Você está na página 1de 54

PEA 5002 – Energia Eólica: Fundamentos e Viabilidade Técnica e

Econômica
Profa Eliane Fadigas - Sala A2-38
e.mail: eliane@pea.usp.br tel: 30919839

Dewi
Programa resumido:

• Estado da arte e evolução do mercado de turbinas eólicas


• Etapas de um projeto eólico
• Escolha do sítio e mapeamento eólico
• Medição de dados de vento
• Recursos eólicos: Caracterização e tratamento de dados de vento
• Fundamentos da geração eólica – conversão de energia
• Tecnologias de turbinas eólicas
• Estimativa da produção de energia elétrica e Micrositing
• Avaliação Econômica
• Aspectos regulatórios e de comercialização
• Centrais eólicas: instalação , operação e manutenção
• Aspectos ambientais
Avaliação
Data de entrega
Lista de exercicio 1 24 / abril
Lista de exercicio 2 22/ maio
Prova 22/ maio
Nota final = ½ x (Média dos exercícios + Prova)
Os exercícios poderão ser realizados em grupos de no máximo 02 alunos
e deverão ser entregues nas datas indicadas.

Deverá constar:

Uma apresentação – com enunciado do problema


Desenvolvimento com indicações de fórmulas adotadas
Caso seja usada planilha excell – afixar a planilha no relatório
Apresentação e análise dos resultados

Não será aceito envio de exercício por E.MAIL.


Freqüência mínima nas aulas: 75%
Bibliografia Resumida

• Fadigas, Eliane. Energia Eólica. Ed1, Ed. Manole, 282p., São Paulo, 2011.
• Manwell, J. F. et all. Wind Energy Explained : Theory , Design and Apllication. Ed. John Wiley &
Sons, LTD, 2004, 569p.
• COPEL, LACTEC/ Camargo Schubert. Manual de Avaliação Técnico-Econômica de
Empreendimentos Eólio-Elétricos. Curitiba, 2007, 101p.
• Custódio, R. S. ENERGIA EÓLICA para Produção de Eletricidade. Ed. Eletrobras, Rio de Janeiro,
2007, 277p.
• Silva, G.R. Características de vento da região nordeste. Análise, modelagem e aplicações para
projetos de centrais eólicas. Dissertação (Mestrado). Recife, 2003, 131p. Universidade Federal de
Pernambuco.
• Silva, K.F. Controle e integração de centrais eólicas a rede elétrica com geradores de indução
duplamente alimentados. São Paulo, 2005, 162p. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo.
• Patel, M.R. Wind and solar power systems. 2.ed. Nova York: CRC Press, 2006, 433p
• Hau, E. Wind Turbine Applications: Fundamentals, Technologies, Application, Economics. 2.ed.
Germany: Springer, 2005, 783p.
• Material disponível no sítio da disciplina

Slides das aulas , exercícios e material adicional serão


disponibilizados no site: http://disciplinas.stoa.usp.br
Aula 1: Cenários
Conteúdo

EVOLUÇÃO DO MERCADO DE ENERGIA EÓLICA NO MUNDO


FABRICANTES DE TURBINAS EÓLICAS NO MUNDO
ESTADO DA ARTE DAS TURBINAS EÓLICAS
PERSPECTIVAS FUTURAS A NÍVEL MUNDIAL
A ENERGIA EÓLICA NO BRASIL – evolução da capacidade
instalada
FABRICANTES DE TURBINAS EÓLICAS NO BRASIL
BENEFÍCIOS DA ENERGIA EÓLICA
PERSPECTIVAS FUTURAS NO BRASIL
Histórico

Fonte: Dutra, 2001


Fonte:Renewable Energy:
Power for a Sustainable Future, Boyle G.
Evolução da capacidade instalada

Potência total instalada em 2009 = 158,5GW


Fabricantes de aerogeradores – Market share -
2011

Fonte: BTM Consult 12


Demais fabricantes
Demais
fabricantes
Plantas offshore

Fonte: GWEC- Global Wind 2009 Report


Horns Rev II, Dinamarca
Plantas offshore

Status 2011
•237 novas turbinas (EU)
•965.6 MW adicionados
•4096 MW capacidade total
acumulada
Fonte : GWEC Global Wind 2011 report
Market share - 2011 Profundidade média =
17.4m (2010)
Potência instalada em Distância média da
2011: costa – 27.1km (2010)

Siemens - 693MW Offshore


Repower – 111.7 MW
Representa:
BARD – 60 MW
-menos 2% da
capacidade total
acumulada
Participação na capacidade instalada
acumulada -2,5% do mercado de
2011
Siemens - 53%
-Previsão para 2020
Vestas - 36% não mais que 10% da
capacidade total
Repower - 5% acumulada
Perspectivas futuras: Nível Mundial

•Previsão para 2015 capacidade acumulada - 500 GW


•Até 2016 serão adicionados – 255 GW
•Taxa de crescimento = 16% ao ano
•Centrais offshore para 2020 – Entre 40 GW só na EU ( 4%
da demanda)
•280 milhões de ton de C02 evitados - EU
Tamanho dos aerogeradores > que 10 MW
Empregos na indústria (até 2020) - 2 milhões
Fonte: Working for the climate, EREC, Greenpeace EREC; Greenpeace
Estado da arte dos aerogeradores
Desenvolvimento dos
aerogeradores - Potências
Classificação dos Aerogeradores – Quanto ao tamanho

Fonte: Dewi

10 kW
50 kW

3 kW

400 W
Classificação dos aerogeradores – Quanto ao tipo de eixo
Multipás Três pás

Turbinas de

eixo horizontal

Duas pás Uma pá

Fonte:Renewable Energy:
Power for a Sustainable Future, Boyle G.
Classificação dos aerogeradores – Quanto ao tipo de eixo

Turbinas de eixo vertical

modelo Darrieus modelo V modelo H.


Fonte:Renewable Energy:
Power for a Sustainable Future, Boyle G.
Modelo Savonius – eixo vertical
Classificação com relação a posição das pás com relação a torre

vento

vento

Barlavento Sotavento
Fonte: Wind Turbine; Erich Hau
Principais componentes de
um aerogerador de eixo
horizontal

 Rotor – pás , cubo e freios


aerodinâmicos
 Transmissão Mecânica
 Gerador Elétrico (Conversor)
 Sistema de Controle e freio
mecânico
 Sistema Estrutural - torre
 Sistema de refrigeração
 Sistema de monitoramento
 Proteção
 Nacele
Aerogeradores – Tecnologia- Pás

Materiais das pás: Separação da pá

• resina reforçada com fibra de vidro


• resina reforçada com fibra de carbono
• resina reforçada com fibra de
vidro/carbono e aço

Freios aerodinâmicos

Fonte: Wind Turbine; Erich Hau


Aerogeradores – Tecnologia- Rotor

Fonte: Dewi
Aerogeradores – Tecnologia – Sistema de transmissão

EIXOS PARALELOS

Fonte: Dewi Fonte: Wind Turbine; Erich Hau

SISTEMA PLANETÁRIO
Aerogeradores – Tecnologia- gerador elétrico

Tipos de geradores elétricos :


• Gerador CC ( pequeno potência)
• Gerador CA – síncrono
• Gerador CA – Assíncrono (Indução gaiola e rotor
bobinado/ e duplamente alimentado)
• Gerador de - Imã permanente

Quanto a rotação:
• uma rotação fixa
• duas ou rotações fixas – dois ou mais geradores/
Fonte: Dewi
gerador multipolos
• rotação variável – uso de conversor eletrônico
Exemplos de conexão com rede
Aerogeradores – Tecnologia - Torres
Treliçada
Material : concreto, aço
Peso: EX: : 40t - 50 metros
para turbina de 600kW
Altura: ≥ Diâmetro das pás
Diâmetro da base > 4m

estaiada

Tubular Fonte: Wind Turbine; Erich Hau


Aerogeradores – Tecnologia - Nacele

Fonte: Wind Turbine; Erich Hau


Aplicações urbanas
CENTRAIS EÓLICAS: Definição, tamanho e design

Osório – Rio Grande do Sul - 150 MW


Millenium – Paraíba – 10,4 MW
Rio do Fogo –
RGN – 49,6 MW
Tamanho é função:
• Potência instalada
• Número de turbinas
Até 05 turbinas –
pequena fazenda
eólica
Maior Aerogerador do
Mundo em operação
(Alemanha):
Potência Nominal de 7,5
MW e diâmetro do rotor
de 126 metros.
Aerogerador ENERCON 126

Base da coluna
de sustentação
do gerador
Energia eólica no Brasil
Usina Eólicasem Operação Fonte: BIG - Aneel

• 88 Usinas
• Potência total instalada 1.934.528,20 kW
• Maior usina : Praia Formosa : 105 MW Camocim
- CE
Eólicas produziram 560 MW médios mensais de energia em
2012 - Abeeolica
Usinas instaladas no Brasil
109
Capacidade instalada (MW)
2537,7
Redução de CO2 (T/ano)
2.156.325

Fonte: Abeeolica
Usinas Eólicas em construção

• 80 Usinas
• Potência total instalada 1.989.096 kW
• Maior usina : 49600 kW
Reis dos ventos 1
Reis dos ventos 2
Localização: Galinhos – Rio Grande do Norte
Usinas Eólicas outorgadas

• 208 Usinas
• Potência total instalada 5.617.925 kW
• Maior usina : Salina Diamante Branco
Potência = 200000 kW
Localização: Galinhos – Rio Grande do Norte
Brasil : Perspectivas

-Potencial 350 GW – grande potencial a ser explorado


- Crescimento de 56%
- Mais 08 fábricas instaladas: Wobben/Enercon; Impsa, Siemens,
Suzlon, Vestas , Gamesa, GE wind, Furlander. Embraer/Weg
- Revisão do PDE – participação das fontes alternativas – Leilão
decide os percentuais de cada fonte
- Leilão de energia de reserva ( Política de Governo) – limitado
- Crescimento no número de empregos gerados
- Capacitação profissional
- Uso de aerogeradores de 3MW
- Receita com a venda de créditos de carbono
Inserção eletroenergética no Brasil

Potencial para expansão das eólicas:

• Potencial significativo para instalação de nova capacidade – Estima-se um


potencial em torno de 350GW de acordos com novos mapeamentos
• Complementaridade geográfica com outras fontes renováveis
• Sinergia significativa entre as fontes
• Padrão da produção das usinas da região nordeste e da bioeletricidade é
complementar aos das usinas hidrelétricas
• A produção de energia contra-sazonal de fontes renováveis equivale a
aumentar virtualmente a capacidade dos reservatórios
• As energias complementares tem tempos de construção menores que as
hidrelétricas
Primeira turbina eólica instalada no Brasil

Potência = 75 kW ; Local : Ilha de Fernando de Noronha


Millenium – Paraíba – 10,4 MW
Osório – Rio Grande do Sul -
150 MW
Rio do Fogo – RGN –
49,6 MW
Horizonte – Santa Catarina – 4,8 MW

Água Doce– Santa Catarina


– 9,0 MW
Parque Eólico de Taíba - Suzlon
Ranking dos empreendedores eólicos no Brasil:
Proinfa+leilões 2009 e 2010+ mercado livre

Fonte: ABEeólica (apud notícia do Valor Econômico de 8,9,10 de abril de 2011)


Demais empreendedores
 Construtora Andrade Gutierrez
 Bioenergy
 Bons Ventos Geradora de Energia
 Brennand
 Brookfield , Casa dos Ventos , Enel Green Power , Galvão Energia, EFACEC do Brasil,
Eletrowind, EPP Energia. Energio. Eólica Tecnologia. Ecopart Investimentos. MML
Energia Elétrica. Servtec Energia. Sowitec do Brasil Energia. Alubar Energia. Atlantic
Energias Renováveis
 Contour Global
 Cemig, Chesf
 Dobrevê Energia S.A. (DESA)
 EDP
 Endesa
 Energimp
 Energisa
 Multiner
 MPX
 Odebrecht
 Pacific Hydro Energias do Brasil
 Safira Energia
 Theolia Brasil Energias Alternativas
 Voltalia
 Etc.
Fontes Alternativas de Energia, no Brasil

Motivação Dificuldades
• demanda vai crescer 54% até 2019  Imprevisibilidade (eólica e PCHs)
e hidrelétricas existentes no limite
 Competição com outras fontes
• construção rápida renováveis abundantes
• sinergia com hidrelétricas  Baixa pressão geopolítica
(biomassa e eólicas)  dificuldades de integração ao
sistema
 Congestionamento de redes
• bom potencial em regiões carentes  Reserva de potência
de energia (N e S)  Sistemas de proteção e controle
 Inércia e estabilidade
• bom potencial perto da demanda
 Qualidade da energia (variações
• reduz vulnerabilidade geopolítica ao instantâneas)
 Compensação reativa
gás
• geração de empregos
• redução de emissões
Benefícios da energia eólica
Benefícios – complementaridade com o regime hidrológico

6000 1400 70000 25

geração hidrelétrica (MWmês)

geração eólica (MWmês)


1200 60000

geração eólica (GWh)


5000 20
1000 50000
vazão (m3/ s)

4000
800 40000 15
3000
600 30000 10
2000
400 20000
1000 5
200 10000
0 0 0 0
jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez

vazão na hidrelétrica de Sobradinho (1931-1992) geração hidrelétrica no SE


geração eólica (supondo 3GW de capacidade) geração de parque eólico de 50MW em Palmas

Geração Eólica que seria obtida na região NE, versus a Geração Eólica que seria obtida via parque eólico de 50 MW
Vazão Natural do Rio São Francisco no reservatório da em Palmas, comparado com a geração hidrelétrica na região
hidrelétrica de Sobradinho. Fonte: Amarante et al, 2001 SE. Fonte: Amarante et al, 2001
Benefícios da energia eólica

Benefícios – potencial alto em regiões que têm “importado” energia


Benefícios da energia eólica
Benefícios – redução do acionamento de térmicas

Fonte: elaborado a partir de dados obtidos em www.ons.org.br e www.ccee.org.br.