Você está na página 1de 21

CEAPE ESCOLA TÉCNICA

Curso Técnico em Edificações


Disciplina: Estabilidade

Aula 5
Estabilidade das construções:
Esforços e diagramas seccionais

Professor Daniel Bruno P. da Silva


Engenheiro Civil
Mestrando em Engenharia Civil (POLI/UPE)
Recife, PE
2018
Se se aumentarmos continuamente o
valor da carga P aplicada nesta viga,
onde deverá ocorrer sua ruptura, ou
seja, onde a viga irá se quebrar?

...Onde se tiver os maiores esforços solicitantes se terá as


maiores tensões, ou seja, os maiores esforços. Logo, o
engastamento é o ponto mais frágil dessa estrutura.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Esforços internos solicitantes

• Todos os corpos rígidos, ao serem submetidos a forças externas ativas (cargas) e reativas
(reações de apoio), a presentar a mudança da forma geométrica (deformações).
• As forças se transmitem internamente de um ponto a outro, em um determinado elemento
estrutural, por meio das tensões.
• A capacidade de transmissão de cargas está associada às tensões admissíveis dos materiais de
que são compostos os elementos estruturais.
• Isso significa que, dependendo do material de que é constituído determinado elemento
estrutural, maior ou menor será a sua capacidade de transmissão de cargas.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Esforços internos solicitantes

• Para o cálculo das reações de apoio


(equilíbrio de forças), não foi
considerada a capacidade de resistência
dos elementos, ou seja, partiu-se do
pressuposto de que a estrutura
efetivamente possuía capacidade de
transmitir as ações ao meio exterior.
• O objetivo da análise da estrutura
consiste justamente em permitir o
dimensionamento dos elementos para
propiciar essa transmissão.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 A deformação da estrutura deverá ser limitada
para:

• Garantir a perfeita utilização da estrutura ao longo


de toda a sua vida útil;
• Evitar a ocorrência de danos aos elementos não
estruturais (tais como fissuração das alvenarias e
mau funcionamento de esquadrias);
• Evitar a sensação de insegurança quanto à
estabilidade da estrutura (decorrente de vibrações
perceptíveis ou deslocamentos visíveis);
• Evitar o comprometimento do perfeito
funcionamento (como a drenagem de água em
coberturas e varandas).
ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS
SECCIONAIS
ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS
SECCIONAIS
O que é uma solicitação?
• Solicitação é todo esforço ou conjunto de esforços que são exercidas sobre uma ou mais
seções de um elemento da estrutura.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 As solicitações provocam na estrutura:
 A determinação dos esforços internos
é de fundamental importância para o
Tensões Normais dimensionamento correto dos elementos
estruturais.
• Compressão;  Determinados os esforços internos,
• Tração. muitas das decisões de projeto são
tomadas. Por exemplo, a escolha do
Tensão de Cisalhamento material mais adequado para execução
do sistema estrutural e as dimensões
mais adequadas dos elementos que
compõem o sistema, entre outras.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Classificação dos esforços

• Cada componente de força interna é chamada de esforço ou solicitação e está associada à


deformação do trecho da estrutura. Como hipótese, é suposto que a seção, originalmente
plana, permanece plana após a deformação.
• Os esforços podem ser:
 Normal;
 Cortante;
 Momento Fletor;
 Momento Torsor.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Esforço Normal (N)

• Tende a promover a variação na


distancia entre duas seções
paralelas entre si, mantendo-as
paralelas. Também conhecido como
esforço axial, já que as forças
atuam na direção do eixo do
elemento (e, portanto, normal à
seção transversal).
• Quando as seções tendem a se
afastar, diz-se que o trecho está
tracionado (tração). Em caso de
aproximação das seções, o trecho
estará comprimido (compressão).
ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS
SECCIONAIS
 Esforço Cortante (C)

• O esforço cortante tende a provocar nas estruturas um efeito de corte paralelo á seção. Também
conhecido com esforço cisalhante.
• O efeito da força cortante está representado pelo escorregamento das seções transversais em que
ela atua.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Momento Fletor (M)

• Tende a provocar a rotação da seção em torno de um eixo situado em seu próprio plano,
produzindo forças de tração (alongamento) em uma face e de compressão (encurtamento) na
face oposta.
• Na figura, é representado um momento fletor, segundo a convecção usual, na qual a face
tracionada é a face inferior.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Momento Fletor (M)

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Momento Torsor (T)

• Tende a promover a rotação relativa entre duas seções em torno de um eixo que lhes é
perpendicular.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
 Diagramas dos esforços

• Os diagramas de esforços solicitantes,


também chamados de linhas de estado,
representam a variação de uma
determinada solicitação ao longo da
estrutura.
• Como já se comentou, uma das
principais finalidades dos diagramas de
esforços solicitantes é permitir que se
determine a seção crítica da estrutura e
os esforços solicitantes que nela atuam.

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
Voltando para a questão inicial...

Como os momentos fletores são positivos quando


tracionam as fibras inferiores da barra e negativos
quando tracionam as fibras superiores, os momentos
fletores positivos são desenhados abaixo do eixo que
representa a viga e os negativos, acima do eixo

ESTABILIDADE: ESFORÇOS E DIAGRAMAS


SECCIONAIS
Exercícios

ESTABILIDADE: REAÇÕES DE APOIO


 Exercício 01

ESTABILIDADE: REAÇÕES DE APOIO


 Exercício 01

ESTABILIDADE: REAÇÕES DE APOIO


 Exercício 02

ESTABILIDADE: REAÇÕES DE APOIO


 Exercício 04

ESTABILIDADE: REAÇÕES DE APOIO