Você está na página 1de 2

T e n d ê n c i a s

ENSINO MÉDIO
EM TRANSE
Norberto Dallabrida e Maike Cristine Kretzschmar Ricci

A
Medida Provisória nº 746, debate ao Congresso Nacional por um sido colocado em prática em países de-
de 22 de setembro de 2016, período de 120 dias. Essa rapidez na senvolvidos, em particular por aque-
que institui a Política de aprovação da nova legislação educacio- les de perfil socialdemocrata. Desta
Fomento à Implantação das nal lembra a Lei 5.692/71, aprovada no forma, segundo a medida provisória,
Escolas de Ensino Médio apogeu do regime militar. A experiência o ensino em tempo parcial, com 800
em Tempo Integral, catalisou o debate internacional indica que qualquer refor- horas anuais, seria gradualmente subs-
sobre o ensino médio. O mal-estar so- ma educacional deve ter um tempo de tituído pelo ensino em tempo integral,
bre essa etapa da escolarização foi diag- maturação, que envolve necessariamen- tendo 1.400 horas anuais. Isto signifi-
nosticado pelos últimos ministros da te um debate com especialistas, gestores, ca o salto expressivo de um para dois
Educação, bem como por especialistas, docentes, estudantes e pais de alunos. turnos, o que implica a quase dupli-
sendo considerado o maior gargalo da Por isso, o uso de medida provisória cação da infraestrutura e do número
educação básica. O Ministério da Edu- tem provocado repúdio, especialmente de professores e coordenadores peda-
cação lançou programas com o objetivo por meio da ocupação de colégios por gógicos. No sistema educacional bra-
de dar respostas a essa situação, alguns estudantes em vários estados. O conteú- sileiro e na atual conjuntura, marcada
exemplos são o Ensino Médio Inovador do da MP nº 746 introduz mudanças pela crise econômica, essa mudança é
e o Pacto Nacional pelo Fortalecimento como o ensino em tempo integral e a praticável? Vejamos.
do Ensino Médio. O Projeto de Lei nº flexibilização curricular, que também Em primeiro lugar, devemos consi-
6.840, de 2013, também é uma tenta- são objeto de críticas, particularmente derar que o apoio financeiro da política
tiva de reformar o ensino médio, mas, de especialistas. Assim, o intuito deste de fomento à implementação das escolas
ainda em tramitação na Câmara dos texto é refletir sobre essas duas dimen- de ensino médio em tempo integral é do
Deputados, não alcançou seu objetivo. sões da atual reforma do ensino médio. governo da União. Trata-se de um fun-
O Plano Nacional de Educação (2014- do federal temporário repassado para os
2024), lançado em 2014, estabelece Ensino em tempo integral O mote estados e para o Distrito Federal em um
uma agenda e metas para a última etapa da MP nº 746 é a implementação do prazo de no máximo quatro anos. Em
da educação básica. ensino médio em tempo integral. O pa- segundo lugar, no Brasil “o professor
No entanto, de forma açodada, o rágrafo único do artigo 1º afirma que a recebe até 39% menos que profissional
governo Temer introduziu um novo carga horária anual “deverá ser progres- com igual escolaridade” (Pinho, 2016,
desenho para o ensino médio. O uso sivamente ampliada, no ensino médio, p.5), fato que desqualifica a profissão
de medida provisória para implantar a para mil e quatrocentas horas” (Brasil, docente no mercado de trabalho. A im-
atual reforma para essa fase da educação 2016, p.1). A escola em tempo integral plantação do ensino em tempo integral
é inconstitucional porque restringe o é um formato escolar consistente e tem sem a melhoria significativa da remune-

1_Abertura_69_jan_1a5.indd 4 2/6/17 3:28 PM


T e n d ê n c i a s

ração dos professores não é uma política ção, José Mendonça Bezerra Filho, vai Conclusões A MP nº 746 tem o mérito
educacional eficaz. Em terceiro lugar, a nessa direção ao afirmar: de colocar o ensino médio no centro da
escolarização em tempo integral implica pauta educacional brasileira. Essa etapa
20. É de se destacar, outrossim, que o
a ampliação expressiva da infraestrutura de escolarização merece ser debatida
Brasil é o único país do mundo que tem
das escolas, incluindo o oferecimento por especialistas e pela sociedade civil
apenas um modelo de ensino médio,
de refeições. Como as escolas das redes porque apresenta expressiva exclusão
com treze disciplinas obrigatórias. Em
públicas estaduais – responsáveis pela dos jovens de 15 a 17 anos e evasão es-
outros países, os jovens, a partir dos
grande maioria das matrículas no ensi- colar. As prescrições centrais da medida
quinze anos de idade, podem optar por
no médio – serão reformadas e reequi- provisória do governo Temer são, teo-
diferentes itinerários formativos no
padas para receber o ensino em tempo ricamente, consistentes e progressistas,
prosseguimento de seus estudos.
integral? Por fim, o ensino médio no- mas a sua operacionalização deixa a
21. Neste sentido, a presente medida
turno, que grosso modo funciona em desejar. A educação em tempo integral
provisória propõe como principal de-
condições precárias e é procurado espe- não é eficaz se as escolas não tiverem in-
terminação a flexibilização do ensino
cialmente pelas classes socialmente vul- fraestrutura adequada e, especialmente,
médio por meio da oferta de diferentes
neráveis, é excluído da proposta do novo se os professores se ressentirem de uma
itinerários formativos, inclusive a opor-
ensino médio. carreira profissional valorizada. A flexi-
tunidade de o jovem optar por uma
bilização curricular é uma ideia que tem
formação técnica profissional dentro de
Flexibilização curricular Em re- bastante adesão por parte dos especialis-
uma carga horária do ensino regular (Be-
lação ao currículo, a mudança signifi- tas em educação; mas, da forma como
zerra Filho, 2016, p.2-3).
cativa determinada pela MP nº 746 é está configurada na medida provisória,
a especialização do ensino médio, que Desta forma, a MP nº 746 prescreve pode contribuir para gerar ainda mais
quebra o atual monólito de 13 discipli- cinco itinerários formativos específicos desigualdades escolares e sociais. En-
nas distribuídas ao longo de um turno para o ensino médio – linguagens, ma- fim, a reforma educacional do governo
por semana. A formação geral e homo- temática, ciências da natureza, ciências Temer apresenta a pressa equivocada da
gênea no ensino médio foi uma reação à humanas e formação técnica e profissio- medida provisória e não dá respostas
profissionalização obrigatória imposta nalizante (Brasil, 2016, p.2) –, previstos eficazes aos impasses do ensino médio.
ao antigo 2º grau de formação geral, para a segunda parte dos três anos do
que em boa medida permanece até os ensino médio. A especialização é, peda- Norberto Dallabrida é professor na Univer-
sidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)
nossos dias. A flexibilização curricular gogicamente, sustentável, mas da forma
e pesquisador do CNPq.
teve um ensaio instigante, a partir dos como foi formulada pelo governo Temer
Maike Cristine Kretzschmar Ricci é direto-
anos 1950, com as classes secundárias apresenta no mínimo dois problemas. ra de políticas e planejamento da Secretaria
experimentais e foi inscrita na primeira Por um lado, não é seguro que todos os da Educação de Santa Catarina.
Lei de Diretrizes e Bases da Educação colégios de ensino médio irão oferecer os
Nacional (Lei 4.024/61). As experiên- cinco itinerários formativos, de sorte que, Referências
cias internacionais, sobretudo daqueles muito provavelmente, aqueles localiza-
países que estão mais bem classificados dos no interior e nas periferias das cidades Bezerra Filho, J. M. EM Nº 00084/2016/MEC.
no Pisa, indicam que o caminho é o da oferecerão a formação técnica e um outro Brasília, 15.set.2016.
Brasil. Ministério da Educação. Medida Provi-
especialização do ensino médio. O Pla- – provavelmente linguagens ou ciências
sória Nº 746. Brasília, 22.set.2016.
no Nacional de Educação prescreve que humanas. De outra parte, não está sufi- Pinho, A. “Professor recebe até 39% menos
o currículo do ensino médio renovado cientemente clara a implantação de labo- que profissional com igual escolaridade”.
deve ser diversificado e flexível. A expo- ratórios com equipamentos adequados e Folha de S. Paulo, Cotidiano, São Paulo, p.5,
sição de motivos do ministro da Educa- modernos para a formação técnica. 14.nov.2016.

1_Abertura_69_jan_1a5.indd 5 2/6/17 3:28 PM