Você está na página 1de 7

Aula 4

Calendário Wiccano
O calendário wiccano consiste em vinte e um rituais fixos, sendo oito sabas e treze esbas.
Esses rituais acontecem em épocas especificas de acordo com as transformações da
natureza, eles são comemorados e celebrados por todos os wiccanos. Dentro de cada
tradição ou panteão, são feitas adaptações a esses rituais, porém, sua estrutura básica
fundamental permanece a mesma.

Os Sabas
Os sabas, são rituais solares, rituais para o Deus, ou seja, rituais para celebrar as passagens
do Deus Sol,seu nascimento, vida, morte e renascimento, através das estações da
natureza. São observados oito pontos:
Dois equinócios que são quando o dia e a noite estão em tamanhos iguais. Eles são
chamados de Mabon e Ostara. São a entrada da primavera (Ostara) e a entrada do outono
(Mabon).
Dois solstícios que são quando o dia é maior que a noite, ou quando a noite é maior que o
dia. São celebrados na entrada do verão e na entrada do inverno. Chamados Yule e Litha.
Na entrada do verão celebramos Litha e na entrada do inverno celebramos Yule.
E os quatro outros são os grandes sabas, que são comemorados no pico de cada estação.
No meio do inverno comemoramos Imbolc, no meio da primavera comemoramos Beltane,
no meio do verão comemoramos Lammas e no meio do outono comemoramos Souim.
Esses rituais são sagrados para nós wiccanos, pois eles celebram a manifestação dos
Deuses na natureza. São feriados para nós, épocas importantes para adorações e
agradecimentos ao nosso Deus Pai Sol e a Nossa Deusa Mãe Terra, pois é através da
generosidade deles que estamos vivos. Cada um desses ritos tem um significado forte e
toda uma vivencia, os oito pontos juntos (entrada de estação e pico de estação) formam a
sagrada roda do ano, que não tem começo e nem fim,e nunca para de girar. É o eterno
bailar da vida, da natureza.

Os Esbas
Os Esbas são celebrações lunares para Deusa, é celebrado todas as noites de Lua Cheia.
São totalizados em treze em um ano. Por que treze? Porque a Lua leva mais ou menos sete
dias para passar por cada fase, sendo assim, ela leva vinte e oito dias para passa pelas
quatro fases, a nova, a crescente, a cheia e a minguante. Se pegarmos os trezentos e
sessenta e cinco dias do ano e dividirmos por vinte e oito, encontraremos o número treze.
São 7 dias em cada fase, 4 fases a Lua tem: 7x 4= 28. 28 dias em cada ciclo. 365 ao ano.
365/28= 13. 13 Luas Cheias para se comemorar os Esbas.
Esses ritos também são sagrados para nós wiccanos, pois é um momento de adorar e
celebrar a nossa grande Mãe, criadora do universo. È um momento de carinho e respeito,
hora de se voltar a ela para agradecer suas bênçãos em nossas vidas e lhe pedir proteção e
ajuda nas diversas situações da vida. Nesse rito nos conectamos a sua força e a sua
energia, e nos fortalecemos cada vez mais. Nos Esbas a Deusa está em seu ponto máximo
de poder,com sua face luminosa voltada para terra e é aí que entramos em êxtase e
trazemos para nós bruxos o poder dela.
Essas vinte e uma celebrações são a base da Wicca e fazem parte do nosso ano mágico
wiccano,todo wiccano reconhece e celebra esses pontos. Mas também existem os rituais
pessoais incorporados ao cotidiano do bruxo, alguns também celebram a Lua Nova, a
Crescente e a Minguante, outros fazem rituais específicos para uma Deusa ou Deus de
devoção, ou um ritual de prosperidade, banimento, sorte, para afastar doenças e por ai
vai. Tem também os ritos de passagem que marcam as passagens da vida de um bruxo,
como nascimento, casamento, entrada da puberdade, morte.
Tantos os esbas como os sabas são festas e devem celebrados e comemorados com muito
respeito, carinho e alegria. Muitos gostam de fazer banquetes e grandiosas festas e
convidar amigos, o que é bem legal, mas não é essencial. O importante nestes ritos
sagrados é a sua conexão com as divindades, a sua concentração e a sua fé, isso sim farão
uma enorme diferença.

A Deusa
A adoração a Deusa foi a primeira religião estabelecida pelo seres humanos. Evidências
arqueológicas como, inúmeras esculturas de mulheres grávidas, de seios grandes, quadris,
nádegas e vulvas exagerados, encontrados na França, Alemanha, Áustria, Espanha e
Rússia, são a maior evidência disso. Achados de mais de 25.000 a.C. até os tempos do
império romano comprovam a existência de uma divindade feminina.
Essas esculturas, encontradas perto de paredes das ruínas das primeiras habitações
humanas, não são meras peças de decorações, elas representavam o meio pelo qual os
humanos se expressavam antes mesmo de usarem a fala.Desde aquele tempo, a arte
sempre mostrou o que o ser humano valoriza, e tenta passa passar para gerações futuras.
O parto, a maternidade e a sexualidade feminina eram sagrados. Para todos, a mulher
concebida o bebê sozinha, por ela mesma, sexo não era associado ao parto, assim ela se
tornou a doadora exclusiva da vida. Por isso as crianças pertenciam apenas a mãe e
crianças ilegítima não existiam. Assim, as famílias descendiam pela linhagem materna,
chamada matrilinear. Quando uma mulher casava, o marido que ia morar com a família
dela, mostrando que as mulheres detinham todo poder.
A adoração a Deusa nos cultos antigos, traiam a mulher com o papel principal nos
trabalhos religiosos e nas celebrações sagradas. Elas eram grandes sacerdotisas e
curandeiros, parteiras, poetam, e lideravam templos dedicados as deusa. do envolvimento
da mulher com a religião, surgiram grandes avanços, como o conhecimento das ervas e o
primeiro calendário, que é o lunar. Esse calendário foi criado com base no ciclo menstrual
da menstrual da mulher, comparado as fases da lua. As mulheres também desenvolveram
a culinária, a agricultura, a cerâmica, os idiomas e muitas outras coisas mais.
A Deusa teve proeminência e popularidade até a chegada gradual de uma reformulação no
parentescos, que passou a ser patrifocal, dando mais importância ao homem e a
paternidade. Importância essa que é clara nas principais religiões de hoje. A subida do
poder masculino, começou quando o homem passou a acumular bens e propriedades, o
que não é comunitário, e achou que sua força pessoal pudesse aumentar com suas posses
e riquezas. Isso coincidiu com a adoração ao Sol sob um sacerdócio masculino, que
substituiu muitas vezes o culto a Lua. Foi assim que os homens ganharam poder sobre as
mulheres e o masculino se tornou a grande divindade, o sagrado feminino passou a ser
reconhecido cada vez menos,e a ausência do culto a Deusa trouxe guerras, crimes,regras e
tiranias.
A Deusa é a divindade suprema adorada nas praticas pagãs, ela foi adorada ao redor por
milhares de anos. E hoje ressurge com grande popularidade entre homens e mulheres que
sentem que algo esta se perdendo nas religiões de proeminentes de hoje.
A Deusa é versátil, para alguns ela é a única divindade existente. Ela não é vista
necessariamente como uma pessoa,mas como uma força que se expressar de várias
formas e pode ter inúmeros nomes. Ela foi conhecida como Ishtar, Astarte, Inanna, Lilith,
Isis, Maat, Brigit Cerridwem, Gaia, Demeter, Athena, Arinhod, Afrodite, Vênus, Ártemis,
Venus, Afrodite, Kali, Kuan-in, Pele e Mary, e milhares de outros nomes. A Deusa é a
criadora e destruidora de todas as coisas, tudo vem dela e tudo volta para ela.Ela está
contida em tudo, e vive na Terra, nos céus, no mar, na flor, em cada gota de chuva e em
cada grão de areia. Ela não é um ser distante e intocável, vive e se manifesta em cada um
de nós. Ela é virgem, mãe e ansiã. Ela é tudo e todos.
A Deusa tem três faces distintas, ela é triplicidade. Na Wicca, triplicidade tem um
significado diferente, ela se refere a três faces distintas da mesma divindade. Cada aspecto
tem suas características distintas, todas as três faces foram adoradas em tempos
imemoráveis. Já é possível notar referências a Deusa em musicas, livros e artes, até
mesmo as mais populares. É a necessidade de uma energia feminina para equilibrar com a
masculina, que reina a mais de 2 mil anos.

A Deusa Donzela
Ela é os descobrimentos e o aspecto mais criativo da nossa personalidade. É inocente,
despreocupada, cheia de esperança, encantadora, feliz, determinada, flexível e
entusiasmada. O termo donzela ou virgem não se refere ao sentido sexual, mas no sentido
de independência. A virgem é dona e responsável por si mesma.
Tipicamente, as Deusas da categoria donzela tem conexão celestial, como: Luna, a casta
deusa-lua (grego-romana), Knowee, a deua aborigem do sol. E aspectos virginais como a
deusas a primavera, como: Perséfone, Eos, Rhianos, Rempet e Artemis.
A face donzela representa o aspecto jovem da Deusa, aquela que esta no inicio da vida e
começa a desabrochar. Ela é o principio, inexperientes e audacioso.
Tributos
Animais bebes, e crianças, brinquedos infantis.
Cores prata e branco
A primavera e a parte da manhã.
Novos inícios, luta, audácia, força de vontade.
Momentos indicados para invocar a Deusa Donzela
A primeira menstruação da menina e a primeira ejaculação do menino.
Nascimento de uma criança e planos para engravidar.
Começo de uma nova relação, amor ou amizade.
Durante o primeiros passos e uma nova ideia
Começo de um curso, de ano escolar, de um novo emprego, mudança de residência.
Começo de um novo ciclo em sua vida.

A Donzela é representada e cultuada Lua Crescente.

A Deusa Mãe
A face mãe da Deusa é tida como da eterna doadora da vida, essa foi a primeira
representação religiosa que o ser humano expressou. Ela é vista tanto como criadora
como destruidora, podem ver isso como a própria Natureza. Ela é a maternidade, a
fecundação e a fertilidade. Ela é uma mulher no cume do seu poder, na idade humana,
teria por volta dos seus trintas anos.
As Deusas que representam esses aspectos são: Pele, Gaia, Isis, Afrodite, Juno, Demeter,
Freya, Badb, Iemanjá e outras mais ao redor do mundo. Assim é a Deusa Mãe, carinhosa,
amorosa, protetora, mas também é rígida e severa ao corrigir seus filhos.
Atributos
Imagens de grávidas e de mulheres com crianças no colo.
A estação do verão e o meio do dia.
Cores vermelho, verde e azul.
Maternidade, fertilidade, proteção, nutrição, zelo e carinho.
Momentos indicados para invocar a Deusa Mãe
Quando desejar um período de paz.
Fazendo escolhas de qualquer tipo.
Aceitando um animal.
Achando ou escolhendo um marido ou esposa.
Para pedir benção e proteção.
Quando o parto está próximo.
Para finalizar algum projeto.

A Deusa Mãe é representada e cultuada como a Lua


Cheia

A Deusa Anciã
A Anciã é o fim. As imagens dela parecem não ser muito atraentes, esse é o aspecto
menos compreendido e mais temido, e nos leva a refletir sobre a morte. Ela guarda o
submundo, um lugar de descanso das almas entre as reencarnações. A missão a Anciã é
nos acompanhar na ultima etapa de nossa vida, nos preparando para o outro mundo.
Deusas que representam essa categoria são: Navajo, Búfala Branca, Hécate, Hel, Morrigan
e outras mais. Esse é o fim, o descanso de uma vida de trbalhos e lutas, ela representa a
chegada da velhice e mesmos a própria morte. Sabedora, paciência e profecias fazem
parte deste aspecto.
Atributos
Trajes escuros e pesados.
Cores escuras
Itens secos e murchos.
Por do Sol e outono
Galhos secos, cajados, bengalas, fosseis.
Sagacida, estabilidade e sabedoria.
Momentos mais indicados para invocar a Deusa Anciã
Divorcio, término de namoro e amizade
Menopausa ou sintomas de envelhecimento.
Tranquilidade antes de pensar em novos planos.
Morte de uma pessoa ou animal
Mudanças em geral
Comunicação com o outro mundo
Proteção e limpeza
Contemplação do seu próprio término de vida

A Deusa Anciã é cultuada e representada pela Lua


Minguante.

O Deus
O Deus Cornífero possui inúmeros nomes, ele é o consorte da Deusa, doador da vida,
senhor da morte e ressurreição, senhor das frutas, flores e sementes, deus da fertilidade e
da dança. Conhecido como Cernnunos, Herne, Pan, Osíris e outros incontáveis nomes. Seu
aspecto predominante adorado pelos nossos antepassados é o Deus Cornífero. O homem
de 12 mil anos atrás, retratou nas paredes das cavernas um Deus meio homem meio
animal. O Deus Cornífero teve uma forma meio dominante, mesmo com o aparecimento
de vários deuses, esses arquétipo existiu por mais de 10 mil anos.
Chifres sempre foram sinal de algo divino. Na antiga Babilônia, o grau de importância de
um Deus era medido pela quantidade de chifres que ele possuía.
O Deus Cornífero simboliza a parte masculina da natureza. Nós wiccanos vemos o Sol
como o Deus. Desde a idade das cavernas, a intensidade do calor do Sol é observada, e
ligada a ela as mudanças de estação. Nós comemoramos essas mudanças, honrando o
Deus, e também a Deusa (Terra), pois é através deles que seremos nutridos. O Deus
Cornífero é representado por um homem com cabeça humana e pés, pernas e chifres de
cabra. Ele é o caçado e a própria caça, é o animal sacrificado para que o clã pudesse
sobreviver aos meses frios de inverno.
Senhor da luz e das trevas, ele é a profundidade da floresta na escuridão da madrugada,
mas também é o raiar do sol do meio dia. Ele era invocado antes de um homem sair para
caçar, antes das sementes serem plantadas e quando estava na hora da colheita. Ele
morto, é representado como a semente enterrada na terra e renasce, jovem, forte e
indomável, representado no crescimento da vegetação e da semente que foi enterrada.
Ele também é os dias frios do inverno, as colinas frias e a neve que cai. Deuses de
vegetação como Dionísio e Adônis, usavam chifres de ouro, cabra, carneiro ou veado.
Alguns wiccanos associam o Deus Cornifero ao Deus Cernunos. Recentemente, um altar
pra Cernunos foi encontrado em baixo de onde é hoje a Catedral de Notre Dame, na
França. Herne, o caçador também é usado para representar este Deus. Muitas variações
do nome dele também é encontrado como nome de lugares na Inglaterra. Cerne Ablas, na
Inglaterra Meridional é um exemplo.
o Deus Cornífero foi transformado no "Diabo" cristão por aqueles que foram tentar
difundir sua fé na Europa Antiga. Muito antes do cristianismo, o Deus Cornífero era tido
como o Senhor da Vida, do Êxtase, da liberdade. Ele parecia uma ameaça para os cristãos,
por ser um Deus animalesco, da noite e da floresta, da sexualidade. Como o sexo foi visto
como coisa do mal, e ele representava o sexo, foi logo considerado um ser maligno.
Mesmo assim ele sobreviveu nas sobras de sua difamação durante séculos.
O Deus da wicca não é um Deus vingativo, transcendente e ideológico, que mora no céu. O
corpo é humano, mas os pés são patas e os chifres, capturam os poderes do Sol e das
estrelas. Deus da renovação, do movimento eterno, é a própria força da vida. Ele é o
guerreiro, Rei da Terra, das mudanças e da verdade. É de características duais, pois no
verão é o Sol do meio-dia, o pai dos frutos e flores, e no inverno, é o pastor e o curandeiro.
As bruxas dividem esse Deus em três aspectos:

O Deus Filho
O aspecto jovem é brincalhão, ama a vida e o mundo, gosta de uma boa bebida e de uma
mesa farta, ele representa a liberdade, virilidade, força, vitalidade e a fertilidade. Exerce
domínio sobre os animais selvagens e ferozes. Ex: Cernnunos, Pã, Dionisio, Esus, Odin,
Horus, Ros, Cupido e outros.
Quando invocar o Deus Filho...
Resgatar energia e proteção
Atrair coragem, garra e vigor
Começar um novo trabalho
Trazer fertilidade e gravidez
Livrar-se do êxtase
Invocar a fartura e a prosperidade
Atrair vigor sexual
Resolver problemas difíceis
Trazer o poder da razão
Neutralizar a energia em uma dada situação
O Deus Pai
Aqui, vemos um homem mais sábio, de responsabilidades definidas, senhor da colheita e
da natureza cultivada, agricultura. Exerce domínio sobre a vida e o crescimento das
plantas. Ele que nos traz alegria e felicidade. Nessa faze ele é o amante da Deusa. Ex de
Deus Pai: Homem Verde, Baccu, Seleno, Dionísio, Hefesto, Bahaloo, Yhwh.
Quando invocar o Deus Pai...
Mudança de essência de espírito
Energia de descontração
Atrair felicidade
Invocar energia de expansão
Aumentar a sensualidade, o erotismo e a espontaneidade
Liberta-se dos grilhões impostos pele sociedade
Chamar oportunidades.

O Deus Ancião
Aspecto mais velho do Deus, é tão mais sábio e malicioso quanto sua consorte. Deus do
submundo, da justiça, sabedoria e conhecimento culto. Ele é quem conduz as almas ao
submundo. Ex de Deus Ancião: Dagda, Cronos, Teutates e Plutão.
Quando invocar o Deus Ancião...
Atrair conhecimento de todas as ordens
Entrar em contato com a sabedoria ancestral
Encontrar soluções para os problemas
Transmutar energias e transformar situações
Banir o azar, energias maléficas e afastar indesejadas
Revelar segredos
Atrair proteção