Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS


CURSO DE DIREITO
CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO

Nome: Camila Stachechen RA: 76366


Fernanda Carniel 77032
Gabriel Borçatto 76364

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO – DIREITO


ADMINISTRATIVO
a) Qual o objeto do respectivo ramo jurídico (do que tratam suas normas)?
O direito administrativo já adotou diversos critérios como seu objeto de atuação,
como: poder executivo, enquanto praticante de suas leis; serviço público, que se
ocupava em assegurar o cumprimento dos serviços oferecidos pelo estado;
teleológico, que procurava assegurar os interesses públicos ante os privados, (é o que
mais se aproxima do objeto de ocupação atual, porém era muito abstrato); negativista,
onde toda atividade do Estado não fosse jurisdicional ou legislativa; exegética, onde
o único objeto de estudo era apenas a lei e; finalmente, a administração pública, que
procura como objetivo primeiro, praticar e executar as políticas públicas do estado. É
válido ressaltar também que, embora a administração pública seja o objeto mais aceito
como critério de ocupação do direito administrativo, ele não é único e suficiente. É
preciso realizar uma ponderação dentre todos, e fazer uma reflexão jurídica do seu
tempo e espaço.
Em outras palavras, o direito administrativo procura organizar a relação da
administração pública com o cidadão, visando garantir seus direitos e, de maneira
sistemática, organizar a estrutura do Estado obedecendo os da princípios da
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

b) Qual sua posição enciclopédica (se é Direito Público ou Direito Privado)?


Direito pode ser dado como um conjunto de normas que disciplinam a vida em
sociedade. Ele segue em dois ramos, o Direito Público e o Direito Privado. Para fins
dessa atividade ater-se-á ao direito Público, pois devido ao fato do Direito
Administrativo disciplinar a função da administração pública, além das pessoas e
órgãos que a exercem, ele se enquadra nessa posição enciclopédica.
Esse ramo do Direito, por fazer parte do Direito Público, é governado pela ideia
de função, do dever de prestação e atendimento ao interesse, não somente de um
indivíduo ou de um grupo, mas de toda a sociedade (MELLO, 2014, p. 27, 28).
Segundo MELLO, possuiu uma disciplina normativa peculiar, da qual tem por
fundamentos dois princípios, diferentes dos cinco já expostos, a supremacia do
interesse público sobre o privado e a indisponibilidade, pela Administração, dos
interesses públicos (2014, p. 55, 56).

c) Qual a principal ou as principais fontes formais desse ramo jurídico no


direito brasileiro (legislação mais relevante)?
Os principais títulos do Direito Administrativo pertencem ao Direito
Constitucional (MELLO, 2014, p. 28). Desse modo, sua principal fonte formal, no
ordenamento jurídico brasileiro, é a Constituição Federal de 1988. Ademais, também
podem ser considerados como fontes do Direito Administrativo os atos expedidos
formalmente pelo Poder Legislativo, também os atos normativos expedidos pela
Administração Pública (NOHARA, 2017, p. 20).
Diferentemente de outros ramos, no Direito Administrativo, por vezes, a
elaboração de legislação relacionada é de responsabilidade de cada ente da
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
CURSO DE DIREITO
CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO

federação. Um exemplo é o caso dos servidores públicos, cada ente possui autonomia
para estruturar suas regras, visto que na forma de Estado federativa cada ente possui
auto-organização, autogoverno, autolegislação e autoadministração (NOHARA,
2013). No caso do estado do Paraná, por exemplo, os servidores públicos estatutários
vinculados a órgãos federais, submeter-se-ão, como regra geral, à Lei nᵒ 8.112/90; a
órgãos estaduais do Paraná, à Lei nᵒ 6.174/70; e a órgãos municipais de Francisco
Beltrão, à Lei nᵒ 4.133/13.

d) Aponte algumas relações relevantes com os demais ramos jurídicos.


Em face da Direito Constitucional, há estrita afinidade, tendo em vista que
essas disciplinas cuidam da mesma entidade: o Estado. Entretanto, o D.C. representa
a sua parte estrutural, a sua anatomia, cuidando das formas, estruturas e politicas
estatais, estabelecendo os seus fins, os direitos e as garantias dos administrados.
Com o Direito Tributário e o Direito Financeiro, o ponto de congruência é a
receita pública, pois estes estudam as atividades vinculadas à imposição e
arrecadação de tributos. Da mesma forma, é possível verificar ligação com o Direito
Penal, por meio dos ilícitos penais praticados por agentes públicos.
Com o Direito Processual, a afinidade tem, como principal elemento de
intersecção, o Processo Administrativo, o qual segue princípios comuns aos Direito
Processual Civil e Processual Penal.
No Direito do Trabalho, o empregado público é o elo, agente que atua nas
pessoas jurídicas da Administração Pública, mas que está sujeito ao regime da CLT,
daí porque o julgamento de suas ações será pela Justiça do Trabalho. Ademais, as
instituições de previdência e assistência ao assalariado são constituídas no regime de
autarquias, assunto estrito ao Direito Administrativo, o que também é um ponto de
coincidência com o Direito Previdenciário.
Quanto ao direito privado, o Direito Civil e o Direito Empresarial misturam-se ao
D.A. quando o tema se refere aos contratos e obrigações, haja vista obedecerem à
mesma teoria geral.
O liame com o Direito Eleitoral decorre do fato de o Direito Administrativo ser
responsável pela regência dos atos eleitorais, estando sempre presente na
organização da votação e apuração dos pleitos, no funcionamento dos partidos
políticos, no ordenamento e na fiscalização da propaganda partidária, dentre outros,
em que pese serem regulados pelo Eleitoral.

REFERÊNCIAS
MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. São Paulo:
Malheiros Editores, 2015.
NOHARA, Irene Patrícia. Direito Administrativo. Salvador: Editora Juspodivm,
2017.
NOHARA, Irene Patrícia. Por que o direito administrativo não tem código?
Disponível em: <https://bit.ly/2JSa617>. Acesso em: 04 ago. 2018.
GRAN CURSOS ONLINE. Conceito e objeto do direito administrativo. Disponível
em: <https://www.grancursosonline.com.br/download-demonstrativo/download-
resumo/codigo/rda5xu7gomm=>. Acesso em: 07 ago. 2018.
MARINELA, Fernanda. Direito Administrativo. 12. ed. São Paulo: Saraiva
Educação, 2018.