Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL


ENG01140 - RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS A
Professor: Luis Alberto Segovia González
Home Page da Disciplina: no Moodle da UFRGS
Carga Horária: 4 horas por semana
Créditos: 4
Pré-requisitos: ENG01156 (Mecânica)
Súmula: Isostática: Conceitos básicos, Tipos de estruturas, Força, Momento, Equações de equilíbrio,
Vínculos, Carregamentos, Superposição de efeitos, Cálculo de reações, Cálculo de solicitações,
Traçado de diagramas, Esforços em treliças. Resistência dos Materiais: Conceitos básicos, Tensões e
deformações, Leis de Hooke e Poisson, Ensaios, Estudo da variação das tensões no entorno de um
ponto, Teorias de Resistência, Estudo das tensões e das deformações em peças submetidas a
solicitações simples e compostas.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
CRONOGRAMA 2013 / 1
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
DATA AULA MATÉRIA
a
3 12 Mar 01 Apresentação da disciplina. Conceitos básicos. Equações de equilíbrio.
5a 14 Mar 02 Vínculos. Graus de liberdade. Carregamentos. Reações. Sup. de efeitos
a
3 19 Mar 03 Cálculo de reações em estruturas isostáticas
5a 21 Mar 04 Solicitações. Traçado de diagramas. Regras para traçado rápido
a
3 26 Mar 05 Traçado de diagramas para vigas
5a 28 Mar 06 Traçado de diagramas para vigas (cont.)
a
3 02 Abr 07 Traçado de diagramas para vigas (cont.)
5a 04 Abr 08 Traçado de diagramas para pórticos
a
3 09 Abr 09 Traçado de diagramas para grelhas.
a
5 11 Abr 10 Determinação de esforços em treliças planas
3a 16 Abr 11 PROVA P1 (AULAS 01 A 10)
a
5 18 Abr 12 Introdução à Resistência dos Materiais. Tensões e deformações
3a 23 Abr 13 Lei de Hooke. Lei de Poisson.
a
5 25 Abr 14 Ensaios. Curvas tensão × deformação
3a 30 Abr 15 Estudo da variação das tensões no entorno de um ponto
a
5 02 Mai 16 Estudo da variação das tensões no entorno de um ponto (cont.)
3a 07 Mai 17 Estudo da variação das tensões no entorno de um ponto (cont.)
a
5 09 Mai 18 Teorias de Resistência
3a 14 Mai 19 Esforço normal
a
5 16 Mai 20 Esforço normal (cont.)
a
3 21 Mai 21 Esforço normal (cont.)
5a 23 Mai 22 Atividades relacionadas com o trabalho prático proposto
a
3 28 Mai 23 PROVA P2 (AULAS 12 A 22)
3a 04 Jun 24 Cisalhamento
a
5 06 Jun 25 Torção
3a 11 Jun 26 Torção (cont.)
a
5 13 Jun 27 Atividades relacionadas com o trabalho prático proposto
6a 14 Jun 28 Competição de Pontes de Espaguete
a
3 18 Jun 29 Flexão
5a 20 Jun 30 Flexão (cont.)
a
3 25 Jun 31 Solicitações compostas
5a 27 Jun 32 Solicitações compostas (cont.)
a
3 02 Jul 33 PROVA P3 (AULAS 24 A 32)
a
5 04 Jul 34 Tensões em cilindros e esferas de parede fina
3a 09 Jul 35 RECUPERAÇÕES R e EXAME E
SISTEMA DE AVALIAÇÃO
1. Será exigida freqüência mínima de 75 % e a avaliação será realizada através de três notas obtidas
em provas parciais (P1, P2 e P3, com valores de até 10 (dez) pontos cada uma) e uma nota obtida
em trabalho prático (T, com valor de até 10 (dez) pontos).
2. Será aprovado o aluno cuja média (M) das três notas das provas parciais e do trabalho prático for
igual ou superior a 6 (seis), com nota mínima nas provas não inferior a 3 (três), sendo:
P1 + P2 + P3 + T
M=
4
3. Será reprovado o aluno cuja média (M) for inferior a 3 (três).
4. O aluno cuja média (M) estiver entre 3 (três) e 6 (seis), ou com nota inferior a 3 (três) em uma das
provas parciais, ainda que com média superior a 6 (seis), poderá optar entre uma recuperação da
nota obtida na prova parcial correspondente à nota mínima ou um exame englobando toda a
matéria.
• A nota obtida na recuperação (R) deve ser maior que 3 (três), substituirá a nota obtida na prova
parcial correspondente e será utilizada no cálculo da média final (MF), sendo:
P1 + P2 + P3 + T
MF =
4
• A nota obtida no exame (E) será utilizada no cálculo da média final (MF), sendo:
M + 2E
MF =
3
5. O aluno com nota inferior a 3 (três) em mais de uma das provas parciais, poderá realizar um exame
englobando toda a matéria e cuja nota (E) será utilizada no cálculo da média final (MF), sendo:
M + 2E
MF =
3
6. O conceito final será determinado aplicando a sugestão apresentada pelo DECIV, podendo ser
considerada também a participação do aluno nas atividades propostas:
M ou MF < 6.0 ...............D
6.0 ≤ M ou MF < 7.5 ...............C
7.5 ≤ M ou MF < 9.0 ...............B
9.0 ≤ M ou MF ...............A
7. Ao aluno que por justa causa (devidamente comprovada), não puder comparecer a uma das
provas, lhe será dada uma nova oportunidade em data a ser fixada pelo professor da disciplina.

BIBLIOGRAFIA

• José Carlos Sussekind: Curso de Análise Estrutural Vol. I Estruturas Isostáticas. Ed. Globo.
• Bernardo Gorfin e Myriam Oliveira: Estruturas Isostáticas. Livros Técnicos e Científicos Ed. S. A.
• F. P. Beer e E. R. Johnston: Mecânica Vetorial para Engenheiros Vol I Estática. Ed. McGraw-Hill.
• J. R. Masuero e G. J. Creus: Introdução à Mecânica Estrutural. Editora da Universidade UFRGS.
• Sérgio Concli Gomes: Resistência dos Materiais. Gráfica Unisinos.
• S. Timoshenko e J. Gere: Mecânica dos Sólidos Vol I e II. Livros Técnicos e Científicos Ed. S. A.
• Egor Paul Popov: Resistência dos Materiais. Editora Guanabara Dois.
• R. C. Hibbeler: Resistência dos Materiais. Livros Técnicos e Científicos Editora S. A.
• F. P. Beer e E. R. Johnston: Resistência dos Materiais. Ed. McGraw-Hill.
• Roy R. Craig: Mecânica dos Materiais. Livros Técnicos e Científicos Editora S. A.