Você está na página 1de 21

TU ÉS LUZ

Psicografia ditada ao médium


Willer Siqueira pelo espírito
Rabindranath Tagore
EVOCAÇÃO

Oh, Fonte Divina de Luz!


Ilumina nossos caminhos e livra-nos das trevas
que nos fazem agir em erro.
Oh, Sol da Verdade!
Ilumina os pontos obscuros em nosso ser para
que o Teu amor brilhe em nossas vidas,
harmonizando-nos com toda Tua obra divina
sob Teu comando de sabedoria.
1.
Oh, escuridão!
Oh, vazio!
Oh, cegueira!
Como não perceber a luz de amor brilhando no
coração de todas as coisas aqui, em todo lugar,
agora e sempre?
2.
Oh, trevas sem sentido!
As cordas da harpa de minha alma vibram a
música da angústia de não perceber Tua
presença em mim, oh, meu Senhor!
3.
Conduz-me das trevas da ignorância e escuridão
para o sol de Tua verdade e amor, oh, meu
Senhor e Mestre!
4.
Oh, meu Rei, nós não nascemos nas quatro
paredes de um quarto, mas sim no coração de
Tua obra de amor neste Universo infinito!
5.
Tu, que reinas em toda Tua criação, reinas
também aqui.
Como não Te perceber dando o ritmo das coisas
daqui debaixo como também das galáxias que
brilham no céu nas noites tranquilas?
6.
Por que me cegar com as trevas do ego que
repetem os mantras “meu e eu” se Tua criação
infinita somente a Ti pertence? Se no coração de
todas as coisas Tu ages em amor nos
convidando a todos a nos doarmos para a vida
que brota sob Teu comando de luz e harmonia?
7.
Quando os olhos da manhã do conhecimento de
Tua presença se abrem em luz, minhas canções
como pássaros abrem suas asas ao sol de Teu
amor.
8.
Minhas canções matutinas, oh, meu Rei,
derrotam as sombras que escurecem meus
olhos e o Teu amor me envolve nas redes da
união com toda Tua obra divina!
9.
Confiar no amor, oh, Tu que és Amor infinito, é
confiar em Ti!
Oh, prazer sem sentido, fruto de um ego cego,
és como orvalho que evapora sob a luz do sol.
10.
Oh, Sol da Verdade, que Tua luz acorde em meus
olhos a visão de Teu amor em todas as coisas!
11.
Meu coração quando brilha a luz de Teu amor se
entrega em canções que flutuam no céu de
minhas esperanças, derramando-se em
melodias de ações no bem a todos.
12.
Sob Tua luz de amor, meus desejos encontram a
paz infinita ao desejar fazer sempre o bem.
13.
Oh, meu Senhor, quando as flores se fecham ao
anoitecer, sei que no silêncio de minhas
meditações e nas minhas preces recitadas sob a
luz tênue de Tuas estrelas, fazes brilhar Teu
amor em meu coração!
14.
Sinto o perfume de Tua presença se espalhar aos
quatro ventos quando Te percebo nas flores do
jardim, no balançar dos galhos carregados de
frutos, nos sons vagos da noite tranquila.
15.
Oh, Sol da Verdade, Teus raios de luz beijam
meu coração e o calor de Teu toque divino brilha
em minha vida que flui em canções!
16.
Oh, riqueza material!
Oh, bens acumulados sem cessar!
Comandados pelos desejos desenfreados do
ego, não há em vós nenhum valor real.
17.
Agir assim, comandados pela cobiça, é agir em
angústia e lágrimas.
Agir assim é estar cego à Tua luz.
Agir assim é agir como se Tu, oh, meu Rei, não
estivesses presente aqui embaixo!
18.
Oh, Sol da Verdade!
Oh, Luz Infinita de Amor!
Brilhe sempre em nossos corações e que o nosso
ser, nossos ouvidos e nossos olhos se abram
sempre à Tua verdade que é puro amor!
Willer Siqueira, 49 anos, é mineiro de Belo Horizonte, vive
atualmente em Cuiabá. Economista, consultor de empresas,
compositor e médium. Teve seu desenvolvimento mediúnico
acompanhado pelo grupo mediúnico Wantuil de Freitas.

Rabindranath Tagore, nasceu em 1861, em Calcutá na Índia. Sua


obra é gigantesca e contempla: Poemas, canções, óperas-balés,
romances, peças de teatro, novelas, numerosos volumes de
ensaios que cobriam os principais domínios da vida.
Ele compôs seu primeiro verso aos 10 anos. Ator talentoso e
coreógrafo, também se pôs a pintar com quase 60 anos. Compôs
o hino nacional da Índia e o de Bangladesh.
Recebeu em 1913 o prêmio Nobel de Literatura, tendo sido o
primeiro não europeu a ser agraciado com a honraria.
Seus contos, romances e poemas são marcados por "versos
profundamente sensíveis, frescos e belos", sendo ainda
aclamados por seu lirismo, coloquialismo, naturalismo e
contemplação.
Seus versos agem em interface com o leitor que constrói seu
entendimento considerando suas conquistas espirituais. Seu
lirismo faz eco no ensinamento do Cristo “Olhai os Lírios do
Campo”, onde o divino Mestre nos alertava a ver a providência
divina, a sabedoria e presença do ”Pai” ao redor de nós,
enriquecendo-nos a vida.
Tagore desencarnou em 1941.
O Espírito Rabindranath Tagore aqui no Brasil já apresentou obras
que vieram a lume pelas mãos dos médiuns Chico Xavier, Divaldo
Franco e Vera Cohim.
É PROIBIDA A VENDA DESTE LIVRO. SOMENTE PARA DOAÇÃO.

Você também pode gostar