Você está na página 1de 16

EMbriologia

(DESENVOLVIMENTO HUMANO)

Nome:…………………………………………………………………….

BIOMEDICINA

Fonte: h​ ttp://abcnews.go.com/amp/Technology/wireStory/oregon-scientists-human-gene-embryo-editing-us-48882536

Profas. ​ Eliete Cavalcanti​ (3F) ​


LUCIANA MAIA (3E)
RECIFE, 2018_2

EMbriologia
 
 
  A  Embriologia  ou  Desenvolvimento  humano  corresponde  ao  estudo  de  um 
processo  contínuo  que  se  inicia  no  momento  fecundação  de  um  ovócito  por  um 
espermatozóide,  continuando  com  os  processos  de  divisão  celular,  migração,  morte 
celular  programada  (apoptose),  diferenciação,  crescimento  e  o  arranjo  celular  que 
transformam  o  produto  da  fertilização  do  ovócito  fecundado,  o  zigoto,  em  um 
organismo humano multicelular. 
 
O  estudo  do  desenvolvimento  pré-natal  humano  é  convencionalmente  dividido 
em:  a)  um  período  embrionário,  com  início  na  1​a​.  semana  e  término  na  8ª  semana  de 
desenvolvimento;  b)  um  período  fetal,  que  corresponde  da  9ª  semana  até  a  38​a​. 
semana de desenvolvimento. 
 
O  período  embrionário  compreende  a  fase  inicial  do  desenvolvimento,  no  qual  o 
plano tridimensional básico da espécie emerge e os órgãos e tecidos são formados. 
 
O  período  fetal  envolve  os  processos  de  maturação  estrutura  e  funcional  dos 
órgãos e sistemas.
 
É  certo  que  mudanças  importantes  ocorrem  nos  períodos  posteriores  ao 
desenvolvimento  pré-natal:  infância,  adolescência  e  início  da  idade  adulta,  porém  não 
serão alvos do nosso curso.
 
 
 
GAMETOGÊNESE

A  reprodução  sexual  é  um dos processos que permite a continuidade da espécie. 


No  ser  humano,  o  processo  de  reprodução  sexual  envolve  duas  células  especializadas, 
denominadas  gametas  ou  células  sexuais.  O  ciclo  reprodutor  tem  início  na  fase  da 
puberdade,  no  momento  em  que  os  hormônios  masculino  e  feminino  são  produzidos em 
altas concentrações.

ESPERMATOGÊNESE

O  sistema  reprodutor  masculino  compreende  os  testículos,  epidídimos  e  os 


demais ductos e glândulas acessórias.
 
Testículos  ou  gônadas  masculinas,  órgãos  pares  localizados  dentro  da  bolsa 
escrotal,  são  responsáveis  pela  produção  de  espermatozóides,  e  pela  secreção  dos 
hormônios  sexuais.  Esta  gônada  é  constituída  de  estruturas  tubulares  denominadas 
túbulos  seminíferos.  Entre  os  túbulos  seminíferos  estão  localizadas  as  células  de 
Leydg  inseridas  no  tecido  intersticial,  sendo  responsáveis  pela  síntese  de 
testosterona.
Um  sistema  de  ductos,  constituídos  pelos  túbulos  retos,  rede  testicular  e 
ductos  eferentes,  epidídimo,  ductos  deferente  e  o  ejaculador,  responsáveis  pela 
coleta,  armazenamento,  maturação  e  condução  dos  espermatozóides  a  partir  dos 
testículos.  Os  ductos  ejaculatórios  convergem  para  a  uretra,  a  partir  da  qual  os 
espermatozoides são lançados para o exterior.

As  glândulas  exócrinas,  o  par de glândulas seminais e bulbouretrais de Cowper e 


a  próstata  secretam  um  líquido  nutritivo  e  lubrificante  chamado  líquido  seminal, 
através  do  qual  os  espermatozóides  são  conduzidos.  O  sêmen,  o  fluido  expelido 
durante  a  ejaculação,  é  constituído  por  líquido  seminal  e  espermatozóides,  mais 
algumas células descamadas do revestimento dos ductos. 
 
O  pênis  é  o  órgão  copulador.  Um  par  de  pequenas  glândulas  acessórias,  as 
glândulas  bulbouretrais  de  Cowper  secreta  um  líquido  que  lubrifica  a  uretra  para  a 
passagem do sêmen durante a ejaculação. 
 
 
AULA TEÓRICA: GAMETOGÊNESE
ESPERMATOGÊNESE
 
A espermatogênese é o processo de produção e maturação dos 
espermatozoides. Ele se dá no testículo, que também é uma glândula endócrina, cujas 
células intersticiais secretam testosterona. 
 
O  início  do  ciclo  da  espermatogênese  necessita  da  liberação  do  ​hormônio 
luteinizante  (LH) e do ​hormônio folículo estimulante (FSH) pela hipófise, os quais têm 
como alvo as células de ​Leydig e Sertoli​, respectivamente.
 
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
1) Determinar o período de início da espermatogênese; 
2) Descrever histologiacamente os testículos; 
3) Diferenciar os constituintes da parede dos túbulos seminíferos; 
4) Diferenciar as células da linhagem gaméticas da linhagem não gamética;
5) Conhecer a sequência de divisões celulares no ciclo da espermatogênese;
6) Descrever o controle da espermatogênese (interação 
hipotalamica-hipofisária-testicular);
7) Descrever a estrutura e funções da célula de Sertoli;
Localizar e citar a função das células de Leydig;
8) Descrever a espermiogênese;
9) Descrever a morfologia do espermatozoide humano.
 
1​a​. AULA PRÁTICA: ESPERMATOGÊNESE
 
OBJETIVOS PRÁTICOS:
1- Preparação - Testículo de rato –HE (Hematoxilina Eosina)
1) Testículo - 
a) Albugínea testicular
2) Túbulos seminíferos
a) Lâmina basal.
b) Células de Sertoli.
c) Espermatogônias.
d) Espermatócitos.
e) Espermátides.
f) Espermatozóides.
3) Tecido intersticial 
a) Células de Leydig
 
 
 
 
 
 
 

 
2-Preparação: Epidídimo de rato (HE)
a) Epitélio pseudo-estratificado com estereocílios.
b) Espermatozóides
 
 
 
 
 
 
 

 
3 -Preparação de Ducto deferente de rato -HE
a) Epitélio cilíndrico pseudo-estratificado.
b) Camada muscular
c) conjuntivo

 
 
 
 
 
OVOGÊNESE 
 
A  ovogênese  compreende  um  conjunto  de  processos  que  leva  a  formação  do 
gameta feminino.
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
1) Descrever as estruturas histológicas da tuba uterina útero e ovário;
2) Reconhecer os constituintes que compõem um folículo ovariano;
3) Descrever o desenvolvimento dos folículos ovarianos;
4) Descrever o fenômeno da atresia folicular;
5) Descrever o mecanismo da ovulação;
6) Definir e descrever o corpo amarelo citando sua função e seu destino;
7) Compreender o ciclo reprodutor feminino;
8) Descrever o controle hormonal do ciclo reprodutor.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2​a​. AULA PRÁTICA: OVOGÊNESE
1-Preparação de ovário de gata ou rata - (HE)
1.1Área do córtex do ovário
A) Epitélio simples ovariano
B) Albugínea ovariana
C) Estroma ovariano: Folículos ovarianos
1. Folículos primordiais
a) Ovócito primário 
b) Células foliculares planas (uma única camada)
2. Folículos em crescimento
2.2. Folículo primário 
a) Ovócito primário 
b) Zona pelúcida
c) Células foliculares cúbicas (uma única camada)
2.3. Folículo secundário
a ) Ovócito primário 
b) Zona pelúcida
c) Células foliculares cúbicas (a partir de duas camadas)
3. Folículo maduro, terciário ou De Graaf
a) Ovócito secundário
b) Zona pelúcida
c) Cumulus Oophorus
d) Antro folicular
e) Camada granulosa
f) Tecas foliculares interna e externa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3. Folículo atrésico/HE
Folículo em processo de degeneração
a) presença de região eosinófila desorganizada
 
 
 
 
 
 
 
4. ​Região medular de ovário /HE
a) Tecido conjuntivo frouxo
b) Grandes vasos sanguíneos 

5. Corpo lúteo /HE


a) células luteínicas 
b) vasos sanguíneos entre as células luteínicas
 
 
 
 
 
 
 

2-Preparação: Tuba uterina –HE


a) Lúmen
b) Epitélio simples
c) Glândulas tubulosas
d) Camada muscular
e) Camada de tecido conjuntivo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AULA TEÓRICA: 1​a​. SEMANA DE DESENVOLVIMENTO HUMANO// 
FERTILIZAÇÃO E SEGMENTAÇÃO
 
A  primeira  semana  de  desenvolvimento  humano  envolve  os  seguintes 
acontecimentos;  fertilização,  clivagem  ou  segmentação,  compactação  e  formação  do 
blastocisto. 
  A fecundação ou fertilização corresponde ao processo biológico através do qual 
o ovócito e o espermatozóide se unem para formar uma nova célula denominada ​zigoto. 
O  zigoto  passa  por  uma  série  de  divisões  mitóticas,  denominada  ​segmentação 
ou clivagem do zigoto​.  Essas  células  resultantes das sucessivas divisões celulares são 
denominadas  ​blastômeros​.  Após  o  estágio  de  nove  células,  os  blastômeros  mudam  sua 
forma  e  se  agrupam  firmemente  uns com os outros para formar uma bola compacta de 
células.  Este  fenômeno  é denominado ​compactação. A compactação é um pré-requisito 
para a fase seguinte, ​a formação do blastocisto​.
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
1. Definir fecundação e citar o local de sua ocorrência; 
2. Descrever o transporte e a viabilidade dos gametas;
3. Identificar as fases da fecundação;
4. Descrever o processo da reação acrossômica;
5. Conhecer os resultados da fecundação;
6. Definir segmentação ou clivagem;
7. Citar as fases da segmentação;
8. Descrever o processo da compactação.
AULA TEÓRICA: 2​a​. SEMANA DE DESENVOLVIMENTO 
HUMANO//IMPLANTAÇÃO DO BLASTOCISTO
 
Durante  a  segunda  semana  de  desenvolvimento  humano  ocorre  à  implantação do 
blastocisto e formação do disco embrionário bilaminar plano. 
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
 
1. Descrever a estrutura do blastocisto;
2. Conhecer as etapas da implantação do blastocisto no endométrio;
3. Identificar o local usual da implantação do blastocisto;
4. Descrever a estrutura do endométrio no período da implantação do blastocisto;
5. Descrever a reação decidual e citar os tipos de decídua;
6. Identificar as estruturas resultantes da diferenciação do trofoblasto;
7. Descrever a diferenciação do embrioblasto em um disco embrionário bilamina plano; 
8. Descrever a formação do âmnio e do saco vitelino.
9. Descrever a formação do mesoderma extra-embrionário e do celoma 
extra-embrionário;
10.Descrever a formação do pedúnculo embrionário;
11. Descrever a formação das membranas bucofaríngea e cloacal
 
OBJETIVOS PRÁTICOS
1.Preparação de útero _HE
1.1.Endométrio 
a) epitélio simples
b) estroma
c) glândulas endometriais 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AULA TEÓRICA : 3​a​. SEMANA DE DESENVOLVIMENTO HUMANO//
GASTRULAÇÃO
 
A  terceira  semana  de  desenvolvimento  é  marcada  pela  movimentação  celular, 
levando  a  formação  do  disco  trilaminar  plano,  a  neurulação,  a  angiogênese  e 
vasculogênese
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
1. Descrever o processo de formação da linha primitiva e sua importância;
2. Explicar a formação e a importância da notocorda para a estrutura do embrião e 
feto;
3. Descrever a formação e a organização do mesoderma intra-embrionário;
4. Descrever a formação dos somitos e destacar seus derivados;
5. Enumerar os derivados dos três folhetos germinativos;
6. Descrever as etapas e objetivo da neurulação;
7. Descrever o surgimento dos primórdios do sistema vascular do embrião. 
 
3​a​. AULA PRÁTICA: GASTRULAÇÃO 
1. Preparação de Gallus gallus , montagem total (H) 
1.1. ​Área pelúcida
a) Região cefálica
b) vesículas encefálicas
c) Região Caudal
d) Tubo neural
e) Somito
1.2.Área opaca
a) Mesoderma extra-embrionário
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. Preparação de Gallus gallus , corte transversal, (H)
a) Ectoderma
b) Tubo neural
c) Somito
d) Mesoderma intermediário
e) Meosoderma lateral
1. Somatopleura
2. Esplâncnopleura
f) Celoma intra-embrionário
g) Notocorda
h) Endoderma
i) Aorta dorsal
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4​ . AULA PRÁTICA: CORDÃO UMBILICAL, PLACENTA E ENDOMÉTRIO
a​

 
OBJETIVOS PRÁTICOS
1. Preparação de cordão umbilical humano (corte transversal –HE)
a) Epitélio amniótico.
b) Geleia de Wharton.
c) Vasos sanguíneos umbilicais – duas artérias e uma veia umbilical
 
 
 
 
 
 
 

 
2. ​Preparação de placenta humana –​HE
2.1Vilosidades coriônicas
a) Sinciciotrofoblasto
b) Mesoderma extra-embrionário
c) Vasos sanguíneos da vilosidade coriônica (contém sangue do concepto)
2.2 . Espaço interviloso (contém sangue materno)
 
 
 
 
 
 
 

AULA TEÓRICA: MORFOGÊNESE /PERÍDO EMBRIONÁRIO​ /PERÍODO FETAL 


(aula teórica 19/9/2018)
A  morfogênese  corresponde  ao  período  embrionário  da  4​a​.  a  8​a​.  semana  de 
desenvolvimento.  Na  quarta  semana  ocorre  o  dobramento  do  disco  embrionário  e  tem 
início  a  Organogênse.  Todas  as  principais  estruturas  internas  e  externas  se 
estabelecem  nesse  período.  No  fim  do  período  embrionário,  o  concepto  em 
desenvolvimento adquiri um aspecto nitidamente humano. 
 
OBJETIVOS TEÓRICOS 
 
1. Descrever o dobramento do disco embrionário trilaminar;
2. Determinar o objetivo do dobramento do disco embrionário trilaminar;
3. Identificar o tempo em semanas dos embriões de acordo com as características 
externa;
4. Diferenciar um concepto do período embrionário de um do período fetal.
5. Identificar e relacionar as caracterisiticas externas do concepto na fase fetal
 
 
 
 
AULA TEÓRICA: ​ANOMALIAS CONGÊNITAS OU MALFORMAÇÕES
   
Discussão das questões abaixo no dia (21/09/2018)
 
EXERCÍCIO
 
 
1​. O que significa anomalias congênitas?
2​. Qual a relação entre um teratógeno e o período de desenvolvimento do concepto?
3​. O que a linha de pesquisa da teratologia estuda e sua importância para o 
desenvolvimento do concepto?
4​. O que significa agenesia e hipoplasia?
5​. Um medicamento tem a capacidade de perturbar o desenvolvimento do concepto? 
Sim ou não? Argumente sua resposta.
 
6​.  A  síndrome  de  Down,  também chamada trissomia do cromossomo 21, afeta cerca de 
0,2  %  dos  recém-nascidos.  A  síndrome  é  causada  pela  presença  de um cromossomo 21 
a  mais  nas  células  dos  indivíduos  afetados,  isto  é,  em  vez  de  dois  cromossomos  21,  a 
pessoa tem três.
Explique  de  forma  científica,  a  causa  da  diferença  entre  dois  indivíduos  com  essa 
síndrome,  um  dele  consegui  estudar  e  trabalhar  e  o  outro  não  possui  capacidade  para 
realizar nenhuma das duas tarefas.
 
 
7​.Em  uma  determinada  população,  que  morar  nas  proximidades  de  uma  usina  nuclear, 
existe  uma  frequência  de  10%  de  anomalias congênitas do sistema nervoso (SN) entre 
os  nascido  vivos,  tendo  como  causa  alteração  em  um  genes.  No  ano  de  2015  ocorreu 
uma  aumento  de  30%  na  frequência  dessa  anomalia  na  população.  No  ano  anterior, 
ocorreu um acidente na usina nuclear e em consequência a liberação de radiação. 
 
Marque abaixo a resposta correspondente ao texto acima sobre a causa do aumento 
da anomalia congênita nessa população.
a) anomalia congênita do SN nessa população é devido apenas aos fatores genéticos.
b) a radiação aumentou o índice da anomalia congênita do SN, portanto, nesse caso 
temos uma anomalia causada por herança multifatorial.
c) Nessa descrição acima a causa da anomalia congênita é devido a fatores 
teratogênico.
Argumente sua resposta.

 
AULA TEÓRICA :MEMBRANAS FETAIS, PLACENTA E CORDÃO UMBILICAL 
 
Membranas fetais são tecidos derivados do zigoto que separam o tecido 
materno do tecido do concepto.
 
OBJETIVOS TEÓRICOS
1. Descrever a formação do âmnio, líquido amniótico e funções;
2. Descrever a formação e importância do saco vitelino para o desenvolvimento do 
concepto;
3. Descrever a formação do alantoide e sua importância para a formação do cordão 
umbilical;
4. Descrever a origem e componentes do córion;
5. Descrever a origem, funções da placenta;
6. Compreender a diferença entre a membrana placentária e a placenta;
6. Explicar a circulação placentária;
7. Descrever a formação, as estruturas histológicas do cordão umbilical.
 
 
 
EXERCÍCIO 
DATA PARA DISCUSSÃO E ENTREGA DO EXERCÍCIO ​28/9/2018
 
1. ​Assinale abaixo a resposta ​correspeondente a questão: a proteção mecânica do 
embrião ou feto no ser humano corresponde …………………..
a) placenta b) líquído do saco amniótico c) alantaóide d) córion
2. ​A origem embriológica do âmnio é………………​.
a)  células  do  hipoblasto  b)  células  do  epiblastos  e)  células  do 
embrioblastos
3. ​O ligamento umbilical médio tem origem​ ………….
a) cordão umbilical b) placenta c) alantóid​e
4. ​Qual a contribuição do alantóide par​a a formação do cordão umbilical…..
a) formação dos vasos sanguíneos b) formação da geleia de Wharton 
c) Formação do epitélio amniótico
5. ​Qual a composição ​do líquido amniótico?
6. Qual a importância do líquido a mniótico para o desenvolvimento do concepto?
7. A diferença entrea membrana placentária e a placenta é …...
a) a placenta possui tecidos maternos e extra-fetais
b) a placenta apresenta apenas tecidos maternos
c) a membrana palcentária possui apenas tecidos extra-fetais
 
8. ​O córion​ é formado pelos tecidos……..
a) mesoderma intar-embrionário, ectoderma e endoderma
b) mesoderma extar-embrionário, sinciciotrofoblasto e citotrofoblasto
c) mesoderma extra-embrionário , trofoblasto e citotrofoblasto
d)​ ​mesoderma intar-embrionário, trofoblasto e citotrofoblasto
 
9. Cite quatro funçõs da placenta?
 
10.Descreva de forma resumida a circulação sanguínea e sua importância para o 
desenvolvimento do concepto.
 
 
BIBLIOGRAFIA 

1.​Garcia:  Embriologia  2ª.  edição  (Artemed)  (​apenas  o  capítulo  de 


espermatogênese​)

2.Keith L. Moore: Embriologia Clínica (Elsevier) (​os demais assuntos​) 

3.Carlson​, Embriologia 
4.Langman ​: Embriologia médica 12ª. Edição (Guanabara)
5. César Gómez​; Embriologia humana (Guanabara)

NOTA
1​a​. prova teórica = 6,0 1​a​. Prova prática =6,0
2​a​. prova teórica = 5,0 2​a​. Prova prática = 3,0
trabalho de extensão =2,0
ponto extra =1,0 referente aos desenhos esquemáticos dos
objetivos práticos