Você está na página 1de 4

Aula 1: Introdução ao curso de Economia Monetária (9/8)

 A economia capitalista se organiza em torna da busca da moeda.


 Papel do Banco Central
 Definição da moeda

Aula 2: A moeda e o sistema monetário (10/8)


O que é moeda?
1. Moeda mercadoria: a moeda nasce em tempos remotos como uma facilitador das
trocas, os indivíduos perceberam que seria muito mais vantajoso caso ele
produzisse um excedente que pudesse ser trocado pelo o que ele necessitasse
mais ou nã conseguisse produzir, visando o aumento do bem estar. Cria essa
decisão a partir de um cálculo racional, qualidade inata de racionalidade. Leve
esses excedentes em troca no MERCADO, onde encontrará outros homens
racionais que fizeram o mesmo cálculo que ele. O que faz com ele não tenha
medo ao se apresentar como um mercador ao outro? Porque ele sabe que o outro
é racional como ele, partilham do mesmo conjunto. Fundamento da troca. A
moeda é um lubrificante das trocas, premite, facilita, amplia o próprio mercado. A
troca beneficia, primeramente, os envolvidos na troca, mas a coletividade é
beneficiada. A partir do primeiro momento que existe a moeda, mesmo os que
estavam só na troca passam a possuir a moeda, é como um convinte. Quanto
melhor o sistema é, melhores os incentivos para que ele continue funcionando.
Consequência ética dos pressupostos: (Locke, Huke, Smith) todo mundo deveria
ser livre para produzir(liberdade individual para empreender), Estado deve
garantir o direito individual de empreender a propriedade privada, o mercado deve
ser livre (não ter nenhum impedimento a troca)(se eu colocar uma restrição ao
mercado, rentringiria a liberdade e os prazeres, num nível sub otico das
potencialidades dos indivíduos, ele geram com o seu máximo a maior quantidade
de excedente para receber em troca o bem estar a sociedade.)(impostos para
garantir as funcionalidades do livre mercado) - Pressuposto: 1. Racionalidade dos
agentes.
2. Moeda como instituição: (Hobbes) trata-se de uma outra forma de enxergar o que
é moeda. Não é opssível que os homens já se encontrem pré-conciliados na
razão, antes é preciso que haja uma instituição que pré-concilia os indivíduos. Os
homens só admitem o risco de aproximação, quando as condições já estão
estabelicidas. Essa instituição (pré concilia as aproximações dos indivíduos) é
absolutamente necessária para a própria vida em sociedade, antes de tudo vem
a moeda, não vem como facilitador da troca, existe antes da troca. Parte de uma
matriz que tem por base as relações de poder, a moeda é resultado de um
permanente conflito que implica uma permanente transformação. A sociedade se
organiza por instituições que está em permanente conflito relacionado ao poder.
Aula 3: A moeda e o sistema monetário (10/8)

 Moeda mercadoria: facilitador das trocas, relações de troca que se estabelecem


em um mercado, coletividade ganha por causa que especialização individual
aumenta a produtividade e reduz o preço e o próprio estabelecimento do mercado.
A moeda é neutra, sem papel ativo, é apenas um lubrificante das trocas, no
sentido de ser um indutor do aumento da produção de bens e serviços. Dicotomia
entre o mundo real e omundo monetário. (Locke, Hume e Smith)
 Moeda como Instituição: é um artefato social, o fundamento da moeda é a
confiança, ou seja, é um fenômeno coletivo. Um componente de
mimetismo/polarização mimética: porque todo mundo uso, um concentimento
tácito, quanto amis é aceito pelos demais é mais aceito por mim, é uma
convenção, pacto coletico em torno de um padrão. É além, é coertiva: alguém
definiu,alguem que tem o poder de definir que nossa moeda é o real, não é
consentida pelos demais, é imposta, por autoridade. Existe uma aceitação coletiva
e é imposta, mas não é livre de contestação a qualquer momento. (Hobbes,
Keynes e Marx)
Aula 4: O Sistema monetário (17/8)

 Funciona com um elo de ligação social, a moeda funciona com elemento que
permite o reconhecimento mutúo, é a existencia da constituição que permite que
nos identifiquemos. O desejo de viver em sociedade leva os indivíduos aceitaram
os padrões, mesma as pessoas mais exclusas esta necessariamente obrigado a
que vc aceite o padrão (QUANDO NAO ACEITAMOS SOMOS TAXADOS DE
LOUCOS PARA O SISTEMA? PRESO? HISTORIA DA LOUCURA- E EU
CHAPADA- to vendo umas bolas amarelas no texto)
 Ruptura de elo social – estado hobbesiano.
 A partir dessa dupla natureza que sua qualidade um meio necessário para a
socialização dos indivíduos isolados, mas ao mesmo tempo a moeda é um critério
e propósito de enriquecimento privado (pq vcs chupam tanto o cu desse omi? Commented [TMT1]: Nossa sociedade quem tem
Sos), questão fundamental da moeda. Existe aqui uma contradição (ele falando dinheiro tem poder

com a andrezza chapada kkkkk)q merdakk)) porque a moeda é um bem público


(é um elo de de ligação) e um bem privado (enriquecimento so se faz na moeda).
Se deixar o setor pivado mais solto, economia cresce mais, mas com a
possibilidade de romper o elo. Desejo de manuntencao de estabelidade . Banco
central tem que permitir o equilibrio.
 3 Funções da moeda: meio de troca, unidade de conta e reserva de valor.
 Confiança: (três níveis) 1. Confiança ética: a ideia de que aquele que emite a
moeda administra a partir de um principio etico, de quem nao vai enganar
ninguem, usar em beneficio proprio, mas vai usar a moeda em beneficio do povo
2. Confiança hierárquica: A estrutura hierarquicamente definida que cuida da
moeda como produto, 3. Confiança metódica/mimética: Se reforça na medidada
que todos usam aquela moeda, eu confio pq os outros todos fazem, a chance de
eu aceitar é muito maior).
 Será que to com hepatite.

Aula 4: O Sistema monetário (23/8) Commented [TMT2]: As garotas da fábrica (leitura)

 Derivam polícas economicas muito diferentes, bom ter duas para saber as
matrizes teóricas
 No primeiro conceito a moeda é véu que apenas encobre as relações de
troca. No outro conceito a moeda como intituição, que nasce da relação de
poder, não esta estabelecida para sempre porque a luta continua todos os
dias, quanto mais moeda mais poder
 Como essa rivalidade das moedas se materializa no dia a dia no sistema
monetário?
 Estado confere legitimidade, confiança, credibilidade. Quando a população
não
 acredita no Estado, menor a confiança ética, confiança hierárquica e a
confiança mimética Commented [TMT3]: Passa a escolher outras moedas
 Moeda como instituição tem uma jurisdição
 Sistema monetário é formado por todos os agentes que tem uma
capacidade de criar moedas: Banco Central (um só) e Bancos Comerciais
(muitos – podem criar moeda só em forma de crédito)
 Sistema financeiro não monetário: casa de cambio, bancos de
desenvolvimento, corretora de valores, bancos de investimento, fundos de
pensão, fundos de investimento.
 Bancos comeciais precisam ter reserva para realizar transferências e/ou
para saques (se o dinheiro não tiver reservas ele perde sua credibilidade),
pq não podem emitir dinheiro. O total de papel-moeda emitido pode estar
PMPP (papel moeda poder publico) e Ebcanc (encaixes dos bancos
comercias – caixas) (PMPP e Ebcanc são PMC -papel moeda em
circulaçAò), ou está nos encaixes do banco central Ebc
 A moeda em circulação é uma base sob a qual os bancos decidem expandir
a moeda ou não, ou seja, PMC é a base monetária que é B
 Conta corrente de depoósito a vista (dv), mais PMPP, são os meios de
pagamento (M1)
 O Banco central controla a base de pagamento, porque ele recebe dos
bancos comerciais