Você está na página 1de 5

Al-Masih ad-Dajjal , "o falso messias" ou "o enganador") também conhecido como "o anticristo " é uma figura

maligna na escatologia
islâmica . Ele deve aparecer, fingindo ser al-Masih (o Messias), antes de Yawm al-Qiyamah (o Dia da Ressurreição). Ele deve ser uma
figura anti-messiânica, comparável ao Anticristo na escatologia cristã e a Armilus na escatologia judaica medieval. Dajjāl é um adjetivo de
origem siríaca. É também uma palavra árabe comum cuja raiz é dajl que significa "mentira" ou "decepção". Al-Masīḥ ad-Dajjāl, com o
artigo definido al- ("o"), refere-se ao "Messias enganador", um fim específico de vezes enganador. O Dajjāl é um ser maligno que procurará
personificar o verdadeiro Messias. O nome Dajjal também está enraizado em uma palavra árabe dajel, que significa chapa de ouro ou
casaco em ouro. De acordo com hadith , Muhammad é dito ter profetizado que o Masih ad-Dajjal seria o último de uma série de
trinta Dajjal ou "enganadores". Muhammad disse: Ad-Dajjal é cego no olho direito e seu olho parece uma uva protraindo. Ali teria dito: Seu
olho direito será perfurado, e seu olho esquerdo seria levantado para sua testa e estará brilhando como uma estrela. Apenas os crentes
poderão ler a palavra " Kafir " [descrente], inscrita em negrito, na sua testa. Haverá grandes montanhas de fumaça na frente e traseiras de
sua caravana. As pessoas anteciparão o alimento dentro dessas montanhas, durante a fome severa. Todos os rios, caindo no seu caminho,
secar-se-ão e ele chamará as pessoas em alta voz: "Meus amigos venham a mim, eu sou o vosso senhor, que vos agraciou e vos deu
sustento". Muhammad disse: Se ele vier, estando eu entre vós, eu serei o que disputa com ele por vós, mas se ele sair quando eu não estiver
entre vós, o homem deve disputar por si mesmo, e Deus tomará o meu lugar para cuidar de cada muçulmano. Aqueles de vocês que viverem
naquele tempo devem recitar sobre ele os versos iniciais de Surat al-Kahf, pois eles são a sua proteção no seu julgamento. Perguntamos:
Quanto tempo ele permanecerá na terra? Ele respondeu: Quarenta dias, um como um ano, um como um mês, um como uma semana, e resto
de seus dias como o seu. Nós perguntamos: Mensageiro de Allah, um dia de oração nos basta neste dia que será como um ano? Ele
respondeu: Não, você deve fazer uma estimativa de sua extensão. Então Jesus, filho de Maria, descerá ao minarete branco ao leste de
Damasco. Ele então o alcançará na porta de Ludd e o matará. Muhammad disse: O estado florescente de Jerusalém será quando Yathrib
estiver em ruínas, o estado arruinado de Yathrib será quando a grande guerra vier, o estallido da grande guerra será na conquista de
Constantinopla e na conquista de Constantinopla quando o Dajjal (Anticristo) vier adiante. Ele (o Profeta) golpeou sua coxa ou ombro com
a mão e disse: Isto é tão verdadeiro quanto você está aqui ou como você está sentado (que significa Mu'adh ibn Jabal). Sinais de vinda de
Al-Masih ad-Dajjal Os hadices atribuídos a Maomé dão muitos sinais da aparência do Dajjal e exortaram seus seguidores a recitar os
primeiros e últimos dez versos da Sura Al-Kahf (capítulo 18 no Alcorão), como proteção contra as provações e travessuras do Dajjal . Os
seguintes sinais são atribuídos a Ali na vinda de Dajjal: a). As pessoas deixarão de oferecer as orações. b) A desonestidade será o modo de
vida. c) A falsidade se tornará uma virtude. d). As pessoas hipotecarão a sua fé para ganhos mundanos. e) A usura e o suborno serão
legítimos. f). Haverá uma fome aguda no momento. g). Não haverá vergonha entre as pessoas. h) Muitas pessoas adorarão Satanás. i). Não
haverá respeito pelos idosos. Os seguintes sinais ocorrerão imediatamente antes do surgimento e estes sinais são condições obrigatórias para
que Dajjal apareça. A) Secagem do mar da Galileia. B) Quando as palmeiras de Baisan pararem de dar frutos. C) Adoração de Satanás
torna-se comum. A conquista de Constantinopla (atual Istambul, Turquia) pelo califado islâmico.
Sunni: Os muçulmanos sunitas acreditam que Isa (Jesus) descerá no Monte Afeeq, no minarete oriental de Damasco . Ele descerá dos céus
com as mãos apoiadas nos ombros de dois anjos. Suas bochechas serão planas e seu cabelo reto. Quando ele abaixar a cabeça, parecerá que
a água flui de seu cabelo, quando ele ergue a cabeça, parecerá que seu cabelo está repleto de pérolas prateadas. Ele descerá
durante Fajr (nascer do sol) e o líder dos muçulmanos se dirigirá a ele assim, "O 'Profeta de Deus, conduzirá a oração." Isa declinará com as
palavras: "A virtude desta nação que segue o Islã é que elas se conduzam". Implicando que ele vai orar por trás do imã (o homem que
conduz as orações (Mahdi)) como a palavra de Deus foi concluída após a revelação do Alcorão e Muhammad sendo o último profeta de
Deus. Depois da oração, Isa se preparará para a batalha e tomará uma espada. Um exército retornará de uma campanha lançada antes da
chegada de Isa. Isa partiu em busca de Dajjal. Todos aqueles que abraçaram o mal de Dajjal perecerão como o sopro de Isa. O sopro de Isa
o precederá até onde os olhos puderem ver. Dajjal será capturado na porta de Lod. Dajjal começará a derreter, como o sal se dissolve na
água. A lança de Isa mergulhará no peito de Dajjal, terminando seu temido reinado. Os seguidores de Dajjal serão extirpados, pois mesmo
as árvores e as rochas falarão contra eles. Isa quebrará a cruz e matará o porco (o animal). Então todas as batalhas cessarão e o mundo
conhecerá uma era de paz. A regra de Isa será justa e todos se reunirão a ele para entrar nas dobras da única religião verdadeira, o Islã.
Os xiitas acreditam que Dajjal será morto por Muhammad al-Mahdi .Os Ahmadiyya tomam as profecias sobre o Dajjal como pertencentes
a uma coletividade de pessoas centradas no engano em vez de um indivíduo. Os ensinamentos Ahmadiyya interpretam as profecias sobre a
aparência do Dajjal (Anti-Cristo) e Gog e Magog na escatologia islâmica como previsão, em essência, do surgimento de dois ramos ou
aspectos da mesma turbulência e julgamento que seria enfrentado pelo Islã nos últimos dias e que ambos surgiram do cristianismo ou
nações cristãs. Daí a razão pela qual Muhammad exortou especificamente a recitação dos primeiros e últimos dez versos da Sura Al-Kahf
(capítulo 18 do Alcorão) como proteção contra o Dajjal. O aspecto de Dajjal relaciona-se com o engano e a perversão da opinião religiosa
quando seu aspecto o fizer com decepção e a perturbação no reino da política e a quebra da paz do mundo foi chamado Gog e Magog. O
Dajjal sendo cego do olho direito enquanto sendo afiado e superdimensionado em sua esquerda é visto como indicativo de ser desprovido
de perspicácia religiosa e luz espiritual, mas superando em realizações mundanas e materiais, com o olho direito representando piedade e
espiritualidade e o olho esquerdo representando o mundanismo. Ahmadis consideram a atividade missionária cristã difundida que era
agressiva e ativa nos séculos XVIII e XIX cuja propagação foi impulsionada pela Revolução Industrial como sendo parte do Dajjal
profetizado (Anticristo) e vista Gog e Magog como emergindo nos tempos modernos e for predominantemente as nações
cristãs. Em consequência, a emergência da Rússia e dos Estados Unidos como superpotências e o conflito entre as duas nações (ou seja,
a rivalidade entre comunismo e capitalismo e sua influência sobre as nações do mundo) são vistos como tendo ocorrido de acordo com
certas profecias sobre Gog e Magog. Assim, Ahmadis acreditam que as profecias e ditos sobre o Anticristo não devem ser entendidos
literalmente, eles têm significados mais profundos. Masih ad-Dajjal é um nome dado ao Cristianismo dos últimos dias e ao Ocidente. Mirza
Ghulam Ahmad, fundador do movimento Ahmadiyya, os Ahmadis acreditam ser o Messias Prometido e Mahdi. Escreve extensivamente
sobre dajjal em seus livros, Shahādat-ul-Qurān, é mencionado brevemente em uma coleção de cinco volumes baseada em tópicos de seus
escritos intitulados "Essência do Islã", ele afirma: O Alcorão então especifica que nos últimos dias os cristãos dominarão a terra, e eles
serão a causa de todos os tipos de travessuras desenfreadas. Ondas de calamidades se elevarão de todos os lados e correrão para baixo de
todas as alturas .... Eles terão grande força material e domínio, contra o qual todos os outros poderes e estados parecerão impotentes. Eles
também irão desfrutar de supremacia em todos os tipos de conhecimentos e ciências e estabelecerão novas e maravilhosas indústrias. Eles
também serão dominantes em suas políticas, projetos e boa administração, e mostrarão grande determinação em suas empresas mundanas e
também se destacarão em seus esforços para espalhar sua fé. Eles deixarão para trás todas as outras nações em suas políticas sociais,
agrícolas e comerciais, como de fato em tudo o mais. - Shahādat-ul-Qurān, página 361-362. Mirza Ghulam Ahmad dá uma definição mais
direta do significado de Dajjal: Quanto ao Anticristo, agora ouça, vou explicar-lhe a realidade com base na revelação clara e pura que
recebi. Então compreendam, meus queridos, que me foi revelado que a referência ao Anticristo como um indivíduo não é projetado para
indicar sua individualidade pessoal, mas sua unidade como uma classe, significando assim que nessa classe haverá uma unidade de ideias
como é, de fato, indicado pela palavra Dajjal em si e neste nome há muitos sinais para aqueles que refletem. O significado da palavra Dajjal
é uma cadeia de ideias enganosas, cujos elos estão tão ligados uns aos outros como se fossem uma estrutura de tijolos de tamanho igual, da
mesma cor, qualidade e força, alguns dos quais se sobrepõem firmemente a outros e reforçada por ser rebocada no exterior. Assim,
essencialmente, o Dajjal não é acreditado ser uma pessoa física ou um indivíduo, mas sim como representando uma coletividade de pessoas
que representariam um grande desafio ao Islã. É, essencialmente, um nome dado às nações europeias dos últimos dias. Em contraste com os
cristãos e os muçulmanos de atitudes que acreditam que Jesus ainda está vivo e que voltaria ao fim dos tempos, os Ahmadis acreditam que
Jesus não está vivo, mas sobreviveu à crucificação e morreu de morte natural. As profecias referentes à segunda vinda de Jesus são assim
interpretadas como a vinda de um no interior do Islã à semelhança de Jesus, que corrigirá as doutrinas do cristianismo que, do ponto de
vista do Islã, são consideradas erradas e estabelecem a Verdade do Islão para o mundo, especialmente em relação aos ideais científicos e
filosóficos ocidentais. Os Ahmadis acreditam que seu fundador Ghulam Ahmad para ter cumprido em sua pessoa as profecias do segundo
advento de Jesus representando o Islão em sua forma primitiva e tendo revivido a alta moral. Além disso, os muçulmanos Ahmadis
acreditam que o "Messias Prometido" e o " Mahdi " são a mesma pessoa, e que é através de seus ensinamentos, influências e orações - e os
de seus sucessores e seguidores - que o Islã eventualmente vencerá o Anticristo ou Dajjal em um período semelhante ao período do início
do cristianismo (ver também: Ahmadiyya relacionamento com o cristianismo ); E que o poder do Dajjal se desvanecerá lentamente,
anunciando a vitória final profetizada do Islã e da era da paz. Eles também acreditam que o "Portão de Lud" mencionado em certo Hadith se
refere a Ludgate onde São Paulo pregou sobre o terceiro céu ao Cristianismo de acordo com o Manuscrito Sonnini dos Atos dos Apóstolos .
A escatologia islâmica é o ramo da erudição islâmica que estuda Yawm al-Qiyāmah, IPA: [jawm.ulqijaːma] , "Dia da Ressurreição")
ou Yawm ad-Dīn , Jawm ud.diːn] , "o Dia do Julgamento "). Acredita-se que esta seja a avaliação final da humanidade por Deus, consistindo
na aniquilação de toda vida, ressurreição e julgamento . O tempo do evento não é especificado, embora existam sinais maiores e menores
que foram preditos para acontecer em al-Qiyamah. Muitos versos do Alcorão contêm o motivo do Juízo Final iminente. Surat al-
Qiyama tem como tema principal a ressurreição. A Grande Tribulação também é descrita no hadith , e os comentários dos ulama como al-
Ghazali, Ibn Kathir, Ibn Majah, Muhammad al-Bukhari e Ibn Khuzaymah. O Dia do Juízo também é conhecido como o Dia do
Reconhecimento, o Último Dia e al-sā'ah, ou a Hora. Os hadith descrevem o tempo do fim com mais especificidade do que o Alcorão,
descrevendo os eventos de al-Qiyamah através de doze grandes sinais. No momento do julgamento, terrível corrupção e caos vai
governar. O Mahdi (profetizado redentor) será enviado e com a ajuda de Jesus, batalhará contra Masih ad-Dajjal (Anticristo). Eles vão
triunfar, libertando o Islã da crueldade, e isso será seguido por um tempo de serenidade com pessoas que vivem de acordo com os valores
religiosos. No entanto, não há menção do advento do Mahdi e Isa em uma era em qualquer dos hadith. Alguns estudiosos muçulmanos
traduzem a palavra árabe "Imam" como "Mahdi" para provar o advento do Mahdi e Isa em uma única era. Como outras religiões
abraâmicas , o Islã também ensina a ressurreição dos mortos, uma tribulação final e divisão eterna dos justos e dos ímpios. A literatura
apocalíptica islâmica que descreve o Armagedom é frequentemente conhecida como fitna, malāḥim (que significa lutas sangrentas,
massacres), ou ghaybah no Islã Shī'a. Os justos são recompensados com os prazeres de Jannah "Paraíso", enquanto os injustos são
torturados em Jahannam "Inferno". O Dia do Juízo ou Ressurreição, al-Qiyama, é um dos seis artigos de fé no Islã. A tribulação associada a
ele é descrita no Alcorão e hadith, e comentários de ulama como al-Ghazali, Ibn Kathir, Ibn Majah, Muhammad al-Bukhari e Ibn
Khuzaymah. O Dia do Juízo também é conhecido como o Dia do Reconhecimento, a Hora e o Último Dia. O Dia do Juízo ou Ressurreição,
al-Qiyāmah, refere-se a um dos seis artigos no Islã sunita e sete artigos no Islã xiita . Existem duas fontes principais na escritura islâmica
que discutem o Juízo Final: o Alcorão, que é visto no Islã como infalível, e o hadith, ou ditados do profeta. Os Hadith são vistos com mais
flexibilidade devido à compilação tardia das tradições em forma escrita, duzentos anos após a morte de Muhammad. O conceito também foi
discutido em comentários de ulama como al-Ghazali, Ibn Kathir e Muhammad al-Bukhari. O Alcorão descreve o Juízo Final com várias
interpretações de seus versículos. Existem aspectos específicos: O tempo é conhecido apenas por Deus. Muhammad não pode adiantar os
acontecimentos. Aqueles que foram mortos acreditam que um curto período de tempo passou entre o nascimento e a morte. Nada
permanecerá exceto Deus. Deus ressuscitará tudo, mesmo que se convertam em pedra ou ferro. Aqueles que aceitaram deidades falsas
sofrerão na vida após a morte. Há três períodos antes do Dia do Julgamento, também conhecido como ashratu's-sa'ah ou alamatu qiyami's-
sa'ah, com algum debate sobre se os períodos poderiam se sobrepor. Há uma série de sinais maiores e menores do fim dos dias no Islã. Há
um debate sobre se eles poderiam ocorrer simultaneamente ou devem estar em diferentes momentos no tempo. Embora os estudiosos
islâmicos os dividam em três períodos principais. Também Ibn Umar relatou: O Mensageiro de Deus se virou para nós e disse: "Ó
emigrantes, há cinco coisas com as quais serás provado, e busco refúgio com Deus, para que não vivas para vê-los; A imoralidade sexual
aparece entre as pessoas a tal ponto que elas a cometerão abertamente, exceto que eles serão atingidos por pragas e doenças desconhecidas
de seus antepassados; Eles trapaceiam em pesos e medidas (negócios, ofícios, etc) e que serão atingidos pela fome, calamidade, e a
opressão dos governantes; Eles retiram a caridade da sua riqueza e que a chuva será retida do céu, e se não fosse pelos animais não haveria
chuva de todo; Eles quebram sua aliança com Deus e Seu Mensageiro e Deus capacitará seus inimigos para dominá-los e tomar um pouco
do que está em suas mãos; E, a menos que seus líderes governem segundo o Livro de Deus e busquem todo o bem daquilo que Deus
revelou, Deus os fará lutar uns contra os outros "A aparência de fitnah (tribulações) e remoção de khushoo '(temor de Deus, taqwah,
reverência, etc.). A Vinda de 30 Dajjals, todos se presumindo que ele é um apóstolo de Deus. Até que uma pessoa passasse por uma
sepultura de outra pessoa e ele diria: Eu queria que tivesse sido minha morada. Perda de honestidade, e autoridade é dada para aqueles que
não merecem. A eliminação do conhecimento e a prevalência da ignorância religiosa. Ocorrências frequentes de morte súbita e
inesperada. Aumento dos assassinatos até que o assassino nem sabe por que ele está matando e aquele que está sendo morto nem sequer
sabe por que ele está sendo morto. Aceleração do tempo. Rejeição da Sunnah (Hadith). A disseminação da riba (usura, interesse), a
propagação do zina (adultério, fornicação), o consumo de álcool. Difundir e tolerar a música. A decoração de mesquitas como uma questão
de orgulho e competição. As mulheres vão aumentar em número e os homens vão diminuir em número tanto assim que cinquenta mulheres
serão cuidadas por um homem. Abundância de terremotos. Ocorrências frequentes de desgraça, distorção e difamação. Quando as pessoas
desejarem morrer por causa das severas provações e tribulações que sofrem. Judeus lutando com muçulmanos. Ao fazer a caridade tornar-
se-á um fardo. Nômades competirão na construção de edifícios muito altos. Mulheres aparecendo nuas apesar de estarem
vestidas. Buscando conhecimento de eruditos equivocados e extraviados. O mentiroso será acreditado, o verdadeiro será chamado de
mentiroso e o honesto será chamado de traidor. A morte dos justos conhecedores. O surgimento da indecência (obscenidade), inimizade
entre parentes e vizinhos. O surgimento da idolatria e dos politeístas, na comunidade. O Eufrates descobrirá uma montanha de
ouro. Estrangulamento do Islã. Quando a terra dos árabes retornar a ser uma terra de rios e campos. Os romanos formariam uma maioria
entre as pessoas. Aumento do ganho de dinheiro através de formas ilegais (Haram). Quando houver muita chuva, mas pouca
vegetação. Pessoas malvadas serão expulsas de Al-Madinah. Os animais selvagens se comunicam com os seres humanos, e um homem falar
com seu chicote ou seu sapato, e sua coxa vai contar-lhe sobre o que aconteceu com sua família depois que ele saiu. Aumento de
raios. Haverá uma saudação especial para as pessoas de distinção. O comércio se tornará tão difundido que uma mulher vai ajudar seu
marido nos negócios. Nenhum homem verdadeiramente honesto permanecerá e ninguém será confiável. Somente as piores pessoas
ficarão; eles não conhecerão nenhum bem ou proibirão qualquer mal (ou seja, ninguém dirá que não há Deus senão Alá). As nações se
chamarão para destruir o Islã por todos os meios. O Alcorão e o conhecimento islâmico serão transmitidos, mas ninguém o seguirá
corretamente. Governantes muçulmanos que não seguem a orientação e tradição da Sunnah. Alguns de seus homens terão o coração de
demônios em um corpo humano. Mesquinharia (sendo miseráveis) aparecerá, pessoas honradas perecerão e pessoas desonrosas
prevaleceriam. Um homem obedecerá a sua esposa e desobedecerá a sua mãe; tratará seu amigo gentilmente enquanto fugirá de seu
pai. Vozes serão levantadas nas mesquitas. O líder de um povo é o pior deles. As pessoas tratam um homem com respeito porque temem
algum mal que possa fazer. Se embriagarão com muito vinho. Os muçulmanos devem lutar contra uma nação usando sapatos feitos de
cabelos e rostos como escudos martelados, com tez vermelha e olhos pequenos. O surgimento do Sufyani dentro da região da Síria. A
trégua e a campanha conjunta cristão-muçulmana contra um inimigo comum seguido por al-Malhama al-Kubra ( Armageddon) cristã contra
a guerra muçulmana. O estandarte negro virá de Khorasan, nada os desviará até que sejam plantados em Jerusalém. O Alcorão será
esquecido e ninguém se lembrará de seus versículos. Todo conhecimento islâmico será perdido na medida em que as pessoas não dirão "La
Illaha Ila Allah" (Não há Deus, mas Deus), mas, em vez disso, os anciãos balbuciarão sem entender "Allah, Allah". As pessoas fornicam nas
ruas como burros. O primeiro toque de trombeta será soado por Israfil, e tudo o que está nos céus e na terra ficará atordoado e morrerá
exceto o que Deus desejar, o silêncio envolverá tudo por quarenta (um período indeterminado de tempo). E haverá desacordo sobre a
sucessão. Então um homem emergirá de Medina. Ele vai se apressar para Meca. E o povo de Meca virá a ele e o exortará e tentará forçá-lo
a aceitar a Bai'aa. Último dos sinais menores que sinalizarão a vinda dos 10 sinais principais. Aparecimento do Mahdi. Sinais principais.
Após o segundo período, o terceiro será marcado pelos dez sinais principais conhecidos como alamatu's-sa'ah al-
kubra (Os principais sinais do fim). São os seguintes: O falso messias (anticristo), Masih ad-Dajjal, aparecerá com grandes poderes como
um homem de um olho com o olho direito cego e deformado como uma uva. Ele alegará ser Deus e manter as chaves do céu e do inferno e
conduzir muitos extraviados, embora os crentes não sejam enganados. Na realidade, seu céu é o inferno, e seu inferno é o céu. O Dajjal
seria seguido por setenta mil judeus de Isfahan usando xales persas. O retorno de Isa (Jesus), do quarto céu para matar
Dajjal. Ya'jooj e Ma'jooj (Gog e Magog), tribo Japética de seres viciosos que haviam sido aprisionados por Dhul-Qarnayn irão
explodir. Eles devastarão a terra, beberão toda a água do Lago Tiberíades e matarão todos os crentes em seu caminho. Isa, Imam Al-Mahdi,
e os crentes com eles irão para o topo de uma montanha e rezarão para a destruição de Gog e Magog. Deus eventualmente enviará doenças
e vermes para eliminá-los. Uma enorme nuvem de fumo negra cobrirá a terra. Dabbat al-ard, ou a Besta que sairá do chão
para conversar com as pessoas. O sol nascerá no Oeste. Três naufrágios da terra, um no Leste, um no Oeste, e um na Arábia. O segundo
toque da trombeta será soado, os mortos voltarão à vida e um fogo começará a sair do Iêmen, que reunirá tudo para Mahshar Al Qiy'amah (a
reunião para o julgamento). Outros sinais, Meca será atacada e a Kaaba será destruída. Uma brisa agradável soprará do Sul que fará com
que todos os crentes morram pacificamente. O Alcorão será esquecido e ninguém se lembrará de seus versículos. Todo conhecimento
islâmico será perdido na medida em que as pessoas não dirão "La Illaha Ila Allah" (Não há Deus, mas Allah), mas em vez disso os velhos
balbuciarão sem entender "Allah, Allah". O primeiro sopro da trombeta será soado por Israfil, e tudo o que está nos céus e na terra ficará
atordoado e morrerá, exceto o que Deus desejar, o silêncio envolve tudo por quarenta (um período de tempo indeterminado). E haverá
desacordo sobre a sucessão. Então um homem emergirá de Madina. Ele vai se apressar para Meca. E o povo de Meca virá a ele e o exortará
e tentará forçá-lo a aceitar a Bai'aa. Há dois grupos da minha ummah a quem Deus libertará do fogo: O grupo que invade a Índia e o grupo
que estará com Isa bin Maryam. Diagrama de "Planície da Assembleia" (Ard al-Hashr) no Dia do Julgamento, do manuscrito autógrafo
de Futuhat al-Makkiyya pelo místico Sufi e filósofo Ibn Arabi , ca. 1238. São mostrados o Arsh (trono de Deus), púlpitos para os justos (al-
Aminun), sete filas de anjos , Gabriel (al-Ruh), A'raf (a Barreira), a Lagoa da Abundância, Mizan (a Escala), As-Sirāt (a
Ponte), Jahannam (Inferno) e Marj al- Jannat (Prado do Paraíso), o Maqam al-Mahmud (uma estação louvável, onde o profeta Muhammad
intercederá pelos fiéis). Mahdi significa "guiado", com hadith sendo a fonte primária de suas descrições. Sua aparência será o primeiro sinal
do terceiro período. Hadith escreverá que ele será um descendente de Muhammad através de sua filha Fátima e primo Ali. O Mahdi irá
matar al-Dajjal e terminará a desintegração da comunidade muçulmana para preparar-se para o reinado de Jesus que governará por um
tempo. O Mahdi matará igualmente todos os inimigos do Profeta e cumprirá a missão profética como uma visão de justiça e paz antes de
seguir o governo de Jesus. As características físicas do Mahdi são descritas no hadith - ele será de tez árabe e altura média com uma barriga
grande, olhos grandes e um nariz afiado. Ele terá uma toupeira em sua bochecha, o sinal do profeta em seu ombro, e será reconhecido pelo
califado, enquanto ele se senta em sua própria casa. Como escreveu Abu Dawud, "Nosso Mahdi terá uma testa larga e um nariz pontiagudo
(proeminente), encherá a terra de justiça, cheia de injustiça e tirania, e governará por sete anos". Embora a duração de sua regra difira,
hadith são consistentes em descrever que Deus irá aperfeiçoá-lo em uma única noite com inspiração e sabedoria, e seu nome será anunciado
a partir do céu. Ele vai trazer de volta a adoração de verdadeiros valores islâmicos, e levará a Arca da Aliança à luz. Ele
vai conquistar Istambul e Mount Daylam e olhará Jerusalém e a Cúpula como sua casa. Sua bandeira será a do profeta Maomé: negra e sem
costura, com um halo. Sem abrir desde a morte de Muhammad, a bandeira desabrochará quando o Mahdi aparecer. Ele será ajudado por
anjos e outros que lhe prepararão o caminho. Ele vai entender os segredos do abjad. Amr bin Shuaib relatou que seu avô relatou sobre o
Mensageiro de Deus: "Em Dhu al-Qi'dah (mês islâmico), haverá luta entre as tribos, os peregrinos muçulmanos serão saqueados e haverá
uma batalha em Mina em que muitas pessoas serão mortas e o sangue fluirá até que corra sobre o Jamaratul Aqba (um dos três pilares de
pedra em Mina). O homem que eles procuram fugirá e será encontrado entre o Rukn (um canto da Kaaba que contém a Pedra Negra ) E
o Maqam do Profeta Abraão (perto de Ka'ba) Ele forçado a aceitar a Bay'ah das pessoas (sendo escolhido como Líder / Califa) O número
dos que oferecem Bay'ah será o mesmo que o número de O povo de Badr (combatentes muçulmanos que participaram da batalha de
Badr no tempo do profeta Maomé) .Então, o habitante do Céu e o habitante da Terra ficarão satisfeitos com ele ". O Islã sunita e o xiita têm
diferentes crenças sobre a identidade do Mahdi. Historicamente, o Islã sunita obteve a autoridade religiosa do califado, que por sua vez foi
nomeado pelos companheiros de Muhammad na sua morte. Os sunitas veem o Mahdi como o sucessor de Maomé, o Mahdi deve chegar
para governar o mundo e restabelecer a justiça. Vários sunitas também compartilham uma crença paralela de que, embora não exista um
Mahdi real, a existência de mujaddid conduzirá a revolução islâmica de uma renovação na fé e evitar o desvio do caminho de Deus
(Allah). Essa figura intelectual e espiritual da tradição sunita tem sido atribuída a numerosos muçulmanos no final de cada século
muçulmano desde a origem do Islã até os dias de hoje. Esta interpretação clássica é favorecida por estudiosos sunitas como Ghazali e Ibn
Taymiyyah . O Islã xiita, em distinção, seguiu a linhagem de Muhammad, favorecendo seu primo e filho por casamento, Ali. Ali foi
nomeado o primeiro Imam, e em interpretação duas vezes, seguindo-o havia mais onze. Muhammad al-Mahdi, também conhecido como o
Décimo Segundo Imã, se escondeu em 873 aos quatro anos de idade. Seu pai era al-'Askari , e tinha sido assassinado, e assim ele estava
escondido das autoridades do califado abássida . Ele manteve contato com seus seguidores até 940, quando entrou Ocultação. Twelverism
acredita que al-Mahdi é o Imam atual, e surgirá no final da era atual. Alguns estudiosos dizem que, embora despercebido por outros
presentes, o Mahdi do Islão por duas vezes fará uma peregrinação anual enquanto residir fora de Meca. Em distinção, o Islam sunita o prevê
como uma pessoa separada e nova. Os Ayatollahs atuais do Irã veem-se como cuidadores comuns do escritório do Imam até que ele
retorne. O Mahdi não é descrito no Alcorão, apenas em hadith, com estudiosos sugerindo que ele surgiu quando as tribos árabes estavam se
estabelecendo na Síria sob Muawiya. "Eles anteciparam 'o Mahdi que levará o povo em ascensão do Iêmen de volta ao seu país', a fim de
restaurar a glória do seu reino perdido Himyarite. Acreditava-se que ele acabaria conquistando Constantinopla ". Ao longo da história, tem
havido vários pretendentes ao papel do Mahdi que tinham vindo à existência através de suas ações piedosas e subsequentemente adquirindo
seu próprio seguimento. Um destes homens, Muhammad ibn al-Hanafiyyah, foi dito ter julgamento e caráter sobre califas rivais; e os
mistérios de sua morte surgiram no século 8. Acreditava-se que de fato não morrera e um dia voltaria como o Mahdi. A seita de Mahdavis
surgiu como seguidores de outro pretendente, Muhammad Mahdi de Janpur no século XV. Além disso, um potencial Mahdi, Muhammad
Ahmad do Sudão, era acreditado manter o título após a sua autoproclamação em 1881 e se posicionar contra o governo turco-egípcio, bem
como os britânicos. Além disso, Mirza Ghulam Ahmad do Punjab afirmou ser o Mahdi durante o mesmo período como Muhammad Ahmad
e considerado um herege por muçulmanos ortodoxos, embora ele acumulasse um seguimento substancial de 10 a 20 milhões e
é creditado com a fundação da seita de Ahmadiyya. Hoje, esta seita é estabelecida em mais de 200 países e territórios do mundo. Dois
movimentos religiosos do século XIX, ligados ao xiismo, ao bábismo e à fé bahá'í acreditam que seus profetas, o Báb (1850) e Bahá'u'lláh,
cumpriram a profecia. O Báb é pensado ser o retorno do Duodécimo Imam e Bahá'u'lláh o Mahdi. Uma vez que os bahá'ís pregam agora
uma religião internacional bastante bem-sucedida, possivelmente com seis milhões de seguidores, seu conceito de cumprimento da profecia
islâmica está agora bem fora do mundo islâmico. Isa é o nome árabe de Jesus, e seu retorno é considerado o terceiro sinal maior dos últimos
dias, enquanto o segundo é a aparição de Masih ad-Dajjal. Embora Maomé seja o Profeta mais proeminente no Islã, Jesus é o único Profeta
que é dito não ter morrido, mas sim ressuscitado por Deus, diferente de Idris (Enoque) mencionado no Alcorão. Assim, de acordo com
hadiths pós-Quranic, ele retornará à terra como um juiz justo antes do dia do julgamento. Como escrito em hadith: Abu Hurayrah narra que
o Mensageiro de Deus disse: "Por Aquele em cujas mãos repousa a minha alma, é definitivamente próximo naquele tempo que Isa, Filho de
Maryam descer entre vós como um governante justo. Ele quebrará a cruz, matará os porcos e abolirá o jaziya. E o dinheiro abundará em tal
excesso que ninguém vai aceitá-lo. Ahmad bin Hambal, al-Musnad, vol 2, p. 240. Hadith referência tanto o Mahdi e Isa simultaneamente e
o retorno do Mahdi coincidirá com o retorno de Isa. Ele vai descer dos céus em al-Quds ao amanhecer. Os dois se encontrarão, e Mahdi
levará as pessoas em fajr oração. Depois da oração, eles abrirão uma porta para o oeste e encontrarão Masih ad-Dajjal. Após a derrota
de ad-Dajjal, Isa liderará um reinado pacífico de quarenta anos até sua morte. Ele será enterrado em um túmulo ao lado de Muhammad em
Medina. Embora os dois certamente diferem quanto ao seu papel e personalidade na escatologia islâmica, as figuras do Mahdi e Isa são, em
última instância, inseparáveis de acordo com o Profeta. Embora Isa seja dito descer sobre o mundo mais uma vez, o Mahdi já estará
presente. Qual será a sua reação quando o filho de Maria (Jesus) descer e seu Imã estiver entre vocês? (Sahih Muslim, bab nuzul 'isa, Vol.
2, Sahih Bukhari, kitab mau' al-khalq wa nuzul 'isa, Vol. 4). Al-Dajjal ou o Anticristo ou Falso Messias não aparece no Alcorão, mas é uma
figura proeminente nos Hadiths e escatologia islâmica como um todo. Ele parece horrível e cego em seu olho direito. Seu único olho é
pensado ser um símbolo que se correlaciona com como a única pessoa em conseguir seu objetivo de converter muçulmanos a seu lado. Al-
Dajjal tem a intenção de ganhar seguidores através de suas habilidades de trabalho milagroso e aparente riqueza e generosidade. Essas
habilidades são um teste para os verdadeiros crentes do Islã, que foram avisados sobre seu poder e devem resistir a suas tentações
materiais. Ele aparecerá antes do Dia do Juízo, onde ele vai se envolver em uma batalha épica e será morto por Jesus. Al-Dajjal funciona
simbolicamente como uma peça-chave no quadro escatológico islâmico global, que enfatiza o mundo chegando ao fim, o bem finalmente
triunfando sobre o mal e os notáveis acontecimentos que prefigurarão a substituição do mundo mortal por uma forma mais autêntica Da
existência no pós vida. Vários movimentos políticos muçulmanos usam o conceito de Al-Dajjal para comentar eventos contemporâneos, e
muitas vezes o identificam com regimes opostos ou outras forças mundanas que consideram prejudiciais ao Islam. O quarto grande sinal do
tempo do fim será que o muro que aprisiona as nações de Ya'juj e Ma'juj vai quebrar, e eles irão surgir. Alguns estudiosos islâmicos,
como Imran Nazar Hosein, acreditam que a parede começou a rachar durante a vida de Maomé Isto é apoiado no hadith quando o profeta
menciona que "um buraco foi feito na parede contendo o Ya'juj e Ma'juj", indicando o tamanho do buraco com o polegar e o dedo
indicador. Sua libertação ocorrerá quarenta anos antes do Juízo Final: Mas quando Ya'jooj e Ma'jooj forem soltos e correrem de cabeça para
baixo em cada colina e montanha. - Alcorão 21:96. Eles devastarão a terra. Em última análise, Deus enviará vermes e insetos para destruí-
los. Destruição de Kaaba / Besta da Terra. Antes do dia da condenação, um governante fino com pernas curtas da Etiópia atacará Meca e
destruirá a Kaaba. Outro sinal é a aparência da da'ba-tul-ard, ou a Besta da Terra. O mundo inteiro será engolfado por dukhan ou
fumaça, por quarenta dias e haverá três terremotos enormes. O Alcorão será levado aos céus e até o huffaz não se lembrará de seus
versos. Finalmente, soprará uma brisa agradável que fará com que todos os crentes morram, mas infiéis e pecadores permanecerão
vivos. Um fogo começará de Hadramawt no Iêmen que reunirá todos os povos do mundo na terra de Mahshar, e o al-Qiyamah
começará. No Alcorão, barzakh é o estado intermediário em que os nafs dos falecidos são mantidos entre as realidades para descansar com
os entes queridos até Qiyamah. O oitavo sinal é uma brisa que traz um perfume agradável emanado do Iêmen, fazendo com que o awliya ,
o sulaha e o piedoso morram pacificamente uma vez que o inspiram. Depois que os crentes morrerem, haverá um período de 120 anos
durante o qual o mundo terá apenas kafirs, pecadores, opressores, mentirosos e adúlteros, e haveria uma reversão à idolatria. O nono sinal é
o nascer do sol do Oeste depois de uma longa noite, que depois do meio-dia se ajustará novamente. De acordo com Hadith: Abu Hurayrah
afirma que o Mensageiro de Deus (serra), como disse: "A Hora não será estabelecida até que o sol nasce do Ocidente e quando o povo vê-lo
terão fé. Mas isso será (o tempo) quando acreditar na alma, que não acreditou antes daquele tempo, não a beneficiará. - Ibn Maja, as-Sunan,
vol. 2 p 1352-53. Os sinais finais serão nafkhatu'l-ula, quando tocar a trombeta pela primeira vez, e que resultará na morte dos restantes
pecadores. Então haverá um período de quarenta anos. O décimo primeiro sinal é o som de uma segunda trombeta para sinalizar a
ressurreição como ba'as ba'da'l-mawt. Como está escrito no Alcorão: Soará a Trombeta, quando todos os que estão nos céus e na terra se
desvanecerem, exceto aqueles que agradarem a Deus (para eximir). Então um segundo será soado, quando, eis que eles estarão de pé e
olhando! - Sura 39 (Az-Zuma ), ayah 68 . Todos estarão nus e correrão para o Lugar de Reunião, enquanto os inimigos de Deus estarão
viajando em seus rostos com as pernas eretas. Finalmente, não haverá mais injustiça: Certamente Deus não faz injustiça com o peso de uma
formiga, e se é uma boa ação, Ele a multiplica e dá de si uma grande recompensa. - Sura 4 An-Nisa, ayah 40. Separação dos justos e dos
condenados em al-Qiyamah. No julgamento divino, será lido o Livro de Atos de cada pessoa, no qual "toda coisa pequena e grande é
registrada", com ações antes da adolescência não escritas. Os registros serão dados na mão direita se forem bons, e os esquerdos se forem
maus. Mesmo os atos mais pequenos não serão ignorados: Então qualquer um que tenha feito o peso de um átomo de bem, vê-lo! E
qualquer um que tenha feito o peso de um átomo do mal, deve vê-lo. - Qur'an, sura 99 Az-Zalzala , ayat 7-8 .Isto será seguido por justiça
perfeita, divina e misericordiosa. A era do futuro, ou resto da eternidade, é o estágio final após o Dia do Juízo, quando
todos receberão seu julgamento de Deus. Na verdade, aqueles que creram e aqueles que eram judeus ou cristãos ou Sabeans [antes do
Profeta Muhammad] - aqueles [entre eles] que creram em Deus e no Dia do Juízo Final e fizeram a justiça - terão sua recompensa com seu
Senhor e não haverá medo sobre eles, e não se entristecerão. - Qur'an, Sura 2 Al-Baqara , ayah 62 . Os mortos permanecerão em uma
grande assembleia, esperando um pergaminho detalhando suas ações justas, atos pecaminosos e juízo final. Maomé será o primeiro a ser
ressuscitado. .Se alguém fizer boas ações, um iria para Jannah, e os injusto iriam para Jahannam. Punições incluirão adhab, ou dor severa,
e khizy ou vergonha. Haverá também um castigo do túmulo (para os descrentes) entre a morte e a ressurreição. Escatologia islâmica na
literatura. Ibn al-Nafis escreveu sobre a escatologia islâmica em Theologus Autodidactus (cerca de 1270 d.C.), onde usou a razão,
a ciência e a filosofia islâmica para explicar como ele acreditava que o al-Qiyamah se desdobraria, contado sob a forma de um romance
de ficção teológica . Imran Nazar Hosein escreveu numerosos livros que tratam da escatologia islâmica (Ilmu Ākhir al-Zamān -
Conhecimento dos últimos dias), entre os quais o mais famoso é Jerusalém no Alcorão. Os muçulmanos xiitas têm suas próprias crenças
sobre o apocalipse e mencionam uma coleção de eventos que foram preditos de acordo com hadith. O apocalipse é a última parte do período
de vida humana e ocorrerá antes da ressurreição. De acordo com um hadith de Muhammad, o profeta do Islã, um dos sinais do apocalipse é
quando os reis vierem ao Hajj (peregrinação) para lazer e recreação e pessoas ricas irão para Meca para negócio. Muhammad disse sobre
sua Ummah que eles vão esquecer cinco coisas no apocalipse: Eles amam o mundo e esquecem a ressurreição. Eles amam a riqueza e
esquecem o relato da ressurreição. Eles amam as mulheres e esquecem o Houri. Eles amam palácios e esquecem o túmulo. Eles amam a si
mesmos e esquecem a Deus. De acordo com as crenças xiitas, uma coleção de eventos ocorrerá antes da volta de Muhammad al-Mahdi, um
salvador final da humanidade e o imã final dos Doze Imames. Os sinais do reaparecimento de Muhammad al-Mahdi são classificados como
sinais incertos ou certos. Na tradição xiita, o diabo será morto após a aparição de Muhammad al-Mahdi. Segundo algumas narrativas xiitas,
existem cinco sinais certos que ocorrerão antes do reaparecimento do duodécimo Imam. O hadith de Ja'far al-Sadiq menciona estes sinais:
"há cinco sinais para nosso Dhuhur (o reaparecimento do duodécimo Imam), o aparecimento de Sufyani e Yamani , o grito alto no céu, o
assassinato de uma alma pura (Nafs-e-Zakiyyah), a terra engolindo (um grupo de pessoas) na terra de Beyda. Segundo algumas
narrações, Sufyani , um dos descendentes de Abu Sufyan, surgirá antes do reaparecimento de Muhammad al-Mahdi. Ele foi representado
como um homem exteriormente devoto que tomará cuidado para se lembrar de Deus em todos os momentos. Mas na realidade ele será o
homem mais perverso do mundo. Ele se levantará durante o Rajab. Depois que ele perceber que Muhammad al-Mahdi reapareceu, ele
enviará um exército para lutar contra ele. Alguns livros dizem que o exército de Sufyani antes de chegar ao exército de Muhammad al-
Mahdi afundará na terra no Beyda, a área entre Meca e Medina . O aparecimento de Sufyani é mencionado em narrativas shiitas
e sunitas. Em algumas narrações, a aparência de Yamani é mencionada como um dos certos sinais do reaparecimento do duodécimo
Imam. O quinto imam xiita, Muhammad al-Baqir, descreveu Yamani em detalhes em um hadith: "... entre esses indivíduos (Sufyani,
Yamani e Khorasani), o Yamani é o mais próximo da orientação, pois Ele chama as pessoas para se juntar ao Muhammad al-Mahdi. Quando
ele se levantar o comércio de armas será proibido para cada muçulmano. Quando ele se levantar imediatamente, porque sua bandeira é a
bandeira de orientação e prosperidade e nenhum muçulmano deve opor-se. Qualquer um que fizer isso vai para o inferno, porque o Yamani
chama para o caminho certo. " Algumas fontes mencionam que Yamani e Khurasani serão aliados contra Sufyani. O terceiro sinal certo que
é mencionado na narração acima é o alto clamor no céu. Segundo a tradição, dois gritos serão ouvidos. No primeiro deles, Gabriel chamará
o nome de Al-Qa'im e seu pai e dirá que a verdade é com Ali e seus xiitas. Todas as pessoas ouvirão o clamor de Gabriel em sua própria
língua. Em uma tradição de Ja'far al-Sadiq que é narrada por Zurarah ibn A'yan , diz-se que após este choro Satanás chamará certamente,
assim e assim e seus seguidores são vitoriosos e seu significado é um homem De Banu Umayya. Ele acrescenta que a pessoa que faz o
primeiro choro diz a verdade. Uma alma pura ou Nafse Zakeyyah é um dos descendentes de Husayn ibn Ali. Em fontes xiitas seu nome é
Hojat ibn al-Hasan. Ele será assassinado e sem pecado ou crime. De acordo com muitas narrações, ele é o enviado de Muhammad al-Mahdi
a Meca antes de seu reaparecimento. Quando ele chegar a Meca e disser a sua mensagem, o povo de Meca matá-lo-a em torno
da Kaaba . Terra engolindo (exército de Sufyani) na terra de Bayda. O afundamento do exército de Sufyani na terra é um certo sinal de
reaparecimento de Muhammad al-Mahdi. Além do hadith acima mencionado de Ja'far Sadiq, em um hadith Ali ibn Abi Talib menciona que
o exército de Sufyani afundará na terra. Sinais incertos. Existem muitos sinais na tradição cuja ocorrência depende de certas
condições. Estes sinais são sinais incertos. Alguns deles: Eclipse solar no meio do mês de Ramadhan e eclipse lunar no final desse mês.
Vendo fogo no céu. Guerras sucessivas e morte de muitas pessoas no mundo. Criação e desenvolvimento da ciência e do conhecimento
em Qom.