + CDC seco +
jurisprudência; ou
2- Leis Especiais para Concursos – Leonardo
de Medeiros Garcia.
Direito da Criança e do 1- Sinopses para concursos – Direito da
Adolescente Criança e do Adolescente - Guilherme Freire
de Melo Barros;
2- Leis Especiais para Concursos – ECA -
Guilherme Freire de Melo Barros;
Direito Penal Parte Geral:
1- Direito Penal – Cleber Masson; ou
2- Curso de Direito Penal – Rogério Greco;
3- Manual de Direito Penal – Rogério Sanches
11
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Cunha;

Parte Especial:
1- Código Penal Comentado – Rogério Greco;
2- Código Penal Comentado – Cezar Roberto
Bitencourt;
Direito Processual Penal 1- Manual de Processo Penal – Renato
Brasileiro Lima.
2- Curso de Direito Processual Penal – Nestor
Távora e Rosmar Rodrigues Alencar;
Legislação Penal 1- Legislação Criminal Especial Comentada –
Especial Renato Brasileiro Lima; ou
2- Aulas de cursinho (disciplina isolada de
Legislação Penal Especial).

Essa é uma matéria em que não há o mínimo


prejuízo na substituição da obra por aulas de
cursinho, exclusivamente;
Direito Constitucional Primeira fase:
1- Direito Constitucional Esquematizado –
Pedro Lenza; ou
2- Curso de Direito Constitucional – Marcelo
Novelino;

Para eventual segunda fase é interessante


complementar os estudos em direitos
fundamentais, e uma das obras que sugiro é a
do Ministro Gilmar Mendes: Curso de Direito
Constitucional (Mendes, Gilmar Ferreira;
Branco, Paulo Gustavo Gonet).
Direito Eleitoral 1- Aulas de cursinho (indico CERS, aulas
isoladas de direito eleitoral para analista de
TRE); ou
2- Resumo para concursos – Direito Eleitoral-
João Paulo Oliveira; ou
3- Direito Eleitoral – José Jairo Gomes.
Direito Empresarial 1- Direito Empresarial Esquematizado - André
Luiz Santa Cruz Ramos; ou
2- Aulas de Cursinho (de um bom curso anual)
substituem, com perfeição, a doutrina;
Direito Tributário Direito Tributário Geral:
1- Direito Tributário Esquematizado – Ricardo
Alexandre; ou
2- Manual de Direito Tributário – Eduardo
Sabbag.

Para segunda fase:


1- Tributos em Espécie para Concursos -
Helton Kramer Lustoza, Eduardo M. L.
12
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Rodrigues de Castro e Marcus de Freitas
Gouvêa; ou
2- Aulas de Tributos Estaduais e Municipais;

Processo Judicial Tributário:


1- Execução Fiscal Aplicada – João Aurino de
Melo Filho; ou
2- Processo Judicial Tributário- Mauro Luiz
Rocha Lopes;
Direito Administrativo 1- Direito Administrativo Descomplicado-
Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino (obra
completa e não resumida); ou
2- Manual de Direito Administrativo – Matheus
Carvalho;

OBS- Aqui temos boas doutrinas, podendo


citar, ainda: Fernanda Marinella, Maria Sylvia
Zanela di Pietro etc.
Direito Ambiental 1- Direito Ambiental Esquematizado -
Frederico Amado (apenas cuidado para não ler
a obra toda, pois há muito conteúdo que não é
cobrado em prova). Siga nosso edital para
selecionar os temas que serão objeto de estudo.
Formação Humanística 1- Noções Gerais de Direito e Formação
(segunda fase) Humanística – João Paulo Lordelo;

VAMOS A SISTEMATIZAÇÃO:

13
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
GRUPO I

DIREITO CIVIL
22 DIAS

DIAS 01 E 02 - LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO


BRASILEIRO. CAPACIDADE. DIREITOS DA PERSONALIDADE. PESSOAS
NATURAIS. INÍCIO DA PERSONALIDADE E MORTE. DIREITO DE AUTOR.
AUSÊNCIA. PESSOAS JURÍDICAS (ORGANIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DAS
FUNDAÇÕES). DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA.
DOMICÍLIO. BENS. BENS DE FAMÍLIA.
Detalhadamente para LINDB:

 Dia de estudar a LINDB - foco doutrina (conceitos) e lei seca (demais


assuntos).
 Natureza de lei geral da LINDB.
 Vigência da norma e vacatio legis. Vigência da lei no território nacional.
Alteração da norma no período de vacatio legis.
 Hermenêutica e interpretação. Métodos tradicionais de interpretação.
 Formas de integração das leis. Cuidado com costume (elementos) e analogia.
 Retroatividade X irretroatividade. Direito adquirido, ato jurídico perfeito e
coisa julgada.
 Leitura das normas de direito internacional privado previstas na LINDB
(eficácia da lei no espaço). Aprendam os critérios que definem a aplicação da
lei brasileira (local da celebração do casamento, local do domicílio, dentre
outros).
 Foco na leitura da LINDB (façam ao menos 2 leituras).

Para parte Geral:

 Distinção entre personalidade, capacidade e legitimidade. Capacidade de fato X


capacidade de direito.
 Início da vida e direitos assegurados ao nascituro. Teoria natalista X
concepcionista (importante para provas discursivas e oral).
 Casos de incapacidade civil absoluta e relativa previstos no Código. Atenção
para a peculiaridade em relação ao ébrio e ao indígena. Emancipação: legal,
voluntária e judicial (foco na emancipação legal que costuma cair,
especialmente o casamento). Capacidade das pessoas com deficiência
(deficiência, por si só, não gera incapacidade).

Atenção: Mudanças no regramento das incapacidades (diminuição do rol) e


incapacidade da pessoa com deficiência (atenção para o regramento, mormente
as alterações decorrentes dessa mudança de concepção. Ex: nulidades do
casamento).
14
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Fim da personalidade. Morte presumida e comoriência (requisitos para a
configuração da comoriência, bem como a importância do instituto).
 Estado Civil - tema não muito cobrado - atenção apenas para casamento entre
pessoas do mesmo sexo e a igualdade de direitos conferidos à companheira.
 Domicílio - saber as espécies (voluntário e legal). Diferença entre domicílio e
residência. Pluralidade de domicílios. Leitura do Código Civil.
 Direitos da personalidade também merecem destaque. Constitucionalização do
direito civil. Casamento entre pessoas do mesmo sexo. Transexualidade e
alteração de nome. Direito ao nome e direito autoral (diferença entre direito
autoral e institutos similares). Relação entre direitos da personalidade, direitos
fundamentais e direitos humanos. Direitos da personalidade e pessoa jurídica
(inclusive de direito público).
 Ausência - especialmente as fases e o tempo para que haja a passagem para a
etapa subsequente. Morte presumida sem declaração de ausência. Foco na lei
seca.
 Foco: conceitos dos principais institutos e leitura do Código Civil.
 Dos temas acima, o mais cobrado costuma ser direitos da personalidade.
 Artigos: 1º a 39, 70 a 78.

Detalhadamente para pessoas jurídicas:

 Teorias acerca da existência da pessoa jurídica. Realidade X ficção? Conceito


de pessoas jurídica e suas espécies. Pessoas jurídicas de direito público X de
direito privado.
 Formas de constituição das pessoas jurídicas. Necessidade de registro.
 Diferenças entre fundações, associações e sociedades. Pessoas jurídicas de
direito público e de direito privado (saber quais são).
 Ampliação do regramento das fundações. Ampliação do objeto.
 Atuação do Ministério Público no zelo das fundações (lei nova. Conflito entre
MPE X MPF. Fiscalização de Fundações Públicas.). Espécies de Fundações
Públicas (de direito público e de direito privado).
 Vide desconsideração da personalidade jurídica, especialmente teoria maior e
menor (foco aqui). Desconsideração inversa. Incidente de desconsideração da
personalidade jurídica.
 Mais importante: leitura do art. 40 a 69 do Código Civil.

Detalhadamente para bens:

 Prefira doutrina nesse dia.


 Bens – classificações (especialmente fungíveis e não fungíveis, móveis e
imóveis, inclusive os por determinação legal) e bem de família (espécies e
regramento constitucional e legal).

15
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Muita jurisprudência em tema de bem de família. Distinção entre bem de família
legal e convencional. Limites à impenhorabilidade (atenção para o caso do
fiador em contrato de locação).
 Princípio da gravitação jurídica. Pertenças (conceito e regime jurídico).
 Bens públicos - espécies e características de cada um deles. Afetação e
desafetação. Usucapião de bens públicos.
 Ao terminar, leia o Código Civil (art. 79 a 103).

Queridos alunos, pode parecer muita matéria para dois dias de estudos, mas não é.
Lembrem-se que o cronograma, tal qual elaborado, é feito para revisão, de forma que
em dois dias completos (8h diárias) ou em quatro dias estudando duas matérias por dia
(4h por 4 dias) é perfeitamente possível revisar o conteúdo proposto. Lembrem-se: de
que se vocês não estão em fase de revisão, devem fazer esses dois dias em quatro/cinco
ou até seis.
Para estudo normal (formando a base) nossa dica é fazer um dia do edital em dois seus,
mas se ainda sim ficar pesado, faça em três, seguindo nosso cronograma em seu ritmo.
O importante é o aprendizado e o cuidado deve ser apenas para não extrapolar em
muito as metas (ex: fazer um dia do edital em 5 ou 6 de vocês).

16
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 03 E 04- FATOS JURÍDICOS. NEGÓCIOS JURÍDICOS. FORMA DO
NEGÓCIO JURÍDICO. CONDIÇÃO, TERMO E ENCARGO.
REPRESENTAÇÃO. DEFEITOS DO NEGÓCIO JURÍDICO: ERRO, DOLO,
COAÇÃO, FRAUDE CONTRA CREDORES, LESÃO E ESTADO DE PERIGO.
INVALIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO. NULIDADE. SIMULAÇÃO.
EFEITOS DA NULIDADE E DA ANULABILIDADE. TEORIA DA
APARÊNCIA. PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA. DA PROVA.

Detalhadamente para fatos jurídicos, prescrição/decadência e provas:

 Terminar a parte geral com muita atenção para negócios jurídicos e seus vícios,
além de condição, termo e encargo.
 Planos da existência, validade e eficácia. Nulidade e anulabilidade (distinções).
 Simulação X dissimulação (diferenças e subsistência do negócio dissimulado).
 Focar em todos os vícios do negócio jurídico (tema recorrente). Enfoque para a
fraude contra credores, que é o mais cobrado (comparar com a fraude à
execução). Cuidado com a ação pauliana. Saiba sempre a natureza do vício
(nulidade relativa X absoluta).
 Cuidado, ainda, com a representação, pois possui relação com o contrato de
mandado, um dos mais cobrados. Vide contrato consigo mesmo.
 Prescrição e decadência merecem muita atenção. Não se preocupem em
decorar os prazos prescricionais (saibam o prazo geral, bem como os mais
importantes, como o da responsabilidade civil).
 Atenção, ainda, para a prescrição das pretensões contra a Fazenda Pública.
Prescrição de trato sucessivo e do fundo do direito (relacionado à
Administração Pública). Prescrição dos atos de tortura praticados durante o
regime militar.
 Veja até decorar todas as distinções entre prescrição e decadência.
Possibilidade de conhecimento de ofício e obrigação natural.
 Regra de transição entre os prazos previstos no CC1916 e no CC2002 (qual
prazo aplicar).
OBS- A diferença entre prescrição e decadência é recorrente em provas.
 Provas- apenas lei seca, pois é tema que será estudado em processo civil.
 Art. 104 a 232.

17
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 05, 06 E 07 - OBRIGAÇÕES. OBRIGAÇÕES DE DAR, FAZER E NÃO
FAZER. OBRIGAÇÕES ALTERNATIVAS. OBRIGAÇÕES DIVISÍVEIS E
INDIVISÍVEIS. OBRIGAÇÕES SOLIDÁRIAS. PAGAMENTO. CONDIÇÕES
SUBJETIVAS E OBJETIVAS. PROVA, LUGAR E TEMPO DO PAGAMENTO.
PAGAMENTOS ESPECIAIS. PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO E COM
SUB-ROGAÇÃO. IMPUTAÇÃO EM PAGAMENTO. DAÇÃO EM
PAGAMENTO. EXTINÇÃO DA OBRIGAÇÃO SEM PAGAMENTO:
NOVAÇÃO, COMPENSAÇÃO, TRANSAÇÃO, CONFUSÃO, COMPROMISSO
E REMISSÃO. INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES. MORA. PERDAS E
DANOS. JUROS LEGAIS E CLÁUSULA PENAL. ARRAS. TRANSFERÊNCIA
DE OBRIGAÇÕES: CESSÃO DE CRÉDITO, ASSUNÇÃO DE DÍVIDA,
CESSÃO DE CONTRATO.
Detalhadamente:
 Conceito e elementos das obrigações. Débito e responsabilidade. Obrigação
natural. Distinção entre direitos reais, pessoais e mistos (especialmente as
obrigações propter rem).
 Foco nas espécies de obrigação (dar, fazer e não fazer). Obrigação de entregar
coisa certa e incerta (consequências da perda do bem). Obrigação alternativa e
facultativa (distinção).
 Diferenças entre solidariedade e indivisibilidade. Regras aplicáveis a ambas
(especialmente quando da perda do objeto da obrigação).
 Cessão de débito, crédito e contrato. Foco especial na lei seca e doutrina para
cessão da posição contratual.
 Regras sobre pagamento, especialmente quem deve pagar e em que tempo e
lugar (obrigações quesíveis e portáveis). Formas especiais de pagamento
(saibam os conceitos e foquem na leitura do Código – sub-rogação,
compensação, imputação).
 Inadimplemento relativo e absoluto (consequências). Espécies de mora e
importância da distinção (a partir de quando o devedor é considerado em mora
nas obrigações contratuais e na responsabilidade extracontratual). Obrigação
de reparar o dano causado.
 Arras e cláusula penal. Possibilidade de cumulação com indenização. Espécies.
 Juros legais (SELIC ou CTN).
 OBS- Juros e correção monetária são muito importante para os concursos da
Magistratura, pois os senhores terão de saber indicar o momento inicial de sua
incidência em eventual prova de sentença.
 Material – Revisão do Livro escolhido, podendo ser substituído com perfeição
por aulas de cursinho e leitura do Código Civil seco (lembrem-se que a
prioridade são os conceitos e a leitura da legislação).
 Leitura dos artigos 233 a 420 do Código.

18
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
19
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 08, 09 E 10 - CONTRATOS. CLASSIFICAÇÃO DOS CONTRATOS.
CONTRATOS DE ADESÃO. CONTRATO ALEATÓRIO. CONTRATO COM
PESSOA A DECLARAR. CONTRATO PRELIMINAR. FORMAÇÃO DOS
CONTRATOS. CONTRATOS POR TEMPO DETERMINADO E
INDETERMINADO. EFEITOS DOS CONTRATOS. ESTIPULAÇÃO EM
FAVOR DE TERCEIROS. CLÁUSULAS GERAIS. CONCEITOS LEGAIS
INDETERMINADOS. CONCEITOS DETERMINADOS PELA FUNÇÃO.
INTERPRETAÇÃO DOS CONTRATOS. VÍCIOS REDIBITÓRIOS. EVICÇÃO.
EXTINÇÃO DOS CONTRATOS. COMPRA E VENDA. CLÁUSULAS
ESPECIAIS. PROMESSA DE COMPRA E VENDA. TROCA OU PERMUTA.
CONTRATO ESTIMATÓRIO. DOAÇÃO. LOCAÇÃO DE COISAS. LOCAÇÃO
DE IMÓVEIS URBANOS. COMODATO. MÚTUO. PRESTAÇÃO DE
SERVIÇO. EMPREITADA. DEPÓSITO. MANDATO. COMISSÃO.
CORRETAGEM. TRANSPORTE. FIANÇA. SEGURO. DISPOSIÇÕES GERAIS.
SEGURO DE DANO E SEGURO DE PESSOA. CONTRATOS REFERENTES A
PLANOS E SEGUROS PRIVADOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE.
TRANSAÇÃO.
Detalhadamente em tema de teoria geral dos contratos:
 O mais importante é a teoria geral dos contratos (princípios, boa-fé, função
social etc.), além da exceção de contrato não cumprido, vícios redibitórios,
evicção. Novos princípios contratuais (inclusive no CDC).
 Nova perspectiva contratual introduzida pelo CC 2002 (lembrar dos princípios
da eticidade, sociabilidade e operabilidade).
 Responsabilidade civil pré-contratual e contratos preliminares.
 Formação do contrato (saber o momento exato em que um contrato se
considera pronto e acabado, bem como os casos de rescisão).
 Atenção para a teoria da imprevisão e da base objetiva.
 Atenção, ainda, para contratos aleatórios e suas modalidades.
 Foco: doutrina na teoria geral e lei seca para regras específicas.
 Leitura dos artigos 421 a 480 (esses artigos são, de fato, muito importantes).

Detalhadamente para contratos em espécie:


 Os contratos em espécie não costumam cair com tanta incidência, razão pela
qual sugiro a leitura apenas da legislação seca. Entendam o conceito de cada
um dos contratos, bem como suas características (ex. gratuitos ou onerosos).
 Caso optem por um livro, prefiram uma sinopse.
 A ordem de prioridade deve ser a seguinte: Da compra e venda e de suas
cláusulas especiais. Da promessa de compra e venda, do direito real do
promitente comprador. Da alienação fiduciária em garantia. Do mandato. Do
Contrato de transporte. Da locação, do mútuo e do comodato. Do seguro. Da
fiança, do depósito. Da troca, da doação, do jogo e da aposta. Do contrato
estimatório, Da empreitada (Código Civil e legislação especial). Da

20
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
corretagem. Da Promessa de recompensa. Da prestação de serviços e da
constituição de renda.
OBS- Para locação, deve-se ter noção da lei especial, especialmente em se
tratando de denúncia cheia e vazia, bem como ação renovatória (requisitos).
 Súmulas dos contratos de consumo (também estudadas em direito empresarial),
especialmente no que tange a contratos bancários.

21
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 11 E 12- ATOS UNILATERAIS. PAGAMENTO INDEVIDO.
ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA. ATO LÍCITO E ATO ILÍCITO. ABUSO DE
DIREITO. RESPONSABILIDADE CIVIL. REQUISITOS.
RESPONSABILIDADE POR FATO DE OUTREM. RESPONSABILIDADE SEM
CULPA. RESPONSABILIDADE PELA PERDA DE UMA CHANCE. DANO
MORAL. DANO ESTÉTICO. INDENIZAÇÃO DO DANO MATERIAL E DO
DANO MORAL.

Detalhadamente para responsabilidade civil:

 Responsabilidade Civil - basta a teoria geral (requisitos para sua


configuração), bem como a reparação. Responsabilidade Civil Objetiva e
Subjetiva. Casos de responsabilidade objetiva. Juros e correção monetária.
Incidência em tema de responsabilidade civil.
 Abuso de direito (responsabilidade objetiva para a doutrina majoritária). Tema
muito recorrente.
 Dano moral. Finalidade da indenização. Dano moral e pessoa jurídica,
inclusive de direito público.
 Teoria dos danos diretos e imediatos. Dano in re ipsa (casos).
 Excludentes da responsabilidade. Caso fortuito e força maior. Fortuito interno e
externo (especialmente na atividade bancaria).
 Tome cuidado com a responsabilização no transporte aéreo, especialmente no
tema de indenização tarifada X CDC.
 Fora isso, basta ler o CC seco para as formas específicas de responsabilização
civil. Responsabilidade civil dos menores também cai certa com frequência
(saber se os pais respondem ou não por atos de seus filhos).
 Foco na teoria geral da responsabilidade civil - elementos, pressupostos e
consequências.
 Artigos a serem lidos: 185 a 188 e 927 a 954.

Detalhadamente para casos especiais de responsabilidade civil:


 Responsabilidade Civil do Fornecedor (tópicos do CDC) - importante o estudo
(tema de direito do consumidor). Distinção entre defeito e vício do produto e do
serviço. Identificar o responsável em cada um dos casos. Responsabilidade do
profissional liberal. Responsabilidade subjetiva X objetiva no CDC. Fortuito
interno X fortuito externo (especialmente no serviço bancário).
Desconsideração da personalidade jurídica (teoria menor)
Leitura do CDC art. 12 a 28.
OBS- podem optar por estudar esse dia apenas em direito do consumidor, o
importante é estudarem (mas só uma vez).
 Responsabilidade civil ambiental também merece grande destaque, mas será
estudada na matéria específica. Lembrem-se, desde já, de que ela é objetiva
fundada no risco integral.

22
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Detalhadamente para atos unilaterais:
 Basta a lei seca e saber os conceitos básicos. O mais importante é pagamento
indevido. Em segundo plano vem o enriquecimento sem causa.
 Leiam os artigos 854 a 886 que será suficiente.

Detalhadamente para preferências e privilégios:

 Desnecessário o estudo, pois o tema é muito pouco cobrado. No máximo, a


leitura dos art. 955 a 965 do Código Civil.

23
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 13, 14 e 15- POSSE. AQUISIÇÃO, PERDA E EFEITOS. PROPRIEDADE.
AQUISIÇÃO DA PROPRIEDADE IMÓVEL E MÓVEL. PERDA DA
PROPRIEDADE. USUCAPIÃO. DESAPROPRIAÇÃO JUDICIAL POR
INTERESSE SOCIAL. CONDOMÍNIO GERAL. CONDOMÍNIO EDILÍCIO.
DIREITOS DE VIZINHANÇA. DIREITO DE SUPERFÍCIE. DIREITOS REAIS
SOBRE COISAS ALHEIAS: SERVIDÕES, USUFRUTO, USO E HABITAÇÃO.
DIREITOS REAIS DE GARANTIA. HIPOTECA. PENHOR E SUAS ESPÉCIES.
PROPRIEDADE RESOLÚVEL. PROPRIEDADE FIDUCIÁRIA. ALIENAÇÃO
FIDUCIÁRIA EM GARANTIA NO CÓDIGO CIVIL E NA LEGISLAÇÃO
EXTRAVAGANTE. DIREITO REAL DE AQUISIÇÃO. LOTEAMENTO.
INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA. REGISTROS PÚBLICOS.
Detalhadamente para teoria geral dos direitos reais:
 Inicialmente, o aluno deve saber distinguir direitos reais, pessoais e mistos.
 Saibam bem posse – especialmente a classificação – teoria objetiva e subjetiva,
formas de aquisição e efeitos da posse. Foco nas consequências decorrentes da
posse de boa e de má-fé. Vide as ações de força nova e força velha (cabimento
da liminar específica e de liminar geral).
 Quanto aos direitos reais propriamente ditos, vamos focar em propriedade.
Evolução da propriedade (mitigação de seu caráter absoluto). Atributos do
direito de propriedade e direito de sequela. Propriedade do solo e dos recursos
minerais (cai também em constitucional).
 Em aquisição da propriedade, tomem cuidado redobrado com a usucapião
(tema de maior incidência em se tratando de direitos reais). Atenção para as
espécies especiais de usucapião, principalmente as constitucionais (para fins de
moradia e rural). Usucapião no caso de abandono do lar pelo cônjuge.
Usucapião de bens públicos.
 Desapropriação judicial (saibam o que é, bem como os requisitos).
 Regras do condomínio tradicional e em edifícios.
 Artigos 1.196 a 1.276 do Código Civil.

Detalhadamente para direitos reais sob coisa alheia:


 Para os direitos reais menores sugiro uma sinopse, somada à leitura da
legislação. Saibam os conceitos e a lei seca. Ex: saibam o que é propriedade
fiduciária e leiam o art. 1.361 a 1.368-B.
 Novos direitos reais, mormente o direito de laje (apenas conceito e lei seca (art.
1.510-A).
 Atenção para eventuais julgados e súmulas (especialmente em servidão parente
ou não).
 Regras de loteamento (leitura rápida da legislação).

Detalhadamente para registros públicos:

24
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Noções gerais de registro público - caráter declaratório ou constitutivo.
Princípios. Procedimento de dúvida. Leia a LRP somente em havendo muito
tempo livre.

25
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 16, 17 e 18- FAMÍLIA. CONCEITO E MODALIDADES DE FAMÍLIA.
CASAMENTO. PROCESSO MATRIMONIAL. CELEBRAÇÃO. FORMA.
MODALIDADES. CASAMENTO: NATUREZA JURÍDICA, EXISTÊNCIA,
VALIDADE E EFICÁCIA. IMPEDIMENTOS E CAUSAS SUSPENSIVAS.
CASAMENTO PUTATIVO. UNIÕES ESTÁVEIS. CONCUBINATO. DEVERES
CONJUGAIS. REGIME DE BENS E SUA ALTERAÇÃO. PACTO
ANTENUPCIAL. DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONJUGAL.
PATERNIDADE E FILIAÇÃO. PATERNIDADE POST MORTEM. FILIAÇÃO
POR REPRODUÇÃO ASSISTIDA. RECONHECIMENTO DA PATERNIDADE.
PATERNIDADE BIOLÓGICA E SÓCIO-AFETIVA. PODER FAMILIAR.
ALIMENTOS. ALIENAÇÃO PARENTAL. FAMÍLIA SUBSTITUTA. PERDA
DO PODER FAMILIAR. GUARDA. TUTELA E CURATELA.
Detalhadamente:
 Revisaria um bom material (podem ser aulas) e leria com muita atenção o
Código Civil.
 Atenção para: casamento e união estável (elementos necessários à sua
configuração), filiação, alimentos (alimentos gravídicos e averiguação oficiosa.
Demais espécies de alimentos). Ver ainda o procedimento para o casamento e
idade núbil. Regime de bens e sua alteração.
 Importante que o aluno se atente para a leitura da lei de alimentos (Lei
5.478/68), bem como sobre o procedimento de averiguação oficiosa (lei
8.560/92). Ainda sobre alimentos, importante conhecer o regramento do tema
no CPC (execução de alimentos).
 Paternidade post mortem e adoção após a morte. Direitos do nascituro.
 Atenção para casamento entre pessoas do mesmo sexo, assim como a adoção.
 Paternidade sócio-afetiva. Responsabilidade civil em caso de abandono afetivo.
 Atenção para a alienação parental (basta saber o que é e suas consequências).
 Atenção, ainda, para tomada de decisão apoiada (novidade). Mudanças na
curatela.
 Guarda, especialmente a compartilhada, merece atenção desde já, embora seja
tema de ECA. Tutela merece grande atenção. Vejam, ainda, adoção
internacional (ECA). Tutela e curatela (apenas lei seca).
 Leitura do Código de Processo Civil para os procedimentos relacionados a
tema de direito de família.
 Art. 1.511 a 1.783-A (eis a prioridade para direito de família em concursos).

26
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 19, 20 e 21- SUCESSÕES. A HERANÇA E SUA ADMINISTRAÇÃO.
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA. ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA.
CESSÃO DE HERANÇA. EXCLUÍDOS DA HERANÇA. DESERDAÇÃO.
SUCESSÃO LEGÍTIMA. SUCESSÃO DO COMPANHEIRO. SUCESSÃO
TESTAMENTÁRIA. TESTAMENTO. FORMAS DE TESTAMENTO.
DISPOSIÇÕES TESTAMENTÁRIAS. CODICILO. FIDEICOMISSO.
LEGADOS. DIREITO DE ACRESCER E SUBSTITUIÇÕES. EXECUÇÃO DO
TESTAMENTO. SONEGADOS. REDUÇÃO DAS DISPOSIÇÕES
TESTAMENTÁRIAS. REVOGAÇÃO, ROMPIMENTO E ANULAÇÃO DO
TESTAMENTO. TESTAMENTEIRO. INVENTÁRIO E PARTILHA.
Detalhadamente:
 Atenção: tema de grande incidência em magistratura estadual, com questões
bem fáceis. A prioridade é ler o Código Civil e aprender os conceitos básicos do
tema.
 Princípio da saisine (o que é).
 Formas de sucessão (testamentária e legítima).
 Linha sucessória e legítima. Renúncia e aceitação de herança.
Responsabilidade patrimonial do herdeiro. Saibam quem são os herdeiros
necessários.
 Sucessão do companheiro (em virtude da peculiaridade em relação ao cônjuge).
Constitucionalidade da distinção?
 Deserdação e indignidade.
 Sonegados.
 Estudar toda a parte processual da sucessão (especialmente inventário e
partilha. Inventário extrajudicial).
 No geral, vale a mesma observação de direito de família: lei seca e revisão do
material já estudado. Mas o enfoque é a lei seca mesmo (art. 1.784 a 2.027).

27
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 22 – OUTRAS LEIS IMPORTANTES A SEREM ESTUDADAS APÓS
ESGOTAR DIREITO CIVIL: ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E
MARCO CIVIL DA INTERNET
Detalhadamente:
 São duas leis novas e muito importantes, especialmente o Estatuto da Pessoas
com Deficiência. Saibam muito bem os conceitos, direitos de tais pessoas,
capacidade, bem como reflexos previdenciários (Ex: Loas).
 Para o marco civil, atenção com os conceitos básicos, bem como limitações que
demandam decisão judicial. A leitura da lei seca é suficiente.

Como destaque, obviamente, o estatuto da pessoa com deficiência. Esse é de leitura


obrigatória. O marco civil é de leitura facultativa e em havendo tempo no seu
planejamento.

28
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO PROCESSUAL CIVIL
27 DIAS

Como estudar o novo CPC:


 Aprenda sua estrutura (o que mudou) e entenda os princípios norteadores do
novo diploma.
 Foque nos novos institutos (novidades, logo tendem a cair).
 Foque nas mudanças comparando o novo regramento com o anterior, bem
como atenção para as mudanças que já ocorreram em 2016.
 O que se verifica, por exemplo, é a cobrança das novidades e das mudanças.
Está caindo muito, por exemplo, incidente de resolução de demandas repetidas,
incidente de uniformização de jurisprudência e tutelas provisórias.
 Foque nas mudanças comparando o novo regramento com o anterior.
 Leia muito a legislação seca (prioridade).
 Mantenha o estudo de jurisprudência, mesmo que firmada na vigência do
anterior CPC.
 OBS- Esse material é uma esquematização ampla do novo CPC, utilize-o em
conjunto com a esquematização sugerida no corpo de seu edital.
 OBS2- Somente estude os temas abaixo que estiverem, de fato, previstos em seu
edital.
 Foco no que mudou para o juiz.
 Processo Civil é prioritário para Magistratura Estadual, de forma que
esquematizar é ajudar, mas é matéria que deve ser priorizada pelo aluno.

29
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 01 E 02- TEORIA GERAL DO PROCESSO
CONSTITUCIONAIS E INFRACONSTITUCIONAIS DO
PROCESSO CIVIL. GARANTIAS CONSTITUCIONAIS DO PROCESSO.
AUTONOMIA DO DIREITO PROCESSUAL. INSTITUTOS E NORMAS
FUNDAMENTAIS DO PROCESSO CIVIL. DIREITO PROCESSUAL
CONSTITUCIONAL. 4. O DA NORMA PROCESSUAL.
NORMA PROCESSUAL NO TEMPO E NO O. EFETIVIDADE DO
PROCESSO E ACESSO A. ESCOPOS DO PROCESSO.
INSTRUMENTALIDADE DO PROCESSO. 5.
. CIES. O
RIA. O EM O S DEMAIS ES DO
ESTADO. O ESTATAL E ARBITRAL. PODERES DO JUIZ E DO
RBITRO. IMPEDIMENTO E O20. ARBITRAGEM.
COMPROMISSO ARBITRAL E USULA C RIA.
TUTELAS
DE NCIA ANTES, DURANTE E DEPOIS DO PROCESSO ARBITRAL.
O JUDICIAL DA A ARBITRAL. MEIOS
ALTERNATIVOS
DE NOVEMBRO DE DE 2010, DO CONSELHO
O DE CONFLITONACIONAL DE O NO 125 DE
29 A).
DA ARBITRAGEM. O PARA O DO
COMPROMISSO ARBITRAL. IMPEDIMENTO E DO
O
RBITRO. RESPONSABILIDADE DO RBITRO. O DO
PODER
.
Detalhadamente:
 Saber a estrutura do novo código (Parte Geral e Especial, p. ex.).
 Saber a aplicação do novo CPC aos processos que estejam pendentes quando
de sua vigência (aplicação imediata X isolamento dos atos processuais).
 Princípios regentes do processo civil, especialmente as inovações trazidas pelo
novo código (princípio da solução consensual, cooperação, boa-fé processual e
seus desdobramentos, paridade de tratamento, ordem cronológica de decisão,
dentre outros). Princípios do neoprocessualismo.
 Atenção para a ordem cronológica para julgamento (vejam as exceções a essa
regra).
 Autonomia do processo civil (desenvolvimento histórico).
 Toda teoria geral da ação e da jurisdição. Princípios que norteiam o direito de
ação e da função jurisdicional.
 Direito de ação concreto X abstrato. Teoria das condições da ação e da
asserção.
 Substitutos processuais, com enfoque para a mediação e arbitragem. Mudanças
na lei de arbitragem e na lei de mediação. Arbitragem e poder público em juízo.
Arbitragem nos contratos de adesão. Carta arbitral (novidade introduzida pelo
novo CPC). Autotutela e seus resquícios.
 Valorização da mediação no novo CPC e leitura da lei 13.140/15 (novidade) e
da Lei 9.307/96, especialmente as alterações de 2015. Entre essas duas leis,

30
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
sugiro que seja dada mais atenção ao tema arbitragem (cláusula
compromissória, compromisso arbitral, tutela de urgência, intervenção do
poder judiciário). Esse tema também pode ser cobrado nas matérias
humanísticas, justamente em virtude da importância da solução extrajudicial
de litígios.

31
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 03- COMPETÊNCIA E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL
NCIA. RIOS DE O E DE O.
NCIA ABSOLUTA E RELATIVA. CONFLITO DE
NCIA. O INTERNACIONAL.
DA COMPETÊNCIA INTERNA. DA COOPERAÇÃO NACIONAL. DOS
LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL E DA COOPERAÇÃO
INTERNACIONAL. DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL. DA
COOPERAÇÃO INTERNACIONAL.

Detalhadamente:
 Competência- atenção para a competência Federal X Estadual, conexão e
continência, declaração de nulidade de cláusula de eleição de foro.
Incompetência relativa e absoluta. Efeitos. Perpetuação da jurisdição
(exceções).
 Quanto a competência Federal X Estadual, vide a quem cabe decidir pela
existência de interesse do Ente Federal. Critérios de fixação da competência
previstos na CF (art. 109 e seguintes). Exclusão do ente federal da lide. Caráter
taxativo ou não da competência da Justiça Federal.
 Vide os limites da jurisdição nacional (exclusiva e concorrente). Os artigos 21 a
25 do NCPC são propensos a serem cobrados com grande incidência.
Litispendência internacional e conflito entre decisão nacional e estrangeira.
 Vide as formas de cooperação jurídica internacional, especialmente os
princípios norteadores, o objeto da cooperação (inclusive para obtenção de
provimentos liminares) e as espécies.
 Homologação de sentença estrangeira - saber o novo regramento trazido pelo
CPC que entrará em vigor. Vide a quem cabe decidir pela homologação e quais
são os pressupostos para tanto. Casos em que não haverá homologação.
 Atenção redobrada para auxílio direto e o conceito de autoridade central.
Saibam quem são as autoridades centrais no Brasil. Diferença entre carta
rogatória e homologação de sentença estrangeira. Competência constitucional
para a homologação ou exequatur.
 Princípio da reciprocidade.
 Competência para julgar demandas contra a Fazenda Pública (varas
especializadas).
 Saibam as regras que determinam a fixação da competência interna,
distinguindo ações pessoais e ações reais. Competência para julgar a sucessão
e partilha de bens, inclusive de estrangeiros.
 Distinção entre conexão e continência. Quando haverá a reunião para decisão
conjunta.
 Cláusula de eleição de foro (limites de validade).
 Arguição de incompetência. Fim das exceções. Matéria arguida como
preliminar. Prorrogação da competência relativa.
 Conceito e hipóteses em que há conflito de competência.

32
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Vejam a novidade introduzida pela cooperação nacional e formas em que pode
ocorrer. Importante nem tanto pelo conteúdo, mas por ser novidade, ao menos
formal, introduzida pelo novo código.

33
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 04- SUJEITOS DO PROCESSO
DAS PARTES E DOS PROCURADORES. DA CAPACIDADE PROCESSUAL.
DOS DEVERES DAS PARTES E DE SEUS PROCURADORES. DOS
PROCURADORES. DA SUCESSÃO DAS PARTES E DOS PROCURADORES.
DO JUIZ. DOS PODERES, DOS DEVERES E DA RESPONSABILIDADE DO
JUIZ. DOS IMPEDIMENTOS E DA SUSPEIÇÃO. DOS AUXILIARES DA
JUSTIÇA. DO MINISTÉRIO PÚBLICO. DA ADVOCACIA PÚBLICA. DA
DEFENSORIA PÚBLICA
Detalhadamente:
 Conceito de partes (clássico e moderno). Representação processual e
legitimidade extraordinária. Coisa julgada X justiça da decisão.
 Capacidade processual, capacidade de ser parte e capacidade postulatória.
Distinções.
 A quem será dado curador especial e quem exerce essa função.
 Outorga uxória (casos em que se faz necessária).
Art. 75 e 76- decorar.
 Deveres das partes e multa por má-fé processual. Responsabilidade por dano
processual.
 Atenção com o capítulo das despesas, honorários e multas. Redobre a atenção
quando for estudar honorários advocatícios, especialmente quando for parte a
Fazenda Pública.
 Gratuidade de Justiça- tema deslocado para o NCPC, logo é novidade e merece
atenção. Assistência gratuita a pessoa jurídica. Revogação do benefício.
Decisão de deferimento e indeferimento (recurso cabível). Deferimento na fase
recursal.
 Procuradores- leitura do código. Atenção para o caso em que se permite litigar
sem procuração. Ausência de juntada da procuração (alteração em relação ao
CPC antigo quanto aos efeitos).
 Procedimento de substituição de partes e seus procuradores. Consequências da
omissão na substituição.
 Do juiz - atos praticados, bem como impedimento e suspeição (atenção com os
novos casos). Incidente de impedimento e suspeição (procedimento).
Responsabilidade civil do juiz.
 Ministério Público - Atuação como fiscal da lei e como parte (atuação no
processo coletivo). Prerrogativas do membro e hipóteses de impedimento e
suspeição. Formas de intimação e prazos para manifestação. Participação do
MP quando houver interesse da Fazenda Pública.
 Leitura atenta do capítulo referente a Advocacia Pública e a Defensoria
Pública. Prazos de manifestação e formas de intimação. Responsabilidade civil.
OBS. As funções essenciais à justiça serão estudadas em constitucional (sugiro
Pedro Lenza).

34
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Demais intervenientes - basta o CPC seco (art. 150 a 175). Atenção redobrada
com os conciliadores e mediadores (novidade).
 Representação dos órgãos públicos em juízo, bem como sua legitimação para
pleitearem em nome próprio. Representação das pessoas jurídicas de direito
público.

35
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 05- INTERVENÇÃO DE TERCEIRO
DO LITISCONSÓRCIO. DA INTERVENÇÃO DE TERCEIROS. DA
ASSISTÊNCIA. DA DENUNCIAÇÃO DA LIDE. DO CHAMAMENTO AO
PROCESSO. DO INCIDENTE DE DESCONSIDERAÇÃO DA
PERSONALIDADE JURÍDICA. DO AMICUS CURIAE
Detalhadamente:
 Atenção com intervenção de terceiros, especialmente as envolvendo a Fazenda
Pública (denunciação da lide ao servidor, bem como chamamento nas ações de
medicamentos). Mas todas são importantes.
 Veja com cuidado as espécies de assistência, e sua diferença de regime jurídico.
Distinção entre coisa julgada e justiça da decisão.
 Muita atenção para as mudanças do novo CPC quanto ao tema, p. ex.: a
oposição deixa de existir como intervenção de terceiro e passa a ter regramento
como ação autônoma de procedimento especial; a nomeação à autoria deixa de
existir como forma de intervenção, mas ainda há a possibilidade de correção do
polo passivo pelo autor; a vedação da denunciação da lide por saltos e a
permissão de apenas uma denunciação sucessiva.
 Incidentes de desconsideração da personalidade jurídica (procedimento).
Efeitos. Desconsideração inversa.
 Amicus Curiae - para quem estuda pelo P. Lenza, já o terá feito em
constitucional. Atenção para a possibilidade de recurso, e quem pode ser
admitido como amicus curiae. Vejam, ainda, o capítulo específico do novo CPC
sobre o tema. Poderes do amicus curiae.

36
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DA FORMA, DO TEMPO E DO LUGAR DOS ATOS PROCESSUAIS. DOS
PRAZOS. DA COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS. DA CITAÇÃO.
DAS CARTAS. DAS INTIMAÇÕES. DAS NULIDADES. DA DISTRIBUIÇÃO E
DO REGISTRO. DO VALOR DA CAUSA
Detalhadamente:
Foco: lei seca.
 Atos- cuidado com a forma, tempo e lugar dos atos processuais. Publicidade
dos atos. Adaptabilidade do procedimento por vontade das partes. Calendário
para a prática dos atos processuais.
 Atos processuais eletrônicos. Leitura da lei específica (Lei 11.419/2006).
 Atos das partes, especialmente a desistência.
 Atos do juiz. Sentença não assinada. Atos que podem ser delegados a
servidores.
 Preclusão merece destaque (espécies). Benefícios de prazos em dobro para
certos Entes. Prematuridade do ato. Contagem dos prazos. Suspensão dos
prazos. Data do início do prazo. Prazo próprio X impróprio.
 Quanto aos atos processuais em si (intimações, citações, cartas,
movimentações) basta ler o CPC, salvo no que tange à citação (saber os efeitos
e as mudanças no novo CPC). Espécies de citação e quando usar cada uma das
modalidades. Citação ficta.
 Cartas- espécies e requisitos. Carta arbitral (novidade).
 Casos de distribuição da causa por dependência.
 Teoria das nulidades e princípios norteadores. Aproveitamento dos atos
processuais.
Valor da causa- apenas decorar os art. 291 a 293.
 Relembrando- o foco principal é a leitura da lei seca.

37
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 07- DAS TUTELAS PROVISÓRIAS
DA TUTELA PROVISÓRIA. DA TUTELA DE URGÊNCIA. DO
PROCEDIMENTO DA TUTELA ANTECIPADA REQUERIDA EM CARÁTER
ANTECEDENTE. DO PROCEDIMENTO DA TUTELA CAUTELAR
REQUERIDA EM CARÁTER ANTECEDENTE. DA TUTELA DA EVIDÊNCIA
Detalhadamente:
 Tema prioritário, conforme provas recentes.
 Novidades introduzidas pelo novo CPC (fim dos processos cautelares - existirão
apenas tutelas - tutela inibitória, estabilidade da tutela provisória satisfativa
deferida em caráter antecedente etc.).
 Entender como e porque se deu a reestruturação das tutelas de urgência
(cautelares e antecipadas). O que mudou em comparação com o CPC anterior
(muita coisa).
 Vide a teoria geral das tutelas provisórias. Vide as espécies de tutelas
provisórias fundadas na urgência e na evidência. Tutela provisória antecedente
ou incidente.
 Competência para conceder tutelas provisórias.
 Tutela antecipada antecedente: requisitos para concessão. Tutela de urgência
antecipada e cautelar. Reparação do dano em caso de revogação da tutela. Vide
ainda todo o procedimento dessa tutela, especialmente a necessidade de aditar
a inicial quando a tutela for obtida em caráter antecedente.
 Estabilização da tutela de urgência (cuidado, tema de fundamental
importância).
 Tutela cautelar antecedente: o que é e procedimento. Casos em que cessa a
eficácia da cautelar obtida. Coisa julgada em sendo reconhecida prescrição e
decadência. Poder geral de cautela.
 Tutela de evidência: conceito e pressupostos. Hipóteses de cabimento e casos
em que a decisão poderá ser liminar.
 Vedações a antecipação de tutela contra a Fazenda Pública. Casos e forma de
impugnar a decisão (agravo de instrumento, suspensão de liminar e reclamação
constitucional).

38
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 08 E 09- PROCEDIMENTO
DA FORMAÇÃO, DA SUSPENSÃO E DA EXTINÇÃO DO PROCESSO. DO
PROCEDIMENTO COMUM. DA PETIÇÃO INICIAL. DA IMPROCEDÊNCIA
LIMINAR DO PEDIDO. DA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO OU DE
MEDIAÇÃO. DA CONTESTAÇÃO. DA RECONVENÇÃO. DA REVELIA. DAS
PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES E DO SANEAMENTO. DO JULGAMENTO
CONFORME O ESTADO DO PROCESSO. DA AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO
E JULGAMENTO
Detalhadamente:
 Saber o momento exato em que a ação é considerada proposta. Prevenção e
efeitos em relação ao réu.
 Causas de suspensão do processo (art. 313). Questões e processos prejudiciais.
Questão que precisa ser decidida primeiro no juízo criminal.
 Procedimento comum. Requisitos da petição inicial e casos de inépcia e outros
casos de indeferimento. Pedidos e a possibilidade de cumulação. Requisitos
para cumulação. Peculiaridades da apelação no caso de indeferimento da
inicial.
 Saber cada detalhe da improcedência liminar do pedido (art. 332). Comparar
com o art. 285-A do CPC/73.
 Audiência inicial de conciliação e mediação (saber bem, pois é uma grande
novidade). Casos de dispensa.
 Contestação- princípios norteadores e matérias de defesa. Preliminares X
prejudicias. Defesas de mérito diretas e indiretas.
 Atenção para o fim das exceções. Incompetência e impugnação à justiça
gratuita como preliminares.
 Ilegitimidade de parte alegada na contestação e possibilidade de substituição
do réu.
 Emenda da inicial e alteração do pedido.
 Atenção para as exceções ao ônus da impugnação especificada. Matérias que
não se sujeitam a preclusão e que, por isso, podem ser alegadas a qualquer
tempo.
 Reconvenção- autonomia. Reconvenção proposta por e em face de terceiros
(ampliação da lide).
 Revelia- conceito e hipóteses. Casos em que não se verifica a revelia. Efeitos da
revelia (processual e material).
 Providências preliminares- casos em que haverá réplica.
 Julgamento conforme o estado do processo- pressupostos do julgamento
antecipado do mérito. Atenção para a novidade: julgamento antecipado parcial
do mérito.
 Saneamento e inversão do ônus da prova. Eficácia preclusiva do saneamento.
Fixação de pontos controvertidos.
 Audiência de instrução e julgamento: muita lei seca (art. 358 a 368). Saibam a
ordem de atos (montem um esquema).
39
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Fim do procedimento sumário.

40
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 10- TEORIA GERAL DAS PROVAS
Detalhadamente:
Foco: lei seca.
 Prova - saber a teoria geral, sem se preocupar tanto com os meios de prova
(quanto aos meios de prova, os mais importantes são depoimento pessoal,
interrogatório e prova emprestada. Para os demais, basta ler os artigos do
CPC).
 Formação da convicção do juiz. Princípio da oralidade. Princípios de
valoração da prova (persuasão racional).
 Prova ilícita.
 Ônus da prova e sua inversão, inclusive voluntária. Prova diabólica.
 Atenção para a produção antecipada de prova (antes era cautelar), hoje um
mero incidente.

Em meios de prova, atenção para:


Ata notarial (novidade). Conceito.
 Cuidado com confissão. Espécies e requisitos de validade.
 Depoimento pessoal X interrogatório.
 Testemunhas – impedimentos, contradita, valoração das informações.
 Exibição de coisa ou documento- houve uma ampliação do regramento, então
há chances de ser cobrada.
 Reitero: basta saber a teoria geral da prova (mais importante). Feito isso, foque
na leitura da legislação seca para as provas em espécie.

41
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 11- DA SENTENÇA E DA COISA JULGADA. DA LIQUIDAÇÃO DE
SENTENÇA
Detalhadamente:
 Sentença- conceito e elementos. Casos de resolução do processo com
julgamento de mérito (art. 487), e sem resolução de mérito (art. 485). Decorem
os dispositivos.
 Art. 488- novidade. Atenção.
 Diversas espécies de sentença (condenatória, declaratória, mandamental).
Vícios da sentença. Hipoteca judiciária. Sentença nas obrigações de fazer, não
fazer e entrega de coisa. Tutela específica e pelo resultado equivalente.
Conversão em perdas e danos.
 Convicção judicial- limites quanto a extensão e profundidade.
 Remessa necessária- conceito e natureza jurídica. Casos de dispensa (atenção
para a alteração de valores e ampliação das dispensas).
 Coisa julgada: conceito. Coisa julgada formal e material. Art. 503, parágrafo
primeiro (novidade). Princípio do deduzido/dedutível. Coisa julgada rebus sic
stantibus.
 Liquidação de sentença: espécies. Liquidação por artigos ou por arbitramento.
Liquidação por iniciativa da parte vencida. Liquidação na pendência de
recurso.

42
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 12 E 13- CUMPRIMENTO DE SENTENÇA
DO CUMPRIMENTO PROVISÓRIO DA SENTENÇA QUE RECONHECE A
EXIGIBILIDADE DE OBRIGAÇÃO DE PAGAR QUANTIA CERTA. DO
CUMPRIMENTO DEFINITIVO DA SENTENÇA QUE RECONHECE A
EXIGIBILIDADE DE OBRIGAÇÃO DE PAGAR QUANTIA CERTA. DO
CUMPRIMENTO DE SENTENÇA QUE RECONHEÇA A EXIGIBILIDADE DE
OBRIGAÇÃO DE PRESTAR ALIMENTOS. DO CUMPRIMENTO DE
SENTENÇA QUE RECONHEÇA A EXIGIBILIDADE DE OBRIGAÇÃO DE
PAGAR QUANTIA CERTA PELA FAZENDA PÚBLICA. DO CUMPRIMENTO
DE SENTENÇA QUE RECONHEÇA A EXIGIBILIDADE DE OBRIGAÇÃO DE
FAZER, DE NÃO FAZER OU DE ENTREGAR COISA
Detalhadamente:
 Processo Sincrético (saber o que é).
 Saber quais são os títulos executivos judiciais. Quais exigem processo autônomo.
 Competência para o julgamento do cumprimento de sentença.
 Protesto da sentença (novidade). Regramento completo.
 Cumprimento provisório de sentença- casos de admissibilidade e suas exigências.
Necessidade de garantir o juízo e casos em que se dispensa essa garantia.
Responsabilidade em caso de dano no cumprimento provisório de sentença.
Execução provisória das astreintes.
 Cumprimento de sentença que impõe pagamento de quantia- iniciativa e intimação.
Multa por inadimplemento. Pagamento parcial.
 Impugnação- efeitos. Matérias que podem ser arguidas (especialmente a
inconstitucionalidade da norma). Depósito oferecido pelo réu antes de iniciar o
cumprimento de sentença (novidade).
 Sentença que imponha o pagamento de alimentos- prisão civil e desconto em folha.
Alimentos provisionais (conceito). Alteração do valor devido de alimentos por
modificação fática. Tema prioritário por envolver alimentos (cobrança recorrente).
 Cumprimento de sentença contra a Fazenda Pública- grande novidade. Intimação e
não mais citação da Fazenda Pública. Não aplicação da multa processual por
inadimplemento. Impugnação da Fazenda Publica (e não mais embargos). Casos
em que se expede precatório e casos em que se expede RPV.
 Cumprimento de sentença que imponha obrigação de fazer, não fazer e entrega de
coisa- pouca coisa mudou. Atenção para a execução específica, bem como para as
providências que asseguram o resultado equivalente. Medidas de apoio. Rol
exemplificativo.
 OBS- cumprimento de sentença tem muitos julgados antigos que continuam em
vigor (ex. para a incidência da multa, basta a intimação do devedor na pessoa de
seu advogado; as astreintes não fazem coisa julgada, mas só podem ser alteradas,
segundo o STJ, se estiverem em valor desproporcional ou muito elevado; cabem
contra a Fazenda Pública, mas não contra o Advogado Público etc.).

43
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 14, 15 E 16- DO PROCESSO DE EXECUÇÃO
DAS PARTES. DA COMPETÊNCIA. DOS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA
REALIZAR QUALQUER EXECUÇÃO. DA RESPONSABILIDADE
PATRIMONIAL. DAS DIVERSAS ESPÉCIES DE EXECUÇÃO. DA
EXECUÇÃO PARA A ENTREGA DE COISA. DA EXECUÇÃO POR QUANTIA
CERTA. DA EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. DA EXECUÇÃO
DE ALIMENTOS
DOS EMBARGOS À EXECUÇÃO. DA SUSPENSÃO E DA EXTINÇÃO DO
PROCESSO DE EXECUÇÃO. DA SUSPENSÃO DO PROCESSO DE
EXECUÇÃO. DA EXTINÇÃO DO PROCESSO DE EXECUÇÃO
Detalhadamente:
 Ver toda a teoria geral do processo de execução.
 Título executivo (distinção entre os judiciais e os extrajudiciais). Judiciais que
são executados em processo autônomo. Distinção entre cumprimento de
sentença e execução por título extrajudicial.
 Execução provisória por título extrajudicial (persistência?).
 Atenção para as fraudes (contra a execução e contra credores, distinções), atos
atentatórios a dignidade da justiça praticados na fase de execução.
 Desistência da execução e reflexo nos embargos.
 Expropriação e estudos das diversas formas pelas quais o credor pode se
satisfazer.
 Merece cuidado a execução contra a Fazenda Pública (e respectivo embargo) e
execução de alimentos fundada em título extrajudicial (novidade).
 Atenção para as respostas do réu, e as defesas anômalas (exceção de pré-
executividade). Saber bem os requisitos dos embargos e seus efeitos.
 Foco nessa parte: lei seca. Saibam, por exemplo, o regramento da penhora,
como, p.ex. a penhora de faturamento da empresa, saibam ainda as causas de
suspensão e extinção da execução. Destaque para a impenhorabilidade do bem
de família (tema recorrente) – casos em que se admite a penhora do bem de
família (jurisprudência correlata).
 Enfim, teoria geral da execução deve estar bem dominada, após focar em lei
seca para as regras específicas.

44
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 17- DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS E DOS MEIOS DE
IMPUGNAÇÃO DAS DECISÕES JUDICIAIS
DA ORDEM DOS PROCESSOS E DOS PROCESSOS DE COMPETÊNCIA.
ORIGINÁRIA DOS TRIBUNAIS. DA ORDEM DOS PROCESSOS NO
TRIBUNAL. DO INCIDENTE DE ASSUNÇÃO DE COMPETÊNCIA. DO
INCIDENTE DE ARGUIÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE. DO
CONFLITO DE COMPETÊNCIA. DA HOMOLOGAÇÃO DE DECISÃO
ESTRANGEIRA E DA CONCESSÃO DO EXEQUATUR À CARTA
ROGATÓRIA. DA AÇÃO RESCISÓRIA
DO INCIDENTE DE RESOLUÇÃO DE DEMANDAS REPETITIVAS. DA
RECLAMAÇÃO
Detalhadamente:
 Tema sempre muito cobrado sob a vigência do anterior diploma e ganhou ainda
mais destaque nas provas com o novo código.
 Vide o art. 927, pois criou deveres para os Tribunais. Valorização da
jurisprudência no novo CPC.
Ordem de processos nos Tribunais: basicamente lei seca.
 Incidente de assunção de competência: importantíssimo, pois se trata de
novidade. Entender como funciona essa nova sistemática e quando ocorrerá.
 Arguição de inconstitucionalidade: importante, especialmente em virtude da
cláusula de reserva de plenário. Súmulas vinculante n. 10.
 Conflito de competência: conceito, hipóteses, órgão competente para
julgamento. Lei seca para o rito.
 Homologação de sentença estrangeira e exequatur a rogatória: rito e
competência. Execução em primeira instância (justiça federal). Casos em que
não haverá homologação. Coisa julgada nacional X estrangeira (qual
prevalece?).
 Ação rescisória- muito importante. Prazo e requisitos (depósito especialmente).
Casos de rescisão (análise comparativa com o código anterior). Juízo rescisório
e rescindente. Competência para julgamento.
 Incidente de resolução de demandas repetidas: novidade, logo atenção
redrobrada. Requisitos de admissibilidade e processamento. Recurso cabíveis
no julgamento do incidente e revisão da tese firmada.
 Reclamação: saber o que é, além das hipóteses de cabimento. Natureza jurídica.
Cabimento do TRT, TRF e TJs?
 OBS- Os dois institutos grifados são de predileção dos examinadores sob a
vigência do novo CPC.

45
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 18 E 19- DOS RECURSOS
DA APELAÇÃO. DO AGRAVO DE INSTRUMENTO. DO AGRAVO INTERNO.
DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. DOS RECURSOS PARA O SUPREMO
TRIBUNAL FEDERAL E PARA O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA.
Detalhadamente:
 Esse tema sempre foi prioritário desde o CPC antigo. É a matéria com maior
incidência em provas.
 Saibam toda a teoria geral dos recursos (princípios, tais como taxatividade,
unirrecorribilidade etc, e suas exceções). Estudos dos sucedâneos recursais.
Recurso adesivo (entender a sistemática).
 Efeitos dos recursos, especialmente da apelação. Extensão e profundidade do
efeito devolutivo.
 Pressupostos recursais objetivos e subjetivos. Juízo de admissibilidade (qual
juízo deve o fazer em cada um dos recursos).
 Cuidado com os requisitos gerais, sucedâneos recursais e recursos
extraordinários (todas as especificidades e diferenças) Atenção para os
princípios recursais.
 Formas de interposição.
 Atenção para o fim do agravo retido (como suprir essa lacuna).
 Dentre os recursos, os mais importantes são apelação, agravo de instrumento,
recurso especial e extraordinário. Foco aqui.
 Posturas do relator no Agravo de Instrumento também são de suma
importância. A cautelar para obter efeito suspensivo também merece destaque.
Saibam os pressupostos especiais de admissibilidade do RE e do RESp.
 Repercussão geral e julgamento de recursos repetidos.
 Recurso inominado e embargos previstos na lei de execuções fiscais.
 Enfim, esse tema é prioridade, detalhei para facilitar, mas todos os temas de
recursos gozam de importância redobrada.

46
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 20 E 21- PROCEDIMENTOS ESPECIAIS
JUIZADOS ESPECIAIS – PRIORIDADE ABSOLUTA – DOMINAR A LEI
9.099/95.
DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS
DA AÇÃO MONITÓRIA
DA OPOSIÇÃO
DA AÇÃO DE DISSOLUÇÃO PARCIAL DE SOCIEDADE
A AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO
DA AÇÃO DE EXIGIR CONTAS
DA AÇÃO DE DIVISÃO E DA DEMARCAÇÃO DE TERRAS PARTICULARES
DO INVENTÁRIO E DA PARTILHA
DOS EMBARGOS DE TERCEIRO
DA HABILITAÇÃO
DAS AÇÕES DE FAMÍLIA
DA HOMOLOGAÇÃO DO PENHOR LEGAL
DA REGULAÇÃO DE AVARIA GROSSA
DA RESTAURAÇÃO DE AUTOS
DOS PROCEDIMENTOS DE JURISDIÇÃO VOLUNTÁRIA

OBS. Em regra, esse dia até pode ser dispensado (salvo juizados, monitória,
possessórias, oposição e processos nos tribunais), desde que esteja muito corrido e,
por questões de estratégia, haja temas pendentes de estudos (de maior importância).
Detalhadamente:

 Atenção, ainda, para a Lei dos Juizados Especiais, inclusive da Fazenda


Pública. Diferenças em relação ao processo previsto no CPC. Leitura da lei
dos juizados estaduais (se já não lida em Fazenda Pública). Essas Leis devem
ser dominadas. Em alguns Estados são cobradas mais de 05 questões dos
juizados especiais, logo cuidado.
 Basicamente lei seca e jurisprudência, além de conhecer o conceito de cada
uma das ações. Veja as mudanças introduzidas pelo novo código na ação
monitória, a inclusão da oposição como procedimento autônomo e a ação de
dissolução de sociedades.
 Vide ainda as ações que deixaram de ser especial, tal como a de usucapião.

47
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Vide as ações possessórias- conceitos, diferenças quando se tratar de posses
nova e posse velha. Cumulação de pedidos.
 Ações relacionadas ao direito de família e sucessões sempre são cobradas. Vide
casos de inventário extrajudicial, por exemplo.
 Leia, ainda, a Lei de Processos de Competência Originária, na parte cível.
 Vide, ainda, competência delegada previdenciária (entender a sistemática
recursal).
 No mais: lei seca e jurisprudência. Confesso que muitas dessas ações eu jamais
li, e algumas poucas sequer sabia que existiam. Portanto, o estudo de TODAS
as ações especiais não se faz necessário para sua aprovação. Saibam as
principais apenas.
 Jurisdição voluntária- conceito e controvérsia sobre sua natureza. Quais são
suas diferenças em relação a jurisdição contenciosa (Ex: julgamento por
equidade). Os procedimentos em si: basta ler o novo CPC seco.
 OBS- Para concursos da Magistratura Estadual, tenham atenção com as ações
relativas a sucessão, com as de direito de família e naquelas em que ha
interesse social subjacente.

48
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 22, 23 E 24- AÇÕES RELACIONADAS À FAZENDA PÚBLICA EM
JUÍZO
EXECUÇÃO ESPECIAL: EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA,
EXECUÇÃO FISCAL. REMÉDIOS DE TUTELA EM FACE DO PODER
PÚBLICO: MANDADO DE SEGURANÇA. HABEAS DATA. JUIZADO DA
FAZENDA PÚBLICA E JUIZADOS ESPECIAIS. PEDIDO DE SUSPENSÃO DE
LIMINARES E DE SENTENÇAS
Detalhadamente:
 A indicação de livro é o de Guilherme Freire de Melo Barros ou de Leonardo
Carneiro da Cunha (a critério do aluno). Eu prefiro a obra de Guilherme por
ser menor e ter praticamente o mesmo conteúdo da de Leonardo.
 Para quem estuda para um concurso futuro (que não está em fase de reta final),
inclua Fazenda Pública no seu estudo e o faça bem feito. Vale a pena investir
em um livro.
 Grifei os temas mais importantes, mas o ideal é estudar o livro completo (OBS-
Muita gente vai mal em Processo Civil, pois não conhece a atuação processual
da Fazenda Pública):

Vamos a esquematização segundo a obra de Guilherme:


CAPÍTULO I – Direito processual público – apenas o conceito.
CAPÍTULO II – Fazenda Pública – atenção para conceitos. Quem integra e
quem não integra. Situação dos correios, dos conselhos profissionais (com
ressalva para a OAB), das empresas públicas e sociedades de economia mistas.
CAPÍTULO III – Prazos – atentar-se para as situações em que há benefícios
de prazo e para aquelas em que não há. Decorar as prerrogativas (todas).
CAPÍTULO IV – Prescrição - distinguir trato sucessivo de fundo do direito.
Prazo em caso de interrupção. Prazo em caso de responsabilidade civil
(recente julgado).
CAPÍTULO V – Valores exigidos do poder público no curso do processo -
atenção para o pagamento de multas e a possibilidade de serem fixadas
astreintes em face da FP. Multas (inclusive no novo CPC).
CAPÍTULO VI – Poder público como réu - Atenção para formas de citação e
a aplicação ou não dos efeitos da revelia.
CAPÍTULO VII – Intervenção do Poder Público - atenção para a intervenção
anômala. Todos os detalhes são importantes, especialmente os pressupostos e
saber se há ou não deslocamento da competência.
CAPÍTULO VIII – Tutela de urgência contra o Poder Público - tema de suma
importância. Aprender todas as hipóteses em que é vedada e os meios de

49
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
atacar essa decisão (agravo, suspensão de liminar e reclamação
constitucional). Lembrar do ADC 4.
CAPÍTUO IX – Pedido de suspensão - procedimento e hipóteses de cabimento.
Pedido de suspensão sucessivo e recursos.
CAPÍTULO X – Reexame necessário- importantíssimo. Muito cuidado, pois tem
muito detalhe. Cabimento quando a sentença for ilíquida, cabimento na tutela
coletiva, interpretação restritiva.
CAPÍTULO XI – Execução contra a Fazenda Pública – Atenção redobrada,
especialmente em virtude das alterações promovidas pelo novo CPC. Dominar
regime de precatório e RPV.
CAPÍTULO XII – Execução fiscal – estudar em processo judicial tributário.
CAPÍTULO XIII – Reclamação constitucional - já estudada em Direito
Constitucional. Revisar a natureza do instituto, cabimento. Regramento no novo
CPC.
CAPÍTULO XIV – Ação monitória - basta saber que cabe contra a FP.
CAPÍTULO XV – Mandado de segurança - tudo. Não deixe espaço para erros.
Aprender todas as súmulas aplicáveis e hipóteses em que se admite e em que
não se admite o mandado de segurança. Mandado de segurança coletivo
(cabimento e legitimados) – vai cair!
CAPÍTULO XVI – Habeas data - Lei seca basta + o que tiver no livro de
Constitucional.
CAPÍTULO XVII – Mandado de injunção - Basta o que tem no livro de
constitucional + leitura da nova lei publicada recentemente.
CAPÍTULO XX – Desapropriação - saber tudo - importantíssima. Imissão
provisória na posse, honorários, matérias de defesa, rito – pode ser tema de
segunda fase.
CAPÍTULO XXI – Juizados especiais - importância redobrada (especialmente
para TJs que cobram essa matéria de forma específica, como é o caso do
Paraná). Não deixem de estudar as peculiaridades do procedimento
sumaríssimo, bem como juizados da Fazenda Pública.

OBS. Chamo atenção para ações envolvendo o fornecimento de medicamentos,


para complementação de aposentadorias e pensões, de responsabilidade civil
(denunciação da lide, por exemplo) e de desapropriação. Foco, ainda, em
juizados especiais, pois grande parte das demandas do Poder Judiciário
Estadual são

50
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
51
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 25, 26 E 27 - PROCESSO COLETIVO
INTERESSES DIFUSOS, COLETIVOS E INDIVIDUAIS HOMOGÊNEOS.
DEFESA DOS INTERESSES DIFUSOS, COLETIVOS E INDIVIDUAIS
HOMOGÊNEOS EM JUÍZO: PRINCÍPIOS GERAIS. TUTELA DOS
INTERESSES TRANSINDIVIDUAIS. CONCEITO. ESPÉCIES. MECANISMOS
PROCESSUAIS E RESPECTIVOS PROCEDIMENTOS. AÇÃO POPULAR.
MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO.
Detalhadamente:
 Esses dias são de fundamental importância para a aprovação, pois sobre ACP
sempre cai mais de uma questão. Como obra, sugerimos somente a parte de
ACP do Livro do Cleber Masson.
Atenção para os legitimados (legitimação concorrente e disjuntiva), os bens e
direitos que podem ser tutelados por ACP (e os que não podem), microssistema
de processo coletivo, atuação do MP nas ações coletivas (como autor e fiscal da
lei), fundo dos direitos difusos, Inquérito Civil (atenção redobrada, forma de
instauração, arquivamento), termo de ajustamento de conduta, condenação em
honorários.
Há muitas súmulas relacionadas à legitimidade das instituições, logo, cuidado.
Sugiro que todas sejam lidas até a prova;
Atenção para a distinção entre direitos difusos, coletivos e individuais
homogêneos (CDC). Regime de coisa julgada, forma de liquidação e
cumprimento da sentença.
 OBS- Muita gente esquece das regras processuais coletivas do CDC, e tais
regras estão caindo. Então cuidado com o alerta.
 Ação popular - bom saber. Ao menos leia um resumo e a lei. Conceitos básicos
e reexame necessário. Intervenção móvel.
 Mandado de segurança coletivo – bens objeto de tutela, legitimados e prazo
decadencial. No mais, conheça o regramento do mandado de segurança
individual.

52
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO DO CONSUMIDOR
4 DIAS

DIA 01 - DIREITOS DO CONSUMIDOR. DISPOSIÇÕES GERAIS. POLÍTICA


NACIONAL DE RELAÇÕES DE CONSUMO. DIREITOS BÁSICOS DO
CONSUMIDOR. QUALIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS. PREVENÇÃO E
REPARAÇÃO DOS DANOS. PROTEÇÃO À SAÚDE E À SEGURANÇA.
RESPONSABILIDADE PELO FATO DO PRODUTO E DO SERVIÇO.
RESPONSABILIDADE POR VÍCIO DO PRODUTO E DO SERVIÇO.
DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO. DESCONSIDERAÇÃO DA
PERSONALIDADE JURÍDICA.
DIA 02 - PRÁTICAS COMERCIAIS. DISPOSIÇÕES GERAIS. OFERTA.
PUBLICIDADE. PRÁTICAS ABUSIVAS. COBRANÇA DE DÍVIDAS. BANCOS
DE DADOS. CADASTROS DE CONSUMIDORES. PROTEÇÃO
CONTRATUAL. DISPOSIÇÕES GERAIS. CLÁUSULAS ABUSIVAS.
CONTRATOS DE ADESÃO. SANÇÕES ADMINISTRATIVAS. DEFESA DO
CONSUMIDOR EM JUÍZO. DISPOSIÇÕES GERAIS. AÇÕES COLETIVAS
PARA A DEFESA DE INTERESSES INDIVIDUAIS HOMOGÊNEOS. AÇÕES
DE RESPONSABILIDADE DO FORNECEDOR DE PRODUTOS E SERVIÇOS.
DA TUTELA ESPECÍFICA NAS OBRIGAÇÕES DE FAZER OU NÃO FAZER.
COISA JULGADA. SISTEMA NACIONAL DE DEFESA DO CONSUMIDOR.
CONVENÇÃO COLETIVA DE CONSUMO.
Detalhadamente:
 Penso ser suficiente o CDC seco + súmulas + jurisprudência.
 Inicialmente o aluno deve se atentar aos vários conceitos de consumidor
(inclusive a interpretação dada ao termo ‘destinatário final’ mitigada pelo STJ),
bem como ao conceito de fornecedor.
 Após, deve se atentar aos direitos básicos do consumidor, especialmente a
inversão do ônus da prova (saber, inclusive, o momento apropriado para sua
ocorrência).
 Após, saber a responsabilidade por fato do produto/serviço e vício do
produto/serviço. Distinguir fato de vício. Responsabilidade do profissional
liberal. Destaque aqui (muita gente confunde as regras e acaba errando).
 Saibam a decadência e a prescrição aplicadas ao direito do consumidor.
Decorem o art. 28.
 Publicidade aplicada às relações de consumo (distinção entre propaganda
abusiva e enganosa).
 Banco de dados e cadastros de consumo – absoluta prioridade. Tema
jurisprudencial (Ex: negativação e responsabilidade civil, negativação em caso
de inscrição preexistente).
 Proteção contratual do consumidor. Cláusulas abusivas. Direito de
arrependimento.

53
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Tome cuidado com a responsabilização no transporte aéreo, especialmente no
tema de indenização tarifada X CDC.
 Friso: atenção redobrada com as súmulas relacionadas a instituições
financeiras, bem como de temas atuais como cadastro positivo, pontuação de
consumo (score), bem como do CDC aplicado a contratos de incorporação
imobiliária (devolução total ou parcial de valores em caso de desistência do
contrato).
 Foco nas súmulas, lei seca e jurisprudência mesmo.
 Decorem o CDC. É inadmissível para sua aprovação o erro de questão relativa
ao CDC.

OBS- A parte de processo coletivo cai muito, mas será estudada em processo coletivo.
Preocupem-se com o direito material aplicado às relações de consumo nos dias de
estudos de consumidor.

54
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 03 - DUAS LEITURAS DO CDC

55
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 04- DUAS LEITURAS DO CDC (MAIS PRÓXIMO A PROVA)

56
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
5 DIAS

DIA 01, 02, E 03 - CONSECTÁRIOS EM MATÉRIA DE CRIANÇA E


ADOLESCENTE. A) PRINCÍPIO DA PRIORIDADE ABSOLUTA E
PROTEÇÃO INTEGRAL. B) PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA
HUMANA. C) PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO POPULAR. D) PRINCÍPIO DA
EXCEPCIONALIDADE. E) PRINCÍPIO DA BREVIDADE. F) PRINCÍPIO DA
CONDIÇÃO PECULIAR DE PESSOA EM DESENVOLVIMENTO. DOS
DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. A) DO DIREITO À VIDA E
À SAÚDE. B) DO DIREITO À LIBERDADE, AO RESPEITO E À DIGNIDADE.
C) DO DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA. D) DO
DIREITO À EDUCAÇÃO, À CULTURA, AO ESPORTE E AO LAZER. E) DO
DIREITO À PROFISSIONALIZAÇÃO E À PROTEÇÃO NO TRABALHO. DA
ADOÇÃO. DAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO. DA PREVENÇÃO. A)
DISPOSIÇÕES GERAIS. B) DA PREVENÇÃO ESPECIAL. C) DA
INFORMAÇÃO, CULTURA, LAZER, ESPORTES, DIVERSÕES E
ESPETÁCULOS. D) DOS PRODUTOS E SERVIÇOS. E) DA AUTORIZAÇÃO
PARA VIAJAR. F) DO JUIZ DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE (ARTS. 146 A
149, DA LEI Nº 8.069/1990).
Detalhadamente (3 dias para fechar a revisão doutrinária):
Decorar os artigos constitucionais sobre o tema (art. 226 a 230).
 Doutrina da proteção integral.
 O mais importante é a leitura do ECA seco e a revisão do seu próprio material
(via de regra, uma sinopse da Juspodvim) ou aulas de cursinho.
 Chamo a atenção para os direitos em si (inclusive da gestante e direito a
formação profissional), família natural e extensa, guarda, adoção (inclusive a
internacional), tutela, medidas de proteção, medida socioeducativa (grande
destaque aqui).
 Alimentos internacionais e adoção internacional (saber o procedimento, bem
como quem é a autoridade central – tramitação entre elas).
 Atuação do MP e remissão. Poderes do juiz, inclusive normativo.
 Atenção para os vários Conselhos. Vide as entidades de atendimento (e as
sanções que podem ser aplicadas a elas).
 Regramento geral dos procedimentos e dos recursos (importantíssimo).
Remissão concedida pelo juiz. Indispensabilidade do advogado no procedimento
para imposição de medida sócio educativa.
 Se for estudar os crimes em espécie contra criança e adolescente, o faça em
direito penal (legislação penal especial- atenção para pedofilia).
 Leitura da Lei do SINASE e de Alienação Parental.
 Atenção para as regras mínimas de Beijing, que costumam cair em provas de
Magistratura (e também para MP e DPE).

57
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Leitura das leis de alimentos (Lei no 5.478/68 e Lei no 11.804/08) e
investigação de paternidade (Lei no 8.560/92) – esse tema é bastante cobrado,
especialmente pelas peculiaridades que apresenta e pelo fato de os senhores
pretendem trabalhar diariamente com a temática.

Prioridades:
 Colocação em família substituta (todas as formas), conselho tutelar, medidas de
proteção, medidas socioeducativas, ato infracional (procedimento).

OBS- ECA é prioritário, pois lhe dará muitas questões, mesmo sendo uma matéria fácil
e pequena. Geralmente ECA e Direito Civil (por exemplo) são cobrados na mesma
quantidade, de forma que lhes pergunto: qual é mais fácil gabaritar? A resposta parece
óbvia. Logo se percebe, portanto, a importância dessa matéria.

58
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 04 - LEITURA DO ECA, DA LEI DO SINASE DE ALIENAÇÃO
PARENTAL
OBS. Como eu não estudava para concursos estaduais, deixava o ECA como um
dos meus últimos dias antes da prova, então o lia inteiro, e tinha um ótimo
desempenho.

59
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 05 - NOVA LEITURA DO ECA, DA LEI DO SINASE E DA LEI DE
ALIENAÇÃO PARENTAL.

60
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
GRUPO II

DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL


26 DIAS

DIAS 01, 02 E 03 - DIA 01- I – CONCEITO DE DIREITO PENAL. PIOS


CONSTITUCIONAIS PENAIS. RIA DO DIREITO PENAL. RIA
DO DIREITO PENAL BRASILEIRO, DOUTRINAS E ESCOLAS PENAIS.
FONTES DO DIREITO PENAL. A) DA O DA LEI PENAL (ARTS.
O
1 A 12).

Detalhadamente para os dias 01 e 02 - Criminologia:


 Saibam a formação história da criminologia, especialmente os conceitos
trazidos pela escola clássica e o positivismo sociológico. Vejam ainda os
entendimentos de Ferri, Lombroso e Garofafo. Saibam ainda o que defendia a
terza scuela.
 Saibam ainda a distinção entre determinismo e livre arbítrio.
 Teoria do etiquetamento e atavismo.
 Papéis da vítima no cometimento do crime. Vitimologia.
 Vejam a escola sociológica e as vertentes sociológicas da criminologia,
especialmente a Escola de Chicago, teoria da anomia, teoria da estrutura social
defeituosa, enfim, atenção para todas as vertentes sociológicas, que são as mais
importantes para provas.
 Estudar muito bem a teoria da pena, e saber suas funções (preventiva e
repressiva).
 Direito Penal do Inimigo, teoria das janelas quebradas e abolicionismo penal
merecem atenção.
 Criminalidade Organizada e em grandes organizações. Crimes do colarinho
branco (análise sob o aspecto sociológico).
 Ao estudar as escolas penais, tomem atenção para aprender o principal
expoente de cada uma delas (vincule a escola ao autor), bem como sobre o
conceito de crime, mormente a composição dos elementos do crime. A escola
clássica e a escola positiva costumam ser as mais cobradas.

Detalhadamente para o dia 03 (ou dia 01 e 02 para quem dispensar criminologia):


 Atenção especial para os princípios, especialmente legalidade, subsidiariedade,
intervenção mínima, ofensividade, lesividade, insignificância (todas as
vertentes, e jurisprudência do STF, Ex. não aplicação aos crimes funcionais).
 Analogia e interpretação analógica, distinções e aplicação no direito penal.
 Lei penal no tempo (atenção para a abolitio criminis e seus efeitos. Quem deve
aplicar a lei mais favorável ao réu), bem como lei penal no espaço (difícil, e
muito importante - saber os critérios e requisitos). Lembre-se: latrocínio é
crime contra o patrimônio, e não contra a vida (entenda sozinho o porquê da
61
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
observação, e se não entendeu, a matéria deve ser reestudada com mais
atenção).
 Norma penal em branco (espécies e sua relação com o princípio da legalidade).
Atenção para a revogação do complemento e a despenalização ou não da
conduta.
 Conflito Aparente de Normas - importantíssimo, talvez o mais importante do
dia. Atenção para a absorção.
 Direito Penal Militar - o mais importante é saber a competência para
julgamento (ex. em havendo crime doloso contra a vida, prevalece a
competência do Júri; Justiça Militar da União só tem competência penal e julga
civil, já a Justiça dos Estados tem competência civil, mas só julga militar).
Saber ainda a questão do HC contra punições disciplinares.
 Leitura do art. 1 ao art. 12 do Código Penal.

62
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 04 E 05- FATO TÍPICO. CONCEITOS DE CRIME. FATO TÍPICO.
CONDUTA. RESULTADO. NEXO DE CAUSALIDADE. IMPUTAÇÃO
OBJETIVA. TIPICIDADE. CONTRAVENÇÕES PENAIS. INFRAÇÕES
PENAIS DE REPERCUSSÃO INTERESTADUAL OU INTERNACIONAL.
SUJEITOS DO CRIME. OBJETOS DO CRIME. CLASSIFICAÇÃO DAS
INFRAÇÕES PENAIS.
Detalhadamente:
 Conceito doutrinário e legal de crime (tem diferença, OK). Aprender todas as
classificações (o livro do Cleber Masson é excelente nessa parte);
 As teorias causal, final e funcional são especialmente importantes. No
funcionalismo deve ser feita e sabida a distinção entre Jakobs e Roxin. Saibam
como cada uma dessas teorias estruturam o crime, especialmente no que tange
à movimentação do dolo (se normativo, se natural, se na culpabilidade, se no
fato típico). Atenção para o conceito de conduta em cada uma das escolas.
 Vejam em Jakobs o Direito Penal do Inimigo (e já façam a comparação com o
direito penal mínimo de Roxin, e o simbólico).
 Responsabilidade penal da pessoa jurídica - reprovação social - admitida para
crimes ambientais (único caso já regulamentado). Teoria da dupla imputação
(exigência ou não).
 Toda a teoria do crime é importante, então decorem cada teoria (friso: atenção
para a movimentação do elemento subjetivo).
 Fato típico (todos os elementos devem ser estudados). Teoria da indiciariedade.
Normas de extensão (temporal, causal e pessoal).
 Conduta - cuidado para a ausência de conduta, e seu conceito sob a óptica final
e causal.
 Omissão - espécies e posição de garante.
 Resultado (espécies). Crimes formais, materiais e de mera conduta.
 Relação de causalidade - atenção redobrada. Todas as teorias, especialmente
equivalência dos antecedentes (adotada), e imputação objetiva (mais importante
para provas).
 Tipicidade - material e formal; Atenção para a material, pois está diretamente
relacionada com o princípio da insignificância. Funções do tipo.

63
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 06 E 07- DOLO, CULPA E PRETERDOLO. FASES DO CRIME.
CONSUMAÇÃO E TENTATIVA. EXAURIMENTO. DESISTÊNCIA
VOLUNTÁRIA E ARREPENDIMENTO EFICAZ. ARREPENDIMENTO
POSTERIOR. CRIME IMPOSSÍVEL. CONCURSO DE PESSOAS.
Detalhadamente para demais elementos da tipicidade:
 Dolo - teorias e espécies são os temas de maior destaque.
 Culpa - cai mais que o dolo. Atenção para os crimes que não admitem a
modalidade culposa, espécies, e compensação de culpa. Elementos do crime
culposo despencam em prova.
 Preterdolo e sua distinção de crime qualificado pelo resultado.
 Consumação e tentativa - impossível não saber tudo. Decorem as teorias (saber
quando o agente ingressa na fase de tentativa – teorias - é imprescindível.
Crimes que não admitem tentativa. Ver quando o furto e o roubo se consumam e
as respectivas teorias. Consumação de crimes materiais contra a ordem
tributária, bem como no crime habitual impróprio. Distinção entre delitos
formais, materiais e de mera conduta.
 Aproveite e feche todas as formas de arrependimento e a desistência voluntária
(atenção para as consequências de cada um deles).

Detalhadamente para concurso de pessoas:


 Concurso de pessoas - tudo meus caros, especialmente teorias (acessoriedade
limitada, OK?), autor mediato, coautoria (em crime próprio e de mão própria).
 Distinção entre autor e partícipe (teoria do domínio do fato X domínio da
organização).
 Comunicação das circunstâncias e elementares.
 Cooperação dolosamente distinta.
 Lembrar que os crimes de mera conduta não admitem coautoria, mas admitem
participação.
 Concurso nos crimes culposos e nos crimes omissivos.

64
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 08, 09 e 10 - ANTIJURIDICIDADE. CAUSAS DE EXCLUSÃO. EXCESSO
NAS CAUSAS JUSTIFICATIVAS. CULPABILIDADE. COAÇÃO
IRRESISTÍVEL E OBEDIÊNCIA HIERÁRQUICA. IMPUTABILIDADE.
MENORIDADE. EMOÇÃO E PAIXÃO. EMBRIAGUEZ. INEXIGIBILIDADE
DE CONDUTA DIVERSA. COCULPABILIDADE. ERRO NO DIREITO
PENAL.
Detalhadamente para ilicitude (um dia e meio):
 Antijuridicidade - tudo, especialmente as causas de exclusão.
 Estado de necessidade - requisitos, e classificação (exculpante e justificante).
 Legítima defesa- tudo também. Legítima Defesa X atos de animais, Legítima
defesa X legítima defesa, requisitos para a sua configuração da reação
legítima- são alguns temas importantes.
 Excessos - intensivo e extensivo. Consequências.
 Consentimento do ofendido - saber as funções, e requisitos para afastar a
tipicidade ou a antijuridicidade.

Detalhadamente para culpabilidade (um dia e meio):


 Culpabilidade - conceito e evolução histórica (tema central para sua
aprovação). Teorias da culpabilidade (saber decor, ao menos no dia da prova).
Coculpabilidade e Teoria da Vulnerabilidade de Zafaroni.
 Chamo a atenção ainda para embriaguez e a teoria da actio libera in causa (e
da versari in re ilicita).
 Potencial consciência de ilicitude possui questões centrais e decisivas,
especialmente o erro de proibição que tem que estar dominado.
 Erro - tudo, especialmente erro de tipo X proibição e discriminante putativa
(teoria extremada X limitada). Aberratio (distinções, e qual a modalidade de
concurso de crimes que será aplicada). Teoria extremada X limitada da
culpabilidade. Consequências de cada uma das situações de erro.

Enfim, esses temas de hoje são centrais para a aprovação. Tudo que está no seu
livro é importante e pode cair. Ficar detalhando é um auxílio, mas o importante
é dominar, pois desses temas provavelmente sairão questões para sua prova.

65
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 11, 12 E 13- PENAS. FUNÇÃO DA PENA. ESPÉCIES DE PENA.
COMINAÇÃO. APLICAÇÃO. EXECUÇÃO DAS PENAS. DIREITO
PENITENCIÁRIO. EXECUÇÃO DAS PENAS E DAS MEDIDAS DE
SEGURANÇA. ESTUDO DA LEI DE EXECUÇÕES PENAIS. MEDIDAS DE
SEGURANÇA. LIVRAMENTO CONDICIONAL E SUSPENSÃO
CONDICIONAL DA PENA.
Detalhadamente:
 Pena - importantíssimo em todas as fases de seu concurso.
 Atenção para as finalidades das penas, bem como para a evolução dos sistemas
penitenciários (saibam quais são esses sistemas, bem como a característica
marcante deles – ex: silencio, silêncio e trabalho, caráter progressivo ou não.
 Eu chamaria a atenção para o entendimento jurisprudencial (pena além do
máximo ou inferior ao mínimo). Regime inicial de cumprimento (especialmente
em crimes hediondos), critérios de progressão e regressão (inclusive por salto).
Execução provisória da pena (novidade – acompanhar a posição do STF).
 Aquela parte das agravantes e atenuantes não é tão importante, bastando a
leitura do CP seco, bem como dominar a reincidência (não perca tempo
estudando o que é motivo torpe, fútil, ter mais de 70 anos, ou menos de 21 -
óbvio que parto do pressuposto que as definições básicas vocês já conhecem).
OBS. preciso que saibam os conceitos, bem como que consigam o analisar em
concreto em virtude de eventual segunda fase.
 Concorrência entre agravantes e atenuantes, bem como entre causas de
aumento e diminuição. Comunicabilidade das circunstâncias e elementares.
 Medida de segurança merece o necessário cuidado, especialmente saber as
modalidades e prazos (súmula nova aqui). Prescrição da medida de segurança.
 Leitura atenta da lei de execuções penais (atenção para o trabalho do preso,
permissão de saída e saída temporária, progressão de regime, remição pelo
trabalho e estudo, perda dos dias remidos, RDC, Regime disciplinar em geral).
 Vejam, ainda, algumas novidades, como o direito a assistência educacional,
atividades de execução indireta e serviços indelegáveis, classificação dos presos
provisórios e definitivos, estado de coisa inconstitucional, indenização ao preso
que vive situação degradante.
 Falta grave - saber no que ela interfere e no que não interfere. Competência
para legislar sobre direito penitenciário, e para regulamentar as faltas.
 Ver, ainda, o tema da transferência de presos.
 Os requisitos e espécies do Livramento/Sursis devem ser decorados bem perto
da prova. Caem com muita frequência.
 Reitero devido à importância: muito, mas muito cuidado com a jurisprudência
em tema de pena.

DIAS MAIS IMPORTANTES PARA A MAGISTRATURAL ESTADUAL NA MATÉRIA


DE DIREITO PENAL!

66
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 14 E 15- CONCURSO DE CRIMES. EFEITOS DA CONDENAÇÃO.
REABILITAÇÃO. PUNIBILIDADE E SUAS CAUSAS DE EXTINÇÃO +
LEITURA DA PARTE GERAL DO CÓDIGO PENAL
Detalhadamente:
 Concurso de crimes - muito importante, especialmente em virtude das mudanças
operadas entre estupro e atentado violento. Saber os requisitos e sistemas de
aplicação de cada um deles. Concurso formal impróprio e material benéfico.
Entendimentos do STJ/STF.
 Saibam os elementos necessários a configuração de cada uma das espécies de
concurso (especialmente para o crime continuado).
 Efeitos da condenação - importantíssimo. Vejam, ainda, a hipótese de alienação
antecipada (Cuidado - alteração legislativa em 2012). Saibam quais efeitos são
automáticos e quais não o são. Obrigação de reparar o dano.
 Reabilitação - basta lei seca e saber o recurso cabível.
 Extinção da punibilidade - domine prescrição (especialmente, retroativa, em
perspectiva - não admitida -, superveniente etc.). Saiba a diferença entre
anistia, graça e indulto. Consequências da abolitio e do perdão judicial (esse
último, mera sentença que declara extinta a punibilidade).

67
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO PENAL ESPECIAL

DIAS 16, 17 E 18 - CRIMES CONTRA A PESSOA. CRIMES RELACIONADOS


À REMOÇÃO DE ÓRGÃOS, TECIDOS E PARTES DO CORPO HUMANO E À
ESTERILIZAÇÃO CIRÚRGICA. CRIMES RELACIONADOS AO USO DE
EMBRIÕES HUMANOS. CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO.
Detalhadamente:
 Meus caros, vocês não terão tempo de estudar cada um desses crimes, portanto eu
direi a vocês os crimes que eu estudei e que sempre deu certo para as minhas
provas. Vocês podem ser surpreendidos? Claro que podem, e por isso o ideal é
estudar tudo, mas como o tempo é seu inimigo, segue minha estratégia. Nos crimes
que não forem entrar em detalhes, leiam apenas na legislação seca (e se
conhecerem alguma jurisprudência fiquem atentos).
Indico sempre material de cursinho (aulas), ou código comentado para os crimes
indicados como importantes. Para os demais, só li a lei seca mesmo.

OBS-Atenção - em leis especiais você deve se atentar para o que diverge do código penal,
ou seja, no que o regramento geral é afastado.

Nós sugerimos a seguinte estratégia. Estudem os seguintes crimes:


 Crimes contra a pessoa:
a- crimes contra a vida - crimes contra a vida- atenção especial para homicídio,
aborto e incitação ao suicídio. O grande destaque, entretanto, é o feminicídio, que
os senhores devem conhecer cada detalhe. Vejam as novas causas de aumento do
homicídio (inseridas em 2015).
b- lesões corporais (especialmente no âmbito familiar).
c- omissão de socorro.
d- crimes contra a honra (atenção para a revogação da lei de imprensa, bem como
para os crimes contra a honra cometidos contra funcionários públicos. Atenção
ainda para a retratação – inclusive pela imprensa, em sendo o caso).
e- demais- só lei seca.
 Remoção de órgãos – somente lei seca (tema pode ser, inclusive, dispensado).
 Uso de embriões – somente lei seca (tema pode ser, inclusive, dispensado).
 Crimes contra o patrimônio - furto, roubo, extorsões, apropriação indébita,
estelionato (causa de aumento nova, se o crime for praticado contra idoso),
receptação e as disposições gerais (atenção para as escusas absolutórias). Atenção
para os julgados correlatos (penso ser o mais importante) – trata-se de um
conjunto importante de crimes, especialmente sob o aspecto jurisprudencial.
Prioridades- crimes contra a vida e contra o patrimônio, então os estudem por um Código
Comentado (conforme indicação bibliográfica).

68
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 19, 20 e 21 - CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE IMATERIAL: DIREITO
AUTORAL, PROPRIEDADE INDUSTRIAL E PROPRIEDADE INTELECTUAL.
CRIMES CONTRA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO. CRIME CONTRA O
SENTIMENTO RELIGIOSO E O RESPEITO AOS MORTOS. CRIMES CONTRA
A DIGNIDADE SEXUAL. CRIMES CONTRA A FAMÍLIA. CRIMES CONTRA A
INCOLUMIDADE E PAZ PÚBLICAS. COLETA DE SANGUE E CRIMES
CONTRA A SAÚDE PÚBLICA. CRIMES RELACIONADOS A EVENTOS
ESPORTIVOS. CRIMES CONTRA A FÉ PÚBLICA. CRIMES CONTRA A
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CONDUTAS RELACIONADAS À GESTÃO
FISCAL, AO ENRIQUECIMENTO ILÍCITO.
Detalhadamente:
 Propriedade imaterial - só lei seca e o procedimento especial.
 Organização do Trabalho - competência é o mais importante junto com trabalho
escravo (saber o que acontece com as propriedades onde forem encontradas drogas
ou trabalhadores em regime de escravidão, Caso Brasil Verde – condenação junto
a CIDH e conceito moderno de escravidão). Só lei seca para o restante. Chamo
atenção, ainda, para o tráfico de pessoas (elementos típicos e demais detalhes).
 Sentimentos religiosos e respeito aos mortos - só lei seca.
 Dignidade sexual - estupro. Atenção para os efeitos da Lei 12.015 (se mais benéfica
ou não). Estupro de vulnerável e tráfico de pessoas. Depoimento da vítima nessa
espécie de crimes.
 Crimes relacionados à família - bigamia, e lei seca para os demais.
 Crimes contra a incolumidade - lei seca.
 No que tange a paz pública, apenas estudo do crime de associação criminosa e sua
distinção com o delito de organização criminosa. Atenção, ainda, para milícia
privada.
 Coleta de sangue e saúde pública - Lei seca. Estudo mais detalhado apenas do art.
273 do CP (e da [in]constitucionalidade de sua pena).
 Eventos esportivos - só lei seca.
 Crimes contra a fé pública - falsificação e uso de documento falso (atenção:
autodefesa não permite o uso de documento falso). Súmulas e princípio da
consunção. Moeda falsa. Falsificação de identificação de veículo automotor.
No mais, só lei seca.
 Crimes contra a Administração - conceito de funcionário, peculato, prevaricação,
concussão, corrupção ativa, corrupção passiva (exceção pluralística à teoria
monística) e prevaricação. Pouca coisa de contrabando e descaminho
(entendimentos jurisprudenciais quanto à natureza (formal ou material), princípio
da insignificância.
 Atenção para o crime de falso testemunho – competência e retratação.
 Os demais: basta ler o CP

Prioridades- crimes contra a dignidade sexual e crimes contra a administração.

69
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 22, 23, 24, 25 e 26 - LEIS PENAIS E PROCESSUAIS PENAIS

Primeiro, o cronograma é de 05 dias para fins de revisão, o que é mais que suficiente.

Para fins de estudo regular, faça em pelo menos 10/15 dias, OK?

DIA 01-

1- Crimes definidos na Lei no 11.343, de 23 de agosto de 2006.

 Lei de Drogas - estudá-la inteira hoje. Atenção para o procedimento,


associação para o tráfico, tráfico (especialmente o privilégio), bem como uso e
competência para julgamento. Estude toda a parte material e processual hoje.
PRIORIDADE MÁXIMA PARA MAGISTRATURA.
Vide tráfico nacional e internacional. Como distinguir uso de tráfico. Tráfico
privilegiado e caráter não hediondo. Progressão de regime. Propriedades onde
se encontre plantações de drogas (consequências). Procedimento especial
(interrogatório como primeiro ato – entendimento do STF).
Muita jurisprudência, razão pela qual recomendo a revisão de aulas de
cursinhos já minutadas ou a revisão do material já estudado pelos senhores.

2- Crimes contra a viol ncia dom stica e familiar (Lei no 11.340, de 7 de agosto de
2006).
 Violência doméstica e familiar - importantíssima. Saber a lei inteira, bem como
os entendimentos do STF. Atenção para a aplicabilidade da lei (a quem se
aplica), ao conceito de violência, bem como a natureza da ação penal (pública
incondicionada em caso de lesão corporal leve). Atenção ainda para as medidas
de proteção, bem como para o juízo especializado em violência doméstica (que
pode, inclusive, realizar a primeira fase do júri). Feminicídio (todos os
detalhes).

3- Crimes hediondos (Lei no 8.072, de 25 de julho de 1990).


 Lei de crimes hediondos – prioridade. Saber quais são os crimes hediondos e
equiparados (questão do tráfico privilegiado), consequências da hediondez
(inclusive prioridade na tramitação), progressão de regime. Enfim, essa lei é
prioridade.

DIA 02-
4- Crime Organizado (Lei 12.850/13).

70
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Organizações criminosas - tudo. Importantíssima (atenção para as técnicas de
investigação, juízo colegiado, crime autônomo). Diferença com o crime de
associação criminosa. Colaboração premiada deve ser dominada, pois será
cobrada. Saber se organização já era crime antes da Lei 12.850.

5- Crimes definidos na Lei 10.826, de 22 de dezembro de 2003.

 Só porte e posse de arma, bem como o que foi declarado inconstitucional


(atenção para a abolitio criminis temporária). Atenção para os julgados do STF
e STJ (desnecessidade de perícia, por exemplo, bem como crime de perigo
abstrato). Tráfico transnacional de armas.

6- ecuç ão Penal (Lei 7.210/84) – já estudada em direito penal parte geral, junto com
teoria da pena.

DIA 03-
7- Crimes de Lavagem ou cultaç ão de Bens, Direitos e Valores (Lei 9.613/98).
 Lei de lavagem de capitais - saber tudo, especialmente a evolução da
legislação, consumação do crime, bem jurídico tutelado, competência (e
competência para decidir sobre a reunião ou separação de processos), medidas
cautelares, fases dos atos de lavagem, restrição à aplicação ao art. 366 do CPP,
atuação do COAF etc. Diferença entre direito negro e direito sujo. Crimes
antecedentes. Processamento. Criação de varas especializadas por portaria.
Enfim, nada pode ser excluído.

8- Interceptação telefônica -
 Estudo da Lei de Interceptação Telefônica de forma detalhada (saber todos os
julgados relevantes), bem como a forma pela qual se opera a quebra do sigilo
bancário e fiscal (saber quem tem poderes para tanto). Tema muito importante
para o concurso pleiteado. OBS- só estudar se já não o fez no tema provas de
processo penal.

9- Lei de Tortura-

 Lei de tortura- também muito importante; saibam os tipos de tortura e efeitos da


condenação. Crime comum X crime especial.

10- Juizados Especiais Criminais–

71
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Saber a competência, peculiaridades em relação ao Código Penal e Processual
Penal, bem como tudo sobre transação penal e suspensão condicional do
processo (especialmente cabimento em caso de concurso de crimes,
consequências do descumprimento das condições, causas de revogação etc).

DIA 04-

11- Leitura da Lei Antiterrorismo – deverá ser sabido o conceito terrorismo, bem como
o que são atos terroristas. No geral, não há jurisprudência sobre o tema, então deve o
aluno se ater a lei seca.

AQUI ACABAM NOSSAS LEIS PRIORITÁRIAS E QUE CONCENTRAM 90% DA


PROVA DE LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL; O QUE VIER ABAIXO É UM
COMPLEMENTO, POIS A PRIORIDADE SÃO OS DIAS ANTERIORES.

12- Contravenções Penais– Apenas saber o que difere do Código Penal (basicamente
diferença de crimes e contravenções). Despenalização de tipos relacionados ao direito
penal do autor.

13- Crimes contra a crianç a e o adolescente (Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990)-


importantes, especialmente pedofilia na internet e venda de bebida alcoólica para
crianças. No mais, uma leitura rápida da lei.

14- Crimes contra o meio ambiente (Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998) – foquem
na parte geral da lei (art. 2º a 28). Veja, por exemplo, as diferenças nas atenuantes e
agravantes quando comparadas com o Código Penal. Responsabilidade penal da
pessoa jurídica. Não se preocupem, em regra, com os crimes em espécie (estratégia).

15- Crimes de trânsito (Lei no 9.503, de 23 de setembro de 1997)- atenção para o


homicídio culposo e para a direção sob influência de álcool.

16- Crimes eleitorais (Lei no 4.737, de 15 de julho de 1965, e Lei no 9.504, de 30 de


setembro de 1997) – atenção para a corrupção eleitoral e dispositivos especiais da
parte geral (aumento de pena fixo, pena mínima e máxima na ausência de previsão
específica).

DIA 05-

17- Crimes de preconceito de raç a ou cor (Lei no 7.716, de 5 de janeiro de 1989) -


apenas uma rápida leitura da lei seca. Diferenciar racismo com injúria racial.

18- Crimes de icitaç es e Contratos da dministraç ão blica (Lei 8.666/93) –


apenas lei seca e eventuais julgados (Ex: elementos exigidos para configuração do
crime do art. 89 da Lei de Licitações – exige dano e exige dolo específico).

72
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
19- Crimes de abuso de autoridade (Lei no 4.898, de 9 de dezembro de 1965) – apenas
lei seca.

20- Crimes contra as relaç es de consumo (Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990)-


apenas lei seca e eventuais julgados do STF/STJ (Ex: perícia e produtos com prazo de
validade vencido).

21- Crimes contra a ordem tri utá ria (Lei no 8.137, de 27 de dezembro de 1990) e a
ordem econ mica (Lei no 8.176, de 8 de fevereiro de 1991) – apenas lei seca,
competência e crimes que demandam constituição definitiva do crédito (natureza de tal
ato).

22- Crimes contra a economia popular (Lei no 1.521, de 26 de dezembro de 1951)-


apenas lei seca e dispositivos especiais, especialmente prazo do Inquérito.

23- Crimes falimentares (Lei no 11.101, de 9 de fevereiro de 2005)- Apenas saber a


natureza da sentença declaratória de falência. Se for estudar, basta lei seca.
24- Crimes contra os idosos (Lei no 10.741, de 1o de outubro de 2003) –apenas lei seca
e controvérsia quanto a (não) ampliação da aplicação da Lei 9.099.
25- Proteção a vítimas e testemunhas - lei seca, bem como regramento da delação
premiada nessa lei.

73
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO PROCESSUAL PENAL
20 DIAS

DIA 01 - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS E TEORIA GERAL DO PROCESSO


TEORIA DO PROCESSO. PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO PROCESSO
PENAL. SISTEMAS PROCESSUAIS. PRINCÍPIOS PROCESSUAIS PENAIS
NO PACTO DE SÃO JOSÉ DA COSTA RICA. NORMA DE DIREITO
PROCESSUAL PENAL NO TEMPO E NO ESPAÇO. INTERPRETAÇÃO E
INTEGRAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL.

Detalhadamente:

 Princípio inquisitivo X acusatório (reformas processuais que tornaram o


processo mais acusatório). Saber distinguir é importante e saber o que isso
reflete em nosso Código.
 Princípios - todos, especialmente verdade real, livre convencimento motivado,
juiz natural, promotor natural, identidade física. Atenção para a criação de
varas especializadas por resoluções dos tribunais. Redobre a atenção quando se
tratar de um princípio relacionado à atuação do órgão jurisdicional.
 Aplicação da lei processual no tempo (aplicação imediata e lei mista). Extinção
do protesto por novo júri.
 Atenção para os casos de extraterritorialidade da lei penal (revisar direito
penal aqui).
 Princípios específicos de interpretação do processo penal (destaque para o in
dubio pro reo).
 Leitura do regramento constitucional do processo penal (garantias penais e
processuais penais previstas no art. 5º da Constituição Federal). Vejam como
essas garantias refletiram nos princípios.
 Audiência de custódia (saibam o que é), relacionando-a aos princípios que ela
materializa.
 Leitura dos artigos: 5º da CF e 1º a 3º do CPP.

74
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 02 - INVESTIGAÇÃO E ATOS PRÉVIOS À QUEIXA/DENÚNCIA
PRINCÍPIOS E QUESTÕES RELATIVAS AOS INQUÉRITOS POLICIAIS E
INVESTIGAÇÕES CRIMINAIS.
HIPÓTESES E REQUISITOS PARA ARQUIVAMENTO DE INQUÉRITOS E
INVESTIGAÇÕES CRIMINAIS.
CONFLITO DE ATRIBUIÇÕES ENTRE MEMBROS DE MINISTÉRIO
PÚBLICO. DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÃO.

Detalhadamente:

 Inquérito Policial – no geral é um tema de muita importância (desde a forma de


instauração, diligências, arquivamento, prazo). Arquivamento indireto X
implícito. Coisa julgada e inquérito policial. Sistemática do art. 28.
 Estudo detalhado das atribuições do delegado de polícia, bem como do
indiciamento. Trancamento do Inquérito policial via HC. Cabimento de MS
contra ato do delegado. Sigilo do IP (inclusive em face do advogado).
Reconhecimento na fase de inquérito. Condução coercitiva e direito ao silêncio.
 Vide providências do delegado em caso de investigação do crime de tráfico de
pessoas, bem como de diligências no sentido de saber se a presa possui filhos
que dela dependam (o que poderá repercutir na prisão, por exemplo).
 Estudo das atribuições da Polícia Federal (lembrando que tais atribuições não
se confundem com a competência da Justiça Federal). Vide
http://www.dizerodireito.com.br/2015/05/lei-131242015-nova-atribuicao-
para.html.
 Valor probatório dos elementos de prova colhidos no inquérito policial.
Condenação única e exclusiva com base em informações colhidas no inquérito.
 Inquérito Policial e Termo Circunstanciado. Diferenças.
 Identificação do preso (inclusive genética). Decorar a lei respectiva (lei
12.037).
 Investigação pelo Ministério Público (teoria dos poderes implícitos –
entendimento do STF).
 Conflito de atribuições entre membros do Ministério Público - atenção
redobrada aqui (tema relacionado ao arquivamento – competência para
resolver o conflito – MUDANÇA DE ENTENDIMENTO).
 Lembrar do prazo diferenciado do inquérito na Justiça Federal, e atenção para
os poderes da autoridade policial e ao sigilo do IP (em relação ao advogado,
especialmente).
 Capacidade postulatória do delegado de polícia em certos casos.
 Leitura dos artigos: 4º a 23 do CPP.

75
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
76
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 03 - TEORIA DA AÇÃO PENAL
PRINCÍPIOS DA AÇÃO PENAL.
AÇÃO PENAL: ESPÉCIES. DENÚNCIA. QUEIXA.
CONDIÇÕES DA AÇÃO E PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS.
Detalhadamente:
 Ação penal - tudo é importante, já que é o início da persecução, sendo a
denúncia um dos atos mais importantes do processo penal.
 Atenção para todas as espécies de ação penal e formas de perda do direito de
punir (perempção, decadência, renúncia, perdão).
 Princípios da ação penal (a transação penal é exceção ao princípio da
obrigatoriedade e a suspensão condicional é exceção ao princípio da
indisponibilidade). Divisibilidade X indivisibilidade.
 Direito de representação na ação penal pública condicionada e sua retratação.
 Denúncia geral X genérica em crimes societários. Denúncia geral. Requisitos
da denúncia.
 Possibilidade de emendatio libeli pelo juiz ao receber a denúncia.
Leitura dos artigos: 24 a 62 do CPP

77
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 04 E 05- COMPETÊNCIA
JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA.
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL.
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA MILITAR E DA JUSTIÇA ELEITORAL EM
MATÉRIA PENAL.
Detalhadamente para competência:
 Jurisdição e competência – Tema que merece muita atenção também,
especialmente jurisprudência (o que é competência federal e estadual).
 Competência Federal - dominar, inclusive o incidente de deslocamento de
competência (atenção redobrada). O que não for competência federal, será
estadual (via de regra), por isso é importante saber a distinção.
 Foros previstos exclusivamente na constituição estadual X CPP.
Foro de prefeitos (cai muito) e demais autoridades.
 Casos de conexão e de continência. Crimes conexos estaduais e federais.
Absolvição pelo crime federal (consequências).
 Leitura do CPP é muito importante (art. 69 a 91).
OBS. Digo e repito: tema muito jurisprudencial e legal.

78
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 06 - QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES + MEDIDAS
ASSECURATÓRIAS + AÇÃO CIVIL EX DELICTO
REPARAÇÃO DO DANO.
QUESTÕES PREJUDICIAIS. EXCEÇÕES. CONFLITOS.
INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS NO PROCESSO PENAL.
INCIDENTES DE FALSIDADE E DE INSANIDADE MENTAL.
MEDIDAS ASSECURATÓRIAS OU ACAUTELATÓRIAS DO CPP E DE LEIS
ESPECIAIS.
RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS. PERDIMENTO DE BENS.
Detalhadamente para questões e processos incidentes:
 Questões e Processos Incidentes - muita lei seca é suficiente. Saber quando o
juiz criminal deve aguardar o deslinde da controvérsia na esfera cível.
 Medidas acautelatórias - tema muito cobrado em prova, especialmente o
sequestro, e hoje a possibilidade de alienação antecipada de bens.
 Exceções- apenas lei seca. Foco nos casos de impedimento e suspeição.
Leitura do art. 92 a 154.
 Ação civil ex delicto- Saibam os casos em que a decisão penal faz coisa julgada
no cível. Vejam, ainda, a fixação do quantum mínimo de indenização pelo juiz
penal. Legitimidade do Ministério Público para a ação civil (norma ainda
constitucional).

79
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 07 E 08 - TEORIA DA PRISÃO E DAS MEDIDAS CAUTELARES
SUBSTITUTIVAS
PRISÕES. ESPÉCIES, REQUISITOS E CABIMENTO.
MEDIDAS CAUTELARES E LIBERDADE PROVISÓRIA NO CPP E EM LEIS
ESPECIAIS.
Detalhadamente:
 Prisão era o tema que sempre estudava antes de prova. Tem que dominar,
especialmente o flagrante, a preventiva e a temporária. Casos de imposição de
prisão preventiva.
 Atenção para o fim das prisões administrativas, e das prisões automáticas.
 Atenção, ainda, para as medidas cautelares diversas da prisão.
 Liberdade provisória - saber quando é vedada, e sua relação com os crimes
hediondos.
 Atenção para as posturas do juiz diante da comunicação de uma prisão em
flagrante, da necessidade de decretação de uma preventiva (analisar os
fundamentos dessas prisões). Não descuide da prisão temporária
(peculiaridades).
 Atenção, ainda para a prisão cautelar domiciliar (CPP) X prisão pena
domiciliar (LEP). Vejam as recentes mudanças na prisão cautelar domiciliar
(importantíssimo, especialmente para tutela dos interesses da criança).
 Entendimentos jurisprudenciais são muito importantes, bem como a leitura do
CPP. Ex. prisão preventiva de Senador da República.
 Destaque - atuação do delegado de polícia na prisão, do MP e do juiz
(possibilidade de decretar a preventiva de ofício, por exemplo).
 Leitura dos artigos 282 a 350 e da Lei 7.960 (leiam com muita atenção, pois o
tema prisão é prioritário).

80
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 09 E 10 - TEORIA DA PROVA
PROVA NO PROCESSO PENAL: PRINCÍPIOS E QUESTÕES GERAIS.
PROVAS ILÍCITAS.
PROVAS NO PROCESSO PENAL: DOCUMENTAL E TESTEMUNHAL.
RECONHECIMENTOS (DE PESSOAS E COISAS). ACAREAÇÃO. BUSCAS E
APREENSÕES. PROVA PERICIAL. PERITOS E INTÉRPRETES.
INDÍCIOS E QUESTÕES PROBATÓRIAS.
SIGILOS: BANCÁRIO E FISCAL.
INTERROGATÓRIO DO RÉU, CONFISSÃO E PERGUNTAS.
Detalhadamente:
 Prova - o mais importante é a teoria geral da prova (saber tudo, desde a forma
de apreciação do juiz, até prova ilícita). Decore os artigos do CPP.
As provas em espécie - O mais importante é o interrogatório (videoconferência,
inclusive) e o exame de corpo de delito. Veja, ainda, a oitiva de testemunhas e a
prova pericial (número de peritos, p. ex). Atenção com as mudanças operadas
com a reforma processual.
 Técnicas especiais de investigação - estudar, se já não o fez em organizações
criminosas. Atenção para delação premiada, infiltração de agentes e ação
controlada.
 Direito de defesa na CF e no Pacto de San José. Limites ao direito de defesa.
 Provas ilícitas, e o afastamento da ilicitude em certos casos; Provas derivadas
das ilícitas.
 Estudo da Lei de Interceptação Telefônica de forma detalhada (saber todos os
julgados relevantes), bem como a forma pela qual se opera a quebra do sigilo
bancário e fiscal (saber quem tem poderes para tanto). Tema muito importante
para o concurso pleiteado.
 Quebra do sigilo bancário pela Receita Federal e pelo Ministério Público.
 Sistema de inquirição de testemunhas. Ordem do interrogatório nos vários
procedimentos.
 Elementos de prova colhidos no IP e possibilidade de condenação.
 Artigos: 155 a 250 do CPP, além da Lei 9.296/96.

81
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 11 E 12- ATOS PROCESSUAIS, PARTES, DECISÕES, COISA JULGADA
O DEFENSOR E O ASSISTENTE NO PROCESSO PENAL BRASILEIRO.
O MINISTÉRIO PÚBLICO NO PROCESSO PENAL BRASILEIRO.
O JUIZ NO PROCESSO PENAL BRASILEIRO. FUNCIONÁRIOS DA
JUSTIÇA.
ATOS PROCESSUAIS: LUGAR, FORMA DE REALIZAÇÃO, PRAZOS E
SANÇÕES.
CITAÇÕES, NOTIFICAÇÕES E INTIMAÇÕES NO CPP E EM
LEIS ESPECIAIS. CARTAS: PRECATÓRIA, DE ORDEM E
ROGATÓRIA.
SENTENÇAS E OUTROS ATOS JUDICIAIS. NULIDADES NO PROCESSO
PENAL
COISA JULGADA E PRECLUSÃO.
Detalhadamente:
 Sujeitos do processo - muito cuidado com o assistente de acusação, e seu prazo
para recurso. Cai sempre. Direito de a parte sempre constituir advogado e, se
não o fizer, de ser defendida por defensor público (lembrando a preferência ao
defensor particular, de confiança). Limites da autodefesa, bem como
consequências da ausência de memoriais, por exemplo. Condução coercitiva
para o interrogatório.
 Lembrar que a defesa técnica é obrigatória, e a autodefesa é facultativa. Saber
como resolver a situação em que o réu quer recorrer e seu advogado não, e
vice-versa.
 Saibam os casos de impedimento e de suspeição (costuma cair a letra seca da
lei).
 Vejam detalhadamente o regramento do assistente de acusação e seu prazo para
recurso (tema que sempre cai).
 Quanto aos auxiliares da justiça, foco na atuação dos peritos (necessidade de
nomear mais de um por exemplo).
 Atos processuais e prazos - lei seca e eventual súmula/jurisprudência (ex. só se
intima da expedição da precatória, não precisando intimar da data do ato no
juízo deprecado).
 Sentença e decisões - Saber a correta classificação e efeitos. Execução
provisória da pena. Possibilidade de rediscussão. Coisa julgada da sentença
extintiva da punibilidade, inclusive em inquérito policial.
 Nulidades - decorar o CPP (princípios que regem). Bem como saber, de acordo
com a jurisprudência, o que gera nulidade absoluta, e o que gera nulidade
relativa. Vincular os dispositivos do CPP aos princípios que eles veiculam.
 Art. 251 a 281, 351 a 392, 563 a 573.

82
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 13 E 14 - PROCEDIMENTO
PROCEDIMENTO COMUM (ORDINÁRIO, SUMÁRIO E SUMARÍSSIMO).
ORDEM DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL. PROCEDIMENTOS ESPECIAIS.
Detalhadamente:
 Procedimento: O mais importante aqui é dominar o procedimento (tente montar
a linha do tempo, e saber quais decisões são tomadas em cada um dos
momentos, bem como a forma de atacá-las). Número de testemunhas, forma de
inquirição, ordem dos atos na audiência de instrução e julgamento. Estudar o
ordinário e o sumário.
 Procedimento Especial dos crimes funcionais também cai bastante (defesa
prévia aqui).
 Procedimento nos crimes de competência originária merece análise, ainda que
rapidamente.
 No geral, leia a lei seca dos procedimentos especiais, e tenha em mente: a
ordem do interrogatório em cada um deles, bem como quais possuem defesa
prévia e quais não. Na lei de drogas, p.ex., o interrogatório é o primeiro ato, o
que não foi modificado com a reforma.
 Peculiaridades dos crimes contra a propriedade intelectual (só a perícia e sua
homologação). Peculiaridade dos crimes funcionais afiançáveis.

AINDA NO DIA 14 E DIA 15- PROCEDIMENTO DO JURI


PROCEDIMENTO RELATIVO AOS CRIMES DE COMPETÊNCIA DO
TRIBUNAL DO JÚRI.
Detalhadamente:
 Júri - importante. Saiba o rito e as decisões (formas de atacá-la). Aforamento e
desaforamento. Despronúncia. Apelação no júri. Reformatio in pejus indireta.
Preferências de julgamento e desmembramento. Protesto por novo júri.
 Réplica e tréplica.
 Atuação do assistente no tribunal do júri.
 Apelação no Júri (juízos que podem ser feitos pelo tribunal). Limites do
conhecimento dos jurados. Execução imediata da decisão dos jurados.
Leitura do CPP seco.

83
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 16 E 17 - RECURSOS
RECURSOS: QUESTÕES GERAIS, PRINCÍPIOS, PRESSUPOSTOS,
REQUISITOS, EFEITOS E ESPÉCIES.
RECURSOS NO PROCESSO PENAL: APELAÇÃO.
RECURSOS NO PROCESSO PENAL: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO,
EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE E EMBARGOS DE
DIVERGÊNCIA.
RECURSOS ESPECIAL, EXTRAORDINÁRIO E ORDINÁRIO.
RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. AGRAVOS. CORREIÇÃO PARCIAL.
Detalhadamente:
 Recursos - tema importantíssimo, especialmente apelação e Recurso em Sentido
Estrito. Saber as diferenças, formas de interposição (qual pode ser interposto
diretamente no tribunal), efeitos, prazos para interposição e razões. Efeitos dos
recursos e execução provisória da pena. Reformatio in pejus.
 Especial e Extraordinário - mesma coisa de processo civil.
 Saber os casos de correição especial.
 Agravo em execução – rito.

84
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 18 - AÇÕES PENAIS ESPECIAIS E REVISÃO CRIMINAL + CPP SECO
REVISÃO CRIMINAL.
HABEAS CORPUS E MANDADO DE SEGURANÇA EM MATÉRIA PENAL.
CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLICIAL.
Detalhadamente:
 Mandado de segurança para acesso aos autos. Direito líquido e certo do
defensor. Impossibilidade de utilização do mandado de segurança (e habeas
corpus) como substituto de recurso próprio.
 Habeas Corpus - principalmente jurisprudência do STJ/STF + CPP seco.
 Revisão criminal - possibilidade de se fixar indenização e competência para
julgamento. Legitimados.
 Controle externo da atividade policial (difuso e concentrado – basta saber o que
é, pois se trata de tema mais voltado ao Ministério Público). Saber que a função
do juiz hoje, na fase de investigação, é de garantia.

85
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 19 e 20- INFORMATIVOS, SÚMULAS E CPP SECO OU DIAS EXTRAS
PARA FECHAR A MATÉRIA ACIMA

86
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO CONSTITUCIONAL
20 DIAS

DIAS 01 E 02 - CONSTITUCIONALISMO. CONSTITUIÇÃO E


NEOCONSTITUCIONALISMO. PODER CONSTITUINTE. EVOLUÇÃO
POLÍTICO-CONSTITUCIONAL BRASILEIRA. AS CONSTITUIÇÕES
BRASILEIRAS. NORMAS CONSTITUCIONAIS. INTERPRETAÇÃO,
APLICABILIDADE E EFICÁCIA. MUTAÇÃO CONSTITUCIONAL.
REFORMA E REVISÃO CONSTITUCIONAIS. NORMAS
CONSTITUCIONAIS.
Detalhadamente:
 Neoconstitucionalismo - Atenção para a evolução do constitucionalismo, e as
características do Neoconstitucionalismo (especialmente a força normativa da
Constituição).
 Classificação e elementos da CF - Tema importantíssimo. Apenas a parte do
histórico ‘dispensada’, devendo, entretanto, aprender pelo menos o ásico de
cada uma delas. Ex: se previa direitos fundamentais, se havia ações de
constitucionalidade, qual a forma de Estado que foi adotada.
 Preâmbulo e seu caráter não-normativo. Preâmbulo como parâmetro para o
controle de constitucionalidade e como norma de não reprodução obrigatória.
Natureza do ADCT de norma constitucional.
 Hermenêutica - Tema importante, decorar os principais métodos e princípios
(eu sempre os revisava de véspera da prova). Os mais importantes são o tópico-
problemático e o hermenêutico concretizador. Além, é claro, da
proporcionalidade (e proibição de proteção deficiente), razoabilidade e máxima
efetividade. Devido processo legal substancial. Juiz natural (jurisprudência do
STF). Teoria dos poderes implícitos (poderes investigatórios do MP). Não se
esqueçam, também, dos métodos clássicos de interpretação, pois eles também
são cobrados (podem ser vistos em direito civil).
OBS- esse tema exige do aluno capacidade de memorização, de forma que, eu,
por exemplo, sempre o revisava na semana da prova.
 Poder constituinte - Tudo. Análise da recepção. Poder constituinte estadual
também cai bastante (daria grande enfoque para o poder derivado decorrente e
reformador). Poder Constituinte dos Municípios e Distrito Federal? Vejam a
distinção entre poder reformador (seus limites, inclusive) e poder revisor. Tome
muito cuidado com os conceitos de recepção (e detalhamento),
desconstitucionalização, inconstitucionalidade superveniente, enfim, com os
conceitos relacionados ao tema.
 Eficácia e aplicabilidade - Aprender a classificação de José Afonso da Silva.
Decorar o quadro final do livro do Lenza (ou seja, a natureza de cada uma das
normas à luz da jurisprudência do STF).
 Ponderação entre princípios e subsunção das regras (atenção aqui). Saibam o
que é um princípio e como os distinguimos das regras.
87
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Atenção para o que são princípios constitucionais sensíveis, extensíveis e
estabelecidos.
 Mutação constitucional - conceito e limites. Além disso chamo atenção para o
tema de alteração do entendimento da Corte Constitucional (pressupostos e
meios para superação de um entendimento anteriormente consolidado).

88
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 03 E 04 - TEORIA DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE
CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE. CONTROLE DA
CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO. CONTROLE DA
CONSTITUCIONALIDADE ABSTRATO. CONTROLE DA
CONSTITUCIONALIDADE EM ÂMBITO ESTADUAL. A CONSTITUIÇÃO
DOS ESTADOS COMO PARÂMETRO PARA O CONTROLE DE
CONSTITUCIONALIDADE. AÇÃO DIRETA DE
INCONSTITUCIONALIDADE. AÇÃO DECLARATÓRIA DE
CONSTITUCIONALIDADE. ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE
PRECEITO FUNDAMENTAL. O CONTROLE DIFUSO DE
CONSTITUCIONALIDADE. AÇÃO DIRETA DE
INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO. AÇÃO DIRETA DE
INCONSTITUCIONALIDADE INTERVENTIVA. O CONTROLE DE
CONSTITUCIONALIDADE DOS ATOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS.
Detalhadamente:
 Controle de constitucionalidade - Para passar, tem que dominar. Tema mais
importante na atualidade em direito constitucional.
 Tome cuidado com o controle em nível estadual e das normas municipais, pois o
tema é de suma importância. Normas de reprodução obrigatória e controle em
âmbito estadual e municipal (vide, por exemplo, os legitimados).
 OBS. A parte histórica não é tão relevante, de forma que, se não houver tempo,
pode ser dispensada. Lembrem-se, entretanto, de aprender o básico de cada
constituição brasileira (quando surgiu o controle difuso, quando surgiu o
concentrado, quais as inovações trazidas pela CF/88).
 Atenção para a modulação de efeitos nas ações do controle concentrado (e
quiçá no difuso). Teoria da transcendência e abstrativização do controle difuso
(não aceitas?).
 Técnicas especiais de decisão: declaração de inconstitucionalidade sem
pronúncia de nulidade, interpretação conforme, modulação de efeitos. Falando
em efeitos, vejam os efeitos da procedência/improcedência de cada uma dessas
ações (quais órgãos estarão vinculados e cabimento de reclamação).
 Vide, ainda, os efeitos da cautelar (diferenciar conforme a ação).
 Cuidado com controle difuso e cláusula de reserva de plenário (saber quando se
aplica a cláusula e quando não se aplica).
 Cuidado, ainda, com os entendimentos do STF (Ex. fungibilidade entre as
ações).
 Atenção para os legitimados (universal X interessado), e a jurisprudência
correlata. Legitimados para o controle estadual e municipal.
 Atenção, ainda, ao que pode e ao que não pode ser objeto de controle ou
parâmetro (ex. ato normativo anterior à CF só pela via de ADPF, lei
orçamentária, medida provisória, dentre outros). Ampliação do bloco de
constitucionalidade para abranger tratados de direitos humanos.

89
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Atenção, ainda, para a jurisprudência do Supremo em tema de definição de
competência (inconstitucionalidade formal por vício de competência
legislativa).
 Limites para o controle prévio realizado por parlamentar. Controle de atos
políticos e de atos interna corporis.
 Leis a serem lidas: ADI, ADO (diferenças com o mandado de injunção quanto
aos efeitos), ADC (diferenças e semelhanças com a ADI), ADPF, ADI
interventiva. Já estude a ADI interventiva nesse tópico, com enfoque especial
para intervenção nos Estados.
 Enfim, esses são os temas mais importantes, mas reitero: foco nesse dia, pois é
de cobrança frequente.

90
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 05 E 06 - ORGANIZAÇÃO DO ESTADO
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO. ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO.
FEDERAÇÃO. ORIGENS. A FEDERAÇÃO BRASILEIRA. COMPETÊNCIAS
LEGISLATIVAS DOS ENTES FEDERADOS - AUTONOMIA FINANCEIRA,
ADMINISTRATIVA E POLÍTICA DOS ENTES FEDERADOS.
INTERVENÇÃO FEDERAL E ESTADUAL.
Detalhadamente:
 Na grande parte do tema acima, basta a leitura da CF (organização do Estado).
Atenção para os artigos introdutórios (fundamentos, objetivos e princípios que o
Brasil adota nas relações exteriores - decorar).
 Características da Federação e formas de repartição de competência (Lenza
trata muito bem). Federação de segundo grau. Cláusula Federal e dupla
personalidade da União.
 Discriminação de competência: decorar os artigos da CF e o quadro que existe
ao final do livro do Lenza. Muito importante saber o entendimento do STF nesse
tema, por isso a sugestão do quadro esquematizado do livro do Pedro Lenza. Ou
seja, saiba em concreto os temas decididos pelo STF em se tratando de
competência (especialmente os casos de competência municipal e aquelas
normas municipais que foram reconhecidas como inválidas por usurpar
competência federal/estadual).
 Formação de Estados/Municípios também é tema importante (e sua relação com
a ADO). Vide distritos e regiões metropolitanas (basta saber como criar).
 Decorar os artigos da CF em tema de Organização do Estado (competência e
bens), especialmente os artigos atinentes aos da União.
 Entender como funciona a competência concorrente (toda a sistemática). Vide
competência suplementar dos Municípios. Transporte municipal e
intermunicipal de passageiros. Foco nas competências federais, entretanto.
 Entender a intervenção (quando precisa de ADI e quando não precisa), quem
solicita/requisita. Hipótese em que se faz necessária a ADI interventiva.
Princípios sensíveis (decorar). Jurisprudência (ex. envolvendo precatórios e
intervenção).
 OBS- Decorar os artigos da CF que organizam os Estados - art. 1º a 4º e 18 a
36.

91
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 07, 08 E 09 - DIVISÃO DOS PODERES E PODER LEGISLATIVO
PODER LEGISLATIVO. PROCESSO LEGISLATIVO. PROCESSO
LEGISLATIVO E REFORMA CONSTITUCIONAL.
Detalhadamente:
 Teoria de Montesquieu e Aristóteles sobre a separação de poderes. Funções
típicas e atípicas. Teoria de freios e contrapesos.
 Saibam as principais competências do Senado, da Câmara e do Congresso (Ex.
quem sabatina e julga Ministros, quem aprova tratados, enfim, somente as
principais). Para esse tema de competência, basta leitura atenta dos artigos
correlatos (art. 48 a 52 da CF).
 Atenção redobrada, ainda, com CPI - especialmente quanto aos poderes à luz
da jurisprudência do STF (tema recorrente). Demais comissões - basta saber o
básico (aprofundem, portanto, em CPI).
 Imunidades parlamentares em âmbito federal, estadual e municipal. Limites da
imunidade de parlamentares municipais. Prisão processual de parlamentares.
 Poder Legislativo Estadual e Municipal - número de membros, imunidades
(amplitude), competência para julgamento. CPIs estaduais (e municipais) -
saber o básico - basta ler a CF.
 Sistema de eleições (majoritário ou proporcional, saber como ocorre em todos
os níveis).
 Processo Legislativo - Saber tudo (grande destaque aqui). Chamo, ainda,
atenção para todo o processo legislativo (iniciativa, votação e fase final). Foco
no regramento das espécies legislativas, especialmente emendas à Constituição,
medida provisória (como funciona e matérias que não podem ser objeto de MP),
leis ordinárias e leis complementares. Conceito de cláusulas pétreas e quais
são.
Enfim, processo legislativo é a maior prioridade desse dia (em regra).
 Tribunal de Contas da União e dos Estados (composição, atribuição e poderes).
Em poderes, deve saber quais os seus limites. Tente decorar os artigos da CF
sobre o tema (sustar ato, mas não contrato, o que cabe ao CN). Tribunal de
Contas dos Municípios e para os Municípios (diferenças). Atenção, ainda para
a reprovação das contas pelo TCE sem inelegibilidade dos prefeitos, caso a
decisão não seja expressamente referendada pela Câmara de Vereadores.
 Tratados, especialmente sobre direitos humanos e seu impacto no ordenamento
brasileiro (formas de celebração, requisitos diferenciados para aprovação,
denúncia).
 Leitura obrigatória dos artigos 44 a 75, com enfoque para: Processo
Legislativo, Garantias e Imunidades, CPIs e TCU (muitas questões aqui).

92
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 10 E 11 - PODER EXECUTIVO, FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA E
DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS
PODER EXECUTIVO. FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA. MINISTÉRIO
PÚBLICO, ADVOCACIA E DEFENSORIA PÚBLICA. DEFESA DO ESTADO E
DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS.
Detalhadamente para Poder Executivo:
 Presidencialismo X Parlamentarismo (noções gerais). República X Monarquia.
 Atribuições do Presidente e quais atos podem ser delegados a ministros, ao
AGU e ao PGR. Vide os casos de decreto autônomo.
 Sistema de responsabilização (imunidade penal relativa), inclusive para
governadores. E imunidade penal relativa e possibilidade de investigar o
presidente.
 Processo de impeachment também deve ser visto com atenção, especialmente
em virtude da definição pelo STF do procedimento que deve ser seguido no
impeachment da presidente Dilma (conhecer o julgado). Papel da Câmara e do
Senado nesse processo. Consequências da procedência do impedimento. Efeitos
de eventual renúncia do cargo.
 Sucessão do Presidente da República (linha sucessória e caso de eleição
indireta).
 Entender como funciona o foro por prerrogativa de função, e lembrar que não
cabe em ação de improbidade. Vide foro para julgamento do prefeito (em
crimes estaduais, federais e eleitorais).
 Afastamento de parlamentares para ocupar o posto de ministro (continua com a
imunidade?). Julgamento de Ministros que cometem crime comum e de
responsabilidade.
 Conselho de Defesa Nacional e Conselho da República - composição e
atribuições (basta ler a CF + alguns entendimentos do STF).
 O aluno deve ler os artigos 76 a 91 da CF.

Detalhadamente para Funções Essenciais à Justiça:


 Advocacia Pública: o que tem no Lenza é suficiente. Há alguns julgados
relevantes, como por exemplo, a função da AGU no controle de
constitucionalidade. Advocacia Pública Estadual possui temas interessantes
como, por exemplo, a possibilidade de existir mais de um órgão de
representação judicial no âmbito estadual. Consultoria jurídica ao Poder
Executivo.
 Entendimentos do STF quanto ao Estatuto da OAB, bem como na
implementação da Defensoria Pública.
 Ministério Público: o que tem no Lenza é suficiente. Tente decorar os artigos da
CF afetos ao MP. CNMP e poder de correição. Ações ordinárias e
constitucionais contra o CNJ e CNMP.

93
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
94
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 12 E 13 - PODER JUDICIÁRIO
PODER JUDICIÁRIO. DIREITOS, GARANTIAS E DEVERES DA
MAGISTRATURA. O ESTATUTO DA MAGISTRATURA. ATIVIDADE
CORRECIONAL. CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. SUPREMO
TRIBUNAL FEDERAL. SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. TRIBUNAL
SUPERIOR ELEITORAL. TRIBUNAIS REGIONAIS E JUÍZES FEDERAIS.
PODER JUDICIÁRIO. TRIBUNAIS E JUÍZES ESTADUAIS. A EMENDA
CONSTITUCIONAL N° 45.
Detalhadamente:
 Tema importante, mas muito legalista. Prioritário para magistratura estadual.
 Leitura da legislação seca em tema de composição do tribunal, e dos postulados
que deverão ser observados pelo estatuto da magistratura (EC 45 já
incorporada ao texto principal da CF).
 Competência dos Tribunais, e cabimento de reclamação. Em tema de
competência, deve ser decorada a Constituição.
 CNJ - importantíssimo. Desde a composição até os poderes. Poder normativo e
correicional concorrente. Competência para ações contra o CNJ e CNMP.
Requisitos para ser membro do CNJ e presidência.
 Observância do quinto constitucional.
 Atente-se que deverão ser estudados apenas os seguintes tribunais (de acordo
com esse edital): STF, STJ, TRF e Justiça Federal e Justiça do Trabalho.
 Decorem todos os artigos que tratam da Justiça dos Estados.
 Em competência, chamo especial atenção para a delegação previdenciária para
a justiça estadual e competência recursal. Merece destaque, ainda, o incidente
de deslocamento de competência. Esse tema de competência e organização dos
tribunais exige memorização e leitura da CF (não tem outro segredo).
 Não esqueçam da lei de súmulas vinculantes, especialmente na forma de
aprovação, cancelamento e legitimados. Superação de precedentes. Leitura
obrigatória de todas a súmulas vinculantes e da lei respectiva.
 Precatórios - tudo. Saber decor a emenda e o que foi declarada
inconstitucional. Conhecimento do que foi decidido nos embargos de
declaração desse mesmo julgado relativo à inconstitucionalidade da última
reforma envolvendo precatórios. Atenção especial para os precatórios em
âmbito estadual, especialmente as formas especiais de liquidação (declaradas
inconstitucionais com modulação de efeitos). TEMA IMPORTANTÍSSIMO.
Além disso, deve o aluno se atentar para o regramento atual em vigor.
 Leitura dos artigos 92 a 117 da CF (leia apenas os Tribunais que, de fato,
estiverem em seu edital, assim leia apenas a Justiça do Trabalho caso ela venha
em seu edital, idem para Justiça Militar e Eleitoral).

95
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 14, 15 e 16 - TEORIA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS
DIREITOS FUNDAMENTAIS. TRATADOS E CONVENÇÕES
INTERNACIONAIS. DIREITOS SOCIAIS E COLETIVOS. AÇÕES
CONSTITUCIONAIS. DIREITOS FUNDAMENTAIS. DIREITOS
FUNDAMENTAIS COLETIVOS. DIREITOS DE CIDADANIA. DIREITO DE
SUFRÁGIO (ESTUDAR NO DIA DE ELEITORAL). PLEBISCITO,
REFERENDO E INICIATIVA POPULAR. GARANTIAS FUNDAMENTAIS.
MANDADO DE INJUNÇÃO.
Detalhadamente:
 Direitos e garantias fundamentais – Fundamentos filosóficos e históricos (visão
jusnaturalista e contratualista). Dignidade da pessoa humana e virada
Kantiana.
 Relativismo X Universalismo.
 Decorar a CF (do art. 5º ao art. 17), o conceito de cada direito e os
entendimentos trazidos nos livros. Ler as leis dos remédios constitucionais (uma
segunda leitura para aquelas que já foram lidas).
 Análise do ativismo judicial (hipóteses de controle e possibilidade de análise do
mérito do ato administrativo pelo Poder Judiciário). Vide a implementação de
políticas públicas pelo Poder Judiciário. Mínimo existencial X reserva do
possível. Esse estudo deve se relacionar ao direito à saúde (especialmente
fornecimento de medicamento por decisão judicial).
 Atenção para os remédios constitucionais (não estudem os que já forem ser
lidos em outras matérias). Efeitos do mandado de injunção (efeitos, ex. no
direito de greve de servidores públicos – tema recorrente em primeira e
segunda fases). Teoria brasileira do habeas corpus.
 Hierarquia dos tratados que versem sobre direitos humanos (e dos que não
versem sobre esse tema). Processo de internalização de um tratado também
merece atenção. Efeitos do Pacto de San José sobre o ordenamento brasileiro,
especialmente no que tange à prisão civil por dívida.
 Eficácia horizontal e vertical dos direitos fundamentais. Eficácia objetiva e
irradiante.
 Conhecimento dos principais julgados do STF sobre o tema (ex. liberdade de
expressão, marcha da maconha, feto anencefálico).
 Vide, ainda, as ações afirmativas. Atenção especial. Atenção para proteção de
minorias, principalmente mulheres, índios, quilombolas e negros (vagas
reservadas em universidades e em concursos públicos).
 Colisão de direitos fundamentais. Ponderação e máxima efetividade.
 Nacionalidade e direitos políticos - importante. Chamo a atenção para os
cargos privativos de brasileiro nato, e a distinção que a CF faz entre natos e
naturalizados. E ainda, extradição, expulsão e deportação. Deve o aluno se
atentar a revogação do estatuto do estrangeiro, e ao novo regramento do tema
na lei de migração (Lei 13.445/2017).

96
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Nessa lei, é importante que alunos que pleiteiam cargos estaduais saibam, ao
menos, os seguintes artigos: 1 ao 4, 23 a 37 (atenção para o asilo e para o
apátrida), 46 a 62 (especialmente a repatriação, expulsão e deportação), 63 a
76 (nacionalidade e naturalização), 77 a 80 (situação do emigrante e seus
direitos), medidas de cooperação, especialmente a extradição (art. 81 a 105).
Desses temas, destaco a deportação, expulsão, extradição e demais atos de
cooperação.
 Quanto aos direitos políticos: saber todos os requisitos constitucionais de
elegibilidade e as causas de inelegibilidade (atenção para a reflexa).
Desincompatibilização, prefeito itinerante, lei que altera o processo eleitoral
são alguns julgados relevantes do STF.
 Partidos Políticos – leitura da Constituição somada aos principais julgados
(candidatura nata, saber quem é o titular do mandato – partido ou coligação,
dentre outros). Tema muito conceitual, legalista e jurisprudencial, portanto,
merece um estudo completo.

97
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 17 E 18- TEMAS FALTANTES - SUGIRO DECORAR A CONSITTUIÇÃO
NESSES TEMAS, ALÉM DE LER UMA OBRA RESUMIDA
PRINCÍPIOS DE DEFESA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. ORDEM
ECONÔMICA E FINANCEIRA. ORÇAMENTO. SISTEMA TRIBUTÁRIO
NACIONAL E FINANÇAS PÚBLICAS. ORDEM SOCIAL. EDUCAÇÃO E
CULTURA. CIÊNCIA E TECNOLOGIA. COMUNICAÇÃO SOCIAL.
FAMÍLIA, CRIANÇA, ADOLESCENTE E IDOSO. DIREITO À PROTEÇÃO
ESPECIAL. ÍNDIOS.
Detalhadamente para Defesa do Estado e Segurança Pública (basta a leitura da CF +
livro geral escolhido – tema de pouco aprofundamento):

 Estado de sítio e estado de defesa: tudo, mas cai bem pouca coisa. O enfoque é
para que garantias podem ser suprimidas e as espécies de controle.
 Segurança Pública: só a leitura da CF e da jurisprudência citada na doutrina
escolhida. Foco em guardas municipais (inclusive seu poder de polícia de
trânsito).

Detalhadamente para Ordem Social (mais importante é a leitura da CF + julgados de


destaque):

 Tenham cuidado com os julgados relacionados aos temas da ordem social.


Como exemplo cito o envolvendo a demarcação das terras indígenas, que é
muito importante.
 Decorem a CF nessa parte. Lembrem-se que as provas estão cobrando questões
cada vez mais ao final da Constituição (educação, assistência social, indígenas,
comunicação social, cultura).
Não errem de forma alguma as idades em que a educação é obrigatória (esse
tema é recorrente em prova), nem quem pode ser proprietário de empresas
jornalísticas.
 Dentre todos esses capítulos, eu chamo atenção especial para o da ordem
econômica, especialmente os monopólios estatais, exploração de petróleo, e
política agrícola. São os poucos temas de direito econômico que são cobrados
em carreiras estaduais, e no mais das vezes a leitura da CF basta.
 Muita CF seca aqui e jurisprudência.
 Estratégia- Leitura da CF seca, com destaque para direito a saúde e educação.
Atenção para o direito a saúde, posto que tem sido muito frequente a
judicialização da saúde.
 Os temas cobrados são somente esses aqui: ORDEM SOCIAL.
CULTURA. NCIA E TECNOLOGIA. . MEIO
AMBIENTE. LIA, A, ADOLESCENTE E IDOSO. DIREITO
. NDIOS.

98
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 19 E 20- LEITURA DA CONSTITUIÇÃO SECA

DISPENSADO, POIS SERÃO ESTUDADOS EM OUTRAS MATÉRIAS: Princípios


constitucionais da Administração Pública; Meio Ambiente; Tributação

99
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO ELEITORAL
8 DIAS

DIA 01, 02, 03 E 04 - AULAS OU DOUTRINA ESCOLHIDA


ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. CIDADANIA. SISTEMA
REPRESENTATIVO. SOBERANIA POPULAR. PLURALISMO POLÍTICO.
REFORMA POLÍTICA. DIREITOS POLÍTICOS. CONCEITO.
CLASSIFICAÇÃO. PERDA. SUSPENSÃO. SUFRÁGIO UNIVERSAL. VOTO.
CARACTERÍSTICAS DO VOTO. PARTIDOS POLÍTICOS. CONCEITO.
HISTÓRIA. REPRESENTAÇÃO POLÍTICO-PARTIDÁRIA. DISCIPLINA
CONSTITUCIONAL E LEGAL NO DIREITO BRASILEIRO.
DIREITO ELEITORAL. CONCEITO. FUNDAMENTOS. FONTES E
PRINCÍPIOS. INTERPRETAÇÃO. REPRESENTAÇÃO. SUFRÁGIO.
NATUREZA. EXTENSÃO. VALOR DO SUFRÁGIO. TIPOS DE SUFRÁGIO.
SISTEMAS ELEITORAIS. SISTEMA MAJORITÁRIO. SISTEMA
PROPORCIONAL. JUSTIÇA ELEITORAL. ORGANIZAÇÃO.
COMPETÊNCIA. SISTEMAS ELEITORAIS. CLASSIFICAÇÕES. MODELO
BRASILEIRO. OUTROS MODELOS. A ÉTICA DO JUIZ ELEITORAL.
JUSTIÇA ELEITORAL NO BRASIL. EVOLUÇÃO HISTÓRICA.
DIVERSIFICAÇÃO FUNCIONAL DAS ATIVIDADES DA JUSTIÇA
ELEITORAL E CONTROLE DE LEGALIDADE. A ATIVIDADE
CONSULTIVA DA JUSTIÇA ELEITORAL. AS RESOLUÇÕES NORMATIVAS
DA JUSTIÇA ELEITORAL E SEUS LIMITES. CAPACIDADE ELEITORAL:
REQUISITOS. LIMITAÇÕES DERIVADAS DO NÃO CUMPRIMENTO DO
DEVER ELEITORAL. ALISTAMENTO ELEITORAL. FASES DO
ALISTAMENTO. EFEITOS DO ALISTAMENTO. CANCELAMENTO.
EXCLUSÃO. REVISÃO DO ELEITORADO. ELEGIBILIDADE: REGISTRO
DE CANDIDATURAS. IMPUGNAÇÕES AO REGISTRO. INELEGIBILIDADES
CONSTITUCIONAIS. INELEGIBILIDADES INFRACONSTITUCIONAIS OU
LEGAIS. ARGUIÇÃO JUDICIAL DE INELEGIBILIDADE. DOMICÍLIO
ELEITORAL. FILIAÇÃO PARTIDÁRIA. IDADE MÍNIMA. CAPACIDADE
ELEITORAL PASSIVA. MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL.
ORGANIZAÇÃO. ATRIBUIÇÕES. DEMOCRACIA PARTICIPATIVA.
INSTITUTOS DE PARTICIPAÇÃO POPULAR. PLEBISCITO. REFERENDO.
“ ” RETA, SEMIDIRETA E INDIRETA.
PROCESSO ELEITORAL. CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS. REGISTRO DE
CANDIDATOS. FILIAÇÃO PARTIDÁRIA. IMPUGNAÇÃO DO REGISTRO DE
CANDIDATURA. PARTIDOS POLÍTICOS. SISTEMAS PARTIDÁRIOS.
CRIAÇÃO, FUSÃO E EXTINÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS. ÓRGÃOS
PARTIDÁRIOS. REGISTROS DOS PARTIDOS POLÍTICOS. FUNDO
PARTIDÁRIO. FIDELIDADE PARTIDÁRIA. ASPECTOS
CONSTITUCIONAIS, LEGAIS E ÉTICOS. CAMPANHA ELEITORAL.
CONCEITO. FINANCIAMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICOS, CONTROLE
100
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DE ARRECADAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS. ABUSO DE PODER
POLÍTICO E ECONÔMICO: CARACTERIZAÇÃO E EFEITOS.
INFIDELIDADE PARTIDÁRIA. PROPAGANDA POLÍTICA E SUAS
MODALIDADES. PROPAGANDA ELEITORAL. NORMAS LEGAIS E
REGULAMENTARES. JORNALISMO, PROPAGANDA E MÍDIA NO
DIREITO ELEITORAL. PESQUISAS E TESTES PRÉ-ELEITORAIS.
PROPAGANDA ELEITORAL NO RÁDIO E NA TELEVISÃO E DIREITO DE
RESPOSTA. PROPAGANDA ELEITORAL NA INTERNET.
GARANTIAS ELEITORAIS: LIBERDADE DE ESCOLHA. PROTEÇÃO
JURISDICIONAL CONTRA ATENTADO À LIBERDADE DE VOTO.
CONTENÇÃO AO PODER ECONÔMICO E AO DESVIO E ABUSO DO
PODER POLÍTICO. TRANSPORTE DE ELEITORES DAS ZONAS RURAIS.
ELEIÇÃO, APURAÇÃO E DIPLOMAÇÃO DOS ELEITOS. RECURSO
CONTRA A EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA. REALIZAÇÃO DE NOVAS
ELEIÇÕES E CONVOCAÇÃO DO SEGUNDO COLOCADO. VENDA DE
BEBIDAS ALCOÓLICAS. ATOS PREPARATÓRIOS. FISCALIZAÇÃO.
AÇÕES JUDICIAIS ELEITORAIS. A LEI Nº 9.099/95 E OS CRIMES
ELEITORAIS. TIPOS PENAIS E SANÇÕES. PROCESSO POR CRIMES
ELEITORAIS. JURISPRUDÊNCIA DOS TRIBUNAIS ELEITORAIS.
RECURSOS ELEITORAIS. AÇÃO RESCISÓRIA ELEITORAL. PROCESSO
PENAL ELEITORAL: PRISÃO E PERÍODO ELEITORAL. COMPETÊNCIA,
CONEXÃO E CONTINÊNCIA EM MATÉRIA ELEITORAL. AÇÃO PENAL
ELEITORAL E RECURSOS.
Detalhadamente:
 Pessoal, direito eleitoral não costuma cair muito pesado na magistratura e, no
mais das vezes, basta saber o básico (matéria constitucional e lei seca).
 Eu mesmo nunca li uma doutrina pesada quanto ao tema, mas assisti aulas do
CERS, e foi mais que suficiente (acertei as 10 questões na objetiva do MPF, e
tirei 9,5 na oral nessa matéria). Recomento as aulas, portanto.

Detalhadamente:
 Regramento Constitucional - Leitura do Livro do Pedro Lenza, via de regra, é
suficiente. Direitos políticos, capacidade eleitoral ativa e passiva. Perda e
suspensão dos direitos políticos. Princípio da anualidade.
 Justiça Eleitoral - composição e competência. Magistratura temporária.
Regramento especial do TSE (sempre julga em plenário, por exemplo. Situações
em que é necessária a presença de todos os membros). Competência consultiva
do TSE. Competência administrativa da Corte. Juízes eleitorais e junta eleitoral.
Ministério Público Eleitoral (entender como funciona, e qual membro atua em
qual eleição).
 Regras básicas de alistamento eleitoral e do domicilio eleitoral. Revisão do
eleitorado. Pluralidade e duplicidade de títulos.
101
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Regras de elegibilidade e inelegibilidade - atenção especial para inelegibilidade
e a LC 64. Incompatibilidades e desincompatibilização. Inelegibilidades
constitucionais e legais. Ficha Limpa e julgado do STF quanto ao tema.
A lei complementar 64 está em TODAS AS PROVAS de direito eleitoral, logo
faça sua leitura.
 Sistemas eleitorais - Majoritário e proporcional. Entender o sistema
proporcional. Quociente eleitoral e coligações (mandato pertence a quem).
Sistema de sobras. Convenções e coligações. Candidatura nata e registro de
candidatura. Substituição de candidatos.
 Campanha eleitoral - arrecadação e gastos, doações, gastos com campanhas e
prestação de contas. Consequências da não prestação de contas e de sua
reprovação. Doações a candidatos por pessoas físicas e pessoas jurídicas.
 Propaganda política - propaganda eleitoral e partidária. Acesso ao rádio e à
TV (distribuição das formas de acesso). Inserções e disponibilização em
cadeia. Propaganda irregular e antecipada. Consequências. Proibições.
Atenção especial para rádio e televisão mesmo. Veja o regramento de todos os
tipos de propaganda (inclusive em muros e vias públicas), pois o tema costuma
cair com certa incidência.
 Partidos políticos - criação e apoiamento mínimo. Filiação partidária e
fidelidade partidária (perda do mandato). Acesso ao fundo partidário e a
proporção de distribuição.
 Ações eleitorais - tema mais importante. Saber procedimento, e qual lei é
aplicada. Cuidado especial para as hipóteses de cabimento, bem como as
consequências da procedência de cada uma das ações.
 Recursos eleitorais - atenção para as diferenças do procedimento comum.
Características e prazos. Efeitos e hipóteses restritas de cabimento.

Detalhadamente para direito penal eleitoral:


 Leitura obrigatória de LEI: artigo 283 a 364 do Código Eleitoral. As demais
leis mencionadas no dia não são para leitura integral e sim para leitura dos
tipos penais que são ali previstos.
 Crimes tipificados (alguns tipos são iguais aos do Código penal, porém aqui são
específicos)
 Bem jurídico: higidez do processo eleitoral
 Penas: quando não fixas, o Código Eleitoral confere regra geral. Vejam as
regras gerais de crimes eleitorais previstas no Código.

Competência criminal em material eleitoral:


 Leitura obrigatória de LEI: Leitura obrigatória de LEI: artigo 283 a 364 do
Código Eleitoral. As demais leis mencionadas no dia não são para leitura
integral e sim para leitura dos tipos penais que ali previstos.
 Ação penal pública incondicionada, legitimidade do Ministério Público
 Aplicabilidade dos institutos despenalizadores da 9.099 e possibilidade de
aplicação subsidiária do CPP.

102
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Crimes federais especializados
 Responsabilidade da Polícia Federal.

Inquérito Policial Eleitoral:


 Leitura obrigatória de LEI: Leitura obrigatória de LEI: artigo 283 a 364 do
Código Eleitoral.
 Leitura obrigatória de LEI: Leitura obrigatória de LEI: artigo 283 a 364 do
Código Eleitoral.
 Inquérito Policial presidido pela Polícia Federal
 Aplicação do CPP.
 Resolução nº 23.396 cuida de regras para a investigação, leitura obrigatória.
 Cuidado. Artigo que condicionava a investigação de crimes eleitorais ao pedido
do juiz foi declarado inconstitucional.

OBS- as mudanças em virtude da reforma eleitoral são muito importantes, então


atenção redobrada. Destaco, ainda, os julgados paradigmas dos STF (Ex: doação de
pessoa jurídica, lei de ficha limpa, prefeito itinerante etc).

103
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 05 E 06 – MUITA LEI SECA – LER TODAS AS LEIS ELEITORAIS,
ESPECIALMENTE O CÓDIGO ELEITORAL, LEI DOS PARTIDOS
POLÍTICOS, LEI DAS ELEIÇÕES E LEI DAS INELEGIBILIDADES.

104
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 07 E 08 - LEITURA DAS LEIS SECAS ou MINHA ESTRATÉGIA PARA
RETA FINAL
Minha estratégia para Reta Final:
1- Saiba bem o regramento constitucional dos direitos políticos (uma ou duas
questões virão daqui), partidos políticos e da Justiça Eleitoral (composição do TRE e
TSE, bem como competências).
2- Saibam os artigos 243 a 249 do Código Eleitoral.
3- Saibam os artigos 283 a 288 do Código Eleitoral.
4- Principais julgados do STF (ex: ficha limpa decisões, a quem pertence o mandato
(coligação X partido), infidelidade etc.) – USAR O DOCUMENTO A
CONSTITUIÇÃO E O SUPREMO E BUSCAR PELOS ARTIGOS 14 A 17 E 118 A
121 (OS JULGADOS SÃO TRAZIDOS LOGO DEPOIS DO ARTIGO).
5- Ministério Público Eleitoral.
Penso ser desnecessário, já que o edital cobra bem pouca coisa de direito eleitoral.
6- Aprendam as principais características das ações eleitorais (especialmente a
impugnação ao registro de candidatura).
7- Se sobrar tempo: lei de inelegibilidade e propaganda eleitoral/partidária.
8- Código Eleitoral.

Principais leis secas:


1- CF.
2- Código Eleitoral.
3- LC 64 – inelegibilidades (é a mais importante na atualidade para fins de concurso).
4- Lei 9.096 - Lei dos Partidos Políticos.
5- Lei 9.504 - Lei das Eleições.

105
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
GRUPO III

DIREITO EMPRESARIAL
12 DIAS

DIA 01- ORIGENS E HISTÓRIA DO DIREITO COMERCIAL. TEORIA DOS


ATOS DE COMÉRCIO. TEORIA DA EMPRESA E ATIVIDADE
EMPRESARIAL E MERCADO. O DIREITO CIVIL E O DIREITO
COMERCIAL: AUTONOMIA OU UNIFICAÇÃO. FONTES DO DIREITO
COMERCIAL. OS PERFIS DO MERCADO. PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS
ECONÔMICOS E SUA INSTRUMENTALIDADE PARA O FUNCIONAMENTO
DO MERCADO. DIREITO DE EMPRESA NO CÓDIGO CIVIL. A EMPRESA E
O EMPRESÁRIO. NOÇÃO ECONÔMICA E JURÍDICA DE EMPRESA.
EMPRESÁRIO E SOCIEDADE EMPRESÁRIA. A ATIVIDADE
EMPRESARIAL. CAPACIDADE. EMPRESÁRIO RURAL. OBRIGAÇÕES
GERAIS DOS EMPRESÁRIOS. REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS
MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS. ESCRITURAÇÃO E
DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERIÓDICAS. EMPRESA INDIVIDUAL DE
RESPONSABILIDADE LIMITADA. ESTABELECIMENTO EMPRESARIAL.
NOME EMPRESARIAL.
Detalhadamente:
 Regras gerais do direito de empresa no Código Civil de 2002. Distinção entre
teoria dos atos de comércio X teoria da empresa.
 Atenção para os seguintes temas de suma importância: estabelecimento
(conceito, natureza, fundo de comércio, sucessão comercial, trespasse - temas
de grande incidência), nome empresarial (diferenças com a marca,
especialmente no âmbito de proteção e finalidade), registro de empresa perante
a junta de cada Estado.
 O Empresário: requisitos necessários para configuração, impedimentos,
direitos e deveres em face da legislação vigente, situação do profissional
liberal. Livros comerciais e seu valor probatório. Empresário menor.
Empresário casado e empresário rural. Natureza do registro.
 Principais livros empresariais. Principais atos praticados pela junta comercial.
 Registro (Junta X DNRC). Dupla subordinação. Principais atos praticados pela
junta comercial. Mandado de segurança contra ato do presidente da Junta
Comercial.
 Vide, ainda, empresa individual de responsabilidade limitada (por ser um tema
mais recente, tem sido cobrado com frequência).
 Leitura dos artigos 966 a 980-A, 1.142 a 1.195 do Código Civil (no mais das
vezes, se vocês dominarem o código, terão um desempenho razoável em direito
empresarial).

106
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 02 - DIREITO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E DEFESA DA
CONCORRÊNCIA – TEMA SEMPRE COBRADO NO TJ/SP – ATENÇÃO
VEJA SE SEU EDITAL CONTEMPLA ESSE TEMA (VIA DE REGRA NÃO).
DIREITOS E OBRIGAÇÕES RELATIVAS À PROPRIEDADE INDUSTRIAL:.
DISCIPLINA JURÍDICA DA CONCORRÊNCIA. CONCORRÊNCIA DESLEAL.
REPRESSÃO CIVIL E PENAL. INFRAÇÃO DA ORDEM ECONÔMICA.
SANÇÕES POR INFRAÇÃO DA ORDEM ECONÔMICA.
Detalhadamente:
 Ordem econômica- saber o que se entende por intervenção do estado na ordem
econômica e a forma como tal ocorre. Intervenção direta e indireta. Decorar os
artigos 170 a 193 da CF, com enfoque para os artigos 170 a 181.
 Em tema de concorrência - a matéria é pouco cobrada em carreiras estaduais.
Foco na Lei do CADE (especialmente na parte de infrações a ordem
econômica). A ordem econômica na constituição é mais importante. Ver a
diferença entre concorrência ilícita e desleal. Abuso de poder econômico e
teoria dos efeitos. Concentração econômica. Vejam os atos que constituem
infração a ordem econômica, já que esse aparenta ser a prioridade do edital
(teoria dos efeitos).
 Noções de propriedade industrial – vocês não terão tempo de ler a lei inteira (se
tiver melhor, mas não acredito que terão). Segue um estudo estratégico dos
principais temas:
Saber a natureza do INPI e a competência para julgar as ações propostas pela
autarquia e contra a autarquia.
Saibam os principais títulos de propriedade industrial - invenção, modelo de
utilidade, desenho industrial e marca (classificação das marcas é tema que
sempre é cobrado, ex. marca de alto renome e marca notoriamente conhecida).
Distinção entre marca e nome empresarial.
Requisitos para patenteabilidade e para registro (o que não será patenteado ou
registrado – proibições legais. Ex: sinais não registrados como marca). Prazos
de proteção conferidos. Patentes pepilines.
Hipóteses de licença compulsória.
OBS- Propriedade industrial é tema nitidamente federal, mas como está previsto
em alguns editais vale ter noções gerais (quando previsto – se o tema não vier
previsto, basta que o aluno estude a ordem econômica na CF).

107
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 03, 04 E 05 - TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO. ATO
CONSTITUTIVO DAS SOCIEDADES. CLASSIFICAÇÃO DAS SOCIEDADES.
DA SOCIEDADE NÃO PERSONIFICADA E PERSONIFICADA. SOCIEDADES
SIMPLES E SOCIEDADES EMPRESÁRIAS. REGISTRO PÚBLICO DAS
SOCIEDADES. SOCIEDADE RURAL. DESCONSIDERAÇÃO DA
PERSONALIDADE JURÍDICA. SOCIEDADE LIMITADA. SOCIEDADE
ANÔNIMA (LEI Nº 6.404/76).
Detalhadamente:
 Direito societário – classificação das sociedades, características, distinções:
sociedades não personificadas, sociedade comum e em conta de participação
(esses três tipos são de incidência elevada); Sociedades personificadas,
sociedade simples, em nome coletivo, em comandita simples, limitada, anônima,
em comandita por ações, cooperativa e coligadas – liquidação, transformação,
incorporação, fusão e cisão das sociedades dependente de autorização.
 Saibam as características básicas de cada uma das sociedades e suas
classificações (simples X empresarial, de pessoa X de capital). Espécies e
responsabilidade dos sócios em cada tipo societário.
 Atenção para a EIRELI, tema que vem sendo muito cobrado (basta a leitura do
Código seco que é autoexplicativo).
 Foco: leitura do Código Civil para as sociedades menores (e saber os
conceitos), bem como focar no estudo da sociedade limitada que é a mais
cobrada.
 Quanto à S.A., deve o aluno saber apenas o básico, ex. forma de constituição,
que pode ser aberta e fechada, que é estatutária etc. Não precisa estudar S.A.
muito a fundo, nem ler a lei respectiva, pois NO GERAL, não costuma cair com
muita profundidade. Saiba a subsidiária integral e a atuação do poder público
nesse tipo de sociedade (ex. ações preferenciais). Atenção para a atuação do
poder público no direito empresarial. Empresas Públicas e Sociedades de
Economia Mista (falou nelas, atenção).
OBS. Embora não caísse com muita frequência o tema S.A, nas últimas provas
CESPE, houve a cobrança mais aprofundada.
 Para além desses temas, o aluno deve estudar ainda desconsideração da
personalidade jurídica (teoria maior e menor) e formas de dissolução,
especialmente a dissolução parcial e a possibilidade de exclusão dos sócios.
Vide o procedimento para desconsideração da personalidade jurídica no Novo
Código de Processo Civil.
 Atos de concentração entre sociedades (transformação, incorporação, fusão e
cisão – saibam os conceitos e relacionem com direito econômico).
 O mais importante, quanto a direito societário, é o regramento do CC (art. 986
a 1.141).

108
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 06 E 07 - TÍTULOS DE CRÉDITO
TEORIA GERAL DOS TÍTULOS DE CRÉDITO. TÍTULOS DE CRÉDITO NO
CÓDIGO CIVIL. LETRA DE CÂMBIO, NOTA PROMISSÓRIA, CHEQUE,
DUPLICATA. TÍTULOS DE CRÉDITO IMPRÓPRIOS. TÍTULOS
BANCÁRIOS. TÍTULOS DO AGRONEGÓCIO. TÍTULOS ELETRÔNICOS OU
VIRTUAIS.
Detalhadamente:
 Títulos de crédito - teoria geral e princípios são a grande prioridade. Entendam
os princípios (especialmente cartularidade, literalidade e autonomia) que
entenderão a matéria.
 Foco em letra de câmbio, pois será onde estudará a teoria geral dos títulos.
Entendam os institutos (seus conceitos), especialmente do aceite, endosso e
aval. Entendam os intervenientes dos títulos de crédito e a classificação de cada
um deles (ex. ordem de pagamento X promessa de pagamento).
 Após, estudem os demais títulos, com enfoque para cheque, nota promissória e
duplicata (nessa ordem). Vejam prescrição em cada um dos títulos,
especialmente no cheque.
 Atenção para todas as súmulas do STJ referentes ao tema, eis o mais
importante. Essas súmulas estão caindo muito (Ex. prescrição da ação
monitória fundada em cheque prescrito, dano moral em apresentação
antecipada de cheque pós-datado, protesto indevido, perda da liquidez de títulos
vinculados a alguns contratos bancários, dentre outros).
 Execução dos títulos e ação monitória (prescrição especialmente).
 Código Civil - em regra não cai, pois o regramento que prevalece é o da Lei
Uniforme, portanto, dispensa-se a leitura do CC.

109
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 08 - TEORIA GERAL DOS CONTRATOS EMPRESARIAIS
TEORIA GERAL DO DIREITO DOS CONTRATOS. O COMÉRCIO
ELETRÔNICO. CONTRATOS EMPRESARIAIS. COMPRA E VENDA
MERCANTIL. CONTRATOS DE COLABORAÇÃO. CONTRATOS
BANCÁRIOS. MÚTUO, FIANÇA, PENHOR E SEGURO. ARRENDAMENTO
MERCANTIL. FOMENTO MERCANTIL. FRANQUIA. ALIENAÇÃO
FIDUCIÁRIA EM GARANTIA. CARTÕES DE CRÉDITO. TRANSPORTE DE
CARGA, FRETAMENTO E ARMAZENAGEM. AGENCIAMENTO DE
PUBLICIDADE.
Detalhadamente:
 Contratos empresariais - tema não muito importante.
 Tenha uma boa noção da nova principiologia contratual.
 Saiba os conceitos de cada um dos contratos acima nominados.
 Atenção para as súmulas do STJ aplicadas aos contratos bancários, à alienação
fiduciária, ao leasing, ao factoring e à franquia (nessa ordem de destaque).
Mais importantes são as súmulas do STJ atinentes aos contratos bancários e
entendimentos jurisprudenciais.
 Focar, ainda, na teoria da desconsideração da personalidade jurídica,
especialmente nos contratos de consumo e nas relações empresariais (entre
iguais). Vide diferenças entre as teorias maior X menor.
 No geral, basta aula de cursinho/sinopse para esse tema.

110
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 09 E 10- TEORIA GERAL DA FALÊNCIA. FALÊNCIA NA LEI Nº
11.101/2005. ÓRGÃOS DA FALÊNCIA. EFEITOS DA FALÊNCIA. PROCESSO
DE FALÊNCIA. PEDIDOS DE RESTITUIÇÃO. DA INEFICÁCIA E DA
REVOGAÇÃO DE ATOS PRATICADOS ANTES DA FALÊNCIA.
REALIZAÇÃO DO ATIVO. CLASSIFICAÇÃO E PAGAMENTO DOS
CREDORES. ENCERRAMENTO DA FALÊNCIA. LIQUIDAÇÃO
EXTRAJUDICIAL DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E ENTIDADES
EQUIPARADAS. TEORIA GERAL DA RECUPERAÇÃO DA EMPRESA.
RECUPERAÇÃO JUDICIAL E RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL. ÓRGÃOS
DA RECUPERAÇÃO JUDICIAL. PROCESSO DA RECUPERAÇÃO.
VERIFICAÇÃO DOS CRÉDITOS.
Detalhadamente:
 Direito falimentar e recuperacional - apenas conceitos e processamento geral.
O que não pode haver dúvidas é quanto à classificação dos créditos (tem que
saber muito bem, especialmente do crédito tributário e com garantias reais).
Vejam, também, os créditos que integram e os que não integram a massa e,
como tal, terão prioridades de restituição.
 Saibam, ainda, a consequência do deferimento da recuperação judicial na
suspensão e novação das obrigações do devedor.
 Ineficácia dos atos praticados.
 Vide o básico de liquidação extrajudicial de instituições financeiras, e a
existência de um fundo garantidor (se o aluno não tiver visto no estudo de
direito bancário).
 Minha estratégia - leitura de uma sinopse ou aulas de cursinho, sendo
dispensada a lei seca (nesse dia, pois a leremos no seguinte).

111
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 11 E 12 - LEITURA DO CÓDIGO CIVIL, LEI DE FALÊNCIAS E DE S.A
(NESSA ORDEM DE IMPORTÂNCIA).
Detalhadamente:
 Quanto ao Código Civil, em regra, não precisa ler a parte de títulos de crédito.
 Quanto a Lei de Falências e de S.A - leiam somente os artigos indicados pelo
professor nas aulas, ou indicados pelo autor no livro, pois a leitura da lei
completa é pesada e desnecessária.

112
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO TRIBUTÁRIO
18 DIAS

DIAS 01, 02 E 03 - DIREITO TRIBUTÁRIO. CONCEITO, DEFINIÇÕES,


DENOMINAÇÕES. SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL. FINALIDADES E
OBJETIVOS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO - CARGA TRIBUTÁRIA.
TRIBUTO. ACEPÇÕES DO VOCÁBULO TRIBUTO. A DEFINIÇÃO DO ART.
3º DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL. TIPOLOGIA TRIBUTÁRIA NO
BRASIL: O CRITÉRIO CONSTITUCIONAL PARA A DETERMINAÇÃO DA
NATUREZA DO TRIBUTO. DENOMINAÇÃO E DESTINO DO PRODUTO DE
ARRECADAÇÃO: ART 4º DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL.
EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO. TAXAS. TAXAS E PREÇOS PÚBLICOS. O
PEDÁGIO. CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA E OUTRAS CONTRIBUIÇÕES.
EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS. CONTRIBUIÇÕES PARAFISCAIS.
IMPOSTOS EXTRAORDINÁRIOS. AS CONTRIBUIÇÕES (ART. 149 E SEUS
PARÁGRAFOS DA CF).
Detalhadamente:
 Noções introdutórias (cuidado com a definição de tributo e as características de
cada um deles, após para a classificação - destaque especial para a que
distingue os tributos em diretos e indiretos).
 Atenção, ainda, para a atividade tributária e financeira do Estado
(interferências e distinções). Natureza da receita tributária como derivada. Vide
a distinção entre receita originária e receita derivada (relação taxa X preço
público ou tarifa, natureza dos royalties como receita originária ou derivada).
 Ver, ainda, a natureza do CTN e como se estabelecem normas gerais em direito
tributário.
 Tipologia dos tributos (classificação tripartida X pentapartida), com destaque
especial para a forma de instituição de cada um deles, fatos geradores,
possibilidade de vinculação do produto da arrecadação.
 Merece atenção redobrada a contribuição de melhoria e a taxa (muita
jurisprudência e regramento do CTN). Foco nas taxas vinculadas à prestação
de serviço por autarquias e fundações. Distinção entre taxa e tarifa.
Vide os fatos geradores das taxas e as exigências que tornam a cobrança
legítima. Taxa de coleta domiciliar de lixo (elementos de IPTU na base de
cálculo). Jurisprudência sobre o que pode e o que não pode ser remunerado
mediante taxa.
 Impostos - saibam as classificações.
 Empréstimos compulsórios - forma de instituição e fatos geradores. Vinculação
do produto da arrecadação.
 Contribuições - noções gerais, com destaque para a CIDE combustíveis.
Contribuição sindical X confederativa. Contribuições previdenciárias devem ser
estudadas em Direito Previdenciário.

113
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Contribuição de melhoria – atenção redobrada. Asfaltamento urbano X
recapeamento. Limite individual e limite global. Requisitos previstos no CTN
para sua instituição.

114
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 04 E 05 - PRINCÍPIOS E IMUNIDADES - PRINCÍPIOS
CONSTITUCIONAIS. PRINCÍPIOS GERAIS. LIMITAÇÕES AO PODER DE
TRIBUTAR. IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS: CONCEITO, DEFINIÇÃO E
NATUREZA. IMUNIDADE E ISENÇÃO. IMUNIDADE RECÍPROCA.
IMUNIDADE DOS TEMPLOS DE QUALQUER CULTO, DOS PARTIDOS
POLÍTICOS E DAS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS OU ASSISTENCIAIS. A
IMUNIDADE DO LIVRO, DOS PERIÓDICOS E DO PAPEL DESTINADO À
IMPRESSÃO. OUTRAS HIPÓTESES DE IMUNIDADE. IMUNIDADES DE
TAXAS E DE CONTRIBUIÇÕES.
Detalhadamente:
 Limitações constitucionais ao poder de tributar (importantíssimo - decorar os
artigos da CF que tratam do tema).
 Princípios - não tem jeito. Tema que precisa ser dominado por vocês. Atenção
para as exceções à legalidade e à anterioridade (tema de incidência elevada).
 As imunidades são importantíssimas também e sempre cai a literalidade da
Constituição Federal (atenção para a novidade da imunidade musical).
 Tema sempre importante é imunidade recíproca e sua extensão (especialmente
para a administração indireta – destaque aqui). Imunidade recíproca para os
Correios. Saibam casos em que é dado ao Município cobrar IPTU da
administração indireta federal/estadual.
 Imunidades e empresas públicas e sociedades de economia mista (se aplicam ou
não e quando).
 Princípios e imunidades como direitos fundamentais do contribuinte (rol de
direitos fundamentais do art. 5º da CF como meramente exemplificativo).
 Vide muita jurisprudência sobre o tema. Sempre que seu livro citar um julgado
aqui, redobre a atenção.
 Reitero: princípios e imunidades são de incidência elevada. Ex. a fixação da
data de pagamento do tributo não está sujeita à reserva de lei.

115
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 06, 07 E 08 - INGRESSO NO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL E
OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA
COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA.
FONTES DO DIREITO TRIBUTÁRIO. FONTES DO DIREITO POSITIVO E
DA CIÊNCIA DO DIREITO. A DOUTRINA. INSTRUMENTOS PRIMÁRIOS E
SECUNDÁRIOS. LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA: CONCEITO, VIGÊNCIA,
APLICAÇÃO, INTERPRETAÇÃO E INTEGRAÇÃO. A LEI Nº 5.172/66 EM
FACE DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. NORMAS GERAIS DE DIREITO
TRIBUTÁRIO NA ESTRUTURA DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL. O
ART. 146 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. HIERARQUIA DA LEI
COMPLEMENTAR: FORMAL E MATERIAL. EXEGESE SISTEMÁTICA DAS
NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO.
REGRA DA INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA. HIPÓTESE TRIBUTÁRIA E FATO
JURÍDICO TRIBUTÁRIO. ACEPÇÃO DE "FATO GERADOR". O FATO
GERADOR SEGUNDO AS PRESCRIÇÕES DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO
NACIONAL. RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA. OBRIGAÇÃO
TRIBUTÁRIA NO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL: PRINCIPAL E
ACESSÓRIA. SUJEITO ATIVO E PASSIVO. SUJEITO PASSIVO E
SOLIDARIEDADE. CONTRIBUINTE E RESPONSÁVEL. DEFINIÇÃO DA
DÍVIDA TRIBUTÁRIA: BASE DE CÁLCULO E ALÍQUOTA.
INFRAÇÕES E SANÇÕES TRIBUTÁRIAS. ESPÉCIES DE INFRAÇÕES
TRIBUTÁRIAS. A FRAUDE À LEI E O ABUSO DE DIREITO NO
ORDENAMENTO JURÍDICO TRIBUTÁRIO. INFRAÇÕES NO CÓDIGO
TRIBUTÁRIO NACIONAL. RESPONSABILIDADE DOS SUCESSORES E DE
TERCEIROS. TIPICIDADE, VINCULABILIDADE TRIBUTÁRIA E
DENÚNCIA ESPONTÂNEA.
Detalhadamente:
 Competência tributária e legislação tributária (tema importante). Competências
tributárias federais e parafiscalidade (saibam muito bem parafiscalidade).
Características da competência tributária. Bitributação e acordos
internacionais.
 Vide todas as fontes normativas do direito tributário, com enfoque para Lei
Complementar e Medida Provisória. Vide acordos do GATT (saber apenas o
que é). Diferenças entre lei e legislação (saiba quando a legislação entra em
vigor).
Lei meramente interpretativa X retroatividade (e outros casos de retroatividade
permitida).
 Interpretação e integração (tema importante. Cuidado com o princípio do
pecunia non olet). Norma geral antielisão e interpretação econômica (distinção
entre evasão, elisão e elusão).
Além disso, o foco deve ser a leitura do CTN (ex: art. 108).

116
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Obrigação tributária - Tema importantíssimo. Ver especialmente: conceito;
espécies (principal e acessória – todas as distinções); fato gerador (hipótese de
incidência); sujeitos ativo e passivo (elementos irrelevantes para definição da
sujeição passiva, distinção entre contribuinte e responsável é prioridade
dominar, contribuinte de fato e contribuinte de direito); solidariedade tributária
e sua distinção com a solidariedade civil; capacidade tributária; domicílio
tributário. Desses temas, destaco solidariedade e domicilio tributário (tem que
decorar as regras do CTN para os dois), princípio da autonomia dos
estabelecimentos.
 Responsabilidade Tributária - Tema importantíssimo. Os artigos de
responsabilidade no CTN devem ser lidos de véspera. Atenção para as formas
de responsabilidade (substituição e transferência, responsabilidade por
substituição progressiva e regressiva e não ocorrência do fato gerador ou
ocorrência a menor) casos especiais de responsabilidade por sucessão e de
responsabilidade de terceiros (prioridade máxima – sugere-se a leitura dos
artigos respectivos na semana da prova).
 Responsabilidade pelas infrações.
 Denúncia espontânea. Denúncia espontânea e obrigações acessórias. Aplicação
no lançamento por homologação.

117
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 09, 10 E 11 - CRÉDITO TRIBUTÁRIO
CRÉDITO TRIBUTÁRIO. LANÇAMENTO. NATUREZA JURÍDICA.
CARACTERÍSTICAS, EFEITOS E MODALIDADES. SUSPENSÃO DA
EXIGIBILIDADE DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO.
EXTINÇÃO DAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS. EXCLUSÃO DO CRÉDITO
TRIBUTÁRIO.
Detalhadamente:
 Crédito Tributário e Lançamento (tema também importante). Natureza do
lançamento e seu conceito, qual lei será aplicável quando do lançamento (saber
sob o aspecto processual e material).
 Modalidades de lançamento e as peculiaridades do lançamento por
homologação (tentar relacionar o tributo à modalidade de lançamento).
 Casos em que se admite a revisão do lançamento e revisão do ofício.
 Suspensão da exigibilidade do crédito (tema importante, especialmente a
moratória e parcelamento) e os entendimentos sumulados do STJ/STF. No mais,
saibam quais são as hipóteses e leia o CTN. Necessidade de depósito prévio
para apresentar recursos administrativos?
Foco em parcelamento, pois veio como título específico do edital (não precisam
estudar as formas especiais de parcelamento, como REFIS).
 Extinção do Crédito Tributário (tema importante). Saber quais são as causas de
extinção (art. 156 do CTN), após focar nas regras de pagamento, decadência
(especialmente no lançamento por homologação – tese dos 05 mais 05) e em
prescrição. Foco, ainda, no pagamento indevido e no prazo para pleitear a
restituição.
No mais, decorar o CTN no tema e se atentar às súmulas correlatas.
 Exclusão do crédito tributário (tema importante). Isenção e Anistia (distinção
entre ambas), necessidade de lei específica. Diferença entre isenção e
imunidade.

118
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 12- GARANTIAS E PRIVILÉGIOS DO CRÉDITO, BEM COMO
ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA + LEITURA DO CTN (ART. 1º A 8º, ART. 77
A 80; ART. 81 E 82 + 96 ATÉ 208).
GARANTIAS E PRIVILÉGIOS DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO.
ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA. ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO
TRIBUTÁRIA. A FISCALIZAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS PRESTAÇÕES
TRIBUTÁRIAS. DEVER DE SIGILO. DÍVIDA ATIVA E CERTIDÕES
NEGATIVAS.
Detalhadamente:
 Garantias e privilégios (tema não muito importante, mas tem que decorar a
hierarquia dos créditos, especialmente na falência). Vide as prerrogativas do
Ente Público em caso de falência/insolvência. Vide a hierarquia do crédito das
autarquias e fundações.
 Presunção legal de fraude à execução fiscal (atenção redobrada para o art. 185
do CTN), pedido de penhora online e necessidade de esgotamento de todas as
demais vias disponíveis?
 Administração Tributária (tema não muito importante, mas tem que ser
estudado). Ver dívida ativa e o que pode ser inscrito. Compartilhamento das
informações fiscais. Poderes das autoridades fiscais, especialmente o acesso
aos dados bancários independentemente de autorização judicial (julgado
recentíssimo do STF).
 Ler ainda o regime falimentar (classificação do crédito tributário, da multa
tributária, quando será crédito extraconcursal, trâmite da execução fiscal).
Saber todos os privilégios do CT (ver sucessão nesses casos de falência e
recuperação também).
 Ver os requisitos para quebrar o sigilo fiscal (legitimidade da Fazenda Pública
e do Ministério Público para quebra?)
 Dívida ativa – saber o que é e o que pode ser inscrito em CDA. Protesto da
CDA. Elementos da CDA e possibilidade de correção/substituição.
 Certidões - espécies e quando é concedida ao contribuinte CDA positiva com
efeitos de negativa.

119
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 13 E 14 - NOÇÕES GERAIS DE IMPOSTOS FEDERAIS E ESTADUAIS
Detalhadamente:
 Impostos federais não são tão importantes para primeira fase, e costumam cair
pouco.
 Nesse sentido, para a prova de Juiz Estadual basta que os alunos leiam (no
máximo) um livro geral de Direito Tributário, que por nós sugerido é Ricardo
Alexandre. O que quero dizer: não usem um livro específico para impostos, pois
não é necessário.
 O mais importante de tais impostos é o regramento constitucional, logo
trabalhem para decorar os artigos da Constituição que digam respeito a eles.
 Além do regramento constitucional, tomem cuidado com os entendimentos do
STF/STJ sobre tais impostos. São importantes, por exemplo, julgados do
STF/STJ que declaram a incidência de tais tributos em uma situação, mas não
em outra.
 Atenção ainda para as noções gerais de direito tributário que refletem em tais
impostos, especialmente as imunidades, isenções, exceções a princípios.
 Atenção para as caraterísticas básicas. Ex. Imposto de renda (generalidade,
universalidade e progressividade), IPI e sua não cumulatividade.
 Atenção para a tributação no comércio exterior. Ou seja, o direito tributário
podendo ser utilizado para fins de regulação da economia.
 Atenção para a sanção de perdimento aplicada pela autoridade aduaneira.

Minha opinião - eu sempre estudei esses impostos por um livro geral de direito
tributário, e nunca tive problemas em concursos. Essa é uma dica de estratégia, de
forma que, é possível errar? Sim, mas não acreditamos.

Detalhadamente para IMPOSTOS ESTADUAIS:


 Muito destaque para o regramento constitucional, especialmente os princípios
norteadores de tais tributos. Não costumam cair muito em concursos federais, e
quando cobrados, vem o básico do regramento constitucional ou jurisprudência
recente, muitas vezes relacionada a imunidades.
 Para ICMS, chamo atenção para a atuação do CONFAZ. Frisa-se: ICMS é o
grande destaque de tributos estaduais.

Para finalizar:
 Leitura dos art. 153 a 162 da CF (com atenção).

No mais, reiteramos, apenas ler Ricardo Alexandre (no máximo) e focar mesmo no
regramento constitucional desses tributos.
120
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Na prova anterior: Não foram cobradas questões, o que demonstra o acerto (em regra)
da nossa estratégia.
O aluno pode optar por dispensar esse dia, desde que não haja tempo suficiente para
estudo.

121
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 15 – TRIBUTOS MUNICIPAIS + SIMPLES NACIONAL
Detalhadamente:
 No geral, basta um livro comum de direito tributário. Logo, eu não me
preocuparia com a leitura de um livro específico para esses tributos (custo
benefício não compensa).
Sugestão- Ricardo Alexandre.

Para IPTU, não deixem de ver os seguintes temas:


 Conceito e distinção em relação ao ITR (critérios para configuração do imóvel
como urbano ou rural). Fato gerador (não restrito a propriedade, mas sim
também a posse e domínio útil). Base de cálculo (estudo das acessões).
Contribuinte e forma de lançamento.
 Progressividade fiscal e extrafiscal no IPTU. Progressividade fiscal instituída
antes da Emenda Constitucional 29/2000. Súmula 668 e 589 do STF.
 Casos de progressividade extrafiscal – importância redobrada – função social
das cidades.
 Casos de imunidades (especialmente a recíproca e para templos religiosos).
 IPTU sobre terrenos de marinha (para Estados litorâneos).
 Exceção a impenhorabilidade do bem de família.

Detalhadamente para ITBI:


 Conceito e casos de incidência. Incidência sobre a transmissão de direitos reais
de garantia? Momento da ocorrência do fato gerador. Contribuinte e forma de
lançamento.
 Incidência em caso de desapropriação, usucapião ou separação. Incidência em
caso de renúncia a herança.
 Progressividade no ITBI.
 Competência para cobrança (como definir o município responsável).
 Casos de imunidades, especialmente se o imóvel for destinado a reforma
agrária.

Detalhadamente para ISS:


 Conceito e competência.
 Âmbito de incidência de ISS e ICMS. Casos mais complicados decididos pelo
STF. Ex: ISS ou ICMS sobre leaseing, sobre locação, etc.
 Alíquotas. Limites fixados em Lei Complementar.
 Imunidades – especialmente a recíproca e a de papéis e periódicos.
 Regime de retenção no SIMPLES.
 ISS fixo.

122
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Foco em muita jurisprudência sobre incidência e não incidência, e na distinção
do aspecto material com o ICMS.

Detalhadamente para COSIP:


 Leitura do art. 149-A da Constituição Federal.
 Distinção entre COSIP x Taxa. Taxa de iluminação pública (motivo de ser
inconstitucional).
 Instituição da COSIP pelos Municípios e Distrito Federal.
 Formas de cobrança. Base de cálculo e sujeito passivo.
 OBS- sempre cai uma questão ao menos dessa contribuição. Tema é muito
fácio, sendo proibido o erro aqui.

Detalhadamente para SIMPLES:


 Noções Gerais do Simples - O que tem em Ricardo Alexandre é suficiente.
Tributos incluídos, quem não pode se beneficiar. Foco nos tributos que estão
abrangidos. Beneficiados e excluídos do SIMPLES.
 O grande enfoque deve ser para os conceitos básicos, bem como instância
recursal.

Recomendação final – fixem muito bem o artigo 156 da Constituição Federal. Foco
deve ser a CF seca e Ricardo Alexandre. Não aprofundem muito no tema.

123
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 16 E 17 - PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO
PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO: EXECUÇÃO FISCAL. AÇÃO
ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL. AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO.
AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO. AÇÃO DECLARATÓRIA.
MEDIDA CAUTELAR FISCAL. MANDADO DE SEGURANÇA.
Detalhadamente:
 Processo Judicial: é o mais importante. Atenção redobrada com a lei de
execuções fiscais (saber tudo, mesmo).
 Chamo atenção para os seguintes temas (mas friso, a LEF tem que ser
dominada, pois vai cair e será seu dia a dia de trabalho – muitos processos de
execução fiscal para julgamento): substituição da CDA (até quando),
redirecionamento da execução fiscal, embargos à execução fiscal (necessidade
de garantir o juízo), reconhecimento da prescrição intercorrente (e da
prescrição comum), legitimados à execução fiscal, interrupção da prescrição
com a inscrição em dívida ativa, possibilidade de protesto da CDA, relação da
execução fiscal com a ação de falência, embargos infringentes, formas de
realização da citação.
 Fim da competência delegada para execução fiscal (não esquecer).
 Ver, ainda, medida cautelar fiscal (Lei 8.397), e lembrar que nem sempre o
crédito precisa estar constituído para que ela seja deferida.
 Atenção para o encargo legal (que poucos sabem o que é, mas é muito
importante para a arrecadação).
 Ações do contribuinte contra o fisco - noções gerais e jurisprudência. Dominar
a linha do tempo do crédito tributário, o que ajudará a dominar o cabimento
das ações tributárias.

124
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 18 - CTN E CF TRIBUTÁRIA

125
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO AMBIENTAL
8 DIAS

DIA 01 - DIREITO AMBIENTAL CONSTITUCIONAL - PRINCÍPIOS E


COMPETÊNCIA
BEM JURÍDICO AMBIENTAL. DIREITO DO AMBIENTE: CONCEITO,
PRINCÍPIOS, OBJETO, INSTRUMENTOS LEGAIS. CONSTITUIÇÃO E O
MEIO AMBIENTE. O ARTIGO 225: OBJETIVO, ALCANCE E REFLEXOS.
AMBIENTE ECOLOGICAMENTE EQUILIBRADO COMO DIREITO
FUNDAMENTAL. NATUREZA PÚBLICA DA PROTEÇÃO AMBIENTAL.
TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE TEMA AMBIENTAL. PRINCÍPIOS
CONSTITUCIONAIS AMBIENTAIS. PRINCÍPIO DA SOLIDARIEDADE
INTERGERACIONAL. PRINCÍPIO DO DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL. PRINCÍPIO DO POLUIDOR-PAGADOR. PRINCÍPIO DO
USUÁRIO-PAGADOR. PRINCÍPIO DA FUNÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA
PROPRIEDADE. PRINCÍPIO DA PREVENÇÃO. PRINCÍPIO DA
PRECAUÇÃO. PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO. PRINCÍPIO DA
INFORMAÇÃO AMBIENTAL. PRINCÍPIO DA UBIQUIDADE. PRINCÍPIO DA
MORALIDADE E O MEIO AMBIENTE. OUTROS PRINCÍPIOS AMBIENTAIS
IMPLÍCITOS OU EXTRAÍVEIS DO SISTEMA CONSTITUCIONAL.
DEVERES GENÉRICOS DO PODER PÚBLICO EM RELAÇÃO AO MEIO
AMBIENTE. DEVERES ESPECÍFICOS DO PODER PÚBLICO EM RELAÇÃO
AO MEIO AMBIENTE. COMPETÊNCIAS ADMINISTRATIVA,
LEGISLATIVA E JURISDICIONAL EM MATÉRIA AMBIENTAL.
PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL (A COMUNIDADE E A TUTELA
CONSTITUCIONAL DO AMBIENTE. POLÍTICA NACIONAL DE
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. PARTICIPAÇÃO POPULAR NA POLÍTICA
PÚBLICA AMBIENTAL. PARTICIPAÇÃO POPULAR NA ADMINISTRAÇÃO,
NO PARLAMENTO E NO JUDICIÁRIO).
Detalhadamente:
 Decorar o art. 225 da Constituição Federal.
 Princípios Fundamentais do Direito Ambiental (não há leis específicas, basta a
leitura do que consta no livro/material escolhido. Atenção para todos os
princípios, especialmente prevenção, precaução, poluidor-pagador e usuário-
pagador). Desenvolvimento sustentável (vertentes – prioridade). Função
socioambiental da propriedade (importantíssimo). Atenção para esses
princípios, pois costumam cair em primeira e segunda fases.
 Competências constitucionais (tema importantíssimo - Ler os artigos da
Constituição com muita atenção, e entender como funciona, especialmente a
competência concorrente e comum). Lembrem-se que, em geral, a competência
ambiental é concorrente e comum.
 Lei Complementar 140 - Distinção entre competência subsidiária e supletiva.
Critério da dominialidade e da extensão do dano para definição do Ente
126
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
responsável. Saber todas as competências federais e estaduais. Conflito de
competência e qual deve prevalecer. Licenciamento de atividades em APAs
(tema também referente a licenciamento).
 Noções gerais de educação ambiental – Lei 9.795- (somente se houver tempo,
pois não deve cair – chances pequenas) – VEJA SE O TEMA ESTÁ EXPRESSO
OU NÃO EM SEU EDITAL.

127
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 02 E 03 - POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE
(ESPECIALMENTE LICENCIAMENTO E PODER DE POLÍCIA).
TUTELA ADMINISTRATIVA DO AMBIENTE: PODER DE POLÍCIA,
COMPETÊNCIA. LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE PARCELAMENTO DO
SOLO E DA CIDADE.
LICENCIAMENTO AMBIENTAL. ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO
AMBIENTAL. EIA/RIMA.
URBANISMO. MEIO AMBIENTE URBANO. INSTRUMENTOS
URBANÍSTICOS DE TUTELA DO MEIO AMBIENTE. A ÉTICA AMBIENTAL
E O ESTATUTO DA CIDADE (ZONEAMENTO AMBIENTAL).
Detalhadamente:
 Política Nacional do Meio Ambiente (importantíssimo, especialmente a
estrutura do SISNAMA, licenciamento ambiental - e avaliação de impacto
ambiental). Destaque para IBAMA e ICMBIO (atribuições diversas). Mas friso:
saibam quais são os instrumentos da PNMA (todos).
 Vide ainda estudo de impacto ambiental, conceito, natureza jurídica e
requisitos. Diferenças entre estudo ambiental (dano significativo) X
licenciamento ambiental (qualquer dano).
 Chamo a atenção mesmo para licenciamento (espécies de licença, natureza,
procedimento de licenciamento, prazos).
 Do mesmo modo para servidão ambiental (cada detalhe).
 Noções gerais de zoneamento ambiental e de padrões de qualidade ambiental -
importante saber ao menos os conceitos.
 Enfim, decorem a PNMA especialmente até seu art. 13.
 Leitura da Resolução CONAMA nº 237/1997 e da Resolução CONAMA 428/10
sobre o licenciamento ambiental e saber diferenciá-lo do licenciamento
administrativo; revogação X anulação da licença. A leitura das resoluções deve
ser feita apenas em havendo tempo, e não são indispensáveis.
 Noções gerais de zoneamento ambiental.

128
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 04 E 05 - CÓDIGO FLORESTAL E ESPAÇOS TERRITORIAIS
ESPECIALMENTE PROTEGIDOS
ESPAÇOS AMBIENTALMENTE PROTEGIDOS.
Detalhadamente para Código Florestal:
 Código Florestal (importantíssimo, especialmente a diferença entre reserva
legal e área de preservação permanente, bem como obrigação propter rem).
Saibam quais áreas são APP e quais são reserva legal (saber os percentuais).
 A parte introdutória e conceitual é a mais importante.
 Atenção para compensação de reserva legal, e as atividades que eventualmente
podem ser desenvolvidas em APP e reserva legal.
 Atenção, ainda, para áreas verdes urbanas (foco aqui).
 Atenção para cadastro ambiental rural (importante, pois é novidade introduzida
pelo atual Código Florestal).

Detalhadamente SNUC:
 Sistema Nacional de Unidades de Conservação.
 Importante saber as unidades que são de proteção integral – pois, por exceção,
saberá as que são de uso sustentável; atenção para os conceitos de uso direto e
indireto, bem como para as peculiaridades de cada Unidade, ex. quais precisam
ser em terrenos públicos e quais não precisam.
 Compensação ambiental (o que é).
 Vide teoria da dupla afetação e unidades de conservação X proteção de
populações tradicionais.
 Formas de criação e gestão das unidades.
 Extinção de unidades – criação por lei/decreto e formas de extinção.
 Natureza do ICMBIO. Inconstitucionalidade originária em sua criação e
modulação de efeitos.

129
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 06 E 07 - RESPONSABILIDADE CIVIL, TUTELA ADMINISTRATIVA E
PENAL DO MEIO AMBIENTE
RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA AMBIENTAL.
RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA.
Detalhadamente:
 RESPONSABILIDADE CIVIL por dano ambiental (importantíssimo). Não
deixem de estudar. Atenção para a responsabilidade objetiva sob o risco
integral, solidária (poluidor direto e indireto), propter rem e
imprescritibilidade.
 Defesa processual do meio ambiente - ação civil pública ambiental.
Consequência processual do princípio da precaução (inversão do ônus da
prova). Formas de reparação do dano ambiental (reparação integral X
indenização em dinheiro, cumulação entre ambas na jurisprudência do STJ,
dano moral coletivo ambiental). Termo de ajustamento de conduta ambiental.
OBS- esse tema processual é desnecessário caso o aluno tenha estudado
processo coletivo.
 Responsabilidade administrativa ambiental – poder de polícia ambiental
(atributos e competência), sanções aplicáveis (com as agravantes e atenuantes)
e prescrição. Não se preocupem em estudar as infrações em espécie.
 Crimes ambientais – foquem na parte geral da lei (art. 2º a 28). Veja, por
exemplo, as diferenças nas atenuantes e agravantes quando comparadas com o
Código Penal. Responsabilidade penal da pessoa jurídica. Não se preocupem,
em regra, com os crimes em espécie (estratégia).

130
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 08 - TEMAS FALTANTES
OUTROS TEMAS: O AMBIENTAL DE PARCELAMENTO DO
SOLO E DA CIDADE. NIO AMBIENTAL NATURAL. AR, GUA,
SOLO, FLORA, FAUNA. NIO AMBIENTAL CULTURAL.
NIO AMBIENTAL ARTIFICIAL. NIO TICO,
BIOTECNOLOGIA E A. NACIONAL DA
BIODIVERSIDADE. O DA GUA. O RICA.
O VISUAL. O POR LIDOS. O
POR ATIVIDADES NUCLEARES. XICOS. URBANISMO. MEIO
AMBIENTE URBANO. INSTRUMENTOS DE TUTELA DO
MEIO AMBIENTE. A TICA AMBIENTAL E O ESTATUTO DA CIDADE.

Detalhadamente:

 Os temas acima são de pouca (pouquíssima na verdade) incidência, de forma


que, no geral, basta lei seca. As leis mais importantes são as seguintes:

1- Lei de resíduos sólidos – Lei 12.305/10.

2- Política Nacional de Recurso Hídricos- Lei 9.433/97.

3- Estatuto das Cidades (leitura somente dos dispositivos relacionados ao meio


ambiente e a ordenação das cidades de forma ambientalmente adequada).

4- Lei de Biossegurança e pesquisas com organismo modificados- Lei


11.105/2005.

5- Lei de Agrotóxicos – Lei 7.802/89.

6- Gestão de Florestas Públicas – Lei 11.284/2006.

7- Lei da Floresta Atlântica- Lei 11.428/2006.

A chance desses temas cair não é das maiores (mas ocorre), sendo as
prioridades as leis de resíduos sólidos e recursos hídricos.

Patrimônio cultural também é de grande incidência, mas será estudado em


direito administrativo.

131
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO
22 DIAS

DIAS 01 E 02- ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. PODERES E PRINCÍPIOS


1. PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
3. PODER DE POLÍCIA. LIMITES E FUNDAMENTOS. ADOÇÃO DE
MECANISMOS CONSENSUAIS NO EXERCÍCIO DO PODER DE POLÍCIA.
TERMOS DE AJUSTE DE CONDUTA ADMINISTRATIVOS. TERMOS
SUBSTITUTIVOS DE SANÇÃO. LIMITES À DELEGABILIDADE DO PODER
DE POLÍCIA.
Detalhadamente para noções introdutórias:
 Noções Introdutórias - Saber ao menos o conceito de direito administrativo,
sistema inglês, sistema francês (bem como qual sistema foi adotado no Brasil) e
regime jurídico-administrativo (supremacia e indisponibilidade do interesse
público, relação entre o interesse público e o particular).
 Ver ainda: Os diferentes critérios adotados para a conceituação do direito
administrativo (prioridade desse tópico).
 Esses conceitos introdutórios básicos são importantes, especialmente para que
vocês entendam o caráter público desse ramo do direito, e sua implicação na
supremacia do interesse público, por exemplo.
 ASSUNTO DE POUCA IMPORTÂNCIA: Fontes do direito administrativo:
doutrina e jurisprudência na formação do direito administrativo. Lei formal.
Regulamentos administrativos, estatutos e regimentos; instruções; princípios
gerais; tratados internacionais; costume. Apenas cuidado com os decretos
autônomos. Também não são muito importantes: Direito administrativo como
direito público, objeto do direito administrativo, distinção da atividade
administrativa e sua relação com as outras atividades.

Detalhadamente para princípios:


 Princípios (importantíssimo) – novamente reitero a importância de se conhecer
as implicações da supremacia do interesse público e da sua indisponibilidade.
Distinção entre interesse público primário e secundário.
 Atenção especial para os previstos no art. 37 da Constituição Federal
(legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, e
desdobramentos), para a autotutela (importantíssimo), bem como
proporcionalidade e proteção da confiança legítima (boa-fé X má-fé no
recebimento de verbas públicas em virtude de liminar e em virtude de má
interpretação da lei feita pela Administração). Nepotismo e sua vedação ou não
aos cargos políticos. Vertentes e origens do princípio da impessoalidade.

132
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 No princípio da publicidade, recomenda-se a leitura da lei de acesso à
informação (basta lei seca) - lendo a lei 12.527/2011 de forma seca é
dispensada a leitura do mesmo tema na obra escolhida, posto que as obras se
limitam a reproduzir a letra fria da lei. Por estratégia, portanto, basta uma
leitura da lei acima sugerida.

Detalhadamente para poderes e deveres administrativos:


 Regime de prerrogativas e sujeições. Fundamento.
 Apenas noções gerais de deveres (tema que se relaciona diretamente aos
princípios, de forma que, conhecendo os princípios, conhece-se também os
deveres) - leitura rápida, portanto.
 Poderes – tema de suma importância. tenção redo rada com “poder vinculado
e poder discricionário” (o aluno deve entender em discricionariedade e
vinculação). Em discricionariedade, deve se ater aos conceitos jurídicos
indeterminados, discricionariedade técnica, bem como aos limites da
discricionariedade (ou seja, quais elementos são sempre vinculados e onde
reside a discricionariedade do administrador). Diferenças no controle judicial
dos atos discricionários e nos atos vinculados. Controle de proporcionalidade
relacionado ao poder discricionário.
 Poder hierárquico - saber o conceito e as decorrência da hierárquia (avocação
e poder sancionatório, por exemplo).
 Poder disciplinar - conceito e natureza discricionária ou vinculada.
 Poder regulamentar - atenção para as espécies de decreto e os casos em que se
admite decreto autônomo. Exorbitância no poder regulamentar (o que fazer).
Poder regulamentar das agências reguladoras (o que tem de especial).
 Poder de Polícia - tema mais importante do seu dia de estudos, portanto não há
muito o que destacar, posto que o tema é, de fato, prioridade. Apenas como
auxílio, indico os seguintes temas: conceito de poder de polícia (atividade
positiva ou negativa?), polícia preventiva X repressiva, sanções aplicáveis
(atenção para demolição de residência X autorização judicial),
autoexecutoriedade das decisões (limites), ciclo de polícia (tema recorrente em
provas), delegação do poder de polícia (e sua impossibilidade de delegação
para particulares) X delegação de atividades materiais de polícia (possibilidade
de delegação a particulares), atributos do poder de polícia (dominar – foco
para autoexecutoriedade).
 Para terminar o dia, veja abuso de poder, com destaque para suas
modalidades: excesso de poder e desvio de finalidade.

133
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 03, 04 E 05 - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E TERCEIRO SETOR
ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ADMINISTRAÇÃO DIRETA
E ADMINISTRAÇÃO INDIRETA. ÓRGÃOS E ENTES PÚBLICOS.
PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA. CONTROLE
HIERÁRQUICO. EMPRESAS ESTATAIS: ESPÉCIES E DIFERENÇAS.
REGIME JURÍDICO E GOVERNANÇA DAS EMPRESAS ESTATAIS.
CONTROLE DOS ENTES DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA. AGÊNCIAS
REGULADORAS. CONCEITO. REGIME JURÍDICO. COMPETÊNCIAS.
CONTROLE DOS ATOS DAS AGÊNCIAS. FUNDAÇÕES PÚBLICAS.
NATUREZA JURÍDICA E REGIME JURÍDICO. FUNDAÇÕES
GOVERNAMENTAIS DE DIREITO PÚBLICO E DE DIREITO PRIVADO.
FUNDAÇÕES DE APOIO.
CONSÓRCIOS PÚBLICOS. NATUREZA JURÍDICA, REQUISITOS E
PROCEDIMENTO DE FORMAÇÃO E EXTINÇÃO. CONTRATOS DE
PROGRAMA. CONTRATOS DE RATEIO.

Detalhadamente para Administração direta e indireta (noções introdutórias):

 Tema da mais elevada prioridade - deve o aluno preferir uma doutrina muito
boa.
 Administração Pública - conceito objetivo e subjetivo (e distinção com a
atividade de governo), aspecto formal, material e orgânico.
 Organização da Administração (tudo) - esse tema é bastante doutrinário (diria
que exclusivamente doutrinário). Iniciei aprendendo a distinguir entes políticos
de entes administrativos, administração direta X administração indireta,
descentralização X desconcentração - todas essas classificações são
prioritárias.
 Como se cria um ente da administração indireta (lei criadora X lei
autorizativa). Autorização para criação de subsidiárias de empresas públicas e
sociedades de economia mista (precisa de uma nova lei?).

Para as entidades da Administração Indireta em espécie:


 Todas muito importantes, de forma que detalhar é facilitar, mas não substitui
que o aluno tenha atenção com cada detalhe. Nas próximas linhas, chamarei
atenção somente ao que salta aos olhos em prova.
 Saibam distinguir quais entes são públicos e quais entes são privados e quais
são as consequências relevantes dessa distinção (ex: regime de pessoal,
sujeições, imunidades, poder de polícia etc). Saibam as prerrogativas que
possuem os entes públicos e quais prerrogativas possuem os entes privados.
 Autarquia - as características e forma de criação, tutela ou controle finalístico
(recurso hierárquico impróprio), regime de pessoal, imunidades (especialmente
a recíproca).

134
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Agências reguladoras - deve o aluno se ater aos conceitos, finalidades (porque
surgiram e se, de fato, são novidades no direito brasileiro) e tudo,
absolutamente tudo que as torna especial (nomeação de dirigentes, quarentena
de saída, poder normativo, licitação sob a modalidade consulta etc). Foco,
portanto, nas distinções entre autarquias comuns e agências reguladoras.
 Agências executivas – saibam o que é, como se qualificam (natureza temporária
ou definitiva da qualificação).
 Fundações - natureza pública X natureza privada (importância da distinção no
regime jurídico). Forma de criação. Atuação do Ministério Público no zelo das
fundações públicas (necessidade?).
 Empresa Pública e Sociedade de Economia Mista - distinções entre ambas
(todas), prestação de serviço público X atividade econômica (diferença de
regime jurídico). Imunidade recíproca X impossibilidade de privilégios não
extensíveis ao setor privado. Imunidade recíproca para os Correios (extensão),
responsabilidade civil (distinguir os casos de serviço público X atividade
econômica), licitação e concurso público em tais entes. Regime de pessoal
(estabilidade?). Cabimento de mandado de segurança contra ato de seus
dirigentes (saber quando). Regime de seus bens (penhoráveis ou não?), não
sujeição em nenhum caso à falência (atenção aqui).
 Lei das Estatais – Lei 13.303/2016 – NOVIDADE – saiba noções básicas,
portanto – não se dediquem a lei inteira, saibam que ela existe e o tema que
trata. Essa lei só deve ser lida integralmente por quem estuda a longo prazo.

 Consórcios públicos - tema de incidência elevada, de forma que recomendamos,


além da doutrina, a leitura da lei 11.107/2005. Saibam o conceito e finalidade
do instituto, forma de criação, natureza jurídica (pública ou privada) regime de
pessoal (celetista ou estatutário), hipóteses de celebração de licitação com
dispensa, distinção entre consórcio e convênio. Conceito de contrato de rateio e
contrato de programa.
Sugestão - o mais importante mesmo é ler a lei. Esse tema é dos mais difíceis e
que mais esquecemos, então sugiromuma revisão final próxima ao certame.

 Órgãos e agentes públicos - conceito de órgão e teoria da imputação (teoria do


órgão – relação órgão e agente). Classificação dos órgãos e quando podem eles
irem a juízo. Saibam em qual classificação se insere a Magistratura.
Para agentes, por ora basta a classificação. Monte um esquema e está feito o
estudo desse tema (voltaremos a ele em dia específico).
Sem leis.

Detalhadamente para terceiro setor:


 Terceiro setor – tema que vem ganhando destaque. Não há leis, bastando
doutrina.
 Saibam o contexto da criação desses entes e o conceito de atividade paraestatal.

135
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Serviços sociais autônomos- conceito, forma de criação e personalidade.
Regime de bens e recursos que recebe. Prestação de contas ao TCU. Regime de
pessoal.
 Organizações Sociais - conceito e forma de qualificação (contrato de gestão) e
desqualificação. Benefícios de se qualificar com OS.
 Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público - finalidade e forma de
qualificação (termo de parceria). Entes que podem e que não podem se
qualificar. Áreas de atuação. Benefícios e deveres decorrentes da qualificação.
Todas as distinções e semelhanças com a OS (atenção aqui).
 Julgamento importante: http://www.conjur.com.br/2015-jun-23/stf-definiu-
elementos-indispensaveis-legalidade-oss
 Entidades de apoio - conceito e em que áreas atua. Críticas - menos importante
dos Entes.
 Por fim, tenham noções básicas da Lei 13.019 – saber os principais conceitos,
os principais atos celebrados com o poder público e forma de controle
(mormente os relatórios).

136
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 06 E 07 - AGENTES PÚBLICOS
ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL: CARGOS, EMPREGOS E FUNÇÕES
PÚBLICAS. SERVIDORES PÚBLICOS. REGIME JURÍDICO ÚNICO.
DIREITOS E OBRIGAÇÕES. PROCESSOS DISCIPLINAR. REGIMES
JURÍDICOS FUNCIONAIS. REGIME DE PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR
PÚBLICO: ASPECTOS CONSTITUCIONAIS.
Detalhadamente:
 Servidores – tema de importância redobrada.
 Inicialmente, o aluno deve ter atenção para os conceitos básicos e distinções
entre celetistas, estatutários e temporários (vide TODAS as distinções).
 Feito isso, analisaremos o regramento constitucional do tema. Ou seja,
provimento por concurso (atenção com o regramento do concurso em todos os
seus desdobramentos), remuneração X subsídio, estabilidade, cumulação de
cargos e remunerações etc. Ou seja, muita atenção com todo esse regramento
geral de servidores, pois é um tema de incidência redobrada.
 Após isso, estudar detalhadamente o regime celetista, ou seja, regime de
emprego público.
 Responsabilidade civil, criminal e administrativa do agente público - conceito e
independências de instâncias. Reflexos da esfera penal nas demais. Atenção
para PAD e Sindicância - saber toda a jurisprudência do STF e do STJ sobre o
tema (interceptação telefônica no PAD como prova emprestada, por exemplo).
TEMAS PRIORITÁRIOS – PODER DISCIPLINAR É COBRADO COM
GRANDE INCIDÊNCIA.
 Ler o regime previdenciário, principalmente na CF e tomar muito cuidado com
as novas normas para concessão da pensão. Em geral, não há necessidade de
aprender as regras de transição (se souber, melhor, mas não costuma cair).
Decorem ao menos a constituição no tema.
 Previdência complementar também merece muita atenção (previdência
complementar pública) – adesão facultativa e limitação ao teto do RGPS.
 Lei estadual de servidores – leitura dispensada.
 Regime Local de Previdência: leitura dispensada.
 Estatuto dos Militares - leitura da CF (e eventuais súmulas, ex. os praças em
serviço inicial podem ganhar menos que o salário mínimo).

137
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 08 E 09- ATOS ADMINISTRATIVOS E PROCESSO ADMINISTRATIVO
FUNÇÃO PÚBLICA. CONCEITO. DIVISÃO DE COMPETÊNCIAS.
DELEGAÇÃO E AVOCAÇÃO DE COMPETÊNCIAS. ATO
ADMINISTRATIVO. ELEMENTOS, REQUISITOS, ESPÉCIES. CONTROLE
FORMAL E CONTROLE DE MÉRITO DO ATO ADMINISTRATIVO.
PROCESSO ADMINISTRATIVO. – A PROCESSUALIDADE
ADMINISTRATIVA. O PROCESSO ADMINISTRATIVO COMO
INSTRUMENTO DE AÇÃO ADMINISTRATIVA. PRINCÍPIOS DO
PROCESSO ADMINISTRATIVO. FINALIDADES DO PROCESSO
ADMINISTRATIVO. LEIS GERAIS DE PROCESSO ADMINISTRATIVO.
MECANISMOS DE CONTROLE DO PROCESSO ADMINISTRATIVO.
PROCEDIMENTOS EM ESPÉCIE.
DISCRICIONARIEDADE: LIMITES E FUNDAMENTOS. ABUSO E DESVIO
DE PODER. CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. TEORIA GERAL DO
CONTRATO ADMINISTRATIVO.
Detalhadamente para atos administrativos:
 Prioridade - alta.
 Vide, inicialmente, o conceito de ato administrativo (e sua distinção com os atos
bilaterais). Ver ainda fatos administrativos e fatos da Administração.
 Classificação dos atos – novamente a distinção entre vinculação e
discricionariedade (certifique-se de ter aprendido bem o tema), elementos
vinculados dos atos discricionários, diferenças sobre o controle judicial dos
atos discricionários e vinculados.
 Demais classificações também são importantes, especialmente a distinção entre
ato complexo e composto (vide questão da aposentadoria do servidor público e
necessidade de contraditório no TCU). Atos gerais, individuais e lei de efeitos
concretos (possibilidade de controle de constitucionalidade?). Enfim, atentem-
se mesmo para essas classificações, pois elas sempre são cobradas.
 Vide as espécies de atos administrativos (atos normativos, atos negociais etc).
Atenção para licença, autorização e permissão, bem como PARECER.
 Em tema de PARECER deve o aluno saber suas classificações, bem como saber
tudo sobre a responsabilidade do parecerista.
 Vide elementos (atenção especial para o elemento competência e sua
delegabilidade, vide delegação e avocação, vide também os vícios de
competência, especialmente a questão do agente de fato e do usurpador de
função pública) e atributos do ato (incidência elevada).
Estude de forma bem atenta os desdobramentos existentes nos elementos. Ex: a
motivação é vício de forma.
Saiba muito bem os elementos vinculados e os discricionários do ato, bem como
quais vícios admitem convalidação e quais não admitem.
Aliás, saibam muitíssimo bem o que se entende por convalidação.
 No elemento motivação, deverá o aluno se ater à teoria dos motivos
determinantes (dominar essa teoria).
138
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Estudada a teoria responda: a tredestinação lícita pode ser considerada
exceção a essa teoria?
 Vejam os atributos dos atos administrativos e quais consequências decorrem de
tais atributos – tema também muito importante.
 Revogação, anulação e mérito do ato (e o controle judicial). Distinções. Vide
quais atos não admitem revogação. Controle do Poder Judiciário do mérito do
ato administrativo (limites). Sempre são cobradas questões de extinção do ato,
razão pela qual não se admite que o aluno erre nada sobre anulação X
revogação.
 Lei a ser lida: Lei 9.784. A prioridade para o tema atos administrativos é,
entretanto, doutrina.

Detalhadamente para processo administrativo:


 Processo Administrativo – o foco deve ser os conceitos básicos e a leitura
integral e muito atenta da lei 9.784. Vide delegação, avocação, reformatio in
pejus, juízo de retratação, informalidade dos atos, PARECERES, coisa julgada
administrativa, atos que dependem de motivação, dentre outros.
 Reitero: o foco é dominar a Lei 9.784.

139
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 10, 11, 12 E 13- LICITAÇÕES PÚBLICAS E CONTRATOS
LICITAÇÃO. FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL. INEXIGIBILIDADE E
DISPENSA. MODALIDADES. PREGÃO. REGIME DIFERENCIADO DE
CONTRATAÇÃO. TIPOS DE LICITAÇÃO. FASES DO PROCEDIMENTO
LICITATÓRIO.
CONTRATOS ADMINISTRATIVOS E CONTRATOS DA ADMINISTRAÇÃO.
CONVÊNIOS ADMINISTRATIVOS. FORMAÇÃO, EXECUÇÃO,
ALTERAÇÃO E EXTINÇÃO DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS
TÍPICOS. EQUILÍBRIO ECONÔMICO FINANCEIRO DOS CONTRATOS:
CONCEITO, FUNDAMENTO E HIPÓTESES.
Detalhadamente para licitações:
 Licitações – tema prioritário para concursos.
 Vejam os princípios da licitação (e seus desdobramentos, especialmente o da
igualdade. Vejam, já aqui, as vantagens conferidas às micro e pequenas
empresas).
 Vejam todos os casos de dispensa e inexigibilidade de licitação (entendam como
funciona essa sistemática). Emergência fabricada (o que fazer).
 Estudem os tipos e modalidades de licitação (é muito comum a prova inverter os
termos). Saiba o que é licitação na modalidade consulta. Estudem as
semelhanças e diferenças entre os diversos tipos e modalidades de licitação.
 Licitação internacional e modalidade a ser seguida.
 Leitura obrigatória da Lei 8.666, Lei de Pregão e de conceitos básicos do RDC
(Ex. contratação integrada).
 Atenção: hoje, o pregão é a modalidade licitatória mais utilizada, portanto,
merece cuidado redobrado.
 Registro de preços, lembre-se desse instituto (carona também) – entendam
mesmo como funciona.
 Revogação e anulação, hipóteses e efeitos.
 OBS. leiam as leis indicadas acima.
 O foco deve ser nos conceitos básicos, na leitura das leis, bem como em
exercícios para fixar o que mais cai.

Detalhadamente para contratos administrativos:


 Contratos – tão importante quanto licitação, principalmente as cláusulas
exorbitantes. Vide a distinção entre contratos administrativos e contratos
privados da administração (e no que isso altera seu estatuto jurídico).
 Entendam as características dos contratos administrativos, especialmente sua
alterabilidade unilateral.
 Saibam todas as prerrogativas da administração enquanto contratante.

140
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Vide reajuste, revisão e repactuação. Equilíbrio econômico financeiro (atenção
para fato do príncipe e fato da administração) – tema com grande incidência em
segundas fases.
 Casos de rescisão contratual (com e sem indenização). Teoria da imprevisão,
teoria do fato do príncipe e do fato da administração.
 Prazos e prorrogações dos contratos administrativos (incidência elevada).
 OBS - O estudo de contratos é mais doutrinário (muito conceitual), mas o aluno
deve ler também os dispositivos da Lei 8.666.

141
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIA 14 - SERVIÇOS PÚBLICOS
SERVIÇOS PÚBLICOS. CONCEITO. REGIME JURÍDICO. REGIME
TARIFÁRIO. SERVIÇOS PÚBLICOS EM REGIME DE EXCLUSIVIDADE E
EM REGIME DE COMPETIÇÃO. REGULAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS.
REGIME DOS BENS AFETOS À PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PÚBLICO.
SERVIÇOS PÚBLICOS E SERVIÇOS SOCIAIS. SERVIÇOS PÚBLICOS E
ATIVIDADE ECONÔMICA. CONCESSÃO E PERMISSÃO DE SERVIÇOS
PÚBLICOS. CONCEITOS. MODALIDADES DE CONCESSÃO. CONCESSÕES
COMUNS, PATROCINADAS E ADMINISTRATIVAS. REVERSIBILIDADE DE
BENS. MODALIDADES DE EXTINÇÃO DE CONCESSÕES. DIREITOS DOS
CONCESSIONÁRIOS E DIREITOS DOS USUÁRIOS. PARCERIA PÚBLICO
PRIVADA. CONCEITO E MODALIDADES. REGIME JURÍDICO.
CONTRAPRESTAÇÃO PECUNIÁRIA E APORTE. REQUISITOS. REGIME
DE GARANTIAS. ATIVIDADES DELEGÁVEIS E INDELEGÁVEIS POR
MEIO DE PARCERIAS.
Detalhadamente para serviços públicos em geral:
 Serviços Públicos – tema igualmente relevante.
 Conceito de serviço público (tema sempre cobrado em segunda fase). Vide os
critérios para conceituação de serviço público – não perca muito tempo aqui,
estudando as diversas escolas. Foco na conceituação final que seu livro trouxer.
 Classificação dos serviços públicos, especialmente os de prestação direta X
indireta (formas de prestação do serviço – importante) e serviços gerais X
individuais (questão da taxa aqui).
 Princípios norteadores do serviço público (foco na continuidade e a
possibilidade de interrupção no fornecimento por greve e por falta de
pagamento).
 Concessão X permissão X autorização de serviço (saber os conceitos e todos os
detalhes da distinção entre essas formas).
 Terminada a parte introdutória, o aluno deverá focar seus estudos na leitura da
Lei 8987/95 e conhecer muito bem seus institutos e conceitos.
 Como destaque, indico os seguintes temas da lei: Ver a forma de remuneração
dos serviços, modalidade de licitação para delegar/conceder, reversão e
extinção da concessão, intervenção na concessionária, responsabilidade civil da
concessionária (perante a administração e perante os usuários), encampação X
caducidade (diferenças e semelhanças – incidência elevada).
 OBS- para essa segunda parte de seu estudo, a prioridade deve ser mesmo a
leitura da Lei 8987/95.

Detalhadamente para parceria público-privada:


 Atenção com as parcerias público-privadas (conceito e espécies). É comum as
provas inverterem os conceitos das duas modalidades de PPPs, de forma que

142
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
não se admite esse erro. Assim, atenção para os conceitos de concessão
administrativa e concessão patrocinada.
 Distinção entre PPP e concessão comum. Saibam o contexto e o porquê
surgiram as PPPs.
 Vide casos em que se admite a celebração do contrato de PPP e os casos em
que esse contrato não é admitido.
 Sociedade de propósito específico.
 FOCO: nas diferenças, ou seja, no que as PPPs se distinguem das concessões
comuns.
 Leitura da Lei de 11.079/2004, especialmente até o art. 13.

143
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 15, 16 E 17- INTERVENÇÃO DO ESTADO NA PROPRIEDADE E
RESPONSABILIDADE CIVIL
DESAPROPRIAÇÃO. HIPÓTESES. DESAPROPRIAÇÃO INDIRETA.
DESAPROPRIAÇÃO POR ZONA. DESAPROPRIAÇÃO URBANÍSTICA.
PROMOÇÃO DE ATOS EXPROPRIATÓRIOS PELOS PARTICULARES:
HIPÓTESE E REQUISITOS. EFEITOS DO DECRETO E UTILIDADE
PÚBLICA. DESTINAÇÃO DOS BENS DESAPROPRIADOS. HIPÓTESES DE
DESAPROPRIAÇÃO PUNITIVA. DESAPROPRIAÇÃO POR ACORDO E
JUDICIAL: DIFERENÇAS. DESAPROPRIAÇÃO DE BENS PÚBLICOS DE
OUTRO ENTE DA FEDERAÇÃO. INTERVENÇÃO NA PROPRIEDADE E
ATUAÇÃO NO DOMÍNIO ECONÔMICO: SERVIDÃO, REQUISIÇÃO,
OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA, TOMBAMENTO E LIMITAÇÕES
ADMINISTRATIVAS.
RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. RESPONSABILIDADE CIVIL,
EXTRACONTRATUAL OU AQUILIANA DO ESTADO. PANORAMA
TEÓRICO E EVOLUTIVO DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO: A
IMPORTÂNCIA DA JURISPRUDÊNCIA FRANCESA. RESPONSABILIDADE
OBJETIVA NA CONSTITUIÇÃO. CAUSAS EXCLUDENTES E ATENUANTES.
A REPARAÇÃO DO DANO: A RELEVÂNCIA DOS ASPECTOS
PROCESSUAIS.
Detalhadamente:
 Prioridade deve ser doutrina e a leitura das leis indicadas abaixo.
 Nesse tema o livro de Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino também não é muito
bom, então sugiro Maria Sylvia Zanella di Pietro (ou outro autor que não V.P e
M.A).
 Intervenção do Estado na Propriedade - diria que é um tema fundamental para
sua aprovação na primeira e na segunda fases.
 Vide o conceito de intervenção do Estado na propriedade e as modalidades.
Vide quais atingem a exclusividade, quais atingem a perpetuidade e quais
atingem o caráter absoluto da propriedade. Tentem já aqui entender mais ou
menos o conceito de cada forma de intervenção.
 Limitação administrativa – conceito, características e direito à indenização.
 Ocupação temporária - conceito e indenização.
 Requisição administrativa - apenas conceito e indenização.
 Lei de tombamento - conceito e formas de tombamento. Restrições impostas
para o uso do bem. Direito de preferência do Poder Público. Tombamento por
Entes de esferas jurídicas diversas. Direito à indenização. Leitura do Decreto-
Lei 25/37.
 Servidão administrativa - conceito, distinção com a limitação administrativa e
com a servidão de direito civil (tema recorrente em prova), direito à
indenização (tema mais cobrado em prova). Diferenças com a servidão civil e
com a servidão ambiental.

144
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Detalhadamente para desapropriação:
 Prioridade absoluta.
 Vide o conceito e as modalidades de desapropriação (especialmente as
sancionatórias).
 Desapropriação por descumprimento da função social urbana - art. 182 e 183
da CF. Após, leitura do regramento do tema no estatuto das cidades. Não
precisa aprofundar, saibam apenas as etapas até chegar à desapropriação
(IPTU progressivo, p. ex) e a forma de indenização.
 Desapropriação por descumprimento da função social da propriedade rural.
Vide competência (só da União).
Descumprimento da função social (o que é). Questão da pequena e média
propriedade improdutiva. Cálculo da produtividade.
Saber todo o processo. Consequência da invasão da propriedade durante o
processo.
Forma de pagamento da indenização.
Leitura da Lei 8.629/93 e da Lei Complementar 76/93.
Friso: tema mais importante para sua atuação funcional, logo cuidado, pois
tende a cair.
 Desapropriação comum, ou seja, por utilidade pública e interesse social (que
não para reforma agrária).
Desde já destaco que é de leitura obrigatória o Decreto-Lei 3365/41, com foco
para as mudanças.
Atenção para o conceito, bem como para os pressupostos dessa desapropriação.
Sujeito ativo e delegação dos atos expropriatórios.
Decorar a ação de desapropriação, indenização, incidência de juros, imissão
antecipada na posse, caducidade do decreto expropriatório etc. Atenção mesmo
para os juros e o aspecto processual, pois pode estar em sua prova. Vide ainda
toda a controvérsia sobre os honorários advocatícios.
Desapropriação indireta (conceito, pressupostos e prazo para pleitear
indenização), tredestinação, retrocessão, direito de extensão.
OBS. Vide, ainda, desapropriação para constituição/ampliação de reserva
indígena.

Detalhadamente para responsabilidade civil:

 Responsabilidade Civil - Saber tudo, sem nenhuma brecha para erros pois é um
tema fácil e recorrente.
 Veja, inicialmente, o conceito e a evolução das teorias de responsabilidade
civil do Estado.
 Atenção para os pressupostos da responsabilidade civil, a responsabilidade por
omissão e quando se aplica a teoria do risco integral (X risco administrativo).
 Causas excludentes de responsabilização (atenção redobrada aqui – tema de
defesa para sua prova).

145
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
 Atenção, ainda, para direito de regresso da administração, e extensão do art.
37, §6º da CF.
 Responsabilidade da concessionária de serviço público e dos entes integrantes
da administração indireta.
 Responsabilidade por dano ambiental (risco integral).
 Responsabilidade do Estado por atos legislativos e judiciais, por atos de
império e de gestão (OBS. nesse tema, a evolução histórica é importante).
 Responsabilidade civil da administração em caso da morte de preso, bem como
em virtude de prisões em situação degradante.
 Responsabilidade civil da administração por intervenção no domínio
econômico. Ex: caso Varig (responsabilidade civil por atos lícitos).
 Responsabilidade civil da União/Estado/Município por erro médico em hospital
vinculado ao SUS?

146
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 18, 19 E 20 - BENS PÚBLICOS E CONTROLE
BENS PÚBLICOS. NATUREZA JURÍDICA. BENS PÚBLICOS NO CÓDIGO
CIVIL. APLICAÇÃO DO REGIME PÚBLICO A BENS DO DOMÍNIO
PRIVADO. ESPÉCIES DE BENS PÚBLICOS. INALIENABILIDADE,
IMPENHORABILIDADE, IMPRESCRITIBILIDADE DOS BENS PÚBLICOS.
AFETAÇÃO E DESAFETAÇÃO. AQUISIÇÃO E ALIENAÇÃO DE BENS
PÚBLICOS. DIFERENTES TIPOS DE USO. USO PRIVATIVO PELO
PARTICULAR. CONCESSÃO, PERMISSÃO E AUTORIZAÇÃO DE USO.
CONCESSÃO DE DIREITO REAL DE USO.
CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ESPÉCIES DE CONTROLE.
CONTROLE INTERNO E EXTERNO. CONTROLE PARLAMENTAR,
JUDICIAL, SOCIAL E PELOS TRIBUNAIS DE CONTAS. CONTROLE DE
LEGALIDADE E DE ECONOMICIDADE. CONTROLE OPERACIONAL.
COMPETÊNCIAS CAUTELARES E SANCIONATÓRIAS DOS ÓRGÃOS DE
CONTROLE.
Detalhadamente para bens públicos:
 Primeira ressalva - o livro de Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino não é bom
nesse tema. Gosto muito da Prof. Maria Sylvia Zanella di Pietro.
 Bens Públicos – conceitos iniciais (domínio eminente) e espécie (bem de uso
comum do povo, uso especial e dominial). Entendam muito bem essa
classificação, pois ele é fundamental.
 Vide os atributos e características de cada um desses bens (foco na
inalienabilidade relativa). Formas e requisitos para eventual alienação de bens
públicos.
 Entenda o conceito e as formas de afetação e desafetação. Desafetação pelo não
uso. Regramento de cada uma dessas espécies de bem, especialmente quanto a
sua alienabilidade.
 É ainda importante saber a titularidade de cada um dos bens e as formas de
permitir que o particular os explore. Foco aqui deve ser na discriminação de
bens feita na Constituição Federal.
 Saibam todos os bens da União e dos Estados, especialmente as terras indígena
(bem da União).
 Atenção para recursos minerais (prioridade elevada para recursos minerais),
terras devolutas (prioridade absoluta – vide processo de discriminação de
terras devolutas), faixa de fronteira, terreno marginal e de marinha. Regime dos
portos (dar uma “lidinha” na lei que alterou o regime de portos, se sua capital
for litorânea). Domínio aéreo e das águas.
 E ainda: Utilização dos bens públicos: autorização, permissão e concessão de
uso; ocupação; aforamento; concessão de domínio pleno. Saibam tudo de
concessão, permissão e autorização (conceitos, divergências, modalidade
licitatória – tema prioritário).
 Foco- doutrina.

147
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
Detalhadamente para Controle da Administração:
 Controle – conceito. Distinção entre controle interno e controle externo.
Controle externo em nível federal, estadual e municipal.
 Tribunais de Contas: federal, estadual e municipais (e Tribunais de Contas
Estaduais para os Municípios). Aprovação das contas do Prefeito. OBS-
Tribunal de Contas pode ser estudado, também, em constitucional. O
importante, aqui, é dominar o regramento constitucional e jurisprudencial das
Cortes de Contas.
 Controle Administrativo - vide os instrumentos. Direito de petição,
representação administrativa. Autotutela administrativa. Coisa julgada
administrativa e reformatio in pejus. Prescrição perante a administração.
Recurso hierárquico próprio e impróprio (distinções).
 Controle Judicial da Administração Pública - legalidade X mérito (limite da
análise do mérito pelo Poder Judiciário). Recomenda-se, ainda, a leitura das
seguintes leis (se o aluno não optar por estudar esses temas em outra
disciplina): lei de ação popular, ação civil pública, improbidade administrativa
e mandado de segurança (farei a mesma recomendação em outras matérias,
então, quanto mais ler, melhor).
OBS. Só leia as leis acima se ainda não estiver confiante com elas ou ainda não
as tiver visto quando do estudo da atuação da Fazenda Pública em Juízo.

148
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
DIAS 21 E 22 - TUTELA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO E DA PROBIDADE
ADMINISTRATIVA
RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E CRIMINAL DO
AGENTE PÚBLICO. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA: (LEI Nº
8.429/1992). LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LEI COMPLEMENTAR
Nº 101, DE 4 DE MAIO DE 2000). LEI ANTICORRUPÇÃO (LEI Nº 12.846/13)

Detalhadamente para improbidade e patrimônio público:

 Improbidade - Leitura da Lei + jurisprudência dos tribunais (dominar).


 Diria que é o tema mais importante desse item. Saber o procedimento,
requisitos para a concessão da liminar (perigo na demora presumido), efeitos
da condenação, quais as condutas culposas e quais as dolosas, aprovação das
contas (e reflexos na punição por improbidade), legitimidade, recurso cabível
da decisão que recebe a inicial, defesa prévia.
 Vide prescrição, especialmente para quem ocupa mandato eletivo (inclusive em
caso de reeleição). Saber a atuação da Fazenda Pública nas ações de
improbidade (legitimada ativa e possibilidade de intervenção móvel).
 Foco: jurisprudência e lei seca.
 Responsabilidade das Pessoas Jurídicas (Lei 12.846/13) – por ser novidade
legislativa, vale a leitura – atenção para a aplicabilidade da lei (foco nas
disposições gerais da lei). Muito cuidado com os atos considerados lesivos, bem
como com o processo de responsabilização. Atenção para acordo de leniência.
Atuação das Procuradorias e Ministério Público. Sanções a serem aplicadas.
Responsabilidade objetiva X subjetiva.
 Lei de Responsabilidade Fiscal - especialmente na parte de limitação de
despesas (mormente com pessoal) e controle dos gastos públicos.

149
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br
REFA FINAL
QUATRO ÚLTIMOS DIAS

ÚLTIMOS TRÊS DIAS APÓS FECHAR O CRONOGRAMA ACIMA (NÃO


DEIXEM DE FAZER ESSES DIAS FINAIS, POIS ELES VÃO AUMENTAR
MUITO A SUA NOTA):
CF SECA INTEIRA.
REVISÃO DE INFORMATIVOS DO DIZER O DIREITO (RETA FINAL MAIS
RECENTE QUE FOR PUBLICADA)
LEITURA DE TODAS AS SÚMULAS (VINCULANTES + STF COMUNS + STJ).
RELEITURA DE TODAS SUAS ANOTAÇÕES FEITAS NESSE MATERIAL

Esperamos ter ajudado.


Bons estudos a todos.
Confiem em vocês.
Sucesso sempre.

150
GONÇALVES E CARVALHO PREPARAÇÃO PARA CONCURSOS LTDA
www.meuesquematizado.com.br