Você está na página 1de 3

Cálculo Diferencial e Integral IV – Integral Dupla

2.6 Integral dupla em coordenadas polares


Veremos em breve, que em certos problemas, dependendo da região de integração “D”, o
cálculo da integral dupla é facilitado quando trabalhamos em coordenadas polares.

2.6.1 Coordenadas polares


Em geral, podemos localizar um ponto no plano através das suas coordenadas

retangulares. Entretanto, em algumas situações, é conveniente localizar um ponto através das

suas coordenadas polares. Essas coordenadas fornecem a posição de um ponto com relação a

um ponto fixo (pólo) e um raio fixo (eixo polar).

y A(x,y)
A(r,θ)

r
θ

P
x
coordenadas retangulares coordenadas polares

2.6.2 Mudança de coordenadas

Fazendo o pólo P coincidir com a origem do plano cartesiano, temos:

y A(x,y)

r
θ

x y
cosθ = ⇒ x = r.cosθ senθ = ⇒ y = r.senθ r= x2 + y2
r r

21
PDF created with pdfFactory trial version www.pdffactory.com
Prof. Ms. Robson Rodrigues da Silva

2.6.3 Cálculo da integral dupla em coordenadas polares


Vamos agora ver como transformar uma integral dupla dada em coordenadas retangulares
para coordenadas polares.

D D

coordenadas retangulares coordenadas polares

Observações

a) Medida de um arco em radianos: medir um arco em radianos significar “contar” quantas


vezes o raio da circunferência cabe nesse arco. Assim, 1 radiano é a medida de um arco cujo
comprimento é igual ao raio da circunferência. Observe o exemplo abaixo:

θ = 3 rad
θ l = 6 cm
r = 2 cm
l
θ= ⇒ l = θ.r
r

b) A mudança de coordenadas
Observando que ∆S ≅ ∆l.∆r e lembrando que ∆l = r. ∆θ segue que ∆S ≅ r. ∆r.∆θ.

∆r ∆l Assim, fazendo ∆S → 0 temos: dS = r.drdθ

∆θ

Logo, temos que em coordenadas retangulares dS = dxdy e em coordenadas polares dS = r.drdθ.


Assim, dada uma integral dupla em coordenadas retangulares, podemos fazer uma mudança de
variáveis e escrevê-la em coordenadas polares.

22
PDF created with pdfFactory trial version www.pdffactory.com
Prof. Ms. Robson Rodrigues da Silva

∫∫ f (x, y)dS = ∫∫ f (r cos θ, r sen θ)rdrdθ


D D

Exemplo 1. Calcule ∫∫ x 2 + y 2 dS onde D = {(x,y) ∈ R2 / x2 + y2 ≤ 4, x ≥ 0 e y ≥ 0}.


D

Exemplo 2. Calcule o volume do sólido delimitado pelo parabolóide z = 1 – x2 – y2 e o plano z = 0.


z

y
x

Exemplo 3. Calcule o volume do sólido delimitado pelo cilindro de equação x2 + y2 = 4 e pelos


planos z = 0 e z = 4 – y.
z

z=4-y

Exemplo 4. Utilizando integral dupla, calcule a área de um círculo de raio r e centro na origem.

23
PDF created with pdfFactory trial version www.pdffactory.com