Você está na página 1de 30

Matemática

Financeira
(Juros Simples x Juros Compostos)

Prof.Ilydio Sá 1
Taxa de Juros

FORMA PORCENTUAL

• Na forma porcentual a taxa de juros é aplicada a centos do


capital.
Ex.: 12% ao ano.

FORMA UNITÁRIA
• Na forma unitária a taxa de juros é aplicada a unidades do
capital.
Ex.: 0,12 ao ano.

Prof.Ilydio Sá 2
JUROS SIMPLES

Prof.Ilydio Sá 3
CÁLCULO DO JURO

JURO SIMPLES

• A remuneração pelo capital inicial


(o principal) é diretamente proporcional:

- Ao valor aplicado;

- Ao tempo de aplicação.

Prof.Ilydio Sá 4
CÁLCULO DO JURO
EXEMPLO

• FÓRMULA BÁSICA:

J=C.i.n
onde:
J = Juro
C = Capital inicial (Principal)
i = Taxa de Juros (na forma unitária)
n = prazo de aplicação (na mesma unidade que a taxa)

Prof.Ilydio Sá 5
MONTANTE
EXEMPLO
JURO SIMPLES

• Montante é a soma do juro mais o capital


aplicado.

M=C+J
onde:
C= principal
n= prazo de aplicação
i = taxa de juros

M = C(1 + in) = C. FATOR

Prof.Ilydio Sá 7
TAXA PROPORCIONAL
EXEMPLO
JURO SIMPLES

A taxa i1 (referida ao período n1) é proporcional à taxa i2 (referida ao


período n2) se:
Ou ainda:
i1 n1 i1 i2
 
i2 n 2 n 1 n2

Ou, do mesmo modo, se:

i1.n 2  i 2 .n1

Prof.Ilydio Sá 9
TAXAS EQUIVALENTES
Duas taxas de juros são equivalentes se:

• aplicadas ao mesmo capital;

• pelo mesmo intervalo de tempo.

=> Ambas produzem o mesmo juro.

No regime de juros simples, as taxas de juros


proporcionais são igualmente equivalentes.

Prof.Ilydio Sá 12
JURO EXATO
EXEMPLO

Juro Exato é aquele em que:

• o período a que se refere a taxa está expresso em


dias.

• é adotada a convenção do ano civil.

Prof.Ilydio Sá 13
JURO COMERCIAL
EXEMPLO

Juro comercial é aquele em que:

• o período a que se refere a taxa está expresso em dias.

• é adotada a convenção do ano comercial (360 dias):

Prof.Ilydio Sá 15
JUROS COMPOSTOS

Prof.Ilydio Sá 17
Juros Compostos
Juros Simples:
• Apenas o capital inicial rende juros;
• O Juro é diretamente proporcional ao tempo e à taxa.

Juros Compostos:
• O Juro gerado pela aplicação, em um período, será
incorporado;
• No período seguinte, o capital mais o juro passa a ge-
rar novos juros;
• O regime de juros compostos é mais importante, por-
que retrata melhor a nossa realidade.

Prof.Ilydio Sá 18
Diferença entre os regimes
de capitalização
Co= 1000,00
i= 20 % a.a.
n= 5 anos

n Juros Simples Juros Compostos


Juro por Período Montante Juro por período Montante
0 0 1000,00 0 1000,00
1 1000 x 0,2 = 200 1200,00 1000 x 0,2 = 200 1200,00
2 1000 x 0,2 = 200 1400,00 1200 x 0,2 = 240 1440,00
3 1000 x 0,2 = 200 1600,00 1440 x 0,2 = 288 1728,00
4 1000 x 0,2 = 200 1800,00 1728 x 0,2 = 346 2074,00
5 1000 x 0,2 = 200 2000,00 2074 x 0,2 = 414,80 2488,80

Prof.Ilydio Sá 19
GRÁFICO COMPARATIVO: JUROS SIMPLES X
JUROS COMPOSTOS

3000,00

2500,00 2488,80

2074,00
2000,00 2000,00
MONTANTE

1728,00 1800,00

1500,00 1440,00 1600,00


1200,00
1400,00
1000,00 1200,00
1000,00
1000,00

500,00

0,00
1 2 3 4 5 6
TEMPO (ANOS)
Prof.Ilydio Sá 20
Uma questão: Será que, pelo que vimos no
gráfico anterior, podemos então concluir que os
montantes gerados, sob as mesmas condições
e sobre o mesmo capital, a juros simples e a
juros compostos ou são iguais ou o montante
dos juros compostos será maior?

Para ajudar na resposta, vamos incluir na


tabela e no gráfico anterior mais uma linha.
Vamos calcular os dois montantes para um
prazo de 15 dias após o início da aplicação, ou
seja, após meio mês.

Prof.Ilydio Sá 21
JUROS SIMPLES JUROS COMPOSTOS
Montante Montante
0 1000,00 1000,00
0,5 1000 x 1,1 = 1100 1000 x 1,2^0,5= 1095,45
1 1000 x 1,2 = 1200 1000 x 1,2 = 1200
2 1000 x 1,4 = 1400 1000 x 1,2^2 = 1440
3 1000 x 1,6 = 1600 1000 x 1,2^3 =1728
4 1000 x 1,8 = 1800 1000 x 1,2^4 =2074
5 1000 x 2,0 = 2000 1000 x 1,2^5 = 2488,8

Prof.Ilydio Sá 22
GRÁFICO COMPARATIVO: JUROS SIMPLES X
JUROS COMPOSTOS

3000,00

2500,00 2488,80

2074,00
2000,00 2000,00
1728,00
MONTANTE

1800,00
1440,00 1600,00
1500,00
1200,00 1400,00
1095,45
1000,00 1200,00
1000,00
1000,00 1100,00

500,00

0,00
1 2 3 4 5 6 7
TEMPO (ANOS)
Prof.Ilydio Sá 23
Montante

O cálculo do montante, em juros compostos é


dado pela fórmula:

M  C.(1  i) n
M  C.F n

M = montante ao fim de “n” períodos


C = capital inicial
n = número de períodos
i = taxa de juros por período, efetiva
F = fator de correção da taxa i

Prof.Ilydio Sá 24
Exemplo
Uma pessoa toma $ 1.000,00 emprestado sob taxa efetiva
2% a.m. pelo prazo de 10 meses com capitalização
composta. Qual o montante a ser devolvido ?
Resolução: C = 1.000
i = 2% a .m.
n = 10 meses

Temos: M  C.(1  i) n
M0  C.F 10
M  1.000.(1,02) 10

 M  $1.218,99

Prof.Ilydio Sá 25
Valor Atual e Valor
Nominal
• O Valor Atual corresponde ao valor da aplicação
em uma data inferior à do vencimento.
• O Valor Nominal é o valor do título na data do
seu vencimento.
N
V
(1  i ) n

V = valor atual
N = valor nominal
i = taxa de juros
n = número de períodos que antecedem o vencimento do título

Prof.Ilydio Sá 26
Exemplo
a) Por quanto devo comprar um título, vencível daqui a 5 me-
ses, com valor nominal de $ 1.131,40, se a taxa de juros com-
postos corrente for de 2,5% a.m. ?

Resolução:

N=1.131,40
V

n = 5 Meses

Prof.Ilydio Sá 27
N = 1.131,40
i = 2,5 % a.m.
n = 5 meses

N
V 
(1  i ) n
1.131,40 1.131,40
V  5

(1,025) 1,131408
V  $1.000,00

Portanto, se comprar o título por $ 1.000,00, não esta-


rei fazendo mau negócio.

Prof.Ilydio Sá 28
Exemplo
b) Uma pessoa possui uma letra de câmbio que vence daqui a
1 ano, com valor nominal de $ 1.344,89. Foi-lhe proposta a tro-
ca daquele título por outro, vencível daqui a 3 meses e no valor
de $ 1.080,00. Sabendo-se que a taxa corrente de mercado é
de 2,5% a.m., pergunta-se se a troca proposta é vantajosa.
Resolução:

N=1.344,89
N*=1.080,00

0 3 12

Prof.Ilydio Sá 29
Exemplo
O valor atual na data focal zero da letra de câmbio que vence
em 12 meses é dado por:

N 1344, 89
V1  12

(1  i ) (1, 025)12
1.344, 89
V1   1.000, 00
1, 344889
 V 1  $1.000, 00
Calculemos agora o valor atual na data zero, da letra que vence
em 3 meses:
N* 1080, 00
V2  
(1  i )3 (1, 025)3

Prof.Ilydio Sá 30
1.080,00
V2 
1,076891
 V 2  $1.002,89
Comparando os dois valores atuais constatamos que:

V 2  V1
Ou seja, o título que vence em 3 meses tem um valor atual um
pouco maior que o que vence em 12 meses. Portanto, a troca
seria vantajosa.

Prof.Ilydio Sá 31
TAXAS COMPOSTAS

Os diversos tipos de taxas para juros


compostos.
TAXA NOMINAL
É uma taxa “simbólica” para juros compostos e usada apenas como
referência para cálculos rápidos da taxa efetiva. É fácil determinar
quando a taxa é nominal, pois ela estará sempre referida a uma
unidade de tempo, distinta da unidade que define o período de
capitalização. Ex: 24% ao ano, com capitalização mensal.
TAXA EFETIVA
É a taxa de juros compostos que já está referida à mesma unidade de
tempo que o período de capitalização. Ex: 1% ao mês, com
capitalização mensal; 24% ao ano, com capitalização anual; 0,5%
quinzenal, com capitalização quinzenal.
Importante: A passagem da taxa nominal para a taxa efetiva (que é a
usada na fórmula dos juros compostos) é feita de modo proporcional,
como nos juros simples, por convenção, para facilitar os cálculos.

24% ao ano, com 24%:12 = 2% ao mês, com


capitalização mensal capitalização mensal
TAXA NOMINAL TAXA EFETIVA
Prof.Ilydio Sá 33
Exemplo: Um capital de R$ 5000,00 foi investido, capitalizado
trimestralmente, sob taxa de 20% ao ano. Obtenha o montante final
dessa aplicação, sabendo-se que ela foi feita por um prazo de 2 anos.

20% ao ano, com


20%:4 = 5% ao trimestre
capitalização trimestral
TAXA NOMINAL TAXA EFETIVA

2 anos = 8 trimestres

M  5000 x (1,05)8  7387,27

Lembre-se: Você nunca poderá usar a TAXA NOMINAL nos cálculos


com juros compostos.

Prof.Ilydio Sá 34
TAXAS EQUIVALENTES
São taxas efetivas, que geram montantes iguais, aplicadas ao mesmo
capital e no mesmo prazo.
Exemplo: 4% ao mês é equivalente a 8,16% ao bimestre. Veja, por
exemplo, que se aplicarmos essas duas taxas sobre um capital de
R$ 1000,0, para um investimento de um ano, vão gerar os seguintes
montantes:
4% ao mês 8,16% ao bimestre
M  1000 x (1,04)12  1601,03 M  1000 x (1,0816) 6  1601,03

Na prática, quando queremos determinar uma taxa que seja


equivalente a outra, com capitalização distinta, usamos apenas os
fatores de correção, já que ao igualar os montantes, os capitais (que
são iguais) serão cancelados. Vejamos dois exemplos disso.

Prof.Ilydio Sá 35
EX. 1: Qual a taxa bimestral equivalente a 15,9693% ao
ano?
Como um ano tem 6 bimestres, é claro que o fator
bimestral (procurado), elevado ao expoente 6, terá de ser
igual ao fator anual, vejamos:
Fb  Fa  Fb  1,159693
6 6

Fb  6 1,159693  1,025
taxa procurada  2,5% a.b
EX. 2: Qual a taxa mensal equivalente a 0,05% ao dia?
Fm  Fd
30

Fm  (1,0005)30  1,0151
taxa mensal  1,51%
Prof.Ilydio Sá 36