Você está na página 1de 4

Trabalho

de
Português

Analise livros: Iracema, Memória de um


Sargento de milícia, Memória póstuma
Brás Cuba, Cortiço e Dom Casmurro.

Alunos: Juliana marina e Fabrício Sanchez


Professora: Lilian Pereira

Cafelândia- SP

2018
Iracema
Análise

José de Alencar foi o primeiro grande escritor brasileiro. Escreveram


diversos romances e algumas peças de teatro. Além de escritor, teve
larga atuação como deputado no parlamento da época. Tanto na
política quanto na literatura, sua obra ficou marcada por um
nacionalismo intenso e pragmático.

Junto com outros românticos, Alencar empenhou-se muito para


despertar um sentimento patriótico nos brasileiros, sempre
destacando, por vezes de forma ingênua, as virtudes nacionais,
principalmente nossas riquezas naturais.

Nesse sentido, Iracema é sua obra máxima. Uma narrativa que


mistura aventuras épicas com lirismo poético na criação do mito
heroico do nascimento do povo brasileiro.

Memória de um sargento de milícias

Análise
O romance picaresco vem de uma tradição marginal, classicista e
renascentista de romances focados em personagens pícaros. Anti-
heróis que ao vento das desventuras tentam tirar vantagem de todas
as situações, usando meios antiéticos para tal feito.

A crônica de costume é o retrato dos costumes de uma sociedade que


se aproxima de um tom jornalístico. O realismo é a corrente literária
que busca explicar uma sociedade por meio da literatura, investindo
os personagens de uma carga psicológica e retratando as suas
relações.

Apesar de encontramos no romance diversos elementos das


caracterizações anteriores não são possíveis definir Memórias de um
Sargento de Milícias usando apenas uma delas. Logo a problemática
continua.
Memória póstumas de Brás Cubas

Análise

Machado de Assis é considerado, pela crítica especializada, o maior


escritor brasileiro de todos os tempos. Sua obra extrapolou os limites
do seu tempo e da estética realista e antecipou a Modernidade.

Em Memórias Póstumas de Brás Cubas, temos a presença de um


“defunto autor”. O narrador protagonista está contando sua vida após
ter morrido. Isso rompe com a proposta “realista” do período. Além
disso, os capítulos curtos, capítulos formados por pontos,
exclamações e interrogações e capítulos em branco, antecipam a
irreverência própria da narrativa moderna.

A característica mais marcante do estilo machadiano é a digressão. A


narrativa de Machado de Assis é constantemente interrompida por
comentários metalingüísticos, intertextualidades, histórias paralelas e,
principalmente, análises filosóficas da sociedade e do indivíduo. Isso
faz com que seus enredos fiquem sempre fragmentados e
embaralhados. Essa dificuldade de leitura, no entanto, é compensada
pelo humor inteligente e pela estrutura dinâmica e moderna de seus
livros.

Cortiço
Análise

Contexto histórico

O período em que a ação acontece não está definido, sabemos


apenas que ocorre no Rio de Janeiro do século XIX. Este dado é
fundamental, já que durante essa época, o Rio de Janeiro era sede do
império, se tornando a primeira cidade modernizada. Assim, o
romance reflete o crescimento urbano do seu tempo, o nascimento de
uma nova burguesia que convivia, lado a lado, com a pobreza
absoluta.
Romances naturalistas ou romances de tese

O Cortiço é uma obra de grande importância já que representa um


marco do Naturalismo no Brasil. Idealizado por Émile Zola, este
movimento literário procurava mostrar os instintos humanos, suas
fraquezas, vícios e defeitos.

Assim, os romances naturalistas são classificados como romances de


tese, pretendendo provar uma teoria: que o indivíduo é produto da sua
hereditariedade, do meio e do momento histórico em que vive, sendo
determinado por esses fatores e se esgotando neles. Um olhar
atual classificaria esses determinismos como formas de tentar
justificar, cientificamente, preconceitos raciais e de classe.

Dom Casmurro
Análise

Em Dom Casmurro, a narração é na primeira pessoa: Bento Santiago,


o narrador-protagonista, escreve sobre o seu passado. Assim, toda a
narração está dependente da sua memória, os fatos são contados
segundo o seu ponto de vista.

Devido a este caráter subjetivo e parcial da narração, o leitor não


consegue distinguir a realidade e a imaginação de
Santiago, duvidando da sua fiabilidade enquanto narrador. Desta
forma, o romance abre a possibilidade ao leitor de interpretar os fatos
e se posicionar a favor ou contra o protagonista, face à possível
traição.