Você está na página 1de 5

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Câmpus Itumbiara Pág. 1


Roteiro de Laboratório

Aula 01 – Resistores e código de cores

1 Material utilizado
 1 Multímetro digital;
 10 Resistores (diversos valores).

2 Introdução
Resistores são elementos do circuito elétrico capazes de converter energia elétrica em
energia térmica, tendo como suas principais aplicações a utilização em aquecedores e
limitadores de corrente elétrica.
Alguns exemplos de resistores utilizados no cotidiano são: o filamento de uma lâmpada
incandescente, a “resistência” de um chuveiro elétrico, os filamentos que são aquecidos em uma
estufa, entre outros.
Nos circuitos elétricos as resistências dos condutores que interligam seus elementos são
consideradas nulas, ou seja, as resistências de conexão e dos fios condutores são desprezadas,
sendo consideradas somente àquela concentrada no elemento resistor. As simbologias dos
resistores normalmente são representadas pelas figuras abaixo:

Figura 2.1 – Simbologia de resistores.

Comercialmente são encontrados 3 tipos de resistores:


 Resistor de fio: Consiste basicamente em um tubo cerâmico que serve de
suporte para enrolarmos um determinado comprimento de fio, de liga especial
para obter o valor de resistência desejado. Os resistores de fio são encontrados
com valores de resistência de alguns ohms até alguns quilo-ohms, e são
aplicados onde se exigem altos valores de potência, acima de 5W, sendo suas
especificações impressas no próprio corpo.
 Resistor de filme de carbono: Consiste em um cilindro de porcelana recoberto
por um filme (película) de carbono. O valor da resistência é obtido mediante a
formação de um sulco, transformando a película em uma fita helicoidal. Esse
valor pode variar conforme a espessura do filme ou a largura da fita.
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Câmpus Itumbiara Pág. 2
Roteiro de Laboratório

 Resistor de filme metálico: Sua estrutura é idêntica à de filme de carbono,


somente que se utiliza uma liga metálica (níquel-cromo) para formar a película,
obtendo valores mais precisos de resistência, com tolerância de 1% e 2%.

Existem duas opções para encontrar o valor de um resistor:


 Medir o resistor com um ohmímetro ou multímetro (o que pode ser às vezes
impraticável, se o elemento estiver soldado num circuito);
 Ler o valor direto do corpo do resistor.
A leitura do valor da resistência diretamente no resistor pode não ser trivial, uma vez
que normalmente os valores vêm codificados em cores.

3 Código de cores
Visando uma fácil interpretação, o código de cores de resistores é analisado através de
faixas, sendo cada faixa com sua função. Pode se ter códigos para resistores de 3 faixas, 4 faixas,
5 faixas e 6 faixas. A 1ª faixa é sempre a que estiver mais próxima de um dos terminais do
resistor.

3.1 Resistores de 3 faixas


 1ª Faixa: mostra o primeiro algarismo do valor da resistência.
 2ª Faixa: mostra o segundo algarismo da resistência.
 3ª Faixa: mostra quantos zeros devem ser adicionados a resistência.
Obs: Para os resistores de 3 faixas a tolerância pode ser considerada em ± 20%, sendo
definido sem cor.

Figura 3.1 – Tabela de código de cores para 3 faixas.


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Câmpus Itumbiara Pág. 3
Roteiro de Laboratório

3.2 Resistores de 4 faixas


Para resistores de 4 faixas é utilizada a tabela abaixo e os mesmos passos citados para
resistores de 3 faixas, mas com a adição de uma quarta faixa que identifica a tolerância que o
componente tem.

Figura 3.2 – Tabela de código de cores para 4 faixas.

3.3 Resistores de 5 faixas


 1ª Faixa: mostra o primeiro algarismo do valor da resistência.
 2ª Faixa: mostra o segundo algarismo da resistência.
 3ª Faixa: mostra o terceiro algarismo da resistência.
 4ª Faixa: mostra quantos zeros devem ser adicionados a resistência.
 5ª Faixa: mostra a tolerância que o componente terá.

Figura 3.3 – Tabela de código de cores para 5 faixas.


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Câmpus Itumbiara Pág. 4
Roteiro de Laboratório

3.4 Resistores de 6 faixas


Para resistores de 6 faixas pode ser seguido as mesmas orientações citadas para
resistores de 5 faixas, mas com uma adição de uma 6 faixa que corresponde ao coeficiente de
temperatura em PPM/°C.

Figura 3.4 – Tabela de código de cores para 6 faixas.

4 Prática
1) Faça a leitura do código de cores de cada resistor e anote no quadro abaixo o valor
nominal e a tolerância:
Valor
Resistor Sequência de cores Tolerância
nominal
R1
R2
R3
R4
R5
R6
R7
R8
R9
R10
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Câmpus Itumbiara Pág. 5
Roteiro de Laboratório

2) Meça com o multímetro o valor da resistência e calcule a divergência relativa (ΔR%)


do valor nominal. Fique atento na escala a ser utilizada no multímetro.

|𝑉𝑛 − 𝑉𝑚 |
∆𝑅% =
𝑉𝑛

Resistor Valor nominal Valor medido ΔR%


R1
R2
R3
R4
R5
R6
R7
R8
R9
R10

3) Compare o ΔR% com as tolerâncias obtidas dos resistores e tire conclusões.