Você está na página 1de 167

Aula 1: Introdução aos conceitos

de Marketing Digital

Planejamento de Marketing Digital


Prof. Pedro Cordier
o)) Especialização em Coaching pela The Inner
Game International School (Formação ministrada
por Renato Ricci e pelo próprio Tim Gallwey);

o)) Life & Professional Coach pela Brascoaching;

o)) Autor do curso de “Escutatória: Como aprender


a escutar vai transformar sua vida e potencializar
seus resultados”;

o)) CEO da Equilibra Digital;

O Poder Do Networking na Era da Conectividade | Professor Pedro Cordier | Palestras Prime | 18 de maio 2016 | Universidade Estácio, Salvador
o)) Professor de Pós Graduação (disciplinas “Criatividade e Conectividade”,
“Branding e Portifólio de Produtos”, “Storytelling” e “Planejamento de
Marketing Digital”);

o)) Pós Graduado em Jornalismo Digital;

o)) Especialista em Marketing Online pela UFBA;

o)) Graduado em Marketing;

o)) Especialista em Comunicação, Criatividade e Conectividade e referência no


Google na busca por “CRIATIVIDADE E CONECTIVIDADE’;

o)) Eleito entre os 100 “TOP Marketing Professors on Twitter” pela


SOCIAL MEDIA MARKETING MAGAZINE.
O Poder Do Networking na Era da Conectividade | Professor Pedro Cordier | Palestras Prime | 18 de maio 2016 | Universidade Estácio, Salvador
Aula 1: O novo
consumidor e a internet
Introdução
Marcar presença na web é um desafio para
todas as marcas.

Com a quantidade de informações disponíveis,


encontrar alguma coisa relevante é quase como
achar uma agulha no palheiro.
Por essa razão o marketing digital está cercado
de técnicas e ferramentas que auxiliam os
profissionais a encontrar e conquistar seus
consumidores.
Para cada tipo de ação, precisamos do canal
específico, do conteúdo correto, das ferramentas
adequadas e de muito conhecimento para juntar
tudo isso e obter o resultado esperado.
Objetivos da aula
1. Identificar os conceitos e as principais
terminologias de marketing digital;

2. Conhecer as principais plataformas de marketing


digital.
Conteúdo
Imagine que você tem como desafio ser
encontrado pelo consumidor do seu produto, na
hora certa, no momento propício em que ele faz
a sua conexão com a internet.
Seja para buscar produtos, para ler notícias,
para se relacionar com amigos através de uma
rede social, para matar a curiosidade a
respeito de algum assunto, e assim por diante.
Se a comunicação invade o espaço do
consumidor sem que ele tenha permitido,
ela vira spam.
Enquanto ele não confia na marca,
todo esforço de chegar até ele pode
se tornar apenas ruído.
Lojas virtuais lutam com suas margens de
negócios cada vez mais apertadas para atrair,
vender e manter um relacionamento constante.
Marcas já estabelecidas criam canais que
permitam a conexão de seus clientes, mas é ele
quem escolhe o canal pelo qual quer se conectar.
O consumidor deixa de ser um mero leitor de
conteúdos e passa a ser um gerador, com
opiniões, resenhas de produtos, elogios,
reclamações e muitas ideias.

Para entender mais sobre o


PROSUMER: consumidor 2.0
O acesso à internet no Brasil já superou
a marca de 100 milhões de brasileiros.
Domicílios com acesso à Internet
2014 (36,8 milhões - 54,9%)
2015 (39,3 milhões - 57,8%)

Acesso à Internet via computador caiu de 76,6% (2014) para


70,1% (2015) dos domicílios

Em contrapartida, houve crescimento na conexão de Internet


via smartphones, de 80,4% para 92,1% dos domicílios.

Os dados são do Suplementeo da PNAD 2015


O uso da internet se expande em
todas as classes sociais e torna o
marketing digital primordial para
qualquer tipo de empresa.
Tornou-se imprescindível entender como os
consumidores querem usar essa tecnologia para
se manter conectados 24 horas por dia.
Com tantas ferramentas e tecnologias, o
profissional de marketing se vê desafiado a
conhecer uma grande gama de terminologias
empregadas no mercado de marketing digital e
também as técnicas e ferramentas empregadas
nesse novo cenário.
Os principais
conceitos de
Marketing
Quando usamos o termo marketing digital,
estamos falando do marketing que já
conhecemos aplicado ao ambiente digital.
Por isso é importante que tenhamos claro todos
os principais conceitos do marketing tradicional
para entender sua essência.
Segundo Kotler, o marketing é a
atividade humana dirigida para
satisfazer necessidades e desejos por
meio de troca.
No ambiente digital, isso não é
diferente. Precisamos conhecer os
desejos do nosso público-alvo para
satisfazê-lo.
Quando montarmos qualquer
estratégia de marketing, seja ela digital
ou não, o PROSUMIDOR será sempre o
centro de qualquer decisão.

Pra saber mais: “O comportamento do


público nas redes sociais”
Um processo de troca, como o
sugerido na definição de Kotler,
pressupõe pelo menos duas
partes envolvidas.
Essas partes devem ter algo de
valor uma para a outra.
Por exemplo, as marcas ofertam seus
produtos, e os consumidores os compram
para satisfazer seus desejos.
No ambiente digital esse processo
é o mesmo, só que ocorre através
de outros meios.
Muitas vezes, esse consumidor, que é o
mesmo que é impactado pelas mídias
tradicionais, pode apresentar outros
comportamentos, antes limitados pela falta
de canais de comunicação entre ambos.
Assim como o consumidor libera
informações que podem ser monitoradas e
categorizadas, as marcas são encontradas e
selecionadas através de critérios que sofrem
influência desse novo ambiente.
Logo, para planejar o marketing digital
passaremos por etapas comuns ao
planejamento do marketing tradicional e por
outras relacionadas com esse novo ambiente.
Os principais
conceitos de
marketing 4Ps
Um conceito importante do marketing
tradicional que também deve ser utilizado é o
que define o composto de marketing formado
pelos 4Ps: produto, preço, praça e promoção.

Cada parte desse composto forma uma


equação que ajuda no planejamento.
Produto
É o que será oferecido pelas empresas no
processo de troca para satisfazer o consumidor.
Preço
É o fator que estabelece as condições em que
essa troca vai ocorrer.
Praça
Diz respeito ao local da troca.
Promoção
Forma como o produto será comunicado para
estimular essa troca.
A definição desse mix de marketing no ambiente
digital será auxiliada por ferramentas que ajudam
a entender como deve ser esse produto para
atender aos anseios do consumidor, que preço é
o melhor para fazer a oferta, em que lugar e de
que forma o cliente vai encontrar comodidade
para efetuar sua compra - e como e onde tudo
isso será comunicado.
A análise do ambiente
Sempre que vamos efetuar um planejamento
devemos pensar em duas coisas importantes:

Qual é a melhor estratégia?

Como vamos executá-la?


Para isso o primeiro passo é entender o ambiente
em que esse processo de troca vai acontecer.
Macroambiente
Temos primeiro que entender o macroambiente,
ou seja, aquele que nos fornece todas as variáveis
que podem de alguma forma impactar nossas
decisões, como, por exemplo, políticas
econômicas, o ambiente demográfico, as
tecnologias disponíveis, o ambiente cultural e
assim por diante.
Macroambiente
Depois disso, precisamos entender o
microambiente, que se refere ao mercado no
qual o produto ou serviço está inserido e quem
são, e como atuam, seus concorrentes.
As informações para entender o macro e o
microambiente podem, em parte, ser obtidas
através de ferramentas de monitoramento na
web e por estudos “netnográficos”.

Pra saber mais: Netnografia: o estudo da


influência do consumidor 2.0
A análise do ambiente
– SWOT
Munidos dessas informações, vamos usar outra
ferramenta que ajuda a avaliar esse cenário, a
matriz SWOT.

Essa matriz vai organizar as informações em


quatro quadrantes que são:
AMBIENTE INTERNO
Forças: olhando para o ambiente interno, ou seja,
para a empresa, separar nesse quadrante tudo o
que representa as forças que o produto ou
serviço possui.

Fraquezas: também olhando para o ambiente


interno, separar nesse quadrante todas as
fraquezas que o produto ou serviço possui.
AMBIENTE EXTERNO
Oportunidades: com base na análise do
ambiente, colocar nesse quadrante todas as
oportunidades existentes no mercado analisado.

Ameaças: também com base na análise do


ambiente, colocar nesse quadrante todas as
possíveis ameaças ao produto ou serviço.
A matriz SWOT vai ajudar a clarear como
devemos comunicar o produto para o nosso
consumidor proativo.
Por exemplo, se temos um produto cuja
força é realmente um diferencial no
mercado em que ele está inserido, devemos
usar esse diferencial na comunicação.
Se encontrarmos oportunidades no ambiente
analisado para inserir o nosso produto ou serviço,
também devemos de alguma forma reforçar a
comunicação para que o consumidor reconheça o
valor no processo de troca.
Ameaças e fraquezas devem ser
corrigidas quando possível.
Digamos que um produto está ameaçado
pela alta do dólar e que não vale a pena no
momento incentivar a sua venda.
O esforço de marketing pode,
momentaneamente, ser direcionado
para outro produto.
Ou, se vemos que um serviço está com
problemas, devemos imediatamente corrigí-lo
ou minimizá-lo.
A análise do ambiente –
matriz de confrontação
A partir da matriz SWOT, criamos a matriz de
confrontação, que vai organizar as estratégias
para cada um dos pontos analisados.
Agressiva: deve ser usada quando o produto ou
serviço tem força e existe uma oportunidade de
mercado para ele.
Se essas duas coisas se cruzam, é hora
de montar uma estratégia agressiva de
divulgação do produto/serviço.
Ajustes: ocorre quando os pontos fortes de um
produto ou serviço se deparam com uma ameaça
de mercado, sendo hora de pensar em proteção e
recuperar forças.
Defensiva: se aplica quando existe uma
oportunidade clara no mercado, mas o
produto/serviço não tem forças suficientes
para explorá-la, sendo necessário criar
condições que permitam fortalecê-lo.
Isso pode passar por contratar novos
talentos, modificar o produto, fazer ajustes
em preço e margens e olhar atentamente
para a concorrência.
Sobrevivência: é usada no pior dos
cenários, quando o produto ou serviço está
ameaçado por fatores externos e não
possui nenhum tipo de ponto forte capaz
de garantir sua sobrevivência.
Essa é a hora de pensar quais armas eficazes
podem ser criadas para reverter a situação.
Essa análise vai ajudar a indicar onde concentrar
esforços e como usar o orçamento disponível
para gerar o melhor resultado.
Uma boa estratégia de marketing, seja
tradicional ou digital, precisa
considerar todos esses pontos.
O que pode mudar no âmbito digital é o uso de
ferramentas específicas que ajudam a obter
informações de forma contínua e também o uso
de novas plataformas para divulgação do
produto/serviço que podem ser ajustadas a
qualquer momento.
Todos os conceitos do marketing
tradicional serão aplicados no
planejamento do marketing digital.
Terminologias do
marketing digital
É comum nos depararmos com termos
desconhecidos quando iniciamos o trabalho no
marketing digital.
Com a quantidade de tecnologia e
recursos existentes, novos termos vão
aparecendo e sendo incorporados ao
dia a dia desse profissional.
Para facilitar o entendimento e o aprendizado
nessa disciplina, vamos traduzir aqui os termos
mais comuns.
Hospedagem: como tudo na internet precisa
estar em algum servidor conectado à rede,
usamos o termo hospedagem para falar do site
mantido em um desses servidores.

Costumamos dizer que o site está hospedado em


um provedor, ou seja, ele está em um servidor
dentro do prestador de serviço.
Termos para mensuração de visitas ao site: na
disciplina de métricas e monitoramento, você já
deve ter visto termos como visita, página,
exibições e assim por diante.

É importante compreender cada uma dessas


medidas e qual o seu significado para podermos
controlar tudo o que vai acontecer em um site.
Mashups: O termo Mashup veio da música,
mais especificamente da eletrônica e
significa misturar.

Segundo o Wikipedia, mashup é um site


personalizado ou uma aplicação web que usa
conteúdo de mais de uma fonte para criar
um novo serviço completo – mas essas
partes não estão no mesmo servidor em que
seu site está.
Widgets: aplicações criadas para rodar em
diversas plataformas; palavra significa acessório.

Como exemplo, temos as caixas que mostram


conteúdo das redes sociais dentro de sites,
aplicativos que fornecem funcionalidades
específicas e que são adicionados a um site.
Crowdsourcing: são sistemas
colaborativos com um fim específico, que
pode ser comercial ou não.
Crowdsourcing é o processo de obtenção de
serviços, ideias ou conteúdo necessários
solicitando contribuições de um grupo variado de
pessoas e, especialmente, a partir de uma
comunidade on-line, em vez de usar
fornecedores tradicionais, como uma equipe de
funcionários contratados.
Esse processo é frequentemente utilizado para
subdividir um trabalho tedioso, uma pesquisa,
levantar fundos para empresas iniciantes e
instituições de caridade, mas também pode
ocorrer off-line.
O crowdsourcing combina os esforços de
voluntários ou trabalhadores de tempo parcial
num ambiente onde cada colaborador, de sua
própria iniciativa, adiciona uma pequena parte
para gerar um resultado maior.
Plataformas de
marketing digital
As estratégias do marketing tradicional
estão atreladas a mídias e recursos do
ambiente off-line.
Podemos criar anúncios para revistas,
televisão, criar aparatos para o ponto de
venda, folhetos etc.
Para cada mídia ou recurso, temos
que pensar diferente.
A linguagem do anúncio da revista pode não
funcionar para o folheto que vai estar no
ponto de venda ou mesmo para anúncio que
será veiculado na TV.
No caso do marketing digital, não é diferente.

Precisamos entender as plataformas


de tecnologia que vamos utilizar
para criar estratégias específicas
para cada uma delas.
Escolher uma plataforma faz parte da
estratégia, mas para cada uma delas vamos
usar a linguagem e os recursos adequados.
Sites e portais
É quase impossível pensar em uma
estratégia de marketing digital sem que se
tenha uma presença na web.
As empresas criam seus sites institucionais,
sites de produtos, hotsites (que são aqueles
com um tempo de vida específico) e landing
pages, que são páginas de entrada para
campanhas digitais.
Os portais são sites com uma distribuição de
conteúdo diferenciada que funcionam como
um concentrador de outros sites ou subsites,
que podem estar em outras empresas.
Os portais mais conhecidos, como UOL, Terra,
iG, podem ser usados como parte da estratégia
de divulgação de banners.
Mídias sociais
As mídias sociais são vitais no
marketing digital.
Cada vez mais, pessoas conectadas à internet
acessam algum tipo de mídia social.
Blogs, sites de armazenamento multimídia,
Wikipedia, plataformas de redes sociais, sites
com espaços para comentários, e que de
alguma forma incentivem a participação dos
usuários, resgatam um dos nossos
comportamentos mais básicos: ser social.
As mídias sociais vão se enquadrar nas
estratégias de relacionamento, colaboração
e amplificação de forma duradoura.
Email marketing
As plataformas de email marketing ainda
desempenham um papel fundamental nas
estratégias de marketing digital.
Elas são importantes quando queremos
compartilhar assuntos muito longos, comunicar
ofertas para um público muito específico e
ofertar serviços de forma segmentada.
O aperfeiçoamento das plataformas de
email marketing tem garantido a
sobrevivência desse recurso e ajudado,
principalmente, os sites de comércio
eletrônico a garantir um relacionamento
contínuo com seus consumidores.
Plataformas de busca
As buscas por um assunto, produto ou
qualquer outro conteúdo na internet se dá
através de mecanismos chamados de “search
engines”, que encontram a informação
buscada através de palavras-chave e
apresentam ao usuário uma lista daquelas
que estão de acordo com o que foi buscado.
As plataformas de busca também
desempenham um papel importante dentro
do marketing digital, já que todo site deve
ser pensado e construído para ser
encontrado facilmente pelo seu público.
Além do que chamamos de resultado de
busca orgânica, existe também a
possibilidade de se investir em links
patrocinados, ou seja, é possível aparecer em
posição de destaque no resultado de uma
busca, através de pagamento.
A plataforma mais difundida no
mercado de links patrocinados é
o Google AdWords.
Links
patrocinados
para busca
da palavra
“viagem eua”
no Google.
Plataformas mobile
Com o crescente número de usuários
acessando a internet através de seus
dispositivos móveis, as plataformas
mobile também ganharam importância
nas estratégias de marketing digital.
Seja através de aplicativos, colaborativos ou
não, do uso de QR Codes ou até mesmo da
tecnologia RFID (Radio Frequency
Identification), a grande maioria das
campanhas é pensada para estar de alguma
forma em um dispositivo móvel.
Essa campanha dos
postos Ale por meio
do aplicativo Waze
mostra como uma
empresa pode criar
uma ação de
marketing digital
usando um
aplicativo que não
seja o seu próprio.
Já este exemplo
mostra o aplicativo
Ex-Lover Blocker,
criado exclusivamente
para a campanha de
Dia dos Namorados do
Guaraná Antarctica.
Plataformas de vídeo
Os vídeos para internet foram difundidos
através de plataformas como o Youtube
e Vimeo, e a possibilidade de acesso
através de celulares com internet cada
vez mais rápida aumentou a importância
dessa mídia.
Além dos vídeos convencionais, podemos
ter vídeos imersivos, que são aqueles que
permitem uma experiência semelhante ao
videogame ou vídeos interativos, nos quais
a ação pode ser modificada através da
interação do usuário.
Os vídeos também são muito
utilizados em campanhas de
marketing viral.
Vídeo The
Candidate, da
Heineken, que
mostra um processo
seletivo nada
convencional.
As plataformas de vídeo também podem
ser utilizadas para a criação videocasting,
programas gerados em vídeo que podem
ser utilizados para contar uma história
em formato de série.
Websérie “O mistério
do sutiã encardido”,
criada pelo sabão Ace,
que foi divulgada em
seu canal no Youtube.

Vários vídeos
contavam trechos da
história, que era
desvendada no último
episódio, sempre de
forma bem-humorada.
Plataformas de games
É possível usar plataformas de games para
ações de branded entertainment.

As marcas podem criar personagens ou


colocar suas marcas em pontos específicos
do jogo para que a marca seja vista e exista
algum tipo de interação com o usuário.
Também é possível criar o seu próprio
game. Um exemplo é o do Live Frog, criado
para a empresa Allianz Seguros, cujo
objetivo era educar os jogadores para os
perigos do trânsito.
Live Frog, criado
para a Allianz
Seguros, para
educar sobre os
perigos do
trânsito com
mensagens
educativas.

Os mais
pontuados
recebiam prêmios
da marca.
Plataformas de
podcasting
Podcasting é uma série de programas
publicados na internet com arquivos de
áudio digital conhecidos como podcast, o
equivalente a uma rádio digital.
Ela pode servir para criar séries com
entrevistas ou educacionais ou mesmo ser
mais um canal de comunicação de uma marca
com um consumidor.
Servem, por exemplo, para dar explicações
sobre produtos, divulgar entrevistas feitas
nas rádios convencionais, publicar posts de
um blog em áudio, criar séries como um
programa de rádio etc.
Hostcast

Podcasting da
empresa Hostnet
sobre o mercado
de hospedagem
de sites.
Uma vez conhecidas todas as possibilidades,
as campanhas de marketing digital podem
ser desenvolvidas nas plataformas que mais
se adequem ao seu consumidor.
Atividade proposta
Uma empresa de hospedagem de sites ao
iniciar o planejamento de marketing digital
obteve informações para montar sua
matriz SWOT.

Separe os itens apresentados em forças,


fraquezas, oportunidades e ameaças e
monte a matriz SWOT.
1. Custo de aquisição de servidores em queda;

2. Equipe de suporte e desenvolvimento qualificada;

3. Planos de hospedagem diferenciados do mercado;

4. Aumento do número de pequenas empresas usando


blogs para sua comunicação;

5. Nome da marca reconhecido no mercado como serviço


de qualidade;
6. Grande número de usuários recomendam a marca;

7. Amazon entra no mercado oferecendo os mesmos serviços;

8. Atendimento 24 x 7;

9. Nenhuma reclamação registrada no site “Reclame Aqui”;

10.Sem caixa para novos investimentos;

11.Equipe pequena para suportar ampliação.


Chave de resposta
FORÇAS:
2. Equipe de suporte e desenvolvimento qualificada;
3. Planos de hospedagem diferenciados do mercado;
5. Nome da marca reconhecido no mercado como serviço de
qualidade;
6. Grande número de usuários recomendam a marca;
8. Atendimento 24 x 7;
9. Nenhuma reclamação registrada no site “Reclame Aqui”.

FRAQUEZAS:
10. Sem caixa para novos investimentos;
11. Equipe pequena para suportar ampliação.
OPORTUNIDADES:
1. Custo de aquisição de servidores em queda;
4. Aumento do número de pequenas empresas usando blogs
para sua comunicação.

AMEAÇAS:
7. Amazon entra no mercado oferecendo os mesmos serviços.
Referências
Conteúdo formatado para apresentação e revisado, acrescentando
novos links, exemplos e conteúdos, com base no material da
disciplina Planejamento de Marketing Digital, do MBA
Comunicação e Marketing em Mídias Digitais, da Universidade
Estácio de Sá.
GABRIEL, Martha. Marketing na era digital: conceitos, plataformas e
estratégias. Novatec Editora, 2010

HOSTNET. HostCast.

MATTA, Norma. Ação criada pela Espalhe junta postos ALE e Waze.

MATTA, Norma. Allianz Seguros usa game Live Grog para divertir e ensinar

MATTA, Norma. Dia dos namorados sem recaída com Guaraná Antarctica.

MATTA, Norma. O mistério do sutiã encardido no Facebook.


Exercícios de fixação
Questão 01
Das afirmativas abaixo qual está incorreta quando falamos de
motivos para se investir em marketing digital?

a) O aumento do uso de dispositivos móveis com acesso à internet.


b) A necessidade de ser ter somente um canal de comunicação com os clientes.
c) O aumento de usuários utilizando redes sociais.
d) A necessidade de investir em formas para ser encontrado na internet.
e) O novo hábito do consumidor de emitir opiniões sobre produtos e serviços
nas mídias sociais.
Questão 02
Qual das afirmativas abaixo corresponde a definição dada por
Kotler para o marketing?

a) Atividade que serve exclusivamente para melhorar o processo de compra


dos consumidores de uma marca.

b) Processo de divulgação de produtos e serviços em veículos de comunicação.

c) Atividade que une consumidores de uma marca em prol do mesmo objetivo.

d) Atividade humana dirigida para satisfazer necessidades e desejos por meio


de troca.

e) Atividade que permite às empresas conectar consumidores sem o uso


expresso de mídias convencionais.
Questão 03
O composto de marketing ou marketing mix é formado por:
a) Preço, produto, oferta e divulgação

b) Preço, produto, praça e promoção

c) Promoção, ponto de venda e produto

d) Produto, preço e promoção


Questão 04
Analisando o macroambiente e o microambiente para montar sua
matriz SWOT, o analista de marketing levantou os seguintes pontos:
I. Existe a possibilidade de alta do dólar nos próximos 12 meses.

II. Um número expressivo de empresas estrangeiras está entrando no mercado com preços
bastante competitivos.

III. O produto da empresa é citado nas mídias sociais como o melhor produto do mercado.

IV. A equipe é forte e competente para criar novos produtos.

V. O caixa da empresa não suporta novos investimentos no curto prazo.

Das afirmativas acima quais podem ser consideradas como força na análise SWOT?

a) I e III b) II e V c) III e IV d) II e IV e) I e V
Questão 05
Ao analisar a sua matriz SWOT, a analista descobriu que existe uma grande oportunidade
no mercado, mas que seu produto ainda não possui as características necessárias para
aproveitá-la; além disso, será necessário um investimento de médio prazo para colocar um
novo produto no mercado. Felizmente não existe nenhuma ameaça eminente no mercado,
mas alguns de seus concorrentes podem estar preparados para essa oportunidade.

Com base no que está descrito, qual deve ser a estratégia adotada
pelo analista de acordo com a matriz de confrontação criada a
partir da SWOT?
a) Estratégia agressiva – com forte divulgação de seu produto.

b) Estratégia de ajuste – parar para recuperar forças e ajustar o que for preciso.

c) Estratégia defensiva – prestar atenção na concorrência, enquanto planeja como se


defender.

d) Estratégia de sobrevivência – recuar completamente.


Questão 06
Em uma campanha de marketing digital, parte da verba será investida em banners que
deverão ser veiculados somente em grandes portais.

Com base nessa afirmativa, podemos afirmar que está correto o


analista colocar os seus investimentos nos seguintes lugares:

a) UOL, Terra e Facebook

b) iG, Terra e UOL

c) Facebook, Google e UOL

d) Google, Yahoo e Pinterest


Questão 07
A empresa XPTO resolveu investir em mídias sociais para estreitar o relacionamento com
seus clientes. A primeira sugestão do analista de marketing digital foi criar um blog com
dicas de utilização do produto e espaço para comentários e opiniões dos consumidores.

Como base no que está descrito podemos afirmar que:

a) Se a decisão era investir em mídias sociais, o analista fez uma sugestão incorreta, já
que um blog é apenas um site e não uma mídia social.

b) O primeiro investimento da empresa deveria ser na criação de um comércio


eletrônico, como plataforma de mídia social.

c) A sugestão do analista é válida, pois blog também é mídia social.

d) A sugestão está incorreta, pois o certo seria investir no Google AdWords.


Questão 08
Das opções abaixo qual não contém plataforma de
marketing digital?
a) Site, portal, rede social

b) Plataforma de email marketing, plataformas de busca

c) Plataformas mobile, portal

d) Rede social, servidor web


Questão 09
Uma equipe de marketing digital recebeu o desafio de apresentar uma nova campanha
para contar a história de seu produto através de uma websérie, usando videocasting.

Das alternativas listadas abaixo qual contém plataformas capazes


de suprir essa necessidade?
a) Facebook e Topsy

b) Youtube e Vimeo

c) Yahoo e SCUP

d) Terra e Socialmention

e) iG e aplicativos para mobile


Questão 10
Uma empresa realizou uma série de entrevistas em rádios locais sobre o lançamento de
um novo produto e agora quer usar esses arquivos de som das entrevistas para criar uma
espécie de programa de rádio na web.

Para isso ela deve usar uma plataforma de:


a) Rede social

b) Videocasting

c) Podcasting

d) Games

e) Email marketing
Chaves de resposta
Exercícios de fixação -
Aula 01
Questão 1 - B: Justificativa: As marcas hoje estabelecem vários canais
de comunicação com seus clientes, apoiadas pelo marketing digital. As
demais afirmações estão corretas;

Questão 2 - D: Justificativa: A quarta alternativa corresponde à


definição usada por Kotler para a atividade de marketing. As demais
alternativas estão incorretas;

Questão 3 - B: Justificativa: O marketing mix é composto por produto,


preço, praça e promoção, e é conhecido como os 4Ps do marketing;
Questão 4 - C: Justificativa: As afirmativas III e IV são forças da
empresa, pois se referem ao que a empresa tem de bom em seu
ambiente interno. As afirmativas I e II são ameaças, e a afirmativa V é
uma fraqueza.

Questão 5 - C: Justificativa: Quando a oportunidade cruza com um


ponto fraco da empresa, a melhor estratégia é a defensiva. Note que
não existem ameaças e que o analista não sabe como está a
concorrência. A estratégia agressiva deve ser usada quando os pontos
fortes cruzam com as oportunidades; já a de ajuste quando os pontos
fortes cruzam com ameaças; e a de sobrevivência quando pontos fracos
cruzam com ameaças.
Questão 6 - B: Justificativa: iG, Terra e UOL são portais; se a verba
deve ser aplicada somente em portais, essa é a alternativa correta.
Facebook é uma plataforma de rede social, e o Google é um site de
buscas. Yahoo também é portal; mas o Pinterest é outra plataforma
de rede social.

Questão 7 - C: Justificativa: Blog é uma mídia social, portanto a


sugestão está correta. Uma plataforma de comércio eletrônico pode
até ter espaço para comentários de usuários, mas ela por si só não é
uma plataforma de mídia social. E o Google AdWords não é
plataforma de mídia social.
Questão 8 - D: Justificativa: Um servidor web não é uma plataforma
de marketing digital: ele serve para hospedar aplicações e sites, mas
não como ferramenta de marketing digital. As demais alternativas
estão corretas.

Questão 9 - B: Justificativa: As plataformas de vídeo são Youtube e


Vímeo. Embora seja possível colocar vídeos no Facebook e veiculá-los
em alguns portais, todas as demais opções contêm ferramentas que
não são para esse fim.

Questão 10 - C: Justificativa: Plataformas de podcasting são


utilizadas para divulgar arquivos digitais de som ou podcast.
Portanto, a alternativa correta é a terceira.
Aula 1: Introdução aos conceitos
de Marketing Digital

Planejamento de Marketing Digital